INMET – 100 ANOS DE       METEOROLOGIAVARIABILIDADE CLIMATICA NO    RIO GRANDE DO SUL  SEMANA ACADÊMICA – FACULDADE DE    ...
CRIAÇÃO: 1909   Da estrutura do Ministério da Agricultura, Pecuária e    Abastecimento.   É o órgão responsável pela Met...
ATRIBUIÇÕES   Realizar estudos e levantamentos meteorológicos    aplicados à Agricultura e a outras atividades como    tr...
ESTRUTURA
ESTRUTURA 1º DISME 2º DISME 3º DISME 4º DISME 5º DISME 6º DISME 7º DISME 8º DISME 9º DISME10º DISMESedes DismesSede INMET
DESAFIO                                                  Monitoramento de                                                 ...
2000 - Início projeto – Projeto Piloto:Manaus, Brasília, Salvador, Rio de Janeiro e PortoAlegre.2001 – 1º Etapa:Santa Mari...
REDE DE ESTAÇÕES DE OBSERVAÇÃO Situação atual   – Estações Automáticas instaladas        484   – Estações Convencionais  ...
Sistema de Coleta Via Satélite e Telefonia Celular                              BRASILSAT  AUTOTRAC                       ...
 RIO GRANDE DO SUL - 22 estações meteorológicas convencionais - 37 estações meteorológicas automáticas SANTA CATARINA - ...
MONITORAMENTODADOS Horários emTEMPO REALEstações AUTOMÁTICASQualidade mantida >95%
Anomalia de precipitação prevista para dezembro/2012                  CPPMET-UFPEL
 Outros serviços disponíveis:   Dados estações automáticas e convencional em tempo real   BDMEP   Previsão do tempo  ...
Variabilidade Climática- EL NINO E LA NINA- OSCILAÇÃO DECADAL DO PACÍFICO- OUTROS FENÔMENOS DE MENOR ESCALA (bloqueios, te...
Condições médias de precipitação no Brasil em Anos de El Niño                                          A composição dos   ...
OSCILAÇÃO DECADAL DO PACÍFICO
f                                                                                                              í          ...
OSCILAÇÃO DECADAL DO PACÍFICO                         PRECIPITAÇÃO ANUAL PORTO ALEGRE                  3,0                ...
PRECIPITAÇÃO              OUTUBRO a MARÇO            2002/03 , 2003/04 e 2004/052002/03          2003/04                  ...
EL NINO - 72/73      (2,1)
EL NINO - 82/83      (2,2)
EL NINO - 97/98         (2,4)Outubro/1997:São L. Gonzaga: 688,3mm
EL NINO - 02/03      (1,3)
EL NINO - 84/85      (0,7)
EL NINO - 06/07      (1,0)
EL NINO - 09/10      (1,6)
LA NINA - 05/06     (-0,9)
LA NINA - 07/08     (-1,5)
LA NINA - 10/11     (-1,5)
LA NINA - 11/12     (-1,0)
MUITO OBRIGADO!Solismar Damé PrestesMeteorologistaCoordenador do 8º DISME/INMETsolismar.prestes@inmet.gov.brwww.inmet.gov....
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Semana acadêmica ufpel
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Semana acadêmica ufpel

122
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
122
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Instituto Nacional de Meteorologia
  • Semana acadêmica ufpel

    1. 1. INMET – 100 ANOS DE METEOROLOGIAVARIABILIDADE CLIMATICA NO RIO GRANDE DO SUL SEMANA ACADÊMICA – FACULDADE DE METEOROLOGIA - UFPEL Solismar Damé Prestes Meteorologista Coordenador do 8º DISME/INMET
    2. 2. CRIAÇÃO: 1909 Da estrutura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. É o órgão responsável pela Meteorologia e Climatologia do Brasil (Lei 10.683, de 28 de Maio de 2003 e Decreto No. 5.351, de 21 de Janeiro de 2005). Representa o Brasil na Organização Meteorológica Mundial (OMM).
