• Save
Jornal   Abra a sua mente
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Jornal Abra a sua mente

on

  • 593 views

Trabalho da disciplina de Técnicas de Comunicação.

Trabalho da disciplina de Técnicas de Comunicação.
Alunos: Edenilton Santos, Érica Galvão, Juliana Modesto, Larize Almeida e Raul Luchese.

Statistics

Views

Total Views
593
Views on SlideShare
593
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Jornal   Abra a sua mente Jornal Abra a sua mente Document Transcript

  • A maconha não destrói, o mercado negro sim!A legalização no Brasil e no Mundo Foto da Internet Érika Galvão O uso O debate sobre a legalizaçãomedicinal da maconha, causa há anos discussões políticas, sociais e econômicas em Maconha é usada no diversos países que não permitem o consumo nem o cultivo da Cannabis.tratamento de portadores Não se trata somente de um interesse de aids e câncer público, e sim político que sempre Página 03 relaciona o consumo da maconha à criminalização. A cada dia cresce mais o número de mani- Mas vemos que não existem muitos festantes pelo mundo argumentos que sustentam esse posi- De onde cionamento. Segundo o Acadêmico Rogério Fernandes Lemes, existem relação ao cultivo, e recentemente foi impedida a venda da erva para es- vem? três pontos importantes que impen- trangeiros. dem à discussão sobre a legalização Na Europa as políticas de redução da Cannabis no Brasil, a repressão de danos consistem numa estratégia História da maconha do Estado às manifestações e prop- que trata o consumo de drogas como osições de diálogo da sociedade civil uma questão de saúde pública, na qual mostra que a falta de organizada; a divulgação sensacion- o dependente é visto como pessoa que conhecimento é um dos alista e tendenciosa da grande mídia, precisa ser auxiliada ao invés de umprincipais responsáveis da que não produz uma reflexão crítica criminoso que deve ser castigado. descriminação da questão por parte da opinião públi- Analisando o caso nesses países, com- ca; e a ausência do diálogo franco e provamos que existe, não só no Páginas 04 e 05 democrático do assunto nos diferentes Brasil, a falta de discussão setores sociais, resultado de uma ori- e clareza sobre o entação superficial e espetacular dos que é a Canna-Marcha da meios de informação de massa. Na ultima cúpula das Américas que bis sativa e qual a melhor forma demaconha aconteceu em abril de 2012, o presi- tratar do dente dos Estados Unidos, Barack assun- Obama, resistiu à discussão sobre o to. Ou assunto, mas ainda assim posicionou- seja, vive-Manifestações tomam se dizendo que “Os Estados Unidos mos em umconta das principais não vão legalizar nem descriminalizar país onde o Álcool, as drogas”. Na Holanda, o consumo uma das drogas cidades do país e a comercialização foram permiti- que mais causam Página 07 dos nos chamados coffeeshops, onde mortes e acidentes no mundo é legali- os usuários se reúnem para o uso da zado, e a Maconha que nunca causou maconha. Porém, tem restrições com mortes é ilegal e criminalizada.
