• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Artigo formação e educação caso dianova_2012
 

Artigo formação e educação caso dianova_2012

on

  • 825 views

Como Parceiro Embaixador para a Economia Social da iniciativa "Estratégia EU 2020: Oportunidade, sim ou não?" promovida pela APG e CIEJD, a Dianova contribui para a divulgação da mesma junto do ...

Como Parceiro Embaixador para a Economia Social da iniciativa "Estratégia EU 2020: Oportunidade, sim ou não?" promovida pela APG e CIEJD, a Dianova contribui para a divulgação da mesma junto do Sector Social. Artigo contribuído da autoria de Susana Almeida, Gestora-Coordenadora do Centro de Formação Dianova, 2012

Statistics

Views

Total Views
825
Views on SlideShare
825
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Artigo formação e educação caso dianova_2012 Artigo formação e educação caso dianova_2012 Document Transcript

    • ARTIGO CONTRIBUÍDOSusana Almeida, Gestora-Coordenadora do Centro de Formação DianovaDianova Portugal EDUCAÇÃO, FORMAÇÃO E APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA«Educação, Formação e Aprendizagem ao Longo da Vida» (EF&ALV) são três conceitos queacompanham o paradigma Europeu há mais de 20 anos e que não podem ser dissociados. Odebate foi lançado para que se repensassem as estratégias globais sobre Crescimento |Competitividade | Emprego, alertando a Europa para o impacto suscitado pela sociedade dainformação, pela globalização, pelos progressos da ciência e da tecnologia e sensibilizandopara a resposta que a educação e a formação podem dar a este desafio.A consolidação da democracia, o progresso social, e consequentemente o aumento daquantidade e da qualidade do emprego são os resultados esperados das sucessivas políticascomuns que preconizam o acesso à Educação e à Formação a todos os indivíduos, ao longo detodo o seu ciclo de vida.Com o progresso, as transformações dos contextos sociais e económicos acontecem a umritmo vertiginoso, sendo necessária uma adaptação constante para a qual todos devemosestar preparados. É fundamental que neste contexto, prevaleça uma estratégia comum deapoios e incentivos à Educação e à Formação, mas principalmente que as sociedades soframuma transformação focalizada no princípio da Aprendizagem ao Longo da Vida, sob pena deque a selecção natural afecte negativamente os que não se inquietem perante este desafio.Ciente de que «o desenvolvimento comanda as aprendizagens e as aprendizagens intervêm nodesenvolvimento» (Danis e Solar, 1998), e não me explanando acerca da perspectiva holísticada aprendizagem do indivíduo, sobejamente explorada pelos especialistas da área, debruço-me sobre o papel das entidades empregadoras neste domínio.É fundamental que os Decisores das Empresas/Organizações entendam que o Crescimento e aCompetitividade se constroem com Capital Humano preparado, qualificado, formado aoLongo da Vida. Para tal, terá de prevalecer cada vez mais, uma cultura de investimento naretenção e promoção de Talentos individuais e colectivos que só se alcança quando asentidades patronais incentivam, valorizam e disponibilizam o acesso ao Conhecimento.Destaco assim a necessidade da articulação entre entidades empregadoras (de todos ossectores) e as entidades formadoras de forma a que, em conjunto, consigam delinear planosde acção que visem colmatar o défice de competências transversais com que a população
    • activa se depara no final dos ciclos de ensino obrigatório ou superior, não conseguindocorresponder às necessidades do mercado de trabalho e, consequentemente, entorpecendo odesenvolvimento.A Dianova, associação sem fins lucrativos e de utilidade pública, ao longo dos anos temaplicado e desenvolvido metodologias inovadoras de gestão organizacional, ampliando opotencial de todos os seus Stakeholders (Colaboradores/as, Parceiros, Clientes, Fornecedores,etc.).Alicerçado na acreditação como Entidade Formadora e nos cerca de 30 anos de experiência degestão da mudança e desenvolvimento organizacional, o Centro de Formação Dianovaconstitui-se um parceiro estratégico no desenvolvimento de Empresas, Pessoas e OrganizaçõesSociais, ao nível da sua capacitação técnica, intelectual e social, criando sinergias entre todosos sectores, com vista à reflexão e actuação proactiva da integração deste paradigma europeuno quotidiano.Exemplo das boas práticas da Dianova neste âmbito, são: • A aplicação de Diagnósticos de Necessidades Educativas e Formativas em Empresas, Organizações do Terceiro Sector, Escolas, Poder Local; • O desenvolvimento de planos de formação focalizados em necessidades individuais e organizacionais, potenciando o crescimento e a competitividade; • O desenvolvimento de projectos de formação co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português nas Empresas e Organizações, mitigando os custos inerentes à formação das Pessoas e estimulando o conhecimento e a sensibilização para os sistemas e dispositivos de reconhecimento e validação de aprendizagens e competências na Europa; • A consultoria especializada e o desenvolvimento de planos de formação integrados nas áreas da Gestão Organizacional, Gestão de Pessoas, Gestão da Qualidade, Gestão de Projectos, e Gestão do Desenvolvimento Pessoal e Social; Nesta última área, com especial enfoque no estímulo ao desenvolvimento