Your SlideShare is downloading. ×
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
LinhaçA Revista Natural Da Terra 01
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

LinhaçA Revista Natural Da Terra 01

3,097

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
3,097
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
28
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. NATURAL DA TERRA A MAGIA DA ROMÃ EM UMA RECEITA DELICIOSA E MAIS: LICHIA, CEREJA, CORDEIRO, PEIXE & ENTREVISTA Fulvio Stefanini é um comilão assumido Mesas cada estilo, mas todas com fartura Uma para de Natal
  • 2. carta do leitor | é uma publicação do Natural da Terra FOCO EM Diretor administrativo - Florisvaldo Ruiz Gerente de Marketing - Fabiana Marin QUALIDADE Aquele mamão papaya vistoso ali da banca é o melhor que você pode encontrar no Brasil. Aquele cacho de banana também. As ver- Diretora Responsável - Mariella Lazaretti duras, então, não têm comparação. Essas afirmações podem soar Rua Andrade Fernandes, 297 - CEP 05421-010 - São Paulo-SP exageradas para quem ainda não conhece o Natural da Terra. Mas Tel/Fax.: (11) 3023-5509 - E-mail: 4capas@4capas.com.br bastam alguns minutos de bate-papo com produtores e fornecedo- Projeto Editorial - 4 Capas Editora res para se ter idéia do que é o projeto Natural da Terra, um novo conceito em hortifruti. Mais do que uma loja limpa, com ar-condi- R E D A Ç Ã O cionado e estacionamento gratuito para os clientes, entre outras Diretor de Redação - Ricardo Castilho Diretor de Arte - Fábio Santos facilidades, o que salta aos olhos dos consumidores é a qualida- Assistente de Arte - Eduardo Galdieri de dos produtos, desde o abacaxi até o panetone, do açougue à Editora - Luana Pavani peixaria, da floricultura ao requintado empório. Colaboraram nesta edição: Para mostrar a você o que é e como surgiu esse conceito elabora- Texto - Fabiana Badra Eid e Mariana Della Barba mos uma série de reportagens, cheias de dicas de saúde e gastrono- Foto - Carlos Babler, Guilherme Andrade, Pedro Bueno, mia, neste primeiro número da Revista Natural da Terra. Este exemplar Raul Zito, Rogério Voltan e Tadeu Brunelli que chega às suas mãos marca também o aniversário de quatro anos Produção da rede. Juntos nessa comemoração estão chefs de primeira linha, Cristina Esquilante e dos melhores restaurantes da cidade, como Benny Novak, do Ici Bistrô, Carolina Miranda João Leme, do Rôti, e Fabrice Le Nud, do Deuce France. Eles prepa- PUBLICIDADE raram receitas deliciosas com frutas e legumes da estação com exclu- marketing@naturaldaterra.com.br sividade para a Revista Natural da Terra. Outro destaque é a entrevis- Jornalista Responsável - Mariella Lazaretti MTB 15.457 ta com o ator Fulvio Stefanini, comilão assumido, que é cliente da uni- dade Alto da Boa Vista. Na matéria Seu Bairro, você vai conhecer curio- IMPRESSÃO sidades do entorno dessa loja e das outras duas, em Moema e Itaim. Prol Gráfica, Av. Papaiz, 58 - Diadema São Paulo É com muito orgulho que os diretores, os gerentes, as nutricionis- A revista não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos tas, os repositores, os empacotadores, as caixas, os seguranças e artigos assinados. As pessoas não listadas no expediente não todos os funcionários da rede abrem as portas e o sorriso para você, estão autorizadas a falar em nome da revista ou a retirar qualquer tipo de material sem prévia autorização emitida pela todos os dias da semana. Agora, esperamos que você abra as páginas redação ou pelo departamento de marketing do Natural da Terra. a seguir, para conhecer e fazer parte dessa história. Os editores marketing@naturaldaterra.com.br
  • 3. sumário 10 | VIDA SAUDÁVEL Dicas para aumentar a qualidade nutricional e o bem-estar no dia-dia-dia 12 | HORTIFRUTI DE QUALIDADE Entenda por que o Natural da Terra só oferece produtos diferenciados e higienizados 22 | PRODUTOS DA ESTAÇÃO Curiosidades e receitas suculentas de gran- des chefs com as frutas típicas de fim de ano 22 | Lichia • 26 | Romã • 28 | Cereja 30 | TENTAÇÕES Apetrechos de cozinha que são verdadeiros objetos de desejo 32 | PEIXARIA O peixeiro Osvaldo dá a dica de como escolher um bom peixe. Depois, confira algumas recei- tas de dar água na boca 42 | COZINHA FÁCIL Benny Novak ensina a fazer um sofisticado prato de carne com legumes 26 40 10 12 30
  • 4. Legumes e verduras A Jacareí é especializada em le- O lema da Jacareí gumes e verduras de qualidade, Agricultura não plantadas seguindo os preceitos poderia ser outro a de um meio ambiente saudável não ser o da qua- lidade. Nossos produtos são plantados com técnicas modernas, colhidos manualmente e armazenados de maneira adequada, visando chegar ao consumidor da melhor maneira possível. São esses motivos que Jacareí Agricultura e Comércio LTDA. nos levam a ser um dos principais fornecedores do Entreposto Terminal CEAGESP Av. Dr. Gastão Vidigal, 1946 Natural da Terra. PAV MLP - Box 201 – 204 tels. 3643-9077 e 3643-9078 jacarei.agric@uol.com.br
  • 5. sumário 56 76 44 | ENTREVISTA O ator Fulvio Stefanini é cliente Natural da Terra 46 | MESAS Quatro belas e diferentes opções de decoração para as festas de fim de ano 54 | ESPORTES A moda do Pilates 56 | HISTÓRIA Conheça os criadores da rede Natural da Terra, que completa quatro anos em dezembro 66 | SEU BAIRRO Confira as principais atrações no entorno das lojas de Moema, Itaim e Alto da Boa Vista 76 | DRINQUES Três coquetéis para refrescar o seu verão 80 | PANETONE Sabia que o nome quer dizer “pão do Toni”? 82 | PRODUTOS Novidades para colocar no carrinho 44
  • 6. vida saudável | P O R L U A N A P A VA N I ☺ T E M P E R O S E TOME AZEITE! Livre de colesterol, saboroso e saudável, o azeite de oliva vem assumindo posição de des- taque nas refeições. De mero acompanhamen- to para a salada, virou base de muitas e deli- FOTO | DIVULGAÇÃO ciosas receitas. Também entre a classe médica o azeite é tido como um aliado no tratamento de úlcera e artrite reumatóide, além de ser recomen- dado no combate a diversos tipos de câncer (mama, cólon, endométrio, estômago e ovário). Mas como avaliar um bom azeite? Ao contrário dos vinhos, os azeites são tanto melhores quanto mais jovens. Mas ambos têm aspectos sensoriais e por isso devem ser degustados. Isso mesmo, beba um copinho de azeite (20ml) para sentir o aroma, a textura, a complexidade e o retro- gosto. O restaurante Azaït (www.azait.com.br) oferece degustações frequentemente. E o site da Casa do Azeite Espanhol (www.azeite.com.br) ensina que é preciso esquentar o copinho com as mãos, uma em cima outra em baixo, por 30 segundos, para concentrar os aromas. FRESCO É MAIS GOSTOSO FOTO | DIVULGAÇÃO Tempero ralado na hora tem outro sabor. É o que defende a chef Andréa Tinoco, do badalado restaurante carioca Madalenna. “Gengibre de saquinho, por exemplo, não tem gosto”, reclama. O queijo parmesão tam- bém apresenta grande diferença, ainda que a peça e o pacotinho sejam da mesma marca. “Já fiz essa experiência, e até o cheiro fica diferente quando o queijo é ralado na hora”. Mesma coisa com pimenta do reino, que os cozinheiros só utilizam em grãos naquele moedorzinho manual. Andréa dá outro alerta, que é a cor do tempero. “Quando faço frutos do mar, prefiro usar pimenta branca, para não interferir no visual. Se é uma carne, aí uso a preta”. NATURAL DA TERRA 10 11
  • 7. FOTO | GUILHERME ANDRADE T E N D Ê N C I A FRUTAS BRASILEIRAS EM ALTA Açaí, cajá, mangaba, graviola, umbu, cambuci... Há um infinidade de frutas tipica- mente brasileiras que andam sendo chamadas de exóticas. O amazonense Paulo Martins, proprietário do restaurante Lá em Casa, de Belém, questiona esse rótulo. “Para a gente, maçã é que é exótica, pêssego, cereja, essas frutas todas que vie- ram de fora. Agora é que o produto regional está começando a se tornar conhecido dentro e fora do país”, diz Martins. Ele inclusive viajou com uma mala cheia de fru- tas da Amazônia para a Europa, onde se encontrou com Ferran Adriá, o espanhol que está reinventando a culinária internacional. “O Adriá ficou apaixonado por cupuaçu”, conta Martins, que esteve no El Bulli junto com Alex Atala, outro porta-voz das frutas regionais na alta gastronomia. “As frutas brasileiras têm personalidade própria. Não dá para estabelecer um paralelo quanto ao sabor. Só provando”. C O N S U M O DIET OU LIGHT? Recentemente, foi realizada uma pesquisa S U C O S com 720 consumidores paulistanos sobre o MISTURA mercado de alimentos diet e light, e 24% dos entrevistados disseram saber que havia diferença entre eles, mas não conseguiram INTELIGENTE explicá-la. Para esclarecer a população sobre o tema, a Associação Brasileira da Na hora de bater um suco Indústria de Alimentos Dietéticos e para no liquidificador, experimente usar Fins Especiais lançou uma cartilha, tam- água de coco em vez da mineral. bém disponível online (www.abiad.org.br), “Assim, o suco já fica naturalmente que explica, de uma vez por todas que: adoçado e dá uma energia a mais”, Diet – é o alimento utilizado em dietas com ensina Flávia Quaresma, chef e apre- restrição a um determinado nutriente que o sentadora de TV. Ela também é co- paciente não pode ingerir. autora de um livro de receitas cha- Light – é o alimento que apresenta pelo mado “Saboreando Mudanças”, da menos 25% de redução no valor energético Editora Senac, com foco em alimen- (caloria) ou de algum nutriente específico. tação funcional. Flávia ensina tam- Mas atenção: um alimento light não é sinônimo bém a misturar ervas e grãos para de perda de peso, pois um produto que tenha o aumentar a qualidade nutricional da nível de sódio reduzido pode apresentar a FOTO | DIVULGAÇÃO bebida. Um exemplo é suco de maçã mesma quantidade de calorias que a versão com alecrim, que além de gostoso original. Também não pense que um produto ajuda a memória. Outro é laranja diet é necessariamente livre de açúcares: em com linhaça, grão rico em Omega 3, vez de glicose, a composição pode ter frutose, que combate o mau colesterol. por exemplo. Por isso, fique de olho nos rótulos.
