Comunicação em cenários de cocriação Claudio Moreira

927 views

Published on

Aula de Comunicação em cenários de co-criação de Claudio Moreira

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
927
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Comunicação em cenários de cocriação Claudio Moreira

  1. 1. Comunicação em cenários de co-criaçãoClaudio Moreira
  2. 2. O que é co-criação?• O termo co-criação foi cunhado em 1988, na obra conjunta escrita por Venkat Ramaswamy e C.K. Prahalad “A construção, com os stakeholders, de plataformas de engajamento baseadas na experiência, que aumentam mutuamente o valor”.
  3. 3. Porque as pessoas querem participar
  4. 4. Participar da criação de um produto?
  5. 5. Muitos motivos• Incentivo a fazer parte de algo maior que a pessoa sozinha não teria capacidade de fazer (software opensource).• Incentivo a notoriedade. É mostrar para o próximo que ele faz parte daquilo que foi criado.• Pura diversão.• Oportunidade de colaborar. O ser humano é um colaborador por natureza.• Recompensa financeira
  6. 6. • Pesquisa Forrester Research – 43% das empresas pretendem aumentar seus investimentos em plataformas digitais.• Se o clientes associam seu nome à satisfação, qualidade e valor, você ganha a lealdade do cliente, preços mais altos, compras repetidas, propaganda boca a boca e um fluxo contínuo de lucros altos.”
  7. 7. Antigo X Atual
  8. 8. Web 2.0
  9. 9. Porque co-criarA diferenciação baseada em produtos e serviços está cada vez menos eficaz.
  10. 10. De onde vêm as ideias criativas?• Grandes ideias demoram para serem produzidas, às vezes décadas. – Não se ouve “Eureka” todo dia! – Às vezes, só temos uma parte da ideia...
  11. 11. Um duelo• Economia planificada Mão invisível do mercado• Um para muitos Muitos para muitos
  12. 12. Qual deu certo? Porque? • A economia é um fluxo contínuo de bilhões de interações voluntárias, entre bilhões de indivíduos.... • Transborde esse raciocínio...
  13. 13. Como hoje você vê as oportunidades para inovar? • Internet 24x7 • Aumento histórico de conexões • Facilidade de se conectar e trocar informações com outras pessoas(até mesmo combinar “palpites”)!
  14. 14. Um exemplo
  15. 15. Quando podemos gritar “Eureka” hoje em dia?• Mas como achar o elo perdido?• A peça que faltava para completar ou melhorar a sua própria ideia?• Como trabalhamos o grande número de informações e essa facilidade de conexão a nosso favor?
  16. 16. Grande Desafio• Coordenar a colaboração e saber aproveitar as opiniões dos clientes juntamente com o conhecimento técnico de seus funcionários – colaboradores de cocriação divididos e gerenciados, de acordo com as etapas do processo
  17. 17. Porque as empresas querem...• Se meter nesta encrenca?Por que a co-criaçãopromove diversosbenefícios tanto do pontode vista produtivo quantodo ponto de vista demarketing.
  18. 18. Diversos Benefícios• Minimiza o risco de desenvolvimento de produtos pouco aceitos pelo mercado.• Minimiza o risco de uma análise mal feita de uma pesquisa de mercado.• Eh possível aumentar exponencialmente a capacidade de criação da empresa. O que será que produz mais? Meia- dúzia de designers e projetistas ou 6 mil clientes colaborando na criação de algum produto?• Cria um vínculo muito mais estreito entre o produto e os clientes. Esse estreitamento transforma totalmente sua forma de comunicação empresarial.
  19. 19. Diversos Benefícios• Mobilização Interna – Inovação Fechada – Ênfase em fontes internas – Centros P&D, Programa de Ideias, Capacitação Interna• Mobilização externa – Inovação Aberta – Rápido aumento do conhecimento disponível e redução do ciclo de vida do produto
  20. 20. Inovação aberta - ASML
