EDUCAÇÃO DE                                                                                              EJAPLANEJAMENTO  ...
EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOSCONHEÇA NOSSA PROPOSTA COMPLETA PARA EJA                                    CÓDIGO DO LIVRO    ...
AMPLIAR PERSPECTIVAS,                                                                 CONSTRUIR UM NOVO MUNDO.   CÓDIGO DA...
EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS FILOSOFANDO                                                                               MARI...
ORGANIZAÇÃO DO MATERIALCONTEÚDO                                                                            OBJETIVOS      ...
EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS        PLANEJAMENTO 2012JANEIRO                           FEVEREIRO                  MARÇO   1...
PLANEJAMENTO 2012JULHO                      AGOSTO                           SETEMBRO   1 D                       1 Q     ...
EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS                                                                                               ...
Confira indicações de vídeos no site www.futuranet.org.br                                PLANEJAMENTO INTERATIVO      UNIDA...
EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS                                                                                               ...
Confira indicações de vídeos no site www.futuranet.org.br                               PLANEJAMENTO INTERATIVO      CAPÍTU...
EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS                                                                                               ...
Confira indicações de vídeos no site www.futuranet.org.br                                   PLANEJAMENTO INTERATIVO       C...
EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS                                                                                               ...
Filosofando - EJA - Planejamento Interativo
Filosofando - EJA - Planejamento Interativo
Filosofando - EJA - Planejamento Interativo
Filosofando - EJA - Planejamento Interativo
Filosofando - EJA - Planejamento Interativo
Filosofando - EJA - Planejamento Interativo
Filosofando - EJA - Planejamento Interativo
Filosofando - EJA - Planejamento Interativo
Filosofando - EJA - Planejamento Interativo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Filosofando - EJA - Planejamento Interativo

10,732

Published on

Published in: Education
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
10,732
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
108
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Filosofando - EJA - Planejamento Interativo

  1. 1. EDUCAÇÃO DE EJAPLANEJAMENTO JOVENS E ADULTOSINTERATIVO FILOSOFANDOINTRODUÇÃO À FILOSOFIAPROFESSORESCOLA CÓDIGO DO LIVROANO TURMA 28886L2928 Material de Divulgação da Editora Moderna
  2. 2. EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOSCONHEÇA NOSSA PROPOSTA COMPLETA PARA EJA CÓDIGO DO LIVRO CÓDIGO DA COLEÇÃO 28886L2928 25142COL01 FILOSOFANDO PORTUGUÊS INTRODUÇÃO À FILOSOFIA CONTEXTO, INTERLOCUÇÃO E Maria Lúcia de Arruda Aranha SENTIDO Maria Helena Pires Martins Maria Luiza M. Abaurre Um novo olhar para Maria Bernadete M. Abaurre construir identidades e Marcela Pontara exercer a cidadania. Um trio de autoras que virou sinônimo de educação. CÓDIGO DA COLEÇÃO CÓDIGO DA COLEÇÃO CÓDIGO DA COLEÇÃO CÓDIGO DA COLEÇÃO 25073COL21 25050COL22 25052COL22 25047COL06QUÍMICA CONEXÕES COM A FÍSICA CONEXÕES COM ANA ABORDAGEM FÍSICA CIÊNCIA E TECNOLOGIA HISTÓRIADO COTIDIANO Blaidi Sant’Anna Carlos Magno A. Torres Alexandre AlvesFrancisco Miragaia Peruzzo Gloria Martini Nicolau Gilberto Ferraro Letícia Fagundes de Oliveira Hugo Carneiro Reis Paulo Antonio de Toledo SoaresEduardo Leite do Canto Mais que uma fonte histórica, Walter Spinelli A dinâmica perfeita entreA mistura de grandes talentos um registro indispensávelem uma coleção que é um Autores que são fenômenos ciência e cotidiano. para suas aulas.laboratório para a vida. em sala de aula e no Enem.
  3. 3. AMPLIAR PERSPECTIVAS, CONSTRUIR UM NOVO MUNDO. CÓDIGO DA COLEÇÃO CÓDIGO DA COLEÇÃO CÓDIGO DA COLEÇÃO CÓDIGO DA COLEÇÃO 25143COL01 25042COL02 25117COL02 25035COL20PORTUGUÊS CONEXÕES COM A MATEMÁTICA BIOLOGIALITERATURA • GRAMÁTICA MATEMÁTICA PAIVA José Mariano Amabis• PRODUÇÃO DE TEXTO Editora responsável: Manoel Paiva Gilberto Rodrigues MarthoLeila Lauar Sarmento Juliane Matsubara Barroso A Matemática a toda prova. A seleção natural é clara:Douglas Tufano A soma de experiências vista só as obras mais adaptadasUma coleção com os por um ângulo inovador. se destacam no atualmelhores predicados da mundo dos jovens.Língua Portuguesa. CÓDIGO DA COLEÇÃO CÓDIGO DA COLEÇÃO CÓDIGO DA COLEÇÃO CÓDIGO DA COLEÇÃO 25022COL06 25058COL05 25074COL33 25185COL33HISTÓRIA CONEXÕES FREEWAY UPGRADEDAS CAVERNAS AO ESTUDOS DE GEOGRAFIA Editora responsável: Editora responsável:TERCEIRO MILÊNIO GERAL E DO BRASIL Veronica Teodorov Gisele AgaPatrícia Ramos Braick Lygia Terra Richmond é a marca de Richmond é a marca deMyriam Becho Mota Regina Araújo Inglês da Editora Moderna. Inglês da Editora Moderna. Raul Borges GuimarãesUma viagem pela históriacom passaporte para o futuro. Uma inovação que ultrapassa a fronteira da sala de aula. PNLD 2012
