RELAÇÕES ENTRE  INDIVÍDUO E   SOCIEDADE
   Diferentes análises    sobre a constituição da    sociedade e a maneira    como os indivíduos se    relacionam
KARL MARXMarx analisa a sociedade a partir desuas condições e situações sociais, jáque produzem sua existência emgrupo.
COLETIVISMO: A maior parte   da história humana foiconstruída a partir dos grupos           sociais
Praticamente, não havia a ideia do individualismo: a ideia era  viver em grupos devido às         necessidades
   Mesmo no capitalismo, a sociedade    depende do trabalho em grupo para    sobreviver, através da    SOLIDARIEDADE ORGÂ...
   NÓS SEMPRE ESTAMOS    PRECISANDO DO TRABALHO DOS    OUTROS...NINGUÉM VIVE DE    MANEIRA INDEPENDENTE.
   É EXTREMAMENTE DIFÍCIL VIVERMOS    DE MANEIRA INDEPENDENTE
   Segundo Marx, a ideia de    individualismo só apareceu no início    do capitalismo, final da idade média,    na época ...
   MARX DESENVOLVEU A IDEIA DA    LUTA DE CLASSES:    BURGUESES X TRABALHADORES
Quem impõe as    condições de trabalho?    Quem impõe o horário?        X
Quem é o vendedor    Quem é o comprador?       X
COMPRADOR DATUA FORÇA DETRABALHO (OU MÃODE OBRA)
VENDEDOR DA FORÇA DE    TRABALHO (OU MÃO DE OBRA)             X
Quem determina seu salário?       Quem tem mais poder?          X
Quem se sujeita ao horário,    ao salário e às condições?           X
Por que se sujeita?    X
Porque não possui os meios        de produção        X
Porque há mais   demanda do que    oferta de emprego            X
ESSA RELAÇÃO É DE       IGUALDADE?            X
   EMP ESÁR        R    IOS ( B GUESES)                    UR     E TR ALHADOR         AB         ES    ALMEJAM UM MESMO ...
 EMP ESÁR      R    IOS ( B GUESES) E                  UR  TR ALHADOR    AB         ES POSSUEM MEIOS  DIFER ENTES P A ALC...
QUAL É O PAPEL DO ESTADO  NA LUTA DE CLASSES?:
MARX E O INDIVIDUALISMO   Marx também admitia que o    indivíduo construía sua    própria história, embora    muitas veze...
EXEMPLO: O CONCEITO DE POBREZA   Definição de pobreza em Sociologia:    Carência material; tipicamente envolvendo as    n...
EXEMPLO: O CONCEITO DE POBREZA   Segundo a ideologia do consumo, o pobre é aquele    que não possui carro novo ou seminov...
   CONCEITO DETURPADO DE POBREZA   Segundo o conceito de pobre de nossa    época, pobre é quem não tem os    bens que um...
O QUE É SER POBRE?   No marxismo, ser pobre é ter carência    das necessidades vitais (alimentação,    saúde, emprego, ha...
ISTO É POBREZA
ISTO É POBREZA
ISTO NÃO É POBREZA
   Isso é realmente essencial à subsistência?    No capitalismo, se você não possui esse padrão    de vida, você é consid...
   Isso ocorre porque o sistema econômico impôs    de forma persuasiva que tais bens são    essenciais para a vida do cid...
   A VIDA SE LIMITA A ISSO? APENAS    TER?
   REVEJA SEUS CONCEITOS SOBRE A    VIDA MATERIAL...VALORIZE O QUE    VOCÊ TEM...
   NÃO É MAIS RICO O QUE MAIS    TEM...É MAIS RICO O QUE MENOS    PRECISA
MAX WEBER(1864-1920)          WEBERDiferentemente de Durkheim, Weber tem comopreocupação central compreender o indivíduo e...
   Para Weber, não existe oposição entre    indivíduo e sociedade: as normas sociais    só se tornam concretas quando se ...
