Anatomia

1,125 views
926 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,125
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Anatomia

  1. 1. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANATECIDOS1) Que são tecidos?Tecido é um conjunto de células especializadas, iguais ou diferentes entre si, separadas ou não porlíquidos e substâncias intercelulares, que realizam determinada função num organismo multicelular.O estudo dos tecidos biológicos chama-se histologia; na medicina, o estudos dos tecidos comomeio de diagnóstico duma doença é a histopatologia.2) Os tecidos são divididos em 3 grupos. Quais são?Os tecidos do corpo humano podem ser classificados em quatro grupos principais: tecido epitelial,tecido conjuntivo, tecido muscular e tecido nervoso.3)Tecidos Epiteliais são divididos em dois tipos que são: E como são formados?Simples, Uniestratificado ou Monoestratificado: Possui apenas uma camada de células. Neste tecido abase de cada célula é anexada a uma base da membrana basal, enquanto a extremidade apical esta voltadapara superfície livre.O tecido epitelial de revestimento simples pode ser dividido em:• Epitélio simples pavimentoso: Reveste a Cápsula de Bowman, localizada no rim, como tambémreveste os vasos (endotélio).• Epitélio simples cúbico: Este tipo de epitélio é encontrado na parede dos folículos da tireóide,como também nos túbulos contorcidos do rim.• Epitélio simples cilíndrico: Encontrado em grande parte no aparelho digestivo, revestindo oestômago, intestino delgado e intestino grosso, como também reveste outros órgãos como avesícula biliar, etc.Estratificado ou Pluriestratificado: Neste tecido existem duas ou mais camadas de células, sendo quealgumas estão fixas a membrana basal e as outras estão sobrepostas umas ás outras, formando váriosextratos.O tecido epitelial de revestimento estratificado pode se subdividir em:• Epitélio pavimentoso estratificado: Neste tecido existe uma camada superficial de queratina, comoé o caso da pele. No entanto reveste outras áreas, porém sem queratina, como no caso do esôfagoque é revestido por epitélio pavimentoso estratificado não queratinizado.• Epitélio cúbico estratificado: Possui células epiteliais com formato cúbico em diversas camadas.• Epitélio estratificado de transição: Este tipo de epitélio caracteriza-se por ter as células maissuperficiais com formatos diversificados. É encontrado na bexiga e no ureter. Tecido conjuntivocomo se caracteriza? E quais sua função?4)De origem mesodérmica, o tecido conjuntivo caracteriza-se por preenchimento dos espaçosintracelulares do corpo e a importante interfase entre os demais tecidos, dando-lhes sustentação econjunto.Morfologicamente, apresenta grande quantidade de material extracelular (matriz),
  2. 2. constituído por uma parte não estrutural, denominada de substância estrutural amorfa (SFA), e por outraporção fibrosa.Função:Além da função de preenchimento dos espaços entre os órgãos e manutenção, toda a diversidadedo tecido conjuntivo em um organismo, desempenha importante função de defesa e nutriçãoOs tecidos conjuntivos são divididos em:Tecido conjuntivo propriamente dito – É o tecido conjuntivo que faz a estruturação e o suporte. Podeser do tipo frouxo ou denso. O frouxo suporta estruturas que estão sujeitas a pequenos atritos e pressão,sendo encontrado preenchendo espaços entre células, suportando células epiteliais e em torno dos vasossanguíneos e nas membranas serosas. O denso tem a mesma composição que o frouxo, porém possuimenor quantidade de células e abundantes fibras colágenas, oferecendo assim resistência e proteção aotecido. Ele é também menos flexível e mais resistente à tensão.Tecido Adiposo – Constituído por células adiposas, chamadas adipócitos. Ele é o maior depósito corporalde energia, armazenada em forma de lipídios (a gordura). Ele também serve para modelar a superfície docorpo, sendo responsável pelas diferenças da silhueta masculina e feminina. Ele também forma coxinssobre a pele, oferecendo importante proteção contra choques mecânicos, por exemplo, na planta dos pés,na palma das mãos e nas nádegas. E como a gordura não é bom condutor de calor, o tecido adiposoconstitui ainda um isolante térmico para o corpo.Tecido Cartilaginoso – Possui consistência rígida, oferecendo suporte para os tecidos moles. Revestetambém as superfícies articulares, absorvendo choques e facilitando o deslizamento dos ossos nasarticulações. Ele é também o principal constituinte dos ossos no feto e no recém-nascido, diferenciando-se em tecido ósseo e promovendo o crescimento da criança.Tecido Ósseo - Forma os ossos, o principal constituinte do esqueleto. Dá suporte ao corpo e protegeórgãos vitais, como o cérebro na caixa craniana e os pulmões e o coração dentro da caixa torácica. Servede apoio aos músculos esqueléticos, proporcionando movimentos úteis aos membros. Ele tambémprotege e aloja a medula óssea, formadora das células sanguíneas. Serve ainda de depósito de cálcio,fosfato e outros íons, possibilitando regular a liberação destes no sangue quando necessário.5) Dentro do tecido conjuntivo temos o tecido sanguíneo e hemapoético. Quais as suas divisões eexplique cada.Tecido sanguíneoO sangue é um tipo especializado de tecido conjuntivo, de consistência fluida, formado porelementos celulares suspensos em um meio líquido denominado plasma. Os elementos celulares(também chamados elementos figurados) são representados pelos glóbulos vermelhos (eritrócitos ouhemácias), glóbulos brancos (leucócitos) e plaquetas (fragmentos celulares também chamadostrombócitos). O plasma representa a matriz extracelular do tecido sanguíneo e é formado por água, saisminerais e substâncias orgânicas. Um adulto possui cerca de 5 a 6 litros de sangue o que corresponde a 6-11% de seu peso. Quando centrifugado, o sangue previamente tratado com anticoagulante (ex.: EDTA)apresenta uma visível segregação de seus componentes. A camada inferior, de coloração vermelhoescuro, corresponde ao hematócrito que, por ser constituído pelas células vermelhas do sangue, éanalisado através de uma escala sendo o resultado um importante indicativo da ocorrência de anemia. Oseritrócitos correspondem a cerca de 45% a 55% por cento do volume sanguíneo. A camada intermediáriaé a leucoplaquetária, sendo esta a mais delgada corresponde a 1 % do volume sanguíneo. Por fim, acamada transparente superior, com 55% a 60% do volume sanguíneo, corresponde ao plasma.Diferentemente dos outros tecidos orgânicos, além da centrifugação, o esfregaço de uma gota de sanguesobre uma lâmina, devidamente fixado e corado, constitui um importante método de estudo deste tecido.O sangue participa das trocas gasosas com o ambiente, constitui veículo para diversas substâncias (ex.:hormônios), participa da termorregulação, defesa imunológica e por ter consistência fluida, circula portodo o corpo promovendo a homeostasia.
