Panel 1 Luiz Leme Britto Portugues

1,365
-1

Published on

Profesor de la Universidad de Sorocaba.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,365
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Panel 1 Luiz Leme Britto Portugues

  1. 1. Leitura, escrita e conhecimento linguístico- uma perspectiva formativa<br />Luiz Percival Leme Britto<br />(Universidade de Sorocaba)<br />
  2. 2. A expansão alfabetismo no mundo moderno - causas<br />DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO – ampliação e a diversificação da base produtiva e reestruturação do modelo de produção. <br />URBANIZAÇÃO – as formas de produção, socialização, circulação e delimitação das ações em tempos e espaços realiza-se com base em processos característicos da escrita. <br />TECNOLOGIA – ampliação dos meios de comunicação e dos objetos e produtos incorporados ao cotidiano e ao processo produtivo.<br />
  3. 3. Dimensão pragmática da escrita<br /><ul><li>O deslocamento no espaço urbano, o trato com as coisas domésticas, os cuidados consigo, o lazer, o trabalho, as obrigações públicas, a participação em esferas identitárias (igreja, associação, clubes, etc.);
  4. 4. Tudo isso mediado, em diferentes níveis de complexidade, por “ordenações escritas”;
  5. 5. Esta dimensão está referenciada num senso comum complexo, que implica aprendizagens que superam o relacionamento imediato com os pares, fazendo-se por mediações de meios sofisticados de comunicação e formação.
  6. 6. Os indivíduos devem ter conhecimento das coisas modernas (nível prático operacional), de modo a:</li></ul>encontrar soluções para problemas;<br />avaliar suas ações; e <br />reajustar seu comportamento de acordo as circunstâncias. <br />
  7. 7. As “novas demandas” de conhecimento no mundo moderno<br /><ul><li>Relacionam-se com os processos reguladores do cotidiano, que impõem a necessidade de usos específicos da escrita, num nível de quase automatismo.
  8. 8. Supõem a expansão de usos da escrita – principalmente dos mais contextualizados –, mas não conduzem à produção de novas formas de relacionamento com o conhecimento.
  9. 9. Os usos da escrita em atividades da vida diária, correspondem a situação em que esta atua como processamento mecânico.</li></li></ul><li>Por que saber e poder ler e escrever é necessário?O quanto é preciso saber ler e escrever?Em que a Educação linguística transcende a aprendizagem pragmática?<br />
  10. 10. Escrita e expansão da memória<br /> A escrita faz com que a memória se situe fora dos indivíduos, promovendo:<br /><ul><li>a produção de formas de pensamento descontextualizado.
  11. 11. a monitoração continuada de ações e atividades intelectuais.
  12. 12. O registro da produção intelectual.</li></li></ul><li>Escrita e metacognição<br />METACOGNIÇÃO: controle do ato de pensar; administração deliberada do raciocínio e da interação.<br /> Em função de sua materialidade e da forma como é realizada, a escrita permite um nível de controle da atividade intelectual que não se verifica com a mesma intensidade em outras formas de registro. <br /><ul><li>o envolvimento do sujeito com o texto;
  13. 13. o ritmo da a atividade intelectual;
  14. 14. a possibilidade de controle da ação;
  15. 15. a intervenção consciente no fluxo do pensamento. </li></li></ul><li>Escrita e conhecimento<br />A expansão e ocontrole da MEMÓRIA resultantes da escrita oferecem: <br /><ul><li>Maior capacidade e controle do pensamento, liberando a mente da necessidade de memorizar.
  16. 16. A reprodução e a continuidade do conhecimento, uma vez que não é necessário fixar na mente todas as informações, mensagens, idéias, raciocínios (“saber de cor”). </li></ul> Armazenando e registrando a informação fora do corpo físico, mas ao alcance dos interessados, a escrita teve e tem papel fundamental no desenvolvimento da ciência, da filosofia, das leis, das artes.<br />
  17. 17. <ul><li>Qual o papel da escola no ensino da leitura e da escrita?
  18. 18. Estudar a língua materna contribui para o conhecimento da leitura e da escrita?
  19. 19. Qual a relação entre leitura, cultura e conhecimento?</li></ul>Leitura e escrita na educação escolar<br />
