Your SlideShare is downloading. ×
0
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

T.A.R Aula 2 (1ª Unidade)

606

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
606
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Endereçamento IP O IP é um protocolo da Camada de rede É um endereço lógico único em toda a rede, portanto, quando estamos navegando na Internet estamos utilizando um endereço IP único mundialmente, pois a Internet é uma rede mundial Em redes locais podemos utilizar alguns endereços que não são válidos na Internet. Estes são reservados para redes locais, mas cada máquina da rede local utilizará um único IP nesta rede local.
  • 2. Endereços Lógicos, Físicos e de Serviço Serviço: Atribuído na camada de Transporte (TCP) e refere-se a uma aplicação que está sendo transportada (porta); Lógico: Atribuído na camada de rede (IP) e indica a origem e destino do serviço, independente do serviço que está sendo transportado; Físico: Atribuído na camada enlace (MAC), e indica o próximo host da rede onde o pacote será entregue.
  • 3. Endereço IPv4 Um endereço IP consiste em 4 bytes ou 32 bits. Ao invés de trabalhar com 32 bits por vez, é comum a prática de segmentação dos 32 bits de um endereço IP em quatro campos de 8 bits chamados de octetos; Cada octeto é convertido em um número de base decimal na escala de 0-255. Estes são separados por um ponto. Este formato é chamado de notação decimal pontuada. Em uma rede, estes números devem ser únicos e seguem a algumas regras que veremos a seguir; Exemplo.: 74.125.91.104
  • 4. Host x Rede Cada endereço IP inclui uma identificação de rede e uma de host (máquina): A identificação de rede (também conhecida como endereço de rede) identifica os sistemas que estão localizados no mesmo segmento físico de rede na abrangência de roteadores IPs. Todos os sistemas na mesma rede física devem ter a mesma identificação de rede. A identificação de rede deve ser única na rede; A identificação de host (também conhecido como endereço de host) identifica uma estação de trabalho, servidor, roteador, ou outro host TCP/IP (nó da rede) dentro de uma rede. O endereço para cada host deve ser único para a identificação de rede.
  • 5. Host x Rede
  • 6. Classes IP Existem 5 classes (A,B,C,D,E) de endereços IP, que irão variar conforme a quantidade de endereços de rede existente em cada classe; O objetivo das classes é determinar qual parte do endereço IP pertence a rede e qual parte do endereço IP pertence ao host, além de permitir uma melhor distribuição dos endereços IP’s.
  • 7. Classe A O primeiro byte do endereço está entre 1 e 127. Exemplo: 13.0.0.1 / 80.10.69.12 / 37.25.10.99 Nos endereços de Classe A, o primeiro número identifica a rede e os outros três números identificam o próprio host.
  • 8. Classe B O primeiro byte do endereço está entre 128 e 191. Exemplo: 133.0.0.1 / 140.10.69.12 / 190.25.10.99. Nos endereços de Classe B, os dois primeiros números identificam a rede e os outros dois números identificam o host.
  • 9. Classe C O primeiro byte do endereço está entre 192 e 223. Exemplo: 200.0.0.1 / 220.10.69.12 / 195.25.10.99 Nos endereços de Classe C, o três primeiros números identificam a rede e os últimos números identificam o próprio host.
  • 10. Classe D O primeiro byte do endereço está entre 224 e 239; Exemplo: 225.0.0.1 / 239.10.69.12 / 226.25.10.99; Esta classe está reservada para criar agrupamentos de computadores para o uso de Multicast (é a entrega de informação para múltiplos destinatários simultaneamente usando a estratégia mais eficiente onde as mensagens só passam por um link uma única vez e somente são duplicadas quando o link para os destinatários se divide em duas direções. Em comparação com o Multicast, a entrega simples ponto-a-ponto é chamada de Unicast, e a entrega para todos os pontos de uma rede chama-se Broadcast). Não podemos utilizar esta faixa de endereços para endereçar os computadores de usuários na rede TCP/IP.
  • 11. Classe E O primeiro byte do endereço está entre 240 e 247. A Classe E é um endereço reservado e utilizado para testes e novas implementações (IETF – Internet Engeneering Task Force) e controles do TCP/IP. Não podemos utilizar esta faixa de endereços para endereçar os computadores na rede TCP/IP.
  • 12. Números Máximos de Hosts em cadaClasse 1. Octeto Max. Redes Formato Exemplo Max. Host 1-126 126 R.H.H.H 100.1.240.28 16.777.214 128-191 16.384 R.R.H.H 157.100.5.195 65.534 192-223 2.097.152 R.R.R.H 205.35.4.120 254 224-239 Multicast 240-247 Resevado
  • 13. O endereço 127.0.0.1 é reservado para teste (loopback) ecomunicação entre processos da mesma máquina. A faixa de IP 127.0.0.0 – 127.255.255.255 (ou 127.0.0.0/8 na notação CIDR) é reservada para a comunicação com o computador local (localhost). Qualquer pacote enviado para estes endereços ficarão no computador que os gerou e serão tratados como se fossem pacotes recebidos pela rede
  • 14. Endereços não válidos na Internet Quando quiser configurar uma rede local, você deve usar um dos endereços reservados; endereços que não existem na Internet e que por isso podemos utilizar à vontade em nossas redes particulares; As faixas abaixo são reservadas para uso em redes locais: Faixa Máscara 10.X.X.X 255.0.0.0 172.16.X.X até 172.31.X.X 255.255.0.0 192.168.X.X 255.255.255.0
  • 15. Questões para Discussão1 - Por que endereçar as máquinas de uma rede?2 - Em uma mesma rede podemos ter máquinas com o mesmo número IP?3 - Em redes diferentes podemos ter máquinas com o mesmo número IP?4 - Para que usar a máscara de sub-rede?
