Your SlideShare is downloading. ×

Relatório atitudes rede rso pt 2013

375

Published on

REDE RSO PT: Relatório Atitudes 2013 com dados actualizados sobre a Rede Nacional de Responsabilidade Social Corporativa

REDE RSO PT: Relatório Atitudes 2013 com dados actualizados sobre a Rede Nacional de Responsabilidade Social Corporativa

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
375
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 1 A T I T U D E S 2013
  • 2. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 2 ÍNDICE I. Nota introdutória 3 II. Caraterização da REDE RSO PT 4 III. Marcos RSO PT 6 IV. Síntese dos resultados globais 7 Steering Committee 7 Secretariado-Geral 8 Task-Forces 8 5ª Convenção RSO PT 9 Revisão do regulamento da REDE 10 Grupos de Trabalho 10 GT Educação & Formação 11 GT Empreendedorismo Responsável 12 GT Igualdade de Género 14 GT ISO26000 15 GT Observatório 17 GT Comunicação e Marketing 19 V. Balanço 2013 21 VI. Anexos 1. Listagem de membros 23 2. 5ª Convenção Anual RSO PT | Programa 27 3. 5ª Convenção Anual RSO PT | Avaliação 28 4. Regulamento REDE RSO PT 35 5. Mapa Disseminar Atitudes 2013 41
  • 3. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 3 Nota introdutória Atitudes 2013 resume a dinâmica da RSO PT ao longo de 2013, traduzida em contatos, debates, reflexões, seminários, manuais, ferramentas, projetos ou outros produtos e ações desenvolvidas, bem como das atividades resultantes dos Grupos de Trabalho temáticos e das Task-Forces, alinhadas com os Princípios e Missão da REDE. Constituem marcos de 2013 as seguintes atitudes:  Organização da 5ª Convenção RSO PT  Participação da 8ª Semana da Responsabilidade Social  Publicação da Newsletter RSO PT | Lançamento da Incentivar Atitudes  Animação de 4 seminários/ worksops no âmbito de temáticas de RSO  Participação em 22 ações de disseminação extra REDE Um agradecimento aos membros da REDE, cujas atitudes fazem da RSO PT uma referência nacional na promoção da Responsabilidade Social.
  • 4. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 4 I. Caraterização da REDE RSO PT A REDE RSO PT é uma estrutura aberta, informal, multissectorial e multifuncional que agrupa entidades de referência dos diferentes sectores da economia portuguesa, publico, empresarial e social e promove a Responsabilidade Social das Organizações (RSO). A RSO PT tem a Missão de  Consciencializar as instituições e a sociedade civil para a RS  Recolher e divulgar as melhores práticas e instrumentos RS e orienta a sua atuação pelos seguintes Princípios •Ética e Transparência •Direitos Humanos Fundamentais •Boa Governança •Diálogo com as Partes Interessadas •Criação de Valor •Gestão de Recursos Humanos •Diversidade e Igualdade •Proteção e Gestão Ambiental •Desenvolvimento das Comunidades Locais •Marketing Responsável
  • 5. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 5 No final de 2013 somos 269 Organizações. (Listagem de membros | Anexo I. Crescimento: Natureza:
  • 6. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 6 III. Marcos RSO PT
  • 7. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 7 IV. Síntese dos resultados globais
  • 8. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 8 A atividade da RSO PT resulta das dinâmicas dos Grupos de Trabalho temáticos e das Task-Forces criadas para iniciativas pontuais, bem como a disseminação, junto de outros públicos e noutros fóruns temáticos. Estrutura Organizacional: STEERING COMMITTEE O Steering Committee (SC) é a unidade de gestão, constituída por membros promotores fundadores da RSO PT e pelos coordenadores dos Grupos de Trabalho (GT), que têm como função dinamizar e promover as atividades da REDE, sistematizar e disponibilizar a informação pertinente ao conjunto dos seus membros. A coordenação da RSO PT é atribuída a um membro do SC. Durante o triénio 2012-2014 será assegurada pelo IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação, I.P. São membros do SC:  Promotores–fundadores: AEIPS | AIMinho| AIP-CCI / Fundação AIP| APEA | BCSD | CITE | CTCV| Fundação Liga| IAPMEI | ISQ | PROCESS ADVICE  Coordenadores de GT: APEE | CH Consulting | CMLoures | CIG | Galp |Tree Institute Indicadores: Reuniões ordinárias: 4
  • 9. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 9 Membros presentes: 8|11|7|9 Participantes presentes: 8|13|8|9 SECRETARIADO-GERAL O Secretariado-Geral é a unidade operacional que assegura as atividades normais e diárias de funcionamento da REDE RSO PT , tais como: - Apoiar a atividade do SC e dos GT temáticos - Assegurar resposta ou encaminhamento dos contactos com a RSO PT, via e-mail - Gerir os pedidos de adesão à REDE - Gerir o Portal RSO PT Membros responsáveis: BCSD | CMLoures | IAPMEI Indicadores: - Adesões: 15 - Manifestações de interesse em aderir: 26 - Formalização de abandono da REDE: 1 ( rocesso de fusão de empresas) TASK-FORCES As Task-Forces ou Grupos de Peritos são grupos de tarefas constituídos para atividades específicas e temporárias. Podem ser criadas no âmbito do SC ou dos GT. No ano de 2013 foram constituídas 2 Task-Force (extra Grupos de Trabalho) para as seguintes iniciativas:
  • 10. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 10 5ª Convenção Anual RSO PT | Auditório do Montepio – Lisboa Task-Force: 5 [APEE | CMLoures | IAPMEI |Montepio| Process Advice] Apoio: 1 [Gabriel Silva] Reuniões: 3 + 1 informal (Programa |Anexo II) Atividades: (Avaliação | Anexo III) Manhã | Portas Abertas- Empregabilidade e Relações Laborais Organizações RSO PT presentes: Organizações extra RSO PT: Participantes: Intervenientes: 7  Roque Amaro | Professor no ISCTE  Mafalda Troncho | OIT - Lisboa  Arminda Neves | ACT  Catarina Carvalho| CH business Consulting  Marta Santos | Dianova  André Magrinho |Fundação AIP  Mário Parra da Silva | Presidente da APEE - Conclusões Almoço Solidário | a favor da Fundação Liga . Tarde |Reservada a membros da RSOpt  Balanço de 2012 da Rede.  Regulamentos RSOpt – apreciação  Produtos e actividades para 2013 – Apresentação pelos GT’s Membros RSO PT presentes: 35
  • 11. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 11 Revisão do Regulamento da REDE Task-Force: 4 [APEE | CITE | ISQ | PROCESS ADVICE] A revisão do Regulamento da Rede visa a sua atualização às necessidades da RSO PT para: a) Garantir maior nível de participação de todos os membros no Comité Executivo, através de um sistema de eleição por voto; b) Assegurar a importância da Assembleia-Geral na aprovação das atividades anuais e atos de gestão extraordinária; c) Promover maior compromisso dos membros no cumprimento dos deveres; Paralelamente todo o regulamento foi revisto por forma a cumprir princípios inclusivos da igualdade de género. (Regulamento REDE |Anexo IV) GRUPOS DE TRABALHO Os Grupos de Trabalho (GT) temáticos são unidades operacionais de promoção de atividades, nas diversas vertentes da Responsabilidade Social. As temáticas abordadas pelos grupos, bem como a sua duração, são geridas em função da missão da RSO PT e de acordo com os interesses manifestados pelos membros. Cabe aos membros de cada GT eleger a(s) organização(ções) responsáveis pela respetiva coordenação, que integram, por inerência, o SC. GT em atividade no ano de 2013: Comunicação e Marketing, Educação & Formação, Empreendedorismo Responsável, Igualdade de Género, ISO26000 e Observatório. Os conteúdos de apresentação das dinâmicas de cada GT seguem a seguinte estrutura: COORDENAÇÃO PARTICIPAÇÃO OBJETIVOS ATIVIDADES INDICADORES DAS ATIVIDADES