  4. 4. EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS FILOSOFANDO MARIA LÚCIA DE ARRUDA ARANHA MARIA HELENA PIRES MARTINS INTRODUÇÃO À FILOSOFIA ENTRAR EM SALA DE AULA E FAZER ACONTECER: NOSSAS OBRAS E AUTORES PENSAM COMO VOCÊ. Caro Professor, Estudos mostram a enorme superioridade no cognitivo Por isso, o Planejamento interativo ajudará o professor das pessoas que leem e a nítida defasagem de conceitos a reaproximar seu aluno da leitura. Ao praticarem nas básicos no cotidiano das pessoas que não aperfeiçoam aulas leituras compartilhadas, as discussões naturalmente seus conhecimentos. A revista americana Science publicou aparecerão, enriquecendo o processo de ensino- um artigo que mostra o comportamento do cérebro -aprendizagem. Para enriquecer ainda mais suas aulas, em relação ao hábito de estudar. Segundo o periódico, indicações de filmes atuais podem ser exploradas pelo as partes neurais destinadas à aprendizagem já são professor, tanto em sala quanto como lição de casa, e podem definidas geneticamente, porém, após determinado ser encontrados facilmente em locadoras ou na internet. As tempo sem praticar a leitura, sem incluir novos saberes no indicações de filmes irão aproximar ainda mais os alunos de córtex advindos do hábito de ler, o cérebro naturalmente EJA da disciplina de Filosofia. irá se reorganizar e definir novas funções para as áreas Além disso, o Exame Nacional do Ensino Médio tem como antes responsáveis pela aprendizagem. Por sorte, esta diferencial a valorização da leitura e da compreensão de não é uma situação definitiva e impossível de retornar ao textos. Para isso, os planos de aula também foram pensados momento anterior. para atender às expectativas e habilidades que o Enem cobra Isso explica uma das dificuldades do aluno de EJA que, de seus candidatos. por inúmeros motivos sociais, culturais ou econômicos, O perfil do aluno de EJA é aquele de um cidadão trabalhador em algum momento da vida deixou o estudo em segundo e calejado pelas peripécias da vida. Suas experiências plano. Quando o aluno volta a estudar, o cérebro já está ajudam-no a perceber a importância dos estudos, que ele configurado para outra situação de vida; reordená-lo vê como a grande oportunidade de alcançar voos maiores novamente não acontecerá do dia para noite e o tempo em sua carreira. Os alunos valorizam esse momento da será diferente para cada aluno. vida, se empenham para não mais passarem por situações de discriminação ou até a perda de oportunidades de assumirem cargos superiores nas empresas por simplesmente não terem um diploma, mesmo tendo qualificação profissional. Dom Pedro II dizia constantemente em seus discursos: “Se não fosse imperador, desejaria ser professor. Não conheço missão maior e mais nobre que a de dirigir as inteligências jovens e preparar os homens do futuro”. Os alunos, principalmente os da modalidade EJA, veem no professor um mundo de possibilidades. Daí advém a confiança como agentes bastante atuantes na sua aprendizagem. Os professores acabam se transformando em referências bibliográficas vivas que se perpetuam nas promissoras oportunidades que vão aparecer daqui para a frente com os estudos. Bom trabalho!
  5. 5. ORGANIZAÇÃO DO MATERIALCONTEÚDO OBJETIVOS ORIENTAÇÕES DIDÁTICASApresenta os eixos essenciais Define as principais Traz indicações de uso dosque devem ser abordados em competências exigidas recursos propostos, comcada capítulo para orientar o para a assimilação dos base nas sugestões doseu planejamento pedagógico. conteúdos do capítulo. Suplemento para o professor e na vivência VOLUME ÚNICO em sala de aula. UNIDADE I DESCOBRINDO A FILOSOFIA CAPÍTULO 1 A EXPERIÊNCIA FILOSÓFICA CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • Como é o pensar Reconhecer a Leitura compartilhada Discutir com os alunos os Explore as obras de filosófico? importância e a utilidade dos subitens 1.3, 1.5 e 1.6. exercícios 2 e 4 (p. 24). Picasso e Dalí, além do • A Filosofia de vida da Filosofia. Apresentar o que é Exercício 10 da seção Caiu excerto de Deleuze e Entender como se dá o a Filosofia e qual é no vestibular é um ótimo Guattari, para promover • Para que serve a uma discussão sobre a Filosofia? processo de filosofar. a imagem dela na exercício para o professor sociedade. realizar uma avaliação Filosofia e a realidade. • Informação, Apresentar Sócrates e sua importância para a Definir o conceito de diagnóstica do grupo e Apresente as diversas conhecimento e conhecer as dificuldades possibilidades que a sabedoria Filosofia. Filosofia (amigo da sabedoria) e como se que vai encontrar nos Filosofia pode proporcionar • É possível definir estrutura essa Ciência textos dissertativos. como Filosofia? nos dias de hoje. Ciência. Apresente, • Um filósofo superficialmente, alguns Apresentar Sócrates como conteúdos que serão • Para não