RessignificaçãO Do Ensino MéDio

5,840 views

Published on

As propostas da Ressignificação do ensino médio

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
5,840
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
61
Actions
Shares
0
Downloads
129
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

RessignificaçãO Do Ensino MéDio

  1. 1. Ressignificação do Ensino Médio: como implementar? O que fazer? Marcos Elias Moreira Coordenador do Ensino Médio - Secretaria da Educação de Goiás
  2. 2. Por que mudar? <ul><li>Reuniões com as subsecretarias de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Trindade e Anápolis procurando saídas para os problemas do Ensino Médio noturno (agosto a outubro de 2007); </li></ul><ul><li>Na pauta os seguintes problemas: </li></ul><ul><li>Assegurar o cumprimento da carga horária anual; </li></ul><ul><li>Reduzir a evasão; </li></ul><ul><li>Melhorar a aprendizagem dos alunos; </li></ul><ul><li>Aumentar a aprovação; </li></ul><ul><li>Aumentar o número de matrículas. </li></ul><ul><li>A análise dos problemas e das soluções propostas leva a um questionamento: dada a situação do Ensino Médio, as soluções propostas não poderiam ser aplicadas para todo o Ensino Médio Goiano? (outubro de 2007) </li></ul>
  3. 3. A ampliação do Diálogo <ul><li>Debates com os Dirigentes das Escolas (Caldas Novas); </li></ul><ul><li>Reuniões por Subsecretarias; </li></ul><ul><li>Reuniões com Entidades/Instituições (SEP, Sinep, Sintego, Sinpro, Sesi/Senai, Senac/Sesc, MEC, CEE, UEG, UFG, UCG); </li></ul><ul><li>Reuniões por escolas; </li></ul><ul><li>Experiências por escolas; </li></ul><ul><li>Criação do Comitê Coordenador. </li></ul><ul><li>Seminário em Pirenópolis; </li></ul><ul><li>Produção de Material Didático; </li></ul><ul><li>Seminários de Educação Ambiental e Mídias nas Escolas. </li></ul>
  4. 4. Como começar? <ul><li>Segundo a LDB, a elaboração e a execução de uma proposta pedagógica é a primeira e principal da atribuições da escola... Essa nova situação é conflitante com uma herança cultural de gestores habituados a receber instruções superiores que definiam os caminhos da escola... ...mudar a práxis educativa implica alterar concepções enraizadas e, sobretudo, enfrentar a “roda viva” já existente. </li></ul>
  5. 5. Estadão fala sobre Ensino Médio em 08/11/2008 <ul><li>Essa etapa de ensino é atualmente a maior preocupação de educadores no Brasil e na América Latina. Apesar de quase a totalidade das crianças de 6 a 14 anos estarem cursando o ensino fundamental no País, só cerca de 50% dos adolescentes de 15 a 17 anos estão no ensino médio. Em São Paulo, o número dos que concluem o antigo colegial é menor hoje do que era em 1998: são cerca de 480 mil. Segundo especialistas, é preciso desenvolver currículos mais atraentes para manter essa faixa etária na escola. </li></ul>
  6. 6. O Ensino Médio na LDB <ul><li>Art. 35. O ensino médio, etapa final da educação básica, com duração mínima de três anos, terá como finalidades: </li></ul><ul><li>        I - a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no ensino fundamental, possibilitando o prosseguimento de estudos; </li></ul><ul><li>        II - a preparação básica para o trabalho e a cidadania do educando, para continuar aprendendo, de modo a ser capaz de se adaptar com flexibilidade a novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento posteriores; </li></ul><ul><li>        III - o aprimoramento do educando como pessoa humana, incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico; </li></ul><ul><li>        IV - a compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática, no ensino de cada disciplina. </li></ul>
