Os investigadores e a sua relação com o Acesso Aberto à produção científica: o caso do ISCTE-IUL
Sexo
Docente
35%

143 Res...
Os investigadores e a sua relação com o Acesso Aberto à produção científica: o caso do ISCTE-IUL
Sexo
Docente
35%

143 Res...
Os investigadores e a sua relação com o Acesso Aberto à produção científica: o caso do ISCTE-IUL
Sexo
Docente
35%

143 Res...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Os investigadores e a sua relação com o Acesso Aberto à produção científica: o caso do ISCTE-IUL

215

Published on

Poster apresentado CONFOA 2013 (06 a 09 de outubro de 2013 - Sao Paulo, SP, Brasil) - Teresa Maria Segurado, Maria João Amante, Bruno Marçal, Carina Cunha

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
215
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Os investigadores e a sua relação com o Acesso Aberto à produção científica: o caso do ISCTE-IUL

  1. 1. Os investigadores e a sua relação com o Acesso Aberto à produção científica: o caso do ISCTE-IUL Sexo Docente 35% 143 Respondentes Idade 51-60 12% > 60 2% Masculino 36% ISCTE-IUL ≤ 30 20% O ISCTE-IUL caracteriza-se por ser uma research university, contando com 9 centros de investigação avaliados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, contando com um total de 1056 membros: 330 professores, 110 investigadores doutorados a tempo inteiro (18% dos quais de outros países), e 616 investigadores diversos, nomeadamente doutorandos, assistentes de investigação, entre outros. 41-50 27% Investigador 65% Feminino 64% 31-40 39% Repositório ISCTE-IUL Projetos ativos A informação presente neste poster provem de um questionário aplicado a todos os docentes e investigadores da instituição. Foram preenchidos 143 válidos na sua maioria por parte de investigadores bolseiros de doutoramento e pós-doc. Relativamente aos docentes a sua grande maioria diz respeito a professores auxiliares. Existe igualmente uma maior predominância de respostas por parte do sexo feminino e no que respeita à idade é a faixa entre os 31 e os 40 anos que obteve uma maior representatividade. 7º ProgramaQuadro da Comissão Europeia 60 Financiados pela FCT 50 40 30 Outros projetos 60 50 60 20 10 40 30 30 20 Investigadores 1000 51 5 23 10 18 Investigadores Visão sobre o Acesso Aberto Sim 17% 397 400 0 Coordenadores 200 Investigadores Não 83% Sabia que o ISCTE-IUL tem uma política de acesso aberto à produção científica? Sim 24,5% Concordo 21,7% Não cumpro de todo 5,7% Cumpro Se sim, parcialmente cumpre? 11,4% Cumpro integralmente e concordo 80% Cumpro integralmente mas discordo 2,9% Não 75,5% Prática de Acesso Aberto Já disponibilizou alguma das suas publicações em acesso aberto? De 1 a 5 / ano 76,9% Principais motivos para proceder ao depósito em repositórios institucionais/temáticos Aumenta a visibilidade e o impacto (citações) da investigação 86% Aumenta a rapidez de disseminação dos resultados da investigação 80,4% É uma forma de preservar a minha produção científica 42,7% Publico em revistas científicas em acesso aberto 31,5% O processo de depósito é rápido e simples 2010 2011 2012 2013 Downloads por ano 1000000 874419 Qual é a forma mais fácil de satisfazer os requisitos de uma política obrigatória de acesso aberto? E se o ISCTE-IUL aprovasse uma política obrigatória (mandato)? 625597 400000 214172 200000 0 2010 Não sei / Sem opinião Downloads 53,1% Publicar em revistas científicas de acesso aberto 7.346 14,7% Depositar uma cópia do artigo/documento num repositório institucional/temático 45% 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 24,5% 6.888 20% 40% 60% Principais motivos para não depositar num repositório institucional/temático 5.507 5.462 5.192 5.133 4.299 4.053 39,2% 37,1% 35,7% Falta de conhecimento sobre as políticas de depósito dos editores 19,6% Através do depósito no repositório do ISCTE-IUL 14,7% Através do Através da Através do Numa depósito num publicação numa depósito num plataforma de repositório em revista em repositório em partilha de acesso aberto acesso aberto acesso aberto e conteúdos da publicação científicos numa revista em (Academia.edu, acesso aberto …) 32,2% Receio de violar os direitos de autor 31,5% Falta de conhecimentos técnicos e formação no uso do sistema 2012 2013 Falta de conhecimento sobre o