1    ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ESCRITOR LUÍZ                      AUGUSTO CRISPIM                   TURMA – E...
2       Profa. Dafiana do Socorro S. Vicente CarlosPROJETO PEDAGÓGICO - TEMA GERAL: CULTURA DE PAZ     SUBTEMA: TRABALHAND...
3                                              SUMÁRIO1. Apresentação........................................................
4APRESENTAÇÃO     O presente projeto é continuidade do Projeto Cultura de Paz, inicialmentedesenvolvidos com dois subproje...
5     Para finalizar, explicitamos os recursos utilizados, as estratégias deavaliação e o relatório final das ações, inclu...
6                     artística, científica e de comunicação, independentemente de                     censura ou licença ...
7                              meio do convívio escolar, possibilita conhecimentos e vivências                            ...
8     consciência solidária na busca pela construção e manutenção de relações     saudáveis;  5. Propiciar aos alunos os s...
9       pluralidades regionais, sua importância na sociedade (Revisão do conteúdo –       Paraíba, terra da gente)METODOLO...
10imagem. O projeto contará com duas bolsistas, visando contribuir com oprocesso de alfabetização na turma.AVALIAÇÕES     ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

PROJETO TRABALHANDO AS DIFERENÇAS_3 BIMESTRE_TURMA EJA

16,034

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
16,034
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
126
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

PROJETO TRABALHANDO AS DIFERENÇAS_3 BIMESTRE_TURMA EJA

  1. 1. 1 ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ESCRITOR LUÍZ AUGUSTO CRISPIM TURMA – EJA ALFABETIZAÇÃO (CICLO I) EMPREGADAS DOMÉSTICAS Profa. Dafiana do Socorro S. Vicente Carlos1 PROJETO PEDAGÓGICO - TEMA GERAL: CULTURA DE PAZ SUB – TEMA: TRABALHANDO AS DIFERENÇAS JOÃO PESSOA – PB - Junho/Julho de 2012-1 Pedagoga com área de aprofundamento em Educação de Jovens e Adultos. No momentoestá fazendo especialização em Educação de Jovens e adultos pela UFPB e Pesquisadorabolsista do Projeto NUEJA – Núcleo de Referência em Educação de Jovens e Adultos daParaíba (História e Memória), coordenado pela Profa. Dra. Emília Prestes. É colaboradora doGrupo Articulador do Fórum de EJA da Paraíba e da Cátedra Unesco Paulo Freire, coordenadopelo Prof.Dr. Timothy Ireland.
  2. 2. 2 Profa. Dafiana do Socorro S. Vicente CarlosPROJETO PEDAGÓGICO - TEMA GERAL: CULTURA DE PAZ SUBTEMA: TRABALHANDO AS DIFERENÇAS Proposta inicial das ações que serão realizadas no terceiro bimestre (Junho/Julho- 2012) na turma de EJA Ciclo I, da Escola Municipal Luís Augusto Crispim, entregue no dia 02 de junho de 2012 a direção e supervisão da Escola. JOÃO PESSOA – PB - Junho/Julho de 2012-
  3. 3. 3 SUMÁRIO1. Apresentação................................................................................. 042. Justificativa..................................................................................... 053. Objetivo Geral................................................................................ 074. Objetivos específicos..................................................................... 075. Conteúdos...................................................................................... 08 5.1. Língua Portuguesa.............................................................. 08 5.2. Matemática.......................................................................... 08 5.3. Estudo da Sociedade e da Natureza................................... 086. Metodologia.................................................................................... 097. Recursos......................................................................................... 098. Avaliação........................................................................................ 109. Referências..................................................................................... 10
