Your SlideShare is downloading. ×
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Drenagem linfática manual
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Drenagem linfática manual

27,109

Published on

Published in: Technology, Health & Medicine
1 Comment
13 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
27,109
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
818
Comments
1
Likes
13
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Drenagem Linfática Manual MÉTODO ORIGINAL DR. VODDER Desde que, por volta dos anos 30, o Dr. Vodder e a sua esposa criaram e introduziram com êxito a Drenagem Linfática Manual no tratamento de afecções crónicas das vias respiratórias superiores, o seu campo de aplicações médicas foi-se ampliando e aprofundando com o passar do tempo. Em alguns casos a DLM, constitui um procedimento principal de tratamento, como é o caso dos LINFOEDEMAS, enquanto noutros casos há que considera-la simplesmente como uma terapia acompanhante ou de apoio. Será impensável não pensar nela quando se fala de POST- MASTECTOMIA ou de qualquer outra intervenção cirúrgica. É uma técnica especifica de massagem manual que exige uma formação adequada. Esta técnica caracteriza-se por uns movimentos muito suaves e precisos, todos em forma circular e espiral e por um trabalho intensivorealizado nos centros de gânglios linfáticos.Procurando aliviar os sintomas, primeiro trata o sistema linfático superior, ou seja, a zona docoração, as zonas dos gânglios linfáticos do pescoço, da garganta, e dos ombros, evoluindo depois,de forma progressiva, para as zonas afectadas, mais afastadas do coração. Na maioria dos casoseste tratamento tem a duração de 1 hora.Estimula a circulação linfática nos vasos linfáticos ao acelerar a absorção de líquidos e das macro-moléculas do tecido intersticial, pela activação da capacidade peristáltica destes vasos. Por isso, aDrenagem Linfática Manual faz absorver inúmeras formas de EDEMAS. Não só absorve formasde edemas aparentes, como também o faz a formas menos visíveis, como por exemplo; osEDEMAS POST-OPERATÓRIOS dos membros, o edema do braço depois de umaMASTECTOMIA, assim como os edemas POST-TRAUMATICOS, como os que aparecemquando se faz uma fractura óssea; mas também é eficaz em formas de edemas ainda menosvisíveis, como os que podem dar origem a dores de cabeça e a dores da coluna vertebral.A Drenagem Linfática Manual segundo VODDER, estimula o processo imunitário, ao aumentar,na zona cortical dos gânglios linfáticos, a produção de linfócitos.A Drenagem Linfática Manual é indicada de forma indiscutível em todos os casos deLINFOEDEMAS, ou seja, de edemas resultantes de uma debilidade ou de uma diminuição dacapacidade de transporte do sistema linfático. A Drenagem Linfática Manual favorece a regeneração dos tecidos 1
  • 2. Este efeito regenerativo pode explicar-se pela eliminação do edema intersticial, factor de diminuição da velocidade da micro circulação. Segundo VODDER este facto também se poderia. explicar pelo aumento da produção de linfócitos, cujo núcleo tem um papel alimentício e regenerador para os tecidos. Este fenómeno foi observado em úlceras varicosas, osteoporoses, celulites e enxertos de órgãos. Programa de tratamento1- Historial médico2- Historial dos procedimentos cirúrgicos3- Se fez tratamentos (quimioterapia ou radioterapia) e qual a duração4- Historial familiar5- Medicamentos que toma actualmente6- Nome dos médicos com quem se trata7- Primeiros sintomas relacionados com o Linfoedema8- Quais as expectativas em relação ao tratamento de Drenagem Linfática ManualOs membros serão medidos na 1ª consulta, não só o membro afectado como também onão afectado. Estas medidas servem para comparar qual o volume do inchaço e são usadaspara comparar no fim do programa de tratamento, com o fim de avaliar a quantidade devolume reduzido no membro afectado.A Drenagem Linfática Manual é utilizada não só para reduzir a quantidade de linfa acumuladano membro afectado, como também ajudar a recuperar os vasos linfáticos de outras áreas.Uma sessão de Drenagem Linfática Manual tem uma duração entre 60 a 90 minutos,consoante o grau do Linfoedema e da sua localização. Se estiver localizado na extremidadedo membro requer 90 minutos.Depois de 10 tratamentos, que no inicio deverão ser de 1 por dia ou em dias alternados, omembro é novamente medido para se verificar a redução do volume obtido e assimcomparar com as medidas efectuadas no inicio do tratamento.Nesta 2ª fase o terapeuta e o paciente combinam qual será o tratamento de manutenção,uma vez que, não deve deixar de fazer pelo menos uma vez por mês um tratamento deDrenagem Linfática Manual ou sempre que sinta que houve um aumento do inchaço. Tudo 2
