FIBRA MUSCULAR
FIBRA MUSCULAR
CARACTERÍSTICAS MOLECULARES                             FILAMENTO DE MIOSINA4 cadeias leves2 cadeias pesadasPontes cruzada...
SARCÔMERO
TRANSMISSÃO DOS IMPULSOS PARA FIBRAS                    MUSCULARES         JUNÇÃO NEUROMUSCULAR (Placa motora)Síntese e se...
JUNÇÃO NEUROMUSCULAR
JUNÇÃO NEUROMUSCULAR
• Potencial de ação percorre axônio motor até terminaçõesnas fibras musculares•Secreção de acetilcolina• Abertura de canai...
Interação MIOSINA-ACTINA-CÁLCIO• Inibição de actina pelo complexo troponina-tropomiosina• Ativação pelos íons Ca++• Sítios...
ENERGÉTICA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR             ATP como fonte de energia para contração• Antes da contração, cabeças das pon...
ACOPLAMENTO EXCITAÇÃO-CONTRAÇÃO                 EXCITAÇÃO-   SISTEMA TÚBULO TRANSVERSO-RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO           ...
TIPOS DE MUSCULATURA LISA•   Dimensões físicas•   Organização dos feixes musculares•   Resposta a estímulos•   Característ...
PROCESSO CONTRÁTILTROPONINA ausente• Filamentos de actina presos a corpos densos (semelhantes aosdiscos Z)• Menor quantida...
REGULAÇÃO DO CÁLCIOEstímulos nervosos e hormonaisEstiramento da fibraAlteração no ambiente químico da fibraSISTEMA CÁLCIO-...
Efeito hormonal• ACh, norepinefrina• Angiotensina, vasopressina, ocitocina, serotonina, histamina• Receptores excitatórios...
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Contraçao muscular
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Contraçao muscular

13,582

Published on

1 Comment
11 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
13,582
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
410
Comments
1
Likes
11
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Contraçao muscular

