Your SlideShare is downloading. ×
0
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Allan Cain - Alteracoes climaticas e assentamentos costeiros, DW Debate 18/07/2014

594

Published on

No dia 18 de Julho 2014, Allan Cain, arquitécto e director da Development Workshop, apresentou o projecto sobre adaptação às Alterações Climáticas e Gestão de Recursos Hídricos nos Assentamentos …

No dia 18 de Julho 2014, Allan Cain, arquitécto e director da Development Workshop, apresentou o projecto sobre adaptação às Alterações Climáticas e Gestão de Recursos Hídricos nos Assentamentos Costeiros em Angola.

A apresentação contou com os seguintes subtemas: A mudança climática está acontecendo agora, IDRC sobre Adaptação às Alterações Climáticas estratégia de pesquisa, alterações climáticas, assentamentos afectadas na região costeira e sua hidrologia, assentamentos humanos e habitação, urbanização rápida em Angola, densidade populacional de Luanda, problemas crónicas ambientais urbanas, variabilidade do clima Angolana, temperaturas, assentamentos humanos e habitação, factores ambientais, estatísticas meteorológicas e conflito, recuperação de dados histórico perdidos, precipitação média anual em Angola, variabilidade da precipitação de ano para outro, correntes frias e baixa precipitação, variabilidade nas correntes costeiras, chuvas em áreas de alta variabilidade, resultados alta variabilidade em inundações e erosão, inundações e erosão, precipitação, assentamentos humanos e habitação, assentamentos angolanos e a variabilidade climática, assentamentos em risco, levantamento dos danos e riscos, modelo digital do terreno (GIS), avaliação dos tipos de risco ambiental, avaliação dos tipos de risco ambiental, mapeamento dos doencas ambientais, risco ambiental e valores de terra e adaptação.

Segundo Arquiteto Cain, este é um projecto que está a decorrer ainda na província de Luanda com mais precisão, mas com perspectivas de se expandir a outras zonas costeiras de Angola como: Benguela, Cabinda, Namibe e no Soyo.

