Educação Sexual na Educação de Jovens e Adultos

283
-1

Published on

Apresentação para a Educação de Jovens e Adultos

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
283
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
22
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Educação Sexual na Educação de Jovens e Adultos

  1. 1. Ciclo de palestras: Sexualidade é você! . Adriana Rodrigues Zocca • Mestranda em Educação Sexual da UNESP - Araraquara, SP. • E-mail: adriana.zocca@gmail.com • Natália Souza Nogueira. • Mestranda em Educação Sexual da UNESP - Araraquara, SP. • E-mail: nogueiranc@ig.com.br • Alex Eduardo lemos • Mestranda em Educação Sexual da UNESP - Araraquara, SP. • Karina Fernandes . Mestranda em Educação Sexual da UNESP - Araraquara, SP.
  2. 2. O que é sexualidade? [..] inclui o sexo, a afetividade, o carinho, o prazer, o amor ou o sentimento mútuo de bem querer, os gestos, a comunicação, o toque e a intimidade. Inclui, também, os valores e as normas morais que cada cultura elabora sobre o comportamento sexual (FIGUEIRÓ, 2004, p. 2). O que é sexo? O primeiro está relacionado diretamente ao ato sexual e à satisfação da necessidade biológica de obter prazer sexual, necessidade essa que todo ser humano, seja normal ou com necessidades educacionais especiais, traz consigo desde que nasce (FIGUEIRÓ, 2004, p. 2).
  3. 3. Educação Sexual? [...] tem a ver com o direito de toda pessoa de receber informações sobre o corpo, a sexualidade e o relacionamento sexual e, também, com o direito de ter várias oportunidades para expressar sentimentos, rever seus tabus, aprender, refletir e debater para formar sua própria opinião, seus próprios valores sobre tudo que é ligado ao sexo [...] a sexualidade faz parte de cada um de nós e pode ser vivida com alegria, liberdade e responsabilidade. Educar sexualmente é, também, possibilitar ao indivíduo o direito a vivenciar o prazer. (FIGUEIRÓ, 2004, p.15)
  4. 4. Ao caracterizar as questões da sexualidade humana, referimo-nos a um processo de educação sexual que, embora se concretize na personalidade individual, é construído socialmente ao longo da vida. É através dele que escolhemos e vivemos a nossa própria sexualidade; ao mesmo tempo, no entanto, a ideologia em cada cultura dita regras de normalidade com relação às questões da sexualidade. As concepções, crenças pessoais e sentimentos - frutos da educação sexual - influenciam as atitudes e as ações com relação à manifestação da sexualidade das pessoas (MAIA, 2001, p.36).
  5. 5. Abraço, carinho, descobertas...
  6. 6. Deseducação sexual Estamos falando de uma desconstrução, o que seria isso, seria nos informarmos adequadamente e reconstruir os nossos pensamentos sobre a sexualidade e vê-la como algo que faz parte de nossa vivencia assim como beber, comer, evacuar, dormir...entendendo o porque dos preconceitos e tabus.
  7. 7. Por que conhecer o nosso corpo é importante?
  8. 8. Órgão masculino
  9. 9. Órgão feminino
  10. 10. Para que possamos: - Prevenir de doenças; - Detectar aspectos estranhos no corpo; - Vivenciar a sexualidade com plenitude;
  11. 11. Com o sexo temos as DSTs [Doenças Sexualmente Transmissíveis]... - São conhecidas por doenças venéreas; - Transmitidas essencialmente pelo contato direto, mantido através de relações sexuais onde o parceiro ou a parceira necessariamente porta a doença, e indireto por meio do compartilhamento de utensílios pessoais mal higienizados (roupas íntimas), ou manipulação indevida de objetos contaminados (lâminas e seringas); - Os principais agentes patogênicos são os vírus, as bactérias e os fungos; - Essas doenças acometem o público em sua totalidade: através do discuido individual com a saúde e a carência ou mesmo a falta de programas educativos.
  12. 12. Como contrair uma doença sexualmente transmissível?
  13. 13. - Através das relações sexuais sem camisinha; - Compartilhar seringas de pessoas desconhecidas; - Pessoas que recebem transfusão de sangue não testado; Assim, qualquer pessoa seja ela: casada, solteira, jovem, adulto, rico ou pobre, pode contrair uma DST!
  14. 14. Para se prevenir, é importante CONHECER... As Doenças Sexualmente Transmissíveis