  4. 4. 4APRESENTAÇÃO O presente projeto é continuidade do Projeto Cultura de Paz, inicialmentedesenvolvidos com dois subprojetos, a saber: Projeto ‗Escola Limpa‘ e Projeto‗A Ética enquanto premissa central na valorização da vida‘. O projeto em telaterá como tema central ‗Trabalhando com a diferença‘, o qual, objetivareconhecer a importância da valorização da diferença existente nas pessoas,comunidades e etnias. Esta valorização parte do pressuposto que paravivermos democraticamente é preciso respeitar os diferentes grupos sociais eculturais. Assim inicialmente apresentamos nossa justificativa fundamentada naConstituição de 1988, Declaração universal dos Direitos Humanos e osParâmetros Curriculares Nacionais que tem como tema transversal PluralidadeCultural. Em torno desta justificativa fundamentamos as ações pedagógicas aserem realizada com a Turma de EJA Ciclo I. Vale lembrar, que a turma écomposta por trabalhadoras domésticas vinculadas ao Sindicato dasTrabalhadoras Domésticas de João Pessoa e Região. Posteriormente é apresentado o Objetivo Geral e os Específicos, visandoexplicitar com clareza o direcionamento da educadora da turma. Após estemomento, são apresentados os conteúdos ensinados, os quais foram divididosem: conteúdos da Língua Portuguesa, conteúdos de Matemática e conteúdosda área de Estudos da Sociedade e da Natureza (História, Geografia eCiências). Após a definição dos objetivos e dos conteúdos, foi definida ametodologia adotada. A metodologia adotada considerou as especificidades2da turma de EJA. Deste modo, a perspectiva freireana foi incorporada nãoapenas no planejamento das aulas, mas também na sua prática. O diálogoocupou um lugar central na explicação, exposição e problematização dosconteúdos.2 A turma é composta de alunos/as vinculados ao sindicato das empregadas domésticas.Todos/as tem consciência politica e lutam pelos seus direitos. São trabalhadores etrabalhadoras, homens e mulheres, pais e mães de família, oriundos das classes populares,mas portadores de saberes adquiridos ao longo de suas vivências.
  5. 5. 5 Para finalizar, explicitamos os recursos utilizados, as estratégias deavaliação e o relatório final das ações, incluindo uma breve identificação daturma em formato de gráficos e a descrição detalhadamente das aulas.JUSTIFICATIVA Na contemporaneidade, cotidianamente nos deparamos com o diferente.As diferenças entre pessoas, as diferenças de pensamentos, as diferençassexuais, as diferenças na religiosidade, as diferenças na política, a diferença nomodo de ensinar e aprender. Este fato demonstra que cada indivíduo ao ter asua subjetividade constituída ao longo de sua trajetória de vida, tem umaidentidade individual. Esta identidade não emergiu do nada, mas a partir dasrelações sociais que foram estabelecidas ao longo de suas vivências. Taisidentidades são fortalecidas mediante a identificação com determinados grupossociais. Daí a expressão, identidade coletiva. Isto se dá pelo fato de vivermosnuma sociedade plural e diversa. A Constituição Federal de 1988 nos garante a possibilidade de vivermosem sociedade com liberdade de escolha, liberdade de expressão, conformedeterminado no Artigo 5º. [...] Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição; II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei; III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante; IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem; VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias; VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva; VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei; IX - é livre a expressão da atividade intelectual,
