Suplemento EFR Jornal OJE
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Suplemento EFR Jornal OJE

on

  • 1,334 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,334
Views on SlideShare
1,334
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
20
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Suplemento EFR Jornal OJE Suplemento EFR Jornal OJE Document Transcript

  • empresas SUPLEMENTO COMERCIAL 15 de Dezembro de 2010 familiarmente responsáveis A SUA FAMÍLIA MERECE MAIS!Entrevista a Fátima Carioca Santander é primeira“Empresa Familiarmente empresa comResponsável é aquela que encara certificação EFRa família como mais um parceiro” em PortugalPág. VI Pág. X
  • familiarmenteII QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 empresas responsáveisempresas familiarmente responsáveis A SUA FAMÍLIA MERECE MAIS! ela primeira vez, um suplemento do âmbito. “O espírito deste premio é promover as aumento da produtividade e da motivação dos Coordenação Paulo Corrêa de Oliveira pcoliveira@oje.pt P OJE vai conter a palavra Família escrita em todas as situações com a primeira letra maiúscula. Ao dedicar um suple- mento ao tema Empresas Familiarmente Responsáveis, o OJE dedica tempo e espaço a um práticas familiarmente responsáveis e, desta for- ma, aumentar o bem estar social, demonstran- do ao mesmo tempo que o equilíbrio família/tra- balho contribui para uma melhor performance das empresas”, explica Rosa Soares, que consta- colaboradores não será, certamente, indife- rente, a performance económica da própria empresa. À vertente económica há que acrescentar ou- tras. Um dos benefícios sociais mais massificado dos temas que mais afecta a vida do mundo ta uma evolução muito positiva da postura das nos últimos tempos prende-se com os seguros de empresarial, daqueles que a concretizam todos empresas, “impulsionada não só em razão da saúde, muitas vezes, com extensão ao agregado os dias e daqueles que vivem e sofrem por conta entrada das novas gerações no mercado do tra- familiar, que permitem ao colaboradores Arte desse suporte à economia. Porque a vida de uma balho, como também pela formalização de boas usufruir de cuidados de saúde privados para si e empresa não se reflecte somente na vida dos práticas informais já existentes nesta matéria”. para os seus. Além de contribuir para a saúde do seus colaboradores, mas também de todos os fi- colaborador e da sua família, a empresa sabe que Carlos Hipólito lhos que só brincam com os pais à noite e em MOTIVAÇÃO E PRODUTIVIDADE está a prevenir o absentismo e, logo, a aumentar dias de folga, de todos os pais e irmãos que só Mas também aqui existem ainda muitos dese- a sua produtividade. Marta Simões almoçam com os seus familiares em dias fes- quilíbrios. Apesar de nem sempre se tratar de Na promoção da natalidade e de apoios aos tivos, de todos os amigos que só convivem ao uma questão de poder económico, pois para estudos, as empresas estão a proporcionar mais fim-de-semana, suportando todos o humores, muitas ideias bastará um espírito aberto e qualidade de vida às famílias portugueses, com alegrias e tristezas que os dias de trabalho vão empreendedor, acabam por ser as empresas de repercussões óbvias na serenidade do colabo- Fotografia imprimindo aos colaboradores de diferentes maior dimensão as primeiras a implementar rador e, em última instância, no contributo para empresas. boas práticas para a promoção de um equi- o futuro do país. Victor Machado Sendo Dezembro um mês especialmente de- líbrio entre a vida familiar e profissional dos E, em tempos de crise, os desafios aumentam dicado à Família, quis o OJE destacar as boas seus colaboradores. É certo que são também também para as empresas na sua postura de práticas já implementadas em várias empresas estas grandes empresas que congregam defesa das famílias. Algumas práticas começam, para promover um maior equilíbrio entre a vida números mais elevados de colaboradores, pelo discretamente, a ser implementadas. “Há já pessoal e profissional dos seus colaboradores. Os que o impacto de cada medida abrange um empresas que têm gabinetes de apoio aos colab- Área Comercial exemplos são muito diversos e incluem subsí- maior número de pessoas de cada vez que é oradores que prestam ajuda na resolução de dios de apoio à natalidade ou aos estudos, implementado um novo projecto. Nas empre- problemas/situações que resultam ou se Jorge Tavares d’Almeida - 217 922 092 seguros de saúde ou de vida, acções de formação sas de menor dimensão não tem sido tão fácil agravam em resultado da crise económica”, con- para familiares dos colaboradores, promoção do encontrar bons exemplos de práticas familiar- firma Rosa Soares, da Deloitte. Paulo Corrêa d’Oliveira - 217 922 097 teletrabalho ou flexibilidade de horário, entre mente responsáveis. Ou porque a dimensão Mas muito mais há ainda a fazer pelas mães muitos outros. Os especialistas contactados pelo reduzida da empresa já permite alguma flexi- trabalhadoras, pelos pais trabalhadores e pelos OJE confirmam também que a preocupação bilização na relação com os colaboradores ou filhos desses trabalhadores. Em matéria de com estes assuntos ganha cada vez mais espaço porque as margens do negócio estão de tal creches nas empresas, Portugal é quase um Morada no seio das empresas, geralmente integrando forma esmagadas que os empresários temem deserto. Muitos pais saberão, neste momento, políticas de Responsabilidade Social, que se ref- os efeitos do absentismo de um ou outro recur- o que custa a si aos seus filhos colocá-los na Atrium Saldanha, Prç. D. de Saldanha, lectem não só na vida dos colaboradores, mas so humano na produtividade diária. Mas tam- creche de manhã cedo, ir buscá-los demasiado também em projectos de âmbito social e ambi- bém aqui a experiência daqueles que já imple- tarde para as suas saudades e ainda suportar onº1, 3º andar, fracção F, 1050-094 Lisboa ental. “O equilíbrio trabalho/família torna as mentaram práticas familiarmente respon- pagamento das mensalidades. Que diferença pessoas mais felizes e, como tal, mais motivadas sáveis poderá servir de inspiração a quem não não faria ter uma creche na empresa! Tel: 21 792 20 70 Fax: 21 792 20 99 para produzir e cumprir metas”, confirma Rosa o fez. São constantes as referências a colabo- Em vésperas de mais um Natal, sublinhe-se Soares, partner da Deloitte, empresa que desen- radores mais motivados, mais empenhados, o desejo de mais tempo para as famílias. As Email: geral@oje.pt volveu, em conjunto com a AESE, o estudo “Em- mais disponíveis e mais produtivos. A satis- empresas podem ajudar a dar esse presente a presas Familiarmente Responsáveis” e que atri- fação no trabalho diminui também a rotativi- todos os seus colaboradores. E que os bons buem, em conjunto, os prémios para as empre- dade de trabalhadores, reduzindo custos de exemplos já implementados sirvam de exem- sas que se destacam por boas práticas neste contratação e formação de novos recursos. E ao plo a outros tantos, por esse país fora...