carácter obrigatório das políticas institucionais 25,2% Falta de tempo para realizar o depósito 23,8% 4.017 Título / Autor Práticas de gestão de recursos humanos e atitudes e comportamentos de trabalho: estudo de caso no sector bancário português / Maria Teresa Fortunato Pereira Esteves Indicadores económico-financeiros: os impactos da alteração normativa em Portugal / Carina Fabíola Gonçalves da Encarnação Impacto da relação cidadão-sistema de triagem de Manchester na requalificação das urgências do SMS / Carla Silva Diogo Plano de comunicação interna para a Sonae Sierra / Ana Margarida Mesquita Martins dos Santos Baptista Alinhamento entre gestão de pessoas e estratégia organizacional: um estudo de caso em uma empresa pública brasileira / Margarida Maria de Medeiros Benigno Moreira Angola: o papel e contributo do sector dos petróleos de Angola no desenvolvimento sócio-económico do país. Desafios e expectativas (1975 – 2005) / Luís Fernando da Costa Walter Criação e validação de um questionário de satisfação com a avaliação de desempenho / Gabriela Maria Rodrigues Lima Avaliação da eficácia da formação profissional: factores que afectam a transferência da formação para o local de trabalho / Ana Raquel Ribeiro Velada The Balanced Scorecard in a pharmaceutical company / Rui Manuel Gonçalves Janota Inteligência emocional: o diferencial nas organizações educacionais competitivas / Joseney Sprea 30,8% 18,9% Não 2011 Documentos com mais downloads em 2013 7,7% Combinar a publicação em revistas de acesso aberto e o depósito de artigos/documentos num repositório institucional/temático 0% Menos de 1 / ano 19,6% De 6 a 12 / ano 3,5% 2009 600000 Os respondentes manifestam um desconhecimento muito acentuado relativamente ao projeto OpenAIRE mas, na sua maioria, concordam com a política europeia relativa ao Acesso Livre ao conhecimento muito embora um número elevado de respostas refere não ter qualquer opinião sobre a mesma. No domínio nacional, a esmagadora maioria dos respondentes concorda com uma eventual política/mandato relativamente ao Acesso Aberto implementado pela FCT sendo que 82,5% cumpriria integralmente sem qualquer objeção. Existe igualmente um desconhecimento da política institucional relativamente ao Acesso Aberto mas os que têm conhecimento da mesma, na sua maioria cumpre integralmente e concorda. Número anual de publicações 0 800000 Como reagiria perante um mandato de acesso aberto implementado pela FCT Concorda com uma eventual política/mandat o de Acesso Aberto da FCT plenamente 38,5% Opinião sobre a política europeia 536 600 822672* Discordo 1,3% Concordo Sem opinião 38,5% 880 800 Relativamente à participação, nos últimos 5 anos, em projetos foi possível apurar que é nos projetos financiados pela FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia que se verificou uma maior participação (72,7%), seguido de Outros projetos (57,3%) e, por fim, com uma menor participação surgem os projetos financiados no âmbito do 7º PQ (23,8%). Os gráficos acima ilustram o número de coordenadores e investigadores com projetos ativos distribuídos por: projetos financiados pela FCT– Fundação para a Ciência e a Tecnologia, projetos ao abrigo do 7º Programa-Quadro da Comissão Europeia, e outros projetos. Conhece o OpenAIRE? 1.221* 1.112 1200 0 Coordenadores Documentos depositados por ano 40 Coordenadores 0 21 202 4923 1400 10 19 Número de Comunidades Número de Coleções Número de Documentos 50 20 59 Informação geral 20,3% Relativamente à produção científica e à sua disponibilização em Acesso Aberto podemos constatar que a grande maioria dos respondentes publica entre 1 a 5 documentos por ano e quando o faz em acesso aberto privilegia o Repositório ISCTEIUL, plataformas de partilhas e conteúdos científicos e revistas em Acesso Aberto. Contudo, quase 19% afirma nunca ter partilhado a sua produção em Acesso Aberto. O aumento da visibilidade da investigação ou a rapidez de disseminação dos resultados da investigação são os principais fatores de motivação para o depósito de documentos em repositórios institucionais enquanto a falta de conhecimento sobre as políticas de depósito dos editores ou o receio de violar direitos de autor são os argumentos mais dissuasores para o depósito da produção cientifica em Acesso Aberto. Os Serviços de Informação e Documentação do ISCTE-IUL vão associar-se mais uma vez às atividades da Semana Internacional do Open Access (21-27 Outubro 2013). Mais informações disponíveis brevemente em: http://biblioteca.iscte-iul.pt * Depósitos realizados até ao dia 10/09/2013 Carreira 3.999 Quem nos procura Para mais informações consulte *Downloads realizados até ao dia 10/09/2013 Quem respondeu Bruno Marçal [ISCTE-IUL, bruno.marcal@iscte.pt; Maria João Amante [ISCTE-IUL, maria.amante@iscte.pt Teresa Segurado [ISCTE-IUL, teresa.segurado@iscte.pt; Carina Cunha [ISCTE-IUL, carina.cunha@iscte.pt