  3. 3. PLASMAO plasma corresponde à matriz extracelular não característica do tecido sanguíneo uma vezque não é sintetizado pelos elementos celulares deste tecido. Formado por água em cerca de 93%, oplasma é o grande responsável pela fluidez do sangue, onde os elementos celulares encontram-se nelesuspensos. Além de água, o plasma é composto por proteínas, nutrientes, sais e hormônios. As proteínasplasmáticas são produzidas no fígado e dentre elas destacam-se: albumina, globulina e fibrinogênio. Asalbuminas são proteínas carreadoras de diversas substâncias e responsáveis pela manutenção da pressãoosmótica (coloidosmótica) que participa da dinâmica dos fluidos nos tecidos (ver capítulo TECIDOSCONJUNTIVOS ADULTOS). As globulinas participam dos processos imunológicos e o fibrinogênio temimportante papel na coagulação sanguínea. Glicose, aminoácidos e vitaminas correspondem aosnutrientes presentes no plasma. Aproximadamente 1% do plasma é composto por eletrólitos onde osprincipais são Na+, Cl- e HCO3-. O plasma é obtido através da centrifugação do sangue previamentetratado com anticoagulante. Quando o sangue coagula, a porção líquida formada é chamada sorosanguíneo, que é essencialmente plasma sem fibrinogênio.ELEMENTOS CELULARESO sangue é um tecido dinâmico onde suas células encontram-se em constante processo derenovação e remoção. Os elementos celulares do sangue são produzidos na medula óssea hematogênicaque corresponde ao tecido hematopoético localizado no interior de ossos. A hematopoese ocorre atravésde processos tais como a multiplicação e a diferenciação. Esses processos são regulados por diversosfatores locais e sistêmicos (ver capítulo TECIDO HEMATOPOÉTICO). As células sanguíneas sãocategorizadas em três grupos: glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Os glóbulos vermelhoscomo o próprio nome diz, correspondem às células vermelhas do sangue também chamadas eritrócitos ouhemácias. Os glóbulos brancos reúnem as células de defesa que atuam nos tecidos durante os processosimunes. O conjunto de glóbulos brancos é conhecido como leucócitos e se subdivide em: granulócitos eagranulócitos. Os granulócitos compreendem os neutrófilos, eosinófilos e basófilos. Os agranulócitossão os monócitos e os linfócitos. As plaquetas, também chamadas trombócitos, na verdade sãofragmentos celulares que atuam na coagulação do sangue.EritrócitosOs eritrócitos são células anucleadas, bicôncavas e flexíveis que medem aproximadamente de 7 a
  4. 4. 8 µm de diâmetro. Sua principal função é carrear oxigênio (O2) dos alvéolos pulmonares para os tecidose remover destes o gás carbônico (CO2) levando-o para ser eliminado nos pulmões. Para tanto, oseritrócitos são células especialmente projetadas para esta função. São células anucleadas, bicôncavas eflexíveis. Por serem bicôncavas (centro da célula possui menos de 1 µm de espessura), possuem umamaior superfície de contato, podendo assim transportar uma considerável quantidade de gases por célula.Essa morfologia se deve ao arranjando filamentoso de uma proteína contrátil presente na membranaeritrocitária, denominada espectrina, e o formato bicôncavo é mantido através de consumo de energia.Além disso, são flexíveis, podendo ajustar-se ao pequeno diâmetro dos capilares e não possuem núcleo enem organelas citoplasmáticas, apenas membrana, citoesqueleto, hemoglobina e enzimas glicolíticas.Assim, são arquitetadas especialmente para a função de trocas gasosas. São as células sanguíneaspresentes em maior quantidade com 500 a 1000 vezes mais células do que os leucócitos. Os eritrócitoshumanos possuem uma vida útil de aproximadamente 120 dias quando são fagocitados por macrófagosno baço e no fígado e substituídos por células em estado imaturo chamadas reticulócitos. Os reticulócitosrepresentam de 1% a 2% dos eritrócitos circulantes e qualquer alteração nesse valor é indicativo dealterações na eritropoese (produção de eritrócitos), além de subsidiar a classificação das anemias(regenerativa e arregenerativa). Diferentemente dos eritrócitos, os reticulócitos possuem mecanismospara síntese protéica (RER, ribossomos e mitocôndrias). Aproximadamente 1/3 do citoplasmaeritrocitário é ocupado pela hemoglobina, uma proteína conjugada formada por 4 cadeias polipeptídicasligadas a um grupo HEME (porfirina ligada ao ferro). A hemoglobina carreia tanto o O2 o CO2 atravésde ligações instáveis com a porção globina. Quando ligada ao O2, forma a oxihemoglobina e, quandoligada ao CO2, a carboaminohemoglobina. Através da enzima metahemoglobina redutase, ahemoglobina com ferro no estado ferroso é convertida em hemoglobina com ferro na forma férrica(funcional) que tem grande afinidade pelo O2. A liberação do O2 nos tecidos é facilitada pelo 2,3-difosfoglicerato (2,3-DPG) que diminui a afinidade da hemoglobina pelo O2. O 2,3-DPG é liberado emtecidos com depleção de O2.LeucócitosRepresentando o mecanismo central de defesa do corpo contra diversas injúrias(microorganismos, toxinas, etc.), os leucócitos migram através do sangue até o local da agressão atraídospor substâncias químicas em um processo denominado quimiotaxia. São células de formato esférico epor isso apresentam menor resistência ao sangue e consequentemente maior fluidez. O processo depassagem pelo endotélio vascular (diapedese e endereçamento) de certo modo “deforma” os leucócitos eestes tornam-se pleomórficos (várias formas). Ocorrem no citoplasma dos leucócitos diversos grânulos
