Sistema construtivo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
10,859
On Slideshare
10,859
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
274
Comments
0
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. INTRODUÇÃO Este trabalho tem como objetivo mostrar os problemas mais comuns naexecução de alvenaria estrutural e como solucioná-los. Além disso, esse projeto de pesquisa mostrará todos os serviços queacontece no levante da alvenaria estrutural, fazendo com que a obra ganhe emqualidade de técnicas e materiais, consequentemente economizando nasperdas desnecessárias. Num primeiro momento esse artigo mostra a fase de projeto ondepoderemos observar a modulação dos blocos estruturais, a compatibilizaçãodas instalações hidráulicas, elétricas, gás dentre outros tipos de instalações, adefinição dos tipos de blocos, locais de aplicação do grout e das armaduras,tipo de laje, se será pré-moldada, maciça ou de outro tipo além de outros itens,para que na fase de execução, o projeto seja lido e entendido pelosprofissionais que irão executar os serviços. O segundo momento desse projeto consiste nas etapas de execução,onde poderemos observar as marcações da alvenaria, dos vãos de portas edas janelas, dentre outras. Pode-se observar sempre que usamosequipamentos que irão auxiliar o profissional tanto na execução horizontal,quanto a execução vertical da alvenaria estrutural armada. Na etapa de execução observa-se a aplicação do grout, os blocos queserão utilizados e onde serão colocados, locais das armaduras, auxiliado,principalmente, pelo projeto de paginação, que também será mostrado nesteartigo.
  • 2. 1- TÉCNICAS DE EXECUÇÃO Há alguns anos a alvenaria estrutural vem sendo usada, porém, foramobservados muitos problemas no seu método construtivo, que acabaram tendoque ser reparados nessas obras. Esses problemas devem-se a mão de obra não especializada ou semconhecimentos necessários, materiais sem qualidade ou usados erroneamente,isso tudo porque não existiam pesquisas profundas, direcionadas a esseassunto. A indústria de construção civil no Brasil está numa fase bastantefavorável e vem crescendo cada vez mais, juntamente com a inserção denovos sistemas construtivos e é urgente que se usem tecnologias inovadoras,proporcionando qualidade e ao mesmo tempo, menor custo que os sistemasconstrutivos convencionais aplicados no país. Destes sistemas, a alvenaria éum processo construtivo presente em todas as regiões, tendo seu uso comovedação ou como estrutura, a chamada alvenaria estrutural. A alvenaria estrutural armada é um processo construtivo bem importantepara quem quer economia e agilidade na sua obra. Infelizmente esse processoconstrutivo não é tão bem discutido, principalmente os métodos deconstrutibilidade que podem fazer com que este método seja mais econômico emais rápido que o método construtivo convencional, logo este ultimo acabasendo mais usado. Está havendo um uso crescente do sistema, o que indica seu sucessobaseado na competitividade quanto aos custos, em comparação com o sistematradicional ou convencional de construções de edifícios. Além disso, essesistema está sendo usado em obras de alto padrão o que dá uma visãototalmente contrária da que havia antigamente onde se via que o sistema sóseria viável em construções habitacionais populares. O desenvolvimento dastécnicas de projeto estrutural e o aprimoramento de seu nível de detalhamento,certamente têm contribuído para a consolidação deste cenário de crescimentodo uso do sistema embora, muito ainda precisa ser feito em termos depesquisa e divulgação das experiências bem sucedidas na área para que aalvenaria estrutural de blocos de concreto atinja uma fatia de mercadocompatível com suas potencialidades. Uma vantagem do sistema construtivo, por exemplo, se deve ao fato daalvenaria cumprir as funções de estrutura e vedação, fazendo com que hajauma redução significativa nas