Your SlideShare is downloading. ×
0
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Fgv um desafio de design 04112013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Fgv um desafio de design 04112013

196

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
196
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • ----- Meeting Notes (11/11/13 12:29) -----a web está cheia desse tipo de manifesto. o holstee talvez seja apena so mais bem sucedido deles. eles revelam um a série de valores que estão emergindo: simplicidade...
  • ----- Meeting Notes (11/11/13 15:01) -----a cultura hacker emerge a partir das tecnologias digitais, no meio dos geeks que remixam as tecnologias, montam e remontam máquinas. Ela passa pelo modelo do software livre, que vai tornar viável pela primeira vez a produção em rede, coordenada entre pares.
  • ,ercadpssãoconversaçõesA Internet estápermitindoconversações entre sereshumanosquesimplesmentenãoerampossíveisna era da mídia de massa.Hyperlinks subvertemhierarquia.Nósgostamosmuitomaisdeste novo mercado. De fato, nósestamoscriando-o.Vocêestáconvidado, mas é o nossomundo. Jogueseussapatospelajanela. Se vocêquisernegociarconosco, desça do pedestal!Nóssomosimunes a publicidade. Esqueça.Se vocêquiserquefalamos com você, falealgumacoisa. Quesejainteressanteparavariar.\O manifestofoiescritoem 1999 porRick Levine, um engenheiro da Sun Microsystems, Christopher Locke, consultor, Doc Searls, um publicitárioconhecido do ´Vale do Silício e David Weinberger, um entusiastacomentarista de alta tecnologia3 . Eleafirmaque a nova realidade, aocontrário da usadaemmarketing de massa, permiteque as pessoastenhamumacomunicação individual, maishumana, e têm o potencial de transformarradicalmente as práticas de negóciostradicionais. Taispráticasvisam a superação do ultrapassadopensamento do século 20 sobreosnegócios, alardeadocomo o obituário dos negócioscomofeitosà época4 e suas 95 (noventa e cinco) tesessãoumareferênciaàsteses de Martinho Luteroqueanunciaram o início da Reforma Protestante.5O título do manifesto, Cluetrain, decorre da seguintecitação:The clue train stopped there four times a day for ten years and they never took delivery.6 - Veterano de uma firma agora emquedalivrefora da Fortune 500. 7
  • Pinterest, somos todos hackers, curadores, compositores.
  • hey’rebattlingnear triple-digitheat, blisteringwinds, andwavesofdust, buttotherevellerscelebratingatBurning Man, it’sallpartofthepilgrimage.
More than 47,000 peoplefromacrossthe world flockedto self-sufficient Black Rock City today as thecelebrationpassed its halfwaymark.The festival continuedwithanotherdayofevents, eccentricartinstallations, andelaborate costumes – eachonezanierthanthenext. Daysfromnow, Black Rock Desertwillbe as desolate as it wasbefore – oneofthe core beliefsoftheweek-long festival isleaving no trace.Read more: http://www.dailymail.co.uk/news/article-2196682/Burning-Man-festival-continues-Black-Rock-City-Nevada-passes-halfway-mark.html#ixzz2jhn4R88I Followus: @MailOnline on Twitter | DailyMail on Facebook
  • Ser a primeira opção para viabilizar ideias criativas no Brasil. Esse é o futuro desafiador que queremos para o Catarse no longuíssimo prazo, apelidado por nós de Meta Monstro. O objetivo visionário foi baseado na estratégia BHAG (Big HairyAudaciousGoal) e serve como uma estrela-guia para concentrar os esforços e inspirar a crescente equipe do site. A definição abriu as discussões da última semana catártica.
  • O Design Thinlkingorganiza o processo de criaçãoemcincoetapas. Começa com a Fase de Descoberta, onde o problemaévivenciadopelo time de projeto, quebuscaentenderaumentarsuaempatia com a situação do cliente. Emseguidahá a Fase de Interpretação, ondeosrelatos do quefoivividonaDescobertasão a base paraentendermelhor o problema e definir o foco da próximaetapa. Emseguidavem a fase de Ideação, onde as possibilidades de soluçãosãolevantadas e refinadas. Finalmente, nasetapas de experimentação e evoluçãosãoconstruidosprotótipos, quevãosendoaprimoradosjunto com osusuários e clientes.O métodopodeserconsultado no site: http://designthinkingforeducators.com/ (Ana, as imagenstbsãodesse site)
  • Há várias metodologias que dão vida a esses valores. Elas propõem novas formas de viver, se relacionar, trocar, aprender e fazer negócios.