A IDEIA DE AÇÃO SOCIAL   É a ação racional em que o indivíduo    orienta-se por princípios, convicções ou    valores, lev...
AÇÃO SOCIAL   É o ato de se comunicar, relacionar,    tendo alguma orientação quanto as    ações dos outros (indivíduo, g...
AÇÃO SOCIAL NÃO É AÇÃO         HOMOGÊNEA   Exemplo do guarda-chuva: não    usamos por causa dos outros, mas    por causa ...
OU INFLUENCIADA COMO NOS CASOS DE AGLOMERAÇÕES        EVENTUAIS
TIPOS DE AÇÕES SOCIAIS   1-AÇÃO TRADICIONAL   2-AÇÃO AFETIVA   3-AÇÃO RACIONAL COM RELAÇÃO A    VALORES   4-AÇÃO RACIO...
1-AÇÃO TRADICIONAL   Costumes, tradições, hábitos,    crenças, etc.
   -Entre os estudantes de classe    média e alta, é tradicional cursar    uma faculdade simplesmente    porque isso é o ...
   Entre as jovens de classe média,    também é tradicional celebrar com    uma grande festa os 15 anos. Gasta-    se peq...
2-AÇÃO AFETIVA
3-AÇÃO RACIONAL COM RELAÇÃO A VALORES
4-AÇÃO RACIONAL COM  RELAÇÃO A FINS OU     OBJETIVOS
NORBERT ELIAS (1897-1990)   Não admitia a ideia da separação    entre indivíduo e sociedade, pois    estão entrelaçados....
SOCIEDADE DOS INDIVÍDUOSA sociedade nada mais é do que umaporção de pessoas juntas.Nem a sociedade nemo indivíduo existem ...
INTERDEPENDÊNCIATodos nós estamos presos nacadeia social; vivemos nadependência funcional de outras;somos um elo nas cadei...
Elias criou o conceito de    Configuração ou Figuração Somos elos em cadeias de dependências invisíveis, que são variávei...
Estamos unidos uns aos outros pormaneiras específicas de subordinação;a dinâmica social é marcada pelaconstante tensão em ...
Como técnico, a quem você estará subordinado?
HABITUS (Maneira de ser)   Estrutura mental pela qual as pessoas    adquirem suas diversas posições e    comportamentos. ...
   Habitus é o produto da    internalização, pelo    individuo, das condições    históricas e sociais    realizadas ao lo...
O SER HUMANO É PRODUTO   DO MEIO ONDE VIVE
   "Eu sou filho de uma    mulher que nasceu    analfabeta."
   É uma crise causada, fomentada,    por comportamentos irracionais    de gente branca, de olhos azuis,    que antes da ...
   Uma mulher não pode ser    submissa ao homem por causa    de um prato de comida. Tem que    ser submissa porque gosta ...
   Eu estava no Guarujá, caiu uma    chuva na quinta-feira, que eu pensei    que ia encher o mar. Eu falei: tudo    bem, ...
   Tem que fazer uma reza    profunda para que a gente deixe    o pessimismo no banheiro, dê    descarga nele logo cedo e...
   "Muita gente acha que a Dilma é    dura. Nem todo mundo é    obrigado a ficar se arreganhando    para todo mundo. A Di...
ORIGEM A palavra habitus originou-se da  filosofia escolástica, para designar “uma qualidade estável e  difícil de ser r...
TUDO TEM SEU LADO BOM E RUIM   O HABITUS, em geral, não significa ser    ruim ou reprovável......é necessário    para gar...
HABITUS PRIMÁRIOaquele transmitido de maneira implícita,inconsciente, pela educação familiar,escolar, religiosa, etc.
   O habitus secundário: é uma    ampliação do universo de    vida, é um habitus individual    conforme vamos agregando  ...
