• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
10 Anos de acesso aberto no mundo lusófono
 

10 Anos de acesso aberto no mundo lusófono

on

  • 802 views

10 Anos de acesso aberto no mundo lusófono. - Ricardo Saraiva (Universidade do Minho), Bianca Amaro (IBICT)

10 Anos de acesso aberto no mundo lusófono. - Ricardo Saraiva (Universidade do Minho), Bianca Amaro (IBICT)

Statistics

Views

Total Views
802
Views on SlideShare
802
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
18
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    10 Anos de acesso aberto no mundo lusófono 10 Anos de acesso aberto no mundo lusófono Presentation Transcript

    • Ricardo Saraiva Bianca AmaroServiços de Documentação Coordenadora do Laboratório de MetodologiasUniversidade do Minho de Tratamento e Disseminação da Informaçãorsaraiva@sdum.uminho.pt bianca@ibict.br
    • TÓPICOS DA APRESENTAÇÃO Contexto científico dos países lusófonos Evolução do Acesso Aberto Situação das Revistas de Acesso Aberto Situação dos Repositórios de Acesso Aberto Políticas de Acesso Aberto Conclusões e perspectivas
    • Portugal
    • Contexto Científico em Portugal Até meados dos anos 90, o sistema científico português estava subdesenvolvido e era de pequena dimensão. A situação tem vindo a alterar-se sobretudo na última década; O número de investigadores e a produção científica referenciada internacionalmente tem vindo a crescer significativamente nos últimos anos; O número de artigos portugueses referenciados por ano na ISI era inferior a 1.000 até 1990, ultrapassou os 5.000 apenas em 2002, atualmente é já superior a 12.400
    • Contexto Científico em Portugal Produção Científica Portuguesa: Número Publicações 1990-2010 12,42412,00010,000 8,000 6,000 5,509 4,000 2,000 990 0 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 20092010** Fontes: GPEARI / MEC InCitesTM, Thomson Reuters (2010)
    • Evolução do Acesso Aberto em Portugal 100.000 docs Abertura SciELO Portugal Início Proj. 50.000 docs PT Nova Política PT RCAAP! Abertura Grupo Trabalho OA CRUP NECOBELAC RCAAP! AA UMinhoRepositóriUM 2.ª Conferência OA 2.ª Conf. Luso-Brasileira AA Repositórios ISCTE, UFP, IPB Início Proj. RCAAP Abertura B-on Políticas AA Políticas OA Política OA ISCTE Uab, IPB, UC, UL IPCB, UAlg, IPV, ISPA, U FP (…) 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 3.ª Conferência OA 1.ª Conf. Luso-Brasileira AA Política AA UMinho Novos repositórios… Políticas AA 4.ª Conferência OA HUC, IPLei, UTAD Dec. OA CRUP Política OA UPorto Projeto Blimunda Início Proj. Início Proj. DRIVER II OpenAIRE+ & MedOAnet 3.ª Conf. Luso- 1.ª Conferência OA Início Proj. OpenAIRE Brasileira OA
    • Situação das Revistas de Acesso Aberto
    • Situação das Revistas de Acesso Aberto Número de revistas científicas/académicas ativas em Portugal Incluindo versões eletrónicas e possivelmente co-publicadas com outro(s) paíse(s) 10% 90% Sem revisão científica (410) Com revisão científica (45) N= 455 Fonte:
    • Situação das Revistas de Acesso Aberto Número de revistas científicas/académicas ativas em Portugal Possivelmente co-publicadas com outro(s) paíse(s) 23% 77% N= 455 Impressas (350) Online (105) Fonte:
    • Situação das Revistas de Acesso Aberto Número de revistas científicas/académicas ativas e disponíveis online em Portugal Possivelmente co-publicadas com outro(s) paíse(s) 85 90 80 70 60 50 50 40 30 20 16 20 6 N= 105 10 0 Online Online e OA JCR e OA Fontes: Com revisão científica Sem revisão científica
    • Situação das Revistas de Acesso Aberto Ainda no que respeita ao panorama das revistas OA, a secção portuguesa do modelo Scielo, Scielo Portugal, apresenta 40 revistas de acesso aberto publicadas por entidades portuguesas; A Directory of Open Access Journals (DOAJ), que reúne informação de 8.215 revistas de Acesso Aberto de todo mundo, tem vindo a referenciar um número crescente de revistas de origem portuguesa na sua base de dados. Ao longo2002 2012 já foram acrescentadas 12 novas 2012 País de 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 revistas, Número total de revistas na DOAJ por ano perfazendo na atualidade um total de 68 revistas científicas portuguesas indexadas na DOAJ. 68 Portugal 0 0 1 1 7 13 22 36 45 56 Número de revistas adicionadas à DOAJ por ano 0 0 1 0 6 6 9 14 9 11 12 Fontes:
    • Situação dos Repositórios de Acesso Aberto Evolução dos repositórios em Portugal 40 35 30 25 20 15 10 5 0 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 RIs (locais) 1 1 1 4 10 13 12 11 11 10 SARIS 5 14 20 23 25 Agregados RCAAP 18 26 31 34 35
    • Situação dos Repositórios de Acesso Aberto Tipos de documento 2% 8% 5% 5% Artigos Dissertações de mestrado 40% Documentos de conferências Teses de doutoramento 16% Livros & capítulos de livros Working papers Outros 24% Universo: Repositórios portugueses agregados no portal RCAAP