  • 8. hortifrutti | OLHA AÍ FREGUESIA A QUALIDADE DA MERCADORIA SAIBA O QUE SE PASSA NOS BASTIDORES DO NATURAL DA TERRA PARA QUE VOCÊ ENCONTRE SOMENTE PRODUTOS BONITOS, SABOROSOS E LIMPOS, TODOS OS DIAS T oda dona-de-casa sabe como é difícil escolher abacaxi. do as cores para compor uma dieta com maior teor de vita- Depois, é aquele trabalhão para descascar, correndo o risco minas e sais minerais”, explica. de, na maioria das vezes, a fruta estar azeda. E como é que o A dica é seguida apenas por metade dos domicílios na cida- abacaxi do Natural da Terra, já descascado e embalado a de de São Paulo, de acordo com pesquisa divulgada pelo Latin vácuo, está sempre doce? No caso das maçãs, qual o segre- Panel no segundo semestre deste ano sobre o consumo diá- do para ficarem daquele tamanho e sem nenhuma marca na rio de frutas, verduras e legumes. Outro levantamento, este casca? E aquela couve pronta para refogar, picadinha, de que realizado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, jeito é lavada? Foi assim, depois de um passeio pelo Natural da mostrou que 55,1% dos paulistanos ingerem frutas cinco ou Terra, que surgiram essas e outras dúvidas, resumidas em uma mais vezes por semana. Dentro desse universo, os idosos, que grande pergunta: o que diferencia um hortifruti de qualidade deveriam se preocupar mais com a prevenção de doenças via dos demais? A resposta abrange vários fatores, como saúde, uma alimentação saudável, apresentam índice inferior a 50%. higiene, seleção dos fornecedores e comodidade. Confira: A alimentação saudável pode reverter um quadro alarman- te de obesidade no Brasil, principalmente entre crianças e S A Ú D E adolescentes. De acordo com pesquisa da Unifesp/Escola O consumo diário de vegetais é vital. De acordo com a Paulista de Medicina, 10% dos adolescentes entre 10 e 15 anos Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% das doenças são obesos. Nos Estados Unidos, a média é de 30%! Pior é coronarianas, 90% das ocorrências de diabetes tipo 2 e que, segundo pesquisa do Instituto Marplan em cinco capi- 30% dos casos de câncer poderiam ser evitados com tais, os bebês brasileiros são apresentados à má alimenta- uma alimentação saudável, aliada à prática de exercícios ção muito cedo: 70% das crianças na faixa dos cinco meses físicos. A versão mais recente da pirâmide alimentar que consomem biscoitos e salgadinhos. serve de referência para a classe médica internacional, for- mulada pela Universidade de Harvard (EUA), recomenda a H I G I E N E ingestão de nove porções diárias de vegetais. “Só de frutas, A nutricionista Maria Cecília Corsi, especialista em Nutrição a quantidade considerada ideal dobrou nos últimos anos, de Clínica pelo Centro Universitário São Camilo, alerta para as duas para quatro unidades”, comemora o endocrinologista condições de higiene que o consumidor deve observar tanto na João César Castro Soares, membro da Sociedade Brasileira compra quanto na conservação doméstica. Ela, que também é de Metabologia. Mas, segundo ele, ainda é pouco: “O ideal é proprietária de restaurante de comida saudável, o Deli Diet, expli- comer o máximo possível de vegetais diariamente, alternan- ca que o alimento selecionado, sanitizado e embalado adequa- NATURAL DA TERRA 30 12 31 13
  • 9. FOTO | TADEU BRUNELLI
  • 10. hortifrutti | N FOTO | CARLOS BABLER Xo, bactéria! damente preserva por mais tempo as qualidades nutricionais, principalmente sob refrigeração. Ciente disso, as nutri- cionistas do Natural da Terra coordenam ˆ O Natural da Terra orgulha-se de ser a primeira rede de varejo ali- mentício 100% ionizada do país. Quem garante é o fabricante do um trabalho de recebimento e tratamen- sistema, a Interozone, que possui mais de 5 mil apare- to criterioso dos produtos em câmaras lhos instalados no Brasil e exterior. Os equipa- climatizadas com oxigênio livre de bac- mentos da marca reduzem significativamen- térias pelo sistema de ionização (leia te a quantidade de microorganismos do ar, mais no quadro ao lado). Jussara proporcionando um ambiente livre de con- Macedo, da equipe de nutricionistas, taminação para salas de processamento explica que os vegetais passam por uma de alimentos perecíveis e câmaras frigorí- solução de hipoclorito de sódio para des- ficas. No Natural da Terra o cuidado se contaminação. As frutas e verduras ser- estende à área de venda, com purificado- vidas já descascadas e cortadas são res acoplados ao ar condicionado, para posteriormente embaladas a vácuo. prolongar a vida útil dos alimentos. Isso Em casa, deve-se também usar hiplo- quer dizer que você respira oxigênio com clorito de sódio (conforme as instruções a menor carga microbiológica possível da embalagem) antes do consumo e de (reduzida em cerca de 75%) e sem odo- guardar os alimentos na geladeira ou na res desagradáveis enquanto escolhe fruteira – esta deve ser colocada em um os vegetais, carnes, queijos, pães e lugar arejado e lavada a cada dois dias. demais itens disponíveis nas três lojas Prefira as de plástico ou vidro. Madeira da rede. A tecnologia Interozone teve não, por ser um material poroso, susce- sua eficácia avaliada e comprovada FOTO | RAUL ZITO tível a proliferação de bactérias. Maria por Embrapa, Ital (Instituto de Cecília Corsi comenta que poucas pes- Tecnologia de Alimentos) e Cientec soas sabem desses detalhes e mesmo (Fundação de Ciência e Tecnologia). NATURAL DA TERRA 14
  • 11. informe publicitário ELS Bananas Maravilhosa Banana Ao natural, em doces ou em pratos salgados, a banana se presta a inúmeras pre- parações. Para todas elas, a ELS Bananas garante a qualidade Com cuidados que vão do plantio, passando pela colheita e correto armazenamento em galpões climatizados até chegar ao consumi- dor final da melhor maneira possível, a ELS Bananas é uma grife quando se fala dessa fruta amada pelos brasileiros. A bananeira cresce até cinco metros de altura. É uma planta híbrida e, o fruto alongado, se desenvolve de uma flornão fertilizada e sem sementes, daí a razão de ser híbrida. Nenhum outro fruto tropical se adapta tanto à agricultu- ra moderna como ela, principalmente pelo fato de não precisar ser amadurecida na planta. E é justamente por isso, que a ELS cuida para que todas as suas frutas amadureçam de maneira uniforme e de maneira climatizada. As variedades mais conhecidas são a banana- ouro; nanica; da terra; São-Tomé; maçã e prata. ELS Bananas R. Dr. Silvio Dante Bertachi, 650/660 Vila Sonia F: 3742-4823 pedidos@bananasels.com.br
  • 12. hortifrutti | as que têm esse costume de higienizar os alimentos carecem de tempo. “Além de mais higiênico, o alimento pré-sele- cionado e pré-lavado é muito prático. No hortifruti, não se compra apenas um produto de qualidade. Compra-se saúde”, diz Cecília. A nutricionista, que freqüenta o Natural da Terra, cita como exemplo o pacote pré-pronto de legu- mes para yakissoba. “Um homem que não sabe cozinhar, por exemplo, pode enriquecer seu macarrão instantâneo transformando-o numa refeição balanceada e saborosa”. E para quem quiser aderir à moda da cozinha total- mente crua, famosa nos Estados Unidos e que já tem um expoente no Brasil, o restaurante DeLoonix, o consumo de hortifruti de qualidade é essencial. “A dieta dos crudivoristas, vegeta- rianos e os adeptos da alimentação orgâni- O endocrinologista ca tem como base a João Cesar Castro qualidade dos ali- FOTO | RAUL ZITO Soares comemora o maior consumo mentos”, lembra o de frutas Dr. Soares. As nutricionistas Alessandra Gagliardi e Jussara Macedo SELEÇÃO DE FORNECEDORES O Natural da Terra é reconhecido como modelo no Estado de São Paulo em seu segmento, hortifruti, com o prêmio Top Qualidade Brasil do Cicesp (Centro de Integração Cultural e Empresarial de São Paulo), concedido às empresas que atingem um grau de excelência de qua- lidade na gestão de negócios. Um dos motivos é que exige dos fornecedores FOTO | TADEU BRUNELLI o mais alto rigor desde a produção até a embalagem e a entrega. “Só vendo a linha top para o Natural da Terra, com os melhores exemplares, acondiciona- das nas melhores embalagens”, conta o As verduras e legumes do Natural da Terra passam produtor de mamão Edson Gonzales, por um sistema de ionização para descontaminação, que possui uma fazenda de 200 hectares antes de serem colocadas nas bancadas NATURAL DA TERRA 16
  • 13. Você sabe onde os melhores restaurantes compram seus legumes e verduras? Na Graembuense, claro. Nossa seleção de produtos está entre as de maior qualidade do mercado. A variedade também é campeã. Faça como os melhores restaurantes e como o Natural da Terra, venha você também para o Graembuense. Graembuense Comércio de Verduras e Legumes Ltda Avenida Dr. Gastão Vidigal, 1946, tel. 3643-7772 - 3643-7773. Setor MLP - MODS - 54 e 61 - Ceagesp - Vila Leopoldina - São Paulo -SP
  • 14. hortifrutti | na Bahia plantados com a variedade “sun então serem transportados em caixas número de frutas por pé, aumentando rise”, confundida com “papaya” ou plásticas resistentes. assim sua qualidade.” Um exemplo são “havaí”. Segundo o empresário, que antes Outro requisito do Natural da Terra é o os pés de ameixa, que produzem entre de se dedicar à fruticultura era auditor da respeito ao meio ambiente. A Aguaí 500 e 600 frutas, mas poderiam render Price (hoje PriceWaterhouseCoopers), a Frutas, há 30 anos no mercado, usa até o dobro disso. “Cortamos metade e qualidade do hortifruti vem sendo reco- muita tecnologia e pouca química, afir- aumentamos assim a qualidade e con- nhecida pelo consumidor, cada vez ma o diretor Luiz Sigueyuki Ishigaki. “É centração das frutas”, diz o produtor. mais. “Tanto que a demanda aumentou preciso balancear o sistema de plantio, As verduras e legumes também têm de ao ponto de termos de investir milha- para que a planta consiga buscar água chegar bonitas e vistosas ao Natural da res de reais para aumentar a produção e nutrientes na terra”, explica ele. “Os Terra. “Sem dúvida, o Natural da Terra é um destinada ao Natural da Terra”. adubos naturais também funcionam dos clientes mais exigentes no ramo de Repare que os produtos expostos como remédios para as plantas”. hortifruti, principalmente pelo fato de os estão em perfeito estado. Esse cuidado Ishigaki conta que cada fruta requer um próprios donos fazerem as compras. Eles começa no pé, como no caso das bana- cuidado diferente. Para algumas, a Aguaí nas, ensacadas cacho a cacho para deixa o capim crescer ao seu lado, o que manter a casca bonita e limpa. Eduardo ajuda na absorção do excesso de água. O manuseio dos pro- Guerra, diretor da ELS Bananas, conta “A exemplo do que ocorre nas plantações dutos segue padrões que o cuidado se estende à colheita, de uvas viníferas, aquelas destinadas a rigorosos de higiene. Isso faz uma das quando os cachos são lavados e depois elaboração de vinhos, também elimina- diferenças da rede acondicionados entre espumas para mos o excesso de flores, diminuindo o NATURAL DA TERRA 18 19
  • 15. FOTOS | CARLOS BABLER
  • 16. hortifrutti | conhecem o mercado”, afirma Alexandre conseguimos manter a entrega dos FOTO | TADEU BRUNELLI Rodrigues Lopes, sócio-diretor da melhores vegetais o ano todo”, revela Jacareí, uma das maiores empresas de Lopes. Outras vantagens da Jacareí são agronegócio de São Paulo, com 400 hec- o controle de qualidade, feito por três tares plantados em cinco regiões dife- engenheiros agrônomos, e o galpão cli- rentes do Estado, mais uma em Minas matizado a poucos quilômetros de São Lojas amplas possibilitam Gerais, na cidade de Andradas. O mix Paulo, em Santa Isabel, de onde saem os boa disposição dos produtos produzido em cada área é semelhante, caminhões-baú para rápida entrega ao de forma que se em uma cidade choveu Natural da Terra, em cerca de uma hora. demais, a colheita é feita em outra. “As folhas e legumes são entregues fres- “Esse é um dos nossos diferenciais, pois quinhas”, garante Lopes. C O M O D I D A D E A busca por saúde através da alimen- FOTO | CARLOS BABLER tação não pode ser estressante. Ao contrário. Na hora de fazer as compras é preciso escolher os produtos com calma, num ambiente agradável, limpo e com bom atendimento. “A vantagem do hortifruti é que ele está lá para você, todos os dias, até de noite, com produ- tos de qualidade e livres de contamina- ção. E nem por isso coloca preço mais alto, como fazem alguns supermerca- dos”, compara a nutricionista Maria Cecília Corsi. No Natural da Terra, a comodidade começa pelo estacionamento gratuito e os amplos toilettes para clientes. Prossegue com a bem montada Área de alimentação para matar a fome a qual- quer hora, desde um simples cafezinho até sushi bar. Há frutas, verduras e legu- mes também nas versões pré-prepara- das; açougue de primeira, com diferentes cortes; os peixes mais frescos da tem- porada; enorme variedade de queijos e frios em peça ou já fatiados; empório com produtos a granel e industrializados das melhores marcas; e floricultura com belos arranjos para presente. A loja mais nova, do Alto da Boa Vista, oferece ainda padaria, com grande variedade de pães, bolos e doces; e uma adega climatiza- da, com opções de boa relação custo/benefício até um Don Perignon 96. “O Natural da Terra é um hortifruti exigente”, diz Alexandre Rodrigues Lopes, da Jacareí NATURAL DA TERRA 20 21
  • 17. FOTO | RAUL ZITO De olho no ovo Imprescindível nas refeições, na forma pura ou como base (para massas, bolos, pães, doces), o ovo é um alimento rico em proteínas e vitaminas, mas requer cuidados, tanto no consumo quanto na conservação. Haroldo Ito, diretor comercial da Ito Ovos, explica que hoje os níveis de colesterol dos ovos já estão controlados por meio de técnicas de produção modernas. No Brasil, a Ito Ovos foi pioneira, no final dos anos 90, em reduzir o nível de gordura e enriquecer a produção com Omega-3, elemento funcional benéfico para o sistema circulatório. “Nossos ovos são enriquecidos de forma natural, por meio de uma ração nutritiva, e não por meio de aditivos sintéticos como fazem outras granjas”, afirma Haroldo. Ainda que o ovo seja de qualidade, deve-se atentar para alguns detalhes antes do con- sumo. Aqui vão algumas dicas: & • Confira o prazo de validade na embalagem. Depois, em casa, guarde os ovos tendo em mente que deverão ser utilizados até aquela data. Se houver confusão, por exemplo, com ovos que já estavam guardados, é possível fazer um tira-teima: abra o ovo num prato liso e repare se a gema está alta e a clara, firme. Do contrário, trata-se de um ovo mais velho. & • Lave o ovo apenas antes de usá-lo, com água e sabão. As granjas mais modernas aplicam uma espécie de verniz sobre a casca do ovo para conservá-lo por mais tempo. & • Procure utilizar o ovo todo. Depois de quebrá-lo, evite guardar partes cruas, evitando assim chances de contaminação, por exemplo, via salmonella. Pelo mesmo motivo, se a casca do ovo cru estiver trincada, jogue fora. & • Fica mais fácil descascar um ovo cozido após um choque térmico, com água fria. OVOS ITO | (19) 3575.1213 www.ito.com.br | itoegg@uol.com.br
  • 18. produtos da estação | B FOTO | TADEU BRUNELLI NATURAL DA TERRA 22 23
  • 19. Lichia, delicada e perfumada A EXÓTICA FRUTA DE ORIGEM CHINESA É SÍMBOLO DE ROMANCE N P O R F A B I A N A B A D R A E I D ão é á toa que a lichia ganhou fama de rainha das frutas tropicais. Sua polpa branca e gelatinosa possui aroma perfumado e sabor inesquecível. A fruta de origem chinesa, é cultivada há mais de 4 mil anos e considerada pelos chineses como símbolo do romance. Plantada sempre em regiões de clima tropical ou subtropical úmido, ela se espalhou pela Índia, Vietnã, Indonésia, Filipinas e África do Sul, e aportou no Brasil, especificamente na cidade do Rio de Janeiro, no ano de 1810. Demorou a ser propaga- da aqui no país, mas já conquistou território firme. A lichia pode ser considerada uma fruta exótica: tem casca rugosa e aparentemente espinhosa, mas fácil de ser puxada com os dedos ou com uma faca de frutas. Depois de retirada a casca, vem a polpa branca, que é a parte comestível, em volta do caroço liso e comprido. A lichieira, como a mangueira, prefere as regiões quentes. Gosta de solos úmidos e um pouco ácidos e quando encontra condições idéias de clima ela se transforma em uma árvo- re alta e bem frondosa. Os frutos caem em cachos bonitos e carnudos. A fruta se conserva bem por alguns dias em temperatura ambiente e por mais de uma semana na geladeira. Para as frutas mais doces, escolha as de cor rosa intenso. A lichia é tradicionalmente servida no final das refeições de comida chinesa, princi- palmente em restaurantes. Elas podem entrar como ingrediente de salada de fruta, sorvetes e inclusive fazer parte de pratos salgados como porco ou pato. No Brasil, é mais comum degustar a lichia como fruta de sobremesa ou encontrá-la em doces, como este que o chef pâtissier Fabrice Le Nud, do Douce France, criou especialmente pensando no verão. O chef usou a combinação da perfumada lichia com um creme de infusão de chá verde. O resultado é uma sobremesa refrescante e de paladar delicado.
