Your SlideShare is downloading. ×
Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento
Osmorregulação
Definição: Conjunto de mecanismo...
Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento
Água salgada
Os animais que vivem num ambiente ...
Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento
Formação da urina
Filtração
os fluidos corporai...
Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento
 O volume de água do meio interno é regulado p...
Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento
HORMONAS VEGETAIS
Estímulos externos
- Todos os...
Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento
O ápice do coleóptilo controla o crescimento e ...
Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento
Processo de floração
A floração está relacionad...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Osmorregulação e hormonas vegetais

395

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
395
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Osmorregulação e hormonas vegetais"

  1. 1. Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento Osmorregulação Definição: Conjunto de mecanismos pelos quais são controladas as concentrações de sais e água no corpo. Animais osmoconformantes - animais marinhos cujos fluidos corporais estão em equilíbrio osmótico com a água do mar, isto é, a concentração dos fluidos corporais varia de acordo com a concentração da água do mar que os rodeia Animais osmorreguladores - são animais que têm a capacidade de controlar a pressão osmótica do meio interno face às variações de composição do meio externo. Estes animais podem ser, desde os peixes até aos mamíferos (grande parte dos animais vertebrados) Meio aquático Água doce Os animais que vivem em água doce têm fluidos corporais mais concentrados que o meio (hipotónico). Logo: 1 – Têm Tendência a ganhar água por osmose que ocorre sobretudo a nível das guelras. 2 – Para equilibrar a entrada de água, não bebem água; 3 – Eliminam grande quantidade de urina diluída (hipotónica); 4 – A grande quantidade de água da urina é favorecida pela presença de grandes glomérulos que aumentam a taxa de filtração e pela ausência de ansas de Henle, o que diminui a reabsorção; 5 – As perdas de iões ocorrem por difusão (hipertónico para hipotónico) 6 – são compensadas ao nível das branquias porque nestes órgãos existem células que reabsorvem sais por transporte ativo.
  2. 2. Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento Água salgada Os animais que vivem num ambiente marinho têm fluidos corporais menos concentrados que o meio (hipertónico). Logo: 1 – Tendência a perder água por osmose 2 – Captam sais por difusão; Para compensarem as perdas de água por osmose: 3 – Bebem muita água do meio, que contem muitos sais minerais; 4 – Retêm água no sangue reduzindo a filtração, possuindo glomérulos pouco desenvolvidos ou mesmo ausentes; 5 – Produzem uma urina hipertónica (pouca água e muitos sais); 6 – Eliminam o excesso de sais por transporte ativo e, células especializadas nas brânquias Meio terrestre aves marinhas Estes animais excretam ativamente o excesso de sal, através de glândulas nasais - Glândulas do sal. Répteis A tartaruga marinha é outro dos seres que excreta o excesso de sal através de glândulas situadas no canto dos olhos. As lagrimas das tartarugas são excreções das glândulas do sal. Sistema urinário humano Constituição: - 1 par de rins - excreção; - 1 par de ureteres – condução da urina - Bexiga – armazenamento da urina - Uretra – eliminação da urina - Orifício urinário
  3. 3. Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento Formação da urina Filtração os fluidos corporais são filtrados seletivamente através de membranas. Este processo está condicionado pelo tamanho das moléculas. Podem ser filtradas substâncias tóxicas (ureia) mas também moléculas úteis. Reabsorção Regresso ao meio interno, das quantidades adequadas, de substâncias anteriormente filtradas, mas que são úteis ao organismo. Secreção Segregação de substâncias do sangue para zonas dos órgãos excretores, já consideradas meio externo Processo: 1- Após a filtração que ocorre na capsula de Bowman, muitas das substâncias são reabsorvidas quer por difusão quer por transporte ativo. No tubo contornado proximal, a glicose e os aminoácidos, por exemplo, regressam á corrente sanguínea. O filtrado glomerular desloca-se para a ansa de Henle, que é a parte do tubo urinífero que se encontra na zona medular do rim. 2- As células da porção descendente da ansa de Henle possuem membranas impermeáveis aos sais e aos iões mas deixam-se atravessar pela água. Esta passa do tubo urinífero para o sangue por osmose. A saída de água faz aumentar a concentração do filtrado glomerular. 