Relatório danilo okkk

202
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
202
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Relatório danilo okkk

  1. 1. UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI – URCA CENTRO DE HUMANIDADES – CH CURSO LETRASRELATÓRIO DE ESTÁGIO: PRÁTICA PRÉ-PROFISSIONAL PESQUISA DIAGNÓSTICA CÍCERO FELIX MARTINS JULIANE SOUSA SILVA CRATO–CE 2011.1
  2. 2. CÍCERO FELIX MARTINS JULIANE SOUSA SILVARELATÓRIO DE ESTÁGIO: PRÁTICA PRÉ-PROFISSIONAL PESQUISA DIAGNÓSTICA Relatório apresentado à professora Maria Matias da Silva como pré-requisito para obtenção da nota final da disciplina Prática Pré-Profissional: Pesquisa Diagnóstica. CRATO-CE, 2011
  3. 3. Dedico este trabalho a Deus, responsável pela nossaexistência neste universo, aos nossos familiares quede forma direta e indireta vem fortalecendo etraçando conosco essa busca pelo conhecimento. Asescolas que nos receberam e deram total apoio, pararealização desta atividade.
  4. 4. Nenhuma formação docente verdadeira pode fazer-se alheada, de um lado, do exercício da criticidadeque implica a promoção da curiosidade ingênua àcuriosidade epistemológica, e de outro, sem oreconhecimento do valor das emoções, dasensibilidade, da afetividade, da intuição ouadivinhação. Conhecer não é, de fato, adivinhar, mastem algo que ver, de vez em quando, com adivinhar,com intuir. O importante, Não resta dúvida, é nãopararmos satisfeitos ao nível das intuições, massubmetê-las à análise metodicamente rigorosa denossa curiosidade epistemológica. (Paulo Freire, 1996)
  5. 5. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...................................................................................................6 2 REFLEXÕESSOBRE A REALIDADE EDUCACIONAL...........................7 2.1 Destacando Aspectos Importantes do Projeto Pedagógico da Escola.............7 2.2 Observando práticas de sucesso na escola.......................................................9 3 PRÁTICA DE ESTÁGIO: VIVÊNCIAS E IMPRESSÕES DA OBSERVAÇÃO EM SALA DE AULA..........................................................10 3.1 Vivências e impressões sobre a Observação em Sala de Aula: Ensino Fundamental (¨6º ao 9º Ano) 3.2 Vivências e impressões sobre a Observação em Sala de Aula: Ensino Médio 4 APONTANDO SOLUÇÕES PARA A PRÁTICA DE ENSINO...................145CONCLUSÕES...................................................................................................16 BIBLIOGRAFIA ANEXOS 1 INTRODUÇÃO
  6. 6. Este relatório apresenta os resultados alcançados na disciplina de Estágio:Prática Pré-Profissional: pesquisa diagnóstica. Organizamos o relatório em trêsmomentos: No primeiro momento, iremos expor os resultados da pesquisa diagnóstica,realizada nas escolas EEIF. Dom Vicente de Paulo Araújo Matos e no colégio EstadualWilson Gonçalves, localizadas na cidade de Crato-ce. A pesquisa se deu nos meses deMaio e Junho do corrente ano a fim de colher informações e conhecer a realidadeeducacional destas instituições de ensino. Em seguida colocaremos a experiência adquirida em sala de aula, nas aulas deobservação. Enfatizamos aqui, nossas impressões sobre as várias observações da práticadocente, sua necessidade e importância, explorando de um ângulo crítico, a metodologiautilizada pelo professor de Língua Portuguesa e as dificuldades encontradas paraestabelecer a prática de leitura em sala de aula. No terceiro momento, apontaremos possíveis soluções para a prática de ensino epara o sucesso no ensino/aprendizagem. E por último, apresentamos as consideraçõesfinais que engloba uma visão uma visão mais geral e crítica acerca do trabalhorealizado. A prática docente é de suma importância, já que nos proporciona um maiorcontato, e conseqüente conhecimento, da entidade escolar como um todo. Através darealização dessa pesquisa, a realidade dos alunos, dos professores, dos gestores e dainstituição nos serão oferecidos sem nenhuma idealização. Dessa forma vivenciamos arealidade escolar por meio da prática de observação em sala de aula.2. REFLEXÕES SOBRE A REALIDADE EDUCACIONAL