  5. 5. característicos dessas células. Esses grânulos na verdade são lisossomos revestidos por membrana, comdiversas enzimas em seu interior e podem ser classificados em: primários (ou azurófilos) e secundários(ou específicos). Os grânulos primários são os maiores, ocorrem em todas as células brancas e contêmlisozima, hidrolase ácida, mieloperoxidade, elastase, colagenase e catepsina G. Os grânulos secundáriossão menores (0,1 µm de diâmetro), ocorrem apenas nos granulócitos e possuem enzimas bactericidascomo a lisozima e outras proteases.NeutrófiloOs neutrófilos são leucócitos granulócitos e correspondem à célula branca mais frequentementeencontrada no sangue, constituindo cerca de 60% a 70% dos leucócitos circulantes. Assim como osdemais granulócitos, estas células têm seu diâmetro variando entre 12 a 15 µm. Sua principalcaracterística é a intensa segmentação do núcleo que também é heterocromático. As lobulações nuclearesencontram-se unidas por filamentos de cromatina e nucleoplasma. Nas fêmeas pode ocorrer umalobulação em forma de raquete que corresponde à cromatina sexual. O citoplasma é preenchido comorganelas e grânulos (primários e secundários) que coram-se fracamente. Assim como os eritrócitos,utilizam a via anaeróbia para produzir ATP (energia). São as primeiras células recrutadas diante de umaameaça microbiana (principalmente bactérias), sendo atraídas até o sítio da lesão por quimiotaxia (vercapítulo SISTEMA IMUNE). Estas células fagocitam microorganismos que são englobados pelosgrânulos primários ao mesmo tempo em que liberam enzimas hidrolíticas, ocasionando degradação daMEC (ver capítulo TECIDOS CONJUNTIVOS ADULTOS). Além das substâncias presentes nosgrânulos, outras substâncias atuam no processo imune como as que reagem com o oxigênio (superóxido eperóxido de hidrogênio [H2O2]) e a lactoferrina que quela o ferro necessário para o crescimentobacteriano. Durante a execução de seus processos imunes, os neutrófilos também são destruídos. Oconjunto dessas células mortas, juntamente com os microorganismos e MEC degrada dá-se o nome depus. Os neutrófilos também liberam leucotrienos que promovem reação inflamatória localizada equimiotaxia para outras células de defesa.EosinófiloOs eosinófilos constituem a segunda maior população de leucócitos agranulócitos,correspondendo 3% a 7% dos glóbulos brancos circulantes. O núcleo é heterocromático, bilobulado eraramente apresenta mais de três lobulações. Também se utilizam da via anaeróbia para produzir energiana forma de ATP. Os grânulos primários se convertem em secundários ainda na medula óssea. Além dassubstâncias encontradas comumente, os grânulos destas células contêm proteínas catiônicas de açãoparasiticida. Estas células possuem limitada capacidade fagocitária que é mais direcionada para
  6. 6. complexos antígeno-anticorpo. São requeridas nos processos imunes contra parasitos helmintos e tambématuam em processos alérgicos. Na membrana plasmática destas células, ocorrem numerosos receptorespara a histamina, leucotrienos e FQE-A, sendo atraídas por essas substâncias nas invasões parasitárias,alergias e inflações.BasófiloCom cerca de 0% a 3% de participação nos leucócitos circulantes, os basófilos são a menorpopulação de glóbulos brancos do sangue. Estas células possuem grânulos (predominantementesecundários) que reagem positivamente ao método Giemsa. No interior desses grânulos estão presentesmuitas substâncias encontradas nos grânulos dos mastócitos (histamina, heparina, FQE-A). Comopossuem poucos grânulos primários, sua atividade fagocitária é mais limitada dentre os granulócitos.Estas células atuam de forma semelhante aos mastócitos onde antígenos se ligam aos receptores (IgE)provocando assim a degranulação dos basófilos. Devido às semelhanças morfológicas e funcionais, osbasófilos e mastócitos são frequentemente ditos como células de mesma origem embriológica.MonócitoAs maiores células do sangue, com diâmetro entre 12 a 18 µm e aproximadamente 5% do númerototal de leucócitos circulantes são os monócitos. Além do seu tamanho, estas