  • empresas familiarmente responsáveis QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 IIIPT PREMEIA MÉRITO ESCOLAR ncentivar a formação escolar contou com 900 crianças inscritas nas inclui rastreios diversos na área daI dos filhos dos colaboradores, premiando os melhores alunos, é uma das vertentes do progra-ma “é consigo!” que a Portugal Tele-com implementou, procurando dispo- suas colónias de férias, o que permite aos pais continuar a trabalhar en- quanto os seus filhos se divertem nas férias, devidamente acompanhados. Estão também previstos cursos no Saúde, provas desportivas, acesso a sessões de âmbito cultural, além de alguns passeios organizados pela empresa. Para cumprir a vertente Celebrar, a PT decidiu oferecer umnibilizar um conjunto de apoios para estrangeiro para o fomento da apren- presente a cada colaborador pelamelhorar o dia-a-dia das Famílias de dizagem de uma língua estrangeira, ocasião do nascimento de um filho.todos aqueles que dão corpo ao univer- tendo já no passado decorrido cursos Organiza também festas de Natalso PT. O programa está dividido em de inglês em Inglaterra e na Irlanda. para os filhos dos colaboradores, quequatro áreas (Crescer, Apoiar, Acção e Aconselhamento presencial e tele- se repetem em Junho, no Dia MundialCelebrar), acompanhando diversos fónico, voluntariado, formação e da Criança. Foi também lançado omomentos da vida dos colaboradores. apoios económicos estão contempla- projecto “Um Dia na Empresa”, que Na área Crescer, o programa inclui dos na área Apoiar do programa “é prevê o acolhimento da criança nosubsídios de estudo, apoios para cri- consigo!”, tendo a PT recebido só no local de trabalho dos pais duranteanças com necessidades educativas ano passado mais de 1100 pedidos de todo um dia de jornada, para que estaespeciais, prémios de excelência para aconselhamento. Contou também a contacte com o ambiente em que osos melhores alunos e ateliers de ocu- participação de 600 colaboradores em pais trabalham e se sinta mais famili-pação de tempos livros para os perío- acções de voluntariado. arizada com as conversas que escutados de férias escolar. Só em 2009 a PT Na vertente de Acção, o programa em casa sobre a profissão dos pais. PUB(Também) andamos a pensarnas nossas Famílias…OPINIÃOPEDRO RAMOSO EQUILÍBRIO entre a vivência profis- hamento das diferentes situaçõessional e familiar representa hoje um detectadas tendo em vista a respectivados maiores desafios na gestão do capi- resolução, a qual só se torna possíveltal humano. Se até aqui as empresas se graças a um conjunto de parceriasempenhavam activamente na estrutu- estabelecidas para o efeito.ração de carreiras e na máxima poten- A nossa ideia é continuar a pro-ciação das capacidades de cada profis- mover a redução do absentismo nasional, hoje é necessário ter uma visão CARRIS proporcionando aos colabo-mais global do indivíduo na sua envol- radores meios e “respostas” para a res-vente social, destacando-se neste âm- olução dos seus problemas de formabito, como factor primordial, a Família. proactiva, alguns dos quais estão A realização humana passa pela directamente relacionados comsimbiose “perfeita”, ou quase, entre as questões familiares, dos cônjuges, paisconquistas profissionais e familiares, e ou filhos, podendo a resolução destaspara isso é fundamental a intervenção questões constituir uma melhor edos departamentos de gestão do capi- mais eficaz focalização no desempen-tal humano, proporcionando as condi- ho profissional.ções para esse equilíbrio, ao mesmo Para empresas como a CARRIS, quetempo que geram uma relação de já têm uma longa história de orien-maior empenho profissional e de con- tação para uma cultura assente emdições excepcionais para a retenção do meritocracia, focalização no cliente etalento. na responsabilização dos colaborado- Na CARRIS acreditamos que o bom res pela “imagem da Empresa” juntodesempenho profissional está forte- dos seus clientes, e dos lisboetas emmente relacionado com o bom ambi- geral, é muito importante fornecerente familiar pelo que, para além de aos colaboradores meios e respostas,um conjunto de práticas de Gestão das em tempo útil, na resolução de deter-Pessoas tendo em vista potenciar a minadas questões de natureza pessoalconciliação entre a vida pessoal e a e familiar que poderão constituir,vida profissional (já em curso), foi grandemente, um entrave na prosse-recentemente desenvolvido o Projecto cução dos seus objectivos individuais e“APOIO +”! Trata-se de um projecto organizacionais.que visa promover o apoio psicossocialaos colaboradores da CARRIS e às suasFamílias, através de acções de levanta- Director de Gestão de Pessoas emento, enquadramento e encamin- Capital Humano da CARRIS
  • familiarmente IV QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 empresas responsáveisEntrevista a Leonor Centeno, Social Responsability Manager da SGS ICS - Portugal“CERTIFICAÇÃO MELHORAREPUTAÇÃO DAS EMPRESAS”As organizações com certificação EFR conseguem transmitir uma imagem de compromissocom os colaboradores e com a sociedade, garante Leonor Centeno, Social ResponsabilityManager da SGS, um mês depois de ter atribuído a primeira certificação EFR em PortugalHá quanto tempo a SGS ICS dispõe de talentos aumenta significativamentecertificação para empresas familiar- a produtividade das organizações, Modelo EFR (para média / grande empresa)mente responsáveis (EFR)? sendo este um dos maiores objec-A SGS ICS é o organismo certificador tivos das mesmas. Simultaneamente, Políticas e Medidas efrdo Grupo SGS em Portugal e disponi- as organizações conseguem me- Projecto Objectivos de Melhoria efr Suportesbiliza a certificação do modelo de ges- lhorar e reforçar a sua reputação no e Planificação - Organizativostão de conciliação e igualdade (empre- mercado, transmitindo uma imagem E - Processos - Indicadoressas familiarmente responsáveis - EFR) de compromisso com os colabora- S - Registos e evidenciasdesde Março de 2010. É o único orga- dores e com a sociedade, através da Tnismo certificador em Portugal que implementação e certificação do R - Planos e programasestá qualificado pela ‘Fundación Más- modelo de conciliação e igualdade de Desenvolvimento - Formação e sensibilização A e implementção internaFamília’ para realizar as auditorias de oportunidades. - Comunicação internacertificação. A ‘Fundación MásFamí- Tlia’ é uma referência na conciliação e O que é hoje, para si, uma empresa Eigualdade de oportunidades em paí- familiarmente responsável? Gses como Espanha, Portugal e Brasil, O conceito de Empresa Familiarmen- I - Controlo, Seguimento e Mediçãoonde empreende esforços para alterar te Responsável corresponde a um A Acompanhamento e Medição de Resultados - Auditoria Internao modelo actual de trabalho e favore- novo paradigma de gestão empresari-cer a conciliação da vida profissional, al, que assume a conciliação da vida Epessoal e familiar. familiar e profissional, assim como a F A Certificação EFR baseia-se no re- igualdade de oportunidades e o apoioferencial efr 1000 e foi concebido com à família, como valores inerentes e R - Auto-avaliação Avaliaçãoo objectivo de apresentar uma meto- integrantes da sua cultura e missão, de Resultadosdologia simples e eficaz de gerir os criando vantagens competitivas