HPV Bucal - aspectos atuais com o carcinoma epidermóide
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,369
On Slideshare
1,367
From Embeds
2
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
18
Comments
0
Likes
4

Embeds 2

http://www.slideee.com 2

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 03/06/2014 1 Orientadora: Profª. Dulce Helena Cabelho Passarelli INTRODUÇÃO • Os papilomavírus humanos (HPVs) => família Papillomaviridae;  Alvo as células basais de epitélios escamosos; (FERRARO et al., 2011).  É transmissível sexualmente;  Diagnóstico: biópsia da lesão; (CASTRO et al., 2004).  Há mais de 100 tipos (HPV);  tipos 16 e 18 comprovadamente carcinogênicos =>carcinomas epidermóides orais;  Ficando patente que a participação do HPV na carcinogênese oral;  Ação do (HPV) processo carcinogênico é sinérgica ou seja, associada hábitos como etilismo e tabagismo; (OLIVEIRA et al., 2003). Revisão de literatura  O papilomavírus humano (HPV) constitui um grupo de pequenos vírus de DNA (ácido nucleico);  epiteliotrópicos ( afinidade por epitélios) ;  Estrutura: não envelopados, icosaédricos,de dupla fita e circulares; (CARRANZA et al., 2012).  O (HPV) => hospedeiro através de microtraumatismos, chegando até a camada basal do epitélio e atravessa o citoplasma celular. O genoma => viral é transportado ao núcleo, onde é traduzido e transcrito.  Período de incubação => variado dependente resp. imunológica;  Pode estar latente => ausência sinais clínicos; (GAGIZI et al., 2010). Revisão de literatura Sinais Clínicos do (HPV): o Lesões exofíticas (lesões macroscópicas) que são formações elevadas, únicas ou múltiplas, claras ou escuras. o Verrugas esbranquiçadas. o Normalmente são indolores. o Podem apresentar prurido e sangramento seguido de traumatismo. (GAGIZI et al., 2010). http://estomatologiaonline.net/2012/07/11/hpv- prevencaodiagnostico-e-tratamento/#jp-carousel-2434 Transmissão do HPV: o Sexualmente; o sua implantação oral pode ser por auto inoculação ou pelo contato oro sexual; o Atualmente, a prática do sexo oral => eleva a transmissão do HPV na mucosa oral; (CASTRO et al., 2004). http://estomatologiaonline.net/2012/07/11/hpv- prevencaodiagnostico-e-tratamento/#jp-carousel-2437 Revisão de literatura Diagnóstico do HPV: o exame clínico; o biópsia; o através das técnicas de biologia molecular; o PCR; o captura híbrida ; (CASTRO et al., 2004). Tratamento do (HPV): o Depende: o A idade do paciente; o O local e número de lesões; o A maioria destruirá o tecido doente e pode ser feito por: criocirurgia, laser, além de medicamentos. (PHILLIPP; ARONE, 2010).