  1. 1. FIBRA MUSCULAR
  2. 2. FIBRA MUSCULAR
  3. 3. CARACTERÍSTICAS MOLECULARES FILAMENTO DE MIOSINA4 cadeias leves2 cadeias pesadasPontes cruzadasDobradiçasAtividade de ATPase da cabeça FILAMENTO DE ACTINAACTINAActina F; polímero de actina GSítios ativos dos filamentos de actinaTROPOMIOSINAEstado de repouso, tropomiosina funciona bloqueando atração entre actina emiosina, recobrindo os sítios ativosTROPONINATroponina I- ligada à actinaTroponina T- afinidade à tropomiosinaTroponina C- afinidade ao cálcio
  4. 4. SARCÔMERO
  5. 5. TRANSMISSÃO DOS IMPULSOS PARA FIBRAS MUSCULARES JUNÇÃO NEUROMUSCULAR (Placa motora)Síntese e secreção de acetilcolinaEfeito da ACh nos receptores ligados a canais iônicosEfeito da acetilcolinesterasePotencial de placaMIASTENIA GRAVISDoença autoimuneProdução de anticorpos contra canais iônicos Ach-dependentes Ach-Tratamento com anticolinestrásicos de ação médiaDiagnóstico
  6. 6. JUNÇÃO NEUROMUSCULAR
  7. 7. JUNÇÃO NEUROMUSCULAR
  8. 8. • Potencial de ação percorre axônio motor até terminaçõesnas fibras musculares•Secreção de acetilcolina• Abertura de canais iônicos ACh-dependentes• Influxo grande de sódio para fibra muscular: potencial defibra muscular• Propagação e despolarização da membrana, estimulandoliberação de cálcio pelo retículo sarcoplasmático• Ca++ gera força atrativas entre filamentos de actina emiosina , ocorrendo deslizamento, constituindo processocontrátil• Íons cálcio bombardeados de volta ao retículosarcoplasmático onde ficam armazenados até novo P.A.• Final da contração muscular
  9. 9. Interação MIOSINA-ACTINA-CÁLCIO• Inibição de actina pelo complexo troponina-tropomiosina• Ativação pelos íons Ca++• Sítios ativos descobertos• Interação de actina “ativada” e pontes cruzadas da miosina• Ligação cabeças das pontes cruzadas com sítios ativos• Movimento “sempre em frente”• Quanto maior o número de pontes cruzadas interagindo com actina, maiorforça de contração (inotropismo positivo) POTENCIAL DE AÇÃO MUSCULAR• Potencial de repouso na fibra muscular: -80 a -90mV• Transmissão dos impulsos à toda extensão devido dos túbulostransversos (túbulos T) que percorrem a espessura da fibrasatisfatoriamente• Potenciais de ação nos túbulos T otimizam a liberação de Ca++ pelo RS• Tal processo chama-se acoplamento excitação-contração
  10. 10. ENERGÉTICA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR ATP como fonte de energia para contração• Antes da contração, cabeças das pontes cruzadas fixam ATP• Ca++ inibe efeito do complexo tropomiosina-troponina, sítios ativosdescobertos, ligação da miosina• Alteração conformacional, inclinação da cabeça em direção ao braçoda ponte cruzada: movimento de tensão• Inclinada a cabeça, libera-se ADP e Pi; local livre prende-se à outramolécula de ATP• Após a cabeça ter-se desprendido da actina, é clivada outramolécula de ATP e a energia “engatilha” a cabeça de volta à posiçãonormal• Quando a cabeça engatilhada fixa-se a outro sítio ativo, forma outromovimento de tensão
  11. 11. ACOPLAMENTO EXCITAÇÃO-CONTRAÇÃO EXCITAÇÃO- SISTEMA TÚBULO TRANSVERSO-RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO TRANSVERSO- Túbulos T delgados e percurso transversal à fibra Extensões internas da membrana celular Potencial de ação que se propaga pela membrana, propaga-se tambémpara o interior da fibra Músculo esquelético mamífero possui duas redes de túbulos T para cadasarcômero Disposição dos túbulos compreende espaço próximo das duas extremidadesdos filamentos de miosina locais de geração das forças mecânicas dacontração Organização ótima para excitação rápida da contração muscular LIBERAÇÃO DE CÁLCIO PELO RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO Altas [ ] de Ca++ no RS, liberados quando túbulos T excitados Túbulo T produz corrente através das cisternas acopladas Sinal elétrico provoca liberação de canais de cálcio no sarcoplasma paracontração Ligação forte à troponina C
  12. 12. TIPOS DE MUSCULATURA LISA• Dimensões físicas• Organização dos feixes musculares• Resposta a estímulos• Características de inervação e funçãoMÚSCULO LISO UNITÁRIOFibras independentesRevestimento de colágeno e proteoglicanoContração independente por sinais neuronais (raras contrações espontâneas)Fibras lisas do músculo ciliar do olho; íris; membrana nictitanteMúsculos piloeretoresMÚSCULO LISO DE UMA UNIDADEContrações concomitantesDistribuição das força de contraçãoJunções abertasMusculatura lisa visceral: intestino, vias biliares, ureteres, útero e vasos
  13. 13. PROCESSO CONTRÁTILTROPONINA ausente• Filamentos de actina presos a corpos densos (semelhantes aosdiscos Z)• Menor quantidade de miosina• Contração tônica lisa mais prolongada (horas dias)• Duração dos ciclos das pontes cruzadas bem maior•Atividade de ATPase das cabeças da miosina menor (menorfreqüência dos ciclos)• Menos energia utilizada, melhor utilização na manutençãotônica lisa• Início Lento de contração• Força de contração maior• Encurtamento percentual• Relaxamento por estresse
  14. 14. REGULAÇÃO DO CÁLCIOEstímulos nervosos e hormonaisEstiramento da fibraAlteração no ambiente químico da fibraSISTEMA CÁLCIO-CALMODULINACa++ fixa-se à calmodulinaAtivação da quinase de miosina- fosforilação da cadeia leve regulatóriaCabeça fosofrilada fixa-se ao filamento de actinaMIOSINA FOSFATASE remove fosfato da CLR, determinando o final dacontraçãoJUNÇÕES NEUROMUSCULARES LISASFibras nervosas autonômicasExcitação/ inibiçãoAcetilcolinaNorepinefrinaAntagonismo fisiológico de neurotransmissoresReceptores transmembrana
  15. 15. Efeito hormonal• ACh, norepinefrina• Angiotensina, vasopressina, ocitocina, serotonina, histamina• Receptores excitatórios hormônio-dependentes• Receptores inibitórios• Abertura de canais de sódio ou cálcio: despolarização sem PAFONTES DE CÁLCIO PARA CONTRAÇÃO•Maioria dos íons cálcio vêm do líquido extra -celular durante PA•Difusão plena por toda fibra lisa•Canais de Ca++ ativados por hormônios sem alteração nopotencial de repouso•Retículo sarcoplasmático moderadamente desenvolvido•Força de contração dependente das concentrações extra-celulares de cálcio
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×