atra-processos de conciliação nas organiza- vés de uma liderança e gestão ade-ções. quadas.Que critérios tornam uma empresaelegível para certificação neste Processo de Certificaçãoâmbito?O modelo de gestão EFR pode ser im-plementado por qualquer tipo de en-tidade, quer seja uma empresa públi-ca ou privada ou uma organizaçãosem fins lucrativos, pois visa a concil-iação e a igualdade no trabalho. O conjunto normativo ‘efr 1000 –modelo de gestão de conciliação eigualdade’ contém requisitos parapequenas (efr 1000-2) e médias/gran-des entidades (efr 1000-1). As enti-dades que queiram certificar o seumodelo de gestão EFR, deverão imple-mentar uma metodologia específica(ver quadro). O modelo de gestão EFR deverá sermonitorizado, medido e avaliado parapoder ser avaliada a sua eficácia e per-mitir a melhoria contínua do mesmo.Uma das particularidades do sistemade gestão EFR, que o diferencia dos concluído, e já com o certificado de Como tem evoluído a procura deoutros sistemas de gestão conhecidos conformidade emitido só o Banco pedidos de certificação? Acredita que(Qualidade, Ambiente ou Segurança), Santander Totta, contudo há mais or- este é um tema cada vez mais pre-é a definição e implementação das ganizações que estão em processo de sente no mundo empresarial?políticas e medidas efr, que deverão certificação. Como o referencial efr Tem sido notório um interesse cres-contemplar temas como: a qualidade 1000 de 2008, foi concebido, desenvol- cente por parte das organizaçõesno local de trabalho, o apoio à família vido e implementado inicialmente em nacionais, em se diferenciarem pelados colaboradores, o desenvolvimen- Espanha, naquele país já existem mais conciliação trabalho-família, e emto e as competências profissionais e a de 200 certificações atribuídas. A certi- particular através da certificação EFR,igualdade de oportunidades. ficação do modelo de gestão EFR con- por contribuir para uma estratégia de De facto, a Certificação EFR repre- templa, uma auditoria de concessão e Responsabilidade Social Corporativa,senta uma parte importante da duas auditorias anuais de acompan- com impacto nos colaboradores, nosestratégia de Responsabilidade Social hamento. Findo os três anos, a certifi- clientes e na comunidade, colaboran-Corporativa pelo seu impacto signi- cação é renovável por igual período. do para uma sociedade mais justa eficativo no bem-estar, no progresso e aumentando o bem-estar e a quali-na qualidade de vida dos colabo- Quais são os sectores de actividade dade de vida.radores e da comunidade. mais representados na lista de empre- sas certificadas ou em vias de certifi- Em sua opinião, o que procuram asActualmente, quantas empresas dis- cação como EFR? empresas que recorrem a esta certifi-põem dessa certificação atribuída Em Portugal os sectores de actividade cação?pela SGS ICS? A certificação é ren- que têm demonstrado um maior A melhoria de indicadores tais comoovável? Com que periodicidade? interesse pela certificação EFR são a o clima laboral, o absentismo, a igual-À data, com o processo de certificação banca, os serviços e a indústria. dade de oportunidades e a retenção de
  • empresas familiarmente responsáveis QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 VOs Employee Benefits como ferramenta à disposição das EFR familiar deverá ser aprofundada no sociais” que são os colaboradores e as tualmente, um complemento de refor- OPINIÃO meio empresarial português, nomeadamente nas PME e deverá de algum modo ser incentivada pelo suas Famílias. Para além dos aspectos sociais e morais, há também um argumento ma, oferece à sua Família um conforto e um nível de segurança e protecção que a Família valorizará sem dúvida JOÃO QUINTANILHA Estado, na medida em que quanto mais se desenvolver a Protecção Social “economicista”: as políticas sociais das empresas são uma ferramenta exce- nenhuma nas mais variadas situações, que terá que enfrentar ao longo da organizada pelas Empresas, menos lente de satisfação e motivação dos vida do agregado familiar. pressão se exercerá sobre os sistemas colaboradores e de melhor ligação Adoptando esquemas de “Employee sociais estatais sujeitos actualmente com as suas Famílias. Benefits” a empresa melhora substan- aos problemas de gestão a médio e Ter colaboradores motivados, confi- cialmente a sua imagem junto dos longo prazo conhecido por todos. antes e seguros e em consequência ter colaboradores e seus agregados famil- Mas mesmo que o Estado não queira a sua Família confiante e segura, é iares e é reconhecida pela sociedade ou não possa incentivar este tipo de sem dúvida um instrumento de eficá- como uma empresa socialmente e esquemas, as Empresas devem cia das organizações e de aumento de familiarmente responsável dando à assumir esse papel social, na medida produtividade. sua marca um maior prestígio e em que isso é, desde logo, uma obri- É fácil de perceber que um colabo- respeitabilidade. gação moral e de integração na rador de uma empresa que tenha um sociedade onde se encontram inseri- bom seguro de Doença extensível ao das, mas também a fim de melhorar o agregado, um bom seguro de Administrador-delegado seu relacionamento com os “parceiros Acidentes Pessoais ou de Vida e, even- da Groupama PUBA PREOCUPAÇÃO com os Recursos Doença fazem face a situações tam-Humanos de uma empresa é, para bém muito importantes e respondemalém de tudo mais, um dever “moral e às consequências, por vezes gravíssi-social”, e portanto é uma obrigação da mas, de casos de Doença, ou deboa gestão de qualquer organização. Invalidez ou, pior ainda, Morte, que Uma gestão socialmente responsáv- são factos com consequênciasel e que quer basear-se no desenvolvi- económicas muito marcantes na vidamento sustentável não pode descurar das Famílias e perante os quais a faltaos seus recursos humanos, nem pode de uma boa cobertura do risco podeesquecer o seu envolvimento familiar. provocar a “falência” da economia Quando se pensa em “cuidar bem” familiar o que iria agravar, mais ainda,das pessoas que fazem parte de uma o sofrimento familiar inerente a essasorganização, pensa-se imediatamente situações.na sua relação com a Família, na medi- A história destas coberturas ouda em que um colaborador motivado e garantias, chamadas de “Employeeseguro transporta para a sua Família Benefits”, está muito ligada à preocu-confiança, estabilidade e segurança. pação social das empresas, com os seus Um dos processos para alcançar colaboradores e familiares, para deconfiança, estabilidade e segurança certo modo, os proteger das adversi-familiar é pensar em todos os meios dades que os poderão afectar em qual-que permitam melhorar a relação da quer momento da sua vida profission-empresa, com a Família do seu colabo- al ou não profissional.rador, e oferecer-lhe, de algum modo, Esta protecção da empresa aosmais-valias directas ou indirectas, que colaboradores, oferece, para além daaumentem e melhorem essa ligação confiança, segurança e estabilidade,entre o trabalho, colaboradores e uma forte motivação e conforto e tam-família. bém tem um sentido de compensação A segurança pode-se alcançar por do esforço dedicado à empresa.diversos meios e em várias áreas e O desenvolvimento histórico dosnomeadamente através de um bom “Employee Benefits” foi paralelo