  • 20. produtos da estação | B FOTOS | GUILHERME ANDRADE LICHIA IMPERIAL Fabrice Le Nud, dono da pâtisserie Douce France é um profissional que une técnica, talento e sensi- P A R A 6 A 8 P E S S O A S bilidade. Nascido na França, na região da PARA A CALDA “ORIENTAL” Normandia Le Nud trabalhou no Marrocos e na Índia antes de chegar ao Brasil. Em São Paulo, 250 ml | de água chefiou o setor de pâtisserie do Hotel Sofitel 100 g | de açúcar durante três anos e depois resol- 10 g | de gengibre fresco picadinho veu abrir seu próprio negócio, a Douce 2 | pedaços de pau de canela France, que já vai 20 ml | de água de flor de laranjeira Misture o ovo, as gemas e o açúcar. Coloque completar cinco 1 | maracujá em uma panela junto com o creme de leite e anos de sucesso. Ganhou inúmeros Em uma panela média, ferva a água, o açú- leve ao fogo mexendo com uma colher de prêmios na cidade car, o gengibre e canela. Retire do fogo e pau por 2 minutos. Retire do fogo e junte os e é hoje um dos junte a água de flor de laranjeira. Deixe sachês de chá verde. Deixe em infusão por chefs pâtissiers mais consagrados. esfriar e peneire. Reserve. 10 minutos e coe. Guarde na geladeira. Basta provar os seus doces e chocolates CREME DE CHÁ VERDE 125 ml | de creme de leite fresco & MONTAGEM | Em um prato fundo, disponha as lichias. Coloque o creme de chá para saber por quê. FOTO | TADEU BRUNELLI 1 | ovo verde em um saco de confeitar e recheie as PÂTISSERIE 2 | gemas frutas. Complete o prato com a calda “ori- DOUCE FRANCE Al. Jaú, 554, Jardim 50 g | de açúcar ental”. Enfeite com um pouco de maracujá Paulista 3 | sachês de chá verde fresco e folhas de hortelã. Sirva fresco. Tel; (11) 3262-3542 NATURAL DA TERRA 24
  • 21. O mercado de hortifruti vem se modificando nos últimos anos, com o surgimento de empre- sas especializadas e produtos de qualidade. É nesse contexto que aparece a Primeirasa A Primeirasa é especializada em produtos diferenciados, plantados com técnicas especiais e com com- prometimento com o meio ambien- te. O resultado é uma safra de legu- Primeirasa Comércio e mes mais tenros, com muito mais Distribuição de Hortifruti Ltda Av. Dr. Gastão Vidigal, 1946 sabor, cor e texturas. PAV. APC Box 64 e 67 Ceagesp – Vila Leopoldina Tels. (11) 3643-7604 ou 3643-7603
  • 22. produtos da estação | B FOTOS | GUILHERME ANDRADE NATURAL DA TERRA 26 27
  • 23. Próspera Romã A UTILIDADE DA FRUTA VAI MUITO ALÉM DA SIMPATIA DE FIM DE ANO S ímbolo de prosperidade e de riqueza, a romã é uma fruta delicada, com BALOTINE DE GALINHA casca amarelada ou avermelhada, salpicada de manchas escuras. Rica D’ANGOLA AO FOIE GRAS, em vitamina C, suas sementes cor de rosa translúcido têm sabor ligeira- NOZES E VINAGRETE DE ROMÃ mente ácido e muito refrescante. Conhecida no mundo todo, a planta aqui P A R A 6 P E S S O A S no Brasil é mais cultivada como ornamental, em jardins e parques, poden- 1 | galinha d’ Angola do alcançar até 5 metros de altura. Produz uma vez ao ano, por um perío- 300 g | de foie gras do extenso de até duas décadas. Mas os frutos podem ser armazenados 2 | doses de vinho do Porto durante três a quatro meses sem estragar. 1 | ramo de tomilho Originária da antiga Pérsia, atual Irã, era considerada pelos antigos egípcios símbolo de 1 | ramo de alecrim ambição e de prosperidade, tanto que os sarcófagos eram decorados com suas folhas e 100 g | de nozes flores. Também na mitologia grega, a fruta aparece como símbolo de fertilidade, já que 1 | romã Vênus, a Deusa do Amor, supostamente presenteava seus amantes com ela. Hoje, é uti- 20 ml | de xarope de grenadine lizada num ritual de fim de réveillon, pois reza a lenda que mastigar sete sementes na pas- 2 | limões sagem do ano e depois guardá-las em um papel dentro da carteira traz bonança. 100 ml | de azeite A romã é usada há muitos séculos na culinária do Oriente Médio, em tagines, ensopa- Folhas variadas dos, além de refresco ou sumo para marinar caças e perfumar bebidas. É a matéria-prima Sal e pimenta-do-reino moída na hora original do xarope grenadine, usado em refrescos, sucos e coquetéis. Como possui semen- a gosto tes lindas e brilhantes, é ótimo ingrediente para decoração de saladas de frutas, saladas de folhas verdes, sorvetes e molhos salgados também. In natura, a romã pode ser degustada como fruta de sobremesa, de uma maneira lúdi- Proprietário do restaurante Rôti, o chef João Leme ca e paciente, pois cada grão deve ser retirado da película branca, com as mãos, para percorreu um longo caminho até abrir seu próprio espaço. Começou como sushi- depois ser levado à boca. Outra maneira de comer a romã é cortá-la ao meio, segurar uma man no restaurante de um das metades bem firme e, com ajuda de uma colher de pau, forçar o exterior para dentro, amigo e foi lá que percebeu para que as sementes caiam, retirando pedaços da pele branca, que são muito amargos. sua vocação para gastro- nomia. Resolveu investir O chef João Leme do restaurante Rôti, preparou um prato original com galinha d’Angola, acres- na nova carreira e voou centando a ele as melhores características da fruta. Confira a seguir a inovadora receita: longe para cursar em Paris a renomada escola de cozi- nha francesa Le Cordon Bleu. Depois de alguns anos na capital francesa obteve o diploma completo de cozinha e Modo de preparo de confeitaria, e aplicou o que aprendeu trabalhando em alguns restaurantes estrelados da Europa. Desosse a galinha d’Angola e limpe o foie gras, tempere os dois com o vinho do Porto, De volta ao Brasil, mostra talen- to e criatividade em Pinheiros. o tomilho, o alecrim, o sal e a pimenta do reino e deixe marinando por 2 horas. Enrole a galinha com o foie gras no meio e embrulhe-a com um filme plástico. Leve ao forno moderado (160ºC) por 50 minutos. RESTAURANTE RÔTI Rua Lisboa, 191, Pinheiros Misture bem as sementes de romã, o azeite, o xarope, o suco de limão, o sal e a pimenta-do-reino. Tel: (11) 3082-7904 Deixe a galinha esfriar e fatie. Sirva com o molho de romãs, as nozes quebradas e a salada de folhas. São Paulo
  • 24. produtos da estação | B FOTO | GUILHERME ANDRADE NATURAL DA TERRA 28 29
  • 25. Cereja É HORA DE SE ENTREGAR AOS PRAZERES DESSA FRUTA DELICIOSA F ruta favorita dos pintores e poetas, a bela e suculenta cereja pertence à mesma família dos pêssegos, ameixas, damascos e amêndoas. De cor vermelho- escura, tem forma redonda e o clássico cabinho. No mundo são encontrados mais de 1000 tipos de cerejas cultivadas e são muitos os nomes das varieda- des e seus grupos, causando uma certa confusão. Mas há basicamente três classifica- ções: as doces, as ácidas (azedas) e as agridoces (sweet-and-sour). No Brasil é mais comum a cereja-doce, que chega do Chile e Estados Unidos e é deliciosa para ser degus- tada pura. Os outros tipos, de outros países, são determinados para preparos específicos. As ácidas, por exemplo, não devem ser comidas cruas, mas ficam deliciosas cozidas. LOMBO DE CORDEIRO EM CROSTA DE ERVAS AO MOLHO Frescas ou em calda, essas frutinhas costumam ser destaque em bolos, como o DE CEREJAS E GNOCCHI Floresta Negra, e com pato ou peru assado. Que tal experimentar com cordeiro? DE SEMOLINA Veja esta receita, preparada pelo chef João Leme. P A R A 1 P E S S O A 150 g | de lombo de cordeiro 20 g | de manteiga Modo de preparo 5 | colheres (sopa) de farinha de pão 30 ml | de vinho do Porto Pique bem as ervas, misture-as com a man- Madeleine e leve ao forno quente (200°C), por 100 ml | de molho rôti (pronto) teiga, a farinha de pão, um pouco de sal e um 10 minutos ou até começar a dourar. 4 | colheres (sopa) de sêmola de trigo pouco de pimenta. Reserve. Cubra o lombo de cordeiro com a massa de ervas 30 g | de queijo parmesão ralado Leve ao fogo o leite, misture a farinha de e leve ao forno preaquecido a 180ºC, por 10 a 15 5 | colheres (sopa) de farinha de pão sêmola e deixe cozinhar, mexendo sempre, minutos. Cozinhe as cerejas com o vinho do 100 ml | de leite até que solte do fundo da panela. Tire do Porto, acrescente o molho rôti e deixe reduzir. 1 | ovo fogo e adicione o ovo, um pouco de mantei- Quando a crosta estiver dourada, sirva o cordei- 6 | cerejas ga e o parmesão. Com a ajuda do saco de ro acompanhado pelos gnocchis de sêmola e Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto confeitar, coloque a massa em forminhas de regue com o molho. Decore com cerejas frescas. Tomilho, alecrim, sálvia
  • 26. tentações P O R OBJETOS DE DESEJO PARA CANDIDATOS A CHEF OU GOURMETS F A B I A N A B A D R A E I D Molheira bacana & A marca francesa Le Creuset dispensa apresentações. Essas molheiras de ferro fun- dido com tampa, disponíveis em três tamanhos, têm a novi- dade do cabo fenólico, com material que resiste a altas temperaturas. Os bicos apro- priados não deixam que o molho escorra quando servido. Art Mix. Preço sugerido: R$ 462 Conforto antiderrapante Com design moderno de cores clássicas ou mais vibrantes, os tamancos ita- lianos da marca Calzuro são muito confortáveis para longas jornadas na cozinha. Feitos de material plástico atóxico, são antiderrapan- & tes e ainda possuem furos FOTOS | PEDRO BUENO para transpiração dos pés. Depósito Pinheirense. Preço sugerido: R$ 149,60 & Preço sugerido: Pasta: R$ 94,50 Frutas Frescas: R$ 73,50 Quebra-cabeça gastronômico A empresa alemã Heye, fabricante dos renomados quebra-cabeças mundiais lançou temas relacio- nados ao mundo da gastronomia. O “Frutas-Frescas” leva a assinatura de Andréa Tilk, e o “Pasta”, de Herschdorfer. São 1000 peças de material resistente, com caixa e pôster (tamanho final de 68 X 48 cm). Importados pela Mazel Toys, podem ser encontrados nas melhores lojas de brinquedos. NATURAL DA TERRA 30 31
  • 27. Mixto quente & A torradeira da Saeco é multifuncional. Além de torrar simples fatias de pão, pos- sui uma cestinha móvel com trava para colocar sanduíches. Design arrojado com aço inoxidável escovado e fácil de limpar. Utilplast. Preço sugerido: R$ 313 É brasa, mora!A churrasqueira com tripé da Ewel - indústria que pro- & Mimos duz as famosas panelas de ágata – de cobre é de aço revestido de esmalte atóxi- Minicaçarolas de cobre de 9 cm de diâmetro são ótimas para co, que proporcio- esquentar pequenas quantidades de comida, derreter manteiga na excelente ou preparar molhos. Charmosas, podem ser levadas à mesa. retenção de calor. Possui tampa com Depósito Pinheirense. Preço sugerido: R$ 79,56 (caçarola com alça) abertura para R$ 87,21 (com cabo). Tampa: R$ 24,48 saída da fumaça. & Magazine Luiza. Preço sugerido: R$ 199 ENDEREÇOS: Art Mix .Al. Lorena, www.lecreuset.com.br • Depósito Pinheirense .Av. dos Imarés, 437, Moema - Tel: (11) 5098-7333 - www.pinheirense.com.br • Mazel Toys .www.mazeltoys.com.br - SAC: (11) 3863-9660 • Utilplast . Al. Lorena, 1931, Jardins - Tel: (11) 3081-3397 - www.ewel.com.br • Magazine Luiza . Diversos endereços - www.magazineluiza.com.br