células caracterizam-se peloseu núcleo quase sempre encontrar-se em posição excêntrica e assumirem formas variadas (reniforme,grão de feijão, trilobulados, etc.). O citoplasma é ocupado por mitocôndrias, RER, lisossomos, glicogênioe grânulos primários maiores que o convencional, havendo carência de grânulos secundários. Após seremformados na medula óssea, os monócitos passam poucos dias na corrente sanguínea, quando entãomigram para os tecidos e lá duram meses na qualidade de macrófagos (ver capítulo TECIDOSCONJUNTIVOS ADULTOS).LinfócitoOs linfócitos são a segunda maior população de glóbulos brancos, correspondendo aaproximadamente 20% do número de leucócitos circulantes. São menos pleomórficos, com núcleogrande, arredondado e com pequenos grânulos primários. São classificados de acordo com a função em:linfócitos T, linfócitos B e células NK. Os linfócitos T são os mais frequentes e quando ativadosparticipam dos processos imunes celulares. Quando ativados, se subdividem em três tipos celulares:células T auxiliares (1 e 2), células T citotóxicas, células T de memória e células T supressoras. Essascélulas, no entanto, só se ligam ao antígeno quando este é reconhecido por uma célula apresentadora deantígeno (ex.: macrófago). Os linfócitos B participam dos processos imunes humorais (produção deanticorpos) e quando estimulados se subdividem em plasmócitos (células efetoras produtoras de
  7. 7. anticorpos) e células B de memória que são recrutadas em uma segunda exposição. O processo deprodução de anticorpos ocorre quase sem na presença de células T. Mas, há os chamados antígenos timo-independentes que desencadeiam a produção de anticorpos na ausência de células T, embora apenas IgMseja produzida e células de memória não sejam formadas. As células NK, matadoras naturais (do inglêsnatural killer), são capazes de destruírem células estranhas por citotoxidade sem a influência de células Bou células T.PlaquetasAs plaquetas ou trombócitos são fragmentos de uma célula poliplóide, localizada na medulaóssea, denominada megacariócito. São células anucleadas, que apresentam vários tamanhos e possuemvida curta, não chegando a duas semanas. Possuem duas regiões distintas: granulômero e hialômero. Nogranulômero ocorrem mitocôndrias, peroxissomos, lisossomos, glicogênio e três tipos de grânulos: α, β eλ (lisossômico). A região do hialômero é preenchida por microtúbulos paralelos à membrana queconferem forma à plaqueta. O glicocálix é bem desenvolvido o que promove alta capacidade de adesão aessas células. A principal função das plaquetas é participar ativamente do processo de contenção dosangue (hemostasia) quando da ocorrência de lesão vascular. As plaquetas se agregam formando umtampão hemostático e posteriormente liberam seus grânulos formando assim o coágulo secundário que éconstituído de proteína plasmática (fibrinogênio), agregados plaquetários e fatores de coagulação.Tecido hemapoéticoO tecido hematopoiético (do grego hematos, sangue, e poese, formação, origem) é um tipo detecido conjuntivo responsável pela produção de células sanguíneas e da linfa, e se localiza nointerior de alguns tipos de ossos. Esse tecido é o precursor da medula óssea vermelha.Durante a infância, grande parte dos ossos do corpo possui esse tipo de medula; na fase adulta, amedula vermelha é encontrada principalmente nos ossos pélvicos, no osso esterno, nas costelas e naclavícula. Na fase embrionária, as células sanguíneas são formadas no baço e no fígado.A medula óssea é dotada de fibras reticulares e células- tronco medulares. Tais células sãomultipotentes (ou pluripotentes), ou seja, podem dar origem aos diversos tipos de células sanguíneas, esão descendentes das células-tronco embrionárias. As células-tronco embrionárias são totipotentes, ouseja, não só dão origem às células sanguíneas, como a qualquer outro tipo de célula do organismo.A multiplicação das células-tronco produz tanto células-filhas que se comportam como célulasmultipotentes, quanto células que se diferenciam em vários tipos de células do sangue. Numa primeirafase dessa diferenciação, as células-tronco dão origem a duas linhagens celulares: células-troncomieloides, e células-tronco linfoides. As células-tronco mieloides originam as hemácias (glóbulosvermelhos ou eritrócitos), as plaquetas (ou trombócitos) e os leucócitos (glóbulos brancos), tais comoneutrófilos, basófilos, eosinófilos e monócitos. Já as células-tronco linfoides dão origem aos linfócitos Be T.Em mamíferos, os linfócitos B passam pela diferenciação na própria medula óssea. No caso doslinfócitos T, suas células precursoras se deslocam da medula óssea para o timo, local onde a diferenciaçãoé concluída. O timo é um órgão que se localiza no osso esterno, dotado de tecidos linfóides.