  2. 2. Os investigadores e a sua relação com o Acesso Aberto à produção científica: o caso do ISCTE-IUL Sexo Docente 35% 143 Respondentes Idade 51-60 12% > 60 2% Masculino 36% ISCTE-IUL ≤ 30 20% O ISCTE-IUL caracteriza-se por ser uma research university, contando com 9 centros de investigação avaliados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, contando com um total de 1056 membros: 330 professores, 110 investigadores doutorados a tempo inteiro (18% dos quais de outros países), e 616 investigadores diversos, nomeadamente doutorandos, assistentes de investigação, entre outros. 41-50 27% Investigador 65% Feminino 64% 31-40 39% Repositório ISCTE-IUL Projetos ativos A informação presente neste poster provem de um questionário aplicado a todos os docentes e investigadores da instituição. Foram preenchidos 143 válidos na sua maioria por parte de investigadores bolseiros de doutoramento e pós-doc. Relativamente aos docentes a sua grande maioria diz respeito a professores auxiliares. Existe igualmente uma maior predominância de respostas por parte do sexo feminino e no que respeita à idade é a faixa entre os 31 e os 40 anos que obteve uma maior representatividade. 7º ProgramaQuadro da Comissão Europeia 60 Financiados pela FCT 50 40 30 Outros projetos 60 50 60 20 10 40 30 30 20 Investigadores 1000 51 5 23 10 18 Investigadores Visão sobre o Acesso Aberto Sim 17% 397 400 0 Coordenadores 200 Investigadores Não 83% Sabia que o ISCTE-IUL tem uma política de acesso aberto à produção científica? Sim 24,5% Concordo 21,7% Não cumpro de todo 5,7% Cumpro Se sim, parcialmente cumpre? 11,4% Cumpro integralmente e concordo 80% Cumpro integralmente mas discordo 2,9% Não 75,5% Prática de Acesso Aberto Já disponibilizou alguma das suas publicações em acesso aberto? De 1 a 5 / ano 76,9% Principais motivos para proceder ao depósito em repositórios institucionais/temáticos Aumenta a visibilidade e o impacto (citações) da investigação 86% Aumenta a rapidez de disseminação dos resultados da investigação 80,4% É uma forma de preservar a minha produção científica 42,7% Publico em revistas científicas em acesso aberto 31,5% O processo de depósito é rápido e simples 2010 2011 2012 2013 Downloads por ano 1000000 874419 Qual é a forma mais fácil de satisfazer os requisitos de uma política obrigatória de acesso aberto? E se o ISCTE-IUL aprovasse uma política obrigatória (mandato)? 625597 400000 214172 200000 0 2010 Não sei / Sem opinião Downloads 53,1% Publicar em revistas científicas de acesso aberto 7.346 14,7% Depositar uma cópia do artigo/documento num repositório institucional/temático 45% 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 24,5% 6.888 20% 40% 60% Principais motivos para não depositar num repositório institucional/temático 5.507 5.462 5.192 5.133 4.299 4.053 39,2% 37,1% 35,7% Falta de conhecimento sobre as políticas de depósito dos editores 19,6% Através do depósito no repositório do ISCTE-IUL 14,7% Através do Através da Através do Numa depósito num publicação numa depósito num plataforma de repositório em revista em repositório em partilha de acesso aberto acesso aberto acesso aberto e conteúdos da publicação científicos numa revista em (Academia.edu, acesso aberto …) 32,2% Receio de violar os direitos de autor 31,5% Falta de conhecimentos técnicos e formação no uso do sistema 2012 2013 Falta de conhecimento sobre o carácter obrigatório das políticas institucionais 25,2% Falta de tempo para realizar o depósito 23,8% 4.017 Título / Autor Práticas de gestão de recursos humanos e atitudes e comportamentos de trabalho: estudo de caso no sector bancário português / Maria Teresa Fortunato Pereira Esteves Indicadores económico-financeiros: os