  • 2. 03/06/2014 2 Revisão de literatura O (HPV) oral nas lesões de carcinoma epidermóide bucal: o Segundo Rivero e Nunes (2006) Tipo 16 e 18 => oncogênicos. Relacionado gênese Carcinoma epidermóide bucal.  Silva et al. (2011), HPV tem sido reconhecida => risco individual para o desenvolvimento de carcinomas epidermóides de cabeça e pescoço, sendo relacionada ao desenvolvimento de lesões em pacientes que não apresentam os fatores clássicos de risco, como o tabagismo e o etilismo. Revisão de literatura  Há associação do (HPV) com neoplasias benignas e malignas da cavidade oral, principalmente o carcinoma epidermóide.  São mais de 100 tipos já identificados, os 16 e 18 (comprovadamente carcinogênicos e possivelmente envolvidos na etiologia de determinados carcinomas epidermóides orais).  Potente participação (HPV) => gênese carcinoma orais processos sinérgicos físicos e químicos (fumo e álcool). (OLIVEIRA et al., 2003). Revisão de literatura  O carcinoma epidermóide origina-se no tecido epitelial de revestimento a partir de células da camada basal, evoluindo em direção ao tecido conjuntivo subjacente pelo rompimento da membrana basal no limite entre o epitélio e o tecido conjuntivo. (LIRA et al., 2009). • Segundo Brener et al. (2007), o carcinoma de células escamosas (CEE) => neoplasia maligna, origem no epitélio de revestimento da boca, responsável por cerca de 95% das lesões malignas nesta região. • O carcinoma de células escamosas (CCE) da boca, também denominado carcinoma epidermóide, carcinoma escamocelular e carcinoma espinocelular é neoplasia maligna mais comum nesta região. Revisão de literatura Sinais Clínicos do carcinoma epidermóide bucal: o Úlceras irregulares. o Indolores em fases iniciais e que não mostram sinais de cicatrização. o Podendo estar associadas à placas brancas e erosões decorrentes de traumatismos, doenças infecciosas e hábitos crônicos viciosos, entre outros fatores locais e /ou sistêmicos. (PASSARELLI, 2013). Revisão de literatura Diagnóstico do carcinoma epidermóide bucal: o exame clínico o Biópsia o Exame anatomopatológico. o A tomografia computadorizada realizada para avaliação da extensão do tumor e da presença de nódulos cervicais. (MONTORO et al., 2008). Tratamento do carcinoma epidermóide bucal: o Complexo o Multidisciplinar o Multimoidal (Jardim et al,2010) Revisão de literatura Perfil epidemiológico do paciente portador do carcinoma epidermóide bucal: Abdo; Garrocho e Aguiar (2002) Gênero masculino. Predominantemente entre 50 e 70 anos. o Região anatômica mais acometida pelo carcinoma epidermóide bucal: Base da língua. (FILHO et al., 2003).
  • 3. 03/06/2014 3 Proposição  O objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão literária para confirmar a presença e tipo de HPV bucal como fator preponderante e associado na gênese do tipo histológico de neoplasia maligna mais frequente em boca o Carcinoma Epidermóide. Discussão  Chatuverdi et al. (2008), Souza, Pawar e Chaturvedi (2009), Demathe et al. (2010), Silva et al. (2011), Carranza et al. (2012) Afirmaram que o HPV => carcinogênese , lesões malignas como carcinoma epidermóide bucal.  Tinoco et al. (2004), Vidal et al. (2006), Rocha, Souza e Pinto (2007) O papilomavírus humano (HPV) tem relação alguma com a etiologia do carcinoma epidermóide bucal. Discussão  Castro et al. (2004), Xavier, Filho e Lancelotti (2005), Pereira et al. (2007), Lira et al. (2009), Prado e Passarelli, (2009), Ikari et al. (2010), Ferraro et al. (2011) HPV , há variações sobre estudos na relação do papilomavírus humano com gênese do carcinoma epidermóide bucal, portanto essa relação não está bem definida.  Venturi, Pamplona e Cardoso (2004B), Lira et al. (2009), deve- se dar atenção ao aumento de índice de carcinoma epidermóide em pacientes jovens.  Oliveira, Silva e Zucoloto (2006) , o perfil epidemiológico entre gênero masculino e feminino há uma certa discrepância. Discussão  De acordo com Filho et al. (2003), Venturi, Cabral e Lourenço (2004 A), Oliveira, Silva e Zucotto (2006), Prado e Passarelli (2009), Jardim et al. (2010), Carli et al. (2010)  Etiologia do carcinoma epidermóide bucal = excessos uso de álcool + tabagismo – HPV.  Venturi, Pamplona e Cardoso (2004B), Lira et al. (2009), deve- se dar atenção ao aumento de índice de carcinoma epidermóide em pacientes jovens.  Oliveira, Silva e Zucoloto (2006) , o perfil epidemiológico entre gênero masculino e feminino há uma certa discrepância. DISCUSSÃO  Oliveira et al. (2003), Castro el al. (2004), Gagizi et al. (2010), Tabagismo + etilismo + HPV = gênese do carcinoma epidermóide.  Para Tristão et al. (2012) a prevalência do HPV está em mucosas do gênero masculino porém mulheres praticantes do sexo oral compuseram um grupo de risco. Phillipi e Arone (2010), o papilomavírus humano infecta tanto mulheres como homens. DISCUSSÃO  Brener et al. (2007), Araújo, Martinazzo e Filho (2009), Ikari et al. (2010) Etiologia do carcinoma epidermóide => vários fatores além do fumo + álcool + radiação solar + deficiência na nutrição + higiene bucal , entre outros.  Abdo, Garrocho e Aguiar (2002), Filho et al. (2003), Coaracy et al. (2008), Daher, Pereira e Oliveira (2008), Araújo, Martinazzo e Filho (2009), Jardim et al. (2010), Carli et al. (2010). Perfil epidemiológico que mais atinge pacientes de carcinoma epidermóide é o gênero masculino entre a quinta década a sétima década de vida segundo.