  • 28. peixaria | Paixão pelo mar O PEIXEIRO OSVALDO, COM TRÊS DÉCADAS DE PROFISSÃO, ENSINA COMO SE DEVE ESCOLHER UM BOM PEIXE O svaldo Yoshio Oikawa tem muito a ver com o mar. Dos não falte peixe, já que estamos lidando com a natureza”, diz. A peixaria do Natural da Terra traz atri- QUAL seus 46 anos está há 30 anos no butos de excelência: além de exempla- res frescos de robalo, vermelho, garoupa, PEIXE ramo de pescados, mais da metade de badejo, pescada amarela, camarão, siri entre outros vindos de diferentes regiões LEVAR? sua idade. Peixeiro do país, ainda conta com uma equipe como profissão, Osvaldo trabalhou muito bem treinada e com a presença de nutri- Osvaldo conta que escolhe os peixes pelo tempo na feira, até ser convocado pelo cionistas para conferir padrões de quali- frescor e que de modo geral, os pescados Natural da Terra para ser o responsável dade e de higiene nas três lojas. vindos de regiões de águas mais frias são os pelo abastecimento e funcionamento De temperamento reservado, Osvaldo de melhor qualidade. Aliás, um dos peixes das peixarias de suas três lojas, que deixa escapar uma nota de vibração mais vendidos nas lojas é o salmão chileno. conta com uma variedade de 250 tipos quando fala do mar, sua paixão. Com a Mas há também centolla, caranguejo, ostras de peixes e frutos do mar frescos e tam- mesma rotina, há anos acorda às 2 da e muito mais. Seja qual for sua preferência, bém congelados, oriundos de fornecedo- manhã para escolher as melhores mer- saiba que um bom pescado deve ter: res de extrema qualidade, dentro do país cadorias no Ceagesp. Mas nas horas de • | boa aparência e do exterior. “É necessário pesquisar, folga, Osvaldo gosta mesmo é de... adi- • | carne firme ao toque para que não tenhamos surpresas e que vinha? Pescar, claro. • | escamas e olhos brilhantes - alguns peixes mesmo frescos, têm como & característica olhos turvos; FOTOS | RAUL ZITO • | odor não muito acentuado Osvaldo Yoshio Oikawa • | refrigeração, sempre – deixe para “Estou há 30 anos no mercado, comprar os peixes por último no carrinho lido com 250 tipos de peixes” e leve logo para a geladeira em casa • | prioridade no consumo – utilize o peixe no mesmo dia ou logo o coloque para congelar, evitando assim que sua textura seja prejudicada • | embalagem adequada, com voltas e voltas de filme plástico • | descongelamento lento, na geladeira, de um dia para o outro, na própria embalagem. NATURAL DA TERRA 32 33
  • 29. peixaria | CURRY DE PITU COM MOUSSELINE DE BATATA-BAROA 4 P E S S O A S 6 | pitus grandes 4 | colheres (sopa) de manteiga sem sal 1/2 | colher (chá) de curry hot vindaloo 2 | alhos-porós cortados em tirinhas 1 | xícara de vinho do Porto branco ou xerez 2 | cenouras cortadas em julienne 1 | folha de louro 3 | maçãs verdes raladas 1 | colher (chá) de cúrcuma 1 | xícara de creme de leite fresco 600 g | batata-baroa PITU 1. Cozinhe os pitus no vapor por 10 minutos, reti- re a casca com cuidado e reserve. 2. Coloque 2 colheres de manteiga e refogue o alho-poró com o curry até murchar. 3. Acrescente a cenoura, o vinho, o louro e reduza o líquido até a cenoura estar al dente. 4. Misture o cúrcuma, as maçãs e o creme com o molho. 5. Doure os pitus ligei- ramente na manteiga. 6. Sirva com o molho e o purê de batata-baroa. MOUSSELINE DE BATATA-BAROA 1. Cozinhe as batatas-baroas em água ferven- te e sal até ficar tenras. 2. Escorra-as e espre- ma-as, acrescentando a manteiga e o creme de leite, misturando bem. 2. Adicione os tem- peros. Mantenha a mousseline quente. Receita da chef Carla Pernambuco, do restaurante Carlota - tel: (11) 3661.8760 FOTO | ROGÉRIO VOLTAN NATURAL DA TERRA 34 35
  • 30. FOTO | ALEXANDER LANDAU Receita da chef Flavia Quaresma, do restaurante Carême - tel (21) 2226.0092 CHERNE RÔTI COM vente. Em seguida, coloque-as numa bacia com MOUSSELINE DE ABÓBORA água bem gelada para dar o choque térmico. 2. 4 P O R Ç Õ E S Seque as folhas com papel absorvente e 6 | filés de cherne com aproximadamente bata-as com o azeite no liqüidificador. 180 g cada um 3. Peneire num pano limpo. Reserve. 50 g | de azeite de oliva Sal e pimenta-do-reino REDUÇÃO BALSÂMICA 1. Coloque os ingredientes numa panela. Leve MOUSSELINE ao fogo e deixe ferver. Abaixe o fogo e reduza 600 g | de abóbora sem casca cortada em cubos até ficar com a consistência de xarope. 50 g | de gengibre picadinho 12 g | de coentro em grão MOUSSELINE Sal, pimenta-do-reino branca 1. Coloque os cubos de abóbora num tabulei- ro untado com azeite de oliva. 2. Polvilhe o REDUÇÃO BALSÂMICA gengibre picado e o coentro em grão. 3. Leve 200 ml | de vinho tinto ao forno a 150 °C até que a abóbora fique bem 50 ml | de vinagre balsâmico macia. 4. Retire o excesso de água e bata a 40 ml | de vinagre de vinho tinto abóbora com o gengibre e o coentro no liquidi- 50 g | de açúcar ficador. 5. Tempere com sal e pimenta. 2 | grãos de zimbro PEIXE AZEITE DE RÚCULA 1. Tempere os filés de peixe e, numa frigideira 1 | maço de rúcula antiaderente com o azeite, sele os dois lados 200 ml | de azeite extravirgem de cada filé, começando pelo lado da pele. 2. Retire, coloque-os em um tabuleiro e leve DECORAÇÃO ao forno a 170 °C por cerca de 5 minutos. 3. 20 g | de pó crocante de parma Coloque uma boa colher de mousseline no 4 | ramos de cerefólio para decorar centro, disponha o filé em cima e faça dese- nhos ao redor com a redução balsâmica e o AZEITE DE RÚCULA azeite de rúcula. 4. Jogue o pó de parma sobre 1. Branqueie as folhas de rúcula em água fer- o cherne e decore com o cerefólio.
  • 31. peixaria | FOTO | ROGÉRIO VOLTAN SASHIMI DE SALMÃO COM FIGO E MOLHO DE FOIE GRAS 1 P O R Ç Ã O 200 g | de salmão fresco cortado em filés de 2 a 3 mm 50 ml | de shoyu 1 | fio de azeite 4 | figos frescos Cebolinha picada Salsinha crespa picada 20 g | de ovas de massagô (à venda em lojas de produtos orientais) PARA O MOLHO 1 | escalope de foie gras de mais ou menos 60 g 1 | colher (café) de suco de gengibre fresco 50 ml | de sake Mirin (adocicado p/ uso em cozinha) 20 ml | de shoyu 1. Esquente bem uma frigideira e grelhe o escalope de foie gras dos dois lados. Adicione o gengibre, o sake e o shoyu e deixe reduzir por 1 minuto. 2. Bata o foie gras com o molho no liquidificador. Coe numa peneira fina e reserve. 3. Amasse os figos e misture o azei- te, as ovas, o shoyu, a salsinha e a cebolinha. 4. Coloque as fatias de salmão no centro do prato, despeje o molho de foie gras por cima e coloque os figos amassados e temperados. Enfeite com a salsinha crespa e sirva a seguir. Obs.: as ovas de massagô são opcionais. Receita do chef Adriano Kanashiro, do restaurante Aoyama - tel: 3168.8011 NATURAL DA TERRA 36
  • 32. informe publicitário Akio Alho nota 10 A paixão com o alho é semelhante a por um clube de futebol: ama-se ou odeia-se. A única certeza é que se trata de um produto impres- cindível na culinária. Historiadores indicam a Ásia como local de origem do alho. Usado em larga escala na culinária do mundo todo, é também conhecido pelas suas propriedades terapêuticas, como por exemplo, redução de níveis de colesterol e da pressão sangüínea. O alho (Allium sativ um) é formado por um bulbo arredondado (conhecido como cabeça), com- posto de 10 a 12 dentes, envoltos por uma cas- ca fina, que pode ser branca, rosada ou roxa. Seu forte aroma deve-se à presença da alicina (óleo volátil sulfuroso). As cabeças de alho devem ser redondas, firmes e cheias, e com a parte exterior intacta e sem manchas. Os dentes devem ser firmes, graúdos e unidos. Evite comprar cabeças de alho cujos dentes estejam soltos, moles e com broto (nes- se caso, o produto está velho e perde o sabor). Embora sejam bonitas e decorativas, as réstias de alho não devem ficar muito tempo pen- duradas na cozinha, pois correm o risco de secar sobrando apenas cascas. Guarde o alho em lugar fresco (de preferência frio), seco e levemente arejado. Se for mantido em locais úmidos e quentes, vai mofar rapidamente e murchar. Uma boa maneira de armazenar a ca- beça de alho inteira é colocá-la num recipiente de cerâmica com orifícios para ventilação. Os dentes de alho podem ser usa- ! dos inteiros, amassados ou em lâ- minas, dependendo da intensidade de aroma e sabor que se queira dar ao prato. O dente inteiro permite que o alho seja eliminado, o que deixa a preparação mais suave. O uso de espremedor é a forma mais comum de esmagar o alho, que também pode ser amassado com a faca, pressionando-se a lâmina na parte mais larga do dente. Ao refogar o alho em óleo ou azeite de oliva não doure muito, para evitar que fique amargo. Se desejar um sabor mais suave na prepara- ção, frite o dente inteiro em óleo quente e, em seguida, retire o alho e despreze-o. Devido ao seu sabor marcante é recomendado usar o Akio Produtos alho somente numa das prepara- Alimentícios Ltda ções de uma refeição, a não ser Rua Carnaúba de que seja adicionado em pequenas Dantas , 35 quantidades. Vila Santa Lucia Hoje, o Brasil é um dos grandes Ermelindo Matarazzo produtores e a marca Akio, uma São Paulo das principais do mercado. Cep: 03891-000
  • 33. peixaria | ESPAGUETE COM TOMATE FRESCO E CAMARÃO 2 P O R Ç Õ E S • 1 5 M I N U T O S aqueça o óleo de oliva e refogue o alho até dourar. 2 | colheres (sopa) de óleo de oliva Junte os camarões temperados com sal e deixe 2 | dentes de alho picados fritar por 3 a 4 minutos em fogo alto. Acrescente 12 | camarões médios limpos os tomates e mexa por 30 segundos. Reserve. 3. 3 | tomates maduros e firmes, sem pele Quando a água ferver, tempere com sal grosso e e sem sementes, picados cozinhe a massa até ficar al dente. Escorra e sirva FOTO | ANTÓNIO RODRIGUES 20 g | folhas de manjericão o espaguete com colheradas de molho quente. 300 g | de massa longa tipo espaguete Decore com o manjericão. Sal a gosto 1. Coloque 3 litros de água para ferver em Receita do chef Peninha, do uma panela grande. 2. Em uma frigideira, restaurante Pitanga - (11) 3816.2914 NATURAL DA TERRA 38