  • 12. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 12 GT EDUCAÇÃO & FORMAÇÃO COORDENAÇÃO: ISQ | Galp Energia PARTICIPAÇÃO: 26 [ACT | Acredita Portugal | AEVA | ANQEP | APEE | APSHT | C4G | CIG | CITE | CMAmadora | CMLoures | Dianova | Fundação da Juventude| Fundação S João de Deus | Galp Energia | GEBALIS | Grupo Rodoviário Rotas Regionais | IAPMEI | ISQ | Junior Achievement Portugal | Outcome | Questão de Igualdade | Special Smile | State Of The Art | Triformis | Valorsul] OBJETIVOS:  Promover a RS na educação e formação ATIVIDADES: Até à data do fecho deste relatório não chegou informação sobre este GT – será incluída informação quando for facultada GT EMPREENDEDORISMO RESPONSÁVEL
  • 13. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 13 COORDENAÇÃO: CIG |Tree-Institute PARTICIPAÇÃO: 25 [AIP-CCI| Caixa de Mitos |CARRIS |CECOA| CEVALOR |CIG| CMAmadora|CMLoures|CME| Associação Empreend|Fundação da Juventude|Fundação Montepio | Fundação PT | Fundação S. João de Deus | Gebalis | IAPMEI |JAP- Portugal | OGIMOK| ProCME | Socogef | TAP | Tree Institute | State of the Art | VALORSUL | WiF Partners] Task-Force: CIG;Tree-Institute; CECOA,GEBALIS, WIFPartners; Associação Empreend; Fundação S.João Deus e CMAmadora OBJETIVOS: 1. Estabelecer uma rede de networking/trocar experiências/boas práticas; 2. Organizar ações de sensibilização para atitudes e práticas que fomentem o empreendedorismo; 3. Promover debates com especialistas sobre ER; 4. Divulgar financiamentos sobre empreendedorismo; 5. Elaborar uma check-List sobre legislação relativo aos diferentes tipos de empreendedorismo; 6. Preparar um KIT ou Publicação sobre Empreendedorismo Responsável. ATIVIDADE(S): 1. Reuniões regulares trimestrais 2. Preparação do Plano de Atividades para 2013 3. 1 Ação de formação do GTER – Oficina de Comunicação - Local:CECOA, ministrada por Carlos Ribeiro, Caixa de Mitos-Agência para a Inovação Social, 4. 12/04/2013 – Total: 20 membros ( Nº 15 M + Nº 5 H) 5. Tertúlia integrada na 2ª Semana do Empreendedorismo de Lisboa, promovida pela Fundação da Juventude e o GTER – 10/05/2014 – Total: 28 pessoas ( Nº 16M+Nº12H) 6. Encontro de Peritos/as sobre “Ética & Empreendedorismo” - 12/09/13 – CECOA - Total: 65 pessoas ( Nº 52M + Nº 13H); 7. Workshop 1 -Liderança Socialmente responsável – 30/09/13 - Palácio Foz - Sala dos Espelhos - Total: 98 pessoas (Nº 73M + Nº 25H) 8. Workshop 2 - O Papel da Sociedade Civil na Responsabilidade Social – 24/10/13 - CECOA - Total: 65 pessoas (Nº 49M + Nº16H) 9. Workshop 3 - Empreendedorismo Socialmente Responsável 14/11/13 - Palácio Foz –Sala Jantar - Total: 85 pessoas (Nº 64M + Nº 21H) 10. Avaliação das iniciativas desenvolvidas 11. Elaboração de notícias para Newsletter da RSO PT BREVE RESUMO DOS PRODUTOS/SERVIÇOS DESENVOLVIDO (S): - Em 2013 foram desenvolvidas iniciativas que promoveram uma boa articulação entre pares, foi desenvolvido alguns materiais de apoio: logótipo e roll-up do GTER. Elaborou-se uma recolha de informação sobre a legislação, as boas práticas e os tipos de financiamento sobre o Empreendedorismo Responsável, com vista à preparação de uma publicação. Elaborou-se quatro notícias para divulgação na Newsletter da REDE RSO.PT. DISSEMINAÇÃO: A disseminação foi desenvolvida através do Portal RSO.PT, da Newsletter, sites dos membros e suas mailing-list, bem como no Portal do Ano Europeu dos Cidadãos/ãs e do Portal de Igualdade. DESTINATÁRIOS/AS PARTICIPANTES: TOTAL: 361 – (Nº 269M + Nº 92H)
  • 14. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 14 INDICADORES DE ATIVIDADE: Nº Reuniões previstas: 4 Nº de reuniões realizadas: 4 Nº Reuniões Plenárias: 4 - Entidades Hospedeiras: CIG, CECOA, GEBALIS, ValorSul, CoWorLisboa –Tree-Institue Nº Reuniões Task-Force: 4 – Entidades Hospedeiras: CECOA, Museu Comunicações-Fundação PT e CIG Reuniões 1ª R 2ª R 3ª R 4ª R Nº Organizações 18 - 23 - 8 - 23 Nº Participantes 18 - 23 - 8 - 23 – total: 72 participantes das organizações Nº Manifestações de Interesse 2013: 20 Manifestações de Interesse 2012 (12) 2009 a 2012 (38) Incentivar Atitudes | Nº de notícias GT Info: 4 notícias Newsletter
  • 15. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 15 GT IGUALDADE DE GÉNERO COORDENAÇÃO: CITE OBJETIVOS:  Fornecer informação privilegiada à sociedade e em particular às organizações sobre igualdade de género e conciliação trabalho/família como uma das dimensões da RS;  Ser um interlocutor de referência para o Estado, no lançamento de Iniciativas de divulgação e promoção da igualdade de género e conciliação trabalho/família como uma das dimensões da RS;  Ter notoriedade e uma procura crescente em atividades de consciencialização, formação, consultoria e avaliação / auditoria em matérias de igualdade de género e conciliação trabalho/família como uma das dimensões da RS. ATIVIDADES: Até à data do fecho deste relatório não chegou informação sobre este GT – será incluída informação quando for facultada
  • 16. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 16 GT ISO 26000 COORDENAÇÃO: APEE PARTICIPAÇÃO: 24 [APEE |APSHSTDC |BSD | Bureau Veritas |CARRIS | CM Amadora |CM Loures | CMOAZ | CIG | CITE | Coordenada Social | CTCV | DRE LVT | Fundação Liga | Galp Energia | Gebalis | IAPMEI | Instituto Informática I.P. | IPQ | ISCAL | Montepio | SG MSSS| State of Art | Universidade Aberta] OBJETIVO:  Promover e aprofundar o conhecimento da ISO 26000. ATIVIDADES: 1. Finalização do Glossário de RS; 2. Elaboração de um documento com as Recomendações da Norma ISO 26000, por tema. INDICADORES DAS ATIVIDADES: 1 - Reuniões Reuniões realizadas: 5 | Reuniões previstas: 5 Nº organizações membro e representantes presentes por reunião Reuniões/ Presença 1ª R 2ª R 3ª R 4ª R 5ª R Membros 15 14 10 12 12 Representantes 21 20 14 16 15 2 - Conceção de um Glossário de RS RESUMO DOS PRODUTOS/SERVIÇOS DESENVOLVIDOS: Glossário de RS, com cerca de 150 termos, relacionando os conceitos com os sete temas da ISO 26000: Governação Organizacional, Direitos Humanos, Práticas Laborais, Ambiente, Práticas Operacionais Justas, Consumo e Envolvimento e Desenvolvimento da Comunidade. O produto foi desenvolvido tendo em conta três tipos de destinatários: Membros do Grupo, membros da Rede e organizações e pessoas que desejem desenvolver os seus conhecimentos na área da RS. Glossário de RS 3 –Elaboração de um documento com as Recomendações da Norma ISSO 26000 RESUMO DOS PRODUTOS/SERVIÇOS DESENVOLVIDOS A ISO 26000 sendo uma norma guia apresenta recomendações, por oposição aos requisitos das normas certificáveis. O GT ISO 26000 está a construir uma Check List com a identificação das recomendações da ISO 26000 por cada tema central do referencial: Governação Organizacional, Práticas Laborais, Ambiente, Práticas Operacionais Justas, Questões relacionadas com o Consumo e Envolvimento e Desenvolvimento da Comunidade. Este produto permite identificar as expectativas e ações a desenvolver para alinhar a conduta da organização com o referencial internacional.
