Your SlideShare is downloading. ×
Intregrando os projetos de TI com Arquitetura de Informação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Intregrando os projetos de TI com Arquitetura de Informação

1,819
views

Published on

Slides da Palestra realizada no CCUEC - Centro de Computação da Unicamp no dia 23/04/2012 apresentada por Gilmar Gumier

Slides da Palestra realizada no CCUEC - Centro de Computação da Unicamp no dia 23/04/2012 apresentada por Gilmar Gumier

Published in: Technology

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,819
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
37
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. INTEGRANDOOS PROJETOS DE TICOM ARQUITETURA DEINFORMAÇÃO
  • 2. QUEM SOU User Experience Director da Cog-Ignition Sonho de Criança: Ser Engenheiro Agrônomo Colegial Técnico em Administração = Estagiário frustrado Técnico em Processamento de Dados = Programador frustradoGILMAR GUMIER Faculdade de Publicidade e Propaganda = Designer frustrado UX DIRECTOR Pós-Graduação em Administração (cursando) Desde 2006, atuo como Arquiteto de Informação 2006/2007: Consultoria para agências de publicidade 2007/2008: Fábrica de software 2008: Agência de publicidade 2008: Fundei a Cog-Ignition
  • 3. CLIENTES E MARCAS
  • 4. SERVIÇOS Nossos Serviços Arquitetura de Informação Organização, navegação, busca e rotulação utilizados no sistema para maximizar sua Design de usabilidade e Design da Interação encontrabilidade Informação Projeto da interação do Representação da usuário com o sistema, de informação com o forma a maximizar o objetivo de maximizar a desempenho do primeiro compreensão e a tomada nas atividades realizadas de decisões por meio do sistema Pessoas e Marcas Testes de Avaliação Usabilidade Heurística Avaliação da eficácia, Avaliação por especialistas eficiência e satisfação no da eficácia, eficiência e uso de um sistema por satisfação por meio de meio de testes empíricos critérios e heurísticas de uso com usuários para de um sistema para Planejamento e realização de atividades realização de atividades Inteligência Digital Formação de estratégias para alcançar as metas de negócio através dos meios digitais
  • 5. PROGRAMAÇÃOPARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOHistóricoO que é o que não éA realidade brasileiraPARTE 2: TI E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOIntegrando as duas áreasVantagens e desvantagens
  • 6. PARTE 1:ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO• Histórico• O que é o que não é• A realidade brasileira
  • 7. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOHISTÓRICO 1976 Richard Saul Wurman “Information Anxiety” Primeiro livro que trata sobre a “ansiedade de informação”, tema que é muito comum no nosso dia-a-dia
  • 8. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOHISTÓRICO 2000 Peter Morville e Louis Rosenfield “Information Architecture for the world wide web” Considerado a Bíblia da área, o livro do “Urso Polar” foi lançado no final dos anos 90, quando os sites não tinham um planejamento e se transformavam em um caos quando cresciam
  • 9. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO QUE É “Conjunto de sistemas de organização, rotulação, busca e navegação” (Livro do Urso Polar)
  • 10. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO QUE É “O design estrutural de ambientes de informação compartilhados” (Livro do Urso Polar)
  • 11. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO QUE É “A arte e a ciência de modelar produtos de informação e de experiência para suportar usabilidade e encontrabilidade“ (Livro do Urso Polar)
  • 12. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO QUE É “O esforço de organizar e relacionar informação de modo que simplifique como as pessoas navegam e usam informação” (Livro do Urso Polar)
  • 13. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO QUE É“Uma disciplina emergente e uma comunidade de prática com foco em trazer princípios de design e arquitetura para a área digital” (Livro do Urso Polar)
  • 14. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO QUE NÃO É Design / Design de Interface O design ou desenho industrial é a configuração, concepção, elaboração e especificação de um artefato. (Wikipedia) Num projeto com a participação de AI,o design é uma fase posterior após a finalização dos wireframesEm casos de metodologia ágil, AI pode ser paralela ao design
  • 15. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO QUE NÃO É Programação/DesenvolvimentoProgramação é o processo de escrita, teste emanutenção de um programa de computador. (Wikipedia) Em projetos com participação de AI, a programação é uma fase posterior após a finalização dos wireframes Em fábricas de software, AI pode ser chamada de UX Em casos de metodologia ágil, AI pode ser paralela à programação
  • 16. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO QUE NÃO É Arquitetura de Software/Sistema A arquitetura de software de um sistema consiste na definição dos componentes de software, suas propriedades externas e seus relacionamentos com outros softwares. (Wikipedia) O profissional de Arquitetura de Software trabalha na definição do back-end do sistema
  • 17. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO QUE NÃO É Análise de Negócios O analista de negócios vem de maneira a complementar o analista de processos e o analista de sistemas. (Wikipedia) O profissional de Análise de Negócios tem seu trabalho baseado no levantamento dos requisitos de negócio do sistema