HABITUS E AS ESCOLHAS   NOSSA S ESCOLHA S DEPENDEM    TA MBÉM DA ESTRUTURA DA    SOCIEDA DE E DA NA TUREZA DA S    FUNÇÕE...
A CONDUTA DO INDIVÍDUO   DENTRO DAS ESTRUTURAS             SOCIAISAs condições de existência são fatoresAs condições de ex...
Alcides: rompeu a barreira de sua condição de existência
MILTON SANTOS   Rompeu com a tradição e a visão    pobre da vida...a preguiça, o    comodismo, a acomodação e a    aceita...
DOMINAÇÃO SIMBÓLICA:         DEFINIÇÃO GERAL   É a atitude voltada para controlar ou    subjugar outras pessoas, através ...
DEFINIÇÃO DO PONTO DE       VISTA ECONÔMICO É o processo pelo qual a  classe que domina  economicamente impõe  sua cultur...
   As relações de dominação estão    muitas vezes tão arraigadas ao corpo    social que parecem naturais, através    da o...
   Sarkozy e Carla    Bruni
   Essa dominação simbólica (seja    ela de etnia, de gênero, de    cultura,de língua etc.) ocorre    através dos esquema...
   Estão aquém das decisões    da consciência e dos    controles da vontade, uma    relação de conhecimento    profundame...
   Em seu livro,    “A Dominação Masculina”, Bourdieu    investiga a questão da submissão    feminina e as formas de domi...
   As imposições da moda e    o bombardeio midiático    fazem com que homens e    mulheres, sobretudo    elas, persigam u...
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
3ª Unidade Habitus
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

3ª Unidade Habitus

1,402 views
1,311 views

Published on

ery é foda

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,402
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
407
Actions
Shares
0
Downloads
51
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

3ª Unidade Habitus

  1. 1. RELAÇÕES ENTRE INDIVÍDUO E SOCIEDADE
  2. 2.  Diferentes análises sobre a constituição da sociedade e a maneira como os indivíduos se relacionam
  3. 3. KARL MARXMarx analisa a sociedade a partir desuas condições e situações sociais, jáque produzem sua existência emgrupo.
  4. 4. COLETIVISMO: A maior parte da história humana foiconstruída a partir dos grupos sociais
  5. 5. Praticamente, não havia a ideia do individualismo: a ideia era viver em grupos devido às necessidades
  6. 6.  Mesmo no capitalismo, a sociedade depende do trabalho em grupo para sobreviver, através da SOLIDARIEDADE ORGÂNICA
  7. 7.  NÓS SEMPRE ESTAMOS PRECISANDO DO TRABALHO DOS OUTROS...NINGUÉM VIVE DE MANEIRA INDEPENDENTE.
  8. 8.  É EXTREMAMENTE DIFÍCIL VIVERMOS DE MANEIRA INDEPENDENTE
  9. 9.  Segundo Marx, a ideia de individualismo só apareceu no início do capitalismo, final da idade média, na época do renascimento e da reforma, a partir do enriquecimento da burguesia...