aoconjunto de seguros que ofereçam aos desenvolvimento dos sistemas estataiscolaboradores a estabilidade económi- da segurança social, que tiveram osca necessária para fazerem face às mais diversos rumos na Europa e EUA.mais diversas adversidades da vida Foi no Norte da Europa e EUA que seprofissional ou extra profissional que deu o maior impulso destas práticaspodem ocorrer durante a vida activa sociais das empresas e em muitos país-ou pós-reforma e que podem também es tornaram-se mais que umaocorrer a elementos do seu agregado tradição, passaram a ser obrigatóriosfamiliar. por lei ou por acordos de sector ou de A actividade seguradora tradicional- empresa, em resultado das negoci-mente oferece um conjunto amplo de ações sociais realizadas no últimocontratos e serviços ligados à segu- século, em quase todos os paísesrança das pessoas que trabalham desenvolvidos.numa empresa bem como aos seus Em Portugal, estas “boas práticas”familiares. Neste quadro destaca-se, também chegaram por volta dos anosem primeiro lugar, os seguros de 60/70, e têm-se vindo a expandir nosAcidentes de Trabalho e de Acidentes mais variados sectores, mas sobretudoPessoais que respondem às coberturas nas empresas de maior dimensão.de todo o tipo de risco acidental, quer Ao contrário de outros paísesno trabalho quer na vida privada, e europeus, em Portugal as pequenas esão, sem dúvida, um excelente meio médias empresas (PME) não adop-de proteger as pessoas relativamente a taram ainda, suficientemente, estariscos inesperados e, muitas vezes prática socialmente e familiarmentegraves, e que, no mínimo, podem traz- responsável e, muitas vezes, deixam oser despesas de tratamento e, no máxi- seus colaboradores sem qualquer pro-mo, poderão acarretar enormes perdas tecção para além do estritamente obri-financeiras. gatório. Por outro lado, os seguros de Vida e Esta cultura de protecção social e
  • familiarmente VI QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 empresas responsáveisEntrevista a Fátima Carioca, professora de Factor Humano na Organização e Ética da AESE“Empresa familiarmente responsávelé aquela que encara a família comomais um parceiro”O compromisso com os colaboradores vai muito além da remuneração e passa por políticasde apoio à conciliação da sua vida pessoal, familiar e profissional, defende Fátima Carioca.A professora da Escola de Direcção e Negócios AESE reconhece maior empenho no tecidoempresarial português em implementar de medidas familiarmente responsáveis e consideraque os tempos de crise deveriam privilegiar este tipo de posicionamentosQue motivações vos levam a promo- mento em relação a responder aover os Prémios para Empresas Fami- questionário, por sentirem que umliarmente Responsáveis? Qual é o es- largo caminho existe ainda a percor-pírito deste prémio? rer. Muitas das empresas que acedemCom o prémio E+FR, a AESE e a Deloi- ao questionário do Prémio confiden-tte pretenderam distinguir e premiar ciam-nos que o utilizam como auto-as Empresas Mais Familiarmente Res- diagnóstico e depois, como se associaponsáveis, ou seja, aquelas que, atra- a um prémio, sempre competitivo,vés da sua política de apoio às famí- não chegam a submeter as respostas.lias e pelas medidas adoptadas parafavorecer a conciliação entre a vidano trabalho e a família, se destaquem Só recentemente asdas demais Empresas a operar emPortugal. empresas começaram a Esta iniciativa pretende ser umachamada de atenção do mundo em- entender que o problemapresarial e da sociedade, em geral,para esta problemática cada vez mais da conciliação entrerelevante. É ainda um momento e umespaço de partilha de boas práticas a vida profissional eentre empresas. Ao longo das váriasedições do Prémio temos assistido à familiar é também umconcretização com sucesso destes problema da empresaobjectivos.Ao longo de vários anos de avaliação Em termos de evolução, notamosde candidaturas, que leitura fazem da que de 2005 para 2006 muitas dasevolução da postura das empresas na empresas formalizaram as suas práti-promoção de maior equilíbrio entre a cas neste âmbito. Significou umavida profissional e familiar dos seus maior consciencialização da temática.colaboradores? Desde 2007 notou-se uma maior foca-No âmbito deste Prémio, foram rece- lização das medidas adoptadas debidas, em média, cerca de 50 candi- acordo com as características da orga-daturas por edição. Parece pouco. Mas nização em questão: uma aposta geraltal não signif ica, no entanto, que as nas medidas de flexibilidade e naempresas não reconheçam a impor- adopção de medidas, chamadas soci-tância crescente das temáticas relati- ais, de acordo com as necessidadesvas à conciliação e equilíbrio entre a dos colaboradores. Tal demonstravida profissional e a vida familiar dos uma maior maturidade por parte daseus colaboradores. Antes pelo con- organização.trário, praticamente todas as empre-sas contactadas foram unânimes em Quais são, habitualmente, as medidasvalorizar favoravelmente o estabeleci- implementadas com maior frequên-mento de políticas e a preconização cia neste âmbito?de medidas que definem uma empre- Existem muitas medidas e formas desa como familiarmente responsável. apoiar os colaboradores no esforço deRepresenta tal atitude uma mudança conciliação entre a vida profissional ecultural importante uma vez que só a vida familiar. Estas medidas são nor-recentemente as empresas começam malmente agrupadas em 4 blocos:a entender que o problema da concil- • Políticas de flexibilidade de tempo eiação entre a vida profissional e famil- de espaço:iar é também um problema da em- Permitem ao empregado dispor, empresa e que esta pode e deve actuar no função das necessidades da família,sentido de flexibilizar e dar espaço a de um horário flexível para fazer faceque cada pessoa e família encontre o às necessidades de formação, às emer-seu próprio equilíbrio. gências familiares, as licenças para Mas estas e outras convicções estão cuidar de filhos de pouca idade, en-a cimentar-se pouco a pouco e muitas fermos ou incapacitados, trabalho aencontram-se ainda embrionárias. tempo parcial e jornada reduzida eDaí a natural auto-selecção por parte ainda permitem flexibilidade espacialdas empresas e o consequente retrai- no sentido de poder trabalhar a partir
