Criação de Marcas e identidades visuais - Euripedes Guimarães

  • 4,237 views
Uploaded on

Apresentação do Professor Euripedes Magalhães no curso de E-branding - Criação de Marcas e identidades visuais.

Apresentação do Professor Euripedes Magalhães no curso de E-branding - Criação de Marcas e identidades visuais.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
4,237
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
339
Comments
2
Likes
6

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. EURIPEDES MAGALHÃES - @EURIPEDESMDesign de Marcas
  • 2. CRIAÇÃO DE MARCA E IDENTIDADE VISUALO que define umaidentidade visual?
  • 3. IDENTIDADE“Conjunto de características e circunstâncias quedistinguem uma pessoa ou uma coisa* e graças àsquais é possível individualizá-la”Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa
  • 4. PRA QUE SERVE IDENTIDADE VISUAL? IDENTIDADE VISUAL identificação interna identificação externa redução de custos incrementar vendas ATINGIR OBJETIVOS DO NEGÓCIOMarks of Excellence, 1997.
  • 5. PRA QUE SERVE IDENTIDADE VISUAL?• Individualidade da marca - diferenciação.• Expressar visualmente que tipo de organização o cliente é. (ex. formal x informal)• Transmite atributos da marca. (segurança, confiança, etc)• Conecta o cliente a imagens e ideias. (apple= cool! - Harley=potência - Volvo=segurança)• Consistência nos canais de comunicação (sistematização)• Torna a compra / memorização mais fácil para o consumidorJair Alves
  • 6. QUANDO PENSAR EM IDENTIDADE VISUAL?• Nova Empresa, novo produto, novo serviço.• Aquisição, Fusão• Reposicionamento• Novo mercado• Troca de nome• RevitalizaçãoJair Alves
  • 7. ANTES - DEPOIS
  • 8. INTERNET
  • 9. EM QUAIS MATERIAIS CONSISTEM A ID?• Símbolo• Logotipo• Cor• Tipografia• Aplicações (papelaria, catálogos, produtos, embalagens, frota, uniformes, etc....)Jair Alves
  • 10. ...E MAIS DO QUE NUNCA:
  • 11. QUAL É MINHA IDENTIDADE?
  • 12. CRIAÇÃO DE MARCA E IDENTIDADE VISUALIdentidade Corporativa
  • 13. IDENTIDADE CORPORATIVA“...Identidade corporativa é o que a empresa é. E isso é muitosério, tem implicações. Você não é tudo o que gostaria: temchulé, faz malcriações, acorda de mau homor. Uma empresatambém. Não conheço nenhuma que seja um ícone deidealismo virtuoso...”Lígia Fascioni
  • 14. IDENTIDADE CORPORATIVA“...o designer (e às vezes, nem isso) centraliza todo o seutrabalho na equivocada pergunta ‘qual a imagem que o senhorquer passar na marca da sua empresa?’, quando deveriacomeçar o trabalho questionando ‘quem é a sua empresa?’...”Lígia Fascioni
  • 15. DIFERENÇAS ENTRE IC E ID IDENTIDADE DESCRIÇÃO Conjunto de atributos intangíveis (psicológicos) Corporativa que definem quem a empresa é. É o sistema que traduz a identidade da empresa em termos visuais: define usos para cores, Visual símbolos, tipografias, formas e grafismos a serem usados para identificar visualmente a empresa.Lígia Fascioni, 2010
  • 16. ATRIBUTOS DE UMA MARCA IDENTIDADE DESCRIÇÃO Relacionados ao caráter, representam a essência Essenciais e praticamente não mudam. Sofrem apenas variações sutis de ênfase ao longo do ciclo de vida. Relacionados às manifestações físicas, materiais, Acidentais conjunturais. Mudam com frequência e se adequam às diversas fases do ciclo de vida da empresa.Lígia Fascioni, 2010
  • 17. ATRIBUTOS DE UMA MARCA“Quanto mais muda, mais é a mesma coisa.”Alphonse KarrA Profa. Dra. Lígia Fascioni acredita que para uma fusão ouaquisição funcionar, é preciso assegurar que as identidades dasempresas envolvidas sejam compatíveis.
  • 18. ATRIBUTOS DE UMA MARCA
  • 19. CRIAÇÃO DE MARCA E IDENTIDADE VISUALE o Digital?