  • 18. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Design de Interação Projeto de interação do usuário com o objetivo de maximizar o seu desempenho nas atividades No Brasil, geralmente o “Arquiteto” ou o “UX” fazem o papel do Arquiteto de Informação e do Designer de Interação. Na concepção inicial da palavra, o Arquiteto de Informaçãoseria o responsável pela documentação do projeto, enquanto o Designer de Interação seria o responsável pela interação do usuário que tem como entregáveis os wirefames
  • 19. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS User Experience ou UX ou Experiência do Usuário “‘Experiência do usuário’ envolve todos os aspectos da interação dos usuários finais com sua empresa, serviços e produtos.” (Nielsen Norman Group)
  • 20. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS User Experience ou UX ou Experiência do Usuário UX Honeycomb Não são qualidades do usuário ou do produto, mas propriedades da relação entre o comportamento do usuário e as características e comportamentos do produto.
  • 21. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Usabilidade Medida na qual um produto pode ser usado por usuáriosespecíficos para alcançar objetivos específicos com eficácia, eficiência e satisfação em um contexto específico de uso. Eficácia: realizar o objetivo Eficiência: custo para realizar o objetivo Satisfação: estado do usuário após realizar o objetivo
  • 22. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Teste de Usabilidade Teste de usabilidade de aplicativo mobile realizado em 2012
  • 23. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Encontrabilidade 1. A qualidade de ser localizado ou navegável; 2. O grau de facilidade que um objeto particular é descoberto ou localizado; 3. O nível o qual um sistema ou ambiente suporta a navegação e recuperação
  • 24. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Encontrabilidade Momento Fã ;) IA Summit 2010 2005 2010 Peter Morville Peter Morville“Ambient Findability” “Search Patterns”
  • 25. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Design de Informação Representação da informação com o objetivo de maximizar a compreensão e a tomada de decisões Essa disciplina acaba sendo uma continuação da AI, pois ela se preocupa em organizar a montanha de dados gerada com afacilidade de entrada de dados proporcionada por um bom uso de AI. No Brasil, ainda estamos numa primeira fase, com os infográficos sendo os melhores exemplos.
  • 26. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Design de Informação
  • 27. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Design de Informação
  • 28. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Avaliação Heurística Avaliação por especialistas de eficácia, eficiência, e satisfação de um produto por meio de critérios e heurísticas de uso. Geralmente, é realizada por 3 experts seguindo heurísticasfamosas, como as de Nielsen, ou heurísticas determinadas pelo cliente ou mesmo específicas do projeto
  • 29. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO ICEBERG DA ARQUITETURADE INFORMAÇÃO Interface caixa de header entrada labels labels e-mail lista de e-mails Wirerames, blueprints gtalk passo 1 decisão? opção A conceito superordinado conceito Metadados, esquemas de classificação, tesauro conceito equivalente conceito conceito subordinado subordinado estratégia estado atual resultado Estratégias de arquitetura da informação, planos de projeto item item item Usuários Conteúdo Contexto Pesquisa/Briefing necessidades, comportamentos estrutura, significado cultura, tecnologia (Rosenfeld & Morville, 2006)
  • 30. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Wireframes Diversas pessoas envolvidas no projeto utilizam os wireframes• Designers • Clientes• Desenvolvedores Front-End • Gerentes de Projetos• Desenvolvedores Back-End • Usuários• Redatores e produtores de conteúdo
  • 31. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Wireframes
  • 32. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Wireframes
  • 33. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOTERMOS RELACIONADOS Wireframes
  • 34. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOO MAPA DO TESOURO DAEXPERIÊNCIA DO USUÁRIO Stories Scenarios Personas Content Inventories Analytics Proverbs Process Flows System Maps Concept Maps User Surveys Wireframes Prototypes Storyboards Concept Designs Narrative Reports Presentations Design Patterns Style Guides Specifications Plans User E Xperience Treasure Map by Jeffery Callender and Peter Morville
  • 35. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOA REALIDADE BRASILEIRAPesquisa: perfil do profissional de User Experience no Brasil(UPA São Paulo)Resultados da pesquisa exibida no 5º Encontro Brasileiro deArquitetos de Informação (EBAI)Dados disponíveis em:http://www.slideshare.net/upasaopaulo/perfil-do-profissional-de-ux-no-brasil
  • 36. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOA REALIDADE BRASILEIRA
  • 37. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOA REALIDADE BRASILEIRA
  • 38. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOA REALIDADE BRASILEIRA
  • 39. PARTE 1: ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOA REALIDADE BRASILEIRA
