Your SlideShare is downloading. ×
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos

36,242

Published on

Conceitos e Definições aplicados ao medicamento e aos estabelecimentos que o comercializem

Conceitos e Definições aplicados ao medicamento e aos estabelecimentos que o comercializem

0 Comments
12 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
36,242
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
1,130
Comments
0
Likes
12
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Conceitos Básico sobre medicamentos Profº Cláudio Luís Venturini
  • 2.
    • Medicamento não pode ser tido como uma mercadoria qualquer, à disposição dos consumidores e sujeito às leis do mercado. Ele é, antes de tudo, um instrumento do conjunto de ações e medidas utilizadas para a promoção e recuperação da saúde
  • 3. Conceitos
    • Estabelecimento de manipulação de fórmulas magistrais e oficinais, de comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, compreendendo o de dispensação e o de atendimento privativo de unidade hospitalar ou de qualquer outra equivalente de assistência médica;
    Farmácia
    • Estabelecimento de dispensação e comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos em suas embalagens originais;
    Drogaria
  • 4.  
  • 5. Conceitos
    • Origem da palavra
      • Do baixo alemão droghe vate , expressão que designava o recipiente onde se guardavam as ervas secas.
      • Do neerlandês droog , que quer dizer seco.
      • Do céltico, com a acepção de má qualidade.
        • droug em bretão, e droch em irlandês.
    • Toda substância orgânica ou inorgânica empregada como ingrediente de tinturaria, química ou farmácia.
    • Drogas medicinais
      • Origem animal, vegetal ou mineral.
      • Substância que modifica a função fisiológica com ou sem intenção benéfica
    Droga No século XX a palavra droga ganhou um novo significado, passando a ser empregada como sinônimo de tóxico. O verbo drogar e o seu particípio passado, drogado , expressam, respectivamente, o uso de tóxicos e o estado decorrente da ação deste.
  • 6. Conceitos Remédio
    • Remedium (latim) , aquilo que cura.
    • Qualquer substância ou recurso utilizado para curar ou aliviar doenças, sintomas, desconforto e mal-estar
      • Substância animal, vegetal, mineral ou sintética,
      • Procedimento; fé ou crença.
    • Preparados caseiros
      • chá, compressas
    • Meios físicos
      • Radioterapia, massagem
      • Meios psíquicos
        • psicanálise, tratamento psicológico
  • 7.
    • Do grego phármakon
      • Qualquer substância capaz de atuar no organismo, seja em sentido benéfico ou maléfico.
    • Termo utilizado para designar uma substância única, orgânica ou inorgânica, de composição química conhecida, capaz de modificar uma função fisiológica já existente.
      • Apresenta duplo sentido
        • Medicamento
        • Veneno
    Conceitos Fármaco
  • 8. Conceitos
    • Placere (latim)
      • Agradarei
    • Substância inerte ou inativa, a que se atribui certas propriedades e que, ingerida, pode produzir um efeito que suas propriedades não possuem.
    • Dicionário médico Hooper
      • Nome dado a qualquer medicamento administrado mais para agradar do que beneficiar o paciente".
    • O placebo pode ser eficaz porque pode reduzir a ansiedade do paciente, revertendo:
      • Aumento da frequência cardíaca e respiratória
      • Produção e liberação de adrenalina na circulação sanguínea
    • O efeito placebo pode ainda ser usado para testar a validade de medicamentos ou técnicas verdadeiras
    Placebo Antes de mais nada, não cause danos (Hipócrates)
  • 9. Conceitos
    • Deriva
      • Medicamentum (Latim)
        • vocábulo que tem o mesmo tema de médico, medicina, medicar
        • beberagem mágica, bruxaria, feitiço.
      • Medeor (Latim)
        • significa cuidar de, proteger, tratar
    • São substâncias produzidas com rigoroso controle técnico para atender às especificações determinadas pela Anvisa em laboratórios (Industrias) sob a fiscalização de um farmacêutico.