  • 3. isso depende , como é obvio, do volume de linfa reduzido nos primeiros 10 tratamentos edo estilo de vida do paciente.Será fornecida ao paciente uma lista de conselhos que deverá seguir para que possa evitar oaumento do Linfoedema assim como dos cuidados a ter a nível da higiene permitindo assimque o paciente possa ter o máximo de qualidade de vida. CUIDADOS A TER DEPOIS DE UMAMASTECTOMIA PARA EVITAR A FORMAÇÃO DE UM LINFOEDEMA 1- Manter a zona afectada sempre limpa. Utilizar sempre um creme hidratante que não contenha álcool e com um PH correcto. 2- Evitar temperaturas muito elevadas, tais como: banhos com água muito quente , exposição solar, saunas, banhos turcos... 3- Cuidados médicos tais como: análises de sangue, medições de tensão arterial, acupunctura , testes , devem ser evitados no membro afectado. 4- Evite roupa apertada, relógios, anéis , pulseiras e tudo o que possa afectar a circulação. 5- Evite pesos no membro afectado tais como: sacos e malas. 6- Tenha cuidado ao cortar as unhas e arranjar as cutículas. 7- Evite todo o tipo de traumas, tais como: cortes, queimaduras, picadas de insectos, use sempre luvas se está a fazer jardinagem ou a trabalhar com agulhas ou facas. 8- Evite movimentos bruscos tais como empurrar, puxar, pegar em crianças ao colo, carregar bagagem, nunca fazer nada até à exaustão, pois está em risco de se cansar mais facilmente levando mais tempo em recuperar-se. 9- Se viajar de avião deve usar uma manga elástica durante a viagem 10- Tente manter um peso ideal e beba muita água. 11- A Drenagem Linfática Manual é uma terapia reconhecida não só como tratamento de Linfoedemas mas também para a sua prevenção. Se fez uma mastectomia com remoção de gânglios axilares o seu sistema imunológico está debilitado. A Drenagem Linfática Manual ajuda a melhorar o sistema imunológico. Outros géneros de massagem deverão ser evitados, tais como: Shiatsu, Reflexologia ou Massagem Desportiva. 3
  • 4. O QUE É DRENAGEM LINFATICA:É uma massagem que ajuda a desobstruir os vasos e a coletar o liquido que ficaacumulado nas pernas. É um dos tratamentos mais eficazes contra a celulite.Para que sua massagem seja completa de preferência a um creme redutor ou anti-celulite. COMO FAZER DRENAGEM LINFATICA EM CASA: • Sentada no chão, aplique uma quantidade generosa do creme. Comece a massagem a partir do tornozelo e suba até o joelho, fazendo pressão com os polegares e deslizando, pressionando e deslizando. Repita 8 vezes. • Faça o mesmo vaivem do passo anterior dos joelhos até as coxas por 8 vezes. Depois segure a pele com os indicadores e os polegares das duas mãos e aperte, como se estivesse torcendo. Repita 8 vezes. • Finalize com uma massagem nos pés para ativar a circulação. Com os polegares pressione e deslize, até contemplar todo o pé. Agora repita tudo na outra pernaMOVIMENTOS DA DRENAGEM LINFATICA 1- Sistema de piquet ou pode ser feito no externoColocar a mão na axila esquerda e vem deslizando a mão até o final da costela encaixe amão no final da costela e peça a para a cliente inspirar e soltar o ar no momento que elasolta o ar fazer o bombeamento (3 x) 2- Bombeamento de quiloCom as mãos em pé e abertas em cima do abdomen com o umbigo entre elas sendo queuma mão fica com os dedos emdireção a cabeça e a outra em direção aos pés peça paraa cliente inspirar e soltar o ar ao soltar faça o bombeamento (3x) 3- Sub-clavicula Colocar cada mão em uma axila fazer massagem circular de fora para dentro clienteinspira e solta o ar ao soltar o ar faça o bombeamento (3x)4- Laterais do corpoColocar as mãos embaixo das axilas descer pressionando subir pressionando (abra asmãos pressiona solta, pressiona solta)5- Pressionar o abdômenColocar as mãos no abdomen com o umbigo entre elas subir pressionando ao chegar nasmamas levanta - las e ir pressionando até as axilas( 3x)6- Laterais do corpoColocar a mão direita na lateral do corpo altura do umbigo e a mão esquerda noabdômen ir pressionando até a mão direita chegar e parar na axila e a mão esquerdapassar pela mama e chegar até a axila (3x)Obs. Fazer esse movimento no lado direito e lado esquerdo do corpo.7- Escama de peixe do umbigo para cima (esteticista fica atrás da cliente) 4
  • 5. Por a mão em cima do abdômen acima do umbigo em forma de um triangulo deitar amão e ir deslizando a em direção as laterais ao chegar nas mamas levar as mãos para asaxilas8-Limpeza nas lateraisCom as mãos nas laterais iniciando a pressão nas axilas fazendo o movimentode descer e subir (3x)9-InguinalNa região inguinal localizar o coraçãozinho com os dedos fazer o movimento de pressão (3x) só com as pontas do dedos (apertar)10-Escama de peixe do umbigo para a inguinalPor a mão em cima do abdômen em forma de um triangulo deitar a mão e ir deslizandoaté chegar na inguinal (3x)11-Pressão lateral do umbigo em direção a inguinalColocar a mão no abdômen proximo ao umbigo com uma mão em cima da outra fazerpressão levando para baixo em direção a inguinal (3x)12-pressão nas lateraisColocar as mãos nas laterais na altura do umbigo ir pressionando em direção ao umbigo(pressiona e empurra) chegando ao umbigo levar tudo para a inguinal(3x).13-BraçoUma mão fica na sub-clavicula e a outra na axila fazer pressão Movimento de