  • familiarmente empresas responsáveis QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 VIIde casa, atendendo por exemplo a um podem considerar, por exemplo a se luta e pelo qual colocamos os nos- ca de apoio às famílias e adopta “amigo da família” (o que é vulgar-filho doente, etc. São exemplos horá- flexibilidade, um meio sofisticado sos talentos ao serviço. medidas para favorecer a conciliação mente designado nos países de lín-rios flexíveis, períodos sabáticos, ban- de “cortar nos custos”, outros sabem entre a vida no trabalho e a família, gua inglesa por “family friendly”).cos de tempo, Internet e infra-estru- que só assim, pela consistência de À entrada de uma nova década, permitindo assim aos seus colabo- A empresa que pretenda liderar otura em casa paga, etc. actuação, gerarão o clima de confi- como define uma Empresa seu sector durante o século XXI• Políticas de benefícios sociais: ança interno e externo necessário Familiarmente Responsável? como instituição que busca o benefí-Incluem, entre outros, seguros de para sobreviver nestes tempos e Para as empresas, num primeiro mo- Nas empresas cio / lucro, que oferece um serviço àvida, planos de reforma e seguros de estar bem posicionado quando novos mento, esta estratégia empresarial sociedade e satisfaz a procura dosaúde para o cônjuge, filhos e, em al- tempos vierem. procura, na maioria dos casos, con- familiarmente respon- mercado, tem de assumir um novoguns casos, ascendentes.• Políticas empresariais de apoio É também uma questão educa- cional e geracional. As novas ger- servar o potencial humano crítico da empresa, pacificar as relações labo- sáveisé expectável um aspecto: o compromisso com o empregado não só através de políti-profissional ao trabalhador:Traduz-se em oferecer assessoria e ações já não se querem esgotar no trabalho, por muito aliciante e grati- rais, aumentar a motivação e a pro- dutividade dos seus colaboradores. compromisso pessoal cas de remuneração, mas também de políticas de participação e desen-formação ao empregado de forma a ficante que esse mesmo trabalho Num horizonte mais vasto, a empre- de todos os que volvimento e ainda através do apoioadaptar o trabalho às necessidades da seja. Querem conciliar com outros sa encara-a como parte da sua à conciliação da sua vida pessoal,família, incluindo aconselhamento âmbitos da sua vida pessoal e famil- responsabilidade social corporativa, trabalham na familiar e profissional.legal, financeiro, psicológico, de car- iar. É isso que ambicionam e procu- tendo em vista um sociedade mais O objectivo é que as empresasreira profissional, na qual se tem em ram nos futuros empregadores. Com justa, pacífica e potenciadora de mel- organização assumam a quota-parte de respons-linha de conta explicitamente a situ- a mesma ilusão que buscam a real- hores recursos humanos. abilidade que tem na protecção eação familiar. ização no trabalho profissional, Assim, uma empresa familiar- radores uma maior realização pes- apoio da família como elemento• Políticas de serviços familiares: criam família, planeiam férias, mente responsável é aquela que soal e profissional. chave para o desenvolvimento e oTêm como objectivo reduzir a carga investem em formação, encontram- encara a família como mais um par- Ser familiarmente responsável é bem-estar económico e social, e quede trabalho extra-laboral do emprega- se com amigos, etc. ceiro, parte interessada, “stakehold- mais “forte” e implica maior com- favoreçam uma efectiva conciliaçãodo: um exemplo destas políticas será Assim, muitas das empresas entre- er”, e por isso desenvolve uma políti- promisso do que ser simplesmente da vida laboral e familiar.a criação de infantários pela empresa, vistadas nesta última edição doou lares, ou lavandaria, ou e-Bairro. Prémio E+Fr mantiveram as suas po- PUB Não queria deixar de salientar, a líticas, outras reforçaram as medidaspar das medidas, duas ideias que me de carácter mais social, outras ainda diversificaram as iniciativas neste âmbito. Genericamente, nestas em-Esta deve ser uma presas sobressai a consciência de que em tempos que exigirão mais deprioridade em tempos cada um para que se cumpram os objectivos, todo o compromisso ede crise, especialmente esforço são necessários mas esseem tempos de crise mesmo esforço e compromisso é exemplificado pela organização. Esta mensagem traduziu-se, por exemp-parecem relevantes: lo, em medidas tão diversificadas A primeira é que, embora existam como a garantia de segurança nomuitas medidas e seja óptima a partil- emprego, o reforço de fundos sociaisha de dessas medidas entre empresas, da empresa, a não marcação decada empresa é única bem como cada reuniões institucionais à sexta-feiracolaborador e, nesse sentido, é bom à tarde para que, no final de umaque as políticas e práticas disponibi- semana intensa, o descanso pudesselizadas em cada empresa reflictam, ser revitalizador.por um lado, a identidade da empresa,espelhem as necessidades e expectati- Que benefícios retiram as empresasvas dos seus colaboradores e, por outro dessas medidas, nomeadamente nolado, possam traduzir-se em medidas que se refere à motivação e produ-personalizadas. Mais além do colabo- tividade dos seus colaboradores?rador existe um nome, uma biografia, Poderia responder simplesmenteuma vida, uma pessoa e é a essa pessoa com os múltiplos estudos queque a medida se há-de dirigir. demonstram que a inexistência de Uma segunda ideia: a atitude dos políticas e práticas familiarmentedirigentes, a todos os níveis, é tam- responsáveis têm impactos negativosbém fundamental, não só porque eles para os colaboradores, as suasespelham a cultura da organização, famílias e para a organização, comomas também porque são eles que, no por exemplo insatisfação,dia-a-dia, aplicam e levam à prática as diminuição da motivação, baixopolíticas da empresa. Num tema em desempenho e compromisso, umaque muitas das medidas devem e são rotação indesejada mais acelerada.tomadas individualmente, de acordo Outros estudos demonstram, porcom as circunstâncias profissionais, seu lado, que desenvolver políticas epessoais e familiares do colaborador, é práticas favoráveis ao desenvolvi-fundamental que a Direcção esteja mento familiar pode melhorar osensibilizada e se sinta verdadeira- sucesso da organização e até mesmomente responsável por cada um e a do retorno accionista enquanto sesua família, criando o clima de aber- potenciam outros benefícios corpo-tura para a procura de soluções que rativos como o aumento da moti-facilitem a conciliação do bem de vação entre os colaboradores (não sócada colaborador com o da empresa. em quantidade mas em qualidade), a melhoria do recrutamento (atrai osAcredita que o actual contexto melhores colaboradores disponíveiseconómico pode influenciar a imple- no mercado e retemos os melhoresmentação de novas medidas por parte que connosco já colaboram), ode empresas familiarmente respon- aumento da produtividade, da leal-sáveis? dade, do compromisso emocional eEm tempos de crise, revela-se funda- do moral da própria organização.mental o empenho, a motivação, a Estas investigações traduzem oinovação, a criatividade dos colabo- facto de que nas empresas familiar-radores: necessitam-se soluções criati- mente responsáveis é expectável umvas, novos modelos de negócio e a compromisso pessoal de todos os quecumplicidade que advém do sentido trabalham na organização e quede pertença de todos os que trabal- indica a existência de uma unidade,ham na empresa. Nesse aspecto, todo de uma identidade interna. Talo conjunto de práticas de conciliação, unidade significa que todas as pes-quando enquadradas na estratégia soas estão envolvidas, comprometi-global da empresa e sustentadas por das, directamente, individual e colec-práticas directivas consistentes po- tivamente, na realização própria dadem facilitar a implementação de ou- missão da empresa. Não é algo quetras medidas estratégicas igual- vem de cima ou que vem de baixo.mente importantes em tempos de Não é uma questão de alocação decrise. Daí que esta deva ser uma pri- recursos. Não se improvisa. É algooridade em tempos de crise, especial- que se cria, que se nutre, que semente em tempos de crise. Alguns cuida, que se potencia. É algo porque