  • 20. MARCAS NO MEIO DIGITALO design de marcas na era contemporânea deve pensar que ospixels são por vezes o suporte complementar da identidade epor vezes o suporte principal de apresentação da marca.E o meio digital não se resume obviamente à uma página web.
  • 21. DESIGN LÍQUIDONo livro “DNA Empresarial”, a Profa. Dra. Lígia Fascione falasobre a identidade líquida. Aqui podemos citar as “marcaslíquidas”.Líquidos, fluidos se adequam ao espaço onde são inseridos, seadequando as formas do espaço e adentrando profundamenteem todas as reentrâncias existentes.
  • 22. DESIGN LÍQUIDOTanto como nascer “offline” e se tornar “online”, a marca podesair do digital e partir para o físico, em expansões praticamenteinfinitas.Isso deve ser levado em consideração no design de marcas.Não é possível mais desassociar uma situação da outra.
  • 23. INTERFACEO design de marcas não é só o design para um símbolo gráficoque vai estar em algum site, mas também design para sistemasintegrados digitais e gráficos, onde essa marca tem que seexpandir coerentemente e integralmente.
  • 24. CULTURA DE CONSUMO DE DESIGNCulturalmente, o Brasil ainda não é um país acostumado aconsumir design de qualidade (não estou falando de designde carros).É papel do designer “educar” o cliente para que para que essacultura cresça e se solidifique.
  • 25. BRAINSTORM X ABORDAGEM METODOLÓGICAComo fazer design?
  • 26. O PROCESSO CRIATIVOMuitos profissionais divergem sobre a forma mais correta dedefinir uma estratégia, metodologia ou sequência de trabalhopara se definir o design de uma marca.
  • 27. EXPERIMENTAÇÃO “Não sei se existe a inspiração, mas se ela vier, vai me encontrar trabalhando”. Pablo PicassoRafic Farah
  • 28. CONCEITUAÇÃOO símbolo e o logotipo devem ter algum conceito relacionadoao tipo de negócio da empresa, deve refletir o que a marcaquer passar. Nike deusa grega da vitória. O símbolo desenhado por Carolyn Davidson, representa a abstração da asa de uma estátua desta deusa.
  • 29. BRAINSTORM X ABORDAGEM METODOLÓGICAProcesso Criativo
  • 30. “O norte do designer é a cultura” Claudio Ferlauto
  • 31. COMO SER CRIATIVOSegunda a Profa. Msc. e artista Martha Gabriel a criatividadeestá vinculada a bloqueios e preconceitos que fazem parte danossa formação cultural.Alguns fatores que inibem a criatividade segundo Martha.Gabriel, além da preguiça:• Rótulos• Riscos• Ego• Dinheiro• Ambiente
  • 32. COMO SER CRIATIVO• Veja muitas referências• Conheça o que o mercado está fazendo• Seja entusiasta• Pratique alguma atividade relacionada artes ou diversão (música, leitura, dança, teatro, cinema)
  • 33. CAMINHOS“A solução mora no problema”Rico LinsDados, dados, dados, pesquisa, pesquisa, pesquisa. Todas asinformações que forem encontradas são importantes, entendera IDENTIDADE CORPORATIVA vai ajudar no design da marca.Dados de planejamento, objetivos de branding, pesquisa decomportamento do consumidor, tendências do seguimento...
  • 34. PARA ANALISAR• Concorrentes• Mercado semelhante• Problemas da marca existente• Qualidades da marca existente• Objetivos primários e secundários
  • 35. PROCESSO CRIATIVO POR BRUNO MUNARI DEFINIÇÃO DO PROBLEMA • QUAL A FUNCIONALIDADE DO PRODUTO/SERVIÇO? • QUAL O OBJETIVO FINAL DESSE PRODUTO/SERVIÇO?
  • 36. PROCESSO CRIATIVO POR BRUNO MUNARI DF COLETA E ANÁLISE • EXISTE ALGO NO MERCADO? • QUAL O PÚBLICO? • O QUE JÁ FOI FEITO? • O QUE OBTEVE SUCESSO RELACIONADO A ISSO?
