Your SlideShare is downloading. ×
Contexto historico romantismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Contexto historico romantismo

9,282

Published on

By: Dilly Monnete .

By: Dilly Monnete .

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
9,282
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
66
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Contexto histórico da segunda geração do Romantismo brasileiro A segunda geração romântica brasileira vigorou durante o Segundo Reinado, umaépoca de revoluções e guerra no sul da América Latina. Mas para compreender asociedade que circundava os escritores românticos desta nova geração é preciso voltar oolhar para acontecimentos anteriores ao reinado de D. Pedro II. O primeiro e talvez mais importante destes acontecimentos foi a vinda da famíliareal portuguesa para o Brasil em 1808, quando nosso país ainda era colônia de Portugal.Não que D. João VI e Carlota Joaquina tenham servido de inspiração romântica, mas éque a vinda da corte portuguesa implicou em uma série de mudanças estruturais nascapitais do país - especialmente São Paulo e Rio de Janeiro, essa última então capitalnacional. A vinda da família real ocorreu em plena era napoleônica: Napoleão Bonaparteinvadia com seus exércitos grande parte dos países europeus, e havia declarado guerra àInglaterra; porém, o ataque à sua inimiga dava-se de modo mais sutil e eficaz: com oBloqueio Continental, o imperador francês decretava que seus países aliados estavamproibidos de comercializar com a Inglaterra, e Portugal era um desses países. Entretanto,os monarcas portugueses desacataram a ordem, enfurecendo Bonaparte, que ordenou ainvasão da península ibérica. Fugindo das tropas de Napoleão, a família real portuguesaveio para o Brasil, escoltada pela esquadra inglesa, firmando assim sua aliança com amesma. Dias depois de desembarcarem em solo americano, D. João VI assinou o decretoque abriu os portos brasileiros ao comércio com as nações amigas – entre elas aInglaterra. Como os ingleses estavam em plena revolução industrial, algumasmodernidades chegaram até aqui com a abertura dos portos – sem que, no entanto,ocorresse a efetiva industrialização do país. Além disso, foi no governo de D. João VI queas primeiras instituições de ensino superior foram criadas, além de fundadas a Academiade Belas-Artes, a Biblioteca Real e a Imprensa Régia, que iniciou a publicação do jornalGazeta do Rio de Janeiro. Muitas outras também foram criadas, porém as que forammencionadas é que têm relevância para o momento romântico brasileiro da segundageração. Se a primeira geração estava preocupada em definir o povo brasileiro, a segundapouco se importava como que acontecia no país, caracterizando-se por sua intensasubjetividade e alienação, isto é, fuga da realidade. Os autores ultrarromanticos eram, emsua grande maioria, jovens burgueses com idade próxima aos vinte anos, estudantes eboêmios, e os espaços que frequentavam eram justamente os salões da alta burguesia,onde compartilhavam textos uns com os outros e participavam de festas regadas abebida. Geralmente dirigiam-se para São Paulo para cursar Direito ou Medicina, e acidade oferecia poucas oportunidades de lazer. Longe da família e sem diversão, essesrapazes experimentavam um profundo isolamento, que incentivava seus escritos decunho saudoso e melancólico. Apesar de viverem na boêmia, os ultrarromanticos caracterizavam o sexo como acorrupção do Amor, e por isso idealizavam que tal sentimento só poderia ser plenamentevivido após a morte. Danielle Almeida Junho de 2012

×