  • 17. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 17 Destinatários Os produtos são desenvolvidos tendo em conta três tipos de destinatários: Membros do Grupo, Membros da Rede e Organizações e Pessoas que desejem desenvolver os seus conhecimentos na área da RS Disseminação A estratégia de disseminação passa por colocar o produto disponível no Portal, solicitar aos Membros do Grupo que o disponibilizem nas suas organizações e redes de contactos, apresentar o produto na Convenção de 2014.
  • 18. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 18 GT OBSERVATÓRIO COORDENAÇÃO: CH Consulting |CM Loures PARTICIPAÇÃO: 10 [ACEGE |ASAE | CH Business Consulting | CMLoures | CTCV | DRE-LVT | IAPMEI | PROCESS ADVICE | Quociente Razão| XZ Consultores] OBJETIVOS:  Sistematizar e acompanhar indicadores específicos da REDE RSO PT;  Identificar e promover o reporte de Boas Práticas, prioritariamente de membros RSO PT;  Divulgar estudos e outra informação relevante a partir da parceria com organizações relevantes na temática. ATIVIDADE(S): 1. Reuniões de trabalho / trimestrais 2. Promoção de um Ciclo de Seminários de Responsabilidade Social das Organizações : Boas Práticas | Exemplos Inspiradores 3. Revisão / reavaliação de nova versão do Questionário “ A Nossa Responsabilidade Social” 4. Preparação de ficha de identificação de BP harmonizada com a utilizada pela RED RETOS com vista a posterior benchmarking BREVE RESUMO DOS PRODUTOS/SERVIÇOS DESENVOLVIDO(S): 1. Ciclo de seminários Boas Práticas | Exemplos Inspiradores Indicadores de Atividade:  Previstos 3  Desenvolvidos 2  Realizados 0 Seminários em Coimbra e Covilhã cancelados por falta de inscrições. 2. Questionário “ A Nossa Responsabilidade Social” Revisto o questionário, encontrada solução num questionário já validado, foi decidido avançar com a implementação do mesmo no ano de 2014. 3. Ficha de Boas Práticas Foi terminada a ficha de boas práticas e efetuada uma grelha de avaliação das mesmas.
  • 19. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 19 Reuniões GT Nº Reuniões previstas: 4 | Nº de reuniões realizadas: 4 Nº Reuniões Plenárias: 4 Reuniões 1ª R 2/Março/2013 2ª R 9/Julho/2013 3ª R 2/Outubro/2013 4ª R 27/Novembro/2013 Nº Organizações 11 Nº Participantes 12 Nº Manifestações de Interesse: 2 GT COMUNICAÇÃO & MARKETING
  • 20. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 20 COORDENAÇÃO: ISQ | CMLoures PARTICIPAÇÃO: 8 [Caixa de Mitos |CBE |CEVALOR |CMLoures | IAPMEI |Ideia Plural | Montepio | Ubiwhere] OBJETIVOS:  Incrementar a awareness da REDE RSO PT junto de partes interessadas chave, com enfoque nos canais Online e Redes Sociais;  Aumentar o debate organizacional e social em torno da temática, conceitos-chave, metodologias e práticas de RSO em Portugal; ATIVIDADES: 1 – Reuniões regulares 2 - Dinamizar os suportes de comunicação da REDE 3 - Sinergias com o IPAM para apoio da comunicação da REDE INDICADORES DAS ATIVIDADES: 1 – Reuniões Reuniões realizadas: 2 | Reuniões previstas: Nº organizações membro e representantes presentes por reunião Reuniões/ Presença 1ª R 2ª R Membros 5 4 Representantes 5 5 2 - Dinamizar os suportes de comunicação 2.1 NEWSLETTER INCENTIVAR ATITUDES | PERIODICIDADE: Trimestral Newsletter editadas: 4 Novos assinantes NL: 131 Total assinantes: 716 Edição Princípio Cópias no Portal NL IA Nº 15 Criação de Valor 217 NL IA Nº 16 Boletim de Recursos 125 NL IA Nº 17 Edição Especial Convenção 338 NL IA Nº 18 Gestão de Recursos Humanos 456 2.2 PORTAL Atualização de conteúdos Estatísticas Portal RSO PT
  • 21. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 21 2.3 REDES SOCIAIS Inserção de conteúdos (Facebook = 5.698 fãs | Linked In = 630 integrantes) 2.4 OUTROS Documentação 5ª Convenção RSO PT https://www.facebook.com/media/set/?set=a.354805631294549.1073741826.101837339924714&type=3 3 - Sinergias com o IPAM para apoio da comunicação da REDE Desafio aos alunos da cadeira de Gestão de Comunicação e de Publicidade, do curso de Gestão de Marketing, para construírem o seu projeto de avaliação em torno de uma investigação/ produto para a RSO PT. Com os alunos do ano 2012/2013, houve uma aposta na conceção de um Kit de Acolhimento aos Novos Membros RSO PT, o qual foi terminado em 2013. RESUMO | BALANÇO 2013 2013 Listagem de documentos pdf mais copiados no Portal Nº de cópias 1 Guia de Comunicação para a Integração de Pessoas com Deficiência 851 2 Newsletter Nº18 | 2013 456 3 Newsletter Nº14 | 2012 398 4 Newsletter Nº17_EEC | 2012 338 5 Guião de visitas | Visitar para Replicar - GT IG 321 6 Newsletter Nº15 | 2013 217 7 Newsletter nº12 | 2012 196 8 Regulamento RSO PT 179 9 Publicação-Programa-Convenção4 132 10 Newsletter Nº16 | 2013 125 11 5ª Convenção | Press Release 122 12 Guia RSO Matrix 100 13 Artigo OIT 69 14 EXIT_27_GestaoMudancaTerceiroSector 64 15 Carta de Princípios RSO PT 51
  • 22. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 22 Para além dos indicadores apresentados outras dinâmicas não quantificáveis caraterizam igualmente as Atitudes da RSO PT, privilegiando sinergias e contatos informais imprescindíveis a novos conhecimentos ou cooperações, cada vez mais essenciais para a competitividade das Organizações. Por todo o exposto, considera-se que em 2013 a REDE RSO PT contribuiu para a promoção da RSO. Importa reiterar que a atividade e dinâmica da REDE RSO PT depende do empenho e das atitudes dos seus membros, pelo que os resultados resultam em exclusivo do envolvimento dos membros, aos quais dedicamos mais uma palavra: Obrigada! Promoção da temática RSO Task-Forces constituídas: 2 Newsletter editadas: 4 Atividades de disseminação: 31 Animação de seminários no âmbito te temáticas de RSO: 4 Participações em seminários/ mesas redondas/ júris: 11 Iniciativas de âmbito/impacto internacional: 4 (Mapa de Disseminação | Anexo 5) F I M
  • 23. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 23A N E X O S
  • 24. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 24 1. Listagem de membros Lista das 276 organizações membro da RSO PT IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, I.P. (Coordenação 2012/2014) AEIPS - Associação para o Estudo e Integração Psicossocial AIMinho - Associação Industrial do Minho AIP-CCI - Associação Industrial Portuguesa - Câmara de Comércio e Indústria APCC - Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra APEA - Associação Portuguesa de Emprego Apoiado BCSD Portugal - Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável CITE - Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego CTCV - Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro Fundação LIGA - Promoção da Funcionalidade Humana ISQ - Instituto de Soldadura e Qualidade Process Advice - Consultoria, Auditoria e Assessoria de Gestão, Lda. ACATEL - Acabamentos Têxteis, SA ACC - Consultores Associados, Lda. ACEESA - Associação Centro de Estudos de Economia Solidária do Atlântico ACEGE - Associação Cristã de Empresários e Gestores ACEP - Associação para a Cooperação Entre os Povos ACESSO GLOBAL Consultores, Lda. ACIF-CCIM - Associação de Comércio e Indústria do Funchal Acredita Portugal - Associação ACT - Autoridade para as Condições do Trabalho ADC - Associação para o Desenvolvimento das Competências ADLML - Associação de Desenvolvimento Local do Minho-Lima ADM Estrela - Associação de Desenvolvimento e Melhoramentos ADRAL- Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo, S.A. AEBA - Associação Empresarial do Baixo Ave AEFAFE - Associação Empresarial de Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto AEP - Associação Empresarial de Portugal AERLIS - Associação Empresarial da Região de Lisboa AERSET - Associação Empresarial da Região de Setúbal Auchan - Companhia Portuguesa de Hipermercados Audax ISCTE - Empreendedorismo e Empresas Familiares AXA Portugal - Companhia de Seguros Barata & Marcelino - Engenharia Energética BestBed - Soluções de Descanso BizLab - Business Lab, Lda. Bosch Car Multimedia Portugal, Lda.