concluir... o “pai” da Filosofia. estudados. Filme: Sócrates, de Explique a etimologia da Roberto Rossellini. palavra Filosofia (philos + sophia) para que os alunos percebam a espinha dorsal do curso. METODOLOGIA AVALIAÇÃO Aborda os processos Seleciona textos, questões indicados para a e atividades para promover exposição dos conteúdos. o acompanhamento do aprendizado dos estudantes. CALENDÁRIO 2012 JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4 1 2 3 1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4 5 1 2 8 9 10 11 12 13 14 5 6 7 8 9 10 11 4 5 6 7 8 9 10 8 9 10 11 12 13 14 6 7 8 9 10 11 12 3 4 5 6 7 8 9 15 16 17 18 19 20 21 12 13 14 15 16 17 18 11 12 13 14 15 16 17 15 16 17 18 19 20 21 13 14 15 16 17 18 19 10 11 12 13 14 15 1622 23 24 25 26 27 28 19 20 21 22 23 24 25 18 19 20 21 22 23 24 22 23 24 25 26 27 28 20 21 22 23 24 25 26 17 18 19 20 21 22 2329 30 31 26 27 28 29 25 26 27 28 29 30 31 29 30 27 28 29 30 31 24 25 26 27 28 29 301 CONFRATERNIZAÇÃO UNIVERSAL 21 CARNAVAL 6 PAIXÃO DE CRISTO 1 DIA DO TRABALHO 7 CORPUS CHRISTI 8 PÁSCOA 21 TIRADENTES JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4 1 1 2 3 4 5 6 1 2 3 1 8 9 10 11 12 13 14 5 6 7 8 9 10 11 2 3 4 5 6 7 8 7 8 9 10 11 12 13 4 5 6 7 8 9 10 2 3 4 5 6 7 8 15 16 17 18 19 20 21 12 13 14 15 16 17 18 9 10 11 12 13 14 15 14 15 16 17 18 19 20 11 12 13 14 15 16 17 9 10 11 12 13 14 1522 23 24 25 26 27 28 19 20 21 22 23 24 25 16 17 18 19 20 21 22 21 22 23 24 25 26 27 18 19 20 21 22 23 24 16 17 18 19 20 21 2229 30 31 26 27 28 29 30 31 23 24 25 26 27 28 29 28 29 30 31 25 26 27 28 29 30 23 24 25 26 27 28 29 30 12 N. SRA. APARECIDA 2 FINADOS 30 31 15 PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA 7 INDEPENDÊNCIA DO BRASIL 25 NATAL Filosofia • PNLD 2012
  6. 6. EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS PLANEJAMENTO 2012JANEIRO FEVEREIRO MARÇO 1 D 1 Q 1 Q 2 S 2 Q 2 S 3 T 3 S 3 S 4 Q 4 S 4 D 5 Q 5 D 5 S 6 S 6 S 6 T 7 S 7 T 7 Q 8 D 8 Q 8 Q 9 S 9 Q 9 S 10 T 10 S 10 S 11 Q 11 S 11 D 12 Q 12 D 12 S 13 S 13 S 13 T 14 S 14 T 14 Q 15 D 15 Q 15 Q 16 S 16 Q 16 S 17 T 17 S 17 S 18 Q 18 S 18 D 19 Q 19 D 19 S20 S 20 S 20 T 21 S 21 T 21 Q22 D 22 Q 22 Q23 S 23 Q 23 S24 T 24 S 24 S25 Q 25 S 25 D26 Q 26 D 26 S 27 S 27 S 27 T28 S 28 T 28 Q29 D 29 Q 29 Q30 S 21 CARNAVAL 30 S 31 T 31 S 1 CONFRATERNIZAÇÃO UNIVERSALABRIL MAIO JUNHO 1 D 1 T 1 S 2 S 2 Q 2 S 3 T 3 Q 3 D 4 Q 4 S 4 S 5 Q 5 S 5 T 6 S 6 D 6 Q 7 S 7 S 7 Q 8 D 8 T 8 S 9 S 9 Q 9 S10 T 10 Q 10 D 11 Q 11 S 11 S12 Q 12 S 12 T13 S 13 D 13 Q14 S 14 S 14 Q 15 D 15 T 15 S16 S 16 Q 16 S 17 T 17 Q 17 D18 Q 18 S 18 S19 Q 19 S 19 T20 S 20 D 20 Q21 S 21 S 21 Q22 D 22 T 22 S23 S 23 Q 23 S24 T 24 Q 24 D25 Q 25 S 25 S26 Q 26 S 26 T27 S 27 D 27 Q28 S 28 S 28 Q29 D 29 T 29 S30 S 30 Q 30 S 6 PAIXÃO DE CRISTO 31 Q 7 CORPUS CHRISTI 8 PÁSCOA 1 DIA DO TRABALHO 21 TIRADENTES 6
  7. 7. PLANEJAMENTO 2012JULHO AGOSTO SETEMBRO 1 D 1 Q 1 S 2 S 2 Q 2 D 3 T 3 S 3 S 4 Q 4 S 4 T 5 Q 5 D 5 Q 6 S 6 S 6 Q 7 S 7 T 7 S 8 D 8 Q 8 S 9 S 9 Q 9 D10 T 10 S 10 S 11 Q 11 S 11 T 12 Q 12 D 12 Q 13 S 13 S 13 Q 14 S 14 T 14 S 15 D 15 Q 15 S 16 S 16 Q 16 D 17 T 17 S 17 S 18 Q 18 S 18 T 19 Q 19 D 19 Q20 S 20 S 20 Q 21 S 21 T 21 S22 D 22 Q 22 S23 S 23 Q 23 D24 T 24 S 24 S25 Q 25 S 25 T26 Q 26 D 26 Q27 S 27 S 27 Q28 S 28 T 28 S29 D 29 Q 29 S30 S 30 Q 30 D 31 T 31 S 7 INDEPENDÊNCIA DO BRASILOUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO 1 S 1 Q 1 S 2 T 2 S 2 D 3 Q 3 S 3 S 4 Q 4 D 4 T 5 S 5 S 5 Q 6 S 6 T 6 Q 7 D 7 Q 7 S 8 S 8 Q 8 S 9 T 9 S 9 D10 Q 10 S 10 S 11 Q 11 D 11 T12 S 12 S 12 Q13 S 13 T 13 Q14 D 14 Q 14 S 15 S 15 Q 15 S16 T 16 S 16 D 17 Q 17 S 17 S18 Q 18 D 18 T19 S 19 S 19 Q20 S 20 T 20 Q21 D 21 Q 21 S22 S 22 Q 22 S23 T 23 S 23 D24 Q 24 S 24 S25 Q 25 D 25 T26 S 26 S 26 Q27 S 27 T 27 Q28 D 28 Q 28 S29 S 29 Q 29 S30 T 30 S 30 D31 Q 2 FINADOS 31 S 12 N. SRA. APARECIDA 15 PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA 25 NATAL 7 Filosofia • PNLD 2012
  8. 8. EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS CONHEÇA NOSSOS RECURSOS PEDAGÓGICOS NO PORTAL: PLANEJAMENTO INTERATIVO www.modernadigital.com.br VOLUME ÚNICO UNIDADE I DESCOBRINDO A FILOSOFIA CAPÍTULO 1 A EXPERIÊNCIA FILOSÓFICA CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • Como é o pensar Reconhecer a importância Leitura compartilhada dos Discutir com os alunos os Explore as obras de Picasso filosófico? e a utilidade da Filosofia. subitens 1.3, 1.5 e 1.6. exercícios 2 e 4 (p. 24). e Dalí, além do excerto de • A Filosofia de vida Entender como se dá o Apresentar o que é a Exercício 10 da seção Caiu Deleuze e Guattari, para processo de filosofar. Filosofia e qual é a imagem no vestibular é um ótimo promover uma discussão • Para que serve a Filosofia? sobre a Filosofia e a Apresentar Sócrates e dela na sociedade. exercício para o professor • Informação, realizar uma avaliação realidade. conhecimento e sua importância para a Definir o conceito de Filosofia. Filosofia (amigo da diagnóstica do grupo e Apresente as diversas sabedoria conhecer as dificuldades possibilidades que a Filosofia sabedoria) e como se • É possível definir estrutura essa