  10. 10.  MARX DESENVOLVEU A IDEIA DA LUTA DE CLASSES: BURGUESES X TRABALHADORES
  11. 11. Quem impõe as condições de trabalho? Quem impõe o horário? X
  12. 12. Quem é o vendedor Quem é o comprador? X
  13. 13. COMPRADOR DATUA FORÇA DETRABALHO (OU MÃODE OBRA)
  14. 14. VENDEDOR DA FORÇA DE TRABALHO (OU MÃO DE OBRA) X
  15. 15. Quem determina seu salário? Quem tem mais poder? X
  16. 16. Quem se sujeita ao horário, ao salário e às condições? X
  17. 17. Por que se sujeita? X
  18. 18. Porque não possui os meios de produção X
  19. 19. Porque há mais demanda do que oferta de emprego X
  20. 20. ESSA RELAÇÃO É DE IGUALDADE? X
  21. 21.  EMP ESÁR R IOS ( B GUESES) UR E TR ALHADOR AB ES ALMEJAM UM MESMO OB JETIVO (OU FIM): GANHAR DINHEIR . . O QUE O. DIFER ENCIA É A QUANTIDADE: O TR ALHADOR R AB ECEB E
  22. 22.  EMP ESÁR R IOS ( B GUESES) E UR TR ALHADOR AB ES POSSUEM MEIOS DIFER ENTES P A ALCANÇAR SEUS AR OB JETIVOS: O B URGUÊS USA O CAP ITAL P A AR EXP LORAR A MÃO DE OB A DO R TR ALHADOR OU SEJA, EXP AB , LORA –O, POIS P ECISA DA SUA MÃO DE R OB A; R O TR ABALHADOR SUB METE- SE À EXP LORAÇÃO DO B GUÊS, P UR OIS P ECISA DO SALÁR R IO
  23. 23. QUAL É O PAPEL DO ESTADO NA LUTA DE CLASSES?:
  24. 24. MARX E O INDIVIDUALISMO Marx também admitia que o indivíduo construía sua própria história, embora muitas vezes alienado por ideologias.
  25. 25. EXEMPLO: O CONCEITO DE POBREZA Definição de pobreza em Sociologia: Carência material; tipicamente envolvendo as necessidades da vida cotidiana como alimentação, vestuário, alojamento e cuidados de saúde. Pobreza neste sentido pode ser entendida como a carência de bens e serviços essenciais.
  26. 26. EXEMPLO: O CONCEITO DE POBREZA Segundo a ideologia do consumo, o pobre é aquele que não possui carro novo ou seminovo, mansão, apartamento de luxo, fazenda, casa de praia, não viaja a passeio ou ao exterior, mora em periferia ou em favela, ganha pouco, trabalha como operário, ajudante, servente, etc. O pobre é visto como marginalizado. Se encontra fora dos "prazeres da vida".
  27. 27.  CONCEITO DETURPADO DE POBREZA Segundo o conceito de pobre de nossa época, pobre é quem não tem os bens que um rico possui, nem o seu padrão de vida.
  28. 28. O QUE É SER POBRE? No marxismo, ser pobre é ter carência das necessidades vitais (alimentação, saúde, emprego, habitação sem luxo, educação, etc.).
  29. 29. ISTO É POBREZA
  30. 30. ISTO É POBREZA
  31. 31. ISTO NÃO É POBREZA
  32. 32.  Isso é realmente essencial à subsistência? No capitalismo, se você não possui esse padrão de vida, você é considerado um pobre, um perdedor.
  33. 33.  Isso ocorre porque o sistema econômico impôs de forma persuasiva que tais bens são essenciais para a vida do cidadão. Os trabalhadores incorporam os valores da burguesia e passam a agir como se pobres fossem...
  34. 34.  A VIDA SE LIMITA A ISSO? APENAS TER?
  35. 35.  REVEJA SEUS CONCEITOS SOBRE A VIDA MATERIAL...VALORIZE O QUE VOCÊ TEM...
  36. 36.  NÃO É MAIS RICO O QUE MAIS TEM...É MAIS RICO O QUE MENOS PRECISA
  37. 37. MAX WEBER(1864-1920) WEBERDiferentemente de Durkheim, Weber tem comopreocupação central compreender o indivíduo esuas ações.Por que as pessoas tomam determinadas decisões?Quais são as razões para seus atos?Para Weber, a sociedade não é algo externo e acimadas pessoas, mas é o conjunto das ações dosindivíduos e de suas motivações.
  38. 38.  Para Weber, não existe oposição entre indivíduo e sociedade: as normas sociais só se tornam concretas quando se manifestam em cada indivíduo sob a forma de motivação. Cada sujeito age levado por um motivo que é dado pela tradição, por interesses racionais ou pela emotividade.