  21. 21. Inovação aberta• “Inovação aberta é o uso intencional de entradas e saídas do conhecimento para acelerar a inovação interna e expandir os mercados e possibilidades.” • Henry Chesbrough (Ph.D. em administração de empresas pela Universidade da Califórnia em Berkeley)
  22. 22. O Funil de Inovação
  23. 23. Principios da Inovação fechada Princípios da Inovação aberta As pessoas competentes trabalham para Nem todas as pessoas competentes nós trabalham para nós. Precisamos trabalhar com pessoas competentes dentro e fora da empresa. Para ter lucro através de P&D, precisamos P&D externo pode criar valor significativo e fazer descobertas, desenvolvê-las e o P&D interno pode reivindicar uma porção comercializá-las nós mesmos. desse valor. Se nós mesmos fazemos as descobertas, Não temos que necessariamente criarmos ateremos condições de sermos os primeiros a Pesquisa para lucrarmos com ela. introduzirmos no Mercado.Ganha aquela empresa que coloca primeiro Construir um modelo de negócio é melhor uma inovação no Mercado. do que chegar primeiro ao Mercado.Ganharemos, se criarmos as melhores idéias Ganharemos, se fizermos o melhor uso das na empresas. idéias internas e externas. Devemos controlar nossa PI (Propriedade Devemos lucrar com outros usos de nossas Intelectual), de modo que nossos PI e devemos adquirir outras PI desde quecompetidores não lucrem com nossas idéias. contribuam para avançar nossos modelos de negócio.
  24. 24. Co-criação: Electrolux Design Lab
  25. 25. Co-criação de valor• a participação do cliente no processo de produção,• sua interação com a empresa na busca da criação de valor
  26. 26. É necessário organização• Etapas de implantação da cocriação: – Criar uma “plataforma”. Essa plataforma poderá ser um ambiente na web nas redes sociais, ning, orkut, facebook, basecamp, blog, dentre outras; e ou, no próprio site da empresa; – Solicitar feedback dos consumidores e enriquecer a plataforma, incorporando todos os esforços de customização feitos pela rede de consumidores; – Permitir um espaço para que cada consumidor customize a plataforma, adequando-a a sua identidade pessoal,favorecendo um ambiente para conversação de experiências e emoções ao consumirem os produtos e serviços. Além de sugestões e dicas de melhorias ou desenvolvimentos de novos produtos.
  27. 27. Co-criação: Jornalistas da web• Mais de 10 anos no ar; tem o objetivo de cobrir o cenário do jornalismo digital e cultura da rede.
  28. 28. Consumidores ativos, ou prosumers• Buscam na realidade produtos e experiências melhores. A cocriação torna-se fundamental para as empresas que desejam criar valor e repassá-lo aos seus clientes
  29. 29. Co-criação: My Starbucks Idea
  30. 30. Co-criação: Nike +
  31. 31. Co-Criação – Snack Life
  32. 32. Francis Gouillart, consultor de co-criação• Mudar o processo de concepção do produto para co-criação traz para as organizações uma nova dinâmica. “Na melhor das hipóteses, as companhias vão controlar apenas metade da experiência do consumidor”
  33. 33. Consórcio Modular VW Resende/ RJ - Ônibus e caminhões• Localizada na cidade de Resende (RJ), a 150 km do Rio de Janeiro e 250 km de São Paulo. Ocupa uma área de 1 milhão de metros quadrados, com 110 mil metros quadrados de área construída.
  34. 34. Consorcio Modular VW
  35. 35. Co-criação: Fiat Mio• uso de plataformas de comunicação abertas, as empresas avançam no objetivo de transformar o consumidor em co-criador de produtos e serviços “As empresas que optam por utilizar uma plataforma aberta devem estar preparadas para ouvir e entender que, abrindo um projeto para o público, ele se torna criador e líder das decisões” -Ana Brant, responsável na Fiat Brasil pela gestão da produção offline e pela presença nos meios digitais
  36. 36. Fiat Mio
