Your SlideShare is downloading. ×
Comunicação fotografia-3
Comunicação fotografia-3
Comunicação fotografia-3
Comunicação fotografia-3
Comunicação fotografia-3
Comunicação fotografia-3
Comunicação fotografia-3
Comunicação fotografia-3
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Comunicação fotografia-3

774

Published on

Faz parte do Manual de ET!

Faz parte do Manual de ET!

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
774
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
39
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  1. FOTOGRAFIA Ao longo de 175 anos, a fotografia foi sinónimo de filme fotográfico sensível à luz e res- pectiva manipulação com quí- mICOS. Com o desenvolvimento do computador pessoal e a sua expansão, surgiu naturalmente a fotografia digital. As oportunidades criativas oferecidas pela manipulação digital da imagem permitem, nomeadamente, a impressão de fotografias em casa, o envio de imagens pela Internet e funda- mentalmente a obtenção de resultados imediatos. A ARTE DE ESCOLHER Quando duas pessoas observam uma paisagem, têm dela sensa- ções e pólos de atracção certamente diferentes, porque diferentes serão os sentimentos que as movem. É essa sensibilidade e leitura pessoal das coisas que muitas vezes interessa captar e transmitir, fazendo delas uma manifestação de arte. FOTOGRAFIA ~, ~, DIGITAL Máquina fotográfica digital Cartões de memória /<tf~ WiS Internet Antes de premir o botão de disparo da máquina, podem ser feitos exercícios visar da máquina: utilizando deslocando-a ao longo do motivo a fotogra- far, procura-se aquele que nos o ~ I •. Motivo fotográfico ~ Scanner Impressora parece ser o melhor ponto de Filme fotográfico: vista. Em resumo, devemos - a cores - diapositivos "pensar primeiro, fotografar ~ - a preto e branco88 depois." ~" ~ ,!" fotográfica analógica do filme Negativo d~ "-. Ampliador FOTOGRAFIA ANALÓGICA
  2. COMUNICAÇÃOA MÁOUlNA FOTOGRÁFICA DIGITAL A máquina fotográfica digital caracteriza-se fundamentalmentepor possuir um sensor de luz (CCD - Charge-Coupled Device ouCMOS - Complementary Metal-Oxide Semiconductor), um cartãode memória e um ecrã para visualizar a imagem. Quando a luz, com diferentes níveis de brilho, atinge o sensor, éconvertida em código digital e transferida para o cartão de memória. O sensor é o "coração" da máquina digital. Ele é composto poruma estrutura reticular e cada um dos elementos ou célula chama-sepíxel (Picture Elements). Quanto maior é o número de píxeis de umsensor (4 milhões, 6 milhões, etc.), melhor é a definição da imagem. 1IIIã!1 .~ ••• ~~< •• ~~:-:. li.;",> Objectiva Sensor --- .- II 110 s .I.:::JI~ ~ .. Cartão de " I Processador memória Motivo fotográfico Imagem 1 megapíxel corresponde a 1 milhão de píxeis.COMPONENTES FUNDAMENTAIS DE UMA CÂMARA FOTOGRÁFICA DIGITAL Botão de disparo Visar L Botão de controlo do zoam Botões de comando Objectiva zoam Flash 89
  3. CARTÃO DE MEMÓRIA As máquinas digitais usam cartões de memória para armazenar as imagens. Estes têm vários formatos (Compact Flash - CF; SmartMedia - SM; Memory Stick - MS; etc.) e são fabricados com capacidade de memória variável (16 MB a 8 GB). As fotografias armazenadas no cartão são transferidas para o com- putador e em seguida eliminadas para o cartão poder ser reutilizado. Definição da câmara em megapíxeis ro C 4MP 5MP 6MP 8MP o E Ql 128MB 54 35 32 29 til ro E <= o Ql ""Cl 256MB 110 73 69 61 f: ""Cl ro o lro .8 E "" -e 512MB 225 145 136 122 .E x ctl u Ql e c. 1 GB 446 279 265 245 ""Cl o ""Cl o ... ro .s Ql 2GB 892 558 531 495 ã:i ""Cl ro ctl E 2- ""Cl :::l Cartões de memória u 4GB 1784 1116 1062 1000 z ctl c. ro 2,1 MB 3,2MB 305MB 3.9MB u Dimensão do ficheiro (JPEG) A tabela junto permite ver o número aproximado de