da proactividade na procura e aplicação do conhecimento obtido através da Aprendizagem ao Longo da Vida e na construção e desenvolvimento de carreiras de sucesso; • A elaboração e desenvolvimento de projectos que visam o estímulo da cidadania participativa, da responsabilidade social, da sustentabilidade e ecologia, da promoção de estilos de vida saudáveis, do desenvolvimento de competências e habilidades sociais, pautados pelas orientações estratégicas «Europa 2020»;Em suma, persiste uma preocupação constante que nos deve inquietar: tendo a crise globalanulado anos de progresso económico e social, é fundamental que todos conheçam o seupapel na sociedade. Se Educação, Formação e Aprendizagem ao Longo da Vida são sinónimosde Crescimento, Competitividade e Emprego, o mercado de trabalho tem de estar atento àspolíticas e estratégias Europeias e aberto a uma transformação profunda na forma como gereo Capital Humano.
    • Por outro lado, as escolas e os centros de formação deverão desenvolver-se de forma a que osseus destinatários possam capitalizar experiências e informação que os habilitará a melhor ser-fazer-estar nos seus percursos de aprendizagem contínua. Esta aprendizagem não seconsubstancia no cumprimento das 35 horas anuais de formação a que obriga o Código doTrabalho. É muito para além disso. É coleccionar experiências e conhecimento diariamente,transformando-os e aplicando-os a novas situações. É fazer valer a máxima popular «aprenderaté morrer». É deitar por terra o velho jargão «burro velho não aprende línguas».Esta inquietação deverá conduzir-nos a todos a atitudes proactivas e verdadeiramenteempreendedoras no campo pessoal e profissional para que nos consigamos adaptar àsmudanças e desafios com que nos deparamos a curto, médio e longo prazo.Acredito que o caminho para o desenvolvimento sustentável está no desenvolvimento daexcelência da Aprendizagem ao Longo da Vida, que se conseguirá através da promoção daeficácia organizacional pela formação do Capital Humano (hard skills) e pelo incremento dassuas valências relacionais (soft skills).Susana Almeida | Gestora-Coordenadora do Centro de Formação Dianova, Dianova PortugalLicenciada na área das Ciências da Educação pela ESEL – IPL, Pós-graduada em Gestão de Projectos emParceria pelo ISCTE – IUL, entre outras formações diversas. Actualmente, desempenha funções comoGestora-Coordenadora do Centro de Formação Dianova, responsável pela gestão de uma Equipa de 3colaboradores e uma Bolsa externa de +250 Formadores, e pelo desenvolvimento estratégico do CFD.Anteriormente, desenvolveu diversos projectos nas áreas da Educação, Formação e DesenvolvimentoSociocomunitário em organizações como a Competir – Formação e Serviços, Lda., Câmara Municipal deTorres Vedras – Divisão de Ambiente, Projecto EQUAL, entre outras. A sua experiência profissional eacadémica inclui docência em diversas Escolas. -FIM-_____________Sobre a DianovaA Dianova Portugal – Intervenção em Toxicodependências e Desenvolvimento Social é publicamentereconhecida como Instituição Particular de Solidariedade Social, Associação de Utilidade Pública eOrganização Não-Governamental para o Desenvolvimento, com sede na Quinta das Lapas, MonteRedondo Torres Vedras. Tem as suas áreas de intervenção licenciadas e protocoladas pelo Instituto daDroga e Toxicodependência (IDT, IP) – actual SICAD, Instituto da Segurança Social (ISS, IP), Instituto deEmprego e Formação Profissional (IEFP), Direcção-Geral do Emprego e Relações no Trabalho (DGERT) eInstituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD-MNE).Disponibilizamos actualmente os seguintes recursos: Centro de Formação (acreditado pela DGERT),Comunidade Terapêutica (a 1ª em Portugal com Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008certificado pela SGS – ICS desde 2005), Empresa de Inserção Viveiros Floricultura, Centro de ApoioPsicossocial +Saúde e Apartamento de Reinserção Social.
    • Tendo por missão desenvolver acções e programas que contribuam activamente para a autonomiapessoal e o progresso social, alicerçada nos valores de Solidariedade • Compromisso • Tolerância •Internacionalidade, a nossa visão fundamenta-se na convicção de que, com a ajuda adequada, cadapessoa pode encontrar em si mesma os recursos para alcançar o seu desenvolvimento pessoal eintegração social.Toda a nossa intervenção assenta em quatro pilares de diferenciação: Profissionalismo e Competência,Inovação e Qualidade, Eficácia no Tratamento e Reinserção e Ética e Responsabilidade Social.Somos membro e parceiros da rede Dianova com Estatuto Consultivo Especial junto do ConselhoEconómico e Social das Nações Unidas (ECOSOC/UN), do Vienna NGO Committee on Narcotic Drugs(VNGOC), do Instituto Português de Corporate Governance (IPCG); da REDE Nacional deResponsabilidade Social das Organizações RSO PT; da European Federation of TherapeuticCommunities (EFTC), em Relações Operativas com a UNESCO, entre outras afiliações e protocolos, eainda Coordenadora Nacional das campanhas European Action On Drugs e Access City Award daComissão Europeia – DG Justiça (EC – DG JUST).Fruto do nosso desenvolvimento organizacional e cooperação, eis o nosso Impacto Social no quinquénio2007-2011 nas múltiplas áreas de intervenção: beneficiámos 21.838 Pessoas (crianças, jovens, adultose idosos).