  • MEDICINA EDITORIAL2 Índice O Uso Medicinal da Maconha 3 Foto da Internet O uso terapêutico está associado com o desenvolvimento de substâncias puras, e não com o fumo da mesma. 02 Foto da Internet Doenças que que podem ser EDITORIAL tratadas com a maconha A descriminação Câncer – Geralmente usa-se THC sintético (maconha em comprimi- do) para diminuir a dor e as náu- 03 seas causadas pela quimioterapia. MEDICINA AIDS – O uso tem as mesmas in- O uso medicinal da maconha dicações feitas para os doentes Originada de uma planta cujo nome um futuro onde as pessoas andam pe- com câncer, porém, nesse caso, o é cannabis, a maconha é um dos as- las ruas como os olhos vermelhos e maior benefício é o apetite. Ajuda 04 suntos mais discutidos hoje no mundo apontando para discos voadores e, em a combater a desnutrição, causada inteiro. O seu uso ao longo da história todas as esquinas, há vândalos fazendo pela baixa imunidade. HISTÓRIA mostra que não há tantos prejuízos no arruaças. Isso não faz sentido, quando Cólicas Menstruais – Neste caso De onde vem? seu consumo, mas por outro lado a de- o que deveriam estar pensando é jus- a maconha tem um efeito de anal- scriminação ainda é enorme. tamente o oposto. A legalização da gésico, proporcionado alivio para Se você parar e analisar os estudos maconha, antes de tudo, contribuiria Devido a discriminação, os efeitos sobre o sistema imune ainda não 06 que dizem que a cafeína causa mais para a diminuição do mercado negro são bem conhecidos. as dores e relaxamento. dependência que a cannabis, ou que de drogas, assim como a exploração MÍDIA Inflamações da pele – mesma não é possível morrer de overdose de de crianças, etc. maconha sejam produzidos em labo- condição receitada para cólicas Documentários: Cortina de maconha, ou que aquela bebida que Mas, o que é uma droga? Bom, Larize Almeida menstruais, inibição da dor. é divulgada no intervalo da novela essa pergunta pode ter várias interpre- ratórios especializados. Fumaça e Quebrando o Tabu das nove já causou muitos acidentes tações, e certamente a grande maioria 07 e que a maconha nunca matou nen- atribua um conceito negativo a essa O uso da maconha para fins medici- nais é tão antigo quanto à própria Efeitos Psíquicos Asma – o THC (o THC e não a fu- maça) em contato com o pulmão huma pessoa, a discussão sobre a le- palavra. O mesmo acontece com a tem a propriedade de abrir os brôn- maconha. A erva é reconhecida Pesquisas realizadas em animais MANIFESTAÇÕES galização torna-se algo irrelevante, maconha e seus usuários. quios, devido ao relaxamento mus- por tratar-se de algo que faz tanto mal Surge ainda a discussão sobre a como medicamento em pelo menos e em homens indicam que a can- A marcha da maconha cular, facilitadno a passagem de ar. quanto um refrigerante. Mas, o peso cannabis ser a porta de entrada para duas condições: reduz ou abole nabis tem efeito analgésico impor- da palavra droga faz com que o as- outras drogas perigosas. Mas o que as náuseas e vômitos produzidos tante. Pacientes que estão em fase Desnutrição – como no caso de sunto gere tanta polêmica quanto o leva as pessoas até o craque e a co- por medicamentos que combatem de quimioterapia poderiam ser ben- indicação para os portadores de 08 aborto, por exemplo. caína que são drogas pesadas? Se a o câncer e também por apresentar eficiados com o uso dessa droga em AIDS a maconha tem a proprie- Quando se fala em legalizar uma coca-cola fosse proibida o que iria ac- efeito benéfico em alguns casos de diversas situações, como em pós- MUNDO substância como a maconha, muitas ontecer? As pessoas teriam que colo- dade de estimular o apetite. epilepsia. operatório, com a lesão da coluna ONU admite efeito negativo pessoas agem como se isso signifi- car a vida em risco para comprar uma Espasmos Musculares – como A maconha é derivada da planta vertebral devido o transplante de da guerra às drogas casse um presságio que aponta para latinha de refrigerante? já foi mencionado a maconha ou Cannabis Sativa, que tem origem medula, ou em outras condições THC relaxa os músculos e traz da Índia e tem como principal el- clínicas associadas a um quadro de sensação de alivio, assim os mús- emento ativo a substância delta- dor crônica. culos ficam mais flexíveis evitando 9-tetrahidrocanabinol (D-9-THC). O efeito da maconha é perceptív- os espasmos musculares. principal elemento ativo da droga. el dentro de um prazo de 20 minu- Coordenação Geral Reportagem Editores É recomendada a portadores de aids tos depois de tragada. A duração Esclerose Múltipla – a maconha é Juliana Modesto Larize Almeida Edenilton Santos e câncer, por apresentarem dificul- pode ser de aproximadamente duas usada, tendo em vista as mesmas Érica Galvão dades na alimentação. Os médicos a quatro horas. De acordo com pes- finalidades nos caso de espasmos Driretora de Jornalismo Projeto Gráfico e Juliana Modesto orientam seus pacientes a fazer o quisadores Centro Brasileiro de In- musculares. Érica Galvão Diagramação Larize Almeida uso da droga especificamente antes formações sobre Drogas Psicotrópi- Glaucoma – ainda em fase inicial, Edenilton Santos Raul Luchese das refeições para aproveitar seu cas (CEBRID), os efeitos psíquicos os testes mostram que o THC di- Editor Chefe efeito de sensação de fome, causada dependem não só da quantidade, minui a pressão sobre os olhos, Edenilton Santos Gerente Comercial Reportér Especial pelo D-9-THC , estimulando assim mas da qualidade da maconha fu- talvez derivados do relaxamento Larize Almeida Juliana Modesto o apetite. mada e do organismo de quem muscular, conseqüentemente con- Não se sabe ainda qual é a quanti- fuma. Para algumas pessoas os trolando o glaucoma. Editor Assistente dade que deve ser utilizada para esse efeitos são: sensação de bem-estar, Raul Luchese Fotografia Goiânia, maio de 2012 fim, por isso os especialistas defen- calma e relaxamento, eliminação da Fonte: Cantinho da Web 06/05/11 Erica Galvão Ano 1 www.cantinhodaweb.com dem que os medicamentos à base de fadiga e vontade de rir.