  • 37. PROCESSO CRIATIVO POR BRUNO MUNARI DF CD CRIATIVIDADE • PAINEL SEMÂNTICO • RELAÇÕES VISUAIS • RELAÇÕES MUSICAIS • CONCEITOS DE DESIGN
  • 38. EXEMPLO:PROBLEMA: Marca para empresa provedora de acesso webDEFINIÇÃO DO PROBLEMA: Apresentar a versatilidade da empresae sua agilidade de atendimento e qualidade de serviços
  • 39. EXEMPLO:COLETA DE DADOSPALAVRAS-CHAVE:Mundo, Internet, Conexão, VersatilidadeIMAGENS:
  • 40. EXEMPLO:SOLUÇÃO
  • 41. PROCESSO CRIATIVO POR MARIA LUÍSA PEÓN DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO DE PROJETO SOLUÇÃO PRELIMINAR TESTAGENS SOLUÇÃO PROJETO DAS APLICAÇÕES PRODUÇÃO DO MANUAL DE IDENTIDADE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA
  • 42. COMO BUSCAR REFERÊNCIASLivros, internet, amigos, pesquisas compradas, pontos devenda, qualquer experiência ajuda no processo.O painel semântico pode ser uma ótima ferramenta, pois criaum padrão visual que auxilia na percepção das relações entreos assuntos.• Anote tudo• Guarde tudo
  • 43. TÉCNICAS DO CAMPO SEMÂNTICOPainel Semântico
  • 44. “Criar é associar dadosnunca antes associados” Claudio Ferlauto
  • 45. PAINEL SEMÂNTICOSemântica é o estudo do significado da linguagem.O painel semântico é um guia de referências rápido, elepode ser formatado de diversas maneiras de acordo com anecessidade do projeto ou área de atuação.Ele pode conter:• Somente imagens (referências visuais)• Somente textos (conceitos e palavras-chave)• imagens e textos interrelacionados
  • 46. PAINEL SEMÂNTICO - EXEMPLOS PAINEL DE QUALIDADESFonte: http://1001cordeis.blogspot.com/2008/09/painel-semntico.html
  • 47. PAINEL SEMÂNTICO - EXEMPLOS PAINEL ICONOGRÁFICOFonte: http://1001cordeis.blogspot.com/2008/09/painel-semntico.html
  • 48. PAINEL SEMÂNTICO - EXEMPLOS EXPRESSÃO DO PRODUTO - REFERÊNCIAS VISUAIS - ESTILO DE VIDAFonte: http://www.arthursoares.com
  • 49. PAINEL SEMÂNTICO - EXEMPLOSFonte: http://fernandasegolin.wordpress.com
  • 50. PAINEL SEMÂNTICOhttp://www.youtube.com/watch?v=fDwRMmqAwV0
  • 51. CONSTRUINDO A MARCACores
  • 52. CORESNão é necessário citar a importância das cores, que envolveestudos longos e importantes, mas também ela é fatordeterminante na apresentação coerente dos conceitosaplicados na marca.Existem significados psicológicos para cores, Modesto Farinaem seu livro cita essas sensações e possíveis aplicações emdiversos meios.Exemplo do azul:• associação material: montanhas longínquas, frio, mar, céu, gelo, feminilidade, águas tranquilas• associação afetiva: espaço, viagem, verdade, sentido, afeto, infinito, sentimento profundo, meditação
  • 53. CORESLevar em consideraçãoCor RGB - TELACor CMYK - IMPRESSÃOCor Pantone - COR ESPECIALCada cor tem uma aplicaçãoespecífica, porém elas devemmanter a identidade emdiversos meios, por isso éimportante escolher cores ecriar cores que podem serfacilmente utilizadas tanto naweb quanto fora dela.
  • 54. CORESCom aplicações simples dos símbolos da marca e com umfoco grande nas cores, conseguimos identificar facilmente umaempresa.Marcelo Trevisani defende “Marca é a cultura e as experiênciasque residem na mente de cada consumidor a respeito de umproduto ou serviço de uma empresa.”.E as cores ajudam nesse processo.
  • 55. CORESO designer Alexandre Wollner defende o uso de poucascores na criação de marcas, para que seja facilmenteidentificada e para que seja mais prática e barata nosprocessos de impressão.
  • 56. CONSTRUINDO A MARCAA marca como símbolo
  • 57. SÍMBOLOAcredita-se que o sonho de cada marca é ser sintéticasuficiente para que o nome escrito da marca possa serexcluído.Obviamente isso vai depender da força da marca e quanto amarca está na mídia, depende da força que essa marca tem.Normalmente acontece com marcas mais antigas, mas hojeem dia já acontece com marcas que são usadas diariamente.
  • 58. Jair AlvesAlexandre Wollner
  • 59. SÍMBOLOOs símbolos são elementos identificadores que apóiamo conceito da marca e o representam, a partir dedeterminado momento podem se tornar até objetos dedesejo e compra.