    • Políticas de Acesso Aberto em PortugalInstituição Tipo Ano Universidade do Minho Institucional 2005 ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa Institucional 2007 Universidade do Porto Institucional 2008 Universidade Aberta Institucional 2010 Instituto Politécnico de Bragança Institucional 2010 Universidade de Coimbra Institucional 2010 Universidade de Lisboa Institucional 2010 Hospitais Universitários de Coimbra Institucional 2011 Instituto Politécnico de Leiria Institucional 2011 Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Institucional 2011 Instituto Politécnico de Castelo Branco Institucional 2012 Universidade do Algarve Institucional 2012 Instituto Politécnico de Viseu Institucional 2012 Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (ISPA) Institucional 2012 Universidade Fernando Pessoa Institucional 2012
    • Cabo Verde
    • Cabo Verde Pequeno país (500 mil/hab.) com uma produção científica reduzida – um pouco mais de meia centena de publicações referenciadas… Fonte: Possui em produção dois repositórios de Acesso Aberto…
    • http://bdigital.unipiaget.cv:8080/jspui/ 2008 2012 www.portaldoconhecimento.mesci.gov.cv
    • Moçambique
    • Moçambique País (20 milhões/hab.) já com alguma produção científica referenciada… Fonte: Possui em produção um repositório de Acesso Aberto…
    • 2009http://www.saber.ac.mz
    • Guiné BissauSão Tomé e PríncipeAngolaTimor Leste
    • Paises com produção científica ainda de pequena dimensão…Não são conhecidas iniciativas de Acesso Aberto! Angola Guiné Bissau (19 milhões/hab.) (1,5 milhões/hab.) São Tomé e Príncipe (160 mil/hab.) Timor Leste (1,1 milhões/hab.) Fonte:
    • Brasil
    • Contexto Científico no Brasil Número de pesquisadores no Brasil nas atividades de Pesquisa e Ensino * Números de mestres e doutores extraídos do currículo Lattes do CNPq. Total atividades de Pesquisa e Ensino – 168.922 Total atividades administrativas, técnicas e outras – 263.289 Total geral – 432.211
    • Iniciativas de Acesso Aberto no Brasil Scielo - Scientific Electronic Library Online <http://www.scielo.br/> oasisbr - Portal de pesquisa para as publicações científicas brasileiras <www.ibict.br/oasisbr> BDTD - Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações <www.bdtd.ibict.br> Seer – Sistema para a criação e gerenciamento de revistas científicas brasileiras. SERAD – Treinamentos do Seer à distância. Repositórios digitais Diadorim – Diretório de políticas editoriais das revistas científicas brasileiras <diadorim.ibict.br> SOAC – Sistema On-line de Acompanhamento de Conferências <www.ibict.br/soac>
    • Iniciativas de Acesso Aberto no BrasilParticipações em redes de informação científica deacesso aberto LA Referencia <http://lareferencia.redclara.net/rfr/> COAR Latino <http://www.coar-repositories.org/> Diretório Luso-Brasileiro Reúne as publicações científicas portuguesas e brasileiras <www.diretorio.rcaap.pt>
    • Situação das Revistas de Acesso Aberto Número de revistas científicas publicadas no Brasil 895 1137 Online Impressas Total 2032 Fonte:
    • Situação das Revistas de Acesso Aberto Número de revistas científicas publicadas no Brasil 659 1373 Total 2032 Sem revisão científica Com revisão científica Fonte:
    • Situação das Revistas de Acesso Aberto Número de revistas científicas ativas, em acesso aberto, publicadas no Brasil 417 746 Sem revisão científica Com revisão científica Fonte:
    • Situação das Revistas de Acesso Aberto Brasil é o segundo país com maior quantidade de revistas científicas em acesso aberto, segundo dados do Directory of Open Access Journals (DOAJ)  1º Estados Unidos da América – 1242 revistas  2º Brasil – 768 revistasLATINDEX REDALY SCIELODiretório – 4758 títulos 136 títulos 254 títulos correntesCatálogo – 1653 títulos
    • Situação dos Repositórios de Acesso Aberto O Ibict iniciou o projeto de Repositórios Institucionais com um projeto-piloto em quatro universidades federais, em 2009. No ano de 2009, o Ibict lançou o Edital de chamada FINEP/PCAL/XBDB nº 001/2009. Deste edital, 27 instituições receberam os kits tecnológicos. No ano de 2010, foi lançado o Edital de chamada FINEP/PCAL/XBDB nº 002/2010. Deste edital, 7 instituições receberam os kits tecnológicos.
    • Situação dos Repositórios de Acesso Aberto No segundo semestre ano de 2012, as seguintes instituições receberão kits para a implantação de repositórios e portais de revistas científicas: Universidade Federal de Lavras; Instituto de Desenvolvimento Universidade do Recôncavo Baiano; Sustentável Mamirauá; Universidade Federal dos Pampas; Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas; Universidade Estadual do Amazonas; Fundação Biblioteca Nacional; Universidade Federal de Santa Maria; Universidade Federal do Rio de Museu de Astronomia e Ciências Afins; Janeiro; Observatório Nacional; Universidade Federal do Piauí; Instituto Nacional de Pesquisas da Universidade Federal Rural de Amazônia; Pernambuco; Laboratório Nacional de Computação Universidade Federal da Fronteira do Científica; Sul. Centro de Tecnologia Mineral;