  8. 8. As hemácias são as células mais abundantes no sangue, são anucleadas (seu núcleo é perdidodurante a diferenciação celular), bicôncavas e providas de moléculas de hemoglobina, proteína queconfere cor vermelha ao sangue. As hemácias são produzidas na medula óssea vermelha, a partir doseritroblastos, células originadas pela diferenciação de células tronco mieloides e sua produção é ditadapela ação do hormônio eritropoetinaOs leucócitos são células esféricas e nucleadas, de tamanho maior do que as hemácias. A principalfunção dos leucócitos é proteger do corpo contra infecções por microrganismo ou outros corpos estranhos(partículas, toxinas, etc.) que adentrem nos tecidos. Cada tipo de leucócito tem um papel específico nocombate a infecções.As plaquetas são fragmentos citoplasmáticos que se originam na medula óssea vermelha a partirdos megacariócitos, os quais são provenientes das células tronco mieloides. As plaquetas desempenhamum papel fundamental na coagulação sanguínea.6)Tecidos musculares que são? Qual sua subdivisão e o que cada uma caracteriza. Explique.Os músculos muitas vezes são chamados de “carne” e constituem cerca de 40% da nossa massacorporal, sendo eles os responsáveis pelos mais diversos tipos de movimentos do nosso corpo. É atravésda contração muscular que nós conseguimos nos locomover, que o nosso coração consegue bater, queocorre a impulsão do bolo alimentar no tubo digestório e a eliminação de secreções por glândulas, entretantos outros tipos de movimentos.As células que compõem os músculos podem ser chamadas de células musculares, fibrasmusculares ou miócitos (mio = músculo). Juntas, elas formam feixes de células que são envolvidas portecido conjuntivo. O tecido conjuntivo, além de nutrir e oxigenar as células, ainda repassa aos tecidospróximos a força que foi gerada durante a contração muscular. As células musculares têm origemmesodérmica, formato alongado, e conseguem se contrair graças à presença no citoplasma de filamentosde proteínas chamados de miofibrilas ou miofilamentos, que são compostos por diversos tipos deproteínas, sendo a actina e a miosina os filamentos encontrados em maior quantidade.Esses filamentos de proteínas se encontram tão bem organizados que podem deslizar uns sobre osoutros, encurtando as miofibrilas e, assim, levando à contração das células musculares.O citoplasma das células musculares se chama sarcoplasma; os retículos endoplasmáticos lisosque encontramos no interior das células musculares se chamam retículo sarcoplasmático; e a membranaplasmática das células musculares é chamada de sarcolema.Existem três tipos de tecidos musculares: o tecido muscular estriado esquelético, o tecidomuscular estriado cardíaco e o tecido muscular liso.O tecido muscular estriado esquelético se prende aos nossos ossos e tem contração voluntária, ou seja,esses músculos são contraídos somente quando nós queremos.O tecido muscular estriado cardíaco é encontrado no coração e, diferentemente do tecido muscularestriado esquelético, não possui movimentos voluntários, e sim involuntários, contraindo-se de formarápida e ritmada.O tecido muscular liso, assim como o tecido muscular estriado cardíaco, tem contração involuntária epode ser encontrado nas paredes dos órgãos internos como intestino, útero, estômago, etc.7)Tecido nervoso, onde se encontra, o que faz, e quais são as duas células diferentes dentro deste tecido,e qual a função de cada?O Tecido é composto por neurônios. Essa célula é dividida em três partes distintas:Corpo celular: é a parte onde ficam o núcleo e diversas organelas, como mitocôndriasDendritos: são várias pequenas ramificações que saem do corpo celular, e funcionam como “antenas”,para captar sinais elétricos e retransmiti-los através do axônio (veja a seguir).
  9. 9. Axônio: é uma grande extensão do corpo celular, que se conecta à outros neurônios ou à células de outrostecidos, como músculos, glândulas, etc. Em torno do axônio geralmente são formadas as “bainhas demielina”, compostas de células especializadas chamadas de “células de Schwann”, que são envoltórioscontendo material lipídico. Essa bainha faz com que o transporte de impulsos elétricos seja mais rápido.Alguns axônios podem ultrapassar 1 metro de comprimento.Os neurônios podem ser divididos em três tipos:Neurônios receptoresSão os neurônios encarregados de captarem informações diretamente das células sensoriais, comoaquelas que compõem a retina (olho), o ouvido, tato, a língua, etc. Essa captação é feita utilizando osdendritos.Fazem a conexão entre dois neurônios. Recebe informação pelo dendrito, e a repassa à célulanervosa seguinte usando o axônio. Esse tipo é o mais encontrado nos sistemas nervosos animais.Neurônios efetoresSão os neurônios que recebem as informações do cérebro (as respostas aos estímulos captadospelos neurônios receptores) e as repassam para os músculos, glândulas, etc.Exemplo:Ao encostar com a ponta do dedo em uma agulha, as células sensoriais presentes na pele do dedocaptarão essa “espetada”, e transmitirá essa informação para o cérebro, utilizando-se dos neurôniosreceptores e de conexão. O cérebro irá processar a informação e irá dar uma ordem para que o músculoresponsável pelo dedo se contraia, a fim de eliminar o perigo de ser perfurado. Essa última parte é feitapelos neurônios efetores.NervosOs nervos são vários agrupamentos de feixes de axônios e dendritos. Em torno dos axônios existem abainha de mielina, coberta pela bainha de Schwann e ainda outra camada de tecido conjuntivo chamadade endoneuro. Esses feixes são envolvidos por outra camada de tecido conjuntivo, chamada deperineuro. Vários feixes paralelos formam o nervo. O nervo, por sua vez, é coberto pelo epineuro,também de células conjuntivas.Podem ser chamados de Nervos Cranianos quando partem diretamente de algum órgão nervosoda cabeça (cérebro, cerebelo), e de Raquidianos quando iniciam na medula espinhal.TEGUMENTO COMUM1) O que é? Onde se localiza? E quais os seus nervos? Como o tegumento comum se divide?O tegumento comum constitui o manto contínuo que envolve todo o organismo, protegendo-o eadaptando-o ao meio ambiente. Esse invólucro somente é interrompido ao nível dos orifícios naturais(narinas, boca, olhos, orelha, ânus, vagina e pênis) onde se prolonga pela respectiva mucosa.Sob o ponto de vista anatômico o tegumento comum é formado por dois planos, o mais superficialdenominado cútis ou pele e o mais profundo tela subcutânea.Dependentes da cútis encontramos uma série de estruturas chamadas anexos cutâneos, que são os pelos,as unhas e as glândulas (sebáceas, sudoríferas, ceruminosas, vestibulares nasais, axilares, circumanais emamas).2) O que é cútis, e sobre o que ela é responsável?Cútis ou pele, é constituída por duas membranas que se justapõem e aderem intimamente e que são a