etapas e no tempo de execução da alvenariaestrutural, já que toda a estrutura convencional é eliminada, dentre outrasvantagens que são obtidas pela redução na espessura dos revestimentosinternos e externos, pela redução ou eliminação de fôrmas de madeira e demão de obra de carpinteiros e pela possibilidade de se trabalhar com soluçõescombinadas e sistêmicas, como, por exemplo, kits hidráulicos ou kits detelhados. A alvenaria estrutural integra fortemente a fase de projeto e a deprodução e é um método construtivo completo que racionaliza, suporta eorganiza os demais subsistemas de uma edificação. Houve uma experiência de levante de alvenaria estrutural, onde umaquantidade de paredes era fiscalizada com pessoal especializado e outroconjunto de paredes foi executado sem qualquer fiscalização, onde se concluiuque as paredes construídas sem fiscalização apresentaram resistências de
  • 3. 55% a 62% menores do que aquelas construídas com fiscalização. Essaexperiência mostra que a fiscalização do levante de alvenaria estrutural não ésó importante para que haja uma maior economia e agilidade,consequentemente, com esse cuidado, a segurança da alvenaria estarágarantida.2 - ASPECTOS GERAIS DA ALVENARIA ESTRUTURAL2.1 – DEFINIÇÃO A alvenaria estrutural é o processo construtivo onde a própria alvenariadesempenha a função estrutural, onde a mesma é projetada, dimensionada eexecutada de forma racional, a fim de evitar o máximo de desperdício naexecução.2.2 – CLASSIFICAÇÃOA alvenaria estrutural pode ser classificada em:a) Alvenaria estrutural armada, onde as paredes são constituídas de blocosassentados com argamassa, e suas cavidades são preenchidas com grout eenvolve aço suficiente para absorver os esforços calculados;b) Alvenaria estrutural não armada, onde as armaduras existem apenas paraprevenir de fissuras e outros problemas patológicos, não absorvendo esforçoscalculados;c) Alvenaria estrutural protendida, onde existe uma armadura ativa de açocontida no elemento resistente. Neste artigo será estudada apenas a alvenariaestrutural armada, pois é o sistema construtivo, dentro das citadas, que é amais trabalhada hoje em dia no Brasil.2.3 - VANTAGENS E DESVANTAGENS Desde que a alvenaria estrutural armada voltou a ser usadamaciçamente nos anos 80, pôde-se observar as vantagens e as desvantagensnesse sistema construtivo, se comparado com o sistema construtivoconvencional. Devido à simplificação das técnicas de execução, à economia de formase escoramentos e na redução de mão de obra de carpintaria a execução emalvenaria estrutural armada pode levar a uma economia entre 10% e 30% docusto estrutural. A maior agilidade na execução é evidente devido à simplificação dastécnicas executivas, que veremos mais adiante. Em obras sem equipamentos de içamento, podem ser utilizados pré-moldados leves como escada tipo jacaré (face inferior em forma de degraus,igual à face superior), contra marcos em concreto, vergas e lajes pré-moldadasem minipainéis. Já em obras que tem esse tipo de equipamento (exemplo:gruas), pode-se usar pré-moldados pesados, além de viabilizar o transporte depallets. As maiores desvantagens desse sistema estrutural consistem nalimitação arquitetônica de obras arrojadas e na impossibilidade de possíveisadaptações arquitetônicas para o proprietário, já que a alvenaria é a própria
