O mundo ao contrário 4º ano
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

O mundo ao contrário 4º ano

on

  • 1,670 views

Textos publicados no sítio da Visão Júnior a 30 de novembro de 2011.

Textos publicados no sítio da Visão Júnior a 30 de novembro de 2011.

Statistics

Views

Total Views
1,670
Slideshare-icon Views on SlideShare
1,149
Embed Views
521

Actions

Likes
1
Downloads
4
Comments
0

5 Embeds 521

http://os-novos-leitores.blogspot.com 482
http://os-novos-leitores.blogspot.pt 29
http://os-novos-leitores.blogspot.fr 7
http://os-novos-leitores.blogspot.com.br 2
http://www.os-novos-leitores.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    O mundo ao contrário 4º ano O mundo ao contrário 4º ano Presentation Transcript

    • INICIATIVA ESCOLAS 2011/ 2012 O mundo ao contrário A Visão Júnior propôs um desafio às turmas do ensino básico: imaginar e escrever uma história a partir de um desenho do ilustrador André Letria.
    • Regulamento
      • A iniciativa é aberta a todas as escolas do ensino básico;
      • O objetivo é inventar uma história e um título a partir de um desenho fornecido pela VISÃO Júnior;
      • As histórias deverão ter no máximo 2000 carateres (incluindo espaços);
      • A inscrição é feita por turmas e é preciso um professor responsável;
      • Para que a turma seja inscrita o professor deverá enviar um e-mail com o nome e morada da escola, turma, nome e contacto do professor responsável para [email_address] ;
      • As histórias serão escritas pelas turmas a partir de desenhos que André Letria vai criar para esta iniciativa. Essas ilustrações serão enviadas por e-mail ao professor responsável de cada turma.
      • Mensalmente, de novembro de 2011 a junho de 2012, será publicada uma história na edição impressa e dez histórias no site, pelo que teremos um número limite de 88 turmas participantes;
      • As turmas cujas histórias sejam publicadas no site terão referência ao nome da escola e respectiva turma na edição impressa do mês correspondente;
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-mundo-ao-contrario=f631171#ixzz1d3dws8m7
    • dezembro 2011: desafio para as turmas do Primário
    • 1- O Sr. João e o seu relógio especial Texto dos alunos da turma 1º B da EB1/JI Cova da Moura com a coordenação da professora Sara Parracho Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-sr-joao-e-o-seu-relogio-especial=f636044#ixzz1fGTWUTq9
      • Era uma vez, um menino chamado Diogo de oito anos que gostava muito de ler.
      • O Diogo era mais alto que os outros meninos da sua idade e era muito forte. Tinha a cara redonda, a sua pele era cor  salmão, os cabelo loiros e lisos. Tinha os olhos pequenos, redondos e azuis. O nariz e a boca eram pequenos e os lábios finos.
      • O que ele gostava mais de vestir era t-shirt com calções e calçar ténis.
      • O Diogo gostava muito de ir ler para a biblioteca. Durante a semana ia só alguns dias por causa das aulas. Mas, ao sábado ele passava lá muitas horas a ler. Lia muitos livros de histórias mas os seus preferidos eram os que tinham as histórias em que entravam dragões, príncipes e bruxas.
      • Nessa biblioteca, onde ia o Diogo, trabalhava um senhor que se chamava João. Tinha trinta anos, a sua pele era cor de chocolate branco e usava uma camisa azul com riscas castanhas escuras. Ele gostava muito de trabalhar lá porque a biblioteca era muito bonita e todos os dias ele aprendia coisas novas.
      • Num sábado de manhã, estava o Diogo ao pé da estante dos livros de histórias à procura de um livro da Bruxa Mimi, quando sem querer tocou com a mão nos livros e os livros caíram todos para o chão. Ficou tudo desarrumado.
      • O Sr. João ao ver os livros todos no chão ficou ao mesmo tempo triste e furioso. Triste porque os livros estavam todos no chão e deviam ser tratados com cuidado, e furioso porque estava tudo desarrumado.