  10. 10. epiderme (por fora) e a derme ou cório (por dentro).Epiderme, delgada túnica superficial derivada do ectoderma embrionário, formada por várias camadasde células achatadas (epitélio pavimentoso estratificado). A camada mais periférica da epiderme éconstituída por células mais resistentes, queratinizadas, as quais se acham em constante descamação,sendo substituídas pelas subjacentes, do que decorre constante renovação.A epiderme é mais espessa ao nível da palma e da planta e mais delgada nas pálpebras, prepúcio,pequenos lábios vaginais e escroto.A melanina é o principal pigmento epidérmico, controlado pelo hormônio melanócito-estimulante (MSH)da adenohipófise (lobo anterior).Derme ou cório, do latim corium = couro, significando a membrana espessa que resulta após ter sidocurtida a pele de certos animais e que subpõe-se à epiderme. Constituída de tecido conjuntivo(mesodérmico) denso. Na palma e planta a derme é percorrida por cristas e sulcos, utilizáveis paraidentificação individual (papiloscopia ou dactiloscopia). É na derme que encontramos a raiz dos pelos ea maioria das glândulas anexas a ainda é aqui que termina pelo menos uma das extremidades das fibrasmusculares dos músculos cutâneos da cabeça, pescoço, palma, dartos escrotal e grandes lábios, músculoaréolo-papilar da mama e eretores dos pelos.3) Os corpúsculos do tato são:Para que nós sejamos capazes de obter as percepções táteis existem na pele uma série determinações nervosas e corpúsculos. Eles são os chamados receptores táteis.• Corpúsculo de Pacini - percepção da pressão;• Corpúsculo de Meissner - percepção do tato leve quando passamos ligeiramente as mãos por umasuperfície, são eles os responsáveis pelas sensações que experimentamos;• Discos de Merkel - como os corpúsculos de Meissner, captam toques leves;• Corpúsculo de Krause - percepção do frio;• Corpúsculo de Ruffini - percepção do calor;• Terminações nervosas livres (nociceptores) - terminações nervosas sensíveis aos estímulosmecânicos, térmicos e especialmente aos dolorosos. Não formam corpúsculos. É importante frisar que ador que sentimos é sempre igual, podendo variar apenas em intensidade, logo a dor que sentimos aoquebrar um braço é igual a dor que sentimos quando recebemos um beliscão variando apenas naintensidade.4) A cútis é dividida em duas camadas que se aderem intimamente, a derme ( por dentro) e a epiderme(por fora).5) O que é a epiderme? De que é constituída?A epiderme é um epitélio estratificado (mais de uma camada de células), pavimentoso (célulasachatadas), queratinizado e avascular.A maioria das células (90%) são queratinócitos que durante seu processo de diferenciação formamcélulas anucleadas e ricas em queratina na superfície da pele. Os 10% restantes são constituídos pormelanócitos, células de Langerhans e de Merkel.Os queratinócitos são arranjados em camadas contínuas e assim distribuídos da derme parasuperfície: camada basal (camada simples), espinhosa (5-15 camadas), granulosa (1-3 camadas) e acórnea (5-10 camadas). Em algumas áreas do corpo (região palmoplantar) há uma camada adicional, oestrato lúcido, que se localiza entre a camada granulosa e a córnea. A epiderme também contém a partesuperficial das glândulas sudoríparas (acrossiringio) e a dos folículos pilosos (acrotriquio).
  11. 11. 6) A epiderme é subdividida em cinco camadas, quais são? Suas subdivisões de que são formadas? E oque se encontra em cada uma?A epiderme é subdividida em cinco camadas ou estratos:1) estrato germinativo (SG)2) estrato espinhoso (SS)3) estrato granuloso (SGR)4) estrato lúcido5) estrato córneo (SC), no qual um queratinócito gradualmente migra para a superfície e é alterado, numprocesso de descamação.Estrato GerminativoO estrato germinativo (SG) fornece células germinativas necessárias para a regeneração das camadas daepiderme. Estas células estão separadas da derme por uma fina camada de membrana basal.Após divisão mitótica uma nova célula sofrerá uma maturação progressiva chamada de queratinização emigrará para a superfície.Estrato EspinhosoAs células que dividem no estrato germinativo irão acumular em muitos desmossomas na superfícieexterior que fornece os “espinhos” característicosdo estrato espinhoso (SS).Estrato GranulosoA maturação progressiva de um queratinócito é caracterizada pelo acúmulo de queratina, chamadoqueratinização. As células do estrato granuloso (SGR) acumulam grânulos densos de queratohialinobasofílico. Estes grânulos contêm lipídios que junto com as conexões de desmossomas, auxiliam aformação de uma barreira impermeável (não ocorre passagem de água) que funciona para prevenir perdafluida corporal.Estrato LúcidoA epiderme varia em densidade ao longo do corpo que depende principalmente de forças friccionais e émais grosso nas palmas das mãos e solas dos pés.O estrato lúcido normalmente é somente visto em epiderme grossa e representa uma transição do estratogranuloso para o estrato córneo.Estrato CórneoComo uma célula acumula grânulos de queratohialino, ocorre rompimento das membranas de lisossomase a liberação de enzimas lisossomais que eventualmente causam morte de célula. As células mortas sãopreenchidas com queratina madura e formam o estrato córneo (SC). As células mais profundas do estratocórneo retêm as junções de desmossomas, mas como eles são empurrados à superfície formando célulasdo estrato germinativo (SG), as células mortas quebram gradualmente e perdidas, formam o processochamado descamação.8) O que é derme? O que encontramos nela?A derme é uma das camadas que formam a pele, situando-se imediatamente abaixo da epiderme.A pele é formada por três camadas sobrepostas: epiderme, derme e hipoderme, sendo que vários autoresconsideram esta última camada como já não fazendo parte deste órgão.A derme situa-se abaixo da camada mais superficial, a epiderme, sendo formada, essencialmente, portecido conjuntivo. Funciona como estrutura de apoio da epiderme, conferindo resistência e elasticidade àpele.Na sua constituição predominam as fibras elásticas e de colagénio, embebidas na substânciafundamental, típica dos tecidos conjuntivos. Apresenta ainda uma grande quantidade de vasos sanguíneose linfáticos, assim como abundantes terminações nervosas.A espessura da derme é variável com a zona do corpo, sendo máxima na zona plantar do pé, onde atingeum valor médio de 3 mm.