    3. 3. ATRIBUIÇÕES Realizar estudos e levantamentos meteorológicos aplicados à Agricultura e a outras atividades como transporte, defesa civil, saúde, energia, indústria e comércio, turismo, aviação; Elaborar, coordenar e executar programas e projetos de pesquisas Agrometeorológicas e de acompanhamento das alterações climáticas e ambientais; Elaborar e divulgar, diariamente, a nível nacional, a previsão do tempo, boletins e alertas meteorológicos especiais; Elaborar e divulgar mensalmente prognóstico climático; Coordenar e operar a rede nacional de observação meteorológica; Manter e operar o Banco de Dados Meteorológicos.
    4. 4. ESTRUTURA
    5. 5. ESTRUTURA 1º DISME 2º DISME 3º DISME 4º DISME 5º DISME 6º DISME 7º DISME 8º DISME 9º DISME10º DISMESedes DismesSede INMET
    6. 6. DESAFIO Monitoramento de Tempo e Clima Rede Sinótica Estabelecer uma rede de observação mínima, espaçada numa grade de 1 por 1 grau de resolução, Área do Brasil = 8,5 milhões de Km2 para monitorar as Grade de 1 grau Lat x 1 grau de Lon = condições de tempo no aprox. 12.000 Km2 território brasileiro.Aprox. 700 caixas para cobrir o Brasil. Suficientes 500 estações.
    7. 7. 2000 - Início projeto – Projeto Piloto:Manaus, Brasília, Salvador, Rio de Janeiro e PortoAlegre.2001 – 1º Etapa:Santa Maria, Rio Grande, Santana do Livramento,Santo Augusto (Brasil aproximadamente 50estações)2003 – 2º Etapa:Florianópolis, Curitiba(Brasil aproximadamente 100 estações)2006 – 3º Etapa: 484 estações2013 – Aquisição de 100 estações
    8. 8. REDE DE ESTAÇÕES DE OBSERVAÇÃO Situação atual – Estações Automáticas instaladas 484 – Estações Convencionais 287 Situação final: – Estações Meteorológicas Automáticas 500 – Estações Convencionais de Referência 100
    9. 9. Sistema de Coleta Via Satélite e Telefonia Celular BRASILSAT AUTOTRAC TELEFONIA CELULAR Tempo real !HUB em Brasilia Acesso Frame-Relay Dados na INTERNET disponível para todos Rede Local do INMET Sistema de busca www.inmet.gov.br INMET
    10. 10.  RIO GRANDE DO SUL - 22 estações meteorológicas convencionais - 37 estações meteorológicas automáticas SANTA CATARINA - 7 estações meteorológicas convencionais - 20 estações meteorológicas automáticas PARANÁ - 8 estações meteorológicas convencionais - 24 estações meteorológicas automáticas
    11. 11. MONITORAMENTODADOS Horários emTEMPO REALEstações AUTOMÁTICASQualidade mantida >95%
    12. 12. Anomalia de precipitação prevista para dezembro/2012 CPPMET-UFPEL
    13. 13.  Outros serviços disponíveis: Dados estações automáticas e convencional em tempo real BDMEP Previsão do tempo Imagens satélite Condições registradas Índice de inflamabilidade, focos de calor, riscos de queimadas Alert-As