  37. 37. World Community Grid IBM E se... …o tempo ocioso de cada um dos mais de 1 bilhão(estimados) de PCs espalhados pelo mundo pudessem se unir a favor dos maiores problemas da humanidade? …cientistas pudessem ter acesso a um poder computacional extraordinário e reduzir drasticamente o tempo de pesquisas de anos para meses?
  38. 38. Intel e Toshiba The Inside Experience – Um novo filme de Hollywood. Duas marcas com grande verba de comunicação. Nasce o “Consumer Placement”. The Inside Experience permite que o consumidor participe do longa metragem com cenas gravadas de sua webcam
  39. 39. Um desafio co-branded• Simples filme para uma marca de cerveja: um monte de gente numa praia, mulheres dançando, passando bronzeador, close nas bundas, muito sol, pegação, alguém faz uma piadinha, musiquinha e finalmente, cerveja. Assinatura da marca e piadinha final
  40. 40. Um desafio co-branded• Como é que a galera chegou na praia? De carro? Qual carro?• Alguém usa celular nessa praia? Alguém tira foto no celular? Qual é o celular?• Alguém compartilha algo enquanto está na praia? Alguém tem conexão a internet nessa praia?• E o bronzeador? …
  41. 41. 4 desafios fundamentais da cocriação• Diálogo entre os clientes e a empresa: –como se pode criar um canal de comunicação bilateral entre os indivíduos e a empresa com objetivo de promover uma boa relação para ambos os lados?
  42. 42. 4 desafios fundamentais da cocriação• Acesso dos clientes a informações das empresas: –como possibilitar para os clientes o acesso a informações, conhecimentos e ferramentas que promovem o diálogo e que permitam a cocriação efetiva de valor?
  43. 43. 4 desafios fundamentais da cocriação• Risco-retorno para os dois lados (empresa e cliente): – como apoiar os clientes e a empresa a entender e equilibrar a relação risco- retorno das interações e assim gerar benefícios para ambos? Esse binômio tem como base o risco dos investimentos para os ajustes demandados pelos clientes, o qual deve ser analisado sob a ótica do custoxbenefício para ambas as partes.
  44. 44. 4 desafios fundamentais da cocriação• Transparência na relação entre cliente e empresa: – como criar transparência nestas interações e criar um sentimento de abertura e confiança de ambos os lados?
  45. 45. Elementos em comunicaçãoemissor ou fonte, Organização ou cliente?mensagem, Organização ou cliente?Canal Organização ou cliente?feedback Organização ou cliente?Receptor Organização ou cliente? Sentiram o tamanho da encrenca ?
  46. 46. Elementos em comunicação• Emissor ou fonte É o indivíduo, ou grupo de pessoas, ou organização com idéias, intenções, necessidades, informações, enfim, com uma razão para se empenhar na comunicação. Analisaremos a mudança de vetor no canal
  47. 47. Elementos em comunicação• Mensagem Na comunicação humana a mensagem existe em forma física: há a tradução de idéias, intenções e objetivos num código. O emissor utiliza uma combinação de signos e símbolos para expressar a sua intenção comunicativa.
  48. 48. Elementos em comunicação• Canal É o condutor da mensagem, o meio que permite a circulação da informação enviada pelo emissor.
  49. 49. Elementos em comunicação • Receptor É o alvo da comunicação. É o indivíduo ou audiência que recebe e descodifica a mensagem. Constitui o elo mais importante do processo, pois se a mensagem não atingir o receptor, de nada serviu enviá-la.
  50. 50. As pessoas são a base dos processos ...os resultados advirão colaborativos... das metodologias.
  51. 51. Conclusão Organizações inovadoras de sucesso possuem em comum: foco na liderança, profunda competência, cultura facilitadora, aprendizagem dinâmica, estrutura e processos habilitadores e tomada de decisão inteligente, nelas a comunicação flui, sendo livre de amarras.
  52. 52. Comunicação em cenários de co-criação Obrigado! claudio@claudiomoreira.com.brClaudio Moreira

×