  • 4. estrutura, não podendo derrubar uma parede para aumentar um cômodo, porexemplo. Considera-se economicamente viável a aplicação do sistema dealvenaria estrutural em edificações com até 15 pavimentos (em torno de 35metros de altura), onde, a partir daí, é recomendável efetuar estudoscomparativos com a estrutura convencional de concreto armado.2.4 – COMPONENTES Os principais componentes usados numa alvenaria estrutural armadasão os blocos de concreto, a argamassa, o grout e as armaduras onde, no casoda alvenaria armada. Outro elemento importante, geralmente pré-fabricado ouexecutado com blocos “U” são as vergas.2.4.1 - BLOCOS DE CONCRETO Os blocos para alvenaria estrutural devem atender a todos os requisitosda norma NBR 6136 e é um elemento importante do sistema, pois, junto com aargamassa, é quem resiste aos esforços solicitantes. Os blocos são vibrados eprensados, constituídos de mistura entre cimento Portland, agregados e água,onde devem ter característica homogênea, não deve apresentar trincas oufissuras, as arestas devem ser bem regulares e a superfície suficientementeáspera para garantir uma boa aderência para o revestimento. Os blocos podem ser classificados em blocos modulares e não-modulares, onde os primeiros têm o comprimento igual a duas vezes a larguramais a junta, o que facilita na coordenação de projeto, evitando desperdício nocanteiro. Na tabela 1 os principais blocos estruturais utilizados na alvenariaestrutural.Dimensões: 19 x 19 x 14 cm Dimensões: 14x 19 x 09 x 19 cmDimensões: 24 x 19 x 14 cmDimensões: 04 x 14 x 19 cmDimensões:34 x 19 x 14 cm Dimensões: 09 x 14 x 19 cmDimensões:39 x 19 x 14 cm Dimensões: 14 x 19 x 19 cmDimensões: 54 x 19 x 14 cmDimensões: 14 x 19 x 09 cmTabela 1 - Principais blocos da alvenaria estruturalFonte: /www.maski.com.br/blocos-de-concreto-linha-estrutural.html#desce2.4.2 – ARGAMASSA A argamassa une os blocos, veda o conjunto, compensa imperfeições,distribui cargas e absorve pequenas deformações, boa trabalhabilidade ecapacidade de reter água sem alterar as suas funções primárias, apresentaraumento de resistência significativo nas primeiras horas para resistir aosesforços da própria construção, adequada aderência para absorver esforços decisalhamento, durável, não interferir na durabilidade dos outros materiais ebaixo valor de deformação.
  • 5. 2.4.3 – GROUT O grout é um concreto fino, constituído de cimento, água e agregados,com elevada fluidez para que possa preencher os vazios dos blocos. Ajuda aaumentar a resistência da parede contra os esforços de compressão. A resistência será determinada pelo calculista e deve ser duas vezesmaior que a resistência do bloco e deve seguir à norma NBR 10837.2.4.4 – ARMADURA O aço é envolvido pelo grout, combate os esforços de tração. É usadotambém para “amarração” das paredes, porém, esse segundo fator de uso nãoé aconselhável, já que sua verificação é difícil e é melhor usar a “amarração”entre os blocos.2.5 - FASE DE EXECUÇÃO A alvenaria estrutural requer precisão, equipamentos e ferramentasadequadas na sua execução. O canteiro também deve ser planejado,organizado e preparado para conter centrais de produção e estoque, a fim defacilitar o transporte horizontal e vertical. As ferramentas para execução de uma alvenaria estrutural são: colherde pedreiro, fio traçante, esticador de linha, broxa, esquadro, régua técnicaprumo-nível, nível a laser ou alemão, escantilhão, argamassadeira, carrinhoporta-argamassadeira, andaime metálico, carrinho “paleteiro”, carrinho“jericão”, bisnaga, palheta e funil para grout.2.6 - MARCAÇÃO Para começar a marcação deve-se identificar o nível mais alto da laje,com o auxílio do nível alemão, assentado assim o bloco de referência do nível.Deve-se lembrar que todo o assentamento da alvenaria estrutural contém umcentímetro de junta, tanto horizontal quanto vertical. Em seguida marca-se os eixos de locação com o fio traçante, tendo emmãos o projeto de primeira fiada. Com isso, assentam-se os blocosestratégicos, localizados nos cantos e encontros de paredes. É importante quea marcação utilize as cotas acumuladas, de projeto. Já se tem o nível e os eixos de locação marcados na laje, então, oresponsável pela marcação deve verificar o esquadro. Lembrando que, no casoda marcação da primeira laje-tipo sobre uma estrutura de transição oubaldrame, com as visitas que podem ser deixadas na laje ou com o auxílio detrenas, determinado-se por baixo da laje o posicionamento das vigas. Nestemomento, seria aconselhável usar aparelhos a laser, que emitem feixesverticais, ganhando tempo na execução deste serviço. Esticando a linha, na parte superior dos blocos de referência, permite-sea alinhamento e nivelamento dos blocos de primeira fiada, onde com o auxílio