  7. 7. A prática de pesquisa diagnóstica nas áreas de gestão administrativa epedagógica, tendo como sujeito a escola, familiariza o futuro profissional da educaçãocom o ambiente escolar. O ato da pesquisa propicia ao aluno o conhecimento da instituição de ensino,bem como das práticas pedagógicas que nela atuam, oferecendo ao discente aoportunidade de vivenciar as diversas situações do trabalho educacional que lhepossibilita uma amplitude de conhecimentos teóricos e práticos. Dessa forma, à medida que analisamos a escola e o ensino estamos nosintegrando e nos envolvendo aos problemas que se configuram no cotidianopedagógico, o que contribui para o tracejado de uma postura profissional. Assim, o olhar apurado e aprendido propicia-nos condições de auto-avaliação,fazendo um novo sujeito, que questiona, indaga, descobre, inventa, compara,transforma, aprende e ensina.2.1 Destacando aspectos importantes do Projeto Pedagógico da Escola O colégio Estadual Wilson Gonçalves, situada à Praça Dr. Joaquim FernandesTeles s/n – Pimenta – Crato/Ce, CNPJ: 00.376.219/0003-51, tem como membros donúcleo gestor, o diretor: José Ailton Medeiros Ciebra; Coordenadora Pedagógica: MariaAugusta Rocha; Coordenadora de Gestão: Maria de Fátima Romão; CoordenadoraAdministrativo-financeira: Maria Rosimary Dionísio e Secretária Escolar: MariaJosivalda Rodrigues. Nesse contexto a escola supracitada quanto às atividades pedagógicas apresentacomo objetivo geral o artigo 2º. A educação, dever da família e do estado, inspirada nosprincípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o plenodesenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e suaqualificação para o trabalho. L.D.B. 9.394/1996. Quanto à sua metodologia a escolaprocura se organizar, utilizando melhor os diferentes ambientes de aprendizagem,diversificando o uso de recursos didáticos, garantindo o cumprimento da carga horária
  8. 8. prevista na matriz curricular e para os aspectos didáticos trabalhar a aprendizagem comfoco em resultados; utilizar abordagem interdisciplinar e contextualizada; valorizarexperiências e diferenças individuais do aluno. A escola também tem seu planejamentoanual, planejamento semanal e planejamento semanal por áreas de conhecimentoespecífico. Já no âmbito administrativo-comunitário a escola procura trabalhar aconvivência harmoniosa fundamentada nos valores universais; fortalecer a parceriaescola/família, promovendo encontros, palestras, oficinas de lazer e atividades culturais;dinamizar a atuação dos organismos colegiados; promover encontros que envolvamtodos os segmentos da escola na solução de problemas e tomada de decisão; manteratualizado na secretaria escolar os resultados do rendimento da aprendizagem dosalunos, para assim fortalece essa relação escola/comunidade. A missão da escola está voltada a preparação do aluno para os desafios domundo contemporâneo, o desenvolvimento intelectual, moral, ético e cultural de pré-adolescentes, adolescentes e adultos, contribuindo para a inserção na vida profissional,sempre em parceria com a comunidade em que está inserida, de forma criativa,inovadora e prazerosa, ciente da importância da sua contribuição na construção decidadãos mais atuantes, pacíficos e felizes. O currículo enquanto instrumento da cidadania democrática, deve contemplarconteúdos e estratégias de aprendizagens que capacitem o ser humano para a realizaçãode atividades nos três domínios da ação humana: a vida em sociedade, a atividadeprodutiva e a experiência subjetiva. O processo de planejamento escolar é realizado, anualmente/semanalmente.Nele são discutidas metas, propostas de trabalhos, planos de ação e estratégias a fim deorganizar a rotina da escola, dinamizar a atuação do colegiado escolar, desenvolvernovas metodologias de trabalho em equipe, melhorando a socialização dos discentes. A escola vivencia hoje, dentro de uma concepção filosófica, tendênciasinovadoras, buscando assim, uma evolução para atuar de maneira eficiente eresponsável a fim de serem atendidas as necessidades e aspirações pessoais e coletivas.