desce esobe sempre começando e terminando na sub-clavicula e axila.Obs. Esse movimento vai até o cotovelo (3x)14-BraceleteDividir o braço em quatro partes e fazer o movimento do bracelete levando em direção aaxila(3x).15-Bandejacolocar uma mão no lado interno do braço e a outra no lado externo bem embaixo dobraço deslizar a mão do lado interno para o meio do braço vim com a mão que esta nolado externo e se encontrar com a mão que esta nomeio do braço e que já deslizou eparou a espera da mão do lado externo.BRAÇO ( do cotovelo até a mão ) 16- Fazer pressão abaixo do cotovelo nos movimentos de descer e subir, depois fazer bracelete e por ultimo a bandeja ( 3x) 17-Fazer na mão primeiro bracelete depois pressão (3x) 18- Fazer pressão nas articulações dos dedos (colocar o polegar em cima das articulações e pressionar) (3x). 19- Pressionar o braço todo pulando o cotovelo (descer e subir) começa com a mão na sub-clavicula e a outra na axila (3x) 5
  • 6. 20- Fazer bracelete quando chegar no pulso volta com bracelete só que aperta e empurra (3 x).PERNAS (frente) 21- Pressionar a inguinal depois com uma mão em cima da outra pressionar a safena, a poplítea e o tornozelo (3 x) 22- Pressionar a coxa até o joelho com movimento de desce e sobe.Fazer bracelete até a inguinal. 23- Fazer bandeja nas coxas, depois fazer bracelete pressionando e empurrando. 24- Do joelho para baixo fazer pressão como o movimento de descer e subir depois bracelete depois a safena (na metade da perna toda)e depois fazer bandeja (3x). 25- No pé fazer bracelete, depois pressão. Fazer pressão nas articulações dos dedos com o dedão( 3x). 26- Com a palma da mão encaixar na curva do pé e empurrar 27- 27-Fazer bracelete pressionando a perna toda (pular o joelho) ir pressionando até o tornozelo. Ao subir pressionar e empurrar em direção a inguinal sem tirar as mãos28-Fechamento das linfasfechar as linfas deve bombear o calcaneo, poplítea,safena e inguinal (3x cada linfa) CLIENTE DE BRUÇO29- Pressionar o gluteo (3x)30- Fazer pressão na coxa (3x)31- Fazer bracelete na coxa (3x)32- Pressão e bracelete (3x)33- Fazer molinos (3x) (cliente com muita celulite)34- Pressionar do joelho para baixo (pressiona e solta) (3x)35- Fazer bracelete do joelho para baixo (3x)36- Pressionar e empurrar do tornozelo para o joelho (3x) (como se fosse um bracelete)37- Pressionar e empurrar a perna toda(3x)38- Próximo ao reto no gluteo fazer pressão em direção a inguinal (pressão leve) (3x)39- Fazer quadrante no glúteo (3x)40- Fazer pressão novamente no glúteo só que mais forte (3x)41- Abaixar um pouco a calcinha da cliente fazer pressão do cóccix para a inguinal em linha reta (3x)42- Fazer escama de peixe de baixo para cima começar na direção do umbigo bem no centro das costa ir levando para as laterais trazendo para a sub-clavicula. (3x)43- Fazer pressão nas costa na direção do umbigo para axila. (3x) 6
  • 7. 44- Colocar uma mão na lateral do corpo e a outra em cima ir fazendo pressão até a mão chegar na axila e a outra na sub-clavicula fazer em ambos os lados do corpo da cliente (3x)45- Fazer pressão nas laterais começando das axilas ,descendo e subindo (esse movimento é para fazer limpeza) (3x).46- Fechar as linfasvira a cliente fazer massagem nas axilas depois bombear a axila e bombear a sisterna depiquet ou o externo (fazer sisterna de piquet ou externo tanto faz um ou outro)(3x). 7
  • 8. Drenagem Linfática Manual é uma técnica de massagem que tem por objetivo formar e movimentar a linfa, conduzindo-a para o coração. Justificativa: Por que PROPELI? Desde 1984 temos estudado, com profundidade, a técnica de massagem denominada Drenagem Linfática Manual desenvolvida entre, 1932 e 1936, pelo dinamarquês Emil Vodder (1896 - 1996), doutor em História da Arte, Massagista e, depois, Fisioterapeuta. Estudamos também o método Leduc de Dr. Vodder e esposa Drenagem Linfática e muitas outras variantes. Algumas pareciam mesmo contradizer-se. Com o aparecimento da "Drenagem Mecânica" vários conceitos entraram em "cheque" (aberturas, sentido, velocidade, etc), pois tudo funcionava. Acreditamos que a palavra "Descobrir" é muito forte para descrever o que passaremos a compartilhar, melhor seria "Compreender". Depois de muita pesquisa e de observarmos como a "Drenagem Linfática Fisiológica" ocorria em nosso corpo desenvolvemos um método que procura "IMITAR" o "Processo Natural" e que passaremos a abordá-lo. Chamaremos este método de "PROPELI" - Produção Periférica de Linfa. A metodologia apresenta resultados surpreendentes e caracteriza-se pela objetividade e praticidade, facilitando a atividade dos que trabalham nesta área. Iniciaremos por estabelecer conceitos e definições para, então analisarmos as "imitações do corpo" que usaremos no objetivo de conseguir a "PROPELI", o mecanismo natural mais usado para a produção e movimentação da linfa no corpo. Professor Rubens Balestro - DIFEP 1956-SS-POA-RS Para um melhor entendimento da drenagem linfática necessitamos definir