3- A porção descendente da ansa de Henle é agora impermeável á agua mas permeável aos sais e iões. Este vão fazer aumentar a P.O. do fluido intersticial. O tubo contornado distal volta a ser permeável a agua e com o fluido intersticial fora do tubo e muito concentrado, a agua vai sair do tubo urinífero por osmose, sendo reabsorvida ao nível do tubo contornado distal. 4- O filtrado passa para o tubo coletor, são reabsorvidas água e ureia. 5- Ao longo do tubo urinífero são secretadas certas substancias de modo a depurar o sangue e ajustar o PH.
  4. 4. Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento  O volume de água do meio interno é regulado pelo sistema neuro-hormonal. O hipotálamo segrega a hormona antidiurética (ADH) ou vasopressina e esta é armazenada na hipófise.  A hormona antidiurética (ADH) atua nas membranas das células dos tubos uriníferos, conferindo-lhes um aumento da permeabilidade à água, o que permite a sua reabsorção.
  5. 5. Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento HORMONAS VEGETAIS Estímulos externos - Todos os desenvolvimentos vegetais dependem dos estímulos externos à planta. As plantas respondem a esses estímulos sob a forma de: • Tropismos • Movimentos násticos ou nastias Tropismo - movimento da planta que envolve crescimento provocado por um estímulo ambiental. Pode ser: POSITIVOS – o movimento realiza-se em direção ao estímulo. Ou Pode ser: NEGATIVOS – o movimento realiza-se em sentido oposto ao estímulo. MOVIMENTOS NÁSTICOS OU NASTIAS – movimentos que não envolvem crescimento direcionado relativamente a um estímulo. A planta volta ao normal após o estímulo. Respostas das plantas a estímulos Estímulo –Tropismo -Nastia Luz- Fototropismo-Fotonastia Gravidade- Gravitropismo- ------------ Mecânico/toque -Tigmotropismo -Tigmonastia Temperatura- Termotropismo -Termonastia Químico -Quimiotropismo- Quimionastia Água -Hidrotropismo- Hidronastia Hormonas vegetais ou fito hormonas - Fatores internos de regulação das reações de desenvolvimento e crescimento das plantas; - Substâncias orgânicas; - São sintetizadas em certos locais da planta podendo ou não ser transportadas para outras regiões;
  6. 6. Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento O ápice do coleóptilo controla o crescimento e a resposta da plântula em relação à luz. Principais fito hormonas Auxinas:  Uma elevada concentração de auxinas promove o crescimento do caule e inibe o das raízes.  Promove a formação de raízes adventícias.  Impedem o desenvolvimento de ramos laterais  Estimulam o desenvolvimento de frutos e o início da floração…  Retardam a queda de folhas e frutos… Giberelinas o Promovem o alongamento dos caules. o Estimulam o desenvolvimento de frutos. o Promovem a germinação de sementes. o (…) Citocininas  Prolongam a vida de folhas´  Inibem a formação de raízes.  Estimulam o desenvolvimento de gomos laterais.  Estimulam a germinação de sementes.  (….) Ácido abcísico Estimula a formação de raízes. Bloqueia a germinação das sementes. (…) Etileno  Estimula o amadurecimento dos frutos  Promove a queda de folhas, frutos e flores.  (…)
  7. 7. Feito por: Diogo Alves, retirado de PPt feito pela prof. Sandra Nascimento Processo de floração A floração está relacionada com a duração relativa do dia natural e da noite, designando-se por fotoperíodo o número de horas de iluminação diária. Plantas de noite curta, equivalentes a plantas de dia longo: Florescem quando o período iluminado é superior ou igual ao fotoperíodo critico (número máximo de horas de obscuridade contínua para que ocorra floração). Florescem no Inverno, se o período de obscuridade for interrompido por um breve período de luz. Plantas de noite longa, equivalentes a plantas de dia curto: Florescem quando o período iluminado é inferior ou igual ao fotoperíodo crítico (número mínimo de horas de obscuridade contínua para que ocorra floração). Se o período de obscuridade for interrompido antes de ser atingido o período crítico, não ocorre floração.

×