  9. 9. 2.2Observando práticas de sucesso na escola Com relação à pesquisa da gestão escolar, pudemos perceber que a escoladesenvolve com eficiência suas atividades educacionais e a relação com a comunidade.A proposta pedagógica apresentada pela mesma é de grande valia para a prática docentee o bom desempenho do alunado. Vale ressaltar que os projetos realizados no decorrerdo ano trazem bons resultados e contribuem para o êxito da escola. Entre os principaisprojetos desenvolvidos nos anos passados e nesse ano, destacamos os seguintes. Projeto do Lixo; Pomar; Horta; Tenda literária; O envolvimento de professores e alunos se dá de acordo com a necessidade doprojeto. Em alguns o nível de envolvimento é bem satisfatório. Os objetivos dessesprojetos são viabilizar a aprendizagem dos alunos. No projeto do lixo, todo o lixocoletado é vendido e o dinheiro arrecadado é integrado na horta, onde o alimentocultivado vai paraa merenda escolar e os alunos são reconhecidos como monitores domeio ambiente. O objetivo da tenda literária é fazer com que o aluno se envolva deforma direta com a literatura e nesse espaço são comemoradas datas importantes deautores e obras literárias. Contudo, a escola busca também, desenvolver novasmetodologias de trabalho, desenvolver e manter estratégias de ensino inovadoras ecriativas.3. PRÁTICA DE ESTÁGIO: VIVÊNCIAS E IMPRESSÕES DA OBSERVAÇÃOEM SALA DE AULA.
  10. 10. 3.1 Vivências e Impressões Sobre a Observação em Sala de Aula: EnsinoFundamental (6º ao 9º Ano). Durante alguns dias dos meses maio e junho de 2011, fizemos várias visitas aescola EEIF. Dom Vicente de Paulo Araújo Matos no intuito de observar a prática deaulas no ambiente escolar e assim cumprir às 20 horas de observação. Nos momentos de observação pudemos conhecer a relação professor/aluno ealuno/aluno. Nas aulas de língua portuguesa do sexto ano, que foram o foco de nossaanálise, destacamos uma relação de companheirismo e uma interação entre professor ealuno, que demonstra uma responsabilidade tanto social quanto educacional. No que diz respeito à metodologia usada pelo professor pudemos perceber queas aulas eram expositivas dialógicas e estavam voltadas para o ensino de gramática eestudo de textos. Assim, o professor explicava um determinado assunto, contextualizavao mesmo e depois propunha exercícios do livro didático e outros elaborados peloprofessor. Ao observar tal fato ficamos satisfeitos, pois,verificamos que o ensino de LínguaPortuguesa não se reduz apenas ao ensino de Gramática Normativa, mas sim, no ensinode leitura e escrita, demonstrando assim aos educandos o universo múltiplo das letras. Oensino de Língua Portuguesa ministrado dessa forma torna-se agradável e prazerosa. Ao conversarmos com alguns alunos a respeito da forma como as aulas deLíngua Portuguesa eram ministradas, nos responderam que o conteúdo tornou-se maisfácil e simples, porque a professora coloca a turma dentro do contexto das aulas nosexemplos falados e escritos dentro da sala de aula, e que, o ensino de regras gramaticaisa partir da leitura de textos ficou menos “chato” por ter esse caráter investigativo, nãosendo regras prontas a serem seguidas. Outras observações dizem respeito ao modo como a leitura é concebida na salade aula. A leitura é viva, ou seja, o educando torna-se parte do texto, pois ele é instigadoa vivenciar e reproduzir essa vivência com a turma. O aluno ao fazer a leitura torna-seautor, narrador, personagem e todos os elementos textuais que se fazerem presentes, ou
  11. 11. seja, ela torna-se a obra (o texto). Sobre esse aspecto abordamos um questionário parasaber qual a metodologia adotada pelo professor que encanta os alunos. No questionamento sobre a formação de leitores e produtores de textos naescola, perguntamos o que tem sido por encantar os educandos a serem leitores assíduosà professora de Língua Portuguesa do ensino fundamental da referida escola, elacomentou: Procuro demonstrar aos educandos que através da leitura podemos viajar ser aquilo que talvez não pudéssemos ser ou fazer, porque a leitura transforma o homem na sua essência.Em relação à metodologia usada para se trabalhar a leitura, ela relatou: Em casa faço a leitura dos textos, das obras a serem trabalhadas dentro da sala de aula. Na hora da aula, quando percebo que o conteúdo adéqua a obra faço comentários sobre a mesma. A partir dos comentários convido os educandos a ler a obra. Daí proponho que seja feita uma roda de leitura e que seja apresentada a turma, em forma de resumos, pequenas produções de textos.Quando perguntamos à professor por que a leitura é ainda tão importante numa épocaonde as imagens predominam, ela respondeu: O aluno deve se apropriar das diversas formas de leitura. A leitura de texto, a visual, a sonora entre outras. O importante é que ela compreenda que esses tipos de leitura são interligados, e que a leitura de um texto verbal é um subsídio para que ele compreenda a representação imagética do mundo.Por fim perguntamos qual a importância da leitura em nossa vida. Ela foi clara e concisaem sua resposta:
  12. 12. A máxima possível. Num país de desigualdades sociais, dominá-la tornou-se essencial, visto que, é através da mesma, que tomamos conhecimento dos nossos direitos e das vantagens tecnológicas; o simples fato de não dominá-la, o exclui do universo “social”. A leitura, partindo do sentido da compreensão, consegue formar um ser humano esclarecido, participante e ativo na sociedade. Considerando a leitura como algo fundamental em nossa vida é que afirmamosque cabe à escola a tarefa de criar um clima favorável à leitura e o desafio de fazer comque a mesma extrapole sua finalidade estritamente pedagógica. A escola deve desenvolver em seus alunos a capacidade de produzir um textocoerente, defender a validade dos fatos, argumentar, analisar, enfim, ser um usuáriocompetente em sua língua. E para que isso aconteça é necessário quebrar a noçãoestreita e redutora que se tem de gramática e língua, bem como, dimensionaradequadamente o ensino de gramática, para que ele deixe de ser visto como repetição defórmulas e modelos para se atingir determinados propósitos comunicativos e tambémpara que esse mesmo ensino deixe de ser visto como algo inútil, essencialmentedescritivo.3.2 Vivências e impressões sobre a Observação em Sala de Aula: Ensino Médio Durante alguns dias dos meses maio e junho de 2011, fizemos várias visitas aoColégio Estadual Wilson Gonçalves no intuito de observar a prática de aulas noambiente escolar e assim cumprir às 20 horas de observação.
  13. 13. Nos momentos de observação pudemos conhecer a relação professor/aluno ealuno/aluno. Nas aulas de língua portuguesa ministradas nos primeiros anos manhã etarde da referida escola, que foram o foco de nossa análise, destacamos uma relação decompanheirismo e uma interação entre professor e aluno, que demonstra umaresponsabilidade tanto social quanto educacional. No que diz respeito à metodologia usada pelo professor pudemos perceber queas aulas eram expositivas dialógicas e estavam voltadas para o ensino de gramática eestudo de textos. Assim, percebíamos que a professora tinha a preocupação com aaprendizagem dos alunos e sempre os perguntavam se tinham alguma dúvida quanto aoconteúdo explicado. É importante comentar a postura do professor diante dos alunos, poisobservamos que o docente sempre se portava de maneira correta quando estavaescrevendo no quadro e também no momento que explicava o conteúdo, mostrandoassim, total controle do espaço em sala de aula. Ressaltamos também a dicção daprofessora, já que tinha uma voz bem forte e ajudava na assimilação do conteúdo. Diante da observação da prática docente, destacamos pontos positivos enegativos quanto aos discentes. A sala de aula é um ambiente que faz parte da vida doaluno, pois algumas horas do dia são dedicadas somente ao ato de estudar. Diante disso,percebemos que alguns alunos não têm total interesse quanto a esse ato. Alguns alunosao menos se dão o trabalho de abrir o caderno para fixarem o conteúdo e outros nãolevam o caderno para a sala de aula. O celular também é fator prejudicial naaprendizagem dos alunos, uma vez que, utilizam essa ferramenta digital para escutaremmúsica e jogar. Observamos que alguns alunos são bem interessados e procuram sempretirar dúvidas em relação ao conteúdo com a professora com os outros alunos o quedemonstra total interesse, além de mostrarem que tem sonhos, os quais servem deincentivo para estudarem ainda mais. Diante disso, a escola deve desenvolver em seus alunos a capacidade deproduzir, defender a validade dos fatos, argumentar, analisar, enfim, ser um usuáriocompetente em sua língua. E para que isso aconteça é necessário quebrar a noçãoestreita e redutora que se tem de gramática e língua, bem como, dimensionaradequadamente o ensino de gramática, para que ele deixe de ser visto como repetição de
  14. 14. fórmulas e modelos para se atingir determinados propósitos comunicativos e tambémpara que esse mesmo ensino deixe de ser visto como algo inútil, essencialmentedescritivo.4 APONTANDO SOLUÇÕES PARA A PRÁTICA DE ENSINO Partindo do pressuposto de que a educação é algo essencial a qualquer serhumano é que percebemos a sua importância no contexto atual, visto que é através da