  39. 39. A IDEIA DE AÇÃO SOCIAL É a ação racional em que o indivíduo orienta-se por princípios, convicções ou valores, levando em conta a sua fidelidade aos mesmos, os quais são inspiradores de sua conduta.
  40. 40. AÇÃO SOCIAL É o ato de se comunicar, relacionar, tendo alguma orientação quanto as ações dos outros (indivíduo, grupo, etc.).
  41. 41. AÇÃO SOCIAL NÃO É AÇÃO HOMOGÊNEA Exemplo do guarda-chuva: não usamos por causa dos outros, mas por causa da chuva.
  42. 42. OU INFLUENCIADA COMO NOS CASOS DE AGLOMERAÇÕES EVENTUAIS
  43. 43. TIPOS DE AÇÕES SOCIAIS 1-AÇÃO TRADICIONAL 2-AÇÃO AFETIVA 3-AÇÃO RACIONAL COM RELAÇÃO A VALORES 4-AÇÃO RACIONAL COM RELAÇÃO A FINS OU OBJETIVOS
  44. 44. 1-AÇÃO TRADICIONAL Costumes, tradições, hábitos, crenças, etc.
  45. 45.  -Entre os estudantes de classe média e alta, é tradicional cursar uma faculdade simplesmente porque isso é o que se espera que um jovem dessas classes sociais faça.
  46. 46.  Entre as jovens de classe média, também é tradicional celebrar com uma grande festa os 15 anos. Gasta- se pequenas fortunas simplesmente porque é tradição.
  47. 47. 2-AÇÃO AFETIVA
  48. 48. 3-AÇÃO RACIONAL COM RELAÇÃO A VALORES
  49. 49. 4-AÇÃO RACIONAL COM RELAÇÃO A FINS OU OBJETIVOS
  50. 50. NORBERT ELIAS (1897-1990) Não admitia a ideia da separação entre indivíduo e sociedade, pois estão entrelaçados. Tudo deve ser entendido segundo o contexto, caso contrário, perde-se a dinâmica da realidade.
  51. 51. SOCIEDADE DOS INDIVÍDUOSA sociedade nada mais é do que umaporção de pessoas juntas.Nem a sociedade nemo indivíduo existem semo outro.
  52. 52. INTERDEPENDÊNCIATodos nós estamos presos nacadeia social; vivemos nadependência funcional de outras;somos um elo nas cadeias queligam outras pessoas, assim comotodas as demais, direta ouindiretamente;
  53. 53. Elias criou o conceito de Configuração ou Figuração Somos elos em cadeias de dependências invisíveis, que são variáveis e mutáveis. Essa rede de funções chamamos de Sociedade
  54. 54. Estamos unidos uns aos outros pormaneiras específicas de subordinação;a dinâmica social é marcada pelaconstante tensão em busca deequilíbrio
  55. 55. Como técnico, a quem você estará subordinado?
  56. 56. HABITUS (Maneira de ser) Estrutura mental pela qual as pessoas adquirem suas diversas posições e comportamentos. O Habitus funciona como uma força conservadora no interior da ordem social
  57. 57.  Habitus é o produto da internalização, pelo individuo, das condições históricas e sociais realizadas ao longo de sua trajetória pessoal e social.
  58. 58. O SER HUMANO É PRODUTO DO MEIO ONDE VIVE
  59. 59.  "Eu sou filho de uma mulher que nasceu analfabeta."
  60. 60.  É uma crise causada, fomentada, por comportamentos irracionais de gente branca, de olhos azuis, que antes da crise parecia que sabia tudo e que, agora, demonstra não saber nada" - Em 2009, ao premier britânico, Gordon Brown.
  61. 61.  Uma mulher não pode ser submissa ao homem por causa de um prato de comida. Tem que ser submissa porque gosta dele" -
  62. 62.  Eu estava no Guarujá, caiu uma chuva na quinta-feira, que eu pensei que ia encher o mar. Eu falei: tudo bem, quando o rio transborda, a água vai para o mar. Primeiro, passa na casa das pessoas que moram na periferia, depois ela vai para o mar. Eu falei: se o mar encher, vai para onde?