  7. 7. Ensino Médio - Conceito <ul><li>Transição entre o Ensino Fundamental (horizontalizado) e a Educação Superior (verticalizada). </li></ul><ul><li>Freqüentado pela juventude. </li></ul><ul><li>Conflito entre uma tendência profissionalizante e outra propedêutica. </li></ul><ul><li>Ausência de uma política de financiamento. </li></ul>
  8. 8. Taxa de escolarização bruta e liquida no Brasil (15 A 17 anos)
  9. 9. Brasil: Escolarização da população de 15 a 17 anos - 2006
  10. 10. O que fazer? Escola-mesa: o contrário da escola-loja onde se consome conhecimento Escola-mesa sobre a qual se coloca o que se sabe para ligar, completar, relativizar, criticar e confrontar...Lugar de troca.
  11. 11. Mudanças na educação Escola como espaço de síntese Escola - mosteiro e cidadela ao mesmo tempo Mosteiro – espaço do duradouro, do que vale a pena ensinar porque se mantém apesar da passagem do tempo. Aquilo que ficou, que é base para outros ensinamentos
  12. 12. A cidadela – espaço do atual, do que passa na mídia, do contemporâneo, inclui o senso comum .
  13. 13. Escola como espaço de síntese Síntese entre a cultura sistematizada, formal, das habilidades de pensamento, do conhecimento escolar, e a cultura vinda da experiência, do que acontece na cidade, nas ruas, nas praças, nos pontos de encontro, nos meios de comunicação de massa, na família, no trabalho Estudante deve ser formado a receber, analisar e interpretar a informação, como ainda de produzir novas informações. Desenvolver a criatividade, a sensibilidade, a imaginação, a ética, mas também desenvolver as capacidades cognitivas e operativas dos estudantes.
  14. 14. Pesquisa: A qualidade da educação sob o olhar dos professores
  15. 15. Pesquisa: A qualidade da educação sob o olhar dos professores
  16. 16. Pesquisa: A qualidade da educação sob o olhar dos professores
  17. 17. Professores <ul><li>Os entrevistados se dividem quanto às opiniões sobre se o ensino melhorou ou piorou nos últimos anos: os professores mais antigos são aqueles que possuem a avaliação mais negativa sobre essa evolução. </li></ul><ul><li>No entanto, mais de 60% consideram que a educação será melhor no futuro. Os professores mais jovens e aqueles que atuam nas escolas privadas são os mais otimistas. </li></ul><ul><li>Mais da metade dos docentes consideram que o ensino atual não prepara adequadamente para o futuro. O grupo mais crítico é o que ensina nas últimas séries do fundamental. </li></ul>
  18. 18. Professores <ul><li>A etapa melhor avaliada é a educação infantil e a pior, o ensino médio. </li></ul><ul><li>A avaliação das diferentes etapas realizada pelos professores com mais anos de experiência é significativamente pior que a realizada com mais jovens. </li></ul><ul><li>Existe uma aparente contradição entre a boa avaliação que fazem sobre a maneira de os professores ensinarem e a opinião negativa sobre o interesse e o desempenho acadêmico dos alunos. </li></ul><ul><li>Mais de 70% dos professores de escolas públicas estão muito satisfeitos com o relacionamento que os professores tem com os estudantes, os valores que a escola transmite, a atuação da equipe de direção, o número de professores da escola e a maneira de ensinar dos professores. </li></ul>
  19. 19. Professores
  20. 20. Professores <ul><li>Metade do professor considera que seus alunos faltam muito às aulas e que isso provoca problemas de aprendizagem. </li></ul><ul><li>Três quartas partes dos professores acreditam que o absenteísmo ao trabalho do professorado não é exagerado. </li></ul><ul><li>Uma porcentagem mais alta de professores de escolas públicas, em comparação com aqueles de escolas particulares, acredita que seus alunos se lembrarão da escola com carinho quando terminarem sua escolaridade. </li></ul>