Ciência nos que vai encontrar nos pode proporcionar como Filosofia? dias de hoje. textos dissertativos. Ciência. Apresente, superfi- • Um filósofo cialmente, alguns conteúdos Apresentar Sócrates como que serão estudados. • Para não concluir... o “pai” da Filosofia. Explique a etimologia da Filme: Sócrates, de Roberto palavra Filosofia (philos + Rossellini. sophia) para que os alunos percebam a espinha dorsal do curso. Demonstre como o método socrático (maiêutica e ironia) deu origem a toda a Ciência filosófica. CAPÍTULO 2 A CONSCIÊNCIA MÍTICA CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • Dois relatos míticos Reconhecer a importância Leitura compartilhada dos Discutir com os alunos os Explore os exemplos do • O que é mito? do mito nas primeiras subitens 2.1, 2.2, 2.5 e 2.6. exercícios 3 e 4 (p. 35). livro para apresentar o sociedades. Comentários sobre como o Incentive os alunos a expor mito grego, como o de Ícaro, • Os rituais mitos indígenas, como o Identificar os mitos que mito interfere na vida das mitos contemporâneos que • Teorias sobre o mito permaneceram e os que pessoas. fazem parte do cotidiano. boto rosa, conhecido pela • O mito nas civilizações desapareceram com o maioria dos estudantes, e Ilustrar onde os mitos o confronto mítico entre o antigas tempo. podem aparecer no bem e o mal, presente em • O mito hoje cotidiano, como nos contos histórias como o Batman. • Para finalizar... infantis, por exemplo. Cuidado! Eles podem ser tendenciosos a confundir mitos com “lendas urbanas”. Lembre-se, o mito tem um caráter pedagógico, uma forma de interpretação da realidade. CAPÍTULO 3 O NASCIMENTO DA FILOSOFIA CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • Situando no tempo Identificar os motivos Leitura compartilhada dos Discutir o exercício 6 (p. 43). Relembre os alunos da • Uma nova ordem que levaram os gregos a subitens 3.2 e 3.4. Exercícios 10 e 11 da seção importância da escrita humana desenvolver a Filosofia. Discutir como a escrita, Caiu no vestibular. No (pré-história x história). • Os primeiros filósofos Problematizar o “choque o desenvolvimento do segundo, incentivar a Esclareça que os seres cultural” que a Filosofia comércio e a estruturação utilização dos elementos humanos não dominaram • Mito e Filosofia: proporcionou na Ciência. política podem colaborar do texto. a escrita e a leitura da noite continuidade e ruptura com a reflexão e a crítica. para o dia. Explicar como o Os alunos devem perceber pensamento é valorizado que o conhecimento na Grécia antiga. é gradativo, e não cumulativo.Professor, leia as sugestões de avaliação desta coleção no Suplemento para o Professor.Consulte tabela com indicações de slides em Powerpoint na página 21. Todos os slides podem ser encontrados no site www.modernadigital.com.br 8
  9. 9. Confira indicações de vídeos no site www.futuranet.org.br PLANEJAMENTO INTERATIVO UNIDADE II ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA CAPÍTULO 4 NATUREZA E CULTURA CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS• O comportamento Analisar como distinguir o Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 1 e 5 Pergunte aos alunos animal ser humano do animal. subitens 4.2, 4.3 e 4.5. (p. 53). quais são as diversas• O agir humano: a cultura Identificar o conceito de Entender como a atitude interpretações da palavra cultura. não pensada faz parte da cultura no cotidiano.• Uma nova sociedade? nossa natureza animal. Utilize exemplos práticos• A cultura como de como nós agimos sem construção humana Entender como e quando se dá a passagem pensar. natureza–cultura. Enfatize que o termo Filme: O enigma de Kaspar cultura não está ligado Hauser, de Werner Herzog, ao conhecimento ou à que retrata o processo de inteligência. educação de um jovem que vivia afastado da convivência humana. CAPÍTULO 5 LINGUAGEM E PENSAMENTO CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS• A linguagem do desenho Mostrar a importância da Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 1 e 2 Construa situações que• O que é uma linguagem? comunicação na formação subitens 5.2 e 5.5. (p. 65). exemplifiquem as várias do mundo humano e sua Mostrar as diferentes Exercício 9 da seção Caiu formas de comunicação.• A linguagem verbal íntima ligação com o nosso Por exemplo, a expressão formas de comunicação no vestibular.• Funções da linguagem modo de pensar o mundo. que os seres humanos Bom-dia, em diversas• Linguagem, pensamento desenvolveram. línguas. e cultura Diferenciar as diversas Os exemplos para formas de pensamento os alunos de EJA são existentes. fundamentais para a construção de um Filme: A rosa púrpura do aprendizado por meio de Cairo, de Woody Allen, para métodos lúdicos. discutir a relação entre fantasia e realidade. Mostre a relação entre linguagem e cultura, utilizando os textos. CAPÍTULO 6 TRABALHO, ALIENAÇÃO E CONSUMO CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS• Trabalho como tortura? Definir o que é trabalho. Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 2 e 6 Construa o conceito• A humanização pelo Introduzir o termo subitens 6.4, 6.5 e 6.10. (p. 79). de trabalho com o foco trabalho alienação no conceito Explanar a história do Exercício 10 da seção Caiu histórico dos textos.• Ócio e negócio filosófico. trabalho. no vestibular. Defina a transição do Entender o consumo nos Apresentar a alienação homem no trabalho se• Uma nova concepção de tornar sinônimo de homem trabalho dias de hoje. como fruto do capitalismo. que não se interessa.• O trabalho como Explicar o consumo na sociedade não informada. Ilustre como o consumismo mercadoria: a alienação é fruto da alienação.• A era do olhar: a disciplina Filme: Domésticas, de Fernando Meirelles e Discuta a temática do• De olho no cronômetro Nando Olival, sobre a rotina filme Tempos modernos, de• Novos tempos na fábrica de cinco empregadas Charles Chaplin, e promova domésticas brasileiras. associações com o filme• Da fábrica para o Domésticas. escritório• Consumo ou consumismo?• Crítica à sociedade administrada• Uma “civilização do lazer”?• A sociedade pós-moderna: o hiperconsumo• Para onde vamos? 9 Filosofia • PNLD 2012
  10. 10. EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS CONHEÇA NOSSOS RECURSOS PEDAGÓGICOS NO PORTAL: PLANEJAMENTO INTERATIVO www.modernadigital.com.br CAPÍTULO 7 EM BUSCA DA FELICIDADE CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • O que significa ser feliz? Proporcionar a discussão Leitura compartilhada dos Questões 8 e 9 da seção Questione os alunos sobre • A “experiência de ser” sobre como ocorrem as subitens 7.2, 7.5 e 7.8. Caiu no vestibular (p. 94). o que é ser humano. relações sociais, afetivas e Exemplificar, utilizando Como sugestão, pedir uma Explique a diferença entre • Os tipos de amor profissionais entre os seres devolutiva apenas do texto os textos, como cada corpo e alma, de René • Platão: Eros e a Filosofia humanos. ser humano possui que os alunos acharem Descartes. • O corpo sob o olhar da Enfatizar que individualidade. mais adequado. Dê exemplos de ciência o consumismo Explicar a teoria do Relatório sobre o filme situações em que o • A inovação de Espinosa contemporâneo nos leva método científico de René Pequena miss Sunshine, de homem demonstre à incapacidade de agir Descartes. Jonathan Dayton e Valerie atitudes individuais e • As teorias com equilíbrio em nossas Faris, uma comédia que contemporâneas Estabelecer a diferença individualistas, para que escolhas. satiriza os costumes norte- os alunos percebam a • Individualismo e entre individualismo e -americanos, sobretudo individualidade. diferença entre eles. narcisismo a busca do sucesso e da • Felicidade e autonomia fama. CAPÍTULO 8 APRENDER A MORRER... CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • A morte como enigma Conceituar as diversas Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 2 e 3 Identifique as várias • Os filósofos e a morte faces da morte: a subitens 8.2, 8.3, 8.5 e 8.7. (p. 105). formas de interpretar a eutanásia, o aborto, a dor Definir como a morte era Exercício 7 da seção Caiu no morte através da história e • O tabu da morte e o sofrimento, o desejo da vista por alguns filósofos. vestibular. do pensamento. • Aqueles que morrem imortalidade e as mortes Mostrar como a morte é Ler alguns textos para a Analise as diversas mais cedo simbólicas. um ponto comum a todos, sala. O vocabulário amplo situações onde o homem • É legítimo deixar ou fazer Entender a vida usando a se defronta com a morte morrer? uma certeza irrevogável. deve ser valorizado. sua oposição: a morte. ou com a possibilidade • A negação da morte Saber identificar quando dela. a alma morre e o corpo • As mortes simbólicas vive. O sofrimento não Para a Filosofia, a pior • O sofrimento da natureza absorvido na humanidade. morte é a intelectual. • Pensar na morte: refletir Questione seus alunos e Música: Não tenho medo leve-os a pensar se isso já sobre a vida da morte, de Gilberto Gil. aconteceu com eles. Filme: Mar adentro, de Promova um debate Alejandro Amenábar, sobre sobre assuntos polêmicos, eutanásia. como aborto e eutanásia, apresentando prós e contras vigentes na sociedade. UNIDADE III O CONHECIMENTO CAPÍTULO 9 O QUE PODEMOS CONHECER? CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • O ato de conhecer Introduzir o conceito de Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 1, 2 e Construa o conceito de • Os modos de conhecer conhecimento dentro da subitens 9.2, 9.3 e 9.4. 4 (p. 118). verdade utilizando as Filosofia. Identificar como a intuição Exercício 9 da seção Caiu leituras. • A verdade Identificar e relacionar o constrói o homem e no vestibular. Leve os alunos à reflexão • Podemos alcançar a conhecimento, a verdade, o interfere em suas ações. de como o conhecimento certeza? Relatório sobre o filme dogma (verdade imposta), Definir o que é a verdade e Matrix, com destaque imediato tem seus • Teorias sobre a verdade o cético (dúvida) e o como podemos identificar para os conceitos de real e “perigos” quando chegam • A verdade como horizonte conhecimento intuitivo e a verdade por meio da realidade virtual. à sociedade. discursivo. razão. Questione por que Diferenciar dogmatismo aceitamos algumas coisas e ceticismo. Aceitar e duvidamos de outras. ou questionar o Explique a importância conhecimento. Como do exercício contínuo do podemos achar um “meio- questionamento para a -termo”. sociedade.Professor, leia as sugestões de avaliação desta coleção no Suplemento para o Professor.Consulte tabela com indicações de slides em Powerpoint na página 21. Todos os slides podem ser encontrados no site www.modernadigital.com.br 10