  • O focoem times é a marca do curso. Nessesentido, todogrupo/em- presa forma umacomunidade de aprendizagem. Há cerca de 20 apren- dizesemcadaequipe – e o grupopermanecejuntoaolongo dos quatroanos do curso, com o mesmo mentor. Depois de montar a empresa, osalunoscumpremmetasdiversas. No primeiroano, porexemplo, cadaaprendizdevevisitarpelomenos 50 clientesdiferentes.Na Finlândia, o curso é gratuito, mas naEspanha, a Team Academy cobra cerca de 22 mil reaisporano, valor queinclui as passagens de todas as viagensrealizadas. Só para se terumaideia, um cursoemuma das maisconceituadasfaculdades de adminis- tração de São Paulo custaemtorno de 25 mil reaisanualmente, semnenhumaviageminclusa.
  • http://www.slideshare.net/HennaMonkey/10-takeaways-fromA finalidade do curso não é formar empreendedores, mas sim “timempreendedores” (teampreneurs). Em outras palavras, a Team Academyreforça habilidades de empreendedorismo em grupo, para que os aprendizes tornem-se especialistas em explorar as melhores características de grupos de pessoas conectadas com um objetivo comum.
  • Fundador: Ben Nelson
  • Groups that work in secret and then present their ideas full-blown at the end face unexpected objections that sometimes kill the project. (KANTER, 2006, pg. 79)
  • Transcript

    • 1. O que está acontecendo afinal? Por que inovação? Por que design? Inovação no ensino superior FGV - um desafio de design
    • 2. HOJE
    • 3. The Holstee Manifesto
    • 4. VALORES EMERGENTES Simplicidade Relevância Transparência Colaboração Experimentação Agilidade Empatia Autonomia Reputação P2P
    • 5. Simplicidade Relevância Transparência Colaboração Experimentação Agilidade Empatia Cultura Hacker Autonomia Reputação P2P
    • 6. Simplicidade Relevância Transparência Colaboração Experimentação Agilidade Empatia Autonomia Reputação P2P REMIX
    • 7. Tese 95: "Nós estamos acordando e nos linkando. Nós estamos observando. Mas nós não estamos esperando.” Manifesto Cluetrain, 1999
    • 8. Desconferência Autonomia Participação Validação P2P
    • 9. Pinterest: remix, autoria, curadoria. Somos todos hackers.
    • 10. Simplicidade Relevância Transparência Colaboração Experimentação Teoria U/ Change Lab Agilidade Empatia Cultura Hacker Autonomia Reputação P2P
    • 11. Simplicidade Relevância Transparência Colaboração Experimentação Agilidade Empatia Autonomia Reputação P2P SE VOCÊ É PARTE DO PROBLEMA, VOCÊ É PARTE DA SOLUÇÃO
    • 12. Simplicidade Relevância Transparência Colaboração Crowdsourcing/funding Experimentação Teoria U/ Change Lab Agilidade Empatia Cultura Hacker Autonomia Reputação P2P
    • 13. Simplicidade Relevância Transparência Colaboração Experimentação Agilidade Empatia Autonomia Reputação P2P BEING BY DOING
    • 14. We achieve being through doing. Everyone is invited to work. Everyone is invited to play. Burning man festival: auto-organização que não deixa rastros
    • 15. Simplicidade Relevância Desenvolvimento ágil Transparência Colaboração Crowdsourcing/funding Experimentação Teoria U/ Change Lab Agilidade Empatia Cultura Hacker Autonomia Reputação P2P
    • 16. Simplicidade Relevância INDIVIDUALS AND INTERACTIONS Transparência Colaboração Experimentação Agilidade over processes and tools WORKING SOFTWARE over comprehensive documentation CUSTORMER COLLABORATION over contract negotiation Empatia Autonomia Reputação P2P RESPONDING TO CHANGE over following a plan
    • 17. UX Ca r d s É um baralho de m ét odos em desenvolvim ent o na plat aform a livre Corais [ 1] . At ravés do brainst orm ing colaborat ivo os UX Cards podem ser ut ilizados de diferent esm aneiras com a finalidade de resolver problem as de Design, planejam ent o de projet os em User Experience (UX) e revisão do workflow (processo de t rabalho). Os UX Cards são um a ót im a ferram ent a para discussão e planejam ent o do processo em m odo colaborat ivo: t odos podem sugerir m odificações e discut ir pont os im port ant es do processo de UX. Os UX Cards são classificados em 3 t ipos: Mét odo, Deliverable (ent regáveis) e Recurso. Cart as do t ipo Mét odo possuem input s e out put s. Os input s são o que é necessário para ut ilizar o