- Produção BRIGADA DO MAR – UNIÃO BSD Consulting - Consultoria de Sustentabilidade AEVA - Associação para a Educação e Valorização dos Recursos Humanos da Região de Aveiro (Escola Profissional de Aveiro) AFIA - Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel AHSCP - Associação Humanitária Social e Cultural de Pinhanços Ajustamentos - Gestão e Consultoria Aliança Artesanal - Cooperativa de Artesanato Alísios II - Imobiliária e Turismo, S.A. ALMP - Associação Luís Pereira da Mota AmBioDiv - Valor Natural. Ambiente, Natureza e Sustentabilidade, Lda AMP - Área Metropolitana do Porto ANE - Associação Nacional das Empresárias ANEF - Associação Nacional de Entidades Formadoras ANMP - Associação Nacional de Municípios Portugueses ANQ - Agência Nacional para a Qualificação APCER - Associação Portuguesa de Certificação APEE - Associação Portuguesa de Ética Empresarial APF - Associação para o Planeamento da Família APG - Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas Aprender a Empreender - Associação de Jovens Empreendedores de Portugal APSHSTDC - Associação Portuguesa de Saúde, Higiene e Segurança no Trabalho para o Desenvolvimento e Cooperação Internacional (ONGD) ASAE - Autoridade de Segurança Alimentar e Económica Associação das Escolas Jesus, Maria, José Associação 5 Elemento - Acção Cívica para o Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Associação EcoGerminar - Associação de Desenvolvimento do Interior, de Promoção do Comércio Solidário, do Ecoturismo e de Luta à Desertificação Rural Associação Máquina do Mundo - Apoio e Orientação a Grupos Desfavorecidos Associação Terra dos Sonhos - Apoio às Crianças e Famílias com Doença Crónica ATLAS - Cooperativa Cultural, CRL CM Loures - Câmara Municipal de Loures CM Oliveira de Azeméis - Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis COFAC Grupo Lusófona - Cooperativa de Formação e Animação Cultural, CRL Companhia IBM Portuguesa - Produtos e Serviços Comunilog Consulting - Soluções Tecnológicas e Empresariais Confraria de Chaves - Defesa e Divulgação dos Produtos e Tradições Regionais CooLabora - Consultoria e Intervenção Social, CRL CO(OP)RAÇÃO - Cooperativa de Solidariedade Social, CRL Coordenada Social - Associação de Intervenção Comunitária CPJ - Centro de Promoção Juvenil CPL - Casa Pia de Lisboa
  • 25. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 25 Bureau Veritas - Consultoria Técnica C4G - Consultores de Gestão Caixa de Mitos - Agência para o Desenvolvimento e a Inovação Social Caldas da Saúde - Termas Caminho das Palavras - Editora Cáritas Diocesana de Évora CARRIS - Transportes Públicos de Lisboa CATICA - Centro Comunitário de Coina CBE- Engenharia e Projeto em Telecomunicações, SA CCDRA - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo CCP - Confederação do Comércio e Serviços de Portugal CEC - Conselho Empresarial do Centro / CCIC - Câmara de Comércio e Indústria do Centro CECD Mira Sintra - Centro de Educação para o Cidadão Deficiente, CRL CECOA - Centro de Formação Profissional para o Comércio e Afins CEPRA - Centro de Formação Profissional da Reparação Automóvel CESIS - Centro de Estudos para a Intervenção Social CEVALOR – Centro Tecnológico para o Aproveitamento e Valorização das Rochas Ornamentais e Industriais CGOV - Instituto Português de Corporate Governance CGTP - Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses CH Business Consulting - Consultoria Empresarial CIG - Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género CIP - Confederação da Indústria Portuguesa Clama Consulting - Estudos e Projectos CM Amadora - Câmara Municipal da Amadora Estoril Sol - Turismo e Casinos Euronatura - Centro para o Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentado Expert.exp - Business Technology Consulting, SA F3M - Information Systems, SA Fale Connosco - Saúde Personalizada, Lda FDTI - Fundação para a Divulgação das Tecnologias de Informação FEUC - Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra Figueira Viva - Associação de Cooperação e Solidariedade para o Desenvolvimento da Figueira da Foz FLAD - Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento Fundação da Caixa Agrícola do Vale do Távora e Douro Fundação da Juventude - Promoção de Jovens na Vida Activa Fundação Marquês de Pombal - Gestão de Infraestruturas do Município de Oeiras Fundação Minerva das Universidades Lusíada - Cultura, Ensino e Investigação Científica Fundação PT - Intervenção Social e Apoio ao Desenvolvimento Fundação S. João de Deus CPR - Conselho Português para os Refugiados Cresaçor - Cooperativa Regional de Economia Solidária CSW - Competitive Services in the World, Lda Deficifield - Marroquinaria, Lda. DGAE - Direcção-Geral das Actividades Económicas Dianova Portugal - Intervenção em Toxicodependências e Desenvolvimento Social DM - Desafios Miqueias DNV - Det Norske Veritas - Classificação, Certificação e Serviços DRE-AL - Direção Regional da Economia do Alentejo DRE-LVT - Direcção Regional da Economia de Lisboa e Vale do Tejo Eco Meios - Importação de Produtos Ecológicos, Unipessoal, Lda. ECV - Electro Central Vulcanizadora EDIT VALUE Formação Empresarial, Lda. Elevus Oeiras - Consultoria de Recursos Humanos EMAFEL - Empresa Pública Municipal de Felgueiras, EM EMPREEND - Associação Portuguesa para o Empreendedorismo Entreajuda - Associação para o Apoio a Instituições de Solidariedade Social EPIS - Empresários pela Inclusão Social EPWN - Associação Ergométrica - Material Médico, Lda. ESCE - Escola Superior de Ciências Empresariais Espaço Fisio - Serviços de Saúde e Desporto Unipessoal, Lda. Espaço T - Associação Para o Apoio Integração Social e Comunitária GreatCO - Great Coverage Grupo Partteam - Multimédia Grupo Pestana - Hotelaria Grupo ProCME - Engenharia Grupo SIFU - Integração Laboral de Pessoas com Deficiência Hand Out - Soluções Tecnológicas, Lda. HFA - Henrique, Fernando & Alves, SA ICNet - Consultores em Inteligência Económica Ideia Plural - Consultoria e Comunicação IEFP - Instituto de Emprego e Formação Profissional IFDEP - Instituto para o Fomento e Desenvolvimento do Empreendedorismo em Portugal IM Magazine - Revista Online IMPETUS Portugal - Têxteis S.A. IMVF - Instituto Marquês de Valle Flôr Infeira, Gabinete de Consultadoria, Lda INR - Instituto Nacional para a Reabilitação Inspire - Comunicação para o Desenvolvimento Sustentável, Lda. Instituto de Informática, I.P. Intrum Justitia Portugal - Gestão de Recuperação de Crédito para Empresas