  11. 11. Confira indicações de vídeos no site www.futuranet.org.br PLANEJAMENTO INTERATIVO CAPÍTULO 10 IDEOLOGIAS CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS• Conceito geral de Entender como se dá Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 1 e 3 Apresente Karl Marx para ideologia a passagem do senso subitens 10.3, 10.4 e 10.5. (p. 129). os alunos. Contextualize-o• Ideologia: sentido restrito comum ao bom senso. Introduzir o conceito de Exercício 8 da seção Caiu na história.• Conceito marxista de Analisar as diversas ideologia pensado por Karl no vestibular. Explique ideologia sempre ideologia formas de ideologia nas Marx. Atenção: essa questão com exemplos palpáveis. mais variadas correntes Mostrar como diversas é de alta complexidade O capitalismo não pode• A ideologia em ação filosóficas. estar presente em todos os ideias fazem parte de discursiva para um aluno• O discurso não ideológico nosso cotidiano. de EJA. exemplos.• Outras concepções Identificar uma ideia ou Devido ao tempo hábil, O uso do bom senso nas marxistas de ideologia um pensamento dentro construa o discurso junto escolhas ideológicas que• Questionamento e dos discursos. com os alunos. fazemos sempre entrará conscientização nas discussões. Lembre-os, Poema: Operário em não ter opinião já é uma construção, de Vinícius de ideologia. Moraes. Discuta a ideologia Filme: Eles não usam black- implícita na publicidade e -tie, de Leon Hirzman, sobre nos meios de comunicação. a conscientização da classe trabalhadora. CAPÍTULO 11 LÓGICA ARISTOTÉLICA CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS• O que é lógica Definir o que é lógica. Leitura compartilhada dos Desenvolver uma situação Nesse momento, termo• Termo e proposição Definir o que é dedução, subitens 11.1, 11.6 e 11.7. tradicional de avaliação, e preposição não são indução e analogia. Definir como a lógica deve sem consulta a fontes e adequados às necessidades• Princípios da lógica colegas, com os exercícios de um aluno de EJA. Identificar falácias no estar presente em nossas• Quadrado de oposições atitudes. 4 e 5. Se desejar, retorne a cotidiano das pessoas.• Argumentação Mostrar como os este capítulo em outra• Tipos de argumentação argumentos podem ter oportunidade.• Falácias caminhos diferentes, como Concentre-se na definição a dedução, a intuição e a de lógica, dedução, indução• A lógica pós-aristotélica analogia. e analogia. Identificar como as Ilustre sua aula com falácias (estratégias que algumas falácias. Exemplo: direcionam o pensamento) promessas de campanhas podem interferir na políticas que não foram construção de nossos cumpridas. argumentos. CAPÍTULO 12 LÓGICA SIMBÓLICA CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS• Uma linguagem artificial Identificar a validade ou a Leitura compartilhada dos Discutir o exercício 2 Utilize exemplos práticos• Lógica proposicional invalidade dos argumentos subitens 12.3 e 12.5. (p. 148). da língua para mostrar pela forma de raciocínio. Definir como a negação, a como o vocabulário pode• Tabelas de verdade iludir as pessoas, levando- conjunção, a disjunção, a• Sinais de pontuação implicação e a equivalência -as a entender algo sem• Formas de enunciado identificam um que o orador tenha argumento. afirmado tal situação.• Consistência dos enunciados As formas de enunciado Caracterize situações como espelho do raciocínio. textuais, talvez até do• A lógica de predicados caderno dos próprios• Lógicas complementares alunos. e alternativas Talvez seja o capítulo mais• A importância da lógica difícil para um aluno de simbólica EJA. Com compreensão e paciência, utilize-se de vários exemplos. 11 Filosofia • PNLD 2012
  12. 12. EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS CONHEÇA NOSSOS RECURSOS PEDAGÓGICOS NO PORTAL: PLANEJAMENTO INTERATIVO www.modernadigital.com.br CAPÍTULO 13 A BUSCA DA VERDADE CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • A Filosofia pré-socrática Definir o método socrático. Leitura compartilhada dos Discutir o exercício 8 Sócrates, Platão e • Os sofistas: a arte de Identificar as diferenças subitens 13.4, 13.5 e 13.6. (p.166). Aristóteles são as três argumentar nos pensamentos Apresentar a maiêutica Exercício 11 da seção Caiu colunas da Filosofia Antiga. • Sócrates e o conceito de Sócrates, Platão e e a ironia como método no vestibular. Explane os seus métodos, Aristóteles. socrático. destacando a evolução de • Platão: o mundo das um para o outro. ideias Apresentar o “mundo das ideias”, de Platão. Enfatize a maiêutica • Aristóteles: a metafísica (perguntar sempre) e a Proporcionar o • A Filosofia medieval: entendimento do ironia como fonte primeira razão e fé “princípio da causalidade” do questionamento. no pensamento de Explique o conhecimento Aristóteles. sensível (emoção) e o Filme: O nome da rosa, de conhecimento inteligível Jean Jacques Annaud, que (razão) da teoria de Platão. faz referência a questões Abuse dos exemplos para da nascente ciência do explicar o princípio da século XIV. causalidade de Aristóteles. CAPÍTULO 14 A METAFÍSICA DA MODERNIDADE CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • As mudanças na Explicar o conceito de Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 2, 3 e Explique por que René modernidade racionalismo de René subitens 14.3 e 14.4. 