    • 18. Design thinking Simplicidade Relevância Desenvolvimento ágil Transparência Colaboração Crowdsourcing/funding Experimentação Teoria U/ Change Lab Agilidade Empatia Cultura Hacker Autonomia Reputação P2P
    • 19. Simplicidade Relevância EMPATIA Transparência + Colaboração Experimentação COLABORAÇÃO Agilidade + Empatia EXPERIMENTAÇÃO Autonomia Reputação P2P
    • 20. 3 pilares do Design Thinking É fundamental entender o que as pessoas pensam, dizem e sentem EMPATIA + COLABORAÇÃO + Co–criar é fundamental para combinar olhares e gerar ideias relevantes Prototipar é materializar ideias para serem compartilhadas e transformadas com agilidade EXPERIMENTAÇÃO
    • 21. D School Classroom
    • 22. Double diamond model
    • 23. DESCOBERTA Tenho um desafio. Como abordá-lo? INTERPRETAÇÃO Aprendi algo. Como interpretá-lo? IDEAÇÃO Vejo uma oportunidade. O que criar? EXPERIMENTAÇÃO Tenho uma ideia. Como realizá-la? EVOLUÇÃO Experimentei algo novo. Como fazê-lo evoluir?
    • 24. Design thinking Simplicidade Relevância Desenvolvimento ágil Transparência Colaboração Crowdsourcing/funding Experimentação Teoria U/ Change Lab Agilidade Empatia Cultura Hacker Autonomia Reputação P2P
    • 25. Simplicidade fazer com pouco, ser direto e claro, Relevância colocar foco no que realmente importa e tem significado para mim, Transparência mostrando o que eu faço, e como, Colaboração junto com pessoas que desejam o mesmo que eu (eu vou achá-las) Experimentação tentando, prototipando e errando o quanto antes, Agilidade para aprimorar tão rápido quanto possível junto com quem tem interesse e Empatia entender as necessidades e desejos que são a base do meu negócio, Autonomia me apropriar do que existe, mudar, recompor hackear deixando a minha marca, Reputação P2P para ser reconhecido pelas pessoas que eu admiro e ter sucesso financeiro, sim, também!
    • 26. EDUCAÇÃO
    • 27. Formação de timempreendedores: especialistas em explorar as melhores sticas de grupos de pessoas conectadas com um objetivo comum
    • 28. Minerva Project Ensino superior com o apoio da tecnologia e foco global. 4 anos Plataforma adaptativa e aulas em tempo real e via streaming. Avaliação contínua sobre o desempenho dos alunos. Os alunos trabalharão em grupos. Seguindo o princípio do flipped classroom, também assistirão videoaulas.
    • 29. Projeto colaborativo do novo plano diretor (junho 2013) Reflexão sobre o passado e o presente para desenhar o futuro. Como? A partir de encontros com um conselho consultivo composto por pessoas de diferentes áreas da educação, vivências com alunos e professores da ESPM e um workshop de co-criação com lideranças acadêmicas da ESPM. Objetivo: Criação de um documento de construção de futuro. http://vimeo.com/70084497
    • 30. FGV um desafio de design
    • 31. Boas Práticas 2012 Gestão de Projetos Gestão de Ambientes Multiculturais Estatística I Gestão de Operações Marketing nas Redes Sociais Making Decisions in the Absence of Clear Facts Ei! 2013 Aprender fazendo Fora da sala Modelagem de negócios (flipped) Estat I Pesquisa de Mercado e Estat TCC FIS
    • 32. While a failure to encourage small wins can mean missed opportunities, too many trivial projects are like seeds sown on stony ground – they might sprout, but they do not take root and grow into anything useful. (KANTER, 2006, pg.76). Citação selecionada pela aluna Fernada Lima em seu TCC: Manobrando o Transatlântico
    • 33. Qual o NOSSO plano??

    ×