  • 34. informe publicitário Edson Frutas A qualidade faz a nossa diferença Em Outubro de 1987 iniciamos um fruti “Natural da Terra” tivemos que trabalho no Sul da Bahia na Fazenda nos adequar a um preço compatível e, Palmares em Porto Seguro com plantio também, oferecer todos os itens acima do “Mamão Haway Sunrise”. Depois para o consumidor. de alguns anos de trabalho percebe- Há quatro anos, o Hortifruti “Natural mos que o mercado era carente de um da Terra” veio para o mercado oferecer produto de qualidade, sabor, visual e ao público um produto diferenciado e durabilidade. nós, Comércio de Frutas Gonsalez, nos Iniciamos um trabalho com técnicas adaptarmos a todos o itens por eles na área e começamos a aprimorar os exigidos. itens acima. Hoje, com orgulho fazemos a entrega 1ª etapa: Começamos pela semente de nossos produtos, pois temos consci- onde mantemos a mesma origem há 15 ência da nossa responsabilidade e do anos, isto é, separamos a cada plantio grau de exigência dessa conceituada as melhores frutas e os de melhor empresa que veio para ficar. qualidade, sabor e beleza. 2ª etapa: Tratamento oferecido às plantas até o início de produção. Oferecemos a essas plantas irrigação adequada, pulverização nos períodos certos, adubação correta, além de todo controle sobre doenças. 3ª etapa: Treinamento adequado aos nossos funcionários como colher uma fruta, em qual época, como depositar essa fruta em caixas plásticas forradas com plásticos bolha para não machu- car o fruto. 4ª etapa: Como transportar a fruta do campo ao “Parking House”. Como as estradas de terra não ofereciam condições, foi necessário a compra de máquinas para patrolar as mesmas, assim, o fruto chegaria em boas condi- ções para embalar. 5ª etapa: Como selecionar o fruto. Desenvolveram-se máquinas para separar os frutos graúdos e miúdos e, assim, de forma uniforme, iniciar a embalagem em caixas de vários tamanhos. 6ª etapa: Como transportar para o mercado consumidor sem prejudicar o produto? Tivemos que desenvolver com o transportador a melhor forma para que aqui chegasse com a fruta em plena condição, pois o mamão é extremamente delicado. A partir daí, começamos a oferecer ao mercado consumidor um produto “Pre- mium” onde qualidade, sabor, beleza e durabilidade é o nosso compromisso. Para podermos participar do Horti-
  • 35. FOTO | ANTÓNIO RODRIGUES peixaria | BACALHAU À HERDADE DO ESPORÃO 1 P O R Ç Ã O 300 g | de posta de bacalhau (só o lombo), sem pele e sem espinhas; 2 batatas pequenas ; 200 g de espinafre 100 g | de alho-poró cortados em lâminas 2 | colheres (sopa) de alho picado 300 g | de farinha de trigo para empanar 1 | cenoura pequena ou beterraba cortada em lâminas 1/2 | pimentão vermelho cortado em tiras largas 100 g | de salsinha azeite para fritar e sal a gosto BACALHAU 1. Passe o bacalhau na farinha de trigo. Em seguida, coloque em uma frigideira com azeite e frite até ficar dourado. Depois, leve ao forno quente por 15 minutos. Reserve-o. VERDURAS F R I TAS 1. Na frigideira com azeite, coloque o alhoporó, as folhas de espinafre, a cenoura e o pimentão e refogue rapidamente até começar a dourar. 2. Deixe escorrer sobre papeltoalha para que fique bem sequinho. BATATAS 1. Corte as batatas em rodelas finas e tempere com salsinha, 1 colher de alho picado, sal e azeite. Coloque-as em uma assadeira e regue com mais azeite. Cubra com papelalumínio e leve ao forno moderado até que fiquem douradas MONTAGEM 1. Coloque o bacalhau no centro do prato e arrume as verduras à volta. Frite no azeite 1 colher de alho e jogue por cima da posta. Decore com tiras de alho-poró e regue com mais azeite no momento de servir. Receita da chef portuguesa Julia Vinagre, do restaurante A Bela Sintra - (11) 3816.2914 NATURAL DA TERRA 40 41
  • 36. FOTO | LAÍLSON SANTOS RISOTTO DI BACCALA 1 P O R Ç Ã O 330 g | de arroz carnaroli 1 | talo de alho-porópicado 140 ml | de azeite 100m l | de vinho branco seco 1 | litro de caldo de galinha 130 g | de bacalhau dessalgado, escaldado e desfiado 20 g | de azeitonas portuguesas sem caroço 10 g | de pinoli 200 g | de tomate cassè Cebolinha francesa picada e sal a gosto Manteiga 1. 1 Em uma panela, refogue o alho-poró em um pouco de azeite. Acrescente o arroz e refogue mais um pouco. Regue com o vinho branco até evaporar, junte o bacalhau, o tomate e regue com o caldo, aos poucos. Acrescente as azeitonas e o pinoli; quando estiver no ponto, junte a manteiga e sirva. Receita da chef Silvia Percussi, da Vinheria Percussi - (11) 3088.4920
  • 37. cozinha fácil | O CHEF BENNY NOVAK DÁ A RECEITA DO FOTOS | GUILHERME ANDRADE NATURAL DA TERRA 42 43
  • 38. Leque de cores e sabores SUCULENTO LOMBO DE CORDEIRO NIÇOISE A P O R F A B I A N A B A D R A E I D LOMBO DE CORDEIRO NIÇOISE pesar do rosto e do jeito de garoto, Benny Novak é um chef com cur- 4 | lombos de cordeiro de 150 g cada rículo de deixar qualquer um com água na boca. Estudou gastrono- 700 ml | de caldo de carne mia em Londres, no Le Cordon Bleu e estagiou no restaurante ita- 100 g | de azeitonas pretas em caroço liano Florians. No Brasil, passou por cozinhas estreladas como a do 4 | miniberinjelas Cantaloup, e do D.O.M (com Alex Atala). Em 2001 recebeu um convi- 4 | mini-abobrinhas te para ser sub-chef no Lê Bouchone, em Miami (EUA), e trabalhar 20 | dentes de alho confitados ao lado de dois chefs com passagem pela influência de Paul Bocuse 12 | tomates-cerejas e Pierre Troigros, de Lyon. Quando retornou ao Brasil em 2002, abriu com o sócio, 1 | ramo de tomilho fresco Renato Ades, o Ici Bistrô, um lugar aconchegante no charmoso bairro de Higienópolis. 1 | ramo de alecrim Para a Revista Natural da Terra, Benny ensina a fazer o Lombo de Cordeiro Niçoise, • Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto uma receita saborosa que, além da carne, acompanha legumes variados – use o que • Óleo de milho for mais abundante na estação. A combinação de sabores e o visual são deliciosos! Modo de preparo 1 | Niçoise - corte a berinjela e a abobrinha Obs.: Se o molho após a redução ainda esti- em rodelas de aproximadamente 1 cm de ver muito ralo (caso esteja usando caldo de espessura. Tempere com sal e pimenta. carne em cubinhos) engrosse um pouco Corte o tomate cereja ao meio e reserve. Em com uma mistura em proporções iguais de uma frigideira com óleo quente, refogue as farinha e manteiga. fatias de abobrinha e de berinjela até come- çarem a dourar. Na mesma frigideira, adicio- 3 | Alho confit - em uma frigideira, coloque ne os tomates, a azeitona preta e o alho con- 20 dentes de alho com casca, um ramo de fitado (veja item 3). Retire do fogo e reserve. tomilho e um ramo de alecrim. Cubra com óleo de milho e leve ao fogo médio por 20 2 | Cordeiro - em outra frigideira bem quen- minutos. Deixe esfriar no próprio óleo. Está te, coloque o óleo e doure os lombos de cor- pronto para ser usado. deiro, deixando em fogo alto por 3 minutos de cada lado (para deixá-los rosados). Montagem - coloque a guarnição Niçoise no Reserve e deixe descansar por 5 minutos centro do prato, corte o cordeiro em leques em local morno antes de cortar. e disponha ao redor dos legumes. Decore RESTAURANTE ICI BISTRÔ Coloque o alecrim dentro do caldo de carne, com o ramo de tomilho, o alho, e coloque o Rua Pará, 36, Higienópolis Tel: (11) 3257-4064 leve ao fogo e deixe reduzir pela metade. molho de alecrim sobre o cordeiro. São Paulo, SP
  • 39. perfil | FULVIO STEFANINI N P O R L U A N A P A VA N I Caiu no prato, eu traço QUANDO ESTÁ EM SÃO PAULO, O CONSAGRADO ATOR SE RENDE ÀS TENTAÇÕES DOS LANCHES, FRUTAS E VERDURAS DO NATURAL DA TERRA Vera Stefanini ajuda o marido a escolher os vegetais. Depois, vão juntos à área de alimen- tação do Natural da Terra om garfo, comi- B lão, guloso. São estes os termos que Fulvio Stefanini usa para definir sua predileção gastronômi- ca. “Adoro comer. Aliás, esses lanchinhos aqui são uma maravilha”, disse o ator, enquanto olhava o cardápio da área de alimentação do Natural da Terra Alto da Boa Vista, perto de sua casa. Quando está em São Paulo, Fulvio acompanha a Aos 66 anos, o ator divide a semana Stefanini tem a agenda cheia e muitos esposa, Vera, ao hortifruti, e aproveita para entre Rio e São Paulo, para dar conta projetos ao lado da esposa e dos filhos, tomar um café e experimentar algum sal- de gravar a novela da Globo “Alma Fulvinho e Leonardo, todos envolvidos gado. Ela, produtora de teatro, é fã das verdu- Gêmea” , em que interpreta Osvaldo, e com teatro. Estão nos planos apresen- ras pré-lavadas. “Essas folhas maravilhosas encerrar a temporada de “Até que o tações no Japão e em Paris ao longo eu só encontro aqui. Já procurei em super- Sexo nos Separe” , no teatro. A comé- de 2006. É assim, viajando, que ele e mercados, mas não há nada igual, nem em dia de Walcyr Carrasco, em que Fulvio Vera mais gostam de descansar. Já termos de qualidade nem preço”, diz. divide o palco com Nina de Pádua, tiveram até uma pousada, em Parati, O casal freqüenta a loja há quatro anos, deve excursionar o país em 2006 e por seis anos. Mas por causa das idas e desde a primeira, em Moema, quando também pela Europa, começando por vindas para São Paulo e Rio, Fulvio pre- morava no bairro. “Desde então, criei ami- Portugal. “Os portugueses têm loucu- feriu passar o negócio adiante. zade com o pessoal. Todos são muito ra pelo Fulvio”, diz a esposa, orgulho- “Daquela época guardo boas amiza- atenciosos e competentes, a gente vê que sa. Ele próprio admite que é reconheci- des”. Hoje, o destino preferido é Nova eles entendem do ramo, são extrema- do nas ruas do país desde “Gabriela”, York, onde o casal faz um giro pela mente competentes. Digo isso não como onde interpretou Tonico Bastos – além Broadway na companhia de amigos amigo, mas como cliente, mesmo. Esse é de tantos outros personagens nestes para acompanhar as novidades – tam- um lugar realmente diferenciado”, afirmou 48 anos de carreira. bém no quesito comida. “Sempre faze- Fulvio, num dos poucos dias de folga. Hora de parar? Ainda não. Fulvio mos tours gastronômicos”. NATURAL DA TERRA 44 45
  • 40. & Fulvioprodutos de qualidade, e o “além de Stefanini atendimento é especial FOTOS | RAUL ZITO
  • 41. mesas | ; A DE SERVIR ARTE COM BOM SENSO E ALGUMAS REGRAS SIMPLES É POSSÍVEL MONTAR UMA BELA MESA. SELECIONAMOS ALGUMAS IDÉIAS PARA VOCÊ DECORAR SUA MESA DE NATAL OU ANO NOVO. EM TODAS ELAS, PORÉM, A FARTURA DE FRUTAS É FUNDAMENTAL P R O D U Ç Ã O C A R O L M I R A N D A E C R I S T I N A E S Q U I L A N T E NATURAL DA TERRA 46 47
  • 42. & Fartura natalina Mesa farta e extravagante, em tons de terra, combina muito bem com as cores vibrantes do damasco seco, o sabor forte das nozes, avelãs e figos secos. Essa sugestão de montagem é da deco- radora Mari Ani Oglouyan. Os pratos e porta-garrafa são da Versace e as taças Sèvres e Strauss. Para acompanhar, FOTO | RAUL ZITO vinho do Porto ou de sobremesa.
