Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this presentation? Why not share!

Agropecuária brasileira

on

  • 3,555 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,555
Views on SlideShare
3,555
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
157
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Agropecuária brasileira Agropecuária brasileira Presentation Transcript

  • Brasil possui um extenso território com relativavariedade de climas, predominantemente quentes, quenos permite o cultivo de quase todos os produtos emlarga escala. Há dificuldades em se obter uma grandeprodução de gêneros de climas de temperaturasmoderadas com custos aceitáveis. Mas, de uma maneirageral, não temos grandes problemas climáticos que nosimpeça a prática agrícola.Encontramos vários tipos desolos no país, alguns de grande fertilidade como a terra-roxa, o massapé e o solo de várzea ou aluvial. Mas, emmuitas áreas do território brasileiro, os solos possuembaixa fertilidade ou problemas como acidez elevada.
  •  Lixiviação – constitui no empobrecimento dos solos em regiões de climas muito úmidos com chuvas freqüentes que através do escoamento superficial retiram o material fértil do solo. Laterização – constitui na formação de uma crosta ferruginosa endurecida próxima à superfície do solo pela concentração de óxidos de ferro e alumínio.
  •  Erosão e esgotamento do solo – provoca a destruição física do solo e a perda de sua qualidade. Quando desprotegido, pela retirada da vegetação,acentua-se esse processo, retirando-se as partículas que formam o solo, seus constituintes minerais e orgânicos. Quando em estágio avançado provoca a formação de sulcos profundos denominados voçorocas. É causado pela ação do clima, em áreas com chuvas intensas. Mas é agravado pelo uso de técnicas agropecuárias incorretas, predatórias e prejudiciais ao solo.
  • A estrutura fundiária corresponde ao modo como as propriedades rurais estão dispersas pelo território e seus respectivos tamanhos, que facilita a compreensão das desigualdades que acontecem no campo.
  • A desigualdade estrutural fundiária brasileiraconfigura como um dos principais problemas do meiorural, isso por que interfere diretamente na quantidadede postos de trabalho, valor de salários e,automaticamente, nas condições de trabalho e omodo de vida dos trabalhadores rurais. uma grandeparte das terras do país se encontra nas mãos de umapequena parcela da população, essas pessoas sãoconhecidas como latifundiários.
  • Outra forma de concentração de terras no Brasil éproveniente também da expropriação, isso significa avenda de pequenas propriedades rurais para grandeslatifundiários com intuito de pagar dívidasgeralmente geradas em empréstimos bancários,como são muito pequenas e o nível tecnológico érestrito diversas vezes não alcançam uma boaprodutividade e os custos são elevados, dessa forma,não conseguem competir no mercado, ou seja, nãoobtêm lucros. Esse processo favorece o sistemamigratório do campo para a cidade, chamado deêxodo rural.
  • A agricultura pode ser praticada de diversas formascom um conjunto de características que passamos aapresentar a seguir:
  • mão-de-obratécnicas simples desqualificadaabundância de baixa produtividade terras rápido esgotamento dos solos
  •  Essesistema é característico de regiões com grandes extensões de terras vazias e de menor grau de desenvolvimento. Nele podemos incluir uma simples roça (como na Amazônia, entre caboclos e indígenas), com procedimentos muito simples e de caráter itinerante.
  • técnicas mão-de-obra modernas qualificada altaterras exíguas produtividade conservação dos solos
  • É um sistema característico de regiões de maior desenvolvimento,geralmente com maior ocupação humana e com o uso de pequenas e médias propriedades, especialmente produzindo para abastecimento do mercado interno. São comuns a prática da policultura e pecuária leiteira através desse sistema.
  • técnicasgrandes áreas modernas muita elevadamão-de-obra produtividade Agroindústria /monocultura exportação
  •  Essesistema passou a ocupar grandes áreas em países subdesenvolvidos ocupando seus melhores solos. Está principalmente voltada para o mercado externo. Aplica a mecanização quando possível. Mesmo assim utiliza muita mão-de-obra (trabalha com propriedades, por vezes, com milhares de hectares de extensão), principalmente temporária (o bóia-fria ou trabalhador volante), bem como o serviço de técnicos agrícolas e agrônomos.
  • A partir da segunda metade do século 20, os paísesdesenvolvidos criaram uma estratégia de elevaçãoda produção agrícola mundial por meio da introduçãode técnicas mais apropriadas de cultivo, mecanização,uso de fertilizantes, defensivos agrícolas e a utilização desementes VAR (Variedades de Alto Rendimento) emsubstituição às sementes tradicionais, menos resistentesaos defensivos agrícolas. Concebido nos EstadosUnidos, esse processo ficou conhecido como RevoluçãoVerde. Sua principal bandeira era combater a fome e amiséria dos países mais pobres, por meio da introduçãode técnicas mais modernas de cultivo.
  •  Agricultura orgânica ou agricultura biológica é o termo freqüentemente usado para designar a produção de alimentos e outros produtos vegetais que não faz uso de produtos químicos sintéticos, tais como fertilizantes e pesticidas, nem de organismos geneticamente modificados, e geralmente adere aos princípios de agricultura sustentável. A sua base é holística e põe ênfase no solo. Os seus proponentes acreditam que num solo saudável, mantido sem o uso de fertilizantes e pesticidas feitos pelo homem, os alimentos tenham qualidade superior a de alimentos convencionais.