  21. 21. Conclusão da pesquisa <ul><li>“ Os tempos de hoje são mais complexos dos que os tempos passados. E mais difíceis. Mas grande parte das crenças fundadoras da profissão docente continua atual. A começar por esse sentimento de que nos compete cuidar das crianças e do seu futuro. Para que isso seja possível, é fundamental que os professores ocupem um espaço mais dinâmico (e menos defensivo) nas mudanças em curso” (Nóvoa, 1999, p. 18). </li></ul>
  22. 22. Outros elementos considerados <ul><li>Experiências de sucesso em nossas escolas (cartas, praecs); </li></ul><ul><li>Experiência piloto em quatro escolas; </li></ul><ul><li>Experiências de outros estados (RN, AC, PE) </li></ul><ul><li>Experiências de escolas, como colégios de aplicação de universidades; </li></ul><ul><li>Mudanças recentes no Ensino Médio de outros países (Nova York, Finlândia); </li></ul>
  23. 23. <ul><li>PROPOSTA </li></ul><ul><li>“ ENSINO MÉDIO NACIONAL” </li></ul>
  24. 24. ENSINO MÉDIO INTEGRADO POLIMODAL – A organização curricular do ensino médio se estrutura no Trabalho, na cultura e na ciência. (princípio unitário para todo o ensino médio) <ul><li>Modelos descrição </li></ul><ul><li>I-A Ensino médio integrado, não profissional, com ênfase na arte-cultura (regular) </li></ul><ul><li>I-B Ensino médio integrado, não profissional, com ênfase na iniciação científica (regular) </li></ul><ul><li>II-A Ensino médio integrado a educação profissional técnica de nível médio (regular) </li></ul><ul><li>II-B Ensino normal médio </li></ul><ul><li>III-A Ensino médio integrado a educação profissional técnica de nível médio (EJA) </li></ul><ul><li>III-B Ensino médio, não profissional. (EJA) </li></ul>
  25. 25. Ressignificação do Ensino Médio: <ul><li>O Projeto Goiano para Melhorar o Ensino Médio </li></ul>
  26. 26. A Ressignificação <ul><li>Semestralidade; </li></ul><ul><li>Disciplinas Opcionais (para as escolas e para os alunos); </li></ul><ul><li>Disciplinas a Distância; </li></ul><ul><li>Conteúdos Básicos Obrigatórios por Disciplinas; </li></ul><ul><li>Sugestões de Aulas e Material Pedagógico. </li></ul>
  27. 27. Disciplinas Opcionais <ul><li>Propostas por escolas podendo conter Eixos de Profissionalização: </li></ul><ul><li>1 – Cultura, Empreendedorismo e Identidade; </li></ul><ul><li>2 – Turismo e Receptivo; </li></ul><ul><li>3 – Esporte e Movimento; </li></ul><ul><li>4 – Pensamento Científico, Tecnologia e Produção. </li></ul><ul><li>Pode envolver duas ou mais áreas do conhecimento ou disciplinas </li></ul><ul><li>Pode extrapolar o espaço escolar </li></ul><ul><li>Deve apresentar uma proposta pedagógica, uma bibliografia e um sistema de avaliação </li></ul><ul><li>Não deverá ser vinculada a uma série do Ensino Médio </li></ul><ul><li>Poderá chegar até 100 horas semestrais </li></ul><ul><li>Podem vincular tanto à Base Nacional Comum quanto à Parte Diversificada da Matriz Curricular </li></ul>
  28. 28. Atividades para o presente/futuro <ul><li>Incentivar as escolas a aderirem à proposta de ressignificação; </li></ul><ul><li>Continuar o diálogo com a sociedade e, particularmente, com as escolas por meio de seminários, encontros, reuniões; </li></ul><ul><li>Concluir a elaboração e ampliar o debate sobre os conteúdos mínimos obrigatórios; </li></ul><ul><li>Implementar novo formato de modulação; </li></ul><ul><li>Constituir uma comissão de acompanhamento, assessoramento e visita às escolas que aderirem a proposta; </li></ul><ul><li>Buscar alternativas de financiamento para disciplinas opcionais; </li></ul><ul><li>Normatizar situações como a de transferência de alunos entre escolas; </li></ul>
  29. 29. <ul><li>&quot;A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe.&quot; (Jean Piaget) </li></ul><ul><li>Obrigado! </li></ul>

×