  • 43. mesas | ; NATURAL DA TERRA 48 49
  • 44. Jovial e Leve & Brincar com as trans- parências e formas dos objetos para dei- xar a mesa bem colori- da. Nesse caso, você deve abusar de frutas de época, como figo, pêssego, damasco, uvas, lichia, cerejas e nectarina. Todas com- binam com a estação do ano e deixam a decoração alegre. O ideal é que seja mon- tada uma mesa à parte da principal. Que funcione, inclusive, como decoração da sua casa, misturando objetos diferentes para servir as frutas. A sobremesa, no caso uma torta de chocola- te preparada pela chef Silvia Percussi, do Vinheria Percussi, é colocada apenas no final da refeição. Espumante nacional e vinho de sobremesa casam perfeitamente. FOTO | TADEU BRUNELLI
  • 45. mesas | ; & Tom moderno à informalida- Os tempos atuais convidam de, mas é sempre bom conhecer as regras de etiqueta, para evitar gafes na hora de receber convidados. Regra número 1: con- sidere sempre o número de convidados. Se der para todo mundo se sentar à mesa ótimo. Caso contrário, recorra ao serviço à brasileira. Nele, as travessas são distribuí- das na mesa e cada um se serve. Nessa sugestão, assinada pelo decorador Rodrigo de Moura Albuquerque, o tradicional can- delabro aparece de maneira alegre e jovial, nada pesado. Mesmo antes da ceia ser ser- vida, esse tipo de montagem combina bem com frutas como avelãs, castanhas e fru- tas secas, como damascos e figos. Para acompanhar, você pode continuar servin- do champanhe ou um bom vinho do Porto. FOTO | RAUL ZITO NATURAL DA TERRA 50
  • 46. mesas | ; NATURAL DA TERRA 52 53
  • 47. Minimo é o maximo ´ ´ & Aqui, a idéia é ajudar quem tem problema de espaço e precisa espe- rar o almoço ou jantar terminar para montar sua mesa de sobreme- sas e frutas. Nesse caso, para facilitar, escolha pratos retan- gulares e de tamanhos diferentes para servir as frutas. Eles dão um toque elegante e o colorido fica por conta da variedade de fru- tas: ameixa vermelha, damasco fresco, uvas de vários tipos, cere- jas e pêssegos. As sobremesas ajudam a compor e devem ser servidas juntas. No caso, uma delicada torta filo de amêndoas e o bolo mousse de chocolate decorado com cerejas, ambos da Vinheria Percussi. FOTO | TADEU BRUNELLI
  • 48. esporte | I ESTICA E PUXA NATURAL DA TERRA 54 55
  • 49. CONHEÇA O MÉTODO PILATES, QUE FORTALECE OS MÚSCULOS SEM CAUSAR LESÕES FOTOS | RAUL ZITO Aula de Mat Pilates na Reebok Sports Club É crescente a procura de esportistas pelo Pilates, exercício físico que busca o equilíbrio, aliando flexibilidade com toni- ficação e ainda corrigindo a postura. A técnica nasceu na Alemanha, com Joseph Pilates, que desenvolveu uma série de exercícios e apa- relhos de condicionamento físico para tratar a si próprio, pois sofria de raquitismo. Quando serviu ao exército, na I Guerra, sua técnica foi reconhecida como bem-sucedida para o fortalecimento e recuperação dos músculos. Quando ia estourar a II Guerra Mundial, ele imigrou para os Estados Unidos, onde seu méto- do ganhou fama, tendo sido aplicado por dançarinos famosos com Martha Graham. Um dos diferenciais do Método Pilates é trabalhar os músculos estáticos, respon- sáveis pela sustentação do corpo, não apenas os dinâmicos, aqueles usados para os movimentos comuns, e que são mais visíveis na musculação. A técnica exige controle e concentração, e é indicada para prevenção e recuperação de lesões. A Reebok Sports Club, uma das mais modernas e conceituadas academias de São Paulo, oferece aulas de Mat Pilates. Os exercícios, derivados do método tradicional, não utilizam apa- relhos, e sim atividades em grupo ou individuais no solo. “Para responder ao número crescen- te de interessados, até disponibilizamos mais salas. O Mat Pilates tem surpreendido muita gente por seus benefícios”, diz Cris Tosta, coordenadora técnica da Reebok Sports Club. Entre os principais benefícios ela destaca o aumento da coordenação motora, redução da fadiga e dores musculares, aumento da concentração, auto-estima e consciência corporal.
  • 50. história | M Trinca EM 3 MESES, 3 SÓCIOS MONTARAM A PRIMEIRA DAS 3 LOJAS A luga-se. Bastou ver essa placa dependurada na frente de um ponto na Avenida Nhambiquaras, em Moema, para que o comerciante Edair Scotini vislumbrasse ali a oportunidade de um negócio diferenciado na área de hortifruti. Deu meia-volta, com- pletando o percurso da corrida diária, o que lhe deu tempo de perceber que não seria fácil realizar o sonho sozinho. Ao invés de um sacolão, ramo que já havia experimentado antes, a idéia era de uma loja sofisticada. Quando chegou em casa, Edair ligou para o amigo Walter Cândido de Vasconcelos, contando do projeto. Minutos depois, outro colega de Ceagesp, Florisvaldo Ruiz, era convidado a fazer parte dessa nova empreitada. O trio nunca havia traba- lhado junto, mas já na primeira reunião nasceu o conceito de um hortifruti com alta qualidade e comodidade. Três meses depois, naquele ponto foi erguida a primeira loja do Natural da Terra, no dia 4 de dezembro de 2001. Apesar da sofisticação do layout e do mix comercializado nesta e nas outras duas lojas do Natural da Terra, os sócios Ruiz, Walter e Edair ainda tratam a clientela com o carinho e o bom-humor dos tempos em que eram feirantes. "Cada um de nós tem mais de 30 anos de feira. Trazemos na alma aquele corpo-a-corpo com o cliente; e foi de ouvi-los que perce- bemos a necessidade de oferecer produ- & tos de qualidade com todo o conforto", conta Walter. Ele conta que foi o Ruiz, quem entrou com o bom gosto. "Cada um Ruiz, Edair e Walter trouxeram para o fez sua parte”, emenda o diretor adminis- Natural da Terra a trativo da rede. simpatia e o Ruiz conta que os três sócios perco- bom-humor dos tempos de feira, rerram diversas lojas em São Paulo, bus- acrescentando cando referências para o layout, os servi- comodidade e ços e o atendimento. Tinha de ser um sofisticação NATURAL DA TERRA 30 56 57 31
  • 51. de ases FOTO | TADEU BRUNELLI
  • 52. história | M FOTO | RAUL ZITO espaço sofisticado, que combinasse três meses para que o ponto da João hortifruti da mais alta qualidade, pei- Cachoeira guardasse do velho sacolão xaria completa, açougue de primeira, que lá havia apenas as paredes para se balcão de produtos a granel e empório, transformar em Natural da Terra, no dia tudo de nível superior. Deveria ter ar 4 de setembro de 2004. A loja mais condicionado, área para recebimento nova, de Alto da Boa Vista, foi construí- e pré-preparo de alimentos, equipe da nesse ínterim, e abriu as portas no qualificada, inclusive com nutricionis- dia 2 de dezembro daquele ano. tas, estacionamento e área de alimen- “Valeu a teimosia”, diz Ruiz, referin- tação. Sem ajuda de decorador nem de do-se ao início difícil devido à ousadia arquiteto, a loja de Moema foi inteira de se criar um hortifruti, que ainda montada em 90 dias, da assinatura do hoje é um projeto diferenciado em São contrato até a inauguração. Para a Paulo. Por outro lado, os que apostaram abertura da segunda loja, no Itaim, na idéia participaram também da esco- também foram necessários apenas lha do nome e do logotipo. NATURAL DA TERRA 58 59
  • 53. FOTO | TADEU BRUNELLI
  • 54. natural da terra | M FOTO | RAUL ZITO & “Nossos fornecedores são amigos e Walter costumam conferir pessoalmen- “Nossos fornece- de longa data, eles sabem que somos te as mercadorias e as instalações dos dores são todos ami- gos, profissionais todos profissionais experientes e que produtores, mesmo fora de São Paulo, experientes e muito fazemos nosso trabalho com muita enquanto Ruiz dedica-se a questões mais competentes”, diz paixão”, ressalta Vasconcelos, diretor administrativas. Mas os três percorrem Walter Vasconcelos. Isso explica a grande de compras do Natural da Terra. diariamente as lojas, conferindo tudo, da qualidade dos Na empresa, negociação é assunto res- exposição das frutas até a limpeza da produtos oferecidos. trito à diretoria. São os sócios que fazem área de alimentação. “Tem produto que a as compras, todos os dias. "Este é um gente nem precisa experimentar, já dá ponto fundamental para o sucesso do para ver se está bom apenas com um negócio, pois não só aplicamos nossa olhar”, diz Walter, que não se incomoda experiência como também o respeito de subir em um caminhão para checar as conquistado no ramo ao longo de déca- mercadorias. “Só oferecemos coisa boa. das”, diz Edair Scotini. “Além disso, somos Não existe fruta machucada ou folha muito exigentes e críticos”, completa. Ele murcha. Aqui, reposição é constante. NATURAL DA TERRA 60
  • 55. Há 30 anos no mercado a Aguaí frutas é sinônimo de qualidade. De olho em uma vida mais saudável, a empresa respeita a natureza na hora do plantio utilizando técnicas eficientes e adubos naturais. O resultado são frutas com muito mais sabor. No dia-a-dia, para suprir todas as nossas necessidades de vitaminas é importantíssimo o consumo de pelo menos três frutas, cada uma de uma cor.