alguns elementos:L Linfa: É o líquido encontrado nos "vasos" linfáticos. Era "Líquido Intersticial" que, por sua vez era "Líquido Intracelular" ou ainda "Sangue Arterial". É importante entender que os líquidos, no corpo, recebem o nome em função do lugar onde estão. É como a água: Quando cai do céu, chamamos de chuva, quando brota da terra, chamamos de vertente (mina, fonte, "olho"). As vertentes formam riachos que formam rios que formam lagoas ou deságuam no mar. Tudo é água, mas com nomes e propriedades diferentes. O que encontramos no mar não encontramos numa vertente. Da mesma forma os líquidos de nosso corpo vão trocando de nome e características de acordo com o local onde estão. Quando sai do coração, sendo rico em oxigênio, chamamos "Sangue Arterial", quando entra num interstício celular chamamos de "Líquido Intersticial", quando é absorvido pela célula chamamos de "Líquido Intracelular" ao sair da célula volta a chamar-se "Líquido Intersticial". Existem duas maneiras do "Líquido Intersticial" deixar o interstício celular: pode sair por uma vênula e será chamado de “Sangue Venoso“ ou pode ser capturado por um capilar linfático recebendo o nome de 8
  • 9. "Linfa" que mais tarde se juntará ao "Sangue Venoso" pouco antes do coração. Portanto a "Linfa" deve ser definida pelo local onde se encontra.- - Como é a linfa? Sendo que sai do interstício celular é desprovida dos glóbulos vermelhos que lá não penetraram. Portanto é praticamente incolor tendo quase a mesma composição do plasma sanguíneo. Carrega consigo o que encontramos no interstício celular, em especial aquilo cujo peso molecular ou tamanho seja grande de mais para sair por uma vênula, as "Macromoléculas" , mas não apenas as "Macro Moléculas" e sim todas as substâncias que se encontravam no "interstício celular" por ocasião de seu esvaziamento como "sais", hormônios, proteínas, energéticos, etc., e os elementos pertinentes ao "Sistema Linfático" como os glóbulos brancos (Linfócitos) produzidos nos Nodos Linfáticos e Tecidos Linfáticos. Sendo que a porosidade dos vasos linfáticos é maior que os sanguíneos (sanguíneos tem porosidade menor de 4 micra e linfáticos trabéculas que, quando abertas, absorvem de 12 a 14 micra) as macromoléculas de gordura, capturadas no intestino, aproveitam este caminho para chegarem até o fígado. Neste percurso, dos intestinos ao coração, a linfa adquire uma aparência leitosa. No corpo o Sistema Linfático é também chamado de Sistema Imunológico. Isto significa que este sistema tem, resumidamente, duas funções: Defender e Limpar. Na drenagem linfática nos deteremos na função de "Limpeza" onde compõe a chamada "Circulação de Retorno" (Venosa e Linfática) colaborando na desintoxicação do organismo, em especial, no que diz respeito as "Macro-Moléculas" formadas por restos de células mortas, proteínas e Moléculas de grande peso formadas por atração iônica (átomos e moléculas que se agrupam buscando a estabilidade elétrica ) e que, geralmente, não tem proveito para o organismo, sendo eliminadas nos Nodos Linfáticos. Contudo, sua função na defesa será levada em consideração ao decidirmos sobre suas indicações e contra-indicações. - Vasos Linfáticos: Chamamos de Vasos Linfáticos as estruturas que capturam e conduzem a linfa. Os vasos podem ser divididos quanto a sua função: Capilares Linfáticos capturam a linfa, Pré-Coletores Linfáticos dão início a movimentação da linfa levando-a aos Coletores Linfáticos, de maior calibre, que transportam a linfa até os Nodos Linfáticos. Os Vasos Linfáticos apresentam-se na forma de “rosário” – um gomo, uma válvula. O espaço entre as válvulas recebe o nome de “Linfângio”. - Nodos Linfáticos: São estruturas ovais nas quais os vasos linfáticos penetram trazendo a linfa e seus componentes. Constituídos de tecido linfático são cobertos por uma cápsula de tecido fibroso. Formam 9
  • 10. os Nodos: Trabéculas, vasos aferentes (que trazem a linfa), seios linfáticos, vasoseferentes (por onde sai à linfa), nódulos corticais, córtex, centro germinativo, cordõesmedulares, artérias e veias. Temos de 400 a 600 Nodos Linfáticos agrupados em cadeiasno corpo. As principais cadeias são: cervical, axilar, fossa oli-craniana, ducto torácico,pré-aórtico, inguinais e losango poplíteo. Tem por função purificar a linfa, formarlinfócitos, também aprisiona agentes patogênicos ou células "estranhas" (este processo,as vezes, forma ínguas) e são verdadeiros laboratórios produzindo defesas na forma delinfócitos e "anticorpos"- Como a linfa se movimenta pelo corpo? Para respondermos esta perguntatemos de saber algo sobre os vasos linfáticos. Estes possuem camadassemelhantes às paredes das veias e válvulas (valvas) em maior número quenas veias o que permite a linfa fluir em uma só direção, a do coração. Estasválvulas dão aos vasos linfáticos uma aparência característica de colar decontas.A linfa é propelida ao longo dos vasos linfáticos pelos seguintes mecanismos: a) A formação de nova linfa por pressão