4 (p. 178). Descartes é considerado “o • A questão do método Descartes. Mostrar a origem do Exercícios 8 e 9 da seção pai da Filosofia Moderna”. • O racionalismo Definir o empirismo (ver método cartesiano e suas Caiu no vestibular. Exija a Esclareça que com a cartesiano: a dúvida para crer) para a Filosofia regras. devolutiva escrita. expressão cogito, ergo sum metódica Moderna. Definir como John Locke e (penso, logo existo) nasce o David Hume estruturaram método científico. • O empirismo britânico o empirismo. Explique como John Locke e David Hume desenvolvem a Ciência até chegar ao método empírico (experiência). CAPÍTULO 15 A CRÍTICA À METAFÍSICA CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • A Ilustração: o Século das Definir o conceito de Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 4 e 9. Explique porque o Luzes criticismo (empirismo + subitens 15.3 e 15.5. Exercício 11 e 12 da seção criticismo é a união dos • Kant: o criticismo racionalismo) de Immanuel Contextualizar Kant Caiu no vestibular. conceitos de racionalismo Kant. e a evolução do seu e empirismo. Explique • Hegel: o idealismo como Kant percorreu este dialético Entender o positivismo de pensamento. Augusto Comte. caminho. • Comte: o positivismo Contextualizar Comte e a lei dos três estados da Foque na explicação da lei • Marx: materialismo e metafísica. dos três estados (teológico, dialética metafísico e positivo) e • Para uma visão de como se dá a passagem conjunto dos três. Utilize o mesmo exemplo nas três leis para que os alunos percebam a diferença.Professor, leia as sugestões de avaliação desta coleção no Suplemento para o Professor.Consulte tabela com indicações de slides em Powerpoint na página 21. Todos os slides podem ser encontrados no site www.modernadigital.com.br 12
  13. 13. Confira indicações de vídeos no site www.futuranet.org.br PLANEJAMENTO INTERATIVO CAPÍTULO 16 A CRISE DA RAZÃO CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS• Antecedentes da crise Definir o que é Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 1 e 3 Defina a subjetividade para• A crise da subjetividade subjetividade e subitens 16.2, 16.3, 16.5 e 16.6. (p. 209). os alunos. Os sentimentos objetividade. Identificar a subjetividade não podem ser os únicos• Fenomenologia e exemplos para explicar a intencionalidade Apresentar conceitos que (não concreto) como uma contrapõem a razão. crise da razão. teoria.• A Escola de Frankfurt Entender como a Enfatize a pluralidade• Habermas: o agir fenomenologia (diversos pensamentos) comunicativo (fenômenos) estuda a observada por Habermas.• Foucault: verdade e poder intencionalidade humana. Estabeleça significados• Pragmatismo e Entender como Habermas concretos para o “poder neopragmatismo e Foucault estruturam a que nós seguimos”, sobre o escola de Frankfurt. qual Foucault descreveu.• A Filosofia da linguagem Filme: Bicho de sete cabeças,• O discurso da pós- de Laís Bodanzky, que retra- -modernidade ta uma relação difícil de um pai que encontra um cigarro de maconha com o filho e o interna em um manicômio. UNIDADE IV ÉTICA CAPÍTULO 17 ENTRE O BEM E O MAL CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS• Uma história real Entender a diferença entre Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 9 e 10 Explique que os valores• Os valores moral e ética. subitens 17.2, 17.3, 17.4 e 17.5. (p. 221). são heranças culturais que Conceituar o que é valor Explicar a diferença de O exercício 11 da seção determinam nossas ações• Moral e ética e nosso pensamento. (importante) para a juízos de realidade e juízos Caiu no vestibular é uma• Caráter histórico e social sociedade. de valor. dissertação interessante, Enfatize as circunstâncias da moral Definir o que é moral mas, se desejar, substitua em que podemos utilizar• A liberdade do sujeito (indivíduo) e o que é ética por outra. moral e ética. moral (coletivo) e suas diferenças. Moral está no campo• Dever e liberdade Apresentar situações que do indivíduo, enquanto• A bússola e a balança envolvam moral e ética. ética está no campo da Livro: Ética para meu filho, coletividade.