  • 56. história | M Os clientes assinam em baixo: “Nem sempre doce”, afirma o ator, que hoje preciso escolher, é só colocar no carri- freqüenta a unidade Alto da Boa Vista. nho”, diz o ator Marcos Plonka, que faz Para garantir o melhor aproveita- o personagem Samuel Blaunstein no mento possível do alimento há todo programa de TV Escolinha do Barulho. um cuidado nos bastidores. Além da Ele costuma comprar abacaxi já des- seleção criteriosa de fornecedores e cascado e mamão fatiado. “Pela como- mercadorias, para cada seção do didade e qualidade, acho que o preço Natural da Terra há um encarregado é justo, até porque não há descarte. pelo recebimento. Assim, as frutas, Esse abacaxi, por exemplo, eu compro hortaliças, ovos, carnes ou peixes há anos, desde a loja de Moema, e está entregues passam por uma nova tria- & As frutas sele- cionadas e prontas para consumo conquistaram clientes como o FOTOS | RAUL ZITO comediante Marcos Plonka (abaixo), fã do abacaxi descascado “sempre doce”. NATURAL DA TERRA 62
  • 57. informe publicitário Interozone Ar sem contaminação Usando tecnologia das mais avan- çadas, a Interozone do Brasil é es- pecialista em manter o ar livre de microorganismos e sem odor Os purificadores Interozone são indispen- sáveis nas câmaras frigorificas de frutas e vegetais. Utilizando alta tecnologia e sem agredir ao meio ambiente, os aparelhos ati- vam de forma controlada e permanente uma pequena porção de oxigênio do ar ambien- te, eliminando dessa forma os microorga- nismos, como fungos, bactérias, leveduras e os odores desagradáveis. Isso reduz a deterioração dos alimentos, retarda sua maturação e diminui sua desidrata- ção, fazendo com que a polpa fique mais firme. ! Em cada tipo de alimento o sistema Interozone atua de uma maneira diferente, sempre buscando uma me- lhor conservação e higienização. No caso das uvas, por exemplo, mantém o talo verde e faz com que a fruta fique mais segura. As bananas ama- durecem de maneira mais uniforme e diminui as pontas pretas de sua casca. Já as batatas tem sua brotação retardada. O sistema Interozone também é indicado em peixarias e açougues. Se não bastasse, sua utilização é aprovada pelos Ministérios da Saúde, Agricultura e do Trabalho. Interozone Av. Armando Giassetti, 501, tel/ fax: (11) 4815-3111, Jundiaí, São Paulo, SP. interozone@interozone.com.br
  • 58. história | M gem dentro de cada loja. Em seguida, os alimentos são conferidos pela equi- pe de nutricionistas, que determina o prazo de validade das porções. No caso das frutas, legumes e folhas já prontas para consumo - lavadas, cor- tadas e embaladas a vácuo - há uma sala de pré-preparo, com alto grau de higiene, dotada de sistema ionizador, que elimina as bactérias do ar (leia mais na matéria da página 12). As três lojas têm ionizador, ar con- dicionado, estacionamento e uma série de fatores para garantir a quali- FOTOS | TADEU BRUNELLI dade dos alimentos e proporcionar a comodidade do consumidor. A loja de Alto da Boa Vista, com maior área físi- ca, abriga ainda uma panificadora e uma adega. “O objetivo é alcançar a & excelência do hortifruti em todas as seções”, afirma Ruiz. Por isso, cada área da loja é tocada por um profissio- O Natural da Terra, em sua loja nal experiente, com pelo menos duas do Alto da Boa Vista, conta com décadas de conhecimento naquele uma moderna e completa adega, com vinhos de todos os estilos. ramo. “Aqui, só tem gente boa”, orgu- lha-se o diretor administrativo, que comanda ao lado dos outros dois sócios centenas de funcionários. O recém-instaurado departamento de recursos humanos elaborou um plano de carreira, de forma que repositores possam virar chefes de seção, como já vem ocorrendo. Cada vaga é ofere- cida primeiro internamente. Se não for preenchida, aí é colocada no mercado. Os diretores e dois gerentes-gerais reú- nem-se semanalmente para as decisões de negócio. Cada um tem seu estilo, um mais brincalhão, outro mais instrospecti- vo, mas todos perfeccionistas. “Aqui, para receber um elogio tem que suar”, sorri Edair. Nessas reuniões fala-se também da expansão da rede, mas neste momento os sócios estão focados em aprimorar os serviços e firmar a marca, explica Ruiz. “Queremos fazer com que Natural da Terra seja sinônimo de hortifruti de qualidade”. NATURAL DA TERRA 64
  • 59. seu bairro POR MARIANA DELLA BARBA ... DAS SAIAS, DOS TERNOS, DOS TÊNIS... TRIÂNGULO DAS O Natural da Terra oferece a quem mora ou passa pelo triângulo formado por Moema, Itaim e Alto da Boa Vista o que há de melhor em frutas, legumes, verduras, peixes, carnes, queijos, azeites... enfim, tudo para uma alimentação saudável e de qualidade. Afinal, há que se ter pique para aproveitar as diversas opções de lazer das cercanias, entre restaurantes, badaladas casas noturnas, parques, locadoras, salões de bele- za e muito mais. Conheça a história e as principais atrações ao redor das lojas Natural da Terra. FOTOS | RAUL ZITO ALTO DA BOA VISTA AVENIDA SANTO AMARO, 6618 - FONE: (11) 5188.8108 NATURAL DA TERRA 66 26 67 27
  • 60. ITAIM RUA JOÃO CACHOEIRA, 1351 FONE: (11) 3845.7747 BERMUDAS MOEMA ALAMEDA DOS NHAMBIQUARAS, 1856 - FONE: (11) 5042.3005
  • 61. seu bairro M O E M A A “PRAIA” PAULISTANA O BAIRRO DAS RUAS COM NOMES 1. SHOPPING IBIRAPUERA destaques da culinária chine- sa a preços honestos. Da quen- DE PÁSSAROS, HABITADAS POR CARIO- Av. Ibirapuera, 3103, tíssima chapa em ferro saem as estrelas do menu, como o 5095-2300. CAS SARADOS, FOI ONDE O NATURAL Um presente de última macarrão à moda e o camarão flambado com saquê. hora, um almoço rápido, DA TERRA NASCEU, HÁ QUATRO ANOS compras e serviços já à noite, um cineminha... 4. WILLIE WILLIE Com mais de 500 lojas Al. dos Pamaris, divididas em quatro 30, 5533-0020. pisos, o Ibirapuera recebe Este bar-arqueria é um tra- uma média diária de mais dicional ponto de agito do bairro. Há mais de 25 anos Caminhar pela Alameda 86 mil pessoas. embala noitadas com ban- dos Nhambiquaras, onde 2. COSTELA NOBRE das de rock e pop. está a primeira das três lojas do hortifru- Av. dos Imarés, ti de qualidade Natural da Terra, é pratica- 758, 5543-1323. 5. TONTON JAZZ mente uma aula de memória indígena. Pelo nome dessa churras- & MUSIC BAR caria, já se sabe qual é a Al. dos Pamaris, Localizado no distrito de Moema, o bair- 55, 5044-7239. especialidade. O “nobre” ro abrange dezenas de ruas batizadas Apesar do nome e dos pôste- do título fica por conta do com nomes de tribos do Brasil afora. O processo de preparo: a res de Louis Armstrong nas hortifruti é cercado por Maracatins (que costela é assada com sal paredes, o bar toca também viviam no Maranhão), Nhambiquaras grosso por 40 horas. No blues, rock, soul e country. (nos sertões do Mato Grosso), Carinás e rodízio, há oito cortes diferentes de costela, 6. BOURBON Aiacás (no Amazonas), Anapurús (no cupim e vários STREET MUSIC Maranhão e Piauí) e, claro, os paulista- acompanhamentos. Club. R. dos Chanés, 127, nos Tupiniquins. 5095-6100. O responsável por essa profusão de tri- 3. JARDIM B. B King e John Pizzarelli DE LÓTUS já tocaram no Bourbon, bos foi o comerciante Fernando Arens uma das melhores casas de Al. dos Pamaris, Júnior, fã de indígenas e também de música ao vivo da cidade. 42, 5532-1357. pássaros. Presidente da Companhia Escondida entre os mais Especializada em blues, Territorial Paulista, ele comprou em 1913 de 30 restaurantes do jazz e soul, tem programação o Sítio da Traição, área que hoje abriga bairro, essa casa serve e cardápio imperdíveis. Indianópolis. Em dois anos, a Companhia NATURAL DA TERRA 68 69
  • 62. 7. BLACKMORE 9. IGREJA NOSSA ROCK BAR SENHORA Al. dos Maracatins, APARECIDA 1.317, 5041-9340. Pça. Nossa Senhora O Blackmore completa a Aparecida, s/nº, 5052-4919. lista de casas com músi- Primeira de São Paulo a home- foi demarcando a região e abriu sua pri- ca ao vivo no bairro e faz nagear a padroeira do Brasil, a meira avenida, batizada com o nome da jus à vocação musical de igreja possui belíssimos Indianópolis. No palco, vitrais, além de 25 afrescos pin- filha de Fernando Arens, Araci. Décadas rock em suas várias ver- tados pelo artista italiano depois, o nome foi alterado, mas preser- tentes, do clássico ao Bruno Di Justi. Inaugurada em vando a herança indígena: hoje trata-se heavy metal. 1933 (e totalmente reformada da Avenida Ibirapuera, antiga aldeia das quatro anos depois), a paróquia cercanias Santo Amaro. 8. SHOESTOCK é atendida pelos padres salva- Av Bem-Te-Vi, 221, torianos e celebra 23 missas No atual estágio de desenvolvimento 5044-4513. durante toda a semana, 9 delas do bairro, as ocas aparecem em forma As lojas da rua Bem-Te-Vi aos finais de semana. de edifícios de alto padrão, consultó- e arredores são o paraíso rios médicos, lojas e bares agitados das amantes de sapatos. 10. BURGER COMPANY em torno do Shopping Ibirapuera, o A maior expoente é a Al. dos Nhambiquaras, 1839, Shoestock, com vasto 5543-4152. maior responsável pela expansão do estoque de sandálias Com uma decoração clean e bairro. Em meados dos anos 70, o coloridas, rasteirinhas moderninha, o lugar e ideal para empreendimento trouxe novos comer- da moda, escarpins altos matar a fome pós-balada, já que ciantes e investimentos, mudando a e baixos, além de botas, funciona até às 4 horas da manhã cara da vizinhança. Na década de 30, cintos e bolsas. Tudo às sextas e sábados. O mais pedido com preços até 60% é o de picanha, mas há opções mais o bairro contava com cerca de 7 mil mais baixos que a exóticas, como o de avestruz, de habitantes, número que foi multipli- média da cidade. javali e o de salmão. cado por dez no início dos anos 80. A ER PU IRA AV . IB 1 ER A 7 PU RA . IBI AV 4 CA TIN S RA 3 RIS S MA MA AL . DO PA 5 .DOS AL AV. DOS IMA RÉS 6 RUA DOS CHA NÉS 10 AV. AR AS DOS IMA 2 IQU RÉS MB HA SN AL . DO
  • 63. seu bairro A L T O D A B O A V I S T A TRADIÇÃO E NOBREZA A REGIÃO ESTÁ EM PLENO CRESCIMENTO HÁ 70 ANOS Há 70 anos, o município de 1. FRANGARIA 3. PARADA Santo Amaro foi extinto. Mas seu fim não R. Vitorino de Morais, BOA VISTA foi motivo de luto para os moradores. Afinal, por 337, 5183-5742. R. São Sebastião, 169, Com polenta, com farofa, 5686-6577. um decreto de 22 de fevereiro de 1935, ele pas- com maionese, assado, Basta um rápido olhar sou a fazer parte da capital de São Paulo. Assim, grelhado, no espeto... Nem nas paredes para desco- a cidade que começou com uma aldeia dos índios precisa dizer que a espe- brir quem é o proprietário Guaianases à beira do rio Jeribatiba passava cialidade da casa, o fran- desse bar. São dezenas então a receber altos investimentos da prefeitu- go, ocupa a maior parte do de fotos de momentos cardápio, com diferentes marcantes da carreira ra, cuja idéia era desenvolver esse bairro e trans- tipos de acompanhamen- do craque Roberto formá-lo em um pólo de lazer. tos. Bastante ampla e com Rivellino. Em meio às O projeto foi um sucesso. A região viu seu comér- um ambiente descontraí- imagens de futebol, cio e indústria crescerem: no início dos anos 40 do e agradável, a Frangaria há outras retratando a eram quase 500 lojas e mais de 50 fábricas. Vias resume bem o clima "famí- estação de bonde lia" que reina nos mais de que funcionou no local de acesso asfaltadas e vários locais de entreteni- 40 restaurantes e lancho- até 1968. No amplo mento, como a Represa Guarapiranga e um zoo- netes do bairro. cardápio da casa, um lógico, atraíram novos moradores: imigrantes ale- dos destaques é a mães e escandinavos. Com o desenvolvimento 2. CULTURA feijoada servida rápido e acentuado, Santo Amaro foi elevado a INGLESA aos sábados. R. Alexandre Dumas, distrito e hoje abrange 16 bairros. Entre eles, o Alto 581, 5183-5224. 4. CHINA LAKE da Boa Vista, onde está localizada uma das três Seria por influência dos R. Marechal Deodoro, unidades do Natural da Terra. imigrantes estrangeiros 525, 5524-7921. No início dos anos 2000, o Alto da Boa Vista que habitam o bairro já O extenso cardápio viveu um boom imobiliário, principalmente em há algumas décadas? do China Lake – bastan- Difícil dizer, mas o fato é te voltado para os relação aos condomínios. Eram paulistanos em que não faltam escolas pratos típicos de Xangai busca de umas das últimas áreas residenciais de idiomas na região. - compensa a escassez da alto padrão da cidade. Com ruas tranqüilas e Nos cerca de 20 estabe- de restaurantes arborizadas, a localização privilegiada - a pou- lecimentos, inglês e orientais na região. cos minutos da região da Berrini, da Chácara espanhol são as línguas Caprichadas, há mais ensinadas, e opções como o kani Santo Antônio e da avenida Washington Luis – alguns deles são espe- fatiado com molho tornou-se ideal para executivos. Com essa nova cializados em ensino de ostras na chapa leva de moradores, o Alto da Boa Vista ficou infantil. Com 16 salas e e o frango com molho ainda mais equipado, com uma completa rede cursos focados em de gengibre. Há de transporte, serviços, lazer, gastronomia e diversas áreas (como pratos pouco comuns, marketing), a Cultura como o arroz com comércio -- sem abrir mão, claro, das vantagens Inglesa é uma das esco- bacalhau e a gelatina de um bairro essencialmente residencial. las mais tradicionais. de amêndoas. NATURAL DA TERRA 70 71
  • 64. R. A LEXA NDR E DU MAS 2 O AR AM NT O 4 . SA AV R. M AL. DEO DOR O 5 R. IR INEU MAR INHO 5. MERCEARIA 6. PQ. SEVERO 7. BLOCKBUSTER DO ALTO GOMES (ANTIGO Av. Santo Amaro, 6.400, R. Irineu Marinho, 344, GRANJA JULIETA) 5182-5929. 5687-8458. R. Pires de Oliveira, 356, Perdeu o filme no cine- Longe do trânsito da 5687-4994. ma? Nada de bom pas- Vila Olímpia ou do Eucaliptos, figueiras e sando na TV? Vontade de stress para estacionar dezenas de outras árvores ficar em casa comendo na Vila Madalena, essa servem de casa para pás- pipoca? É sempre bom ter bar próximo à rua saros como andorinha, uma videolocadora por Adolfo Pinheiro tem um tico-tico, periquito, beija- perto. Esta unidade da ambiente sossegado, flor, que estão sempre na Blockbuster tem mais de principalmente na char- margem do córrego que 2 mil títulos mosa varanda. Dos mes- corta o parque... Cenário de DVD para locação e mos donos da Mercearia ideal para caminhadas recebe cerca de 20 lança- São Roque e da matinais, passeios com as mentos por mês. A loca- Mercearia Jockey Club, crianças, relax no fim de dora facilita a vida dos a casa serve um chopp semana. Com pista de coo- clientes mais ocupados bem tirado e sanduí- per, diversos bancos, ficando aberta, todos os ches caprichados, como muita sombra e play- dias, até meia noite. o Castellabatte, com ground, o Severo Gomes é Há ainda DVDs e games presunto cru. um dos orgulhos do bairro. para compra.