fotografias que é possível armazenar no cartão de memória, em função da sua capacidade, da definição da câmara e da compressão utilizada para guardar as fotografias. A aquisição de um cartão de memória deve ser feita de acordo com a definição do sensor da câmara. No quadro seguinte podemos ver a capacidade dos cartões de memória recomendados . • Insuficiente Suficiente • Recomendado Excessivo FILME FOTOGRÁFICO Apesar da grande popularidade da fotografia digital, o filme fotográfico continua a ser usado. Este é basicamente constituído por um suporte transparente, com uma face impregnada de uma substância sensível à luz (emulsão). - ------------- ----- ------------- - ---------- -- I Características dos filmes - , Tipo de filmes • o formato (depende do tipo de máquina) -135; 120; APS, etc. Preto e branco • o número de exposições - 12, 24, 25, 36, 40; • a sensibilidade (velocidade) - 50, 100,200,400 ISO, etc. Cores (negativo e diapositivo)90
  4. COMUNICAÇÃO Sensibilidade dos filmes (ISO) Baixa Média Alta 400 100 50 800 200 1600 A tabela apresenta os valores da sensibilidade no sistema ISO (International Standards Organization). Podemos considerar que o filme 200 ISO é duas vezes mais sen- sível à luz que o 100 ISO, pelo que necessita de metade do tempo de exposição para se obter o mesmo efeito. DIAFRAGMA E OBTURADOR As máquinas fotográficas são concebidas para captar a luz. O diafragma e obturador são dois mecanismos que permitem contro- lar a passagem da luz. A exposição fotográfica depende: O diafragma é um meca- • Da quantidade de luz que penetra pela objectiva nismo em forma circular que - valores do diafragma; permite a passagem de mais ou • Do tempo que o sensor ou filme está exposto à luz menos luz. - velocidade do obturador. f: 2.8 f: 4 f: 5.6 f: 8 f: 11 f: 16 Escala de aberturas do diafragma O obturador é um dispositivo que permite controlar o tempo de exposição do sensor ou filme fotográfico à luz. Escala das velocidades do obturador (tempo em segundos - Ex.: 60 corresponde a 1/60 do segundp).É conveniente utilizar um tripé quando se utilizam velocidades lentas (risco Velocidades utiliza- Velocidades úteis para imobilizar assuntosde fotografias tremidas). das para fotografar rápidos. Também se utilizam para fotogra-A posição B (pose) utiliza-se quando se pretende tempo de exposição longo de uma forma geral. far com teleobjectivas.(cenas nocturnas). 91
  5. A abertura do diafragma, a velocidade do obturador e as configurações permitidas pelo software da máquina fotográfica digital possibilitam fotografar com diferentes níveis de exposição. A maioria das câmaras apresentam um gráfico com valores de tons, chamado histograma, que permite uma análise da exposição. Sobreexposição Exposição correcta ---- I Subexposição Diafragma demasiado aberto e/ou velocidade Diafragma e velocidade do obturador Diafragma demasiado fechado e/ou veloci- do obturador lenta. adequados. dade do obturador rápida. I Histograma Histograma Histograma D gráfico com a mancha escura para a direita D gráfico com a mancha ao centro indica-nos D gráfico com a mancha escura para a indica-nos uma imagem clara. uma imagem normal. esquerda indica-nos uma imagem escura. PROFUNDIDADE DE CAMPO A profundidade de campo é o espaço antes e imediatamente depois do plano que focamos e que também se encontra focado. Plano de focagem l Profundidade de campo ..92