  • 26. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 26 Fundação Vasco Tomásio - Centro de Acolhimento Temporário Fundiarte - Fundição de Alumínios Decorativos FUTURBRAIN - Centro de Formação, Lda. Futurmagazine - Sociedade Editora Galeria de Móveis de São Francisco, Lda GALP Energia - Exploração, Desenvolvimento Produção e Fornecimento GATEWIT (Construlink, SA - Tecnologias de Informação) GEBALIS - Gestão dos Bairros Municipais de Lisboa Gelpeixe - Alimentos Congelados Gestamp Aveiro - Indústria de Acessórios de Automóveis, SA GESTÃO TOTAL® - GT.XL - Gestão, Estratégia, Inovação e Formação, Lda. – Consultoria e formação GMCS - Gabinete para os Meios de Comunicação Social GOA - Growing Organization Approach, Lda. Gosimat - Comércio e Indústria de Materiais de Construção GRACE - Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial Grafe - Publicidade LUSAENOR - Certificação Mercal Consulting Group - Gestão e Marketing Internacional Mercer Portugal - Consulting, Outsourcing, Investments Microsoft Portugal - Indústria de Software Mont Allegro - Actividades Formativas e Artísticas Montepio MOVEGEST - Consultoria de Gestão Multitempo - Empresa de Trabalho Temporário Mundináutica - Equipamentos de Pesca Mundus Ex-Aequo - Comercialização de Serviços de Promoção de RS, SA Município de Faro Município de Proença-a-Nova - Câmara Municipal e Juntas de Freguesia NAREST - Sociedade Nacional de Restauração, Lda. NERBA - Núcleo Empresarial da Região de Bragança NERGA - Núcleo Empresarial da Região da Guarda NERPOR - Núcleo Empresarial da Região de Portalegre NEUTROPLAST - Indústria de Embalagens Plásticas, SA Nova Gráfica - Artes Gráficas NOVADELTA - Comércio e Indústria de Cafés NVE Engenharias OGIMOK - Consultoria OIKOS - Cooperação e Desenvolvimento Optica Central de Abrantes Ordem dos Engenheiros - Associação Pública Other Signs - Consultoria Organizacional, Lda. Outcome - Clínica Organizacional, Lda. IPAM - Instituto Português de Administração e Marketing IPCVI - Instituto Português para a Cidadania e Vida Independente IPQ - Instituto Português da Qualidade ISCAL - Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão ISEL - Instituto Superior de Engenharia de Lisboa ISU - Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária Jason Associates - Expert Talent Advisory Kalkati-Marketing e Consultoria para os Negócios KNOW FOOD - Actividades Hoteleiras Lda. KrPeople - Consultoria de Recursos Humanos Liga Social e Cultural Campos do Lis - IPSS LNEG -Laboratório National de Energia e Geologia Lopes Garcia Consultores, Lda. Lourenço & Costa, Consultoria Empresarial, Lda. Lúcio da Silva Azevedo & Filhos, SA Questão de Igualdade - Associação para a Inovação Social Quociente Razão, Lda RfaConsulting, Unipessoal, Lda RHmais - Organização e Gestão de Recursos Humanos Rotas do Algarve Litoral - Grupo Rodoviário RTP - Rádio Televisão de Portugal RUMO - Cooperativa de Solidariedade Social SAP Portugal - Inovações Empresariais de Tecnologias de Informação, Lda. SCMC - Santa Casa da Misericórdia de Cascais SCME-Santa Casa da Misericórdia do Entroncamento SDC - Sair da Casca - Consultoria, Comunicação e Desenvolvimento Sustentável SDO - Sociedade para o Desenvolvimento das Organizações Secretaria-Geral do Ministério da Solidariedade e da Segurança Social Segurisate, Lda. - Serviços e Tecnologia de Segurança Servilusa - Agências Funerárias SOCIUS - Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações Socogef - Contabilidade, Consultoria e Formação SOMAGUE - Engenharia Sosaberes - Consultoria, Formação e Ensino, Lda. SPER - Sociedade Portuguesa para a Construção e Exploração Rodoviária State of the Art - Consultoria e Formação SUCH - Serviço de Utilização Comum dos Hospitais Sustentare - Consultadoria de Sustentabilidade, Lda. SVI Consulting - Consultoria de Gestão Taguspark - Parque de Ciência e Tecnologia TAP Portugal - Transportes Aéreos Portugueses Tecnocom - Tecnologias da Informação e Comunicação, Unipessoal, Lda.
  • 27. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 27 PCI - Paramédicos de Catástrofe Internacional Peg - Indústria e Comércio de Têxteis, Lda. Pelcor - Produtos de Pele em Cortiça Plano Nacional de Responsabilidade Social Plastifoz - Plásticos Técnicos e Engenharia Porcelanas da Costa Verde SA Portucel Soporcel - Produção e Comercialização de Papel PRIMUS MGV - Promoção e Desenvolvimento Regional ProfiForma - Gabinete de Consultoria e Formação Profissional, Lda. PsicoSoma - Livraria, Editora, Formação e Empresas Qualitividade Consultoria, Lda. Qualitividade Consulting Group TecnoSPIE - Soluções Globais de Engenharia e Serviços TimeTable Recursos Humanos - Empresa de Trabalho Temporário Tree Institute - Associação para o Desenvolvimento Económico, Social e Humano Triformis - Consultoria TURBOMAR ENERGIA - Equipamentos de Produção e Serviços de Assistência, LDA. Turiprojecto - Investimentos Imobiliários SA Turisver - Turismo TWINTEX Industria confecções, Lda UAb - Universidade Aberta Ubiwhere, Lda. UERN - União das Associações Empresariais da Região do Norte UGT - União Geral de Trabalhadores UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta Valorsul - Resíduos Sólidos Urbanos VER - Valor, Ética e Responsabilidade Viva Social - Apoio Comunitário Próximo, Lda. Visible - Agência de Marketing e Publicidade VLM Consultores, S.A. WIF Partners Workenergy - Consultoria em Recursos Humanos e Comunicação WorkWell - Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, Lda. Xerox Portugal - Equipamentos de Escritório XZ Consultores, SA - Consultadoria em Organização e Gestão Total = 274 Membros 31/03/2014
  • 28. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 28 2. 5ª Convenção Anual RSO PT | Programa
  • 29. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 29 3. 5ª Convenção Anual RSO PT | Avaliação | RESULTADOS | QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO | PORTAS ABERTAS Total de inquéritos: 66 | Presenças efetivas: 134 | Presenças confirmadas: 161 1. Divulgação 1- Muito Bom (44%) 2 - Bom (50%) 3 - Razoável (3%) 4 - Fraco (0%) - Não Responde (3%) 2. Localização 1- Muito Bom (53%) 2 - Bom (42%) 3 - Razoável (5%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (0%) 3. Instalações 1- Muito Bom (74%) 2 - Bom (26%) 3 - Razoável (0%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (0%) 4. Acolhimento dos participantes 1- Muito Bom (68%) 2 - Bom (29%) 3 - Razoável (3%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (0%)
  • 30. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 30 5. Conteúdo do programa 1- Muito Bom (38%) 2 - Bom (50%) 3 - Razoável (11%) 4 - Fraco (1%) 5 - Não Responde (0%) 6. Qualidadedas intervenções 1- Muito Bom (38%) 2 - Bom (45%) 3 - Razoável (12%) 4 - Fraco (3%) 5 - Não Responde (2%) 7. Duração do Evento 1- Muito Bom (27%) 2 - Bom (52%) 3 - Razoável (20%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (1%) 8. Utilidade do evento (para si) 1- Muito Bom (42%) 2 - Bom (44%) 3 - Razoável (9%) 4 - Fraco (2%) 5 - Não Responde (3%)
