Fabio e diogo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Fabio e diogo

on

  • 874 views

 

Statistics

Views

Total Views
874
Views on SlideShare
874
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Fabio e diogo Document Transcript

  • 1. Escola E.B.2/3 de Idães<br /> <br />Trabalho elaborado:<br />Fábio nº9 <br />Diogo nº13 <br />Para a disciplina de: <br />Área de Projecto<br />Idães, 2009<br />Índice TOC o " 1-3" h z u Escola E.B.2/3 de Idães PAGEREF _Toc248595463 h 1Introdução PAGEREF _Toc248595464 h 3Degradação do Solo PAGEREF _Toc248595465 h 4Várias medidas importantes para a degradação do solo PAGEREF _Toc248595466 h 5Agricultura sustentável PAGEREF _Toc248595467 h 6Agricultura orgânica PAGEREF _Toc248595468 h 7Imagens PAGEREF _Toc248595469 h 8Conclusão PAGEREF _Toc248595470 h 9Bibliografia PAGEREF _Toc248595471 h 10<br />Introdução<br />Eu e o Fábio escolhemos este trabalho, porque queremos saber mais sobre a agricultura e o solo. Este trabalho é para a disciplina de Área de projecto. Este trabalho também pode a vir a servir para outras disciplinas. Nós vamos falar sobre a degradação do solo; a agricultura sustentável e orgânica.<br />Degradação do Solo<br />Nos próximos 50 anos a humanidade precisará de uma quantidade maior de alimentos do que tudo o que foi produzido nos últimos dez mil anos, mas a degradação do solo pode impedir esse objectivo, segundo anunciou um grupo internacional de especialistas. Cientistas estiveram reunidos na Islândia para analisar os problemas que causam a degradação do solo na produção de alimentos, assim como sua relação com a mudança climática, a perda de diversidade biológica e o progresso social e económico das sociedades.<br />Andres Arnalds, subdirector do Serviço de Conservação do Solo da Islândia, falou á agência Efe sobre a importância da restauração do solo para lutar contra a mudança climática, e acrescentou que mais de 30% das emissões de gases que causam efeito estufa procedem da degradação do solo, como a erosão. Arnalds, que é também o presidente do comitê organizador da conferência solos, Sociedade e Mudança Global, acrescentou que a degradação actual sofrida pelos solos pode provocar que no futuro não sejamos capazes de produzir alimentos suficientes para a humanidade.<br />Segundo Arnalds, entre 1980 e 2000 a população mundial passou dos 4,4 bilhões de pessoas para a 6,1 bilhões. Ao mesmo tempo, a produção de alimentos aumentou 50%. Mas daqui a 2050 a população mundial aumentará outros 3 bilhões de pessoas, oi que significa que nas próximos cinco décadas a população de alimentos terá que ser maior que tudo o que foi produzido nos passados dez mil anos de história da humanidade.<br />O professor Zafar Adeel, director da Rede Internacional sobre Água, Meio Ambiente e Saúde - um organismo subordinado á Universidade das Nações Unidas com sede no Canadá – explicou que a degradação dos solos é algo que já está causando graves problemas em nível mundial. Praticamente em todos os continentes observamos a degradação do solo e a perda associada de produtividade, mas os problemas mais graves estão acontecendo na região subsaariana e na Ásia Central, especialmente nas antigas republicas soviéticas, disse Adeel.<br /> Várias medidas importantes para a degradação do solo<br />Não fazer uso da irrigação em solos que nunca deveriam tê-lo recebido;<br />Não eliminar a vegetação original para introduzir cultivos;<br />Voltar a adoptar legumes na rotação de cultivos.<br />Se estas medidas não forem tomadas, os que perderão serão o meio ambiente e as pessoas mais pobres do planeta. A menos que se detenham as forças destrutivas e se restaure a qualidade dos solos, em muitos lugares a produção de alimentos será uma crise crescente.<br />Agricultura sustentável<br />A agricultura sustentável prossegue três objectivos principais: a conservação do meio ambiente, unidades agrícolas lucrativas, e a criação de comunidades agrícolas prósperas. Estes objectivos têm sido definidos de acordo com diversas filosofias, práticas e políticas, tanto sob o ponto de vista do agricultor como de consumidor.<br />Refere-se, portanto, á capacidade que uma determinada unidade agrícola tem de continuar a produzir, numa sucessão sem fim, com um mínimo de aquisições do exterior. As plantas cultivadas dependem dos sais minerais presentes no solo, na água, no ar e na luz do sol como recursos para produzir o seu próprio alimento, através da fotossíntese.<br />Esse alimento é também a base da alimentação humana. Quando é feita a acolheita, o agricultor está a recolher aquilo que foi permitido á planta produzir com os recursos que tinha á disposição. Recursos esses que têm de ser repostos para que o ciclo de produção continue.<br />Caso contrário, existe a sua exaustão e a terra torna-se estéril. Ainda que a luz do sol, o ar e a chuva mantenham-se, praticamente, disponíveis na maior parte das localizações geográficas do planeta, os nutrientes pressentes no solo são facilmente exauríveis. <br />O próprio trabalho agrícola, executado pelo ser humano, de forma autónoma ou com ajuda da tração animal deve ser contabilizado nesta perspectiva de reciclagem energética, já que se pode supor que estes se podem alimentar exclusivamente do que é produzido na unidade agrícola. A aquisição de produtos ou serviços exteriores á unidade agrícola, como fertilizantes para as plantas ou combustível fóssil para máquinas reduz a sustentabilidade, já que torna a comunidade dependente de recursos não renováveis e pode incorrer em externalidade negativa. Quanto maior for a autonomia da unidade agrícola, ao não necessitar de aquisições exteriores no sentido de manter os mesmos níveis de produção, maior será o nível de sustentabilidade.<br />Agricultura orgânica<br />A agricultura orgânica ou agricultura biológica é o termo frequentemente usado para a produção de alimentos e produtos vegetais.<br />Os seus proponentes acreditam que num solo saudável, mantido sem o uso de fertilizantes e pesticidas feitos pelo homem, os alimentos tenham qualidade superior a de alimentos convencionais. Em diversos países, incluindo os Estados Unidos, o Japão, a Suíça, a União Europeia, a Austrália e o Brasil, a agricultura orgânica é definida por lei e regulamentada pelo governo.<br />Sistema de produção que exclui o uso de fertilizantes, agrotóxicos e produtos reguladores o crescimento, tem como base o uso de estercos de animais, rotação de culturas, adubação verde, compostagem e controle biológico de pragas e doenças. Esse sistema pressupõe a manutenção da estrutura e da profundidade do solo, sem alterar suas propriedades por meio do uso de produtos químicos e sintéticos. A agricultura orgânica está directamente relacionada ao desenvolvimento sustentável.<br />Imagens<br />Agricultura Orgânica<br />Agricultura Sustentável<br />Degradação do Solo<br />Conclusão<br /> Não foi muito difícil, encontramos o que queríamos e também ficamos a saber muita coisa sobre a agricultura orgânica e sustentável e a degradação do solo. Ficamos a saber o que nós temos que fazer para nós melhorar o nosso futuro.<br />Bibliografia<br />O nosso trabalho foi pesquisado nos sites:<br />http://burmannblog.blogspot.com/2007/09/degradao-do-solo.html<br />http://pt.wikipedia.org/wiki/Agricultura_sustent%C3%A1vel<br />http://pt.wikipedia.org/wiki/Agricultura_org%C3%A2nica<br />