• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Modo Pânico
 

Modo Pânico

on

  • 827 views

Compiladores são programas que realizam a tradução de um código fonte escrito em uma linguagem para um programa equivalente em outra linguagem (linguagem objeto). Um compilador pode ser dividido ...

Compiladores são programas que realizam a tradução de um código fonte escrito em uma linguagem para um programa equivalente em outra linguagem (linguagem objeto). Um compilador pode ser dividido em duas etapas: Análise, também chamada de front end, composta pelas análises léxica, sintática e semântica e pela geração de código intermediário; e Síntese (back end), composta pela geração do código objeto. No front end podem ocorrer diferentes tipos de erros e, para cada um desses, existem técnicas adequadas para sua recuperação. Neste seminário, será abordada uma técnica de recuperação de erros sintáticos chamada de modalidade do desespero ou modo pânico.

Statistics

Views

Total Views
827
Views on SlideShare
827
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Modo Pânico Modo Pânico Presentation Transcript

    • Modo Pânico Uma técnica de recuperação de erros sintáticos em compiladores Demontiê Junior Izabela Melodemontie@dsc.ufcg.edu.br izabela@dsc.ufcg.edu.br
    • Agenda• O que é um Compilador?• Fases de um Compilador• Análise Sintática o Análise Sintática Preditiva• Recuperação de Erros• Modo Pânico o Exemplo prático• Considerações finais Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 2
    • INTRODUÇÃO MODO PÂNICO EXEMPLOCONSIDERAÇÕES FINAIS
    • O que é um compilador? Fonte Compilador Destino_________ __________________ __________________ __________________ ______________ _____ Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 4
    • Outros processadores de linguagens• Interpretadores Fonte _______ _______ ______ Entrada RESULTADOS Interpretador Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 5
    • Outros processadores de linguagens• Compiladores JITs Aplicação Java Bytecode Máquina Virtual Compilador JIT Código de Máquina Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 6
    • Fases de um compilador Fluxo de caracteres Analisador Léxico Fluxo de tokensEx.: Meu nome é Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 7
    • Fases de um compilador Fluxo de caracteres Analisador Léxico Fluxo de tokens Analisador Sintático Árvore SintáticaEx.: Hoje, não pagarei-te o almoço! Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 8
    • Fases de um compilador Fluxo de caracteres Analisador Léxico Fluxo de tokens Analisador Sintático Árvore Sintática Analisador Semântico Árvore SintáticaEx.: cachorroVocê quer ir para casa ou cachorro? Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 9
    • Fases de um compilador Fluxo de caracteres Analisador Léxico Fluxo de tokens Analisador Sintático Árvore Sintática Analisador Semântico Árvore Sintática Tabela Gerador de Código de Intermediário Símbolos Representação Intermediária Otimizador de Código Independente de Máquina Representação Intermediária Gerador de Código Código de máquina destinoNotas de aula do Prof. Franklin Ramalho Otimizador de Código Código de máquina (UFCG/CEEI/DSC) Dependente de Máquina destino Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 10
    • Análise Sintática• Analisa a estrutura gramatical dos tokens no programa fonte• Produz uma estrutura intermediária – Árvore Sintática Notas de aula do Prof. Franklin Ramalho (UFCG/CEEI/DSC) Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 11
    • Análise Sintática• Gramáticas Livre de Contexto (BNF) – Elementos terminais – Elementos não terminais• Ex.: E E + E E E - E E (E) E T T 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 ((9 – 3) + 2 + 5) é uma derivação válida? Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 12
    • Análise Sintática• Tipos de algoritmos – Análise Sintática Descendente • Recursiva • Preditiva (LL) – Análise Sintática Ascendente (Shift-Reduce) • SLR • LR Canônico Mais complexos • LALR Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 13