  • 4. 03/06/2014 4 CONCLUSÃO  O (HPV) é uma doença transmissível por contato direto e sexual.  Aumento da prática do sexo oral, a mucosa bucal é uma região de acometimento das lesões de HPV.  Tipos específicos para a gênese do carcinoma epidermóide bucal são os tipos 16 e 18.  Há relação direta com a presença de papiloma vírus humano bucal, com hábitos físicos e químicos do paciente, uso crônico de tabaco e o consumo excessivo de álcool na gênese do carcinoma epidermóide bucal. REFERÊNCIAS  ABDO, E. N. ; GARROCHO, A. A. ; AGUIAR, M. C. F. Perfil do paciente portador de carcinoma epidermóide da cavidade bucal, em tratamento no hospital Mário Penna em Belo Horizonte. Revista Brasileira de Cancerologia. v.48, n.3, p. 357 – 362. Jul./Set. 2002.  ARAÚJO, J. P. ; MARTINAZZO, R. ; FILHO, J. F. M. Frequência do carcinoma epidermóide em cabeça, pescoço e boca nos pacientes do setor de oncologia do hospital regional de Araguaína-TO, no período de 2000 à 2007. Revista Científica do ITPAC. v.2, n.1, p. 17 – 25. Jan. 2009.  BRENER, S. et al. Carcinoma de células escamosas bucal: uma revisão de literatura entre o perfil do paciente, estadiamento clínico e tratamento proposto. Revista Brasileira de Cancerologia. v.53, n.1, p. 63 – 69. Jan./Mar. 2007.  CARLI, J. P. et al. Carcinoma espinocelular bucal de grande extensão - protocolo diagnóstico. Revista do Programa de Pós-Graduação em Odontologia da Faculdade da Saúde da Universidade Metodista de São Paulo – UMESP. v.18, n.6, p. 67 – 71. Jul./Dez. 2010.  CASTRO, T. M. P. G. et al. Manifestações orais associada ao papilomavírus humano (HPV) conceitos atuais: revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. v.70, n.4, p. 546 – 550. Jul./Ago. 2004.  CARRANZA, J. et al. Periodontia clínica. 11 ° Edição. Rio de Janeiro. Editora: Elsevier, 2012. p. 275 – 276.  CHATURVEDI, A. K. et al. Incidence Trends for Human Papillomavirus–Related and –Unrelated Oral Squamous Cell Carcinomas in the United States. Official Journal of the American Society of Clinical Oncology. v. 26, n. 4, p.612 – 619. Fev. 2008.  COARACY, A. E. V. et al. Correlação entre dados clínicos e histopatológicos dos casos de carcinoma espinocelular oral do instituto maranhense de oncologia Aldenora Bello, em São Luís, MA. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial. v.44, n.1, p. 31 – 35. Fev. 2008.  COSTA, E. G. ; MIGLIORATI, C. A. Câncer bucal: Avaliação do tempo recorrente entre a detecção da lesão e do início do tratamento. Revista Brasileira de Cancerologia. v.47, n.3, p.283 – 289. 2001.  DAHER, G. C. A. ; PEREIRA, G. A. ; OLIVEIRA, A. C. D. Características epidemiológicas de casos de câncer de boca registrados no hospital de Uberaba no período 1999 - 2003: um alerta para a necessidade de diagnóstico precoce. Revista Brasileira de Epidemiologia. v.11, n.4, p. 584 – 596. Dez. 2008.  DEDIVITIS, R. A. et al. Características clínico-epidemiológica no carcinoma espinocelular de boca e orofatinge. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. v.70, n. 1, p. 31 – 40. Jan/Fev. 2004.  DEMATHE, A. et al. Comparação entre dois métodos de detecção de DNA de papilomavírus humano em carcinoma epidermóide de lábio. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial. v.46, n. 2, p. 85 – 90. Abr. 2010.  FERRARO, C. T. L. et al. Infecção oral pelo HPV e lesões epiteliais proliferativas associadas. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial. v. 47, n. 4, p. 451 – 459. Ago. 2011.  FILHO, F. S. A. et al. Estudo clinico-epidemiológico do carcinoma epidermóide da base da língua. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. v.69, n.2, p. 175 – 179. Mar./Abr. 2003.  Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. v.71, n.4, p. 510 – 519. Jul./Ago. 2005.  GAGIZI, E. N. et al. Diretrizes para o diagnóstico e tratamento do HPV na rede municipal especializada em DST/AIDS - SMS - SP. Programa Municipal de DST/Aids Setor de assistência núcleo de doenças sexualmente transmissíveis. Revisão 3° edição, p. 3 - 18, São Paulo, Set. 2010.  IKARI, L. S. et al. Carcinoma de células escamosas e HPV em lesão oral. Suplemento. v.75, n.5, p.126. Set/Out. 2010.  JARDIM, E. C. G. et al. Carcinoma de células escamosas de grandes dimensões. Revista Odontológica de Araçatuba. v.31,n.2, p. 9 – 13. Jul./Dez. 2010.  LIRA, A. A. B. et al. Carcinoma de células escamosas indiferenciado em paciente jovem: relato de caso. InternationalJournal of Dentistry. v.8, n.3, p. 172 - 176, Jul./Set. 2009.  MILLER, C. S.; WHITE, D. K. Human papillomavirus expression in oral mucosa, premalignant conditions, and squamous cell carcinoma. Oral Surgery, Oral Medicine, Oral Pathology, Oral Radiology and Endodontology. v.82, n.1, p. 57 – 68. Jul. 1996.  MONTORO, J. R. M. C. et al. Fatores prognósticos no carcinoma espinocelular de cavidade oral. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. v.74, n.6, p. 861 – 866. Nov./Dez. 2008.  OLIVEIRA, L. R. ; SILVA, A.R. ; ZUCOLOTO, S. Perfil de incidência e da sobrevida de pacientes com carcinoma epidermóide oral em uma população brasileira. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial. v.42, n.5, p. 385 – 392. Out. 2006.  OLIVEIRA, M. C. et al. HPV e carcinogênese oral: revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. v.69, n.4, p. 553 – 559. Jul./Ago. 2003.  PASSARELLI, D. H. C. et al. A interdisciplinaridade no diagnóstico do carcinoma epidermóide. Revista de odontologia da Universidade da Cidade de São Paulo. v.23, n.03, p. 273 – 277. Set./Dez. 2011. Referências  PASSARELLI, D.C. Estomatologia online. Disponível em: http://estomatologiaonline.net/2013/01/28/cancer-bucal-carcinoma-epidermoide//. Acesso em : 15 mar. 2014.  PEREIRA, K. M. A. et al. Papilomavírus humano e câncer oral: uma revisão dos conceitos atuais. Revista de Odontologia da UESP. v.36, n.2, p. 151 – 156. Abr./Jun. 2007.  PHILLIPI, M. L. S. ; ARONE, E. M. Enfermagem em doenças transmissíveis. 12° edição. São Paulo. Editora: Senac, 2010. Cap. 10. p. 123 - 125.  PRADO, B. N.; PASSARELLI, D. H. C. Uma nova versão sobre prevenção de câncer bucal no consultório odontológico. Revista de Odontologia da Universidade da Cidade de São Paulo. v.21, n.1, p. 79 – 85. Jan./Abr. 2009.  RIVERO, E. R. C. ; NUNES, F.D. HPV em carcinoma epidermóide de boca em população brasileira: amplificação por PCR. Brazilian Oral Research. v.20 n.1, p. 21 – 24. Jan./Mar. 2006.  