impactos da alteração normativa em Portugal / Carina Fabíola Gonçalves da Encarnação Impacto da relação cidadão-sistema de triagem de Manchester na requalificação das urgências do SMS / Carla Silva Diogo Plano de comunicação interna para a Sonae Sierra / Ana Margarida Mesquita Martins dos Santos Baptista Alinhamento entre gestão de pessoas e estratégia organizacional: um estudo de caso em uma empresa pública brasileira / Margarida Maria de Medeiros Benigno Moreira Angola: o papel e contributo do sector dos petróleos de Angola no desenvolvimento sócio-económico do país. Desafios e expectativas (1975 – 2005) / Luís Fernando da Costa Walter Criação e validação de um questionário de satisfação com a avaliação de desempenho / Gabriela Maria Rodrigues Lima Avaliação da eficácia da formação profissional: factores que afectam a transferência da formação para o local de trabalho / Ana Raquel Ribeiro Velada The Balanced Scorecard in a pharmaceutical company / Rui Manuel Gonçalves Janota Inteligência emocional: o diferencial nas organizações educacionais competitivas / Joseney Sprea 30,8% 18,9% Não 2011 Documentos com mais downloads em 2013 7,7% Combinar a publicação em revistas de acesso aberto e o depósito de artigos/documentos num repositório institucional/temático 0% Menos de 1 / ano 19,6% De 6 a 12 / ano 3,5% 2009 600000 Os respondentes manifestam um desconhecimento muito acentuado relativamente ao projeto OpenAIRE mas, na sua maioria, concordam com a política europeia relativa ao Acesso Livre ao conhecimento muito embora um número elevado de respostas refere não ter qualquer opinião sobre a mesma. No domínio nacional, a esmagadora maioria dos respondentes concorda com uma eventual política/mandato relativamente ao Acesso Aberto implementado pela FCT sendo que 82,5% cumpriria integralmente sem qualquer objeção. Existe igualmente um desconhecimento da política institucional relativamente ao Acesso Aberto mas os que têm conhecimento da mesma, na sua maioria cumpre integralmente e concorda. Número anual de publicações 0 800000 Como reagiria perante um mandato de acesso aberto implementado pela FCT Concorda com uma eventual política/mandat o de Acesso Aberto da FCT plenamente 38,5% Opinião sobre a política europeia 536 600 822672* Discordo 1,3% Concordo Sem opinião 38,5% 880 800 Relativamente à participação, nos últimos 5 anos, em projetos foi possível apurar que é nos projetos financiados pela FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia que se verificou uma maior participação (72,7%), seguido de Outros projetos (57,3%) e, por fim, com uma menor participação surgem os projetos financiados no âmbito do 7º PQ (23,8%). Os gráficos acima ilustram o número de coordenadores e investigadores com projetos ativos distribuídos por: projetos financiados pela FCT– Fundação para a Ciência e a Tecnologia, projetos ao abrigo do 7º Programa-Quadro da Comissão Europeia, e outros projetos. Conhece o OpenAIRE? 1.221* 1.112 1200 0 Coordenadores Documentos depositados por ano 40 Coordenadores 0 21 202 4923 1400 10 19 Número de Comunidades Número de Coleções Número de Documentos 50 20 59 Informação geral 20,3% Relativamente à produção científica e à sua disponibilização em Acesso Aberto podemos constatar que a grande maioria dos respondentes publica entre 1 a 5 documentos por ano e quando o faz em acesso aberto privilegia o Repositório ISCTEIUL, plataformas de partilhas e conteúdos científicos e revistas em Acesso Aberto. Contudo, quase 19% afirma nunca ter partilhado a sua produção em Acesso Aberto. O aumento da visibilidade da investigação ou a rapidez de disseminação dos resultados da investigação são os principais fatores de motivação para o depósito de documentos em repositórios institucionais enquanto a falta de conhecimento sobre as políticas de depósito dos editores ou o receio de violar direitos de autor são os argumentos mais dissuasores para o depósito da produção cientifica em Acesso Aberto. Os Serviços de Informação e Documentação do ISCTE-IUL vão associar-se mais uma vez às atividades da Semana Internacional do Open Access (21-27 Outubro 2013). Mais informações disponíveis brevemente em: http://biblioteca.iscte-iul.pt * Depósitos realizados até ao dia 10/09/2013 Carreira 3.999 Quem nos procura Para mais informações consulte *Downloads realizados até ao dia 10/09/2013 Quem respondeu Bruno Marçal [ISCTE-IUL, bruno.marcal@iscte.pt; Maria João Amante [ISCTE-IUL, maria.amante@iscte.pt Teresa Segurado [ISCTE-IUL, teresa.segurado@iscte.pt; Carina Cunha [ISCTE-IUL, carina.cunha@iscte.pt
