Preparo para coroa metal free posterior

6,886 views

Published on

Passo a passo no preparo de dentes posteriores para Coroas Metal Free.

Published in: Education
0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,886
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
19
Actions
Shares
0
Downloads
191
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • SEQUÊNCIA LABORATORIAL DE PREPARO PARA COROA METAL-FREE POSTERIOR
  • 1º Passo: Sulcos de orientação oclusal
  • Na superfície oclusal são feitos os sulcos de orientação nas cristas marginais, pontas de cúspides e sulcos principais, devendo acompanhar a inclinação das vertentes oclusais . A profundidade de penetração da broca deverá ser de 2,0mm para se obter um espaço interoclusal adequado.
  • 2º Passo: Redução oclusal
    Após a realização dos sulcos de orientação,é feito a remoção das estruturas remanescentes seguindo a conformação geométrica da superfície oclusal do dente.
  • Após a realização dos sulcos de orientação,é feito a remoção das estruturas remanescentes seguindo a conformação geométrica da superfície oclusal do dente.
  • Após a realização dos sulcos de orientação,é feito a remoção das estruturas remanescentes seguindo a conformação geométrica da superfície oclusal do dente.
  • 3º Passo: Bisel da cúspide funcional
  • Deve ser realizado um amplo bisel da cúspide funcional, ou seja, nas vertentes externas das cúspides linguais em dentes superiores e nas vestibulares dos inferiores. A omissão deste biselamento pode dar lugar à restaurações finas ou falhas na morfologia da restauração.
  • 4º Passo: Sulcos de orientações vestibulares e linguais
  • São realizados sulcos nas faces vestibulares e linguais seguindo as duas inclinações que ambas as faces apresentam. Os sulcos devem ter 2,0mm de profundidade
  • Remover as estruturas dentarias que ficam entre os sulcos de orientação, seguindo a inclinação incisal. Neste passo não se deve romper o ponto de contato.
     
  • Remover as estruturas dentarias que ficam entre os sulcos de orientação, seguindo a inclinação incisal. Neste passo não se deve romper o ponto de contato.
     
  • 6º Passo: Redução axial (metade cervical)
  • Com uma ponta diamantada tronco cônica de extremidade arredondada, realiza-se esta redução axial seguindo a inclinação do terço cervical
  • Neste passo que iniciamos a confecção da linha de término em chanfro. Para a realização deste passo, a broca deve estar paralela ao longo eixo do dente, obtendo-se assim, uma convergência de 3 graus da parede do preparo.
    OBS: Nesta fase, não devemos romper o ponto de contato proximal.
  • Neste passo que iniciamos a confecção da linha de término em chanfro. Para a realização deste passo, a broca deve estar paralela ao longo eixo do dente, obtendo-se assim, uma convergência de 3 graus da parede do preparo.
    OBS: Nesta fase, não devemos romper o ponto de contato proximal.
  • 7º Passo: Remoção do ponto de contato proximal
  • Com a utilização de uma ponta diamantada fina, vamos eliminar o contato com o dente contíguo, tomando tomar cuidado para não danificar a superfície proximal dos dentes adjacentes, que podem ser protegidos com a utilização de uma matriz de aço.
  • 8º Passo: Determinação do término do preparo
  • Após a remoção do ponto de contato, a redução axial será realizada com uma ponta diamantada tronco cônica de extremidade arredondada. Nesta fase, iremos confeccionar uma linha de término em chanfro largo, seguindo a anatomia da gengiva marginal, respeitando o espaço biológico.
  • 9º Passo: Arredondamento de todos os ângulo
    Com uma ponta diamantada de granulação fina, devemos arredondar todos os ângulos. Este acabamento permite um assentamento melhor da coroa, favorece o escoamento do cimento facilitando a cimentação
  • Preparo para coroa metal free posterior