  • HISTÓRIA4 DE ONDE VEM A MACONHA? A f alta d e conhec i m e n to s o b r e o a s s u nt o é o pri nc ipal mot iv o da di s c ri mi naç ão da ma co n h a 5 Edenilton Santos A erva e os livros A mais usada Guerra às Drogas? BRASIL D sagrados A maconha é considerada a erivada da planta Can- Entre os anos de 1200 à 800 droga mais usada no mundo, Apoiada por artistas e al- nabis Sativa, a ma- a.C. a planta era citada como mas o que é uma droga? Para a A proibição teve alguns efeitos guns políticos liberais, no Foto da Internet conha causa polêmica uma das 5 ervas mais sagradas medicina, a palavra refere-se a negativos como o desperdício de Brasil a campanha pela le- porque popularmente da Índia no Atharva Veda, livro toda substância que tem poten- cerca de 100 milhões de dólares. As propagandas descriminavam galização da maconha tem ainda há uma recusa sobre medicina sagrada dos Hin- cial de prevenir ou curar doen- a planta e os usuários que logo impulso nas décadas de a seus benefícios, que no decor- dus. Além do uso medicinal tam- ças. Em farmacologia ela é vista rer da história foram perdidos e como agente químico que podem passaram a ser vistos como de- 1980 e 1990. bém era utilizada em rituais de marginalizados. oferenda para Shiva, um deus alterar os processos bioquímicos linqüentes e traficantes. O ex-presidente Fernan- Estudos mostram que há hindu. e fisiológicos de tecidos ou or- A proibição da maconha, do Henrique Cardoso, que 7.000 a.C. o seu uso como medi- No período de 700 à 600 a.C. ganismos. porém, antecede o decreto do ex- é membro da Comissão La- camento já era popular na Índia. o livro sagrado da religião persa, De acordo com a Organi- presidente norte-americano. Em tino-americana de Drogas E em diversos momentos da o Zend-Avesta, se referia à ma- zação das Nações Unidas, ONU, 1937, por exemplo, o “Marihua- e Democracia, apoia a de- história a erva esteve presente conha como um bom narcótico. aproximadamente quatro por na Tax Act of 1937” (Ato Fiscal scriminalização da posse de com uma peculiaridade que é contradiz o senso comum: não Em 570 a.C. – De acordo com a tradição Mahayana, Buda con- cento da população mundial, que corresponde a 162 milhões E m 1974 o então presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, declarou a tão conhecida da Maconha de 1937) baseava- se em conceitos e pensamentos baseados na moral e com moti- pequenas quantidades para uso pessoal da maconha há, em qualquer período históri- sumiu apenas cânhamo durante de pessoas, usam maconha pelo “Guerra às Drogas”. Quarenta vações políticas e econômicas. e afirma que a repressão co documentado, nenhum caso os seis anos de meditação. menos uma vez ao ano. anos depois o que percebe-se é Foi um dos responsáveis pela como é feita resulta num de morte por seu uso. Por volta de 1450 Gutenberg O censo realizao em 2001, mostrou que cerca de 6,7% que os resultados não foram ex- criminalização da maconha nos aumento de violência e con- imprime a Bíblia, e outros livros, em folhas de cânhamo. da população que consumia atamente os desejados. Estados Unidos. sumo. psicotrópicos já haviam experi- mentado a maconha pelo menos uma vez. 1500 a.C. 10000 a.C. 1200 – 800 430 a.C. 1200 1450 1600 1971 2011 Nas proximidades 500 – 100 A Cannabis é Um relatório da do Himalaia, o a.C. O filósofo A planta Comissão Global A maconha é a.C. introduzia no Egito O ex-presidente sobre Política de cultivada em larga homem aprende a A maconha é citada grego Heró- Gutenberg durante a dinastia norteamericano escala na China plantar cânhamo no Atharva Veda, A maconha se doto registra o de Ayyuib na imprime a Bíblia chega ao Richard Nixon Drogas diz que a “guerra às drogas” para alimentação livro sobre medicina (e mais um monte para usar na e vestuário. Suas confecção de sagrada dos Hindus, espalha pela uso da ma- ocasião em que o de outros livros) Brasil tra- declarou global falhou. como uma das 5 país foi influen- Demanda a legal- cordas e tecidos. É ervas mais sagradas Europa conha como em folhas de zida por “guerra às ização de algumas utilizadas para ciado por místicos a primeira planta da Índia. Era usada recreativo e cânhamo. drogas” drogas e um fim à devotos da erva tecidos. cultivada para em rituais de ritualístico. oriundos da Síria. escravos. criminalização dos oferenda para Shiva. esse fim. usuários de drogas.