  15. 15. AIDS • Corresponde ao estágio avançado da doença que ataca o sistema imunológico; • A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, como também é chamada, é causada pelo HIV; • O vírus ataca as células de defesa do nosso corpo, assim o organismo fica mais vulnerável a diversas doenças, de um simples resfriado a infecções mais graves; • O tratamento dessas doenças fica prejudicado; • Hoje existemmedicamentos para controlar a doença; • Saber precocemente da doença é fundamental para aumentar ainda mais a sobrevida da pessoa; • Por isso, é recomendado pelo Ministério da Saúde fazer o teste se passou por alguma situação de risco e usar sempre o preservativo.
  16. 16. AIDS
  17. 17. DINÂMICA Jogo da Aids Antes de começar o jogo, escolha um participante e entregue-lhe o cartão tendo atrás as letras PU, e explique que ele não deverá participar do jogo, colocando-se de lado assim que o mesmo começar. Distribua para os participantes (20 no máximo), cartões brancos, do tamanho de meia folha de papel ofício, sendo que atrás de três cartões estará a letra C, atrás de outro cartão estarão as letras PU e atrás de um terceiro cartão estará a letra A. Os participantes terão 1 (um) minuto para colherem autógrafos dos demais em seu cartão. Após, o coordenador pede que aquele que estiver com a letra A se apresente, informando que o mesmo está com Aids.
  18. 18. Em seguida pede que aqueles que possuam o autógrafo dele se apresentem, pois todos estão contaminados, já que isso significa que mantiveram relação sexual com o mesmo. Prosseguindo, pede que os que tiverem autógrafos dos colegas contaminados, também se juntem ao grupo, pois estão igualmente contaminados. Na seqüência, solicita que se destaquem os que estiverem com a letra C, significando que usam a camisinha para se protegerem, mas como ela não é cem por cento segura, voltam ao grupo contaminado. Finalmente, aponta para o participante que sobrou, que está com as letras PU, ou seja, o que possui parceiro único, e, portanto, está livre da Aids (levando-se em consideração que seu parceiro também o tem como único). Após o término do jogo deve ser realizada ampla conversa sobre sexo seguro e parceiro único.
  19. 19. SÍFILIS • A infecção ocorre em três estágios, sendo que os sintomas se manifestam principalmente nas duas primeiras. Isso pode fazer com que na terceira etapa, que pode ser assintomática, o indivíduo tenha a falsa impressão de que não tem mais a doença; • A infecção pode também ser congênita (quando é transmitida das mães para os fetos) e pode causar más-formações; • Sintomas: feridas nos órgãos genitais, na boca, inchaços nos linfonodos (ínguas) da virilha; • As feridas nos órgãos genitais são chamadas de cancros, têm formato arredondado e firme, não doem, não ardem, não coçam e delas não vaza pus; • Se a doença não for tratada, podem surgir manchas em várias partes do corpo, como nas mãos e pés, e queda de cabelos; • Em estágio avançado, pode causar cegueira, demência e, dentre outros problemas graves, até levar à morte.
  20. 20. Sífilis
  21. 21. GONORRÉIA • Provoca a inflamação da uretra (canal urinário); • Pode alastrar-se para outros órgãos e causar complicações como: artrite, meningite e problemas cardíacos. • Tratamento: realizado com antibióticos; • Ao longo do tempo, as populações de microorganismos adquirem resistência e os antibióticos se tornam ineficazes.
  22. 22. Gonorreia
  23. 23. HPV • É a doença sexualmente transmissível mais comum do mundo; • Há mais de 100 tipos; • Vários desses tipos podem infectar os órgãos genitais, a garganta e o ânus; • As verrugas comuns de pele também são causadas por HPVs; • É assintomático, ás vezes não percebemos que temos a doença; • Ela surge com verrugas nos órgãos genitais e colo do útero.
  24. 24. HPV
  25. 25. - Os tipos de vírus causadores do câncer de colo de útero são distintos daqueles causadores das verrugas; - Também é importante notar que essas verrugas podem surgir semanas ou até mesmo meses após a contaminação, ao passo que o câncer pode se desenvolver anos após a contaminação; - Uma complicação grave decorrente do câncer de colo de útero, é que seus efeitos e sintomas só passam a ser visíveis após um período de tempo considerável, quando o câncer já se encontra em estágio avançado. Por isso, é necessário que as mulheres façam exames regulares. - Tratamento: não existe tratamento para se eliminar o vírus (espera-se que o sistema imunitário faça isso), porém, pode se tratar alguns dos sintomas da infecção, por exemplo, podem-se remover as verrugas (que inclusive podem desaparecer naturalmente) e se pode diagnosticar o câncer cedo, com testes como o Papanicolau, para que seja mais fácil tratá-lo. Basicamente, o teste de Papanicolau tem o objetivo de detectar alterações celulares no colo uterino, que poderão se tornar cânceres, caso não sejam tratados adequadamente.