  • familiarmenteVIII QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 empresas responsáveisEstudo Deloitte / AESEO que fazem as empresasfamiliarmente responsáveis?A análise das políticas e medidas implementadas pelas empresas que mais se têm destacadoem Portugal pelas suas iniciativas familiarmente responsáveis foi compilada pela AESE –Escola de Direcção e Negócios e pela consultora Deloitte no estudo “Empresas FamiliarmenteResponsáveis – Boas práticas 2009/2010”. O excerto que se segue reproduz uma parte daanálise efectuada, elencando as práticas com maior reconhecimento junto dos colaboradores.POLÍTICAS DE FLEXIBILIDADE Nas empresas que adoptam este tipo nos quais as pessoas estão num es- quentes e um maior número de com a empresa um prolongamentoAs políticas de flexibilidade no tempo de políticas, estas estão normalmente critório. colaboradores pode usufruir delas. As da licença, mediante uma redução noe no espaço referem-se ao pacote de relacionadas com uma política de Nas empresas em que existem tra- modalidades mais usadas são as que salário.medidas que visam flexibilizar os avaliação e remuneração não baseada balhos por turnos, ou escalados, é se destinam à integração e ao acolhi- O abandono do lugar de trabalhohorários e o local de trabalho. em tempo e presença física, mas nou- mais difícil a flexibilização, uma vez mento dos colaboradores quando por uma emergência familiar man- É um facto que quer o trabalho tros critérios como sejam avaliação por que é necessário assegurar que há regressam de períodos prolongados tém-se como uma das modalidadesquer a família exigem tempo e ener- objectivos e resultados. sempre alguém disponível para rea- de licença ou de períodos prolonga- mais utilizadas.gia e é também um facto que as ne- Da tabela número 1, pode consta- lizar o trabalho. Contudo, verifica-se dos de fé-rias. Estas medidas ajudamcessidades quer de um quer de outro tar-se que, tal como habitualmente, que a mentalidade está a mudar e, os colaboradores a sentirem-se mais PRÁTICAS FAMILIARMENTEnão são sempre constantes, depen- as modalidades de horário flexível cada vez mais, se procura colocar a integrados na equipa. Se sentirem RESPONSÁVEISdem dos imponderáveis, da etapa pro- mais utilizadas pelas empresas são o pessoa em primeiro lugar e ajudar a que a empresa aposta neles irão, cer- Neste bloco de medidas enquadram-fissional e familiar, da funcionalidade horário laboral flexível (95%) e o tra- criar as condições para que se obten- tamente, empenhar-se mais nas suas se as politicas de serviços familiares,própria de cada família, etc. De algum balho a tempo parcial (81%). ham os melhores desempenhos, sal- tarefas. incluindo diversos tipos de serviçosmodo, pede-se às duas realidades a Na maioria das empresas em que é vaguardando o bem-estar na vida pes- As licenças de maternidade e pater- que tendem a reduzir a carga doflexibilidade necessária que potencie, praticado o horário flexível a empre- soal dos colaboradores. nidade estão acessíveis a todos os colaborador fora da empresa e lhepara cada colaborador, o ajuste e rea- sa define um core time, por exemplo: Contrariamente à situação verifica- colaboradores mas são poucas as potenciam uma melhor qualidade dejuste das prioridades e das possíveis 10h-12h e 14h-17h. Isto acontece da nas modalidades de horário flexív- empresas que dão outros benefícios vida pessoal e familiar. São normal-soluções, quer profissionais quer sobretudo nos casos em que se trata el, as modalidades de licença prati- para além do previsto na lei. Há casos mente serviços com baixo custo parafamiliares, ao longo do tempo. de trabalhos mais administrativos, cadas pelas empresas são bastante fre- em que os colaboradores acordam a empresa (veja-se o caso de prestar
  • familiarmente empresas responsáveis QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 IX do e-learning e disponíveis via intra- De uma forma geral, são diversos os FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO net da empresa. apoios concedidos pelas empresas. De A formação em temas que, directa e De destacar ainda outros exemplos, acordo com a tabela apresentada, o indirectamente, contribuam para a em que as empresas constroem pla- subsídio de refeição mantém-se como resolução de conflitos no trabalho, na nos de formação à medida de cada um dos principais apoios concedidos família e na harmonização de ambos colaborador, de modo a que ao longo pelas empresas participantes, e que se resulta bastante eficaz. Por exemplo, do ano desenvolvam ou adquiram no- traduz de formas diversas (ticket sendo o stress uma das principais vas competências. restaurante, refeitório da empresa, causas de conflito entre o trabalho e subsídio monetário, etc). a família, é importante que se apren- APOIO SUPLEMENTAR, Também de destacar o seguro de da a geri-lo adequadamente. FINANCEIRO E MATERIAL acidentes que tem vindo a generalizar- É ainda inovador, mas fundamen- Neste bloco agrupam-se todos os bene- se cada vez a mais empresas, bem tal, o esforço em formar os colabo- fícios extra-salariais de apoio financei- como o seguro de vida (81%) e o plano radores no sentido de os apoiar nos ro ou em espécie. Para além das diver- de reforma (73%) disponibilizados seus diversos papéis familiares sas modalidades de seguros, engloban- pela maioria das empresas. (pai/mãe, seja de filhos pequenos, seja do ou não a família (seguros de vida, Paralelamente há ainda outros de adolescentes, membro do casal, de invalidez, complemento de pensão seguros e benefícios, muitos deles filho/filha de pais idosos, etc). de reforma, etc), consideram-se ainda extensíveis ao agragado familiar. Al- Em algumas empresas, alguns cur- outros subsídios extraordinários em gumas das empresas consideradas sos abordando estas temáticas como numerário ou espécie (por exemplo, têm conseguido negociar pacotes de equilíbrio trabalho-vida pessoal, ges- presentes de casamento, pelo nasci- seguros em condições mais competiti- tão do stress, diversidade, entre out- mento de cada filho, viagem como in- vas do que as que são habitualmente ros, são abordados também ao nível centivo à superação de objectivos, etc). praticadas no mercado. 1. 1 2 3 Modalidades de Horário Flexível Todos Alguns Não Horário laboral flexível (significa que os empregados devem trabalhar 8 52% 43% 5% horas diárias, mas podem ser eles a definir a hora de entrada e de saída) Trabalho a tempo parcial (significa que os empregados podem 19% 62% 19% trabalhar só meio dia Semana laboral comprimida (significa que os empregados podem 27% 22% 51% trabalhar mais horas por dia, a troco de um dia completo – ou meio dia – livre durante a semana) Jornada laboral reduzida (significa que os empregados podem trabalhar 17% 32% 51% menos horas por dia ou por semana, se aceitarem um salário proporcionalmente inferior) 2. 