  • 65. seu bairro I T A I M AGITO ATÉ DE MADRUGADA O BAIRRO VIVE EM CONSTANTE EBULIÇÃO E É UM DOS PULMÕES DA CIDADE Não é de hoje que frutas, verduras, carnes e peixes frescos -- como 1. SALGADERIA Coltrane. Completando a os vendidos na Natural da Terra -- abastecem a mesa dos morado- R.João Cachoeira, 856, noite, além do cardápio 3078-4889. caprichado, há uma loja no res do Itaim. Quando a ocupação do bairro começou, no final do piso superior com mais de século 18, a área era uma chácara com dezenas de árvores frutífe- A ordem nessa quituteria é matar a fome gastando 3 mil CDs de jazz e MPB. ras, hortas e campos para caça e pesca. As goiabas e jabuticabas, bem pouco. Feitos na hora Boa música e clima sosse- por exemplo, não podiam faltar nos lanches da família Couto de (até mesmo nas altas gado são a marca desta Magalhães, proprietários da antiga Chácara Itahim. horas da madrugada), há que é uma das 30 casas salgados como croissant, noturnas e bares do Itaim. As terras ficaram nas mãos dos Couto de Magalhães até 1907, coxinha, pastel e pão de quando o patriarca da família morreu e a área foi toda reparti- queijo. Qualquer um deles 4. RUELLA da entre os herdeiros. Entre eles estava Leopoldo Couto de sai por menos de 2 reais. R. João Cachoeira, 1507, Magalhães Júnior, cujo nome hoje batiza uma das ruas do bair- V. Olímpia, 3842-7177. ro. Mas seu apelido conseguiu feito ainda maior: por usar sem- 2. GRIFETHERIA Um pedacinho do sul da R. João Cachoeira, 1076, França fica escondido pre um boné de bico, ela era chamado de Bibi. E daí, claro, veio nesse beco que sai da Rua o "sobrenome" do Itaim. A importância dessa família é tanta 3845-7052. Se mais de 20 lojas de João Cachoeira. Romântico que até a rua que abriga a Natural da Terra está ligada ao clã. ponta de estoque e outlets do momento em que se João Cachoeira era um antigo empregado da casa e "sua" rua são as estrelas da Rua senta nas mesinhas ao ar foi autorizada pela prefeitura em 1929. João Cachoeira, a livre até as deliciosas sobre- Grifetheria faz uma boa mesas, o restaurante serve Porém, pouco sobrou da calmaria que reinava naquela época. uma típica mas farta culiná- Desde a década de 70, quando a avenida Juscelino Kubitschek síntesa da situação: peças e acessórios de 40 grifes, ria francesa com pratos foi inaugurada, o bairro presenciou um crescimento vertigino- tais como Animale e Vide como o caussoulet. O sota- so. Atualmente, o Itaim é bastante movimentado. E esse agito Bula, com descontos que que francês do Ruella divide pode ser observado tanto nas primeiras horas da manhã, quan- podem chegar a 70%. o bairro com o italiano das cantinas (cerca de 15) e piz- to nas últimas da madrugada. De dia, principalmente na Rua zarias (mais de 20), mas João Cachoeira (que foi repaginada em 2004), o comércio é 3. ALL OF JAZZ também esbarra em argen- R. João Cachoeira, 1366, intenso. Afinal, são mais de 200 lojas, dos mais diversos ramos: 3849-1345. tinos e portugueses. de moda à decoração, passando por serviços e outlets, de grifes Considerada uma das ou não. O bairro revela seu lado vaidoso com 30 salões de bele- melhores casas de jazz de 5. CASSOLARI'S za e mais de 20 academias de ginástica. À noite, as opções de São Paulo, tem uma pro- CABELEIREIROS R. Bandeira Paulista, 1212, lazer, música e gastronomia põem em dúvida até os mais deci- gramação intensa – e de 3845-3877. didos. Tente escolher um entre os cerca de 30 bares e casas qualidade – de segunda a No começo deste mês, as noturnas e as mais de 20 pizzarias e cantinas. Tarefa nada fácil. sábado. O palco, cercado irmãs Cecília, Célia e Iranã de um ambiente intimista, inauguraram a nova sede Comércio de luxo, lojinhas de bairro. Alta gastronomia, quitandas abriga músicos consagra- do salão, que antes ficava a de esquina. Grandes avenidas, curiosas ruazinhas. O idioma pode dos, que freqüentemente poucas quadras dali. As ser tupi-guarani (itaim significa pedra pequena), sotaque francês fazem homenagens aos três fazem parte da tradi- (como no restaurante Le Coq Hardy). Nas terras da Chácara Itahim ícones do estilo, como cional família "mãos de as diferenças convivem em harmonia, e este é o charme do bairro. Miles Davis e John tesoura" Cassolari, que NATURAL DA TERRA 72 73
  • 66. espalha seus integrantes dessa origem inaugurou Terra primam mais pela por cabeleireiros de luxo da sua sonhada livraria no qualidade que pela quanti- cidade, como o L'Officiel e o Centro da cidade, come- dade. Ainda bem. A Casota L'autre Femme. Mas o çando com uma caixa serve mais de 30 tipos de Cassolari’s não reina sozi- contendo exemplares de doces, sendo os portugue- nho no Itaim. Junto com “Le Petit Prince” e da ses a especilidade da ele, mais de 30 salões de revista “Paris Match”. O casa. O pastel de santa beleza disputam corte a sonho deu cria, e hoje, aos clara é imperdível. corte a clientela do bairro. 110 mil títulos, a livraria abriu uma filial no Itaim. 10. POBRE JUAN 6. BUENA R. Comendador Miguel VISTA CLUB 8. MONTANA Calfat, 525, Itaim Bibi, R. Prof. Atílio Inocenti, GRILL 3845-5424. 780, 3045-5245. Av. Pres. Juscelino Engrossando o time das Se a pedida é não ficar Kubitschek, 816, 3078-0999. churrascarias do Itaim, parado por um segundo O rodízio dos irmãos ser essa vem cheia de tempe- sequer, rume para o tanejos Chitãozinho e ro argentino. Toda e qual- Buena Vista. A pista está Xororó está entre as quer rivalidade com o país sempre animada ao som melhores churrascarias do vizinho é esquecida no de ritmos latinos, como a bairro. E há uma dezena momento em que as sucu- salsa e a merengue. delas, para carnívoro lentas delícias portenhas nenhum reclamar. chegam à mesa. Os pratos 7. LIVRARIA têm preços diferenciados FRANCESA 9. A CASOTA para homens e mulheres (a R. Prof. Atíio Inocenti, 920, Av. Dr. Alceu de porção delas é um pouco 3849-7956. Campos Rodrigues, 527, menor). Destaque para o A história da Livraria 3044- 2906. “ojo” de bife (centro do Francesa remonta ao ano No quesito docerias, os contra-filé) e para o bife de 1947, quando um casal arredores da Natural da “ancho” (contra-filé largo). R. JO ÃO CA CH OE IR A 1 HEK 8 TSC UBI OK R. ELIN BA JUC AV. ND EI 5 RA PA 2 UL R. IS ITSCHEK TA JO AV. JUCELINO KUB R. ÃO CL CA OD CH OM OE AV IR IR . O RI A AM G. R. AZ FA PR ON RI 7 3 OF A AS . LIM AT 4 A ÍL IO IN OC EN TI
  • 67. drinques | FOTOS | ROGÉRIO VOLTAN NATURAL DA TERRA 76 77
  • 68. O MAGO DOS DRINQUES UM DOS BARMAN MAIS INVENTIVOS DO PAÍS, JÔ CRIA COQUETÉIS REFRESCANTES PARA ESTE VERÃO O barman José Josimar Pinheiro Mota, o Jô, é um craque na arte de preparar drin- ques. Como poucos no País, ele executa com máxima perfeição dry martinis, negronis, mojitos e outros clássicos. Mas este cearense de Sobral é insu- perável mesmo na arte de elaborar novos coque- téis, principalmente, com frutas. Jô, que atual- mente balança as coqueteleiras da badalada pizzaria La Gloria, em Moema, criou para a DHARMA 50 ml | de tequila prata 20 ml | de licor de tangerina 1 | pimenta dedo de moça 6 | sementes de cardamomo 1 | colher de açúcar suco de 1/2 limão Club soda para completar 1. Bata muito bem todos os ingredientes, menos as sementes de cardamomo e a pimenta. Sirva em copo long drink ( 300 ml) Natural da Terra algumas receitas exclusivas. e decore com o cardamomo e a pimenta.
  • 69. drinques | BRAHMA 50 ml | de gin 20 ml | de licor de lichia & folhas de manjericão verde 1/2 | carambola madura 1 | colher de açúcar 10 ml | de suco de limão Club soda para completar 1. Bata bem todos os ingredientes, menos o club soda. Sirva em copo tipo caldereta e complete com o club soda & SITA 30 ml | de vodka 20 ml | de malibu suco de 1/2 limão 2 | colheres de açúcar 1/2 | fatia de abacaxi gelo batido gotas de grenadine 1. Bata todos os ingredientes e sirva em uma taça tipo Martini. NATURAL DA TERRA 78
  • 70. IRMÃOS GONÇALVES COM. IND. LTDA. RODOVIA BR 364 - KM 3,5 - LOTE 90 A-2 - JARU RONDÔNIA WWW.FRIGON.COM.BR - FONE: (69) 3571-3424 AV. PRESIDENTE KENEDY, 341 - B. ROCHDALE - OSASCO SP . EMAIL: SIGF18@IG.COM.BR - FONE: (11) 3599-7712
  • 71. destaque | NATURAL DA TERRA 80 81
  • 72. FOTO | DIVULGAÇÃO O PÃO DO TONI F oi com os imigrantes italianos que o panetone chegou ao Brasil. Eles con- tam que a receita está associada a um caso de amor. Em Milão, norte da Itália, por volta do século XV, um A HISTÓRIA DO PANETONE É nobre rapaz teria se apaixonado pela filha de um padei- ro, por sua vez chamado Toni. Na tentativa de conquis- TÃO SABOROSA QUANTO O DOCE tar o sogro, o moço inventou um pão doce no formato de uma cúpula de igreja, o tal do “pão do Toni”. Seja lenda ou verdade, o fato é que o doce ganhou o mundo e hoje Nas três lojas do Natural da Terra você não pode faltar na mesa de Natal. encontra o delicioso Panetone da casa, feito artesanalmente A panificadora do Natural da Terra preparou para este fim de ano uma linha exclusiva de panetones e cho- cotones macios e gostosos. Em todas as lojas da rede você encontra as embalagens de 500g e 1 kg, nos FOTO | CARLOS BABLER sabores tradicional e com gotas de chocolate. Há também um chocoto- ne especial com cobertura de choco- late que... Mamma mia!
  • 73. produtos PARAPARA ARRASAR NAS CEIASFESTA NOVO NOVIDADES ANIMAR A DE NATAL E ANO CANAPÉ FOTO | PEDRO BUENO DE BANDEJA EM DOIS Frutas secas são fundamentais nas TEMPOS festas de fim de ano. Esta bandeja é Que tal servir de entrada uma das várias opções que o Natural um queijo francês da PRONTO da Terra elaborou para você presen- melhor qualidade, pronto PARA ASSAR tear ou servir com praticidade para virar canapé? A A linha comemorativa e charme. Um dos dife- marca de queijo fundido de fim de ano da Sadia tem renciais é o figo seco Rambol, do produtor nada menos que 34 itens. recheado com nozes, Bongrain, já vem nos Destes, uma das mais gos- de dar água na boca. recheios salmão, ervas tosas novidades é o pernil finas e nozes. É só tirar recheado com maçã. A uma lasca e passar no pão, carne suína já vem limpa, fica uma delícia. O impor- temperada e recheada, tador AllFood também pronta para assar e servir. indica essa linha para A peça tem em média 1,2 rechear massas ou tem- kg. Confira também na perar molhos. linha Fiesta da Sadia o peito de peru recheado com escarola e queijo e o BRINDE CHIQUE O presente ficou para a última hora? Esse kit Veuve peito Fiesta recheado com Clicquot Brut com duas taças de cristal é uma ótima lingüiça. O tradicional ten- sugestão. Feito na região de Champagne, França, o der ganhou embalagem Veuve Clicquot “yellow label” tem aroma intenso, com nova, com alça para facili- notas frutadas, de alta qualidade. Envelhecido em barris tar o transporte. de carvalho por no mínimo 30 meses, combina uvas Pinot Noir e Chardonnay, entre outras. É um champa- nhe para todos os momentos. Ideal servir a 10ºC. FOTO | RAUL ZITO FOTO | RAUL ZITO NATURAL DA TERRA 82
  • 74. Parabéns ao grupo Natural da Terra por mais uma conquista. Agora com o lançamento da revista você desfruta de óti- mas dicas para um dia-a-dia mais gostoso e saudável. Não perca nas próximas edições os benefícios e promo- ções especiais para você cliente Visa e Natural da Terra.

×