19 slids soluções logística de mobilidade urbana para ceará

  • 125 views
Uploaded on

COMO MEMBRO DA CÂMARA TEMÁTICA DE LOGÍSTICA DO CEARÁ-ADECE APRESENTO NESSE TRABALHO SOLUÇÕES LOGÍSTICA DE MOBILIDADE URBANA PARA O ESTADO DO CEARÁ, DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO EM VIGOR: …

COMO MEMBRO DA CÂMARA TEMÁTICA DE LOGÍSTICA DO CEARÁ-ADECE APRESENTO NESSE TRABALHO SOLUÇÕES LOGÍSTICA DE MOBILIDADE URBANA PARA O ESTADO DO CEARÁ, DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO EM VIGOR: 12.587/2012 DE 13/04/2012 PLAMOB.

More in: News & Politics
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
125
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
2
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. SOLUÇÕES LOGÍSTICA DE MOBILIDADE URBANA Câmara Temática de Logística do Ceará-ADECE PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL
  • 2. Lei da Mobilidade Urbana  Entrou em vigor (13/04/2012) a Lei nº 12.587/2012, que tem como objetivos melhorar a acessibilidade e a mobilidade das pessoas e cargas nos municípios e integrar os diferentes modos de transporte.  A legislação, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, foi sancionada em janeiro e dá prioridade a meios de transporte não motorizados e ao serviço público coletivo, além da integração entre os modos e serviços de transporte urbano.  A lei prevê instrumentos para melhorar a mobilidade urbana nas grandes cidades, como a restrição da circulação em horários predeterminados, a exemplo do que já existe em São Paulo.  Também permite a cobrança de tarifas para a utilização de infraestrutura urbana, espaços exclusivos para o Transporte Público Coletivo e para meios de Transporte não motorizados, além de estabelecer políticas para estacionamentos públicos e privados. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 2
  • 3. Lei da Mobilidade Urbana  A nova lei exige que os municípios com mais de 20 mil habitantes elaborem Planos de Mobilidade Urbana em até três anos, que devem ser integrados aos planos diretores.  Atualmente, essa obrigação é imposta aos municípios com mais de 500 mil habitantes.  As Cidades que não cumprirem essa determinação podem ter os repasses federais destinados a Políticas de Mobilidade Urbana suspensos.  “O governo federal não vai poder liberar nada contrário à lei, então, quanto mais rápido os municípios fizerem seus planos, mais fácil será a liberação de seus projetos”. http://www.youtube.com/watch?v=epqsTLnu9Ss 4 minutos PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 3
  • 4. Lei da Mobilidade Urbana  Os Principais pontos da Política Nacional de Mobilidade Urbana são: a) a prioridade dos modos de transporte não motorizados e dos serviços públicos coletivos sobre o transporte individual motorizado; b) a restrição e controle de acesso e circulação, permanente ou temporário, de veículos motorizados em locais e horários predeterminados; c) o estabelecimento de padrões de emissão de poluentes para locais e horários determinados, podendo condicionar o acesso e a circulação aos espaços urbanos sob controle; d) a possibilidade de cobrança pela utilização da infraestrutura urbana, para desestimular o uso de determinados modos e serviços de mobilidade; e) a dedicação de espaço exclusivo nas vias públicas ao transporte público coletivo e a modos de transporte não motorizados; f) e o direito dos usuários participarem do planejamento, da fiscalização e da avaliação da política local de mobilidade urbana. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 4
  • 5. Frota de carros em Fortaleza aumenta 89,70% em dez anos    A Capital cearense teve um crescimento maior do que Rio e São Paulo, cidades que têm as maiores frotas do País  Isso representa um aumento de 89,70%; ou seja, 296.964 carros a mais na Capital, de acordo com pesquisa feita pelo Observatório das Metrópoles, que usa dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), onde foram avaliadas doze metrópoles do País.  Enquanto isso, a quantidade de motocicletas subiu de 64.845 para 272.955 (320,94%).  Após os dados serem colhidos, se chegou à conclusão que Fortaleza possui média maior entre as demais metrópoles avaliadas, que é de 77,80%, porém está com média menor que a avaliação nacional de 90%, que envolve todas as capitais brasileiras. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 5
