Your SlideShare is downloading. ×
Arquétipos no consumo estruturado
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Arquétipos no consumo estruturado

2,747
views

Published on

Published in: Lifestyle

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,747
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
90
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Influência da estrutura psico & socio-genética sobre o consumidor Brasileiro
  • 2. Antropologia Cultural & Genética Estrutura Psicosocial Arqueologia Pós-Processual Cognitiva Estrutura Psicogenética Psicologia Jungiana Estrutura Arquétipa Semiótica
  • 3. Parte I
  • 4. Closet Masculino Closet Feminino
  • 5. Herança Genética Universal Soma total do conhecimento adquirido Mutações permanentes Mapeamento da cadeia de DNA
  • 6.
    • Instituto Nacional de Pesquisa do Genoma Humano (NHGRI), nos EUA
    • Instituto Sanger,
    • no Reino Unido
    Duração:13 anos Custo: 2,7 bilhões de dólares Participação : 16 centros de pesquisa, Em seis países,
    • 1990 / 2003
    • seqüência completa da cadeia de DNA
  • 7. Homens X Mulheres 24 cromossomas  22 + XX ou XY
    • Diferenças de percepção de cores
    • Diferenças genéticas
    • Gene OPN1LW localizado no cromossoma X.
    • As mulheres têm dois cromossomas X.
    • Os homens têm um cromossoma X e um cromossoma Y.
    • As mulheres têm duas cópias diferentes do gene “vermelho”,
    • Este gene pode ter muitas variações o que pode ajudar à percepção das mulheres do espectro vermelho-alaranjado.
    • O cromossoma X inativo contém 200 a 300 genes.
    • 15 por cento dos genes do cromossoma X inativo continuam a funcionar.
    • Para cada um, o nível de atividade varia extensamente de uma mulher à outra.
  • 8. 01 De Freud a Jung O Valor dos Arquétipos e sua influência sobre o comportamento 02 A importância da cor Análise da psicodinâmica & subsequentes reações
  • 9. Arquétipos reflexos do inconsciente
    • A palavra “Arquétipo" foi criada por Carl Jung, cuja teoria introduz o inconsciente coletivo.
    • Inconsciente Coletivo: memórias partilhadas de experiênbcias que se materializam em conceitos de heróis e heroínas que transcende o tempo, local e cultura.
    • Jung chamou estas personalidades recorrentes de arquétipos , da palavra grega a rchetypos , cujo significado é “primeiro deste tipo.” 
  • 10. Jung e o inconsciente coletivo
    • Arquétipos aflorando a superfície da consciência.
    • Imagens comuns a diferentes povos e raças remetendo a um incidente comum.
    • Semelhanças entre os mitos são o resultado da projeção do inconsciente coletivo, em vez do inconsciente pessoal, sobre o mundo externo.
    • Mito se origina e funciona para satisfazer a necessidade psicológica pelo contato com o inconsciente e não meramente para anunciar a existência do inconsciente, mas para nos deixar experimentá-lo.
  • 11. Imagens recorrentes
  • 12. Unidade Cultural
  • 13. Importância da Cor
    • 80% informação visual = cores.
    • Gostar ou não: 90 segundos de visão inicial
    • 62% e 90% = cor.
  • 14. Cor e Marketing
    • Freudianos:
    • tons das cores = função fisiológicas
    • Jungianos:
    • Uma resposta à cor muito mais complexa
  • 15.
    • 1950
    • Lava roupas Cheers.
    • Partículas coloridas.
  • 16. Antropologia Social & Evolutiva
    • O Nascimento do Consumismo & Estrutura de Classes Sociais
    A Importância da Psicogenética (estrutura da personalidade)
  • 17.
    • A MODA COMO SÍMBOLO
  • 18.
    • A moda no Neolítico
    • 30.000 a 3.000 anos
    Despertar das Tendências de Moda
  • 19. Moda & Sociogenética (estrutura da Sociedade)
  • 20. Expressão Política & Moda Controle Social Parte II
  • 21. Pensamento Primitivo:
    • Reconhecimento do relacionamento causa e efeito.
    • Incapacidade de compreensão da existência de uma casualidade impessoal, mecânica regida por leis da física.
    • Procurar, não pelo “Como?” mas sim pelo “Quem?”
    • Inexistência do mundo inanimado!
  • 22. A moda era ditada por regras imutáveis, decretadas por místicos, filósofos e sacerdotes . Mundo