    • É todo fármaco ou droga, isolado ou em associação, adicionado de substâncias que lhe conferem tamanho, forma, estabilidade e outros fatores, convenientemente preparado e pronto para utilização em rotinas de prevenção, diagnóstico e terapêutica
    Medicamentos
  • 10. Conceitos
    • Alopáticos
      • Contraria contrariis curantur
        • Contrários são curados por contrários
        • Princípio seguido por Galeno que estabeleceu também as bases da alopatia
      • Medicamentos que produzem no organismo, efeitos contrários aos da doença.
      • Medicamentos alopáticos são produzidos nas indústrias em larga escala, ou em farmácias de manipulação de acordo com a prescrição médica.
      • São  os principais produtos farmacêuticos vendidos nas farmácias e drogarias.
    Medicamentos - Tipos
  • 11. Conceitos
    • Fitoterápicos
      • Medicamento farmacêutico obtido por processos tecnologicamente adequados, empregando-se exclusivamente matérias-primas vegetais, com finalidade profilática, curativa, paliativa ou para fins de diagnóstico.
      • É caracterizado pelo conhecimento da eficácia e dos riscos de seu uso, assim como pela reprodutibilidade e constância de sua qualidade.
      • Não se considera medicamento fitoterápico aquele que, na sua composição, inclua substâncias ativas isoladas, de qualquer origem, nem as associações destas com extratos vegetais. 
    Medicamentos - Tipos
  • 12. Conceitos
    • Homeopáticos
      •   Similia similibus curantur
        • Semelhante cura semelhante .
      • Medicamento homeopático é qualquer substância, submetida a um processo conjunto de diluição e dinamização, capaz de provocar tanto o surgimento de sintomas físicos e psíquicos no homem sadio como o desaparecimento destes mesmos sintomas numa pessoa doente.
    • Manipulados
      • Preparados para atender a uma prescrição médica específica, em doses adequadas ao paciente. Qualquer medicamento, alopático, fitoterápico ou homeopático, pode ser manipulado.
    Medicamentos - Tipos
  • 13.
    • Referência
      • Medicamento inovador registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária e comercializado no país, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente junto ao órgão federal competente, por ocasião do registro.
    Conceitos Medicamentos - Tipos
  • 14.
    • Similar
      • Aquele que contém o mesmo ou os mesmos princípios ativos, apresenta a mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica, que é equivalente ao medicamento registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária, podendo diferir somente em características relativas ao tamanho e forma do produto, prazo de validade, embalagem, rotulagem, excipientes e veículos, devendo sempre ser identificado por nome comercial ou marca .
    Conceitos Medicamentos - Tipos
  • 15.
    • Similar
      • Resumindo:
        • Contém, em relação ao medicamento de referência, igual:
          • fármaco;
          • concentração;
          • forma farmacêutica;
          • via de administração;
          • posologia;
          • Indicação.
        • Não foi submetido ao estudo de bioequivalência.
    Conceitos Medicamentos - Tipos
  • 16.
    • GENÉRICO
      • Medicamentos que possuem o mesmo princípio ativo , na mesma dose e na mesma forma farmacêutica , sendo administrados pelas mesmas vias e com a mesma indicação terapêutica do medicamento de referência, com o qual deve ser intercambiáve l.
      • Esse tipo de medicamento se constitui numa verdadeira cópia do medicamento de referência , só podendo ser produzido após a expiração da patente deste ou no caso de haver renúncia de proteção patentária ou de outros direitos de exclusividade .
      • Além disso, para serem registrados no Ministério da Saúde devem ser submetidos a testes de equivalência farmacêutica e bioequivalência , a fim de que se possa comprovar a idêntica composição qualitativa e quantitativa dos princípios ativos, os quais devem ser absorvidos da mesma forma ( em termos de velocidade e extensão ) da dosagem de um medicamento de referência.
    Conceitos Medicamentos - Tipos
  • 17.
    • GENÉRICO
      • Resumindo:
        • Produzido após a expiração da proteção patentária ou de outros direitos de exclusividade
        • Contém, em relação ao medicamento de referência, igual:
          • fármaco;
          • concentração;
          • forma farmacêutica;
          • via de administração;
          • posologia;
          • Indicação.