  • 6.   Fortaleza tem um veículo para cada 3,4 habitantes  Segundo o Detran/CE, seria possível transportar a população fortalezense nos veículos particulares e ainda sobrariam vagas.  A frota de veículos em Fortaleza dobrou nos últimos dez anos. Em 2001, eram 379.408, enquanto que, neste ano, os automóveis somam 760.747. Segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/CE) são emplacados por mês, em Fortaleza, uma média de sete mil veículos.  Para se ter uma ideia da gravidade da situação, se levarmos em conta apenas os veículos particulares, que representam 93,7% da frota, observaremos que Fortaleza alcançou a inédita marca de um veículo para cada 3,4 habitantes.  A estatística mostra que, de fato, seria possível transportar toda a população fortalezense nos veículos particulares e ainda sobrariam vagas. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 6
  • 7.  Trafegar pelas vias de Fortaleza, por exemplo, a qualquer hora do dia, se tornou tarefa das mais difíceis.  No entanto, em algumas delas, a situação é mais crítica, a exemplo da Avenida Antônio Sales, que lidera o ranking das ruas com maior volume de veículos. Segundo a AMC, o logradouro recebe uma média diária de 42.255 veículos.  Em seguida vem as Avenidas Aguanambi (41.939), Bezerra de Menezes (41.239), Washington Soares (40.383), Eng. Santana Júnior (37.569), José Bastos (34.547), Abolição (33.027), Domingos Olímpio (30.720), Av. da Universidade (30.386) e Borges de Melo (28.860). PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 7
  • 8. Sobre questões de Logística, Transportes e Mobilidade Urbana O estudo de alternativas para a solução dos problemas de logística, transporte de carga, transporte coletivo e mobilidade urbana em geral, apresentam-se:  As diretrizes para o estabelecimento de uma política de mobilidade e logística para a Prefeitura Municipal de Fortaleza, que compreende:  Estratégias de médio e longo prazo para recepção, escoamento, movimentação e distribuição de produtos no transporte de cargas na área central de Fortaleza;  Modalidades de transportes coletivo urbano a serem privilegiadas; implementação de sistemas e tecnologias voltadas ao transporte coletivo urbano;  Detalhamento da proposta de incentivos (PlanMob) do Governo Federal para deslocamento dos transportes urbano;  Alternativas operacionais para o transporte de carga, no sentido de reduzir seus impactos na mobilidade geral e na qualidade ambiental, considerando, dentre elas, alternativas de restrição ao tráfico de caminhões em determinados horários, períodos, regiões e bairros da cidade de Fortaleza. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 8
  • 9. Logística de Mobilidade Urbana  A Logística Urbana influencia diretamente no ambiente urbano, uma vez que compete com o Transporte Público e Privado pelas mesmas infraestruturas e tem amplificado os problemas gerados, como por exemplo: a poluição, o congestionamento e o risco de acidentes.  A Logística Urbana traz complexidades que exigem um Planejamento Estratégico da perspectiva Pública e Privada, visando alinhar os objetivos de eficiência Logística e Desenvolvimento Econômico com fatores que, cada vez, mais guiaram o Planejamento das grandes cidades, como a questão da poluição e da Mobilidade Urbana.  Enfim, os últimos quilômetros do roteiro de transporte de carga fracionada, parece ser, também, a última fronteira para a Supply Chain na busca de otimização de custos e níveis de serviço. http://www.youtube.com/watch?v=Kt8K9sg_f2A 3 minutos PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 9
  • 10. Logística das Pessoas • Entendemos que a Logística é a arma Estratégica para a competitividade Empresarial, e para tal faz-se necessário ampliar o conceito que já vem sendo utilizado pelos Governos, segmentos da Indústria, Varejo, Comércio, Prestação de Serviços e outros. • Também para o segmento da Logística de Pessoas, pois assim se consegue racionalizar o fluxo das mesmas dentro das cidades, otimizar o tempo destas, reduzir custos, agregar valor e proporcionar uma maior satisfação das mesmas. • Pode-se constatar a importância de um bom Sistema Logístico que facilite ao Turista os seus deslocamentos pelos principais pontos da Cidade com vocação turística, como Fortaleza, proporcionando a este uma imensa satisfação. • Trabalhar com objetivo, fazer com que o produto certo, chegue na quantidade solicitada, no momento desejado e no local pré- determinado pelo Cliente a um custo adequado tem sido o foco dos esforços de muitos profissionais da área de Logística. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 10