  • 16. 192.168.0.30Sabemos que 192.168.0 é a parte da rede, e as máquina usam oúltimo octeto para se identificarem.No caso, o número da máquina é 30. Poderíamos ter outrasmáquinas nesta mesma rede:basta manter idêntica a parte da rede, e mudar a parte da máquina(pois, como você sabe,as máquinas devem ter endereçosexclusivos, que não se repitam):192.168.0.50192.168.0.240192.168.0.1
  • 17. Agora, o seguinte endereço IP: 192.168.0.277Não é válido, pois extrapola a capacidade de um octeto, que vai de0 a 255.E o endereço abaixo:192.168.1.55 Embora seja um endereço IP válido, a máquina não está na mesma rede, pois a parte da rede não é 192.168.0.
  • 18. Conflitos IP Para definirmos os IP’s de uma rede, precisamos seguir estas duas regras:  Na mesma rede, os IP’s de todas as máquinas devem estar na mesma rede. Por exemplo: Endereços Classe A. (13.0.0.1, onde o 13 é rede e 0.0.1 é host); Todos os hosts desta rede devem estar na mesma rede, ou seja, com IP’s começados por 13;  Numa mesma rede não poderá haver endereços IP’s iguais.
  • 19. Máscara de Sub-Rede Existem casos onde faz-se necessário subdividir uma rede em redes menores. Imagine o administrador de uma rede que contém 16 milhões de hosts. Ele deverá utilizar uma rede Classe A; A máscara de rede foi criada para formar sub-redes menores, e também possibilitar uma melhor utilização dos endereços IP disponíveis; Em resumo, o parâmetro Máscara de Sub-rede serve para confirmar ou alterar o funcionamento das Classes de endereços padrões do TCP/IP; Sempre deverá ser configurado o IP e a máscara em uma rede.
  • 20. Máscara de Sub-rede Em uma rede, o primeiro endereço da rede identifica o endereço de rede em si, e não poderá ser utilizado em nenhum equipamento; O último endereço também não poderá ser utilizado, pois é reservado para broadcast dentro daquela rede; Exemplo:  IP: 200.220.171.4  Máscara: 255.255.255.0  Rede: 200.220.171.0  Broadcast: 200.220.171.255
  • 21. A máscara de rede possui o mesmo formato do endereço IP: quatro octetos de 8 bits cada.Quando o octeto é 255, significa que a parte do endereço IPcorrespondente é rede. Se o octeto da máscara for um 0, significaque o octeto do IP correspondente é máquina.Dividimos o endereço em parte de rede, e em parte de máquina. Aparte de rede vem primeiro, e a parte de máquina vem depois.Endereço IP: 192.168.0.30Máscara: 255.255.255.0Parte da rede: 192.168.0 (pois a máscara é 255 nestes octetos)Parte da máquina: 30 (pois a máscara é 0 neste octeto)
  • 22. Neste exemplo, a máscara é 255.0.0.0.Somente um octeto é reservado para a rede; três são reservados paramáquinas.Endereço IP: 10.90.135.8Máscara: 255.0.0.0Parte da rede: 10 (pois a máscara é 255 neste octeto)Parte da máquina: 90.135.8 (pois a máscara é 0 nestes octetos)
  • 23. Endereço de Rede e de BroadcastEndereço de rede: É o endereço que representa a rede, o primeiroendereço desta; não pode ser aplicado em máquinas.Endereço de broadcast: É o endereço que representa todas asmáquinas da rede. É usado quando se quer enviar um pacote para todasas máquinas, sem ter de digitar endereço por endereço.É o último endereço da rede.
  • 24. GATEWAYO default gateway, ou gateway padrão é a porta de entrada e de saída da rede. Ele éo roteador que possui o link de Internet e é o responsável por rotear o tráfego dosdemais hosts da rede para a Internet e vice-versa. A menos que exista outra rotadefinida manualmente, todo o tráfego destinado a endereços fora da rede serãoencaminhados ao default gateway.Quando você compartilha a conexão entre vários micros, apenas o servidor queestá compartilhando a conexão possui um endereço IP válido, só ele "existe" naInternet. Todos os demais acessam através dele, encaminhando para ele os pacotesdestinados à Internet.Se o endereço de rede local do servidor que está compartilhando a conexão é"192.168.1.1", então este é o endereço que todos os demais usarão como gatewaypadrão.