  •  Milho – é o principal produto de nossa agricultura, de amplo consumo interno, não só pelas pessoas mas também utilizado como ração animal. É cultivado em simples roçados e também em grandes propriedades mecanizadas, com maior produção no Centro-Sul do país; Soja – o maior produto agrícola de exportação do país. Foi o cultivo de maior expansão nas últimas décadas do século XX. Grande parte da produção é exportada no momento de entressafra para os países do hemisfério norte. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais; Café – o Brasil continua sendo o maior produtor e exportador mundial e procura atualmente melhorar a imagem de qualidade do café que produz e exporta para conquistar novos mercados mais seletivos. Minas Gerais é o maior produtor nacional. O problema de geadas em terras paulistas e paranaenses deslocou esse cultivo mais para o norte, invadindo o Centro-Oeste e até a Amazônia;
  •  Cana – o Brasil também costuma aparecer como o maior produtor mundial e um grande exportador de açúcar. No entanto, a grande expansão da cana a partir de meados da década de 1970 se deveu a criação do Pró-álcool que levou a cana a ocupar grandes extensões no Estado de São Paulo, o maior produtor nacional; Arroz – importante alimento para abastecer o mercado interno, muitas vezes com produção insuficiente para abastecê-lo, pode ser encontrado do sul ao norte do país. As áreas mais recentes de produção estão no Centro-Oeste e Amazônia. O Brasil chega a ser o maior produtor ocidental desse gênero agrícola; Trigo – talvez o maior problema em nossa produção agrícola porque 2/3 do mercado interno continuam sendo abastecidos com o trigo importado da Argentina e EUA. Novas áreas de produção em climas mais quentes permitem um aumento da colheita do trigo no país, mas com uma produtividade menor e a um custo mais elevado;
  •  Algodão – a produção é crescente para um mercado interno também em expansão, especialmente na indústria têxtil. O Centro-Oeste tem se tornado a principal área de cultivo, com destaque para o Mato Grosso; Cacau – com dificuldades para manter posição de destaque no mercado externo, a principal área de produção é o sul da Bahia, na região de Ilhéus e Itabuna. Cultura afetada pela praga da vassoura-debruxa que levou produtores do cacau a partirem para outros empreendimentos; Laranja – o Brasil disputa com os EUA a liderança mundial e é grande exportador, especialmente para o próprio mercado norte-americano. São Paulo é o líder da produção nacional;
  •  Uva – destaca-se a área de produção das Serras Gaúchas, com destino para a produção de vinho. Estamos apresentando aumento no total colhido, bem como melhoria de qualidade, indispensável para vendas externas de vinho. Além desses produtos podemos lembrar do feijão (MG- SP), importante alimento para o mercado interno, a mandioca, a banana (Vale do Ribeira) além da maior produção de frutas tropicais.
  • A produção de etanol pode prejudicar a produção de alimentos no mundo?Dificilmente, já que isso apenas aconteceria casoos países utilizassem a produção agrícola com fins energéticos. Atualmente, o mundo produz maisalimento do que consome. Parte da alta de preços de alimentos no planeta pode ser atribuída à expansão da lavoura de milho voltada para aprodução de etanol nos Estados Unidos. No Brasil, porém, são poucas as chances de isso ocorrer.
  • Se isso acontecer, quais serão os efeitos? A redução das superfícies destinadas aos alimentos contribuiria para o aumento dos preços dos mantimentos. O que tem mais chance de acontecer,porém, é um deslocamento das lavouras à medida que a cana dominar os espaços antes ocupados por outras culturas. Pode haver ajustes de preços regionais por causa de mudanças na logística de abastecimento. Não se pode, contudo, desprezar o fato de que os avanços da tecnologia agrícola poderão provergrandes aumentos de produtividade nos próximos anos
  • O país tem grande potencial de crescimento da produção de alimentos e etanol, embora ele considere mais lucrativo para o Brasil expandir a lavoura de alimentos. É possível sem colocar em risco áreas de preservação ambiental. Dos 851 milhões de hectares do território nacional, 470 milhões são intocáveis, compostos de florestas, reservas, rios, represas ou já ocupados por malhas urbanas. Ainda há 220 milhões para criação animal, 70 milhões já ocupados pela atividade agrícola e cerca de 90 milhões de hectares agricultáveis ainda não usados. Temos potencial agrícola numa área maior do que toda aquela utilizada hoje. Nenhum outro país tem um potencial como o nosso. O Brasil precisa de uma política agrícola, coisa que nunca teve. Ela tem de ser fundamentada nos conceitos da agropecuária. O que tivemos até hoje foram planos econômicos para agricultura.
  •  No Brasil ainda se verificam situações de trabalho escravo e infantil. Segundo dados do Departamento de Trabalho do governo dos Estados Unidos da América, o país ocupa o terceiro lugar no mundo em ocorrências dessas modalidades ilegais de trabalho (junto a Índia e Bangladesh, empatados), sendo que o setor de agronegócio responde com oito das treze atividades em que tais irregularidades têm maior incidência, com destaque para a pecuária e os cultivos de sisal, cana-de-açúcar, arroz, tabaco e carvão vegetal.
  •  http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/pe rguntas_respostas/biocombustiveis_alimento s/index.shtml http://noticias.universia.com.br/destaque/n oticia/2008/07/17/421683/roduo-alimentos- x-produo-biocombustiveis.html