    14. 14. Variabilidade Climática- EL NINO E LA NINA- OSCILAÇÃO DECADAL DO PACÍFICO- OUTROS FENÔMENOS DE MENOR ESCALA (bloqueios, temperatura do atlântico)
    15. 15. Condições médias de precipitação no Brasil em Anos de El Niño A composição dos acumulados trimestrais de chuva de todos os anos de El Niño que ocorreram de 1961 a 2011 mostra que, na média, em anos de El Niño a chuva na região Sul situa-se acima da média histórica. Ocorre o inverso pra a região Nordeste. (animação dos trimestres)
    16. 16. OSCILAÇÃO DECADAL DO PACÍFICO
    17. 17. f í o ã ç a l s e c d n I ) i ( P D O -3,0 -2,0 -1,0 0,0 1,0 2,0 3,0 0 9 1 2 9 1 4 9 1 6 9 1 8 9 1 0 2 9 1 2 9 1 4 2 9 1 6 2 9 1 8 2 9 1 0 3 9 1 2 3 9 1(Fonte: ESRL/NOAA/PSD). 4 3 9 1 6 3 9 1 8 3 9 1 0 4 9 1 2 4 9 1 4 9 1 6 4 9 1 8 4 9 1 0 5 9 1 2 5 9 1 4 5 9 1 6 5 9 1 8 5 9 1 AN O S 0 6 9 1 2 6 9 1 4 6 9 1 6 9 1 8 6 9 1 0 7 9 1 2 7 9 1 4 7 9 1 6 7 9 1 8 7 9 1 0 8 9 1 2 8 9 1 4 8 9 1 6 8 9 1 8 9 1 OSCILAÇÃO DECADAL DO PACÍFICO 0 9 1 2 9 1 4 9 1 6 9 1 8 9 1Série temporal do Índice da Oscilação Decadal do Pacífico para o período de 1910 a 2009 0 2 0 2 4 0 2 6 0 2 8 0 2
    18. 18. OSCILAÇÃO DECADAL DO PACÍFICO PRECIPITAÇÃO ANUAL PORTO ALEGRE 3,0 2,0 1,0 0,0 Z( P d e m .N a o ilz i) r p O -1,0i) n ( IP o ã la ç ífed ic s O D P -2,0 -3,0 0 9 1 2 9 1 4 9 1 6 9 1 8 9 1 0 2 9 1 2 9 1 4 2 9 1 6 2 9 1 8 2 9 1 0 3 9 1 2 3 9 1 4 3 9 1 6 3 9 1 8 3 9 1 0 4 9 1 2 4 9 1 4 9 1 6 4 9 1 8 4 9 1 0 5 9 1 2 5 9 1 4 5 9 1 6 5 9 1 8 5 9 1 0 6 9 1 2 6 9 1 4 6 9 1 6 9 1 8 6 9 1 0 7 9 1 2 7 9 1 4 7 9 1 6 7 9 1 8 7 9 1 0 8 9 1 2 8 9 1 4 8 9 1 6 8 9 1 8 9 1 0 9 1 2 9 1 4 9 1 6 9 1 8 9 1 0 2 0 2 4 0 2 6 0 2 8 0 2 AN O S Figura : Desvios normalizados de precipitação em Porto Alegre (barras azul escuro) e índice da Oscilação Decadal do Pacífico (vermelho). As linhas azul claro e amarela representam o limite entre os desvios acima de uma anomalia e abaixo de uma anomalia para o período entre 1910 e 2009 (Fonte: INMET).
    19. 19. PRECIPITAÇÃO OUTUBRO a MARÇO 2002/03 , 2003/04 e 2004/052002/03 2003/04 2004/05
    20. 20. EL NINO - 72/73 (2,1)
    21. 21. EL NINO - 82/83 (2,2)
    22. 22. EL NINO - 97/98 (2,4)Outubro/1997:São L. Gonzaga: 688,3mm
    23. 23. EL NINO - 02/03 (1,3)
    24. 24. EL NINO - 84/85 (0,7)
    25. 25. EL NINO - 06/07 (1,0)
    26. 26. EL NINO - 09/10 (1,6)
    27. 27. LA NINA - 05/06 (-0,9)
    28. 28. LA NINA - 07/08 (-1,5)
    29. 29. LA NINA - 10/11 (-1,5)
    30. 30. LA NINA - 11/12 (-1,0)
    31. 31. MUITO OBRIGADO!Solismar Damé PrestesMeteorologistaCoordenador do 8º DISME/INMETsolismar.prestes@inmet.gov.brwww.inmet.gov.brFone: (51) 3334.7412
    1. A particular slide catching your eye?

      Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

    ×