  • 6. de uma broxa, molha-se a superfície que ficará em contato com a argamassada primeira fiada, com o intuito também de limpar a mesma. Após o molhamento da superfície, com o auxílio de uma colher depedreiro, espalha-se a argamassa de assentamento, assenta e nivela os blocosda primeira fiada, esticando novamente a linha e utilizando a régua técnica. Após o assentamento de toda a primeira fiada da alvenaria estrutural,deve distribuir os escantilhões nos cantos da alvenaria, assentado eaprumando-os, para que o esteja no mesmo nível da primeira fiada, assim, asdemais fiadas estarão niveladas como a primeira. Para garantir o prumo do edifício, deve-se fixar um sarrafo, geralmentede madeira, nos cantos do pavimento em execução, amarra-se o arame comum bloco de concreto, garantindo um fio de prumo bem esticado.3 – TIPOS DE SISTEMAS CONSTRUTIVOSPré-fabricados de concreto Sistema onde estacas, vigas, pilares, laje e paredes podem serentregues prontas para a montagem no canteiro de obras, o que pode reduzir otempo de execução da estrutura física da obra em até 50% - as fundaçõessempre recebem cuidados especiais. Utilizamos o sistema pré-moldadoprincipalmente em obra industriais, associado com estruturas metálicas paracoberturas. Também estamos utilizando lajes pré-moldadas de concretojuntamente com alvenaria estrutural.Estruturas metálicas Sistema bastante utilizado em construções industriais, baseado emestruturas de aço resistentes, fabricadas e montadas por profissionaisespecializados. A construção com o uso de estruturas metálicas apresenta umasérie de vantagens, entre elas:  Agilidade da execução da obra, pois precisa de menos tempo de fabricação e montagem;  Não há geração de entulhos como escoramento e fôrmas, deixando a obra mais limpa;
  • 7.  Por serem resistentes, as peças são menores, mais fáceis de transportar e de manusear;  Pode ser desmontada e transferida para outro local, sendo reaproveitada sem problemas;  Facilita o reforço em caso de haver necessidade de aumento de carga, podendo receber o acréscimo de uma chapa em uma viga ou coluna;  É resistente à corrosão atmosférica, desde que alguns cuidados sejam tomados.Alvenaria estrutural Sistema que simplifica o processo construtivo, reduzindo etapas e mão-de-obra, com consequente redução do tempo de execução.É possível trabalhar com a montagem e o teste prévio dos projetos antes dainstalação final, o que evita desperdícios e improvisos.Estruturas convencionais com escoramentos metálicos O sistema substitui, com vantagens, o uso de escoramentos em madeiranas obras, com redução de resíduos e prática mais sustentável. Conheça os tipos mais usados de escoramento:Escora e Perfis: composto por escoras, que servirão de postes de apoio paraos perfis primários (guias) e barroteados com perfis secundários.Escoras e perfis de encaixe: consiste na montagem de perfis metálicos quese encaixam entre si, sobre as escoras. Pode ser usado em lajes maciças,porém é o mais indicado quando as lajes são nervuradas, com cubas.Torres de carga: destinadas às obras com pé direito alto ou escoramentospesados, onde o uso de escoras não proporcionará a estabilidade necessária.Quando a obra permitir, as torres de cargas poderão ser mescladas comescoras, gerando ganho na produtividade e menor custo no valor doescoramento.Torre de tubo e braçadeira: são os equipamentos mais utilizados eadequados para a montagem de andaimes de acesso. As torres de encaixerápido têm maior flexibilidade na montagem, porém o seu custo é alto. Astorres de tubo e braçadeira são indicadas somente para escoramentos onde oespaço para montagem é restrito, ou quando as cargas sobre o escoramentoultrapassam as cargas admissíveis das torres normais.Sistema Deck: é o mais moderno sistema de fôrmas para laje do mundo,proporcionando resultados excepcionais no aumento da produtividade e naqualidade do acabamento de estruturas. É indicado para escoramentos de lajeplanas ou que possuem poucas vigas.Treliças: são peças treliçadas apoiadas nas laterais de fôrma de viga, sobre asquais é posicionado o barroteamento secundário das lajes. É indicado quandonão é possível, ou desejável, que o apoio do escoramento das lajes saia