  • 60. CONSTRUINDO A MARCATipografia
  • 61. A TIPOGRAFIA NAS MARCASTipografia vai além do simples desenho da fonte (caracteres),tipografia tem relação com a forma com que a LETRA ÉUSADA, isso engloba diagramação, uso das cores e um fortepensamento em linguagem visual.
  • 62. “A tipografia é acara da linguagem” Ellen Lupton
  • 63. TIPOGRAFIACom tipografia é possível trazer situações visuais queenglobem as sensações desejadas.Trabalhe pesos e formas de acordo com a necessidade.
  • 64. A TIPOGRAFIA NAS MARCASExistem muitas marcas que são criadas somente com tipos.
  • 65. Simplicidade!!!
  • 66. A TIPOGRAFIA NAS MARCASFontes têm história, a maioria delas foi criada com umpropósito industrial. • eixo humanista • terminais precisos • abertura grande • itálico equivalenteRenascentista, séculos 15 e 16 Barroca, século 17 • traço modulado • eixo racionalista • terminais em gota • terminais em botãoNeoclássica, século 18 Romântica, séculos 18 e 19Elementos do estilo tipográfico
  • 67. A TIPOGRAFIA NAS MARCASFontes têm história, a maioria delas foi criada com umpropósito industrial. • eixo vertical • serifas ausentes • peso igual • itálico ausenteRealista, séculos 19 e 20 Modernista geométrica, século 20 • traço modulado • eixo humanista • serifas oriundas da pena • serigas afiadasModernista lírica, século 20 Pós-moderna, século 21Elementos do estilo tipográfico
  • 68. A TIPOGRAFIA NAS MARCASDevemos lembrar que muitas fontes são feitas para a tela oupara a impressão.Devemos contar com o “hint” da fonte?E as telas de alta resolução? Helvetica Verdana Times Georgia
  • 69. A TIPOGRAFIA NAS MARCASHoje já é possível embedar fontes no html ou hospedara fonte em servidores específicos, que pode facilitar ouaté mesmo acabar com a necessidade de utilizar fontessubstitutas no html.
  • 70. TIPOGRAFIAUse famílias e suas variações na identidade visual.Se a fonte da marca for uma fonte específica, procure umafonte de apoio. Pode ser definida também uma fonte “display”para títulos e uma fonte mais voltada para leitura, texto.
  • 71. TIPOGRAFIA AJUDA, E MUITOhttp://www.youtube.com/watch?v=CAV0XrbEwNc
  • 72. A TIPOGRAFIA NAS MARCAShttp://www.youtube.com/watch?v=a2J8KJDsqqY
  • 73. TIPOGRAFIA AJUDA, E MUITOhttp://www.youtube.com/watch?v=Elo7WeIydh8
  • 74. CONSTRUINDO A MARCAConclusões
  • 75. CONCLUSÕESDevemos sempre levar em consideração:• contexto• conceito• aplicações• tecnologias• suportes• estética• coresMarca é a síntese dos conceitos de design e da empresa,aplicados em um signo gráfico visual.
  • 76. CONCLUSÕESE também é importante pensar:• tridimensionalidade• animações• materiais promocionais• sinalização• e muito maisPense globalmente (para tudo).
  • 77. MARCA DAS OLIMPÍADAShttp://www.youtube.com/watch?v=cFnL4eo2094
  • 78. DIGITALKSLinks úteis e bibliografia• Pensar com tipos - Ellen Lupton• Projeto tipográfico - Cláudio Rocha• Elementos do estilo tipográfico - Robert Bringhust• Sistemas de identidade visual - Maria Luísa Peón• Das coisas nascem coisas - Bruno Munari• Psicodinâmica das cores em comunicação - Modesto Farina• DNA Empresarial - Lígia Fascioni• Gestalt do Objeto - João Gomes Filho
  • 79. DIGITALKSLinks úteis e bibliografia• http://typekit.com• http://typeface.neocracy.org/examples.html• http://www.logodesignlove.com• http://logofaves.com• http://www.logomoose.com• http://logooftheday.com• http://www.logopond.com• http://38one.com/cleverblog
  • 80. DIGITALKSObrigadoweb: www.euripedes.com.brmail: euripedes@euripedes.com.brtwitter: @euripedesmMAIS:www.futurecast.com.brhttp://posmktdigital.wordpress.com/www.twitter.com/mktdigimpacta