      • Mas decidiu resolver o assunto com o seu relógio mágico. Era um relógio muito especial porque em vez de números tinha letras. Então quando ele queria arrumar os livros ia colocando o ponteiro nas letras do título dos livros, carregava num botão e depois o ponteiro apontava para a letra da estante onde pertenciam esses livros.
      • Como tinha desarrumado os livros sem querer, o Diogo resolveu ajudar o Sr. João a arrumar tudo no lugar e só se foi embora para casa quando ficou tudo arrumado.
      • Vitória, vitória, acabou-se a história.
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-sr-joao-e-o-seu-relogio-especial=f636044#ixzz1fGT17qZb
    • 2- O Mundo dos relógios História colectiva dos meninos do 1º A da EB1 do Alto da Ajuda. (Alexandre, Beatriz, Carlos, Cristiano, Fabiana, Fernando, Iúri, Joana, Lourenço, Miqueias, Paulo, Rita, Vanda) Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-mundo-dos-relogios=f636358#ixzz1fEXjbmyw
      • Era uma vez um senhor que se chamava Luís. Ele não conseguia ver as horas porque o relógio dele tinha letras em vez de números. Ficou muito triste porque comprou o relógio e não reparou.
      • No dia do seu aniversário o Luís convidou alguns amigos para almoçar: os seus pais, a dona Júlia e o senhor Edgar, a Sara, a Rita e o João. A Sara e a Rita ofereceram-lhe um relógio muito brilhante, uma varinha mágica, um chapéu de mágico, um passarinho e uma borboleta. Os pais também lhe ofereceram um relógio dourado. No final do almoço o João e o Luís saíram para pescar e só voltaram à noite. No dia seguinte, o Luís telefonou ao amigo João para o convidar a vir a sua casa grelhar o peixe que tinham apanhado.
      • O Luís estava contente porque já tinha dois relógios com números e nessa noite, depois de comer o peixe, foi deitar fora o relógio das letras. Quando o relógio caiu no caixote do lixo, bateu numa panela velha com um dos seus botões e deitou uma luz. O Luís espertou e viu que ali apareceu uma porta redonda e mágica! Ele entrou lá dentro e foi para outro mundo: o MUNDO DOS RELÓGIOS.
      • Era um mundo onde choviam relógios! Os peixes comiam relógios, as borboletas eram relógios, aliás todos os animais e as flores eram relógios. Havia até unicórnios feitos de relógios.
      • Os relógios nasciam nas árvores, voavam ao lado dos pássaros, trocavam de cor como os camaleões, andavam na rua como os carros, viravam-se de lado e transformavam-se em palhaços. As motas e as camionetas e os carros de bombeiros eram relógios; as frutas e os alimentos, os ténis e os sapatos eram relógios.
      • As balizas eram relógios e até a bola de futebol era um relógio! Os escorregas para as crianças eram relógios, os cadernos, os lápis, as borrachas e as mochilas também. Durante aquela noite o Luís foi o rei do mundo dos relógios!
      • Ele gostou tanto que enviou pela porta mágica muitos relógios com letras, dentro de envelopes, para os seus amigos poderem ir ter com ele. Será que alguém consegue encontrar um?
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-mundo-dos-relogios=f636358#ixzz1fEYBCGCq
    • 3- O relógio diferente Trabalho do 2.º ano da EB1 de Calvão, em Vagos Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-relogio-diferente=f636351#ixzz1fEQkewsr
      • O senhor João era um empresário muito vaidoso, refilão e andava sempre  atarefado. Tinha muitos compromissos.
      •   Um dia, olhou para o seu relógio e viu que os números tinham passado a letras. Ficou muito confuso!
      • O que aconteceu ao meu relógio? - perguntou ele a si próprio. Será que estou maluquinho? Voltou a olhar.  No relógio apareciam letras no lugar dos números. Ficou surpreendido mas,  percebeu que aquele novo aspeto podia-o ajudar. É que as letras correspondiam às tarefas que ele tinha para fazer.
      • Assim, o relógio indicava que estava na hora de ir aos C orreios levantar a pensão de sua mãe. Depois, era hora de ir ao D entista, que ele não gostava nada mas.... tinha de ir! A seguir era hora de telefonar ao E letricista para perguntar se o fogão estava pronto. Depois chegaria a hora de ir com o seu cão  F aísca ao veternário. Logo de seguida teria de ir buscar o seu filho G uilherme à escola.