  12. 12. A união da derme à camada situada acima caracteriza-se pela presença de pequenas expansões, em formade vilosidades, as papilas dérmicas. Estas estruturas são formadas por tecido conjuntivo frouxo,intervindo no aumento da superfície de contacto entre as duas camadas da pele, logo, aumentando asforças de adesão entre ambas. As vilosidades apresentam maior densidade nas zonas onde a pela estásujeita a forças de atrito.Abaixo da camada papilar, situa-se a denominada camada reticular. Esta zona da derme apresenta maiorquantidade de fibras elásticas (formadas pela proteínas elastina) e uma densidade mais elevada. Emborade origem epidérmica, os folículos pilosos, as glândulas sebáceas, as glândulas sudorípara e as unhas,encontram-se em reentrâncias que penetram na derme, atingindo esta zona mais profunda.A derme é uma zona do corpo onde existem inúmeras terminações nervosas, responsáveis pela receçãode uma grande diversidade de estímulos provenientes do exterior. Podemos encontrar terminaçõesnervosas livres, responsáveis pela sensação de dor e temperatura, bulbos ou terminações de Krause,responsáveis por sensações de tato e frio, corpúsculos de Vater-Pacini, que fornecem informações sobrepressão, corpúsculos de Meissner e corpúsculos de Ruffini, também envolvidos na sensação de tato. Asterminações de Rufinni podem também estar ligadas à perceção da sensação de calor.A derme funciona como o suporte nutritivo da epiderme, já que é a partir dos vasos sanguíneossituados nesta zona que, por difusão, é feita a nutrição das células epidérmicas.8) Quais as funções da cútis? E descreva cada.A pele é um órgão muito mais complexo do que aparenta. A sua função principal é a proteção doorganismo das ameaças externas físicas. No entanto, ela tem também funções imunitárias, é o principalórgão da regulação do calor, protegendo contra a desidratação. Tem também funções nervosas,constituindo o sentido do tato e metabólicas, como a produção da vitamina D.FUNÇÕES:PROTEÇÃO FÍSICA - A epiderme secreta proteínas e lípidos (a principal, é a queratina) que protegemcontra a invasão por parasitas e a injúria mecânica e o atrito. Contra esta também é fundamental o tecidoconjuntivo da derme, no qual os fibrócitos depositam proteínas fibrilares com propriedades de resistênciaà tracção e elasticidade, como os colagénios e a elastina. A melanina produzida pelos seus melanócitosprotege contra a radiação, principalmente UV. Sua quantidade aumentada produz o bronzeamento dapele.PROTEÇÃO DA DESIDRATAÇÃOUma das funções vitais da pele é a proteção contra a desidratação. Os seres humanos são animais terrestres, enecessitam proteger os seus corpos, compostos principalmente por água, contra a evaporação excessiva edesidratação e o subsequente choque hipovolémico e morte, que seriam inevitáveis num meio seco equente. É comum vítimas de queimaduras graves entrarem em choque hipovolémico (sangue com poucovolume devido à perda de água) se perderem superfície cutânea extensamente. A pele protege dadesidratação por dois mecanismos. As junções celulares como tight junctions e desmossomas dão coesãoàs células da epiderme e a sua superfície contínua de membrana lipídica impede a saída de água (que nãose mistura com lípidos).Regulação da temperatura corporalA pele também é o principal órgão da regulação da temperatura corporal através de diversosmecanismos:1. Os vasos sanguíneos subcutâneos contraem-se com o frio e dilatam-se com o calor, de modo aminimizar ou maximizar as perdas de calor.2. Os folicúlos pilosos têm músculos que produzem a sua erecção com o frio ("pele de galinha"),aprisionando bolhas de ar estático junto à pele que retarda as trocas de calor - um mecanismo maiseficaz nos nossos antepassados mais peludos.3. As glândulas sudoríparas secretam líquido aquoso cuja evaporação diminui a temperatura
  13. 13. superficial do corpo.4. A presença de tecido adiposo (gordura) subcutâneo protege contra o frio uma vez que a gordura émá condutora de calor.Como órgão imunitárioA pele é um órgão importante do sistema imunitário. Ela alberga diversos tipos de leucócitos. Hálinfócitos que regulam a resposta imunitária e desenvolvem respostas específicas; células apresentadorasde antigênio (histiócitos ou células de Langerhans) que recolhem moléculas estranhas (possíveisinvasores) que levam para os gânglios linfáticos onde as presentam aos linfócitos CD4+; mastócitosenvolvidos em reações alérgicas e luta contra parasitas.Funções metabólicasAs funções metabólicas da pele são importantes. É lá que é fabricada, numa reação dependente da luzsolar, a vitamina D, uma vitamina essencial para o metabolismo do cálcio e portanto naformação/manutenção saudável dos ossos.Como órgão dos sentidosFinalmente, a pele também é um órgão sensorial, constituindo o sentido do tato. Ela apresenta numerosasterminações nervosas, algumas livres, outras