  3. 3. Os investigadores e a sua relação com o Acesso Aberto à produção científica: o caso do ISCTE-IUL Sexo Docente 35% 143 Respondentes Idade 51-60 12% > 60 2% Masculino 36% ISCTE-IUL ≤ 30 20% O ISCTE-IUL caracteriza-se por ser uma research university, contando com 9 centros de investigação avaliados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, contando com um total de 1056 membros: 330 professores, 110 investigadores doutorados a tempo inteiro (18% dos quais de outros países), e 616 investigadores diversos, nomeadamente doutorandos, assistentes de investigação, entre outros. 41-50 27% Investigador 65% Feminino 64% 31-40 39% Repositório ISCTE-IUL Projetos ativos A informação presente neste poster provem de um questionário aplicado a todos os docentes e investigadores da instituição. Foram preenchidos 143 válidos na sua maioria por parte de investigadores bolseiros de doutoramento e pós-doc. Relativamente aos docentes a sua grande maioria diz respeito a professores auxiliares. Existe igualmente uma maior predominância de respostas por parte do sexo feminino e no que respeita à idade é a faixa entre os 31 e os 40 anos que obteve uma maior representatividade. 7º ProgramaQuadro da Comissão Europeia 60 Financiados pela FCT 50 40 30 Outros projetos 60 50 60 20 10 40 30 30 20 Investigadores 1000 51 5 23 10 18 Investigadores Visão sobre o Acesso Aberto Sim 17% 397 400 0 Coordenadores 200 Investigadores Não 83% Sabia que o ISCTE-IUL tem uma política de acesso aberto à produção científica? Sim 24,5% Concordo 21,7% Não cumpro de todo 5,7% Cumpro Se sim, parcialmente cumpre? 11,4% Cumpro integralmente e concordo 80% Cumpro integralmente mas discordo 2,9% Não 75,5% Prática de Acesso Aberto Já disponibilizou alguma das suas publicações em acesso aberto? De 1 a 5 / ano 76,9% Principais motivos para proceder ao depósito em repositórios institucionais/temáticos Aumenta a visibilidade e o impacto (citações) da investigação 86% Aumenta a rapidez de disseminação dos resultados da investigação 80,4% É uma forma de preservar a minha produção científica 42,7% Publico em revistas científicas em acesso aberto 31,5% O processo de depósito é rápido e simples 2010 2011 2012 2013 Downloads por ano 1000000 874419 Qual é a forma mais fácil de satisfazer os requisitos de uma política obrigatória de acesso aberto? E se o ISCTE-IUL aprovasse uma política obrigatória (mandato)? 625597 400000 214172 200000 0 2010 Não sei / Sem opinião Downloads 53,1% Publicar em revistas científicas de acesso aberto 7.346 14,7% Depositar uma cópia do artigo/documento num repositório institucional/temático 45% 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 24,5% 6.888 20% 40% 60% Principais motivos para não depositar num repositório institucional/temático 5.507 5.462 5.192 5.133 4.299 4.053 39,2% 37,1% 35,7% Falta de conhecimento sobre as políticas de depósito dos editores 19,6% Através do depósito no repositório do ISCTE-IUL 14,7% Através do Através da Através do Numa depósito num publicação numa depósito num plataforma de repositório em revista em repositório em partilha de acesso aberto acesso aberto acesso aberto e conteúdos da publicação científicos numa revista em (Academia.edu, acesso aberto …) 32,2% Receio de violar os direitos de autor 31,5% Falta de conhecimentos técnicos e formação no uso do sistema 2012 2013 Falta de conhecimento sobre o carácter obrigatório das políticas institucionais 25,2% Falta de tempo para realizar o depósito 23,8% 4.017 Título / Autor Práticas de gestão de recursos humanos e atitudes e comportamentos de trabalho: estudo de caso no sector bancário português / Maria Teresa Fortunato Pereira Esteves Indicadores económico-financeiros: os impactos da alteração normativa em Portugal / Carina Fabíola Gonçalves da Encarnação Impacto da relação cidadão-sistema de triagem de Manchester na requalificação das urgências do SMS / Carla Silva Diogo Plano de comunicação interna para a Sonae Sierra / Ana Margarida Mesquita Martins dos Santos Baptista Alinhamento