interna ou externa nos interstícios celulares, empurrando a "antiga" para frente. b) O estiramento e a contração do segmento de um vaso linfático (Linfângio) entre duas válvulas. c) Ação massageadora dos músculos esqueléticos sobre os vasos linfáticos. d) Pressão nos vasos linfáticos gerada pelo batimento dos vasos sanguíneos (artérias e veias) versus a inércia das vísceras sobre eles. Os vasos linfáticos procuram se aderir a superfície dos vasos sanguíneos para serem espremidos nos seus “pulsares”. e) O peristaltismo intestinal sobre os vasos linfáticos encontrados sobre o mesentério espremendo-os contra o músculo reto-abdominal. f) A “sucção” que ocorre nos movimentos respiratórios sobre a linfa depositada na Ampola de Pequet ou Cisterna de Quilo, situada junto a coluna vertebral e abaixo do diafragma (este mecanismo apenas atua na movimentação da linfa proveniente dos membros inferiores, pelve e abdômen. g) A força da gravidade colabora na movimentação da limfa acima do nível do coração. 10
  • 11. Observando osmecanismos demovimentaçãoda linfa notamosque a formação denova linfa porpressão externa,ou interna, a açãomassageadora dosmúsculos sobre osvasos, a pressãonos vasoslinfáticos geradapelo batimentodos vasossanguíneos versusa inércia das vísceras sobre eles, e a sucção na Ampola de Pequet ou Cisterna de Quilopromovida pelos movimentos respiratórios mantêm uma relação entre si. Quando oprimeiro aumenta os demais mecanismos tendem a acompanhar este aumento. Ex:Quando aumentamos a atividade física correndo, por exemplo, esprememos osinterstícios celulares da “planta” do pé, os movimentos musculares aumentam, osbatimentos das artérias aumentam e os movimentos respiratórios igualmente aumentam.Sendo assim, torna-se evidente que a formação e transporte de linfa, efetuada por estesmecanismos, não é constante, podendo variar de acordo com a situação.- Como fazer a Drenagem Linfática Manual pelo método PROPELI (DLMP)?a) Pressão: A linfa que vem ao coração procede de todas as partes do corpo, desde asmais profundas as periféricas (camadas da pele e tecido adiposo). Na DrenagemLinfática manual procura-se atuar nos tecidos mais periféricos forçando, por pressão,seus líquidos, intracelular e intersticial, a tornarem-se linfa que acabará impulsionando alinfa dos vasos mais profundos. Sendo assim ela terá de ser "suave" o suficiente paranão interferir no tecido muscular, mas com pressão suficiente para manipular oslíquidos dos tecidos superficiais espremendo-os para que se forme a linfa que serárecolhida pelos capilares e conduzida para os vasos profundos. Observem que a linfaformada pela pressão nos tecidos superficiais é recolhida e levada para os vasos maisprofundos. Isto significa que a direção da linfa superficial é a de"APROFUNDAMENTO".b) Direção: Se considerarmos as vias linfáticas como componentes da circulação deretorno usadas para "esvaziar" o interstício celular de "macromoléculas" que nãoconseguiram sair pelos capilares sanguíneos (vênulas), deveríamos fazê-la no sentido decolaborar com essa circulação. Significa então que temos de direcioná-la para ocoração? Alguns afirmam que a Drenagem Linfática deve começar próximo ao coraçãoe ir afastando-se dele gradativamente. Parece que o lugar onde tem início à drenagemLinfática é irrelevante, pois, no "processo natural" (Drenagem Fisiológica), a Drenagemocorre na área que se está pressionando (lembrar que entre os mecanismos "naturais"de formação e movimentação de linfa temos a pressão interna ou externa nos interstícioscelulares). Além disso, é importante compreender que a Drenagem Linfática Manual sedá pelo esvaziamento dos interstícios celulares superficiais que tem seu conteúdo 11
  • 12. capturado pelos capilares linfáticos conduzindo, já como linfa, aos pré-capilares e paraos vasos mais profundos onde, como "nova linfa", empurrará a linfa que ali se encontra(as válvulas impedem o refluxo). Nesta etapa (mais profunda) não atuamos, pois nossapressão é superficial.c) Velocidade: Sobre a "velocidade" estipulou-se que ela deva ser lenta, mascomo vimos na consideração dos mecanismos envolvidos, há ocasiões em quea linfa se movimenta com maior rapidez (uma pessoa em atividade física deveprocessar mais linfa do que em repouso). A drenagem lenta pode apresentarbenefícios secundários. Emil Vodder, precursor da Drenagem Linfática,salientava que a lentidão provocava uma indução ao estado Parassimpáticodo SNA (Sistema Nervoso Autônomo), que é o estado propício para arecuperação e o tratamento do STRESS. Contudo, temos de levar emconsideração que, por ocasião da DLMP, estando o paciente deitado erelaxado, poucos mecanismos naturais estarão atuando na movimentação"fisiológica" da linfa produzida. Em repouso, o coração diminui a freqüência desuas batidas, sendo assim a pressão gerada pelo pulsar das artérias sobre asquais se encontram vasos linfáticos, versus a inércia das vísceras que estãosobre eles, diminui, tornando a movimentação da linfa que