  • 8. diretamente do chão e são bastante utilizadas para fazer vãos para passagemde pedestre ou veículos.4 – INDICADORES Alguns indicadores podem ser utilizados para balizar as decisões e ogerenciamento de um empreendimento em alvenaria estrutural, e tambémmedir o nível de racionalização do processo. Um deles é a produtividade, quetem como principal função integrar um sistema de informações que permitaamparar decisões futuras. Essa informação é importante nas fases de projeto eplanejamento do empreendimento, mas é fundamental mesmo na fase deprodução, permitindo um adequado gerenciamento das equipes, atividades ecronograma de obra. O indicador de produtividade permite ao empreendedor analisartendências, desenvolver ações de motivação, conscientização e sensibilizaçãoda mão de obra, aperfeiçoar ou desenvolver os métodos construtivos e prevero consumo de mão de obra e a duração dos serviços.As informações para cálculo e análise da produtividade podem ser obtidasatravés de observação contínua das equipes, informações fornecidas pelosencarregados e dados da folha de pagamento. A produtividade pode serexpressa por períodos, podendo ser diária, cumulativa, potencial, por ciclo etc.A produtividade na alvenaria estrutural é expressa por m² x homem / diaou m²/ dia, onde se mede a quantidade de trabalho realizada por um homemou por uma equipe em um período de tempo. Dessa forma, por exemplo, umoperário com produtividade de 8 m² x homem / dia significa que um homemexecuta 8 m² em um dia.Outra forma de expressar a produtividade é através da Razão Unitária deProdução (RUP), que é dada por:RUP = Hh QsOnde:Hh = homens-hora da equipe disponíveis para otrabalhoQs = quantidade de serviço líquidaFonte: Prof. Dr. Ubiraci EspinelliNo caso da alvenaria estrutural, a RUP é dada por Hh/m², o que significa aquantidade de homens-hora necessária para a realização de um m² dealvenaria. Assim, uma RUP de 3,5 significa que são necessárias 3,5 homem-horas para a realização de 1 m² de alvenaria. Portanto, quanto mais alta aRUP, pior é a produtividade da equipe, ou seja, são necessárias mais horas-homem para executar determinado serviço.Diversos fatores podem gerar a variação da RUP, sendo que o gerente da obradeve estar atento a eles:Fatores ligados ao contexto:Condições meteorológicasFormação e tamanho da equipeMotivação do pessoal
  • 9. Forma de pagamento Tipo de equipamento de transporte etc. Fatores ligados a anormalidades: Chuva torrencial Falta de material Falta de instrução Falta de equipamento Falta de frente de trabalho etc. Assim, é de extrema importância analisar continuamente as variações da RUP, de forma que se possa identificar e eliminar possíveis "gargalos" na produção. O gráfico a seguir apresenta um exemplo de acompanhamento de produtividade:Item O que deve ser consideradoTerreno O custo do terreno e os custos de possíveis intervenções mediante sua condição (corte e aterro, muros de arrimo, fundações reforçadas etc.)Tipologia Número de unidades, de torres, de pavimentos, de unidades por pavimento, área útil, área do pavimento, área do empreendimento, áreas comuns etc.Prazo de Quanto menor o prazo de entrega, maiores serão os custos devidos àexecução adoção de práticas que visam acelerar o processo construtivo, incluindo, por exemplo, a contratação de mais mão de obra, utilização de equipamentos de maior custo e materiais com mais