        • É submetido aos estudos de bioequivalência comprovando a sua eficácia, segurança e qualidade
        • Designado pela DCB ou, na sua ausência, pela DCI
    Conceitos Medicamentos - Tipos
  • 18.
    • GENÉRICO
    • Lei 9787/99
      • Instituiu o medicamento genérico
    • Embalagem padronizada com uma tarja amarela e um grande " G “ de Genérico e os seguintes dizeres:
      • Medicamento Genérico – Lei 9.787/99
    • N ome do princípio ativo
    • São proibidos de apresentar marca, nome de referência ou nome fantasia
    • Apenas o nome do princípio ativo pode ser comunicado
    • Tem preços em média 35% menores que os originais.
    Conceitos Medicamentos - Tipos
  • 19. Medicamentos - intercambialidade Amoxilina Intercabiaveis Não-Intercabiaveis Não-Intercabiaveis Medicamento de Referência GlaxoSmithKline Medicamento Similar Ache EMS Germed Ranbaxy EMS Medley Medicamento Genérico
  • 20.  
  • 21.
    • Medicamentos Isentos de Prescrição (MIP)
      • São medicamentos que não necessitam de prescrição, mas devem ser utilizados de acordo com a orientação de um profissional farmacêutico. A embalagem destes medicamentos não possui tarja.
      • (OTC - over the counter ou de venda livre)
    Conceitos Medicamentos – Segundo o tipo de Prescrição
  • 22.
    • Medicamentos de venda sob Prescrição
      • Devem ser prescritos pelo profissional médico ou dentista e são divididos em dois grupos:
        • Sem retenção de receita
          • apresentam na embalagem contendo o seguinte texto:
            • VENDA SOB PRESCRIÇÃ O MÉDICA.
    Conceitos Medicamentos – Segundo o tipo de Prescrição TARJA VERMELHA
  • 23.
    • Medicamentos de venda sob Prescrição
        • Com retenção de receita
          • Apresentam na embalagem TARJA VERMELHA ou TARJA PRETA contendo o seguinte texto:
            • VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
            • SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.
    Conceitos Medicamentos – Segundo o tipo de Prescrição TARJA VERMELHA TARJA PRETA
  • 24.
    • Medicamentos de venda sob Prescrição
      • Entre os medicamentos que necessitam de prescrição, alguns possuem um controle especial do governo, devendo ter a sua prescrição retida no momento da compra.
      • É obrigatória a identificação do comprador e seu cadastro no Sistema Informatizado de Gerenciamento de Produtos Controlados da Anvisa (SNGPC).
    Conceitos Medicamentos – Segundo o tipo de Prescrição
  • 25.  
  • 26. MEDICAMENTOS SEGUNDO O TIPO DE PRESCRIÇÃO RESUMO DE RECEITUÁRIO PORTARIA 344/98 – RDC 58/2007 – ANVISA – SNGPC – RDC 67/2007 LISTA TIPO DE RECEITA E COR QUANTIDADE MÁXIMA DE AMPOLAS QUANTIDADE MÁXIMA POR RECEITA PARA AS DEMAIS FORMAS FARMACÊUTICAS VALIDADE DA RECEITA APÓS EMISSÃO A1/A2/A3 Entorpecentes / Psicotrópicos Notificação Receita A – Amarelo 05 Quantidade para 30 dias de tratamento 30 dias – válida em todo Território Nacional B1 Psicotrópicos Notificação Receita B1 – Azul 05 Quantidade para 60 dias de tratamento 30 dias – válida somente dentro da Unidade Federativa que concedeu a numeração B2 Psicotrópicos Anorexígenos Notificação Receita B2 – Azul - Quantidade para 30 dias de tratamento 30 dias – válida somente no estado emitente C1 Outras Substâncias Sujeitas a Controle Especial Receita de Controle Especial / Branca/ em duas vias. A Primeira via retida na farmácia ou drogaria e a segunda via , para o paciente 05 Quantidade para 60 dias de tratamento 30 dias – válida em todo o território Nacional C2 Retinóides ( uso tópico) Receita de Controle Especial ( sem retenção de receita) - Quantidade para 60 dias de tratamento 30 dias – válida em todo o território Nacional C2 Retinóides ( Uso Sistêmico ) Notificação de Receita Especial Retinóides / Branca / acompanhada do Termo de Consentimento de risco e pós – informação 05 Quantidade para 30 dias de tratamento 30 dias – válida somente dentro da Unidade Federativa que concedeu a numeração