  6. 6. 6 artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença [...] Nota-se que tal liberdade é garantida pela Carta Magna, expressando ofato de vivermos numa sociedade multicultural, com uma pluralidade queprecisa ser respeitada por todos. Isto significa que pensar na diferença implicaem compromisso com o outro e este compromisso requer desenvolvermos ohábito de ouvir, de nos relacionarmos solidariamente com o outro, sabendo quea valorização da vida daquele que difere de nós é mais importante que adefesa de certos valores, ideologias, teologias, opções políticas, opçõessexuais etc. Quanto à valorização da pessoa humana, outro documento quedestaca a importância do respeito ao plural e diverso é a Declaração Universaldos Direitos Humanos, que enfatiza em seu Art. 2º a seguinte declaração: Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberdades proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento ou de qualquer outra situação. Nos Parâmetros Curriculares Nacionais, o tema transversal PluralidadeCultural expressa claramente que o papel da escola é promover um ensino quecontribua com práticas que reconheçam a diversidade em suas multifaces,como fator importante na construção de relações sociais humanitárias,solidárias e fraternas. A temática da Pluralidade Cultural diz respeito aoconhecimento e à valorização de características étnicas e culturais dosdiferentes grupos sociais que convivem no território nacional, às desigualdadessocioeconômicas e à crítica às relações sociais discriminatórias e excludentesque permeiam a sociedade brasileira, oferecendo ao aluno a possibilidade deconhecer o Brasil como um país complexo, multifacetado e algumas vezesparadoxal. Quanto a valorização da diversidade cultural, o Parâmetro curricularPluralidade Cultural (1997, p.23) apresenta: [...] Ao valorizar as diversas culturas presentes no Brasil, propicia ao aluno a compreensão de seu próprio valor, promovendo sua auto-estima como ser humano pleno de dignidade, cooperando na formação de autodefesas a expectativas indevidas que lhe poderiam ser prejudiciais. Por
  7. 7. 7 meio do convívio escolar, possibilita conhecimentos e vivências que cooperam para que se apure sua percepção de injustiças e manifestações de preconceito e discriminação que recaiam sobre si mesmo, ou que venha a testemunhar — e para que desenvolva atitudes de repúdio a essas práticas. Para finalizar, nota-se no exposto, que práticas preconceituosas,excludentes, discriminatórias são combatidas pelos documentos de acordosmundiais, assim como na legislação brasileira. Portanto, cabe a escola e aoprofessor oportunizar aos alunos aprendizagem dos conteúdos curricularesatrelados a este tema transversal, tão discutido e debatido nacontemporaneidade, tendo em vista promover a Cultura de Paz, tema esteproposto pela Organização das Nações Unidas (ONU)3. Recentemente, os cantores Gilberto Gil e Preta Gil gravaram a música,"E daí, que diferença faz?", para a Campanha ‗Ser diferente é normal 2012‘. Acampanha trata de assuntos como o preconceito e o convívio de todas asdiferenças sejam elas físicas, raciais, sociais, ou de qualquer espécie. Estamásica será um dos recursos utilizados para trabalhar o conceito de ―diferença‖tão presente em nossa sociedade.OBJETIVO GERALPromover aos alunos a aprendizagem dos conteúdos curriculares, tendo emvista conscientizá-los sobre a valorização e importância da diversidade epluralidade presentes em nossa sociedade.OBJETIVOS ESPECÍFICOS 1. Trabalhar os conteúdos curriculares numa perspectiva interdisciplinar, tendo como referência a importância da Pluralidade cultural; 2. Incentivar relações saudáveis pautadas na solidariedade, amor ao próximo e fraternidade, promovendo o diálogo, o respeito ao diferente, ao diverso e plural 3. Primar por relações sociais inclusivas e não excludentes, respeitando a pluralidade vigente em nossa sociedade. 4. Promover um diálogo reflexivo sobre o cuidado com o próximo, formando a3 Quanto a isto ver: Parâmetros Curriculares Nacionais – Tema transversal Pluralidade Cultural, p. 10