  20. 20. Para que serve a educação escolar?<br />A EDUCAÇÃO ESCOLAR contribui para o desenvolvimento intelectual e social dos alunos, em especial no que concerne aos conhecimentos que superam o saber cotidiano.<br /> Há aprendizagens essenciais da / para a vida moderna que ocorrem apenas ou prioritariamente na escola, inclusive no que concerne ao conhecimento da linguagem, à leitura e à escrita<br /> A aprendizagem escolar (incluindo a leitura e a escrita) pressupõe a inserção num ambiente de cultural que amplie as referências e as formas de perceber o mundo, a vida e a sociedade.<br />Uma das características essenciais da aprendizagem em ambiente escolar está no fato de ela se fazer de forma estruturada, sistemática, com objetivos e métodos definidos.<br />
  21. 21. Saberes e estudo da línguaEDUCAÇÃO LINGÜÍSTICA<br />Há dois conhecimentos de natureza distinta no que diz respeito à língua: <br />Um saber que decorre da condição de ser falante;<br /> (se aprende na vida prática)<br />II. Um saber que supõe o conhecimento reflexivo – prático e teórico;<br /> (deve ser aprendido pelo estudo formal e disciplinar na escola) – <br />
  22. 22. Fundamentos da Educação lingüística<br />1. A EDUCAÇÃO LINGÜÍSTICA supõe a ação pedagógica que leve o aluno a: <br /><ul><li>Perceber a língua e a linguagem como fenômenos históricos complexos;
  23. 23. Compreender seu funcionamento, usos e formas;
  24. 24. Usá-la com propriedade nas modalidades oral e escrita, em especial para estudar e aprender e viver sua subjetividade. </li></ul>2. Há conhecimentos lingüísticos significativos para serem explorados e aprendidos. <br /> Faz sentido considerar a língua como um objeto de investigação e de conhecimento para ampliar a percepção do fenômeno da linguagem, independentemente do uso prático e cotidiano.<br />
  25. 25. Fundamentos da Educação lingüística escolar<br />8. As formas de escrita, principalmente as que não se associam com as atividades da vida prática, mostram organizações distintas da língua oral e devem ser objeto de ensino.<br />9. O ensino e a aprendizagem da leitura e da escrita fazem parte das atividades de todas as disciplinas.<br /><ul><li>Não se oferece ao aluno apenas a informação, mas sua busca através do texto escrito.
  26. 26. A organização do conhecimento deve ser escrita.</li></li></ul><li>5. O ensino e a aprendizagem da língua pelo uso e pela prática não significa o abandono da formalização do conhecimento. É importante o estudo de explicações consistentes do funcionamento da linguagem. <br />6. Para que a aprendizagem não se limite ao imediatismo da vida cotidiana, a prática deve ser objeto de reflexão e de indagação continuadas. <br />7. A mudança da perspectiva do ensino impõe não sua facilitação ou sua submissão à ordem do pragmático, mas a ênfase nos aspectos do conhecimento que vão além do senso comum e os saberes da vida prática. <br />Fundamentos da Educação lingüística escolar<br />
  27. 27. Esfera de produção cultural e intelectual<br /><ul><li>Apresenta textos de conteúdos e com forma de exposição que transcendem o imediatismo e pragmatismo; tendem a ser auto-referenciados e supor maior nível de metacognição.
  28. 28. Nela se encontram as produções que se realizam, por exemplo, nas ciências, na literatura, na filosofia, (produções intelectuais humanas mais orgânicas e sofisticadas).
  29. 29. Leitura, neste caso, interação com objetos culturais complexos é uma ação intelectual que se realiza pela que se organizam por sistemas distintos daqueles que se adquirem nas práticas cotidianas. </li></ul>Leitura e formação<br />
  30. 30. Leitura e formação<br /><ul><li>Os meios eletrônicos expandiram a disposição e a variedade de informação. Isso não significa que a organização do conhecimento e o acesso às formas elaboradas da cultura se realize simplesmente pela interação direta e não dirigida dos sujeitos com as mídias.
  31. 31. A ideia de que a aprendizagem espontânea, assistemática é superior à atividade rotineira disciplinada resulta de uma visão limitada de conhecimento e do valor da informação.
  32. 32. A precariedade do conhecimento científico determina que ele não pode ser, nunca, apresentado como verdade total e acabada, por mais óbvia que pareça.
  33. 33. A postura aberta ao conhecimento difere das formas automatizadas das explicações do senso comum e se faz com disciplina e dúvida. </li></li></ul><li> “A ciência como ritual dispensa o pensamento e a liberdade” e na “aliança entre a ausência pura e simples da reflexão intelectual e o estereótipo da visão de mundo oficialista delineia-se uma conformação dotada de afinidades autoritárias”. <br /> (Theodor Adorno)<br />
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×