  • MÍDIA M A N I F E S TA Ç Õ E S Quebrando o Tabu CORTINA DE FUMAÇA MARCHA DA MACONHA Imagem da Internet6 7 Imagem da Internet Movimento ganha força no Brasil A Juliana Modesto Foto da Internet marcha da maconha é um movimento que surgiu em 1994, e atualmente ocorre em varias cidades do mundo. O objetivo principal, Ano: 2011 criar um debate social, a respeito da política antidrogas. Conhecido Duração: 80 mins Produtora: J.R Mac Niven Produções Direção: Rodrigo MacNiven como o dia mundial de manifes- Diretor: Fernando Grostein Lançamento: 2010 tações favoráveis a mudança nas leis Andrade relacionadas as drogas, e principal- Sinopse: O documentário Sinopse: Cortina de Fumaça coloca em questão a política de drogas mente a maconha, regulamentação trata do narcotráfico e dis- vigente no mundo, dando atenção às suas conseqüências político- do comercio, uso ( tanto recreativo cute as diversas políticas sociais em países como o Brasil e em particular na cidade do Rio de quanto medicinal). A marcha ocorre públicas sobre drogas com Janeiro. Através de entrevistas nacionais e internacionais com médi- mundialmente no segundo domingo depoimentos de Fernando cos, pesquisadores, advogados, líderes, policiais e representantes de de maio. No Brasil como a data co- Henrique Cardoso, Bill Clin- movimentos civis, o jornalista Rodrigo Mac Niven traz a nova visão incide com o dia das mães, pode ton, Jimmy Carter entre out- do início do século 21 que rompe o silêncio e questiona o discurso ocorrer em outras datas. ras personalidades. proibicionista. No Brasil ocorrem passeatas seguindo o calendário mundial desde 2002, no Rio de Janeiro. A primeira tentativa de organizar a Marcha em Movimentos a favor da legalização ocorre em várias cidades do país. várias cidades brasileiras, seguindo o calendário mundial foi em 4 de evento possui caráter nitidamente foi o lavador de carros que é negro. maio de 2008. Porém houve grande cultural, já que durante o evento Os detidos e o material apreendidos represália , com decisões judiciais, são realizadas atividades musicais, foram levados a duas delegacias, que proibiam o movimento na maio- teatrais e performáticas. O ministro mas em nenhuma delas foi registrado ria das cidades. Os juízes alegaram afirmou ainda que a mera proposta o Boletim de Ocorrência. A marcha desde apologia as drogas até for- de descriminalização de um ilícito realizada no dia 14 de maio teve con- mação de quadrilha. O evento aca- penal, não se confundecom ato de fusão e prisões. bouocorrendo legitimamente apenas incitação à pratica do delito nem No Rio de Janeiro, a marcha teve em Recife, mas acabou em confusão com apologia ao fato criminoso. “ O provocação por parte da policia. Se- e prisões. debate sobre a abolição penalde de- gundo os organizadores do evento Em 2009 e 2010, a Marcha ocor- terminadas condutas puníveis pode umaviatura atravessou no meio da reu pacificamente em várias cidades. ser realizado de forma racional, com passeata, a sensação foi de provo- Já em 2011, a justiça voltou a proi- respeito entre interlocutores, ainda cação. Às 18 horas a policia usou gás bira Marcha da Maconha em São que a ideia, para a maioria, possa ser lacrimogênio para dispersar a marcha Paulo, Belo horizonte e Curitiba, eventualmente considerada estranha, sob a alegação de que a manifestação mas a Marcha ocorreu normalmente extravagante, inaceitável ou perigo- não podia passar daquele horário. em outras cidades. Em 15 de junho sa”, ponderou. No dia 1° de junho será realizada de 2011, em decisão unanime o Su- Apesar da decisão do Supremo, a marcha em Goiânia, com