por ali transita maislenta. Além disso, não há a ação "massageadora" dos músculos sobre osvasos linfáticos que se encontram entre eles. A sucção, no ato da inspiração,sobre a Ampola de Pequet ou Cisterna de Quilo estará reduzida retardando adrenagem dos membros inferiores, pelve ou abdômen. A contração doslinfângios que, por possuírem musculatura lisa regida pelo SNA, mantém umritmo de contração proporcional à respiração e aos batimentos cardíacos,igualmente estará diminuída pois o paciente esta em repouso. Sendo assim,parece haver inúmeros argumentos para fazer a DLMP lenta. d) Manobras: Para entendermos as manobras e seus motivos necessitamos rever aparte anatômica e fisiológicado Sistema Linfático. A linfaque é conduzida para ocoração freqüentementepassa por expansõesnodulares chamadas de"Linfonodos" ou NodosLinfáticos, geralmentedispostos em cadeias, nosquais ela é purificada.Células fagocitárias fazem a"filtragem" da linfaeliminando as Macro-Moléculas ou diminuindoseu tamanho. Estes NodosLinfáticos tambémdesempenham importantepapel na defesa doorganismo agindo como 12
  • 13. barreira contra agentes agressores que ali chegam trazidos pela linfa. Nestes Nodos sãoaprisionados ou destruídos. Os Nodos Linfáticos também são centros germinativos deLinfócitos (um tipo de célula de defesa do organismo). A existência destes linfonodos,geralmente dispostos em cadeias, e suas múltiplas funções devem ser levadas emconsideração por ocasião da administração de uma Drenagem Linfática. As principaiscadeias de Nodos Linfáticos, encontradas nas áreas manipuláveis pela DrenagemLinfática Manual, são: cervicais, parotídeas, axilares, oli-cranianas, inguinais e as doslosangos poplíteos. É relevante salientar que, todas estas cadeias se encontram emarticulações. Sendo assim, ao movimentarmos pernas, braços e boca, estaremos"massageando" estas cadeias de Nodos Linfáticos, esvaziando-as. Esta é a maneiranatural de intervir nas cadeias de Nodos Linfáticos, flexionando as articulações e,dada a complexidade das estruturas envolvidas, parece-nos que, na Drenagem LinfáticaManual, deveríamos imitar estes movimentos em vez de usarmos nossas mãos ou dedos.Assim evitaremos correr o risco de danificar suas delicadas estruturas ou libertar algumagente ou célula perigosa ali "aprisionada".e) Condução:A DrenagemManual é feitapor manobrassuperficiaisque devempressionarsomente ostecidossuperficiais(tecidotegumentar etecido adiposo)sem atingir amusculatura.Toda vez queum tecido (Notar que a linfa é capturada dos tecidos periféricos e direcionadasuperficial para os vasos profundos)recebe umaumento de pressão (pode ser interna ou externa), forma-se linfa. Não é necessáriauma condução visto que, a linfa capturada pelos capilares linfáticos, procurará osvasos profundos, abaixo do local onde ocorre a "leve pressão". Devemos lembrar que,a linfa superficial é conduzida para "DENTRO", para o interior da região"Drenada", e não para o CORAÇÃO. É como a água no banheiro após o banho, parasecá-lo, empurramos para o ralo. Depois que ela encontra o ralo não temos de nospreocupar com sua direção. Ela chega ao seu destino automaticamente.f) Tempo: Sendo que a DLMP atua, de maneira minuciosa, no tecido tegumentar ondeestão as glândulas sudoríparas que tem por função, além de resfriar o corpo, livrá-lo deimpurezas, as manobras de pressão fazem com que estas impurezas que sairiam naforma de sudorese retornem à circulação, primeiro linfática e depois sangüínea. Assimsendo, a DLMP tem tempo máximo para ser aplicada, ou seja, de 30 a 40 minutos.Evidentemente que com este limite de tempo não se pode drenar o corpo inteiro.Devemos perceber no entanto, que a DLMP não foi desenvolvida para ser aplicada de 13
  • 14. uma única vez no em todo o corpo, ela foi desenvolvida para ser usada quando amassagem Neurocirculatória estiver impedida. Portanto a DLMP é usada de modoELETIVO. Escolhe-se a região do corpo que necessita da DLMP. Desta maneira elapoderá ser feita dentro do tempo limite.Benefícios da DLMP: De acordo com Emil Vodder, grande estudioso da DrenagemLinfática Manual, podemos conseguir com esta técnica uma estimulação da produção emovimentação da linfa, "drenando" líquido e macromoléculas do interstício celular. Istopropicia a absorção de edemas visíveis e os menos visíveis. Sendo assim, esta indicadapara os edemas pós-traumáticos como os que surgem em contusões e é igualmenteeficiente nos pré e pós-cirúrgicos. É a massagem mais indicada no combate aoreumatismo (aliar Drenagem Sinovial), celulite e efeitos da menopausa. A Osteoporosepode ser combatida, com excelentes resultados (aliar Massagem Osteossensibilizante).Quando existe uma diminuição na produção de hormônios os poucos produzidos podemficar "perdidos" em interstícios celulares que não são o seu destino. Isto causa uma faltade comunicação entre os órgãos, o sistema nervoso e o glandular endócrino. ADrenagem Linfática faz com que os líquidos do corpo circulem e, como conseqüência,os