  • 31. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 31 9. Qualidade Global 1- Muito Bom (39%) 2 - Bom (50%) 3 - Razoável (8%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (3%) 10. Aspectos mais positivos Intervenções/ Oradores (12) Temática (10) Networking/ Partilha (8) Orador Prof. RA (4) Conclusões Engº MPS (2) Apresentação da REDE RSO PT (2) Moderação Muito boa organização Linguagem utilizada Valorização da RS através das atitudes Abertura a participantes externos à REDE Facto de ser uma rede informal e conseguir reunir bastantes organizações Enorme persistência dos membros RSO PT em manter esta organização e o reconhecimento da importância do mesmo pelos participantes; intervenções com muita qualidade Diversidade das áreas de atuação das entidades representadas 11. Aspectos a melhorar no futuro Divulgação (5) Som (2) Menos oradores para um desenvolvimento mais completo dos temas (2) Intervenções mais curtas e mais oradores Oradoras mais assertivas/ Qualidade intervenções / Discurso mais objetivo e coerente dos oradores Mais exemplos práticos Intervalo na sessão Utilização de PPT Mais tempo para debate/ Gestão do tempo / Cumprimento dos horários Envolvimento dos vários atores sociais Divulgar ao público externo o trabalho desenvolvido pelos GT da RSO PT Por os participantes a pensar e trabalhar nos temas eleitos, complementando a componente expositória Criar uma ficha de registo de participações 13. Comentários/ Sugestões/ Críticas Parabéns/ Parabéns pela forma como a RSO PT foi apresentada e pelo trabalho desenvolvido/ Parabéns por manterem esta REDE em funcionamento/ Felicitação à RSO PT pela iniciativa e pelo excelente trabalho que tem vindo a desenvolver Sessão muito interessante, no global Dissociar o seminário aberto da convenção, no mesmo dia torna-se muito extenso Continuar das sessões portas-abertas, com maior divulgação Tema bastante interessante, nomeadamente a sustentabilidade como chave fundamental para o desenvolvimento Desdobrar os temas em várias conferências Palestrantes muito bons, mas com pouco tempo para apresentar as suas temáticas Educação para o Empreendedorismo nas Escolas Formas de qualificar ativamente os adultos com fracas habilitações literárias e no desemprego Distinguir e dar a conhecer mais parcerias da sociedade civil e entidades não lucrativas Aquisição de conhecimentos, conceitos, estratégias e visões para aplicação no futuro
  • 32. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 32 12. Temas que gostaria de ver abordados em futuros eventos RSO PT Igualdade de Género: assédio sexual ou igualdade salarial Empregabilidade – Relações Laborais/ Dar continuidade ao tema empregabilidade, dado o contexto Contribuição das empresas para a sustentabilidade da Segurança Social Dificuldades da transversalização da RS nas organizações/ Como motivar dirigentes/ Como considerar a RS em todas as decisões de gestão? Quem desenvolve práticas de RS e que práticas; quem incorpora a 26 000 na sua gestão? Abordar a relação dos conceitos Ética Empresarial vs Responsabilidade Social Novo modelo social Ações/ Intervenções sociais rumo à mudança do paradigma Responsabilidade social/ individual Que modelo de sociedade estamos a preparar Políticas vs RSO Especificar indicadores de RS Ambiente/ Água/ Clubes e ONG para o Ambiente Relação interpessoal das organizações Divulgação dos temas RS nas organizações de ensino RS vs Marketing Social vs Marketing de Causas As políticas de RS e as organizações do setor privado e público Sustentabilidade/ Formas de desenvolvimento sustentável/ Desenvolvimento sustentável/ A sustentabilidade e a RSO Trabalho dos jovens = entrada nas empresas e no mundo do trabalho Abordagem da RSO na Administração Pública Manual de Ética Envelhecimento Ativo e a RS neste enquadramento Economia social/ Exemplos concretos de Economia Social – Ex. de participação, colaboração 14. Já conhecia a REDE RSO PT? Sim (73%) Não (24%) Não Responde (3%) 15. Pretende receber a newsletter RSO PT? 16 pedidos
  • 33. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 33 | RESULTADOS | QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO | RESERVADO AOS MEMBROS RSO PT Total de inquéritos: 46 | Presenças efetivas : 85 | Presenças confirmadas: 97 1. Formato – Manhã aberta ao público e tarde reservada aos membros 1- Muito Bom (39%) 2 - Bom (57%) 3 - Razoável (4%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (0%) 2. Duração da Convenção reservada aos membros (tarde) 1- Muito Bom (37%) 2 - Bom (56%) 3 - Razoável (7%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (0%) 3. Qualidade das Intervenções 1- Muito Bom (20%) 2 - Bom (28%) 3 - Razoável (6%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (46%)~ 3.a. Balanço 2012 1- Muito Bom (41%) 2 - Bom (41%) 3 - Razoável (7%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (11%)
  • 34. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 34 3.b. Regulamento RSO PT 1- Muito Bom (24%) 2 - Bom (48%) 3 - Razoável (19%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (9%) 3.c. Produtos RSO PT 1- Muito Bom (6%) 2 - Bom (74%) 3 - Razoável (9%) 4 - Fraco (2%) 5 - Não Responde (9%) 4. Divulgação do Evento 1- Muito Bom (26%) 2 - Bom (39%) 3 - Razoável (26%) 4 - Fraco (2%) 5 - Não Responde (7%) 5. Almoço Solidário 1- Muito Bom (44%) 2 - Bom (26%) 3 - Razoável (0%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (30%)
  • 35. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 35 6. Qualidade Global da Convenção (tarde) 1- Muito Bom (35%) 2 - Bom (59%) 3 - Razoável (2%) 4 - Fraco (0%) 5 - Não Responde (4%) 7. Comentários/ Sugestões/ Críticas Formas de adesão aos grupos de trabalho Mais debate sobre as dinâmicas da RSO PT Encontrar metodologia para participação mais ativa Importante o apelo à participação dos vários membros nos grupos de trabalho A Convenção permitiu consolidar laços, conhecer outros membros e motivar a um maior envolvimento. Foi bastante positiva. 8. Localização da 6ª Convenção – 10 de abril de 2014 Norte (17%) Centro (37%) Alentejo (39%) Não Responde (7%) 9. Tema Territórios Socialmente Responsáveis (39%) A RS na promoção de acessibilidade (11%) 2014 – Ano Europeu da Família (39%) Outros: (7%) - Que modelo de sociedade pretendemos? - A RS nas Organizações do 3º Setor - Economia Social vs Responsabilidade Social
  • 36. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 36 4. Regulamento REDE RSO PT (V2) ÍNDICE CAPÍTULO I - Disposições Gerais Artigo 1º- Objeto Artigo 2º- Âmbito de Aplicação CAPÍTULO II - Caracterização da REDE RSO PT Artigo 3º- Enquadramento Artigo 4º- Missão Artigo 5º- Princípios Artigo 6º- Direitos e Deveres Artigo 7º- Estrutura de Gestão Artigo 8º- Assembleia Geral Artigo 9º - Comissão Executiva Artigo 10º- Grupos de Trabalho Artigo 11º- Secretariado Geral Artigo 12º- Atividades e Sustentabilidade Artigo 13º- Sede CAPÍTULO III- Admissão de membros Artigo 14º- Pedido de Adesão Artigo 15º- Processo de Admissão Artigo 16- Desistência Artigo 17º- Incumprimento de Deveres Artigo 18º - Utilização indevida da Imagem Institucional CAPÍTULO IV- Disposições Finais Artigo 19º- Aditamentos e alterações Artigo 20º- Omissões Artigo 21º- Entrada em Vigor