1 2 3 Modalidades de Licença Todos Alguns Não Licença de maternidade superior à prevista na Lei (Significa que as 14% 5% 81% mães podem ficar em casa depois dos 120 dias previstos na Lei, seinformação sobre infantários e cen- iódicos, ajudam as pessoas a criartros de atendimento a idosos), mas hábitos de vida mais saudáveis e a renunciarem ao vencimento durante esse período, sendo-lhescom uma grande efectividade na tare- sentirem-se melhor consigo próprias. garantido o seu antigo posto de trabalho após a ausência porfa de equilibrar a vida profissional e De acordo com a tabela número 3, maternidade)familiar. verifica-se que a grande maioria das 11% 5% 84% Estas práticas englobam não só os empresas consideradas neste estudo Licença de paternidade superior à prevista na Lei (Significa que os paisserviços relativos ao atendimento de tem vindo a optar por facilitar a vida podem ficar em casa depois do período de 5 dias úteis estipulado porfilhos pequenos e de idosos, mas tam- dos colaboradores quer através do tra- Lei, se renunciarem ao vencimento durante esse período)bém outros serviços domésticos, balho a partir de casa, quer mesmo 65% 24% 11%serviços de infra-estrutura para a das videoconferências. Licença para atender familiares (Significa que os pais podem pedir umaflexibilização do local de trabalho e O trabalho a partir de casa é possív- licença para atender os seus filhos até aos 6 anos de idade, ou idosos,assessoria especializada ao colabo- el pois as empresas fornecem aos durante um período acordado com a entidade patronal, se renunciaremrador em termos de trajectória profis- colaboradores um kit de trabalho, ao vencimento nesse período, sendo-lhes garantido o posto de trabalhosional, aconselhamento familiar, fis- habitualmente composto por umcal, jurídico, etc. computador, acesso à internet e quando a licença terminar) Cada vez mais empresas se preocu- telemóvel. Tendo em conta os avan- Flexibilidade nos dias de licença e férias por período reduzido (Significa 73% 27% 0%pam em prestar informação sobre ços da tecnologia, cada vez é mais que os empregados, sempre depois de consultarem algum superiorinfantários na zona (62%) ou centros fácil manter os colaboradores ligadosde apoio a idosos (59%). Habitual- à empresa, sem terem de se deslocar directo, podem gozar facilmente uns dias de licença ou férias curtas,mente esta informação está central- ao seu espaço físico. Em certas empre- fora dos períodos tradicionais de férias)izada no departamento de Recursos sas basta que os colaboradores se des- Abandono do lugar de trabalho por uma emergência familiar (Significa 97% 0% 3%Humanos. As pessoas podem dirigir- loquem periodicamente ao escritório.se e pedir ajuda. Noutros casos a Estas modalidades facilitam em mui- que os empregados podem ausentar-se para atender uma urgência,informação é colocada em placards to o apoio à família, não só a nível de sem necessidade de justificarem com antecedência)ou na intranet e as pessoas podem descendentes, como de ascendentes. Quando os empregados tiram licenças de longa duração (mais de 6 89% 11% 0%consultar e fazer as escolhas que mel- As videoconferências tambémhor se ajustem às suas necessidades. constituem uma grande evolução, meses), mantêm as suas regalias (carro, segurança social, subsídio É também para salvaguardar a uma vez que permitem que as pes- infantil, bónus …)?liberdade de escolha dos colabo- soas se ausentem com menos fre- Políticas de substituição de empregados em períodos de licença (isto é, 57% 38% 5%radores que muitas empresas optam quência, por grandes períodos de quando um empregado está de licença, quem assume as suaspor não ter infantário na própria tempo. Por outro lado, acaba por serempresa. Há no entanto, casos especi- uma medida sustentável, pois con- funções?)ais em que, devido à localização um tribui para a redução de custos da 3.pouco isolada da empresa, ou devido própria empresa. Modalidades de Trabalho à Distância Todos 1 Alguns 2 Não 3à disparidade de horários praticados, As empresas prestam diversos ser-é mais vantajoso para todos que a viços de apoio que pretendem facilitar Trabalho em casa (Significa que os empregados podem trabalhar em 24% 73% 3%empresa disponibilize um infantário a vida pessoal dos colaboradores mas casa, para evitarem deslocar-se a grandes distâncias, ou perder tempopróprio. também a vida profissional. O apoio à nos engarrafamentos de ida e regresso do trabalho) As empresas concedem diversos carreira (65%) é um serviço a que cada Videoconferências (Significa que os empregados podem participar em 54% 41% 5%tipos de apoios e subsídios escolares vez mais as pessoas recorrem para reuniões com colegas ou clientes, noutras cidades, através depara diferentes idades e os montantes esclarecer dúvidas e para avaliar opor-vão variando consoante o grau de tunidades. No entanto, em muitas videoconferência, para evitar viagens)escolaridade e a idade dos filhos. Há empresas este apoio passa muito pela 4. 1 2 3casos em que são, inclusivamente, relação de confiança que se estabelece Apoio Suplementar, Financeiro e Material Todos Alguns Nãoatribuídos prémios pelo bom desem- entre a chefia e o colaborador. Assistência sanitária para familiares 52% 5% 43%penho escolar. Nestes tempos mais difíceis, muitas Serviço de recolocação de colaboradores que deixam a empresa por 38% 16% 46% Para fomentar o bem estar dos vezes estes apoios são financeiros,colaboradores, cada vez mais empre- mas há que avaliar cada situação e reestruturação ou fechosas têm criado acordos com ginásios e ajudar a superar as dificuldades. Há Seguro de acidentes 97% 3% 0%centros desportivos, nalguns casos casos em que os problemas surgem 49% 24% 27% Plano de reformaextensíveis aos familiares. A existên- por má gestão pessoal, noutros são,cia de programas ou workshops sobre realmente, situações complicadas de Seguro de vida 62% 19% 19%nutrição, ou também rastreios per- carência. Ticket-restaurante ou similar 97% 3% 0%
  • familiarmente X QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 empresas responsáveisSantander Totta é primeira empresacertificada como familiarmente responsávelO nome da empresa ficará na história da certificação de empresas familiarmente responsáveisem Portugal. O Santander Totta vê assim reconhecido um conjunto de práticas que promovemo acompanhamento dos filhos dos colaboradores, no âmbito do programa “Santander És Tu”Q uando abriu o ano lectivo, cente envolvimento dos colaborado- Viegas, que desde 2006 ausculta a uma das vantagens de trabalhar no em Setembro, todos os res, inovando nas formas e estratégias opinião dos colaboradores através de Santander e faz parte da nossa oferta Santander Totta e Jerónimo colaboradores do Santander de afirmação da Responsabilidade um diagnóstico de clima organiza- de valor enquanto empregador”, Martins vencem 5º Prémio EFR Totta que tinham filhos a Social e Familiar”, afirma Isabel Vie- cional, a que o Santander Totta assume a responsável pelos Recursosiniciar o 1º ano de escolaridade foram gas, directora de Recursos Humanos chamou "Que Tal de Clima". E confir- Humanos do banco. Isabel Viegas ex- O banco Santander Totta e o grupodispensados do trabalho no primeiro do Santander Totta. ma a directora de Recursos Humanos plica ainda que no âmbito do proces- Jerónimo Martins foram as empresasdia de aulas, permitindo um acom- Até hoje, já foram desenvolvidas 90 do banco que “ao longo das várias so de certificação em EFR, foi efectua- galardoadas este ano com o Prémiopanhamento mais dedicado numa iniciativas e políticas, entre as quais avaliações verificaram-se melhorias do um diagnóstico prévio por uma Empresa Familiarmente Responsável,data tão importante para o percurso se destacam os serviços