tecnologia.Produtividade Ela determina os prazos de compra e entrega de materiais e, no caso da alvenaria estrutural, está diretamente ligada à remuneração da equipe.Custos diretos Materiais: além dos insumos básicos, conta muito o padrão de acabamento do imóvel. Equipamentos: há diversas opções e custos bem variados. Em geral, os equipamentos que mais impactam no custo são os de transporte vertical e horizontal, corte de blocos, preparação / mistura de argamassa e graute e aqueles utilizados para fabricação de elementos pré-moldados em canteiro. Para garantir o melhor custo x benefício, é necessário avaliar quais são as melhores opções para cada empreendimento. Mão de obra: há uma grande diferença entre os custos com mão de obra própria e a contratação de empreiteiros. Alguns itens devem ser levados em conta: salários e benefícios, gratificações, impostos, despesas com transporte e alimentação, dias parados, treinamentos, custos de recrutamento etc. Outro fator é o rateio das despesas com profissionais que atendem a mais de uma obra, como ocorre com os engenheiros. Despesas administrativas: devem ser considerados os custos com pessoal
  • 10. administrativo, instalações provisórias e canteiro, consumos de água, luz, impostos, elementos de segurança (EPI, bandejas, telas etc.), entre outros. Neste último item, a alvenaria leva bastante vantagem, pois a obra já sobe com o fechamento lateralCustos indiretos Custos com bonificação / lucro e custos relativos ao escritório central da(BDI) construtora (principalmente em obras mais lentas).Marketing e Custos com divulgação, estande de vendas e apartamentos decorados.comercializaçãoManutenção As despesas posteriores à entrega da obra podem ser significativas. Às vezes, um material mais barato que diminuiu o custo da obra gera defeitos e manutenções onerosas à construtora. Dados médios dessa natureza apresentam valores de 1% a 3% do valor da obra. A alvenaria estrutural apresenta custos 50% inferiores ao processo convencional devido ao menor número de interfaces de materiais Análise de viabilidade CONCLUSÃO
  • 11. Este artigo procurou mostrar que a alvenaria estrutural tem que serentendida como um sistema construtivo completo e não apenas uma formamais econômica de se construir estruturas. A mão-de-obra especializada, equipamentos e materiais de qualidade, aorganização no canteiro de obras para a entrada dos materiais na mesma e alocomoção para o local que será utilizada, são fatores que contribuem parauma execução da alvenaria estrutural mais segura econômica, rápida e eficaz. A criação de uma norma brasileira direcionada para a execução dealvenaria estrutural, seja ela armada ou não armada, facilitaria a vida dosprofissionais da área, já que poderia se basear numa normatização quemostraria a maneira mais correta de executar o serviço, evitado usar dois oumais métodos, o que faria com que o serviço não atendesse à finalidade de sero mais econômico, seguro e rápido possível. Para executar a alvenaria estrutural temos que ter em mãos os projetosde paginação, 1ª fiada e 2ª fiada, e os mesmos contenham o máximo deinformações possíveis, como tipos de blocos e onde colocá-los, bitolas e locaisdos aços (para alvenaria armada), traços das argamassas e grout, dentreoutras que facilitem a leitura, controle e execução do serviço dos profissionais. Garantindo que todos os passos dos serviços mostrados nesse artigosejam executados de maneira correta, com certeza a obra atenderá osrequisitos primordiais que toda construtora ou empresa do ramo desejam quesão a segurança, economia, prazo e eficiência.BIBLIOGRAFIAhttp://www.comunidadedaconstrucao.com.br/sistemas-construtivos/1/indicadores/viabilidade/4/indicadores.htmlhttp://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/28589/000769183.pdf?sequence=1blog: http://info.ucsal.br/banmon/Arquivos/Mono3_0134.pdfblog: http://engenharia.anhembi.br/tcc-07/civil-09.pdf