    • Cosméticos: raça
    • Jóias: amuletos
    • Cores na arquitetura: contavam histórias.
    • Decoração abstrata: vida ou morte.
  • 23. Reestruturação Sociogenética Célula unificada. Verticalização. Intimidade familiar. Importância do Status Quo comunitário. Bens para o futuro Status Quo tribal.
  • 24. Henrique VIII (1509) & Hampton Court
    • Cardeal Thomas Wolsey primeiro adquiriu uma mansão relativamente pequena em 1514, e construiu um magnífico palácio em torno dela.
    Henrique VIII adquiriu Hampton Court, e começou seu próprio programa de construção de ostentação.
  • 25.
    • Nascimento do comércio moderno.
    • Estrutura Social + Idade Média = consumo seletivo.
    • A estrutura de consumo moderno foi instigada e perpetuada pelos Tudors, no século XVI, como meio de controlar a nobreza = surgimento da Corte.
    • Centralização do Poder X Governo em ciclo nômade.
    Século XVI
    • Individualização
    • Controle Emocional
    • Disputa Intelectualizada
    Elizabeth I (1558) “ Coração e estômago de um Rei!” Reestruturação Social ,
  • 26. Leis Suntuárias
    • Multa
    • Perda de propriedades
    • Perda de título
    • Condenação à morte
    • Estilos + Tecidos + Cores + Ornamentos
    Penalidades:  15 de Junho de 1574 Duquesas; marquesas e condessas: Tecidos finos; tecidos dourados; peles ou zibelina  Vestidos; saias; golas; mangas. Viscondessas, baronesas (acima ou igual ): Tecido dourado; prata; cetin com ouropel; seda; tecido misturado ou bordado com ouro, prata ou pérolas, com trabalhos de seda misturada com ouro ou prata  (acima)  Forro de capuz, saia e mangas (igual)  Saias e mangas
  • 27.  
  • 28.
    • Início do século XIX
    • George Byran “Beau” Brummell
    • Final do século XVIII
    • Revolução francesa
    Início do século XX Musica , dança, esportes, hobbies, arte
  • 29. 1990 2000 2005 2007 1950 1960 1970 1980 Culto a Imagem .
  • 30.  
  • 31.  
  • 32.  
  • 33. Produtos, Marketing & Consumidor Arquétipos & Proto Linguagem Parte III
  • 34. Designer holandês baseado em Londres Produtos com apelo arquetípico cultural
  • 35. Arquétipos + Psicogenética = Consumo
    • Marija Guimbutas – arqueóloga
    • Estudo psicosocial da Europa Paleolítica
    • Proto Escrita
    • Cultura Matrilinear
    • Respostas arquetípicas
    • Transposição de símbolos
    • Consumo psicogenético
  • 36. Zig Zag  símbolos antropomórficos, pássaros, peixes e imagens fálicas . Água. Força Generativa. A humidade feminina, o fluído aminiótico Espirais, Serpenteios, Redes e o Xadrez  Deusa Pássaro. Humidade generatrix. Céu e a Terra Regeneração da natureza .
  • 37. Rede  Cosmogonia aquática, fonte da vida, nascimento humano, animal e vegetal. Substância embriônica. Útero divino. Poços e fontes sagradas . Deusa Jovem  Senhora das Fontes
  • 38.  Água. Abundância e benevolência 3 Listras Paralelas  Força múltipla que flui do corpo da Deusa. Energia para criar, manter e regenerar a vida. Círculos estriados  Olhos divinos da Deusa, Ritos da primavera e verão. Centralização e fonte da vida. Deusa Mulher  Deusa Pássaro
  • 39. 2 paralelas, triangulos e losangos com um ou mais pontos  Deusa Madura, fértil. Gravidez , Fertilidade; potência, abundância e multiplicação, ligados a perpetuação da vida e a sua preservação.
  • 40.  Aquela que dá a vida, que tudo sabe, a Guardiã da Água e do Leite da Vida.Divina Fonte Generatrix. Energias da serpente, a água e o sol. Existência e manutenção da vida. Símbolo Seminal  exultação da vida terrena; criação da vida, fertilidade, abundância; regeneração da energia vital. Força vital ascendente; árvore da vida; fertilidade, abundância e riqueza . Familia, lar. Deusa Terrível  Deusa Serpente
  • 41. Útero cósmico fonte das águas da vida O brotar das águas divinas Geração da vida Deusa da Montanha, Senhora dos Animais.
  • 42. Ovo Cósmico. Regeneração; recriação; transmutação. É a força da vida sendo criada. Renovação perpétua.
  • 43. Parte IV
    • Definição de Código Cultural = Base de Comportamento de Consumo