concen- premo Tribunal Federal, aprovou a semana passada em Belo Horizonte, tração na Praça Universitária. En- Marcha. Para os ministros, os di- a polícia apreendeu camisetas e pan- tramos em contato com os organi- reitos constitucionais de reunião e de fletos de divulgação da Marcha em zadores do evento para sabermos livre expressão do pensamento ga- uma loja no centro da cidade. Um mais detalhes, e quais medidas estão rantem a realização dessas marchas, funcionário, dois militantes do movi- sendo tomadas para que não ocorra e a liberdade de expressa só pode ser mento e um lavador de carros foram o mesmo que aconteceu em Belo proibida quando incitar ou provocar detidos pelos policiais. Segundo o Horizonte e no Rio de Janeiro, mas ações ilegais.O ministro Celso Melo, proprietário da loja, Nilo Vitor do até o fechamento desta edição não relator da proposta afirmou que o Carmo, 31, o único a sair algemado houve resposta.
  • MUNDO ONU admite efeito negativo8 da guerra às drogas Foto da Internet R Ativistas realizam ação cultural no Rio contra o Dia de Combate às Drogas da ONU esponsável pelo Es- eracionalmente subordinada ao do secretariado da Comissão Drogas critório das Nações escritório chefiado por Costa. Em e Democracia, da qual participam Unidas sobre Drogas resposta a essas "consequências ex-presidentes latino-americanos, e Crime (UNODC), o imprevistas", o diplomata defendeu entre eles Fernando Henrique Car- italiano Antonio Ma- controle e repressão ainda maiores, doso (1995-2002), como "contra- ria Costa declarou ontem, em Viena, com maior coordenação entre os ditória". que a política defendida pela ONU países. Por outro lado, fez con- "O atual sistema claramente não de uma "guerra às drogas" global, cessões ao discurso europeu e de funciona", ele disse. "A declaração com ênfase na repressão policial e ONGs favoráveis a uma política de [de Costa] é uma expressão muito militar, teve "consequências impre- "redução de danos", que diferencie clara disso. Eles incorporaram as vistas dramáticas". o consumo do comércio de drogas. críticas, mas não conseguiram fazer Ele falava na abertura da reunião o reconhecimento [no texto] de que da Comissão de Narcóticos das Nações Unidas, que divulgará hoje “O atual siste- a atual política não funcionou." A Comissão Drogas e Democra- um documento de consolidação dos princípios que norteiam a política ma claramente cia lançou ontem um documento em que pede mudanças na política internacional antidrogas. A elaboração do texto provocou não funciona” de "guerra às drogas", segundo eles ineficaz, aplicada à América Latina. uma divisão em relação ao enfoque "Deveríamos apostar num meio Presente à reunião de Viena, o atual, apoiado pelos EUA e criticado termo entre a criminalização e a presidente boliviano, Evo Morales, pela União Europeia, que defende legalização, concebendo nossos es- defendeu a retirada da folha de coca uma visão menos "policial" do tema. forços coletivos menos como uma da lista da ONU de substâncias ilíci- Costa destacou, entre os "efeitos guerra, e mais como um esforço tas. Enquanto, durante seu discurso, colaterais" da política repressiva, o para curar uma doença social." mastigava a planta, Morales disse fortalecimento financeiro e militar A fala contrasta com o texto aos presentes aos debates: "A folha de grupos de traficantes que explo- continuísta até agora acordado, e a de coca não é cocaína". ram o mercado negro da droga. atitude de Costa é classificada por Fonte: Blog Depedência Química / A Comissão de Narcóticos é op- Rubem César Fernandes, membro Médico Resp.: Dr Ronaldo Laranjeira