      • Com a ajuda deste relógio inteligente, o senhor João conseguia gerir as suas tarefas diárias e andar mais bem disposto.
      • Mas, eu que ainda só tenho oito anos, o que eu gostaria mesmo era de inventar um relógio com letras. Esse relógio teria dois ponteiros, como todos os relógios: o das horas e o dos minutos. Os ponteiros andariam ao contrário dos ponteiros dos relógios normais. No lugar dos números teria letras. Seria um relógio raro e muito especial.  Qualquer menino gostaria de o ter, pois ele não marcaria horas normais mas sim horas das brincadeiras a cumprir. Por exemplo: às E horas começariam as escondidas, às B   horas era a bicicleta, às F horas o futebol, às K horas o Karaté e assim sucessivamente.
      • Como os ponteiros andariam ao contrário uma criança seria sempre criança.
      • Se eu conseguisse inventar este relógio daria um a cada pessoa do mundo.
      •   Assim, seríamos todos felizes!
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-relogio-diferente=f636351#ixzz1fEQkewsr
    • 4- Um relógio estranho Texto do Texto do 3.ºano da EB1 de Cabaços, Leiria, com a Professora Sílvia Gomes Ler mais: http://aeiou.visao.pt/um-relogio-estranho=f636364#ixzz1fETK2kdm
      • Era uma vez um menino chamado Rafael, que encontrou um relógio no chão.
      • O relógio era um pouco estranho porque em vez de números tinha letras. Quando os ponteiros do relógio marcavam uma letra o Rafael ouvia uma música diferente. Ele ficou surpreendido, pois nunca tinha visto um relógio igual.
      • Quando o Rafael ia para a escola levava sempre o seu relógio. O seu amigo Pedro gostava muito daquele relógio e gostava de ter um igual, mas não tinha dinheiro suficiente para ter um assim.
      • No dia de aniversário do amigo, o Rafael decidiu oferecer-lhe o seu relógio apesar de também gostar muito dele, pois sabia que era uma prenda que o Pedro iria adorar.
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/um-relogio-estranho=f636364#ixzz1fETjec1f
    • 5- O Mundo ao Contrário Texto dos alunos do 3.ºano da EB1 Casconha N.º2, com a Professora Ana Isabel Lopes Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-mundo-ao-contrario=f636361#ixzz1fEZNvotZ
      • - Que terra esquisita - disse o Nelson - aviões nas estradas e automóveis que voam...
      • Um enorme letreiro dizia: OiràrtnoC OA OdnuM
      • Olharam uns para os outros. Ninguém conseguia ler aquilo, a Sofia foi buscar o seu grande dicionário de todas as línguas do mundo. Passado um bocado, disse:
      •   - É o que eu pensava, estamos no mundo ao contrário! Como aqui está tudo às avessas para nós, para eles está bem assim. O Leonardo interveio e quis saber como era dormir ao contrário. O Leandro respondeu-lhe que dormir ao contrário era estar acordado e meteram-se ao caminho. As pessoas que se cruzavam com eles, riam-se muito por eles andarem para a frente. É que ali andava-se para trás.
      • Quando saíam à rua, as pessoas vestiam o pijama e dormiam de fato e gravata. Adormeciam com os pés em cima do travesseiro e cabeça por baixo da roupa. Calçavam o sapato direito no pé esquerdo e o esquerdo no pé direito. Sentavam-se no chão com uma cadeira em cima. Os relógios eram diferentes, os ponteiros andavam ao contrário, e as horas eram letras, imaginem só! Era uma enorme confusão!
      • O Nelson, prometeu arranjar uma solução para o problema.
      • - Já sei! Basta olharmos ao contrário para as coisas! Tudo o que é preciso fazer é ficar de costas para as palavras, com um espelho na mão. Elas aparecem direitinhas, tal e qual como nós as conhecemos!
      • Foi através do truque do espelho que descobriram o Etnaruatser . Antes disso já tinham entrado por engano, em três sapatarias e duas farmácias. Sentaram-se e o Leonardo pediu o Unem .
      • Depois pôs o espelho à frente para perceber e encomendou, para todos:
      • Satirf satatab moc efib
      • O empregado fez que " mis " com a cabeça e trouxe uma travessa com quatro batatas fritas no meio e muitos bifes fritos à volta. Para sobremesa pediram midup .
      • - Acordem meninos! - disse a mãe de Sofia.