  • 44. Brasil: a cultura adolescente
    • América
    • Europa
  • 45. Amor - Sedução – Sexo Divertimento!
  • 46.  
  • 47. MULHERES Sair para brincar Fazer compras Ir às Compras
  • 48. HOMENS
    • Boys and theirToys
    Sair para barganhar
  • 49.
    • Cada elemento de uma cultura tem um Arquétipo e a forma dos membros de uma cultura de interpretar um dado arquétipo é chamado de Código.
    • O arquétipo cultural e seu código pode ser vistos como uma fechadura e a chave para abri-la.
    • Aumento feminino no mercado de trabalho
    • Abertura de novo mercado na China
  • 50. Arquétipos no Consumo
    • Pesquisas desenvolveram conjuntos das características de personalidade em torno das quais a maioria das marcas tendem a se aglutinar.
    • Algumas das abordagens usadas hoje são baseados em teorias do psicólogo Carl Jung, que acreditava que todos os seres humanos possuem e filtram relações através de um conjunto de "arquétipos" que são parte de nossa psique humana.
  • 51.  
  • 52.  
  • 53. Hades Senhor do Submundo Hécate, Mãe Terrível Senhora das Serpentes. A destruidora.
  • 54.
    • Personagens arquetípicos ou arquétipos de clientes são representações extremas ou dramatizadas da idéia que os clientes fazem de determinados “tipos”.
    • Bastante eficaz para o desenvolvimento de marca e desenvolvimento de tema no marketing.
    Existem basicamente três tipos de arquétipos de clientes:
  • 55.
    • Temas arquetípicos são extremas ou dramatizadas representações de problemas ou preocupações, como os “instituições rebeldes " ou "conectores social".
    • Valores arquetípicos são representações extremas das coisas a que são atribuídos valores positivos ou negativos, como "profundamente leal", "confiança" e "incerteza".
  • 56.
    • Cenários arquetípicos são os cenários ilustrativos de situações de tomada de decisões, tais como "o medo da incerteza”, dúvida.
    • Considera a possibilidade de relações arquetípicas ("adversários de respeito"); intenções ("preocupação fingida"), mudanças ("mudança radical", “perigo crescente") e heurística (" passo para trás e olhar a imagem toda").
  • 57. Panorama do Consumo no Mercado Brasileiro O Brasil é o país mais atraente para os investidores de moda e vestuário. Esta é a conclusão da pesquisa de de A.T. Kearney consultoria, que comparou 30 países emergentes nas áreas de perspectiva de mercado de crescimento e riqueza dos consumidores. Parte V
  • 58.
    • Brasileiros gastam mais com moda de melhor qualidade que qualquer outro país pesquisado.
    • Consumidor brasileiro gasta, em média, US$402 anuais com vestuário. Esse valor é seis vezes superior ao dos chineses, por exemplo, embora esse mercado ponha em movimento US$84.000 milhões, enquanto o Brasil move em torno de US$ 37,2 bilhões.
    • O consumidor brasileiro compra vestuário (em parcelas), com uma frequência muito maior do que qualquer outro país emergente.
    Perfil de Consumo no Brasil
  • 59. Brasil = mercado arquetípico?
    • Louis Vuitton: o Brasil é responsável por 70% das vendas da América Latina;
    • Tiffany: o Brasil é campeão de vendas na América do Sul;
    • Giorgio Armani (São Paulo): # 2 em vendas a nível mundial;
    • Emporio Armani: vendeu o estoque de 4 meses nos 10 primeiros dias.
    • M.A.C. cosmectics: vendeu o estoque do mês inteiro no primeiro dia.
    • Victoria’s Secret (FreeShop GRU): campeã mundial de vendas.
  • 60.
    • O Homem e Seus Símbolos – Carl Gustav Jung
    • A Grande Mãe – Erich Neumann
    • História da Origem da Consciência - Erich Neumann
    • Mitologia na Vida Moderna – Joseph Campbell
    • A Imagem Mítica - Joseph Campbell
    • O Herói de Mil Faces - Joseph Campbell
    • Intellectual Adventure of Ancient Man - Henri Frankfort
    • Psicodinâmica das Cores em Comunicação – Roberto Farina
    • Color and Human Response – Faber Birren
    • Color Enviroment and Human Response – Frank H. Mahnke
    Contato Patrícia Douat Garcia (011) 9485-2396 [email_address] Obrigada pela atenção!

×