  15. 15. mesma que tomamos conhecimento de nossos direitos, das vantagens tecnológicas,atuando como cidadão. A cidadania aponta, principalmente, para a existência e a possibilidade de umavida humana participativa, na qual os indivíduos sejam capazes de expressar seusdiversos pontos de vista, sua liberdade e usufruir de valores e bens de um determinadocontexto, partilhando de deveres e poderes que pressupõe a existência de uma vidarealmente democrática. A nosso ver, o espaço escolar devia ser o maior responsável em promover oespírito da cidadania, pois é nela que nos deparamos com pessoas de todos os tipos,onde a grande maioria não compartilha de tais atributos, tendo, apenas, uma visãorestrita do termo democracia. É preciso entender, então, que a arte de refletir sobre os valores em que sefundamenta a sociedade, leva-nos ao conhecimento de nossos direitos e deveres, econsequentemente, à participação efetiva no exercício do poder, o que nos conduz a agire atuar no mundo enquanto cidadãos. E a escola é que tem de tomar para se a tarefa dedesenvolver tais critérios e valores. Assim, é necessário que a escola encontre espaço para se trabalhar com a ética, afim de desenvolver nos alunos a capacidade de compreender as regras e princípios quecontribuem, quer seja de forma direta ou indireta, para a construção da moralidade docidadão. Ao analisarmos a prática de estágio percebemos especificamente os váriospontos que devem ser incluídos no âmbito educacional para que se promova um ensinode maisqualidade. Educar não é apenas ensinar didática, mas principalmente mostrar, aética da vida, a praticidade do mundo atual, o caráter político de participação dosindivíduos na sociedade, e consequentemente, uma visão crítica diante dos fatos docotidiano. Vivemos num país de desigualdades sociais e a falta de conhecimento de taisartifícios exclui o ser humano do universo social, sendo importante que a presença daescola contribua para que os alunos tomem parte na construção do saber crítico,problematizando constantemente o viver pessoal e coletivo, fazendo o exxercício dacidadania. Deduzimos, portanto, que o referente espaço escolar, alvo da pesquisa, necessitade mais atenção, para que os corpos, docente e discente, possam estar sincronizadoscom os acontecimentos e as descobertas, desenvolvendo o conhecimento dos mesmosnos âmbitos disciplinares e interdisciplinares. Enfim, discentes, docentes e gruposadministrativos que compõem a escola precisam viver a realidade, as transformações dasociedade moderna e tecnológica, a fim de serem inclusos no mundo digital, dentro dolimites de consumo.
  16. 16. CONCLUSÕES A educação constitui um fator primordial no desenvolvimento das pessoas e aescola é um dos espaços ideais para transmiti-la, formando cidadãos conhecedores de
  17. 17. seus direitos e deveres, e consequentemente, sujeitos ativos e participativos no exercícioda cidadania. Os diversos problemas que norteiam a sociedade e que atingem a educação querseja, de forma direta ou indireta, apontam para a necessidade de se construir, capazes deanalisar criticamente diversas situções, pois o panorama do mundo atual requer, cadavez mais, praticidade e. inteligibilidade conforme novas exigências. Ao concluirmos este trabalho foi possível ressaltar a grande importância daeducação para a sociedade e isso nos leva a adotar uma nova postura frente a nossa vidaacadêmica. Educar é uma tarefa difícil que requer disposição e responsabilidade paraensinar e orientar pessoas para a vida. Vale salientar que essa base precisa dereciclagem, pois a maioria dos profissionais não se importa ou não procura inovarlevando a consequente defasagem da educação. A experiência adquirida com a realização da prática de observação foi muitoproveitosa. Assim, podemos dizer que, fomos recompensados pelo muito queaprendemos com cada uma das pessoas que nos relacionamos nesse mesmo tempo.Atribuímos o nosso êxito a vários fatores como a receptividade encontrada na escola eprincipalmente da professora e dos alunos onde observamos à prática docente. Portanto, precisamos educar para uma prática social. Temos, em grande parte,poder em nossas mãos, pois acreditamos de tal forma que a partir da observação,estamos preparados para quando formos ministrar aulas, uma vez que, além depassarmos conteúdos, passaremos crenças e valores, formando condutas e opiniões. Épor essa razão que devemos ter cuidado para não colocarmos nossos vícios de existênciae nossas limitações em cima do outro.BIBLIOGRAFIA
  18. 18. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. SãoPaulo: Paz e Terra, 1996.

×