Published in: Government & Nonprofit
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
594
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Adaptação às Alterações Climáticas e Gestão de Recursos Hídricos nos Assentamentos Costeiros em Angola apresentado por Development Workshop Angola com apoio de International Development Research Centre Luanda - 18 de Junho de 2014 Ministério do Ambiente
  • 2. Source: IPCC AR4, WG 1, 2007. A mudança climática está acontecendo agora
  • 3. Concentre-se em adaptação desde 2005 •  Água, agricultura, saúde, urbanas e rurais, as zonas costeiras contextos •  Adaptação às Alterações Climáticas em África programa (CCAA) (2006 - 2012) •  Programa de Mudanças Climáticas e Água (CCW) (2010 - 2015) •  Iniciativa Adaptação de Pesquisa Colaborativa em África e na Ásia do Programa (CARIAA) (2012-2019) IDRC sobre Adaptação às Alterações Climáticas
  • 4. A programa da pesquisa para contribuir a compreensão da variabilidade climática e tendências climáticas nas zonas costeiras de Angola. Identificar os riscos ambientais urbanos (erosão, inundações, para abastecimento de água, do nível do mar, intrusão de água salgada) e seus impactos sobre nos zonas urbanas costeiras. Compreender os aspectos espaciais de acesso e acessibilidade de água potável, os níveis de pobreza e vulnerabilidade ambiental em áreas urbanas. Desenvolver um sistema de informação geográfica (GIS) e mapeamento dos diferentes aspectos: densidade populacional, acesso à água, pobreza e riscos ambientais. Estratégia de pesquisa
  • 5. Estratégia de pesquisa Fortalecemento da capacidade para a recolha e análise sistemática de dados, desenvolvimento de políticas e avaliação de impacto e risco . Parceria com as autoridades nacionais e locais, a organizações da sociedade civil. Disponibilizar informação para planificadores, académicos e pesquisadores, para um trabalho continuado nestas áreas, e para uma planificação contínua de adaptação.
  • 6. • As alterações climáticas são alterações ao longo do tempo quer devido à variabilidade natural ou como resultado da actividade humana. • Uma consequência das alterações climáticas é que no futuro as temperaturas serão mais elevadas de que actualmente. • O aumento depende das medidas tomadas para travar as alterações climáticas mas pode haver um aumento significativo durante os próximos 100 anos. • Outra consequência, na costa marítima, é a subida do nível do mar. Alterações climáticas
  • 7. • Os correntes da costa marítima (como o Corrente de Benguela) são parte do sistema global e podem alterar devido a alterações climáticas. • As consequências das alterações climáticas para a precipitação depende da área. • Ao longo da costa marítima de Angola há um alto nível de variabilidade de precipitação dum ano a outro, e a precipitação num certo ano depende em parte da temperature do mar e assim da situação do Corrente de Benguela. Alterações climáticas
  • 8. Assentamentos humanos e habitação Quatro décadas de guerra causaram uma grande mudança demográfica Angolana As populações de áreas de conflito rural fugiram para a seguranca dos assentamentos urbanos no litoral Resultando em uma urbanização rápida do país.
  • 9. Urbanização rapida em Angola • Angola ao longo deste período foi o país mais rapidamente urbanizado na região Sul Africano. • A cidade de Luanda, com uma taxa de crescimento média de 7% é a cidade que mais cresce na África.
  • 10. Luanda
  • 11. SISTEMA DE INFORMAÇÃO TERRITORIAL Densidade populacional de Luanda
  • 12. Problemas crónicas ambientais urbanas • A situação ambiental nas áreas periféricas das cidades de Angola foi se deteriorando progressivamente durante muitas décadas de conflitos armados. • Podem ser consideradas como estando em crise crónica de saúde pública e do saneamento ambiental. • O crescimento dos sistemas de saneamento e a manutenção não manteve o ritmo do crescimento populacional. • As populaçoes mais vulneravais são localizados em sítios de riscos ambientais tal como ao longo de rios ou linhas de drenagem, susceptíveis a erosões severas. • Certas grandes cidades costeiras de Angola estão localizadas na foz das bacias hidrográficas que colocam estes assentamentos em locais de risco.
  • 13. Assentamentos afetadas na região costeira e sua hidrologia Soyo Luanda Benguela Namibe Cabinda
  • 14. Variabilidade do clima Angolana Os dados disponíveis são limitados, salvo para Luanda. • Luanda: Número de anos com 600 mm ou mais de precipitação • 1879 a 1900 0 • 1901 a 1950 4 • 1951 a 2000 9 • Um hipotese é que, ao longo da costa maritima, a probabilidade de chuvas intensas aumenta.
  • 15. Temperaturas, assentamentos humanos e habitação • As alterações climáticas vão tornar mais graves vulnerabilidades existentes. • O aumento das temperaturas pode ter um impacto na saúde humana através duma modificação da distribuição geográfica de doenças como o paludismo. • Ligado às ilhas de calor urbanas, pode ter um impacto sobre o conforto humano para viver, dormir e trabalhar em temperaturas elevadas. • Tem implicações para a adaptação e orientação de habitação.
  • 16. Mortalidade devido ao alto risco ambiental Indice Multidimensional de Pobreza
  • 17. Factores ambientais Aguas Insolação Percipitação O clima de Angola é diverso. Angola situa-se entre áreas áridas e semi-áridas ao sul e áreas húmidas ao norte. Por isso há muitas incertezas sobre a o impacto das alterações climáticas nesta região e provavelmente o impacto vai ser diferente conforme a área do país
  • 18. • A guerra resultou na destruição de infra-estrutura e das instituições durante quarentos anos. • A capacidade do Governo para manter uma presença administrativa e coletar dados de todos os tipos também foi afetada. • As últimas estatísticas meteorológicas nacionais completo foram publicadas para o ano 1974. • O governo colonial tinha acumulado uma extensa rede de mais de 500 estações meteorológicas em todo o país. • Exceto por algumas estações urbanas como Luanda relatórios mais cessaram ou foram abandonadas no ano seguinte. Estatísticas meteorológicas e conflicto