  • 11. • O que se observa e percebe-se, na prática, é uma abordagem da Logística das Pessoas nas grandes Cidades Europeias, ainda pouco explorada, pelo menos aqui no Brasil. • A Logística das Pessoas é focado no fluxo das pessoas, nas otimizações, nas facilidades, na infra estrutura, nas informações e todos os componentes Logísticos necessários para um melhor desempenho do processo Logístico para um grupo de pessoas, que deseja conhecer um local ou uma Cidade escolhida, até então, desconhecido das mesmas. • No entanto, o que se deve entender é a grande importância de um bom Sistema Logístico que facilite às Pessoas os seus deslocamentos, escolha de modais, conexões, pelos principais pontos de uma Cidade no Estado do Ceará. • O que se quer apresentar ao atual Poder Executivo são soluções de Logística das Pessoas, já que as Cidades no Ceará com vocação muito grande para o Turismo Nacional e Internacional. Logística das Pessoas PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 11
  • 12. Logística de Mobilidade Urbana • O que se tem observado numa Cidade como Fortaleza, nos últimos anos, é o crescimento exacerbado de shoppings, centros comerciais, edifícios comerciais, residenciais se concentrando em bairros já totalmente sem uma mínima infraestrutura de locomoção da população. • Isto que estar acontecendo, é preocupante, por falta de Planejamento, pelo poder público, no que se refere ao gabarito e ao Plano Diretor da Cidade. • Existem quadras no bairro da Aldeota com quatro torres de edifícios residenciais com uma população em torno de mil moradores. Pode-se prever que para cada unidade familiar, com renda média alta, existam dois carros, totalizando cerca de dois mil veículos circulando nas adjacências. No caso dessa área, o caos estar formado. • No ano de 2012 foram aprovados vários projetos para construção de imóveis comerciais, pelos menos, só na Av. Santos Dumont no mínimo três, e mais uns dez residenciais na Aldeota nobre. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 12
  • 13. Logística de Mobilidade Urbana  Tem-se ainda, circulando, os péssimos serviços de Transportes Coletivo, de carga, que fazem os seus roteiros, para dificultar ainda mais a mobilidade, em horários de pico, sem nenhum Planejamento Logístico para distribuição de mercadorias para os shoppings e centros comerciais nos bairros nobres e da periferia de Fortaleza.  Foi inaugurado em Porto Alegre o primeiro Aeromóvel do país que deu início às operações do veículo produzido com tecnologia 100% nacional. É um veículo não muito comum, mas revolucionário, não poluente, silencioso, rápido e econômico.  http://www.youtube.com/watch?v=b6kcze1Vx1Q 5 minutos  O funcionamento do Aeromóvel terá caráter experimental pelos próximos 90 dias na cidade de Porto Alegre e deve operar em horário reduzido, com passagem gratuita.  O veículo teve um investimento de R$ 37,8 milhões e deve beneficiar cerca de 7 mil usuários por dia, num trajeto de pouco mais de 1.000 metros. Novas linhas de extensão já estão em fase de estudo para execução, segundo o governo. 13
  • 14. • Com um investimento desse montante, o Aeromóvel, irá mostrar uma coisa importantíssima, que é uma ótima solução para a Mobilidade Urbana de Fortaleza, por exemplo. • Ele pode ser utilizado estrategicamente para conexões entre modais, tanto coletivo como de transporte de carga fracionada. • Desde que foi aumentado, em Fortaleza, o gabarito dos edifícios, no início da década de 90, tanto residencial quanto comercial, de dez, doze pavimentos tipo para vinte e dois ou mais, tem-se registrado esse trânsito maluco e caótico, a qualquer hora do dia. • Aumentou-se o gabarito sem Planejamento Logístico e sem a menor preocupação com as vias de acesso para os enormes empreendimentos imobiliários. • O Poder Público tem que acelerar e apresentar soluções urgentemente, e aqui estão algumas, das soluções para Mobilidade Urbana do Estado, sob pena de haver paralisações em trechos com grandes gargalos, causando enormes prejuízos à população e a economia do Ceará. Logística de Mobilidade Urbana PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 14