• Ética aplicada de Fernando Savater. Faça com que os alunos• Aprender a conviver Filme: Crimes e pecados, de exponham situações em Woody Allen, que trata de que eles vivenciaram um duas histórias paralelas que dilema ético. giram em torno de traição conjugal, desejo e culpa. CAPÍTULO 18 NINGUÉM NASCE MORAL CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS• Aprender a autonomia Determinar a transição Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 1, 2 e Enfatize os quatro estágios• A teoria de Piaget animal-homem (instinto- subitens 18.2 e 18.3. 3 (p. 233). do desenvolvimento -pensar) para a Filosofia. Explanar o estudo de Piaget Uma avaliação escrita humano que Piaget• A teoria de Kohlberg organizou. Apresentar a teoria de sobre como funciona a pode ser elaborada com o• Pressupostos filosóficos Kohlberg. mentalidade humana. exercício 5 (p. 233). Debata se eles já viveram• Outras tendências Entender por que Kohlberg tal experiência.• A construção da vê uma separação entre Fixe-se nas três escalas da personalidade moral natureza e consciência. atitude humana diante das Filmes: Juno, de Jason ações humanas propostas Reitman, em que uma por Kohlberg. adolescente engravida de seu colega de classe e conhece um casal disposto a adotar a criança. Entre os muros da escola, de Laurent Cantet, documen- tário sobre uma escola pública de Paris, que recebe alunos filhos de imigrantes. 13 Filosofia • PNLD 2012
  14. 14. EDUCAÇÃO DEJOVENS E ADULTOS CONHEÇA NOSSOS RECURSOS PEDAGÓGICOS NO PORTAL: PLANEJAMENTO INTERATIVO www.modernadigital.com.br CAPÍTULO 19 PODEMOS SER LIVRES? CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • Mito, tragédia e Filosofia Definir o que é liberdade. Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 1, 2 e Promova um debate com o • Somos livres ou Explanar sobre o livre- subitens 19.3, 19.4, 19.5 e 3 (p. 246). tema O que é ser livre. determinados? -arbítrio (vontade própria) 19.6. Exercício 10 da seção Caiu Ilustre com situações de • A liberdade incondicional das decisões cotidianas. Mostrar como os gregos no vestibular. atitudes exageradas e e o livre-arbítrio entendiam a liberdade. questione se os alunos já Apresentar o determinismo tiveram comportamentos • O que é determinismo? semelhantes. científico. • Os teóricos da liberdade Ressalte como o Explanar sobre a liberdade • Consciência e liberdade pensada por Espinosa. determinismo engessa • A fenomenologia: a nossas atitudes e limita a Filme: Um grito de liberdade humana. liberdade situada liberdade, de Richard • Ética e liberdade Attenborough, sobre a Trabalhe as possibilidades luta contra o apartherd na de uma sociedade que África do Sul. concorda com Espinosa. Seria o caos? CAPÍTULO 20 TEORIAS ÉTICAS CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • A diversidade das teorias Definir como os gregos Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios 1 e 9 Ilustre o ócio criativo • A reflexão ética grega conciliavam a ética e a subitens 20.2, 20.3 e 20.8. (p. 263). (tempo para pensar) como sabedoria. Definir a teoria do justo Exercício 10 da seção Caiu aspecto marcante da • As concepções éticas reflexão social dos gregos, medievais Apresentar as variações de meio, de Aristóteles. no vestibular. ética na sociedade. que levou à origem da • O pensamento moderno Apresentar as concepções democracia e da ética entre éticas (convívio) da Idade os cidadãos. • A moral iluminista Medieval. • O utilitarismo ético Explane como o Apresentar as concepções teocentrismo (Deus • As ilusões da consciência éticas depois da primeira como centro do mundo) • A Filosofia da existência metade do século XX. determina as concepções • A ética contemporânea: o Filme: Dias de Nietzsche em éticas na Idade Medieval. desafio da linguagem Turim, de Julio Bressane. Explique como o existencialismo (porque eu existo) inquieta a humanidade e questiona os padrões de comportamento, confundindo-os com liberdade de expressão. UNIDADE V FILOSOFIA POLÍTICA CAPÍTULO 21 POLÍTICA: PARA QUÊ? CONTEÚDO OBJETIVOS METODOLOGIA AVALIAÇÃO ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS • A Filosofia política Definir o que é filosofia Leitura compartilhada dos Discutir os exercícios Explique a origem da • Poder e força política. subitens 21.1, 21.5 e 21.6. 1, 2 e 3 (p. 273) (Leitura palavra política, que está Estabelecer a diferença de Entender o significado de complementar). ligada a “pólis grega”. • Estado e legitimidade do poder regimes totalitários. política (pólis organizada) O exercício 11 da seção Ilustre como os gregos para Filosofia. Caiu no vestibular deve ser alcançaram a plena • A institucionalização do cobrado como forma de liberdade exercendo a poder Definir o que é democracia (governo do povo) e seus entendimento (p. 274). democracia no século VI a.C. • Uma reflexão sobre a desdobramentos. Destaque o nazismo e o democracia fascismo como principais Identificar regimes não • O avesso da democracia: democráticos e opositores históricos da totalitarismo e diferenciá-los. democracia. autoritarismo Traga trechos da obra Livro: A revolução dos • O equilíbrio instável de bichos, de George Orwell, A revolução dos bichos forças livro de fácil leitura, e destaque a crítica aos apresenta-se como uma regimes totalitários. fábula em que animais se insurgem contra seus donos e instituem uma nova forma de governo. 14

×