  • 27. MEDICAMENTOS SEGUNDO O TIPO DE PRESCRIÇÃO Continuação LISTA TIPO DE RECEITA E COR QUANTIDADE MÁXIMA DE AMPOLAS QUANTIDADE MÁXIMA POR RECEITA PARA AS DEMAIS FORMAS FARMACÊUTICAS VALIDADE DA RECEITA APÓS EMISSÃO C3 Imunossuperessores Notificação de Receita Talidomida / Branca / Deve vir acompanhada do Termo de Esclarecimento para Usuário de Talidomida e Termo de Responsabilidade Para 30 dias Quantidade para 30 dias de tratamento 15 dias – válida somente dentro da Unidade Federativa que concedeu a Numeração C4 Anti – Retrovirais Receita de Controle Especial / Sujeitas a Receituário de Programa DST/AIDS ou Sujeitas a Controle Especial em 02 vias se adquirido em farmácias ou drogarias. - No máximo cinco substâncias constantes na Lista C4 30 dias – válida somente no estado emitente C5 Anabolizantes Receita de Controle Especial / Branca / em 2 vias. A primeira via retida farmácia ou drogaria e segunda via , para o paciente 05 30 dias – válida em todo o território Brasileiro Quantidade para 60 dias de tratamento D2 Sujeito a Controle do Ministério da Justiça - - -
  • 28.
    • É o conjunto de informações necessárias para a utilização mais segura do produto pelo paciente, além de apresentar informações para que os profissionais de saúde orientem os usuários sobre a forma de uso adequada, os cuidados e possíveis problemas relacionados aos medicamentos.
    • Deve transmitir todas as informações relevantes sobre o produto, contribuindo para o seu uso correto.
    • O acesso à bula de medicamentos é um direito reconhecido pela Constituição Federal de 1988 e ratificado pelo Código de Defesa do Consumidor!
    Conceitos Bula
  • 29.
    • Nome do medicamento;
    • Apresentação
    • Composição
    • Informações ao paciente
    • Informações técnicas
    • Farmacocinética
    • Contra-indicações
    • PrecauçõesGravidez
    • Reações adversas
    • Posologia
    • Superdosagem
    Conceitos Bula
  • 30.
    • Identificação impressa ou litografada, bem como, dizeres pintados ou gravados a fogo, pressão ou decalco, aplicados diretamente sobre recipientes, vasilhames, invólucros, envoltórios ou qualquer outro protetor de embalagem.
    Conceitos Rótulo
  • 31.
    • 1 - Nome do Cliente
    • 2 - Descrição da fórmula.
      • Com nome das substâncias ativas e respectivas dosagens.
    • 3 - Modo de usar o produto.
    • 4 - Médico que prescreveu a receita.
    • 5 - Quantidade solicitada.
    • 6 - Endereço do estabelecimento.
    • 7 - CNPJ da empresa.
    • 8 - Número de controle na empresa.
    • 9 - Modo de usar.
    • 10 - Se necessário, deve conter informações como
      • Uso interno”, “Agite antes de usar”, “Conserve em geladeira”, etc.
    • 11 - Datas de fabricação e de validade
    • 12 - Farmacêutico responsável, com número de inscrição no respectivo Conselho de Farmácia
    Rótulo – Medicamento Manipulado
  • 32.  
  • 33.
    • Invólucro, recipiente ou qualquer forma de acondicionamento removível, ou não, destinado a cobrir, empacotar, envasar, proteger ou manter, especificamente ou não, produtos de que trata este Regulamento.
    Conceitos EMBALAGEM
  • 34.
    • Nome comercial do medicamento (ausente em genéricos).
      • Em caso de medicamentos fitoterápicos, deve ser apresentado o nome botânico da planta.
    • Denominação genérica.
    • Nome, endereço e CNPJ da empresa produtora.