      • Os quatro amigos acordaram. Tudo não tinha passado de um sonho, um belo sonho! Num mundo onde tudo era bem diferente, sem problemas nem preocupações. Era mesmo um...
      •   OiràrtnoC OA OdnuM!
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-mundo-ao-contrario=f636361#ixzz1fEZabjl7
    • 6- O mundo ao contrário Trabalho do Paulo, Gonçalo e Vasco do 4.ºA da Escola Básica de Agudela, com a Professora Dora Gonçalves Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-mundo-ao-contrario=f636366#ixzz1fEUDA0de
      • Se os animais falassem...
      • Assim sim.
      • O mundo está mau,
      • enfim, enfim!!!
      •  
      • Era bom não haver guerras.
      • Se eu as pudesse travar,
      • os homens não se podiam matar
      • sem parar.
      •  
      • A República é fixe.
      • A crise nem por isso.
      • Sem o José Sócrates e a Tróica,
      • estava tudo fixe.
      •  
      • Não sei o que fazer...
      • Gosto e não gosto.
      • Vou escolher?
      • Não sei o que fazer.
      •  
      • Era bom não haver guerras.
      • Se  as pudesse travar...
      • Os animais salvar,
      • e as pessoas alegrar.
      •  
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-mundo-ao-contrario=f636366#ixzz1fEVAZe1c
    • 7- Onde estão os números? Texto dos alunos do 4.ºB da EB1 D. Nuno Álvares Pereira, Corroios, com a Professora Andreia Correia Ler mais: http://aeiou.visao.pt/onde-estao-os-numeros=f636354#ixzz1fEVpat00
      • Era uma vez, um jovem que trabalhava na Agência Secreta do Abecedário.
      • Levantava-se às 5 h da manhã e chegava a casa às 10 da noite.
      • Um dia, a D. Albertina, chefe do jovem, por este ser tão dedicado ao seu trabalho, decidiu promovê-lo a subchefe.
      • Algum tempo depois, aconteceu algo insólito. Os relógios deixaram de dar horas, pois os números tinham, pura e simplesmente, desaparecido.
      • O jovem, nunca mais conseguiu chegar a horas ao trabalho e como consequência foi despedido.
      • Decidiu então, usar o seu cartão "ultra-secreto" de acesso ao secretíssimo mundo das letras.
      • Quando lá chegou, nem queria acreditar, encontrou os números infiltrados no mundo das letras a discutirem uns com os outros. Havia tanta algazarra, que nem deram pela presença do nosso jovem.
      • -Alto lá e pára o baile! Mas afinal de contas... o que se passa aqui?
      • -Afinal de contas?? Mas trabalhas para a nossa Agência, ou para a deles? -  perguntou o rei do mundo das letras todo indignado.
      • - É uma força de expressão...-respondeu o jovem - mas adiante, que eu tenho um assunto muito grave para resolver!
      • -Ai sim? E o que é mais importante, que o facto  das letras quererem ocupar o nosso lugar? - diz desta vez o rei dos números.
      • -É por isso mesmo que eu estou aqui. É que esta discussão está a pôr o mundo dos humanos de pernas p'ro ar. Vamos lá excelentíssimos, temos que chegar a acordo!
      • Os reis sentaram-se e tentaram chegar a um pacto. Como ninguém se decidia, o jovem muito preocupado com o seu futuro, diz:
      • -Tive uma ideia genial!
      • Após o jovem explicar, tintim por tintim, todas as suas ideias, os três, inventaram ali na hora, um relógio com letras, mas que indicava aos humanos, o que tinham que fazer durante o seu dia-a-dia.
      • À tarde:  A- almoço;  B- beber café; C- a caminho do trabalho; D- determinar o trabalho para o dia seguinte; E- esplanada com os amigos; F- família; G -Ginásio;  H- fazer a sua higiene; I- imaginar o que será o jantar;  J: jantar; K: Kitchenette arrumada e L: lavar os dentes.
      • Noite/manhã: A :- adormecer; B:-bons sonhos; C- contar carneirinhos contra a insónia ; D- Discoteca para o noctívagos; E- escalada no sono;  F- visita da Fada dos Dentes; G: galão para reconfortar o estômago; H -hora de acordar; I- ir para o trabalho; J: Jornal diário (para se manter informado); K: Kuduro; L: levar o cão à rua.
      •   Mostrou à sua chefe a proposta para o novo relógio e esta concordou logo. O tempo foi passando e o mundo dos humanos, começou a melhorar, pois todos começaram a ter tempo para tudo, para si, para a família e para os outros.