  • 37. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 37 CAPÍTULO I - Disposições Gerais Artigo 1º Objeto O presente Regulamento define os princípios orientadores da Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações (REDE RSO PT), a sua estrutura de gestão, o modo de funcionamento e a admissão de novos membros à REDE RSO PT. Artigo 2º Âmbito de Aplicação O presente Regulamento aplica-se a: a) todo o território nacional, continente e ilhas; b) todas as pessoas coletivas membro da Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações (REDE RSO PT). CAPÍTULO II - Caracterização da Rede RSO PT Artigo 3º Enquadramento A REDE RSO PT é uma organização sem personalidade jurídica que tem uma estrutura aberta, multissetorial e multifuncional e que agrupa entidades de referência dos setores empresarial, Administração Pública e sociedade civil, em Portugal. Artigo 4º Missão A REDE RSO PT assume como missão prioritária promover as diferentes dimensões da responsabilidade social (social, económica e ambiental) contribuindo para a mudança de cultura de gestão e dos modelos económicos e cívicos, criando e tratando indicadores, realizando e divulgando estudos, promovendo formação de capacitação e campanhas de informação e sensibilização, no sentido de acelerar a convergência entre todas as organizações, disseminação de conhecimentos e práticas de Responsabilidade Social e cumprimento de objetivos europeus. Artigo 5º Princípios 1. A REDE RSO PT e todos os seus membros pautam a sua atuação de acordo com os seguintes princípios: a) Ética e Transparência b) Direitos Humanos Fundamentais c) Boa Governança d) Diálogo com as partes interessadas e) Criação de Valor f) Gestão de Recursos Humanos g) Diversidade e Igualdade h) Proteção e Gestão Ambiental i) Desenvolvimento das Comunidades Locais j) Marketing Responsável
  • 38. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 38 2. Os princípios mencionados no número anterior constam e são melhor explicitados na “Carta de Princípios da REDE RSO PT”, anexa ao presente Regulamento e que dele faz parte integrante. Artigo 6º Direitos e Deveres 1. Constituem direitos dos membros da REDE RSO PT: a) Apresentar propostas e sugestões consideradas úteis ou necessárias à prossecução da missão da REDE RSO PT; b) Participar nas atividades da REDE RSO PT, incluindo nos Grupos de Trabalho e Equipas de Projeto. c) Ter acesso a informação periódica divulgada pela REDE RSO PT, incluindo sobre práticas de Responsabilidade Social partilhadas pelas diversas organizações integrantes da REDE RSO PT, facilitadora do processo de benchmarking; d) Ter direito de voto para eleger os membros na estrutura organizativa. 2. Constituem deveres dos membros da REDE RSO PT: a) O compromisso com os princípios e missão da REDE e a procura da excelência nas políticas e práticas de Responsabilidade Social; b) A participação nas Assembleias Gerais da REDE; c) A participação ativa nas atividades promovidas pela REDE RSO PT, nomeadamente em eventos de promoção e estudos, incluindo nos questionários periódicos dirigidos aos membros da REDE RSO PT; d) A disseminação e promoção da Responsabilidade Social, enquanto instrumento de gestão das organizações, de uma forma transparente e objetiva, junto dos públicos com os quais interage, através dos seus meios de comunicação corporativa e/ou outros disponíveis; e) A participação nos Grupos de Trabalho e nas Equipas de Projeto, zelando pelo cumprimento do Regulamento dos Grupos de Trabalho; f) A disponibilização e atualização dos contactos dos/as seus/suas interlocutores/as, junto da REDE RSO PT; g) A atualização regular de informação sobre as suas atividades, parcerias e apoios no âmbito da Responsabilidade Social. h) O respeito pelos mandatos da Comissão Executiva e aceitação das decisões da estrutura organizativa da REDE RSO PT. Artigo 7º Estrutura de Gestão A REDE RSO PT prossegue a sua missão através da seguinte estrutura de Gestão Executiva e Operacional: a) Assembleia Geral (AG) b) Comissão Executiva (CE) c) Grupos de Trabalho (GT) d) Secretariado Geral (SG) Artigo 8º Assembleia Geral 1. A Assembleia Geral é composta por todos os membros da REDE RSO PT, em pleno exercício de direitos. 2. A Assembleia Geral é presidida por um membro da REDE diferente do/a Coordenador/a da Comissão Executiva. 3. Consideram-se em pleno exercício de direito os membros que participem nas atividades principais da REDE, nomeadamente na Conferência Anual e Reunião Anual da Assembleia Geral, nos Grupos de Trabalho, nas Equipas de Projeto e nos questionários e diagnósticos periódicos obrigatórios. 4. Compete à Assembleia Geral: a) Aprovar o plano de atividades anual e os estatutos; b) Aprovar a Comissão Executiva eleita;
  • 39. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 39 c) Aprovar quaisquer outras decisões colocadas em agenda de reunião de Assembleia Geral; d) Orçamento, caso se justifique. 5. A Assembleia Geral reúne anualmente, podendo existir outras reuniões extraordinárias justificadas. 6. Os membros da REDE RSO PT podem fazer representar-se em reunião anual de Assembleia Geral, através de procuração entregue a outro membro presente; cada membro presente não poderá representar mais de 2 membros faltosos. Artigo 9º Comissão Executiva 1. A Comissão Executiva (CE) é uma unidade de gestão, constituída por membros da REDE RSO PT. 2. A Comissão Executiva (CE) é constituída por: a) entre 5 a 8 membros eleitos um período de 2 anos, pelos membros com assento na Assembleia Geral b) membros não eleitos, nomeados tacitamente enquanto coordenadores/as permanentes dos Grupos de Trabalho anualmente existentes. 3. As deliberações da Comissão Executiva (CE) são tomadas por maioria absoluta. Em caso de empate, o/a Coordenador/a da REDE tem um voto de qualidade. 4. O/A Presidente da Comissão Executiva (CE) designa-se por Coordenador/a da REDE. 5. A Comissão Executiva propõe para eleição o/a Coordenador/a da Assembleia Geral que será eleito/a por esta, o qual não pode coincidir com o/a coordenador/a da Comissão Executiva. Artigo 10º Grupos de Trabalho 1. Os Grupos de Trabalho são unidades operacionais de promoção de atividades e/ou temas concretos, nas diversas vertentes da Responsabilidade Social. 2. As temáticas abordadas pelos Grupos de Trabalho bem como a sua duração, serão geridas em função da missão da REDE RSO PT e de acordo com os interesses manifestados pelos seus membros. 3. Os Grupos de Trabalho são aprovados pela Comissão Executiva, coordenados por um membro proposto e ratificado em Assembleia Geral, e regem-se de acordo com o Regulamento dos Grupos de Trabalho, em anexo ao presente Regulamento e que dele faz parte integrante. 4. A organização deverá fazer-se representar pelo/a Coordenador/a (um membro ou mais) do Grupo de Trabalho e deverá integrar durante esse período a Comissão Executiva, enquanto membro não eleito. Artigo 11º Secretariado-Geral 1. O Secretariado Geral é uma unidade operacional constituída por membros da Comissão Executiva que assegura as atividades normais e diárias de funcionamento da REDE RSO PT, incluindo: a) a representação da REDE junto dos membros e de organizações externas; b) a gestão dos pedidos de adesão a membros; c) a comunicação externa e apoio às atividades de divulgação e marketing. 2. As funções do Secretariado Geral podem ser assumidas por um ou vários membros da REDE RSO PT, propostos pela Comissão Executiva e/ou pela Assembleia Geral. Artigo 12º Atividades e sustentabilidade 1. A REDE RSO PT prevê o desenvolvimento de atividades diversas contínuas ou periódicas que concorram para a promoção equilibrada da missão e dos objetivos.