  26. 26. - Atualmente já existem vacinas contra o HPV, que devem ser administradas em três doses, preferencialmente antes de o indivíduo começar a praticar relações sexuais; - Entretanto, os efeitos das vacinas só poderão ser avaliados com maior confiabilidade daqui a alguns anos (quanto tempo o indivíduo permanece imunizado, qual é a eficiência e etc.); - E a partir do ano que vem vai estar disponível para meninas acima de 10 anos.
  27. 27. HERPES GENITAL • Sintomas: bolhas que se rompem e geram feridas nos órgãos genitais; • Normalmente essas feridas somem, mas podem reaparecer de tempos em tempos caso o indivíduo seja exposto a algum fator capaz de diminuir sua imunidade (exposição ao sol, esforço exagerado, estresse e ansiedade, uso prolongado de antibióticos e outros); • Tratamento: sem cura definitiva, mas se tenta tratar as feridas.
  28. 28. Herpes Genital
  29. 29. HEPATITE B • Causador: O Vírus da hepatite B, que pode ser encontrado no sangue, leite materno e esperma; • São inflamações no fígado, que podem se tornar crônicas e até mesmo levar ao surgimento de cirrose e tumores; • Na maioria dos casos os indivíduos acometidos não apresentam sintomas; • Sintomas: febres, vômitos, icterícia (pele e olhos amarelados), urina mais escura e fezes claras; • Tratamento: feito com medicamentos específicos, sendo importante destacar que, durante o período de tratamento o indivíduo não deve consumir bebidas alcoólicas. No que tange à prevenção, há vacina contra o HBV, que deve ser tomada em três doses.
  30. 30. Hepatite B
  31. 31. CANDIDÍASE • É uma infecção por fungos da membrana mucosa da boca e da língua; • Causada por formas de um fungo chamado Candida; • Uma pequena quantidade desses fungos vive na sua boca a maior parte do tempo; • Geralmente é controlada pelo sistema imunológico e outros tipos de germes que também vivem normalmente na boca; • Porém, quando o sistema imunológico está enfraquecido, o fungo pode crescer, provocando feridas (lesões) na boca e na língua. Os seguintes fatores podem aumentar as chances de contrair candidíase: Tomar medicamentos esteroides E Ter AIDS ou uma infecção por HIV, entre outros...
  32. 32. • A candidíase também pode se manifestar como infecções na vagina; • As pessoas que têm diabetes e tiveram níveis altos de glicose no sangue têm maior probabilidade de ter candidíase oral porque o açúcar em excesso na saliva atua como um alimento para a Cândida; • Tomar altas doses de antibióticos ou tomar antibióticos por muito tempo também aumenta o risco de candidíase oral; • Os antibióticos matam algumas das bactérias saudáveis que mantêm o crescimento da Cândida controlado; • As pessoas com dentaduras que não encaixam direito também têm maior probabilidade de ter candidíase.
  33. 33. Candidíase
  34. 34. URETRITE • Atinge tanto homens como mulheres; • Ela se desenvolve através de infecções na região da uretra; • Em casos mais graves, a doença pode avançar para uma gonorreia.
  35. 35. TRICOMANÍASE • Em geral, é responsável por um odor desagradável na região vaginal na mulher; • Os sintomas mais comuns é a presença de edema na vagina, manchas avermelhadas na vulva, leucorréia (corrimento branco-amarelado), prurido intenso, cervicite e dor ao urinar; • Nos homens a infecção geralmente é assintomática, aparecendo às vezes uretrite com corrimento purulento, ligeira dor durante a micção e inflamação na próstata; • Infecções crônicas podem permanecer latentes durante anos transformando o homem em um vetor; • Nos casos mais graves, tanto para homens como para mulheres o Trichomonas impede o ato sexual; • Além disto, pode diminuir a vitalidade dos espermatozóides, reduzindo a chance de concepção durante esses períodos.
  36. 36. Tricomaníase
  37. 37. Referências • AIDS. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pagina/aids>. Acesso em: 24 set.2013.
  38. 38. SEXUALIDADE É VOCÊ!!!!

×