ROCHA, D. A. P. ; SOUZA, L. B. ; PINTO, L. P. Análise comparativa da proliferação celular entre carcinomas de células escamosas orais HPV-positivos e HPV-negativos. Jornal Brasileiro Patologia Medicinal Laboratorial. v.43, n.4, p. 269 – 274. Ago. 2007.  SANTOS, L. C. O. et al. Oral cancer: population sample of the state of Alagoas at a reference hospital. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. v. 75, n.4 p. 52 – 529. Jul./Ago. 2009.  SILVA, A. M. T. C. et al. Genotipagem de papilomavírus humano em paciente com papilomatose laríngea recorrente. Revista Brasileira de Cancerologia. v.49, n.3, p. 167 – 174. Mar. 2003.  SILVA, B. S. F. et al. Infecção por papilomavírus humano e câncer oral: revisão de literatura atual. Cadernos UNIFOA. 17° edição. p. 115 – 122. Dez. 2011.  SILVA, I. I. C. et al. Percepção de vulnerabilidade ao HPV e câncer de cabeça e pescoço: comportamentos sexuais e de risco em jovem de Niterói, RJ. DST- Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis. v.4, n.2, p. 85 – 92. Mai. 2012.  SILVA, L. A. G. et al. Análise morfológica de lesões orais relacionadas ao HPV. Revista de cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial. v.10, n.1, p. 81 – 88. Jan./Mar. 2010.  SOARES, C. P. et al. Presença do papilomavírus humano com lesões malígnas de mucosa oral. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. v.35, n.5, p. 439 – 444. Set./Out. 2002.  SOUZA, C.; PAWAR, U.; CHATURVEDI, P. Precancerous lesions of oral cavity. Otorhinolaryngology clinics; an international journal. v.1, n.1, p. 7 – 14, Mai./Set. 2009.  TINOCO, J. A. et al. Correlação da infecção viral pelo papilomavírus humano com as lesões papilomatosas e o carcinoma epidermóide na boca e orofaringe. Revista de Associação Médica Brasileira. v.50, n.3, p. 252 – 256. Jul./Set. 2004.  TRISTÃO, W. et al. Estudo epidemiológico do HPV na mucosa oral por meio de PCR. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. v.78, n.4, p. 66 – 70. Jul./Ago. 2012.  VENTURI, B. R. M. ; CABRAL, M. G. ; LOURENÇO, S. Q. C. Carcinoma de células escamosas oral - contribuição de vírus oncogênicos e alguns marcadores moleculares no desenvolvimento e prognóstico da lesão: uma revião. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. v.70, n.3, p. 385 – 392. Mai./Jun. 2004 A.  VENTURI, B. R. M. ; PAMPLONA, A. C. F. ; CARDOSO, A. S. Carcinoma de células escamosas da cavidade oral em pacientes jovens e sua crescente incidência: revisão de literatura. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. v.70, n.5, p. 679 – 686. Set./Out. 2004 B.  VIDAL, A. K . L. et al. Papiloma Vírus Humano (HPV) como fator de risco para o carcinoma escamoso celular (CEC) oral - revisão literária. Odontologia Clínico-Científica. v.5, n.1, p. 7- 25. Jan./Mar. 2006.  XAVIER, S. D. et al. Frequência de aparecimento de papilomavírus humano (HPV) na mucosa oral de homem com HPV anogenital confirmado por biologia molecular. Arq. Int Otorrinolaringol. / Intl. Arch. Otorhinolaryngol. v.11, n.1, p. 36 – 44. Fev. 2007.  XAVIER, S. D. ; FILHO, I. B. ; LANCELOTTI, C. L. P. Prevalência de achados sugestivos de papilomavírus humano (HPV) em biópsias de carcinoma espinocelular de cavidade oral e orofaringe: estudo preliminar. OBRIGADA PELA ATENÇÃO!!