  • 25. DNSO DNS (domain name system) permite usar nomes amigáveis em vez deendereços IP para acessar servidores. Quando você se conecta à Internete acessa o endereço http, é um servidor DNS que converte o "nomefantasia" no endereço IP real do servidor, permitindo que seu micropossa acessá-lo.Para tanto, o servidor DNS mantém uma tabela com todos os nomesfantasia, http://www.google.com relacionados com os respectivosendereços IP.
  • 26. Como não podemos aplicar o endereço de rede, nem o endereço debroadcast em uma máquina da rede, você sempre deve diminuir 2endereços quando contar quantas máquinas podem existir na rede.Por exemplo, embora a rede 192.168.0.0 máscara 255.255.255.0possa teoricamente conter 256 endereços (pois esta é a capacidadede um octeto, de 0 até 255), a verdade é que na vida real só poderãoexistir 254 máquinas nesta rede: de 1 até 254.
  • 27.  Classless InterDomain Routing – CIDR  Padronizado em 1993 pelo IETF (Internet Engineering Task Force)  A parte do endereço que representa a sub-rede possui tamanho arbitrário  Formato do endereço: a.b.c.d/x, em que x é o número de bits na porção do endereço que representa a sub- rede  Problemas  Eliminação das classes para endereçamento  Encaminhamento mais complicado
  • 28. Roteamento Livre de Classe
  • 29. Considerem que em cada octeto existe uma escala igual à que se encontra na elipseamarela.Vamos considerar para exemplo a máscara 255.255.255.0. Vamos começar porcalcular o primeiro 255. Para tal, olhamos para a elipse amarela e vamos verificar aque valores vamos ter de atribuir 0 ou 1 para obter o valor 255, ouseja, basicamente vamos passar 255 para o valor binário correspondente.Para 255 é fácil pois teríamos de colocar tudo a 1.Somando 128+64+32+16+8+4+2+1 termos então o 255.
  • 30. Podemos considerar que o 255.255.255.0, é igual a:Considerem agora que a máscara é - 255.255.240.0
  • 31. Exercício: Encontre a notação ou a máscara. / Máscara === =============== /24 255.255.255.0 /12 255.240.0.0 /32 255.255.255.255 /19 255.255.224.0 /9 255.128.0.0 /30 255.255.255.252 /21 255.255.248.0 /15 255.254.0.0
  • 32. Rede - SubredeA máscara de sub-rede pode ser usada para dividir uma rede existente em"sub-redes". Isso pode ser feito para:• Reduzir o tamanho dos domínios de broadcast (criar redes menores com menostráfego);• Para permitir que LANs em lugares geográficos diferentes se comuniquem ;• Para separar uma LAN de outra por razões de segurança. Os roteadores separamas sub-redes e um roteador determina quando um pacote pode ir de uma sub-redea outra. Cada roteador por onde um pacote passa é considerado um "salto". Asmáscaras de sub-rede ajudam as estações de trabalho, os servidores e os roteadoresem uma rede IP a determinar se o host de destino do pacote que eles desejamenviar está na sua própria rede ou em outra.
  • 33. Duas redes de classe C usando a máscara de sub-rede Padrão. Este exemplo mostrará como uma máscara de sub-rede padrão de classe Cpode ser usada para determinar em que rede o host está.Uma máscara de sub-rede padrão não divide um endereço em sub-redes. Se amáscara de sub-rede padrão for usada, a rede não será dividida em sub-redes.O Host X (origem) na Rede 200.1.1.0 tem um endereço IP 200.1.1.5e quer enviar um pacote aoHost Z (destino) na Rede 200.1.2.0 e tem um endereço IP 200.1.2.8.Todos os hosts em todas as redes estão conectados a hubs ou switches e depois aum roteador. Lembre-se de que em um endereço de rede de classe C, édeterminado os três primeiros octetos (24 bits) como endereço de rede,portanto essas são duas redes de classe C diferentes.Resta um octeto (8 bits) para os hosts, de forma que cada rede de classe C pode teraté 254 hosts (2^8 = 256 - 2 = 254).
  • 34. Analise o cenário abaixo e identifique quem é cada item:
  • 35. Subrede – Máscara em BinárioApresentado o endereço e sua máscara abaixo:200.192.100.X255.255.255.0Bit 1 representa a RedeBit 0 representa o Host11111111.11111111.11111111.00000000RRRRRRRR RRRRRRRR RRRRRRRR HHHHHHHH
  • 36. Subrede – Classe C – PersonalizadaPara criar esse tipo de máscara de sub-rede se faz necessário “tomar” emprestadoBits da parte de Host do endereço.O número de sub-rede será: 2 elevado ao número desses bits.11111111.11111111.11111111.1000000021 = 2 subredes11111111.11111111.11111111.1100000022 = 4 subredes (00, 01, 10, 11)
  • 37. 11111111.11111111.11111111.111000023 = 8 subredes00000101001110010111011111111111.11111111.11111111.11111110Não funciona pois não sobra nenhum Host válido, somente 0 e 1.Sendo assim o número máximo de subrede em uma classe C é de 64 subredes.
  • 38. Quantidade de Hosts por Subrede:

×