    • Nome do fabricante e local de fabricação do produto.
    • Número do lote.
    • Data da fabricação (mês/ano).
    • Data de validade (mês/ano).
    • Número de registro (MS seguido do número, constando 13 números, iniciando com 1).
    • Composição do medicamento, quantidade e via de administração.
    • Nome do Farmacêutico Responsável Técnico e número da inscrição no CRF.
    • Telefone do Serviço de Atendimento ao Consumidor – SAC.
    • Lacre de Segurança (toda a embalagem deve estar lacrada).
    • Tinta Reativa, que quando raspada com metal deve apresentar a palavra QUALIDADE E NOME DO LABORATÓRIO; ou selo de rastreabilidade.
    Conceitos EMBALAGEM – Deve Conter:
  • 35.
    • A ausência de alguma dessas informações na embalagem, é sinal de que há algo errado com o medicamento.
    • Caso falte qualquer informação, o produto deve ser encaminhado, em sua embalagem original, ao serviço de vigilância sanitária, a fim de verificar se é falsificado ou não.
  • 36.
    • Prescrição escrita de medicamento, contendo orientação de uso para o paciente, efetuada por profissional legalmente habilitado, quer seja de formulação magistral ou de produto industrializado
    Conceitos Receita Médica
  • 37. Médico Fulano de Tal Clínico Geral CRM 2012 Para o Sr. Primeiro Paciente R x Uso interno 1. Amoxil 250 mg suspensão___________ 2 vidros uso: 5 ml de 8/8 horas durante 10 dias 2. Nebulização com soro fisiológico 3 vezes ao dia 3. Reavaliação com uma semana Assinatura data (Carimbo) Centro Médico rua Alfredo Huch, 475, RIO GRANDE, RS tel: 2338600 médico@furg.br
  • 38.  
  • 39.  
  • 40. Um olhar pela história dos medicamentos
    • Os  "remédios" dos nossos Avós...
    • Os Slides a seguir foram obtidos do site:
    • http://boticasefarmacias.blogspot.com/
  • 41. Heroína da Bayer Um frasco de heroína da Bayer. Entre 1890 a 1910 a heroína era divulgada como um substituto não viciante da morfina e um remédio contra tosse para crianças.
  • 42. Vinho de coca O vinho de coca da Metcalf era um de uma grande quantidade de vinhos que continham coca disponíveis no mercado. Todos afirmavam que tinham efeitos medicinais, mas indubitavelmente eram consumidos pelo seu valor "recreador" também.
  • 43. Vinho Mariani O Vinho Mariani (1865) era o principal vinho de coca do seu tempo. O Papa Leão XIII carregava um frasco de Vinho Mariani consigo e premiou o seu criador, Ângelo Mariani, com uma medalha de ouro.
  • 44. Peso de papel Um peso de papel promocional da C.F. Boehringer & Soehne (Mannheim, Alemanha), "os maiores fabricantes do mundo de quinino e cocaína". Este fabricante tinha orgulho na sua posição de líder no mercado de cocaína.
  • 45. Tablete de cocaína (1900) Estas tabletes de cocaína eram "indispensáveis para os cantores, professores e oradores". Eles também aquietavam a dor de garganta e davam um efeito "animador" para que estes profissionais atingissem o máximo de sua performance.
  • 46. Drops de Cocaína para Dor de Dentes Cura instantânea Os dropes de cocaína para dor de dentes (1885) eram populares para crianças. Não apenas acabava com a dor, mas também melhorava o "humor" dos usuários.
  • 47. Ópio para bebés recém-nascidos Acha que a nossa vida moderna é confortável? Antigamente para aquietar bebés recém-nascidos não era necessário um grande esforço dos pais, mas sim, ópio. Este frasco de paregórico (sedativo) da Stickney and Poor era uma mistura de ópio e de álcool que era distribuída do mesmo modo que os temperos pelos quais a empresa era conhecida. "Dose – [Para crianças com] cinco dias, 3 gotas. Duas semanas, 8 gotas. Cinco anos, 25 gotas. Adultos, uma colher cheia." O produto era muito potente, e continha 46% de álcool.  

×