Prof demetrio brasil fatores climaticos

2,951 views
2,813 views

Published on

Síntese sobre as principais variáveis sobre a dinâmica climática no Brasil.

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,951
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
439
Actions
Shares
0
Downloads
115
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Prof demetrio brasil fatores climaticos

  1. 1. www.facebook/demetrio.melo.71 www.slideshare.net/Demetrio33 www.melo-geografia.blogspot.com
  2. 2. • OBJETIVOS: • RELACIONAR OS FATORES ATMOSFÉRICOS E AS CONDIÇÕES GEOGRÁFICAS NA COMPOSIÇÃO DOS DIFERENTES AMBIENTES CLIMÁTICOS DO BRASIL. • AUXILIAR NA COMPREENSÃO DAS FORMAÇÕES VEGETAIS E HIDROGRÁFICAS DO BRASIL.
  3. 3. O tempo é o momento da atmosfera com suas variáveis: umidade, temperatura, ventos, precipitações (chuva, orvalho, neve, ganizo). A meteorologia é a ciência que estuda o tempo atmosférico, com previsões de até uma semana. Já o clima são as mesmas variáveis que se sucedem durante centenas, milhares de anos constituindo as paisagens naturais do planeta. Ou seja, o ambiente é uma síntese do clima, que tem direta relação com os domínios naturais.
  4. 4. Competência de Área Competência de área 6 - Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos. Habilidades H26 - Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as relações da vida humana com a paisagem. H28 - Relacionar o uso das tecnologias com os impactos socioambientais em diferentes contextos histórico-geográficos. http://melo-geografia.blogspot.com.br/2013/06/diretrizes- curriculares-em-geografia.html
  5. 5. Percebe-se que com a corrente na costa brasileira há maior precipitação
  6. 6. Atuam sobre o território brasileiro cinco massas de ar, que conforme as estações aumentam ou reduzem as precipitações e a umidade.
  7. 7. As correntes oceânicas têm influência direta na determinação climática do Brasil. A Corrente quente do Brasil traz chuvas abundantes para o litoral, o que permitiu a formação do Clima tropical litorâneo
  8. 8. No Clima equatorial as chuvas são elevadas. Os rios estão sempre correntes e a vegetação é exuberante, como na foto ao lado. A mEc controla as chuvas no interior do Brasil durante o verão. Paisagem densa com rios perenes e de grande volume.
  9. 9. Clima tropical semiárido controlado por um sistema de alta pressão atmosférica, relevo elevado nas bordas litorâneas e a depressão sertaneja contribuem para uma pequena precipitação média anual. Paisagem mais densa próximas a açudes e lagos perenes.
  10. 10. O Clima subtropical possui elevada amplitude térmica estacional. E a corrente quente do Brasil eleva as precipitações, esse clima não vê estação seca. Em razão da atuação de massas tropicais não se desenvolve um clima frio temperado. Paisagem com Araucária em destaque.
  11. 11. No Clima tropical de altitude os verões não são muito quentes, mas os invernos são um pouco mais frios. Apresenta uma amplitude térmica alta. Visão geral de parcial da cidade de Ouro Preto-MG Mata Atlântica
  12. 12. Clima tropical típico tem chuvas concentradas no verão, com longo período de estiagem e umidade muito baixa. Aspecto geral do Cerrado, com formação arbóreo-arbustiva, e um extenso relevo planáltico.
  13. 13. Movimentação atmosférica na primavera do hemisfério sul. Concentração de nebulosidade a partir da Região Amazônica
  14. 14. Movimentação atmosférica no outono do hemisfério sul. Maior ocorrência de nebulosidade ao longo do litoral brasileiro.
  15. 15. Furacão que atingiu a Região Sul do Brasil no final de março de 2004. As faixas subtropicais são áreas propícias as altas pressões atmosféricas (ciclonais). Clique no link a seguir para ver o furacão Irene: http://www.youtube.com/watch?v=i0BsC0P43os
  16. 16. Chuvas orográficas Além de ser um divisor de águas o relevo pode dificultar a entrada de massas oceânicas no continente. Cria assim um sistema de chuvas local mais concentrado em determinadas altitudes.
  17. 17. Nas grandes altitudes a pressão atmosférica diminui, fazendo o mesmo com a temperatura. A precipitação predominante é a neve.
  18. 18. Nos polos a incidência de energia solar é menor, o que proporciona paisagens gélidas. A entrada menor de energia solar se deve pela distância que os polos têm da linha do equador. Raios solares Raios solares Na zona intertropical os raios solares entram na Terra de forma perpendicular, aumentando a quantidade de energia térmica.
  19. 19. Amplitude Térmica: diferença de temperatura entre a mínima e a máxima. Pode ser diária, mensal, anual, decenal. Latitude: distância angular a partir do equador. Umidade: quantidade de vapor de água no ar atmosférico. Pressão atmosférica: é a força por unidade de área, exercida pelo ar contra uma superfície. Climograma: gráficos que sintetizam décadas das condições do ambiente. Massa de ar: são porções da atmosfera com condições físico-químicas definidas. Corrente oceânica: são massas liquidas que se movimentam em função da rotação, das diferenças de densidade e da temperatura. Altitude: é a distância em metros do relevo a partir do nível do oceano. Chuva orográfica: resultado da influência das maiores altitudes sobre a umidade, o que leva a essa precipitação. Afélio: ponto em que a Terra está mais distante do Sol, em julho. Periélio: ponto em que a Terra fica mais próxima do Sol, em janeiro.
  20. 20. Bons estudos Entre em contato para maiores esclarecimentos: www.facebook.com/demetrio.melo.71 www.melo-geografia.blogspot.com www.slideshare.net/Demetrio33 Prof. Demétrio Melo

×