  • 40. PARTE 2: TI EARQUITETURA DE INFORMAÇÃO• Integrando as 2 áreas• Vantagens e desvantagens
  • 41. PARTE 2: TI E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOINTEGRANDO AS 2 ÁREAS:AS DIFERENTES FORMAS (1/2)Geralmente, a integração de TI e Arquitetura de Informaçãoocorre de 2 diferentes formas:1. Quando a empresa trabalha por projetos ou possuiapenas um produto, contrata-se uma consultoriaespecializada para determinado projeto com duraçãoespecífica
  • 42. PARTE 2: TI E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOINTEGRANDO AS 2 ÁREAS:AS DIFERENTES FORMAS (2/2)Geralmente, a integração de TI e Arquitetura de Informaçãoocorre de 2 diferentes formas:2. Quando a empresa possui uma linha de produtos,ela monta uma célula (área) específica para AI com criaçãode um time especializado.Para um melhor resultado neste processo, é interessante oapoio de uma consultoria especializada para auxílio norecrutamento e na criação do time
  • 43. PARTE 2: TI E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOINTEGRANDO AS 2 ÁREAS:PASSO A PASSO (1/2)A melhor maneira para começar a integração das 2 áreaspode ser feita através dos seguintes passos:1. Palestra/apresentação sobre AI com os seus benefíciospara o time2. Conhecimento das necessidades da empresa (de formaaberta, contada pelo time de desenvolvedores)3. Desmitificação da matéria de AI, mostrando os benefíciospara o time em cima das necessidades levantadas
  • 44. PARTE 2: TI E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOINTEGRANDO AS 2 ÁREAS:PASSO A PASSO (2/2)A melhor maneira para começar a integração das 2 áreas podeser feita através dos seguintes passos:4. Integração dos times/equipes: conquista da empatia dosdesenvolvedores e início do processo5. Dia-a-dia: mostrar nos pequenos detalhes a importância da AIpara a melhoria da produtividade do time de desenvolvimento6. Criação da Cultura de AI: aos poucos, esta cultura vai sendocriada automaticamente e as 2 equipes começam a trabalharem conjunto
  • 45. PARTE 2: TI E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOVANTAGENS EDESVANTAGENSVantagens Financeiras:1. Aumento da produtividade da equipe de desenvolvimento2. Melhor planejamento dos projetos3. Menor tempo de refação
  • 46. PARTE 2: TI E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOVANTAGENS EDESVANTAGENSVantagens para o Usuário:1. Possibilidade de maior satisfação no uso do software2. Software mais fácil de usar: como o foco passa dosoftware para o usuário, acaba se tornando mais fácil3. Menor curva de aprendizado (software mais fácil de usar= menos tempo/ sem necessidade de aprender)4. Maior facilidade para encontrar as informações
  • 47. PARTE 2: TI E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOVANTAGENS EDESVANTAGENSVantagens para a Empresa:1. Menor desperdício de tempo nos projetos2. Diferencial em relação à concorrência (AI ainda é poucoaplicada em desenvolvimento de software no Brasil)3. Menor número de chamadas para o call-center/help desk(com o sistema sendo mais fácil de usar, o usuário nãoprecisará pedir ajuda)4. Maior satisfação do usuário e mais indicações dos produtos
  • 48. PARTE 2: TI E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃOVANTAGENS EDESVANTAGENSDesvantagens Financeiras:1. O tempo para implementação e para o aceite da disciplinade AI pelo time de Desenvolvimento pode ser um poucogrande: muitos profissionais de TI ainda vêem AI como umadisciplina concorrente e não complementar2. O tempo para a percepção dos usuários pelo uso dadisciplina de AI pode ser um pouco demorado, pelo fato desoftware geralmente estar ligado a trabalho e a coisas chatas
  • 49. X. REFERÊNCIAS & LINKS ÚTEIS (1/3)• Livros: • Information Architecture for the World Wide Web - Peter Morville & Louis Rosenfeld • A Nova Desordem Digital - David Weinberg • Ambient Findability: What We Find Changes Who We Become - Peter Morville
  • 50. X. REFERÊNCIAS & LINKS ÚTEIS (2/3)• Links: • Understanding information architecture: http://prezi.com/aafmvya6bk7t/ understanding-information-architecture/ • Framing the Practice of Information Architecture. http://www.uxmatters.com/mt/ archives/2011/09/framing-the-practice-of-information-architecture.php • Call Yourself a Practitioner? Prove It. http://www.uxmatters.com/mt/archives/2012/01/ call-yourself-a-practitioner-prove-it.php • Defining an Interaction Model: The Cornerstone of Application Design. http:// www.uxmatters.com/mt/archives/2012/01/defining-an-interaction-model-the- cornerstone-of-application-design.php • User Experience Deliverables: http://semanticstudios.com/publications/semantics/ 000228.php
  • 51. X. REFERÊNCIAS & LINKS ÚTEIS (3/3)• Links: • User Experience Design: http://semanticstudios.com/publications/semantics/ 000029.php • Web Information Architecture Deliverables and Diagrams: http://www.fatpurple.com/ 2010/03/01/web-information-architecture-deliverables-and-diagrams/ • Design Patterns: Faceted Navigation: http://www.alistapart.com/articles/design- patterns-faceted-navigation/ • User Interface Implementations of Faceted Browsing: http://www.digital-web.com/ articles/user_interface_implementations_of_faceted_browsing/ • Pesquisa sobre o perfil do profissional de UX no Brasil: http://www.slideshare.net/ upasaopaulo/perfil-do-profissional-de-ux-no-brasil
  • 52. Obrigado ;) GILMAR GUMIER Twitter: @gilmargumier E-mail: gilmar.gumier@cog-ignition.com Twitter: @Cog_Ignition E-mail: contact@cog-ignition.com