    1. 1. PREPARO PARA COROA METAL-FREE POSTERIOR SEQUÊNCIA LABORATORIAL DE PREPARO PARA COROA METAL-FREE POSTERIOR Moacyr Menéndez www.espacoabertto.com.br
    2. 2. 1º Passo: Sulcos de orientação oclusal Moacyr Menéndez
    3. 3. Na superfície oclusal são feitos os sulcos de orientação nas cristas marginais, pontas de cúspides e sulcos principais, devendo acompanhar a inclinação das vertentes oclusais. A profundidade de penetração da broca deverá ser de 2,0 mm para se obter um espaço interoclusal adequado. Moacyr Menéndez
    4. 4. 2º Passo: Redução oclusal Após a realização dos sulcos de orientação, é feito a remoção das estruturas remanescentes seguindo a conformação geométrica da superfície oclusal do dente. Moacyr Menéndez
    5. 5. Após a realização dos sulcos de orientação, é feito a remoção das estruturas remanescentes seguindo a conformação geométrica da superfície oclusal do dente. Moacyr Menéndez
    6. 6. Após a realização dos sulcos de orientação, é feito a remoção das estruturas remanescentes seguindo a conformação geométrica da superfície oclusal do dente. Moacyr Menéndez
    7. 7. 3º Passo: Bisel da cúspide funcional Moacyr Menéndez
    8. 8. Deve ser realizado um amplo bisel da cúspide funcional, ou seja, nas vertentes externas das cúspides linguais em dentes superiores e nas vestibulares dos inferiores. A omissão deste biselamento pode dar lugar à restaurações finas ou falhas na morfologia da restauração. Moacyr Menéndez
    9. 9. 4º Passo: Sulcos de orientações vestibulares e linguais Moacyr Menéndez
    10. 10. São realizados sulcos nas faces vestibulares e linguais seguindo as duas inclinações que ambas as faces apresentam. Os sulcos devem ter 2,0 mm de profundidade Moacyr Menéndez
    11. 11. 5º Passo: Remover as estruturas dentarias que ficam entre os sulcos de orientação, seguindo a inclinação incisal. Neste passo não se deve romper o ponto de contato. Moacyr Menéndez
    12. 12. Remover as estruturas dentarias que ficam entre os sulcos de orientação, seguindo a inclinação incisal. Neste passo não se deve romper o ponto de contato. Moacyr Menéndez
    13. 13. 6º Passo: Redução axial (metade cervical) Moacyr Menéndez
    14. 14. Com uma ponta diamantada tronco cônica de extremidade arredondada, realiza-se esta redução axial seguindo a inclinação do terço cervical Moacyr Menéndez
    15. 15. Neste passo que iniciamos a confecção da linha de término em chanfro. Para a realização deste passo, a broca deve estar paralela ao longo eixo do dente, obtendo-se assim, uma convergência de 3 graus da parede do preparo. OBS: Nesta fase, não devemos romper o ponto de contato proximal. Moacyr Menéndez
    16. 16. Neste passo que iniciamos a confecção da linha de término em chanfro. Para a realização deste passo, a broca deve estar paralela ao longo eixo do dente, obtendo-se assim, uma convergência de 3 graus da parede do preparo. OBS: Nesta fase, não devemos romper o ponto de contato proximal. Moacyr Menéndez
    17. 17. 7º Passo: Remoção do ponto de contato proximal Moacyr Menéndez
    18. 18. Com a utilização de uma ponta diamantada fina, vamos eliminar o contato com o dente contíguo, tomando tomar cuidado para não danificar a superfície proximal dos dentes adjacentes, que podem ser protegidos com a utilização de uma matriz de aço. Moacyr Menéndez
    19. 19. 8º Passo: Determinação do término do preparo Moacyr Menéndez
    20. 20. Após a remoção do ponto de contato, a redução axial será realizada com uma ponta diamantada tronco cônica de extremidade arredondada. Nesta fase, iremos confeccionar uma linha de término em chanfro largo, seguindo a anatomia da gengiva marginal, respeitando o espaço biológico. Moacyr Menéndez
    21. 21. 9º Passo: Arredondamento de todos os ângulos Com uma ponta diamantada de granulação fina, devemos arredondar todos os ângulos. Este acabamento permite um assentamento melhor da coroa, favorece o escoamento do cimento facilitando a cimentação Moacyr Menéndez
    22. 22. 10º Passo: Espaço Interoclusal de 2.0 mm Moacyr Menéndez

    ×