de conveniên- significativas nas taxas de apreciação consultora indicada pela Fundación numa iniciativa conjunta da AESE eescolar das crianças. Também a partir cia, a dispensa na tarde de aniversário positiva de importantes dimensões, MásFamilia e o seu relatório evidencia da Deloitte. As duas empresas jun-deste ano lectivo passaram a ser con- dos filhos, os horários a tempo par- tais como a Credibilidade, o Espírito as constatações de claro envolvimen- tam-se a uma lista de anteriores ven-cedidas algumas dispensas de traba- cial, a substituição na baixa de parto, de Equipa, o Orgulho e o Respeito”. to e comprometimento da gestão da cedores, integrada pela EDP, Efacec,lho aos pais que pertencem a associ- a não transferência em período de Com o programa “Santander És empresa no projecto. Xerox, Huf Portuguesa, Axa Portugal,ações de pais nos estabelecimentos de aleitamento, o “coaching” parental, Tu” plenamente enraizado, Novem- E o que ganha o santander Totta Tap Portugal, Abreu & Associados,ensino frequentados pelos filhos. os prémios aos melhores alunos fil- bro de 2010 tornar-se-ia no ano da com a implementação deste progra- PepsiCo/Matutano e Brisa. “É um re-Estas são as medidas que mais recen- hos de colaboradores, os programas certificação do Santader Totta como ma? “Estamos certos que a motivação conhecimento que nos honra e nostemente integraram o programa de férias de Natal e Páscoa para filhos empresa familiarmente responsável. e o compromisso dos nossos colabo- responsabiliza”, confessa Isabel Vie-“Santander És Tu”, com iniciativas de colaboradores, os kits de nasci- “A conciliação é um elemento da radores aumenta com estas medi- gas, directora de Recursos Humanosdiversas para favorecer a conciliação mento e a inclusão do parto no estratégia de Recursos Humanos do das”, declara Isabel Viegas. “Por outro do banco. “Sermos reconhecidos co-da vida pessoal e profissional dos seguro de saúde dos colaboradores. Banco. Queremos ser uma organiza- lado, a certificação é uma respons- mo um empregador de referência,colaboradores do banco. “Todos os “Sempre que introduzimos novas ção equilibrada, que cria condições abilidade assumida, que nos obrigará pelas condições de trabalho e de de-anos temos o objectivo de lançar duas medidas de conciliação realizamos para que os seus colaboradores pos- sempre a melhorar, o que se reper- senvolvimento pessoal e profissionalmedidas novas. Para 2011 já temos uma avaliação junto dos colabo- sam conciliar a sua vida profissional cute na qualidade de vida dos nossos que proporciona aos colaboradoresideias que estão a ser trabalhadas, radores envolvidos e os resultados com a sua vida familiar. E a Certifica- colaboradores e na disponibilidade constitui o nosso propósito estratégi-sempre com o objectivo de manter situam-se sempre destacadamente no ção EFR veio confirmar que o que que queremos ter para, todos os dias, co, em termos de Gestão de Pessoas”,um padrão de excelência traduzido quadrante superior, entre 4 e 5, numa temos vindo a fazer nesta matéria é dedicar aos nossos clientes”, acrescen- confirma Isabel Viegasna consistência das práticas e no cres- escala de 1 a 5”, constata Isabel sólido, consistente e duradouro. É ta a directora de Recursos Humanos.PUB
  • familiarmente empresas responsáveis QUARTA-FEIRA 15 de Dezembro de 2010 XIAuchan abriu primeirojardim-de-infância em SetembroIncentivos à natalidade e apoios diversos aos colaboradores com filhos são já disponibilizadospelo grupo Auchan, que em Setembro tornou o Jumbo da Amadora no primeiro hipermercadocom jardim-de-infância e com horário alargadoH á três anos o Grupo Auchan posto de trabalho ao género foi ban- risco de ela engravidar, tal como ban- com filhos, o grupo Auchan abriu a 1 lançou a Campanha “Pai do deira assumida desde cedo pelo imos por completo das entrevistas de de Setembro as portas do seu primei- Ano” e desde então pre- grupo distribuidor, que fez questão recrutamento qualquer questão rela- ro jardim-de-infância, junto ao Jumbo meia com vales de compras de não ter só mulheres nas caixas, de cionada com a gravidez ou a da Amadora, no centro comercialos colaboradores que aceitam gozar não ter só homens no talho, de não intenção de ter filhos num futuro Dolce Vita Tejo. E para compatibilizara sua licença de parentalidade pelo ter só mulheres na peixaria e de não próximo”, confirma Jorge Filipe. Os o horário da creche com os horáriosperíodo mínimo de um mês. “No ter só homens na portaria para rece- factos falam por si e dizem as estatís- de trabalho dos funcionários, a cre-primeiro ano a campanha até nem ber os camionistas. “Este foi o ticas que a natalidade disparou den- che está aberta sete dias por semana,teve grande impacto, mas a pouco e primeiro passo de muitas outras tro do grupo Auchan, tendo o núme- das 7 horas às 00h30, acolhendopouco conseguimos ter mais pais a políticas de recursos humanos, mas ro de nascimentos duplicado desde actualmente 141 crianças.aderir e hoje é muito natural ter foi especialmente importante por- 2008. Fora da empresa, todos os colabo-algum pai neste grupo a gozar a sua que proporciona a todos o acesso a Por ter um elevado número de radores beneficiam de um seguro delicença de parentalidade, algo a que funções com melhor remuneração”, colaboradores casados entre si, o saúde comparticipado em 90% pelaatribuímos muita importância”, explica o responsável do grupo grupo permite gozar de alguma empresa, extensível à família, e cujorevela Jorge Filipe, director de Auchan. flexibilidade na escolha de horários, plano de coberturas é exactamente oRecursos Humanos do grupo. A Campanha Pai do Ano é uma das folgas e dias de férias, de forma a mesmo para todos os funcionários, “Este sempre foi um grupo algo várias iniciativas de promoção da na- conciliar os interesses do casal. Em do presidente à caixa do supermerca-particular no sector da distribuição, talidade que o grupo implementou, cada loja há também um colabo- do.que geralmente está associado a tra- assumindo que já contratou colabo- rador destacado para detectar even- Com tudo isto, Jorge Filipe nãobalho precário, contratos a prazo e radoras grávidas e não hesitará em tuais situações problemáticas no seio tem dúvidas… “o grupo ganha mui-salários baixos. Mas dos nossos 9400 voltar a fazê-lo se as competências da da vida familiar dos colaboradores, to!” Garante o responsável do grupocolaboradores, 80% são efectivos e pessoa forem as mais adequadas que a Fundação Pão de Açúcar tenta que “entre colaboradores fidelizados vamente. Temos colaboradores mais65% são mulheres. Temos uma pos- para o cargo. “Geralmente até elas em permanência dar resposta. e mais envolvidos com a empresa, a tranquilos, com vidas familiarestura assumidamente diferenciado- próprias ficam espantadas. Mas não Consciente de que a guarda de cri- produtividade tem aumentado, en- mais calmas e com mais disponibil-ra”, refere Jorge Filipe. hesitamos em colocar uma mulher anças constitui umas das principais quanto a taxa de rotatividade de re- idade para a família e para o trabal- Combater a tradicional ligação do jovem num cargo de chefia só pelo preocupações dos seus colaboradores cursos humanos decresce significati- ho”. PUB
  • QUARTA-FEIRAXII 15 de Dezembro de 2010 PUBLICIDADE