    • Situação dos Repositórios de Acesso Aberto No ano de 2012, o número de repositórios institucionais brasileiros apoiados pelo Ibict soma um total de 40, somando o total de documentos de 119.897. Ainda mapeamos mais 19 repositórios implantados em todo Brasil. Quantidade de documentos nos repositórios institucionais brasileiros apoiados Ano pelo IBICT 2011 56.581 Jan. Fev. Mar. Abr. Maio Jun. Jul. Ago. Set. 2012 57.443 62.693 64.843 67.353 79.181 80.245 116.510 118.935 119.897 Os documentos depositados nos repositórios institucionais brasileiros variam entre artigos de periódicos, capítulos de livros, livros, teses, dissertações e trabalhos apresentados em eventos.
    • Políticas de Acesso Aberto no Brasil Políticas institucionais Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS Universidade Federal do Rio Grande, FURG Universidade de São Paulo, USP Universidade de Brasília, UnB Universidade Federal da Bahia, UFBA Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN
    • Políticas de Acesso Aberto no Brasil Política de Estado – Projeto de Lei n. 1.120, de 21 de maio de 2007 Explicação da Ementa Obriga as instituições públicas de ensino superior a construírem os repositórios institucionais para depósito do inteiro teor da produção técnico-científica do corpo discente e docente. – PROJETO DE LEI DO SENADO, Nº 387 de 2011 Explicação da Ementa Obriga as instituições de educação superior de caráter público, bem com as unidades de pesquisa a construir repositórios institucionais de acesso livre, nos quais deverão ser depositados o inteiro teor da produção técnico-científica conclusiva dos estudantes aprovados em cursos de mestrado, doutorado, pós-doutorado ou similar, assim como da produção técnico- científica, resultado de pesquisa científicas realizadas por professores, pesquisadores e colaboradores, apoiados com recursos públicos para acesso livre na rede mundial de computadores; entende-se por produção técnico-científica monografias, teses, dissertações e artigos publicados em revistas, nacionais e internacionais, com revisão por pares.
    • Políticas de Acesso Aberto no Brasil Política de Agência de Fomento – Portaria nº 13, de 15 de fevereiro de 2006 - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES/Min. Educação • Institui a divulgação digital das teses e dissertações produzidas pelos programas de doutorado e mestrado reconhecidos. – Orientação do Conselho Deliberativo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq/Min. Ciência Tecnologia e Inovação, publicada em 2005, incentiva a publicação de pesquisas dos beneficiários do CNPq em acesso aberto.
    • Conclusões Os repositórios institucionais, as bibliotecas digitais de teses e dissertações assim como, as revistas eletrônicas de acesso aberto estão em constante crescimento. O Brasil avançou bastante a quantidade de revistas científicas de acesso aberto. A Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações ultrapassou a quantidade de 200.000 documentos.
    • Conclusões O Acesso Aberto registou progressos muito significativos em Portugal na última década, reconhecidos e aceites pela generalidade da comunidade científica e académica; Portugal possui uma infraestrutura de repositórios abrangente (nº de RIs e disponibilidade para quase todos os investigadores) e “madura” (interoperabilidade e uso de diretrizes e normas adequadas); O número de revistas OA portuguesas tem vindo a crescer, e é provável que assim continue, mas dadas as atuais limitações (ex. financeiras das instituições), é natural, e é desejável, que o progresso do AA em Portugal se mantenha mais focado nos repositórios (green OA).
    • Perspetivas lusófonas Alargamento da cooperação luso-brasileira ao conjunto dos países lusófonos, apoiando o surgimento e o desenvolvimento de iniciativas e atividades de Acesso Aberto nos países onde ainda não existam ; Apoiar a criação e implementação de repositórios e de revistas de Acesso Aberto em mais países lusófonos; Agregar no portal RCAAP, e futuramente no OASIS.br, repositórios e revistas de outros países lusófonos permitindo-lhes ter mais visibilidade e destaque; Partilhar boas práticas, recursos, documentos e diretrizes para o desenvolvimento do Acesso Aberto no mundo lusófono.
    • Obrigado pela atenção!Ricardo Saraiva Bianca AmaroServiços de Documentação Coordenadora do Laboratório de MetodologiasUniversidade do Minho de Tratamento e Disseminação da Informaçãorsaraiva@sdum.uminho.pt bianca@ibict.br