  • 40. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 40 2. Cada membro poderá contribuir para a sustentabilidade de cada atividade, no âmbito dos diversos corpos da Estrutura organizativa ou no âmbitos dos Grupos de Trabalho e das Equipas de Projeto, nomeadamente através da afetação voluntária de recursos humanos, logísticos, financeiros e ainda mediante angariação de financiamento para a atividades em fundos ou financiamentos públicos ou patrocinadores/as públicos/as ou privados/as. 3. Cada estrutura organizativa da REDE RSO PT deve planear as atividades anuais e reportar anualmente as atividades realizadas, nomeadamente o balanço financeiro, caso se justifique. Artigo 13º Localização da Rede Não tendo a REDE RSO PT personalidade jurídica, a sua morada é em cada momento, associada à morada fiscal da organização coordenadora da REDE RSO PT, sendo por isso de privilegiar que as comunicações, disseminações e inscrições sejam feitas através da sua morada virtual: www.rsopt.com e rederso@rsopt.com CAPÍTULO III – Admissões de membros Artigo 14º Pedido de Adesão O pedido de adesão à REDE RSO PT pode ser feito a todo o tempo, através dos procedimentos definidos no Portal online da REDE RSO PT: www.rsopt.com. Artigo 15º Processo de Admissão 1. Para serem admitidas como membro as entidades candidatas deverão reunir, cumulativamente, os seguintes requisitos: a) Entidades coletivas com personalidade jurídica (de natureza pública ou privada, com ou sem fins lucrativos); b) Subscrição da Carta de Princípios; c) Preenchimento do questionário “A Nossa Responsabilidade”. 2. Após verificação preliminar dos requisitos referidos no número anterior, a Comissão Executiva decidirá sobre a admissão de novos membros e diligenciará pela sua conveniente publicitação nos canais e eventos próprios. Artigo 16º Desistência A desistência de membro deve ser comunicada, por escrito, ao/à Coordenadora da REDE RSO PT e tal ato deverá ficar registado em ata. Artigo 17º Incumprimento de Deveres O não cumprimento dos deveres por um membro REDE RSO PT, implica a impossibilidade de integrar a Assembleia Geral e poderá inclusive consubstanciar a de exclusão de membro, após análise e deliberação da Comissão Executiva. Artigo 18º Utilização indevida da imagem institucional As organizações classificadas como desistentes ou excluídas, deverão retirar de todos os seus canais de comunicação toda a informação ou imagem relativa ou associada à REDE RSO PT.
  • 41. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 41 CAPÍTULO IV – Disposições Finais Artigo 19º Aditamentos e alterações Todos os aditamentos e alterações ao presente Regulamento só serão válidos e eficazes se realizados com expressa aprovação da Comissão Executiva e ratificação da Assembleia Geral. Artigo 20º Omissões Os diferendos que possam eventualmente surgir relativamente à interpretação, execução, aplicação, alteração, resolução ou desvinculação do presente Regulamento, serão analisados individualmente em sede de Comissão Executiva e Assembleia Geral. Artigo 21º Entrada em Vigor O presente Regulamento entra em vigor no dia seguinte à ratificação pela Assembleia Geral, após aprovação pela Comissão Executiva. Versão 2 | 18 de dezembro de 2013
  • 42. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 42 5. Mapa DISSEMINAR ATITUDES | 2013 Evento/ Atividade Organização Local Data Nº de sessões Temas abordados Membro Nº Presenças RSO PT Ricón – Boletin enRedAndo RED RETOS Espanha Mensal 12 http://redretos.es/documentacion/publicaciones-2/enredando/ CM Loures Subscritores da publicação Cerimónia Pública de Assinatura do Acordo de Adesão ao Fórum de Empresas para a Igualdade (IGEN) CH Business Consulting Lisboa 18 de fevereiro 1 IAPMEI MF24 - Meu Futuro - Beja MF24 Beja 22 de fevereiro 1 Apresentação sumária RSO PT e Empreendedorismo Responsável Caixa de Mitos 120 Semana de prevenção de jovens para jovens Escola Profissional Psicossocial de Lisboa Carnide 26 de fevereiro 1 Por um Empreendedorismo Responsável - referências ao GTER e à RSO PT Caixa de Mitos 160 Portal de Educação Financeira Montepio Lisboa fevereiro - Que conselho daria às organizações do terceiro setor para que entrem na rota da autossustentabilidade financeira, garantindo assim o futuro? IAPMEI Green Project Awards CPLP Lisboa 5 de março 1 IAPMEI Prefácio Livro _ _ Trabalho alunos IPAM IAPMEI Newsletter VER Nº244 Portal VER 27 de março _ Banner da 5ª Convenção Anual RSO PT _ Separador Economia | RS Greensavers _ 9 de abril _ RSO vai debater empregabilidade e relações laborais _ Suplemento Mais Responsável OJE _ 11 de abril _ RSO PT - Uma rede de práticas sustentadas na gestão IAPMEI CMLoures Newsletter VER Nº246 Portal VER _ 12 de abril _ RSO PT - Uma rede de práticas sustentadas na gestão IAPMEI CMLoures 5ª Convenção Anual RSO PT REDE RSO PT (Task Force) Lisboa 18 de abril 1 Atividades da REDE RSO PT; Mesa redonda s/ Empregabilidade e Relações Laborais no contexto da RS Montepio, APEE, CM de Loures, IAPMEI, Process Advice Portas Abertas Organizações RSO PT: 49 (75);Participantes:134 Reservada aos Membros Organizações RSO PT: 46 (50); Participantes: 85
  • 43. ATITUDES 2013 | Relatório de Atividades RSO PT REDE RSO PT – Rede Nacional de Responsabilidade Social das Organizações 43 Reunião bilateral Hotel Alísios Albufeira 29 de abril 1 Apresentação da REDE RSO PT IAPMEI 4 Workshop do Balanço Final do Projeto MOVE PME NERA – Associação Empresarial da Região do Algarve Loulé (?) 30 de abril 1 Apresentação da REDE RSO PT IAPMEI 80 Tertúlia "Empreendedorismo Responsável" Fundação da Juventude Lisboa 10 de maio 1 Empreendedorismo Responsável IAPMEI, CECOA, CIG, Tree Institute, Fundação S. João de Deus e Fundação da Juventude 40? Seminário Internacional Cooperação Descentralizada: novos desafios, novas parcerias IMVF Lisboa 16 de maio 1 Mesa Redonda: Sector Privado e a Cooperação para o Desenvolvimento IPAMEI Encontros Multilaterais: Faro e os Desafios da Cooperação Descentralizada CMFaro Faro 28 de maio 1 O papel e a responsabilidade social das organizações na rota da sustentabilidade IAPMEI 70? 8.ª Semana da Responsabilidade Social APEE Lisboa 3 de junho 1 Mesa Redonda: A Ética na Economia – o caminho para construir confiança e fazer negócios IAPMEI 50? Avaliação de Riscos XZ Consultores Lisboa 24 de julho 1 Apresentação da REDE RSO PT XZ Consultores Encontro de Peritos/as sobre Ética & Empreendedorismo REDE RSO PT GT ER Lisboa 12 de setembro 1 Apresentação da REDE RSO PT IAPMEI Conferência Europeia de Responsabilidade Social ISQ Oeiras 17 de setembro 1 Mesa Redonda “ A Responsabilidade Social nas Organizações em Portugal: que responsabilidade e contributos dos diversos stakeholders?” Tree Institute 82 Azeméis é Social 18 de Setembro 2 CITE e APEE Green Project Awards Portugal 2013 Green Project Awards Lisboa de 1 Participação no Júri – para a categoria Iniciativa Jovem IAPMEI ? projectos Seminário «Igualdade de Género nas Organizações» ADSL Cerveira VN Cerveira 31 Outubro 1 Igualdade de Género nas Organizações» Edit Value ? III Jornadas de Economia Social EAPN Portugal / Rede Europeia Anti-Pobreza Aveiro 31 de Outubro 1 Responsabilidade Social e Ética nas Organizações com e sem fins lucrativos Tree Institute ? Iº Foro Transregional da RSE Xunta da Galicia Santiago de Compostela 29 de novembro 1 Responsabilidade Social em Portugal IAPMEI 74

×