MÁRIO AMARAL - Diretor Geral da Europac & Kraft Viana, SA

1,963 views
1,780 views

Published on

É licenciado em Engenharia Química pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e possui um bacharelato em Gestão pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo, tendo também integrado o Programa de Direção de Empresas pelo AESE (Escola de Direção e Negócios). Em 1985 foi admitido na Portucel Viana (anterior denominação da Europac Kraft Viana) para a área de Estudos e Controlo do Processo, sendo, atualmente, o Diretor-geral e Administrador da empresa e Administrador da Europac Energia Viana. Foi Gerente da Celpap e Celnave (empresa operadora portuária e agência de navegação no porto de Viana do Castelo) entre 2001 e 2010. Foi docente da disciplina Gestão da Produção, do Curso de Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, entre 2001 e 2005. De 1983 a 1985 desenvolveu atividades na têxtil Melo & Gonçalves, do grupo Manuel Gonçalves.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,963
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
40
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

MÁRIO AMARAL - Diretor Geral da Europac & Kraft Viana, SA

  1. 1. Papel e energia:um casamento perfeito Mário Amaral Europac Kraft Viana
  2. 2. Papel e energia: um casamento perfeito
  3. 3. Papel e energia: um casamento perfeito
  4. 4. Papel e energia: um casamento perfeito
  5. 5. Papel e energia: um casamento perfeito
  6. 6. Papel e energia: um casamento perfeitoCOMPLEXO INDUSTRIAL DE VIANA DO CASTELO
  7. 7. Papel e energia: um casamento perfeitoPorquê energia? fazer mais com menos
  8. 8. Papel e energia: um casamento perfeitoPorquê energia? em menosmais com menos fazer tempo, mas a tempo
  9. 9. Papel e energia: um casamento perfeitoPorquê energia?com segurança e menores mas a tempo em menos tempo, impactos ambientais
  10. 10. Papel e energia: um casamento perfeitoPorquê energia? assegurando a sustentabilidade dos recursoscom segurança e menores impactos ambientais utilizados
  11. 11. Papel e energia: um casamento perfeitoPorquê energia? em suma assegurando a sustentabilidade COMPETITIVIDADE dos recursos utilizados
  12. 12. Papel e energia: um casamento perfeitoPapel e energia: um casamento perfeito?
  13. 13. Papel e energia: um casamento perfeitoPapel e energia: um casamento perfeito? 800.000 m3/ano 140.000 t/ano
  14. 14. Papel e energia: um casamento perfeitoPapel e energia: um casamento perfeito? Pasta de celulose Solução rica em lenhina Biomassa
  15. 15. Papel e energia: um casamento perfeitoPapel e energia: um casamento perfeito? Pasta de celulose Solução rica em lenhina Biomassa
  16. 16. Papel e energia: um casamento perfeitoPapel e energia: um casamento perfeito? Valorização energética produção de energia elétrica e térmica necessárias para o processo de fabrico do papel Solução rica em lenhina Biomassa
  17. 17. Papel e energia: um casamento perfeitoPapel e energia: um casamento perfeito? Valorização energética Matéria-prima produção de energia elétrica natural, renovável e gera resíduos que podem ser térmica necessárias para o processo de fabrico do papel valorizados energeticamente Solução rica em lenhina Biomassa
  18. 18. Papel e energia: um casamento perfeitoPapel e energia: um casamento perfeito?
  19. 19. Papel e energia: um casamento perfeitoMWh Evolução do consumo e produção de energia: 1974 - 2004250,000200,000150,000100,000 50,000 a) 50% das necessidades de energia elétrica dependentes do exterior b) Forte dependência do fuelóleo na produção de energia elétrica 0 1976 1980 1984 1974 1975 1977 1978 1979 1981 1982 1983 1985 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 Consumo (MWh) Produção (MWh)