  • 15. Aplicação da Logística para Soluções • A cidade de Fortaleza apresenta uma população de 2.452.185 habitantes (IBGE, 2010); um dos maiores PIBs per capita brasileiro. • Em 2011 a renda per capta de Fortaleza foi de R$ 16.734,00 com um aumento nominal relativo ao ano anterior de quase de R$ 1.573,00. Esse total representa 47,10% do PIB do Ceará. • De 2007 para 2008, a concentração do PIB cearense na capital caiu 0,40%. • Em 2005, o PIB fortalezense representava 48,20% do PIB cearense, que vem crescendo ano a ano. • A movimentação de carga urbana, transportes coletivo, não motorizado (pedestres e ciclistas), na cidade de Fortaleza em áreas como; Centro, Montese, Aldeota, Meireles, dentre outros, estão já bastante comprometidas. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 15
  • 16. Aplicação da Logística para Soluções • Propostas de curto e médio prazos serão pensadas e direcionadas às ações, incluindo-se a necessidade de aplicação de investimentos, que serão em menor escala se comparadas à implantação de sistemas de alta tecnologia direcionada ao transporte coletivo urbano. • Pretende-se com as propostas de Soluções Logísticas que serão aqui apresentadas, tornar a Mobilidade Urbana do Estado menos caótica. • Quanto ao Transporte não motorizado, mais sustentável em vários aspectos, que se complementa nas viagens realizadas hoje pelo sistema de transporte nos terminais de integração. • Foram também incluídas proposições referente a distribuição de mercadorias nas Cidades, notadamente grande responsável pelos congestionamentos que se constata no dia a dia das mesmas. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 16
  • 17. Aplicação da Logística para Soluções • Pretende-se ainda, apresentar sugestões advindas de pesquisas e entrevistas à população usuária de Transporte Urbano, como também de informações, recomendações de melhoria geradas por seminários que serão desenvolvidos ao longo desse estudo. • O que se percebe, neste presente momento, é uma insatisfação geral da população usuária do sistema de Transporte Coletivo Urbano que, somente e exclusivamente se dá por meio do modal rodoviário. • Finalmente deve-se destacar que o Plano de Mobilidade, objeto desta apresentação, deverá considerar a integração com todas as políticas de Desenvolvimento Urbano do Estado e neste sentido, com o próprio Plano Diretor dos Municípios atualizado. • Não se deve excluir ainda a integração com as políticas de educação e saúde, naquilo que se oferece como equipamentos para a população e que constituem polos geradores de tráfego. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 17
  • 18. Aplicação da Logística para Soluções A Mobilidade Urbana é um dos maiores desafios das grandes cidades nos dias de hoje, principalmente no que se refere à qualidade de vida das pessoas. • Uma proposta cabível será a criação de um Órgão de Apoio e Planejamento Logístico para o Estado do Ceará, staff do Poder Executivo, que terá como função gerenciar os deslocamentos das pessoas, modais adequados na distribuição das mercadorias, em condições satisfatórias de conforto, segurança, confiabilidade, regularidade, minimizando custos, a degradação ambiental e os gargalos destes deslocamentos, através dos seguintes vetores: • Hierarquização e a integração entre os modais de Transporte; • Garantir a continuidade dos movimentos (mobilidade e acessibilidade); • Organização e distribuição adequada dos fluxos no espaço vazio (uso do solo e tráfego). Assim fica então ratificada a criação desse Órgão acima citado para integrar e interagir entre os vários setores e secretarias do Estado do Ceará.PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 18
  • 19. Aplicação da Logística para Soluções Conclusões • Desenvolver soluções integrais em Planejamento, Projeto, Implantação, Operação e Manutenção de Sistemas Integrados de Transporte, trânsito e tráfego, com apoio Jurídico, Administrativo e Técnico do Órgão Público Gestor. • Elaborar um Plano Diretor Logístico de Mobilidade e Transportes (cargas e passageiros) para todo o Estado do Ceará, que contemple a realização de todas as pesquisas e levantamentos necessários para o adequado conhecimento das demandas por Transporte da população. • Dotar de todas as informações o Órgão Gestor para diagnóstico que direcione as ações a serem tomadas na melhoria do Sistema de Transporte Coletivo e de carga. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 19
  • 20. PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL 20
  • 21. 21 www.universidadelog istica.com.br delaneychaves@gmail .com PROF. Ms. DELANO GURGEL DO AMARAL