entre gestão de pessoas e estratégia organizacional: um estudo de caso em uma empresa pública brasileira / Margarida Maria de Medeiros Benigno Moreira Angola: o papel e contributo do sector dos petróleos de Angola no desenvolvimento sócio-económico do país. Desafios e expectativas (1975 – 2005) / Luís Fernando da Costa Walter Criação e validação de um questionário de satisfação com a avaliação de desempenho / Gabriela Maria Rodrigues Lima Avaliação da eficácia da formação profissional: factores que afectam a transferência da formação para o local de trabalho / Ana Raquel Ribeiro Velada The Balanced Scorecard in a pharmaceutical company / Rui Manuel Gonçalves Janota Inteligência emocional: o diferencial nas organizações educacionais competitivas / Joseney Sprea 30,8% 18,9% Não 2011 Documentos com mais downloads em 2013 7,7% Combinar a publicação em revistas de acesso aberto e o depósito de artigos/documentos num repositório institucional/temático 0% Menos de 1 / ano 19,6% De 6 a 12 / ano 3,5% 2009 600000 Os respondentes manifestam um desconhecimento muito acentuado relativamente ao projeto OpenAIRE mas, na sua maioria, concordam com a política europeia relativa ao Acesso Livre ao conhecimento muito embora um número elevado de respostas refere não ter qualquer opinião sobre a mesma. No domínio nacional, a esmagadora maioria dos respondentes concorda com uma eventual política/mandato relativamente ao Acesso Aberto implementado pela FCT sendo que 82,5% cumpriria integralmente sem qualquer objeção. Existe igualmente um desconhecimento da política institucional relativamente ao Acesso Aberto mas os que têm conhecimento da mesma, na sua maioria cumpre integralmente e concorda. Número anual de publicações 0 800000 Como reagiria perante um mandato de acesso aberto implementado pela FCT Concorda com uma eventual política/mandat o de Acesso Aberto da FCT plenamente 38,5% Opinião sobre a política europeia 536 600 822672* Discordo 1,3% Concordo Sem opinião 38,5% 880 800 Relativamente à participação, nos últimos 5 anos, em projetos foi possível apurar que é nos projetos financiados pela FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia que se verificou uma maior participação (72,7%), seguido de Outros projetos (57,3%) e, por fim, com uma menor participação surgem os projetos financiados no âmbito do 7º PQ (23,8%). Os gráficos acima ilustram o número de coordenadores e investigadores com projetos ativos distribuídos por: projetos financiados pela FCT– Fundação para a Ciência e a Tecnologia, projetos ao abrigo do 7º Programa-Quadro da Comissão Europeia, e outros projetos. Conhece o OpenAIRE? 1.221* 1.112 1200 0 Coordenadores Documentos depositados por ano 40 Coordenadores 0 21 202 4923 1400 10 19 Número de Comunidades Número de Coleções Número de Documentos 50 20 59 Informação geral 20,3% Relativamente à produção científica e à sua disponibilização em Acesso Aberto podemos constatar que a grande maioria dos respondentes publica entre 1 a 5 documentos por ano e quando o faz em acesso aberto privilegia o Repositório ISCTEIUL, plataformas de partilhas e conteúdos científicos e revistas em Acesso Aberto. Contudo, quase 19% afirma nunca ter partilhado a sua produção em Acesso Aberto. O aumento da visibilidade da investigação ou a rapidez de disseminação dos resultados da investigação são os principais fatores de motivação para o depósito de documentos em repositórios institucionais enquanto a falta de conhecimento sobre as políticas de depósito dos editores ou o receio de violar direitos de autor são os argumentos mais dissuasores para o depósito da produção cientifica em Acesso Aberto. Os Serviços de Informação e Documentação do ISCTE-IUL vão associar-se mais uma vez às atividades da Semana Internacional do Open Access (21-27 Outubro 2013). Mais informações disponíveis brevemente em: http://biblioteca.iscte-iul.pt * Depósitos realizados até ao dia 10/09/2013 Carreira 3.999 Quem nos procura Para mais informações consulte *Downloads realizados até ao dia 10/09/2013 Quem respondeu Bruno Marçal [ISCTE-IUL, bruno.marcal@iscte.pt; Maria João Amante [ISCTE-IUL, maria.amante@iscte.pt Teresa Segurado [ISCTE-IUL, teresa.segurado@iscte.pt; Carina Cunha [ISCTE-IUL, carina.cunha@iscte.pt
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×