poucos hormônio se tornam muitos, atenuando ou desaparecendo com os sintomas dadiminuição hormonal. A DLMP também estimula os processos imunitários porsensibilizar na zona cortical dos Nodos Linfáticos à produção de linfócitos. Favorece aregeneração dos tecidos. Isto pode ser explicado pela eliminação do edema intersticialque, quando presente, diminui a velocidade da micro-circulação. Exerce efeitos sobre osistema nervoso de forma tranqüilizante, relaxante e analgésica. Neste aspecto aDLMP é parecida com a Neurocirculatória feita de maneira Lenta e Superficial. Oefeito relaxante estimula a predominância do Sistema Nervoso AutônomoParassimpático, que influi na recuperação das forças e regeneração dos tecidos. Pode-se ainda citar benefícios nos casos de acne, rosácea, pós-operatórios de cirurgiasplásticas que melhora o aspecto reduzindo edemas, hematomas, apreçando acicatrização e impedindo a formação de "quelóides" (isso somente será possível quandoas manobras usadas não tiverem direção ou condução).Levando em consideração que a DLMPl, como a Massagem Neurocirculatória, gera umincremento de toxinas na circulação cardiovascular, deve-se ter o cuidado de não fazê-lade maneira prolongada, em especial nos casos de insuficiência renal quando poderáestar contra-indicada. Nos casos em que necessitamos "Drenar" o corpo inteiro fazerpor partes, em diferentes ocasiões ou diminuir a quantidade de manobras (geralmenteusamos 4 e poderemos usar apenas 2).Considerações finais. A DLMP deverá ser lenta para poder influenciar noSistema Nervoso Autônomo Parassimpático, dar tempo para que os capilarescapturem o líquido intersticial (uma manobra por respiração profunda dopaciente - pressionar na expiração) e para respeitar a defasagem nomecanismo de movimentação de linfa que ocorre quando o corpo está emrepouso. Recomendamos iniciá-la pedindo ao paciente que beba um "bom"copo de água (mais de 200ml), sempre que possível usar a força dagravidade. Ambiente silencioso. Se necessitar drenar o corpo inteiro faça issopor partes, em diferentes sessões, assim a sessão não será muito demorada(não ultrapassar os 40 minutos). A linfa deve ser "direcionada" para o interiordo corpo e não para o coração. Caso o terapeuta procure direcionar a linfapara o coração estará impedido de aplicar a técnica em casos com Flebite, 14
  • 15. Trombose e outros. Necessita-se ter uma seqüência de partes a seremdrenadas. Se preferir a "proximal distal" não há objeções. A flexão dasarticulações deverá ser feita ao iniciar cada movimento de drenagem dosegmento e ao finalizar. Quando a drenagem for feita na região abdominale, ou, pelve e pernas, deve-se dar atenção ao esvaziamento da Cisternade Quilo ou Ampola de Pequet por meio de respirações profundas.Terminar com mais um copo de água. (A água, antes e após a Drenagem,apressa a depuração do sangue pelos rins, que fará urina.) A estametodologia de Drenagem Linfática chamamos de PROPELI (ProduçãoPeriférica de Linfa). Curiosidades: * 15 % do peso corporal é representado pela linfa. * Uma pessoa forma de 2 a 5 litros de linfa por dia, mas pode, em casos especiais (doença), formar 20 litros. * A linfa circula, dependendo dos mecanismos de condução que estão sendo usados, a 4 mm/s. * 80 % da linfa formada no corpo vem da periferia e procura o aprofundamento onde fará seu papel na condução da linfa dos vasos profundos. * Os vasos linfáticos iniciam em capilares, passam para pré-coletores, coletores e ducto torácico. * Os capilares linfáticos são diferentes dos capilares sangüíneos, mais numerosos e mais volumosos (20 a 60 micra). * Quando os capilares linfáticos abrem para coletar o líquido intersticial a dilatação pode ser de 12 a 15 micra, isto representa 2 vezes o tamanho de um glóbulo vermelho. * O movimento de contração “rítmica” dos vasos linfáticos é regulado pelo sistema nervoso autônomo e ocorrem de 5 a 10 vezes por minuto. * Cada unidade de um vaso linfático (espaço limitado por duas válvulas) é chamada de “lynphangion" ou LINFÂNGIO. * O número de Nodos Linfáticos totais no corpo fica entre 600 a 700. 15
  • 16. MOVIMENTOS DA DRENAGEM LINFATICA 1- Sistema de piquet ou pode ser feito no externoColocar a mão na axila esquerda e vemDeslizando a mão até o final da costelaencaixe a mão no final da costela e peça apara a cliente inspirar e soltar o ar nomomento que ela solta o ar fazer o bombeamento (3 x)2- Bombeamento de quilo Com as mãos em pé e abertas em cimado abdomen com o umbigo entre elassendo que uma mão fica com os dedos emdireção a cabeça e a outra em direção aos pés peça para a cliente inspirar e soltar o ar ao soltar faça o bombeamento (3x)3- Sub-claviculaColocar cada mão em uma axila fazer massagem circular de fora para dentrocliente inspira e solta o ar ao soltar o ar faça o bombeamento (3x) 16