    • Análise Sintática Preditiva• Utiliza as funções FIRST e FOLLOW para determinar de forma não ambígua a regra de produção a ser analisada• FIRST(α) é o conjunto de terminais que podem iniciar as cadeias derivadas de α• FOLLOW(A) é o conjunto de terminais que podem aparecer à direita de A numa forma sentencial Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 14
    • Análise Sintática Preditiva• A partir das funções FIRST e FOLLOW, é construída uma tabela – As linhas representam os não terminais – As colunas representam os terminais – Cada célula é preenchida com a regra de produção que deve ser analisada para o não terminal A e o terminal a – Se não houver uma regra de produção, a célula indica um erro Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 15
    • Análise Sintática Preditiva Notas de aula do Prof. Franklin Ramalho (UFCG/CEEI/DSC) Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 16
    • Recuperação de Erros Sintáticos• Um bom compilador deve informar todos os erros à medida em que aparecem• O compilador precisa voltar a um estado do qual ele possa prosseguir• Ex.: int a = 0; while (x > 0){ a = a x; x--; } Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 17
    • Recuperação de Erros Sintáticos• Existem várias estratégias – Recuperação em Nível de Frase – Produções de Erro – Correção Global – e... Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 18
    • INTRODUÇÃO MODO PÂNICO EXEMPLOCONSIDERAÇÕES FINAIS
    • Ideia Central• Conhecido também por “Modalidade do Desespero”• Define um conjunto de tokens de sincronização• Ao encontrar um erro, descarta os símbolos da entrada até encontrar um token de sincronização Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 20
    • Definindo os Tokens de Sincronização• Cada não terminal possui um conjunto desses tokens• Um bom conjunto pode definir a qualidade do algoritmo de recuperação de erros• Heurística: podemos incluir todos os tokens em FOLLOW(A) no conjunto de tokens de sincronização do não terminal A Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 21
    • Abordagem• Ao encontrar um token inesperado – Se for um token de erro, o analisador sintático ignora o símbolo da entrada – Se for um token de sincronização, o analisador desempilha o não terminal no topo da pilha – Se o terminal no topo da pilha não casar com a entrada, ele é desempilhado Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 22
    • INTRODUÇÃO MODO PÂNICO EXEMPLOCONSIDERAÇÕES FINAIS
    • GramáticaE T E | єT id AA = F;F id | num Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 24
    • Realizando Análise Preditiva• Cálculo das funções FIRST e FOLLOW FIRST(id) = {id} FIRST(=) = {=} FIRST(;) = {;} FIRST(num) = {num} FIRST(E) = {id, є} FIRST(T) = {id} FIRST(A) = {=} FIRST(F) = {id, num} FOLLOW(E) = {$} FOLLOW(T) = {id, $} FOLLOW(A) = {id, $} FOLLOW(F) = {;} Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 25
    • Realizando Análise Preditiva• Construindo a tabela para o analisador id ; = num $ E E TE E Є T T id A sinc A A = F; sinc F F id sinc F num Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 26
    • Realizando Análise Preditiva• Ex.: a=; b = 3; Pilha Entrada Ação $E a = ; b = 3; E TE $ET a = ; b = 3; T id A $ E A id a = ; b = 3; Desempilha id $EA = ; b = 3; A = F; $E;F= = ; b = 3; Desempilha = $E;F ; b = 3; Desempilha F $E; ; b = 3; Desempilha ; $E b = 3; E TE ... Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 27
    • INTRODUÇÃO MODO PÂNICO EXEMPLOCONSIDERAÇÕES FINAIS
    • Considerações Finais• Vantagens – Simplicidade – Garantia de não entrar num laço infinito• Desvantagens – Não captura erros múltiplos num mesmo enunciado Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 29
    • ReferênciasAHO, A.V.; SETHI, R.; ULLMAN, J.D. Compiladores:Princípios, Técnicas e Ferramentas. 2ª edição. Ed. LTC,2006.Notas de aula do Prof. Franklin Ramalho (UFCG/CEEI/DSC) http://www.dsc.ufcg.edu.br/~franklin/pp/http://www.ybadoo.com.br/ead/cmp/04/CMP_slides.pdf. Útimo acesso em 11/06/2011. Ciclo de Seminários Técnicos - Modo Pânico Demontiê Junior e Izabela Melo 30
    • Modo Pânico Uma técnica de recuperação de erros sintáticos em compiladores Demontiê Junior Izabela Melodemontie@dsc.ufcg.edu.br izabela@dsc.ufcg.edu.br