Geografia 9º ano - diferenças entre os países
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Geografia 9º ano - diferenças entre os países

on

  • 165 views

 

Statistics

Views

Total Views
165
Views on SlideShare
165
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Geografia 9º ano - diferenças entre os países Geografia 9º ano - diferenças entre os países Presentation Transcript

  • Trabalho elaborado por: Daniela Reis nº 7 Carolina vale santos nº 3 Turma 9ºD
  • • Angola situa-se na costa do Atlântico Sul da África Ocidental, entre a Namíbia e o Congo. Também faz fronteira com a República Democrática do Congo e a Zâmbia, a oriente. O país está dividido entre uma faixa costeira árida, que se estende desde a Namíbia até Luanda, um planalto interior húmido, uma savana seca no interior sul e sudeste, e floresta tropical no norte e em Cabinda.
  • • Angola dispõe das mais importantes reservas de petróleo, Gaz e Diamantes de África. Nos seus mares habitam importantes espécies marítimas e os seu clima é favorável a uma grande variedade de culturas • Exemplos de recursos naturais: • • • • • • Petróleo e Gás Natural Diamantes Ferro Fosfato Mármore, granito negro e quartzo Urânio
  • • A esperança de vida em Angola subiu de 44 para 47 anos de idade, um número ainda baixo, mas que demonstra o esforço na melhoria da qualidade de vida das populações. • O país conseguiu nos últimos anos importantes progressos e melhorias, como demonstram alguns dos principais resultados do inquérito internacional sobre o bemestar da população angolana.
  • A taxa de mortalidade infantil diminuiu, cerca de 60 por cento em 8 anos. Dados oficiais revelam que a percentagem de partos assistidos por profissionais de saúde aumentou para 49 por cento e a taxa de mortalidade materna foi reduzida para menos da metade.
  • • Angola tem a maior taxa de natalidade do mundo e metade da população tem menos de 18 anos, segundo as Nações Unidas. A estimativa consta do relatório da ONU sobre o crescimento da população mundial, divulgado a 31 de Outubro, dia em que o planeta terra passou a hospedar o seu habitante 7000000000 ( sete mil milhões). • Taxa de alfabetização de angola • Angola regista atualmente, uma taxa de alfabetização na ordem dos setenta porcento e trinta de analfabetismo. A taxa revela um sucesso dos resultados do programa do Executivo de combate ao analfabetismo, porque a população alfabetizada tem contribuído para o desenvolvimento do país.
  • • O PIB de Angola pode crescer 8,2 por cento, empurrado pelo retorno das operações petrolíferas, segundo o relatório Perspetivas Económicas em África 2012, que projeta uma queda da inflação de 13,5 para 10 por cento.
  • • Setor primário: - Agricultura - Mineração • Setor secundário: - Industria • Setor terciário: - Transporte
  • • Uma das preocupações mais antigas do homem foi sempre saber "Onde estou?"... Através desta ferramenta de localização, é possível saber dentro do espaço continental, a localização exata ou mais próxima de um ponto ou lugar. • Localizado no extremo sudoeste do Continente Europeu, na Península Ibérica, junto ao Atlântico, Portugal faz fronteira a norte e a leste com a Espanha e a ocidente e a sul com o oceano Atlântico. Da República Portuguesa fazem parte, além do território continental, duas Regiões Autónomas – Açores e Madeira, arquipélagos situados no oceano Atlântico.
  • • Tungsténio, estanho, crómio e outras misturas metais são extraídos em quantidades comerciais e grande parte do tungsténio extraído é exportada. • A área florestal representa 36% da área do país.
  • • Taxa de mortalidade infantil - Número de óbitos de crianças com menos de um ano ocorrido durante um certo período de tempo, normalmente o ano, referido ao número de nados-vivos do mesmo período (habitualmente número de óbitos de crianças com menos de um ano por 1000 nados-vivos). • A Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou Portugal como um dos cinco países do Mundo (Chile, Malásia, Tailândia e Omã) que mais « notáveis progressos» fizeram na redução da taxa de mortalidade infantil desde 1970 (58 ‰). • Em 2006, a mortalidade infantil em Portugal registou o valor mais baixo de sempre, com3,3 óbitos em cada mil nascimentos. Evolução da Taxa de Mortalidade Infantil entre 1960 e 2006
  • • De acordo com os dados divulgados, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre a mortalidade no período 2009/2011, o valor da esperança média de vida à nascença foi estimado em 79,45 anos para ambos os sexos, sendo de 76,43 para os homens e de 82,30 para as mulheres. • Os números divulgados pelo INE há um ano, relativos ao período entre 2008/2010, apontavam para uma esperança média de vida de 79,20 para ambos os sexos, sendo de 76,14 para os homens e de 82,05 para as mulheres. • A esperança média de vida aos 65 anos também subiu ligeiramente ao passar de 18,47 para 18,62 anos nos períodos em análise. Nos homens, o valor é de 16,81 (16,64 segundo os últimos dados) e de 20,07 para as mulheres (19,89).
  • • Cerca de 500 mil portugueses não sabem ler nem escrever, segundo os resultados definitivos do Censos 2011. A taxa de analfabetismo caiu de 9% para 5,2% na última década, uma diminuição acentuada, que ainda assim não é suficiente para tirar Portugal do último lugar da tabela a nível europeu. Realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), os resultados do Censos 2011 refletem o progresso registado ao nível das qualificações. Em apenas dez anos, o número de portugueses com mais de 23 anos com ensino superior quase duplicou (passou de 9% para 15%). Entre os licenciados, 60% são mulheres. Metade da população com 15 ou mais anos concluiu, pelo menos, o 9º ano de escolaridade, o que representa um aumento de 12 pontos percentuais em relação a 2001. Lisboa e Algarve apresentam os maiores níveis de qualificação da população, com 60,4% e 52,7%, respetivamente. De acordo com os dados do INE, a maioria (52%) da população é economicamente inativa, sendo que os reformados já representam 22% dos portugueses. Não é de estranhar, tendo em conta o envelhecimento da população, que se acentuou na última década: o número de idosos com 70 ou mais anos cresceu 26% e a idade média da população subiu dos 39 para os 42 anos. A dimensão média das famílias reflete a quebra da natalidade, tendo passado de 2,8 para 2,6 pessoas. A alteração do modelo de organização familiar é notória, com um crescimento de 36% registado ao nível das famílias monoparentais em apenas dez anos. Como já indicavam os resultados preliminares do Censos, apresentados no ano passado, a população portuguesa cresceu 2% desde 2001 (para 10.562.178), uma subida muito ligeira, conseguida quase exclusivamente à custa do saldo migratório. O número de estrangeiros a residir em Portugal subiu quase 70%, sendo que as maiores comunidades são a brasileira (28%), cabo-verdiana (10%) e ucraniana (9%). A comunidade angolana, que em 2001 ocupava o primeiro lugar, está agora em 4º.