  6. COMUNICAÇÃO A profundidade de campo depende fundamentalmente da regula- ção do diafragma, mas também depende do tipo de objectiva e da distância a que o objecto se encontra da máquina fotográfica. Quando pretendemos que o assunto principal se destaque do fundo, utilizamos um valor de diafragma baixo, isto é, abrimos o diafragma. Na prática fotográfica, quanto mais fechado estiver o dia- fragma, maior é a profundidade de campo e quanto mais aberto estiver O diafragma, menor é a profundidade de campo. f: 2.8 f: 8 f: 16Esquema de profundidade de campoOBJECTIVAS ::"" -j!!, Para fazer as fotografias que se necessita, é necessário utilizar . I Ium determinado tipo de objectiva. Estas possuem uma caracterís- • grande-angular - 28 mmtica que se chama distância focal (em milímetros) e que as permite • normal- 50 mmdividir em três grandes grupos. • teleobjectiva - 300 mm 93
  7. As objectivas zoom possuem uma distân- cia focal variável entre duas medidas, por exemplo, 24-80 mm. Este tipo de objectiva é utilizado em praticamente todas as máqui- ." nas fotográficas. / Locais Retratos Devemos utilizar a objectiva de acordo TEMAS DIVERSOS 28_ROlllm com o tipo de imagem que pretendemos. 7----- ." -; ~ Festas :";. -~ _~--~-- .. ~ Tipo de objectivas de acordo com a utilização Programa de edição de imagem IMPRESSÃO, ARQUIVO E EDIÇÃO As fotografias digitais podem ser impressas Estes oferecem um total controlo e enorme liber- em casa ou num serviço de impressão profissio- dade criativa. nal, exactamente da mesma forma que as foto- O Photoshop, o Photoshop Elements, Paint grafias com filme fotográfico. Shop Pró, o Photo Paint, etc., são exemplos de O arquivo das fotografias digitais pode ser programas que contêm ferramentas que permi- feito no disco rígido do computador, em CD ou tem apagar partes da fotografia, recortá-la, rodá- em DVD. -la, ampliá-la, ajustar o contraste, corrigir e alte- . .. . Após a obtenção das imagens, estas podem ser rar as cores e ImpnmIr a Imagem. trabalhadas nos programas de edição de imagem.94
  8. COMUNICAÇÃO BORATÓRIO FOTOGRÁFICO Apesar do desenvolvimento da fotografia digital, continua ausar-se o laboratório para a revelação e ampliação de filmes. O laboratório fotográfico, também conhecido por quartoescuro, deverá estar dividido em duas áreas de trabalho: uma, paramanipular os produtos líquidos, onde se realiza a revelação - estaparte do laboratório deverá dispor de água corrente; a outra áreadestina-se aos materiais secos, isto é, ampliador, relógio, papéisfotográficos, etc.Equipamento de um laboratório 1- Lâmpada de segurança 23 - Pia com fundo plano para colocação de 2- Gráfico banheiras 3- Prensa para cópias por contacto 24 - Banheira especial para a lavagem de 4- Caixa de luz e conta-fios cópias 5- Bobina de filme 25 - Balde de lixo 6- Tanque para revelação à luz do dia e sua 26 - Toalha respectiva espiral 27 - Secadeira para papéis revestidos de 7 - Área para armazenamento de acessórios resina 8 - Estufa para a secagem de filmes 28 - Cortadeira rotativa Informação sobre fotografia: 9 - Visor com luz corrigida em função da cor 29 - Aparelho para montagem de cópias a10- Unidade para o controlo de temperatura seco www.fotopt.net por um termóstato 30 - Fichário para negativos e arquivo para11- Frigorífico diapositivos www.zonezero.com12- Banheiras e pinças sobressalentes 31 - Prancha de trabalho e acessórios diver-13- Área para armazenar materiais de pro- sos para recortar fotos manualmente cessamento 32 - Analisador de cor www.photo.box.sk14- Guia-estrela 33 - Janela vedada à luz15- Exaustor 34 - Relógio do ampliador www.superfoto.net16- Armação vertical para a secagem de 35 - Estabilizador de voltagem cópias 36 - Máscaras para queimar e proteger a www.computer-darkroom.co.uk17- Lâmpada de segurança ampliação18- Relógio 37 - Ampliador www.steves-digicams.com19- Tanques e espirais sobressalentes 38 - Marginador20 - Cilindros e jarras graduados 39 - Lupa de focalização21 - Relógio de parede 40 - Caixa vedada à luz para papéis fotossen- www.microsoft.com/windowsxp/22 - Banheiras para o processamento de síveis cópias digitalphotogra phy 95

×