  20. 20. Papel e energia: um casamento perfeitoPlano de desenvolvimento no final dos anos 90 garantir a autossuficiência energética
  21. 21. Papel e energia: um casamento perfeitoPlano de desenvolvimento no final dos anos 90 garantir a autossuficiência energética incrementar a produção de papel
  22. 22. Papel e energia: um casamento perfeitoPlano de desenvolvimento no final dos anos 90 minimizar o recurso a combustíveis fósseis incrementar a produção de papel
  23. 23. Papel e energia: um casamento perfeitoPlano de desenvolvimento no final dos anos 90 minimizar o recurso a combustíveis fósseis minimizar os impactos ambientais
  24. 24. Papel e energia: um casamento perfeitoPlano de desenvolvimento no final dos anos 90 nasce a minimizar os impactos ambientais
  25. 25. Papel e energia: um casamento perfeitoPlano de desenvolvimento no final dos anos 90 demorou nove anos a implementar Fevereiro de 2002 a Outubro 2010
  26. 26. Papel e energia: um casamento perfeitoPlano de desenvolvimento no final dos anos 90 demorou nove anos a implementar o volume de investimento atingiu os 150 M€ Fevereiro de 2002 a Outubro 2010
  27. 27. Papel e energia: um casamento perfeito Principais marcosFevereiro 2002: Turbina a Vapor Siemens (26,5 MW)
  28. 28. Papel e energia: um casamento perfeito Principais marcosFevereiro 2002: Turbina a de Biomassa (40 MWt) Agosto 2006: Caldeira Vapor Siemens (26,5 MW)
  29. 29. Papel e energia: um casamento perfeito Principais marcos Abril 2005 Central de Cogeração nº1 (turbina Rolls-Royce - 30,3 MW) Outubro 2010Central de Cogeração nº 2 (turbina Rolls-Royce - 30,4 MW + turbina a vapor MAN – 10,5 MW) Agosto 2006: Caldeira de Biomassa (40 MWt)
  30. 30. Papel e energia: um casamento perfeitoA atualidadePotência instalada: 95 MW Conseguida a autossuficiência Produção de energiaelétrica supera o consumo anual do concelho de Viana do Castelo
  31. 31. Papel e energia: um casamento perfeitoA atualidadeEuropac Energia Vianaproduz 1,4% da energiaelétrica consumida em PortugalPortugal importa 5% da energia elétrica que consome
  32. 32. Papel e energia: um casamento perfeito A atualidadeRedução da dependência de combustíveis fosseis
  33. 33. Papel e energia: um casamento perfeito A atualidade Redução da emissão deCO2 por tonelada de papel produzido
  34. 34. Papel e energia: um casamento perfeitoO complexo industrial da Europac assume-se hoje como um participante ativo no seio do cenário elétrico nacional
  35. 35. Papel e energia: um casamento perfeito A Europac Energia Viana assume-se hoje como um participante ativo no seio do cenário elétrico nacional produz em Viana do Castelo 1,4% da energia elétricaconsumida em Portugal, sabendo que o país importa 5% da energia de que necessita
  36. 36. Papel e energia: um casamento perfeitoe 350.000 toneladas de papel, das quais exporta cerca de 90% produz em Viana do Castelo 1,4% da energia elétrica consumida em Portugal, sabendo que o país importa 5% da energia de que necessita
  37. 37. Papel e energia: um casamento perfeitoe 350.000 toneladas de papel das quais exporta cerca de 90 %Utiliza predominantemente na produção de energia térmica e elétrica resíduos e sub-produtos da transformação da madeira em papel
  38. 38. Papel e energia: um casamento perfeito o que lhe permite reduzir a dependência de combustiveisfosseis e as emissões de CO2 por tonelada de papel produzidoUtiliza predominantemente na produção de energia térmica e elétrica resíduos e sub-produtos da transformação da madeira em papel
  39. 39. Papel e energia: um casamento perfeito o que lhe permite reduzir a dependência de combustiveisfosseis e as emissões de CO2 por tonelada de papel produzido
  40. 40. Papel e energia: um casamento perfeito

×