  8. 8. 8 consciência solidária na busca pela construção e manutenção de relações saudáveis; 5. Propiciar aos alunos os saberes necessários sobre a temática.CONTEÚDOS  PORTUGUÊS PARA O BIMESTRE ABRIL/JUNHO 2012. 1. Famílias silábicas - F; G; J; L; 2. Dígrafos - CH, LH, NH, RR, SS. 3. Leituras de imagens – fotografia que retratem a diferença etc. 4. Artigos definidos e indefinidos; 5. Adjetivos; 6. Conhecendo os verbos e suas ações; 7. Pontuação; 8. Acentuação (agudo e circunflexo) 9. Ortografia; 10. Produção textual; 11. Gêneros literários;  MATEMÁTICA PARA O BIMESTRE ABRIL/JUNHO 2012. 1. Multiplicação ( As ideias da multiplicação com dois e três algarismo. 2. Figuras geométricas (Figuras geométricas planas - Minha cidade); 3. Números e medidas (Medidas de tempo; Medindo o tempo; A hora; O dia e a semana; O mês e o ano); 4. Iniciando com a divisão.  ÁREA DE ESTUDOS DA SOCIEDADE E DA NATUREZA - HISTÓRIA, CIÊNCIAS E GEOGRAFIA PARA O BIMESTRE ABRIL/JUNHO 2012. 1. O ambiente e o Ser humano (ecologia; transformações no meio ambiente; a os malefícios da poluição, camada de ozônio e efeito estufa - ciências) 2. A formação das cidades no Brasil, as cidades se transformam (história); 3. Trabalho e transformações das paisagens; passagens rurais e a vida no campo; O rural e o Urbano – Nesta ocasião será destacado as diferenças e
  9. 9. 9 pluralidades regionais, sua importância na sociedade (Revisão do conteúdo – Paraíba, terra da gente)METODOLOGIA A metodologia parte dos pressupostos pedagógicos freireanos, onde aproblematização, a dialogicidade possibilite mudanças atitudinais quanto àvalorização e importância de nosso papel (aluno e professor) no cuidado com ooutro e com o patrimônio publico em geral, e com a escola em particular. Inicialmente será realizada a identificação da turma, objetivandoconhecer suas especificidades, o universo vocabular em que estão inseridos eo nível que a turma se encontra. Considerando o Tema geral e o Subtema TRABALHANDO ASDIFERENÇAS, na exposição dos conteúdos curriculares as palavrasgeradoras: DIFERENÇA, DIVERSIDADE, PLURALIDADE, DIREITOSHUMANOS, SOLIDARIEDADE, JUSTIÇA SOCIAL; LIBERDADE DEEXPRESSÃO, etc. serão consideradas no planejamento. Portanto, de modointerdisciplinar os conteúdo curriculares serão ministrados, objetivandoaprofundar o diálogo sobre o respeito a diferença, ou seja, ao que difere demim.RECURSOS Vídeo e música "E daí, que diferença faz?" (da Campanha ‗Ser diferenteé normal 2012); documento da Organização das Nações Unidas; quadrobranco, folhas brancas, lápis e caneta, cartaz e fichas individuais do SEDUP,cartolinas, tesoura, cola, lápis de colorir, revistas, mapa do Estado da Paraíba,literatura de cordel, textos poéticos, encartes ou informações da campanha ‗Serdiferente é Normal 2012, ida a biblioteca, computadores; aparelho de DVD,slides (PowerPoint), Data show, caixa de som, filmes, vídeos do You Tube.Terá o atendimento optometrista com os alunos, com o Dr. José Cláudio. Estemomento é se configura como sequencia do projeto anterior, o qual ocorrerá nodia 09 de Julho de 2012. Neste bimestre contaremos com a participação doProf. Dr. Erenildo Joao Carlos que aplicará o projeto de alfabetização com
  10. 10. 10imagem. O projeto contará com duas bolsistas, visando contribuir com oprocesso de alfabetização na turma.AVALIAÇÕES Considerando a metodologia adotada – pedagogia freireana - onde odiálogo na EJA é considerado relevante, bem como o educar para o exercícioda cidadania e da democracia, de modo que o aluno supere o papel de sujeitopassivo, passando a ser crítico; ativo e participativo na construção de umasociedade melhor. Nesse sentindo, a avaliação do aproveitamento dos alunosdeverá ser processual, sistemática e cumulativa, realizada pela educadora aolongo do 2 bimestre de acordo com os objetivos previstos, relacionados aosdiversos conteúdos e mediante os diferentes instrumentos, com prevalêncianos aspectos qualitativos sobre os quantitativos.REFERÊNCIASBRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: pluralidade cultural. Temastransversais, v. 10. Brasília:MEC/SEF, 1997.BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.Brasília, DF, Senado, 1998.BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. (2003),Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: SecretariaEspecial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação.

×