  • 17. 4- Laterais do corpoColocar as mãos embaixo das axilasdescer pressionando subir pressionando(abra as mãos pressiona solta, pressiona solta)5- Pressionar o abdômenColocar as mãos no abdomen com o umbigo entre elas subir pressionandoao chegar nas mamas levanta - las e ir pressionando até as axilas( 3x)6- Laterais do corpoColocar a mão direita na lateral do corpo altura do umbigo e a mão esquerda no abdômen ir pressionando até a mão direita chegar e parar na axila e a mão esquerda passar pela mama e chegar até a axila (3x)Obs. Fazer esse movimento no ladodireito e lado esquerdo do corpo. 17
  • 18. 7- Escama de peixe do umbigo para cima (esteticista fica atrás da cliente)Por a mão em cima do abdômen acimado umbigo em forma de um triangulodeitar a mão e ir deslizando a em direção as laterais ao chegar nas mamas levar as mãos para as axilas8-Limpeza nas lateraisCom as mãos nas laterais iniciandoa pressão nas axilas fazendo o movimentode descer e subir (3x)9-InguinalNa região inguinal localizar o coraçãozinhocom os dedos fazer o movimento de pressão (3x) só com as pontas do dedos (apertar) 18
  • 19. 10- Escama de peixe do umbigo para a inguinalPor a mão em cima do abdômen em forma de um triangulo deitara mão e ir deslizando até chegarna inguinal (3x)11-Pressão lateral do umbigo em direção a inguinalColocar a mão no abdômenproximo ao umbigo com umamão em cima da outra fazer pressãolevando para baixo em direção ainguinal (3x)12-pressão nas lateraisColocar as mãos nas laterais naaltura do umbigo ir pressionandoem direção ao umbigo (pressiona e empurra) chegando aoumbigo levar tudo para a inguinal(3x). 19
  • 20. Braço13-Uma mão fica na sub-clavicula e a outra na axila fazer pressãoMovimento de desce e sobe semprecomeçando e terminando na sub-clavicula e axila.Obs. Esse movimento vai até o cotovelo (3x)Bracelete14- Dividir o braço em quatro partes e fazer o movimento do bracelete levando em direção a axila(3x).Bandeja15- colocar uma mão no lado interno do braço e a outra no lado externobem embaixo do braço deslizar a mãodo lado interno para o meio do braço vim com a mão que esta no lado externo e se encontrar com a mão que esta nomeio do braço e que já deslizou e paroua espera da mão do lado externo. 20
  • 21. BRAÇO ( do cotovelo até a mão )17- Fazer pressão abaixo do cotovelo nos movimentos de descer e subir, depois fazer bracelete e por ultimo a bandeja ( 3x)17-Fazer na mão primeirobracelete depois pressão (3x)28- Fazer pressão nas articulaçõesdos dedos (colocar o polegar em cima das articulações e pressionar) (3x).29- Pressionar o braço todo pulando ocotovelo (descer e subir) começa coma mão na sub-clavicula e a outra na axila (3x)Fazer bracelete quando chegar no pulso voltacom bracelete só que aperta e empurra (3 x). 21
  • 22. PERNAS (frente)30- Pressionar a inguinal depois com uma mão em cima da outra pressionar a safena, a poplítea e o tornozelo (3 x)31- Pressionar a coxa até o joelhocom movimento de desce e sobe.32- Fazer bracelete até a inguinal.33- Fazer bandeja nas coxas, depoisfazer bracelete pressionando e empurrando. 22
  • 23. 34- Do joelho para baixo fazer pressão como o movimento de descer e subir depois bracelete depois a safena (na metade da perna toda)e depois fazer bandeja (3x). 35- No pé fazer bracelete, depois pressão. Fazer pressão nas articulações dos dedos com o dedão( 3x). 36- Com a palma da mão encaixar na curva do pé e empurrar27-Fazer bracelete pressionando a perna toda (pular o joelho) ir pressionando até o tornozelo. Ao subir pressionar e empurrar em direção a inguinal sem tirar as mãos 23
  • 24. 28-Fechamento das linfas fechar as linfas deve bombear o calcaneo, poplítea,safena e inguinal (3x cada linfa) CLIENTE DE BRUÇO29- Pressionar o gluteo (3x)47- Fazer pressão na coxa (3x)48- Fazer bracelete na coxa (3x) 24
  • 25. 49- Pressão e bracelete (3x)50- Fazer molinos (3x)(cliente com muita celulite)51- Pressionar do joelho para baixo (pressiona e solta) (3x)52- Fazer bracelete do joelhopara baixo (3x) 25
  • 26. 53- Pressionar e empurrar do tornozelo para o joelho (3x) (como se fosse um bracelete)54- Pressionar e empurrar a perna toda(3x)55- Próximo ao reto no gluteo fazer pressão em direção a inguinal (pressão leve) (3x)56- Fazer quadrante no glúteo (3x) 26
  • 27. 57- Fazer pressão novamente no glúteo só que mais forte (3x)58- Abaixar um pouco a calcinha dacliente fazer pressão do cóccix para a inguinal em linha reta (3x)59- Fazer escama de peixe de baixopara cima começar na direção do umbigo bem no centro das costa ir levando para as laterais trazendo para a sub-clavicula. (3x) 27
  • 28. 60- Fazer pressão nas costa nadireção do umbigo para axila. (3x)61- Colocar uma mão na lateral do corpo e a outra em cima ir fazendo pressão até a mão chegar na axila e a outra na sub-clavicula fazer em ambos os lados do corpo da cliente (3x)62- Fazer pressão nas laterais começandodas axilas ,descendo e subindo(esse movimento é para fazer limpeza) (3x). 28
  • 29. 63- Fechar as linfas vira a clientefazer massagem nas axilas depoisbombear a axila e bombear asisterna de piquet ou o externo(fazer sisterna de piquet ou externotanto faz um ou outro)(3x). 29

×