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/onde-estao-os-numeros=f636354#ixzz1fEWZxByQ
    • 8- O Mundo ao Contrário Trabalho realizado por Hugo Alves e Inês Moreira do 4.ºA da Escola Básica de Agudela, com a Professora Dora Gonçalves Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-mundo-ao-contrario=f636365#ixzz1fEYeY7RC
      • No mundo ao contrário, há homens sem órgãos que fumam pelo nariz e têm tronco quadrado juntamente com cabeça sarrabiscada .
      • Andam aos saltinhos  com o seu tronco quadrado .
      • Se o cachimbo cair, vai pedir a alguém para lhe dar um novo  ou para o acender, mas toda a gente lhe  vai dizer:
      • - Ó perneta...
      • Ele vai ficar triste, vai querer chorar, mas como não tem olhos, as lágrimas vão ficar retidas e vai explodir.
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/o-mundo-ao-contrario=f636365#ixzz1fEYu9czn
    • 9- As alucinações do professor Jorge Trabalho dos alunos do 4º ano da Secção Portuguesa  do Liceu Internacional de Saint-Germain-en-Laye (F), com a professora Isabel Pereira da Costa Ler mais: http://aeiou.visao.pt/as-alucinacoes-do-professor-jorge=f636348
      • O professor Jorge dava aulas na escola primária e tinha de ensinar o alfabeto aos seus alunos. Mas há dois dias que andava com alucinações, via letras em todos os sítios, até no mostrador do relógio. Decidiu por isso ir ao médico.
      • Marcou uma consulta com o Dr. Cruz, especialista em alucinações. Chegou ao consultório e foi atendido às duas da tarde. O médico era sempre pontual.  Quando o mandou entrar, o professor Jorge reparou que ele tinha a cabeça em forma de eme:
      • - Senhor Doutor, já nasceu com a cabeça em forma de eme?
      • - Hum, temos problema... - disse o médico inquieto.
      • O Dr. Cruz começou a examinar o professor Jorge e no meio do exame perguntou-lhe:
      • - Que horas são, professor Jorge?
      • - São horas de comer pão.
      • - Está a falar a sério ou está a brincar?
      • - São cê da tarde.
      • - Posso ver o mostrador do seu relógio?
      • - Ei-lo!
      • O médico viu o mostrador com números e não letras. Compreendeu logo que o professor Jorge estava com alucinações. E perguntou-lhe:
      • - O senhor professor sabe por que tem alucinações?
      • - Não...
      • - Vamos lá a saber, o que o preocupa ?
      • - O Acordo Ortográfico.
      • - O senhor é a favor do Acordo?
      • - Claro que sou a favor, mas não sei pronunciar as novas letras que entraram no alfabeto.
      • - Quais são elas? - perguntou o médico.
      • - As novas letras são o cápa, o dâblio e o  ípsilon.
      • - Está a ver que sabe pronunciá-las?
      • - Doutor, não está a perceber bem o meu problema: eu não sei se devo ensinar aos alunos se devem pronunciar a letra [k] cá ou cápa, a letra [w] dâblio ou dáblio ou ainda duplo vê e por fim a letra [y] ípsilon ou i grego....
      • - Então ensine esses nomes todos...
      • - Eu gosto muito dos meus alunos e não lhes queria dar tanto trabalho.
      • - Olhe, compre um dicionário para ter na sala de aula! Mas, mais importante: é preciso descansar depois de dar aulas! O senhor deve dormir pelo menos oito horas e não pensar tanto no Acordo Ortográfico.
      • O professor, depois de sair do consultório do Dr. Cruz, como se sentia tão cansado, decidiu ir dormir e sonhou com o Acordo Ortográfico toda a noite. Na manhã seguinte, foi dar as suas aulas, ensinou todas as pronúncias das três letras novas e a pouco e pouco foi perdendo as alucinações.
      • Ler mais: http://aeiou.visao.pt/as-alucinacoes-do-professor-jorge=f636348#ixzz1fEPGfxnG
    • Índice
      • 1- «O Sr. João e o seu relógio especial»
      • 2- «O mundo dos relógios»
      • 3- «O relógio diferente»
      • 4- «Um relógio estranho»
      • 5- «O Mundo ao Contrário»
      • 6- «O mundo ao contrário»
      • 7- «Onde estão os números?»
      • 8- «O Mundo ao Contrário»
      • 9- «As alucinações do professor Jorge»