  • 19. Estatísticas meteorológicas e conflicto O "gap" dos dados de mais de 30 anos de informações meteorológicas coincide com o recente período de acelerada mudança climática. 1932 1972 2007
  • 20. Recuperação de dados histórico perdidos • Projeto de pesquisa da Development Workshop inclui um componente de análise de dados históricos de chuvas • Documentos em papel e fontes históricas de dados pluviométricos arquivados para Angola, expandir e preencher as lacunas nas fontes digitalizadas do Instituto Nacional de Meteorologia. • O banco de dados resultante é que está sendo usado para examinar a variabilidade da precipitação e mudar, e mapear os resultados.
  • 21. Precipitação média anual em Angola • Chuvas diminuem de norte a sul em Angola • No entanto, a costa atlântica é mais seco do que o interior • Efeitos da chuva fria Corrente de Benguela inibindo em áreas costeiras
  • 22. • A medição de variabilidade é o coeficiente de variação. • O mapa mostra que a variabilidade da precipitação é maior no litoral e diminui com a distância para o interior. Variabilidade da precipitação de ano para outro
  • 23. Correntes frias e baixa precipitação • Análise de dados de precipitação histórica Angola demonstra que as correntes costeiras frias faz com que a chuva normal baixo • A intrusão ocasional de águas mais quentes é um fator que leva a anos com maior pluviosidade. • Um pequeno desvio da corrente pode produzir variação significativa na precipitação. • Normalmente, é só no final da estação de chuvas que a entrada de água mais quente entre a corrente oceânica fria e da costa trazer fortes chuvas.
  • 24. Variabilidade nas correntes costeiras Nas zonas costeiras que têm uma alta variabilidade, a chuva ocorre principalmente em março (no sul) e abril (no norte).
  • 25. Chuvas em áreas de alta variabilidade • As chuvas nesta área costeira tendem a cair como muito pesadas, tempestades isoladas. • Uma alta proporção da precipitação média anual pode cair em um dia.
  • 26. Resultados alta variabilidade em inundações e erosão • Alta variabilidade produz condições para inundações nas cidades em rápido crescimento das regiões costeiras de Angola. • Fortes chuvas em período muito curto faz com que as partículas finas e milímetros do solo e depósitos-los como uma crosta repelente de água. • Isso aumenta o escoamento e nível de água nos rios que os torna sobe rapidamente. • As cidades também podem ser afetados por tempestades na própria área urbana.
  • 27. Inundações e erosão • Um número significativo de agregados familiares em estudos domésticos da DW dizer que a sua área é afetada por inundações ou de erosão. • Embora a Cabinda tem mais chuva, menos famílias são afetadas por inundações e erosão • Luanda - 20,0% dos domicílios • Cabinda - 6,4% dos domicílios
  • 28. Precipitação, assentamentos humanos e habitação • Chuvas mais intensas em sítio cria o risco de inundações e de erosão das cidades. • Em certos casos chuvas intensas no interior aumenta o caudal dos rios e cria o risco de inundações e de erosão das zonas habitadas aos seus lados.
  • 29. Precipitação, assentamentos humanos e habitação • Inundações mais frequentes criam riscos de doenças ligadas a situações de saneamento deficiente. • O planeamento dos assentamentos humanos no litoral devem tomar em conta também os riscos de cheias e a necessidade de reduzir os riscos de erosão dos solos
  • 30. • Doenças diarréicas como a cólera têm sido endêmica em Luanda e em algumas outras cidades costeiras que levam a surtos periódicos, por exemplo em 2006 com mais de trinta mil casos e algumas centenas de mortes. • Uma sucessão de enchentes devastadoras nos últimos anos em cidades como Luanda, Benguela e Namibe pode ser atribuída a uma combinação de factores, – Chuvas intensas mais frequentes – A ocupação humana de zonas vulneráveis – A remoção da vegetação natural nas bacias hidrográficas contíguas. Assentamentos Angolanos e a variabilidade climática
  • 31. • A pesquisa de Development Workshop tem demonstrado que, em Luanda, muitos deslocados internos e outras famílias pobres se instalaram em zonas da cidade de alto risco de inundação e erosão . • Devido ao aumento rápido das rendas, os mais pobres mudam de casa para áreas de risco ambiental. • Essas áreas tendem a ser baixas zonas costeiras, bacias hidrográficas suscetíveis a inundações ou com riscos de erosão elevados. • Essas áreas são quase sempre sem serviços de saneamento e abastecimento de água significa que a água do solo seja poluída. Assentamentos em risco
  • 32. • Uma. Assentamentos em risco Áreas onde asÁreas onde as águas daságuas das chuvas mantêmchuvas mantêm se visíveis.se visíveis. (Fotos(Fotos tiradas num voo sobre atiradas num voo sobre a cidade)cidade) Levantamento dos danos e riscos
  • 33. Assentamentos em risco
  • 34. Modelo digital do terreno (GIS) MapeamentoMapeamento participativoparticipativo dosdos danos e riscosdanos e riscos baseou-se nestebaseou-se neste conjunto de dadosconjunto de dados Senso Remoto
  • 35. Áreas e tipos de inundação Declives Buracos Desabamento Lago Desabamento/lagoa Lagoa Ravinas e inundação Águas estagnadas <15m 15 – 30m 30 -45m 45 – 60m >60m Avaliação dos tipos de risco ambiental
  • 36. Dano estrutural das construções: desabamentos. Danos ambientais
  • 37. Mapeamento dos doencas ambientais
  • 38. Risco ambiental e valores de terra Assentamentos em risco
  • 39. • Áreas urbanas de risco ambiental já estão localizadas desproporcionalmente em áreas baixas do litoral. As alterações climáticas vão aumentar o risco de elevação dos mares e o risco de inundações. • Preparação para desastres e planos de gestão são componentes vitais de uma estratégia de adaptação. • O planeamento urbano precisa refletir formal, hipóteses sobre as alterações climáticas, tendo em conta novas informações sobre possíveis variações • As próprias comunidades, através de esforços micro-planejamento na organização coletiva, pode desenvolver planos e infra-estrutura necessária para reduzir sua vulnerabilidade a desastres naturais. Adaptação
  • 40. Obrigado

×