  63. 63.  Tem que fazer uma reza profunda para que a gente deixe o pessimismo no banheiro, dê descarga nele logo cedo e saia pensando em coisas boas" - Em discurso em outubro de 2005, no Rio, para agentes de viagem, referindo-se ao pessimismo.
  64. 64.  "Muita gente acha que a Dilma é dura. Nem todo mundo é obrigado a ficar se arreganhando para todo mundo. A Dilma é o que ela é" - Em abril de 2010.Críticas à imprensa
  65. 65. ORIGEM A palavra habitus originou-se da filosofia escolástica, para designar “uma qualidade estável e difícil de ser removida, que tinha por finalidade facilitar as ações dos indivíduos”
  66. 66. TUDO TEM SEU LADO BOM E RUIM O HABITUS, em geral, não significa ser ruim ou reprovável......é necessário para garantir a ordem na sociedade (ex: laços e hierarquia familiar, escolar, empresarial, militar, religiosa, etc.).
  67. 67. HABITUS PRIMÁRIOaquele transmitido de maneira implícita,inconsciente, pela educação familiar,escolar, religiosa, etc.
  68. 68.  O habitus secundário: é uma ampliação do universo de vida, é um habitus individual conforme vamos agregando as experiências de vida
  69. 69. HABITUS E AS ESCOLHAS NOSSA S ESCOLHA S DEPENDEM TA MBÉM DA ESTRUTURA DA SOCIEDA DE E DA NA TUREZA DA S FUNÇÕES QUE A S PESSOA S EX ERCEM DENTRO DELA .
  70. 70. A CONDUTA DO INDIVÍDUO DENTRO DAS ESTRUTURAS SOCIAISAs condições de existência são fatoresAs condições de existência são fatores que geralmente influenciam em nossas escolhas
  71. 71. Alcides: rompeu a barreira de sua condição de existência
  72. 72. MILTON SANTOS Rompeu com a tradição e a visão pobre da vida...a preguiça, o comodismo, a acomodação e a aceitação passiva por ter nascido pobre.
  73. 73. DOMINAÇÃO SIMBÓLICA: DEFINIÇÃO GERAL É a atitude voltada para controlar ou subjugar outras pessoas, através de condutas de intimidação, manipulação, ameaça, humilhação e isolamento ou qualquer conduta que prejudique a saúde psicológica, autodeterminação ou desenvolvimento de uma pessoa.
  74. 74. DEFINIÇÃO DO PONTO DE VISTA ECONÔMICO É o processo pelo qual a classe que domina economicamente impõe sua cultura aos dominados.
  75. 75.  As relações de dominação estão muitas vezes tão arraigadas ao corpo social que parecem naturais, através da ordem estabelecida, dos privilégios, tradições e injustiças. “As coisas são como são”,
  76. 76.  Sarkozy e Carla Bruni
  77. 77.  Essa dominação simbólica (seja ela de etnia, de gênero, de cultura,de língua etc.) ocorre através dos esquemas de percepção, avaliação e ação já fundamentados na consciência coletiva...
  78. 78.  Estão aquém das decisões da consciência e dos controles da vontade, uma relação de conhecimento profundamente obscura a ela mesma.
  79. 79.  Em seu livro, “A Dominação Masculina”, Bourdieu investiga a questão da submissão feminina e as formas de dominação masculina e respaldadas por instituições como Escola, Família, Empresas, Igreja e Estado.
  80. 80.  As imposições da moda e o bombardeio midiático fazem com que homens e mulheres, sobretudo elas, persigam um padrão de beleza inexistente. A indústria da moda e da beleza é mais cruel com as mulheres. E as mulheres cruéis consigo mesmas, gerando a sensação freqüente de angústia e frustração.

×