com comunicação com órgãos sensoriais especializados,como células de Merckel, folículos pilosos. A pele tem capacidade de detectar sinais que criam aspercepções da temperatura, movimento, pressão e dor. É um órgão importante na função sexual.9) Tela subcutânea, o que é? Sua função.A hipoderme ou tela subcutânea está situada logo abaixo da pele e é formada por tecidoconjuntivo que varia do tipo frouxo ao denso nas várias localizações e nos diferentes indivíduos. Ahipoderme não faz parte da pele, porém a fixa às estruturas subjacentes. Pode ter uma camada variável detecido adiposo dependendo da região do corpo. Além da função de reservatório energético, a hipodermeapresenta a função de isolamento térmico, modelagem da superfície corporal, absorção de choques epreenchimento para a fixação de órgãos. Compõe-se por duas camadas: areolar (é mais superficial,ricamente irrigada e possui adipócitos globulares e volumosos) e lamelar (é mais profunda e é ondeocorre aumento de espessura no ganho de peso) (Azulay e Azulay, 1999).Anexos da PeleAs estruturas anexas da pele são os pelos, as unhas e as glândulas sebáceas e sudoríparas (Angélica,2010):Pelos: originam-se de uma invaginação da epiderme (folículo piloso) e estão distribuídos por quase todoo corpo. Em certas regiões, como nas aberturas do corpo, exercem papel de proteção.Unhas são lâminas córneas formadas pela camada córnea. Em sua extremidade proximal uma estreitaprega da epiderme se estende, formando o eponíquo. Possuem coloração rosada e crescem cerca de 1 mmpor semana.Glândulas sebáceas: são encontradas anexas aos pelos em todas as regiões do corpo, sendo maisnumerosas, mas de menor volume, nas regiões onde os pelos são abundantes. Sua secreção é uma misturacomplexa de lipídios cuja função é a lubrificação da pele, além da ação bactericida.
  14. 14. Glândulas sudoríparas: distribuem-se em quase todo o corpo. Seu número varia em cada região e diminuicom a idade. A estimulação dos nervos simpáticos faz com que estas glândulas secretem um fluido decloreto de sódio, uréia, sulfatos e fosfatos a depender de fatores como temperatura e umidade do meio eatividade muscular.10)Tipo de pele, como é feita a classificação? Explique cada um com exemplo.• Pele eudérmica: tem superfície lisa, flexível, lubrificante e umedecida. É aquela onde ocorre umequilíbrio entre o conteúdo hídrico e o conteúdo graxo.• Pele graxa: emulsão tipo A/O. Aumento de secreção sebácea.• Pele alípica: secreção sebác• Pele mista: ocorrência de pele graxa na zona central do rosto e pele alípica nas bochechas.11) Anexos da pele. Quais são? O que são e suas funções?Três estruturas da pele, derivadas da epiderme, são extremamente importantes na adaptação dosmamíferos ao meio terrestre: pêlos, que auxiliam no isolamento térmico; glândulas sudoríparas, quedesempenham o papel importante na regulação da temperatura corpórea; e glândulas sebáceas, quelubrificam a pele e estruturas anexas.SISTEMA NERVOSO1) De que é formado o sistema nervoso? O que permite? E como pode ser classificado sob o ponto de vistaanatômico e funcional?Sistema nervoso é responsável pela maioria das funções de controle em um organismo, coordenando eregulando as atividades corporais. O neurônio é a unidade funcional deste sistema.NeurônioO neurônio é a unidade funcional do sistema nervoso. Os neurônios comunicam-se através de sinapses;por eles propagam-se os impulsos nervosos. Anatomicamente o neurônio é formado por: dendrito, corpocelular e axônio. A transmissão ocorre apenas no sentido do dendrito ao axônio.NeurônioO sistema nervoso é divido em Sistema Nervoso Central e Sistema Nervoso Periférico.Sistema Nervoso CentralPrincipais componentes do Sistema Nervoso Central:Medula espinhalA medula espinhal é o centro dos arcos reflexos. Encontra-se organizada em segmentos (região cervical,lombar, sacral, caudal, raiz dorsal e ventral). É uma estrutura subordinada ao cérebro, porem pode agirindependente dele.Cérebromeninges: pia-máter, dura-máter e aracnóide.O encéfalo dos mamíferos é dividido em: telencéfalo (cérebro), diencéfalo (tálamo e hipotálamo),mesencéfalo (teto), metencéfalo (ponte e cerebelo) e mielencéfalo (bulbo).
  15. 15. Bulbo ou medula oblongaO bulbo tem a função relacionada com a respiração e é considerado um centro vital. Também estárelacionado com os reflexos cardiovasculares e transmissão de informações sensoriais e motoras.CerebeloO cerebelo é responsável pelo controle motor. A organização básica do cerebelo é praticamente a mesmaem todos os vertebrados, diferindo apenas no número de células e grau de enrugamento. Pesquisasrecentes sugerem que a principal função do cerebelo seja a coordenação sensorial e não só o controlemotor.PontePrincipais divisões do Sistema Nervoso PeriféricoO SNP pode ser divido em voluntário e autônomo.Sistema Nervoso Voluntáriomúsculos esqueléticos, inervando-os diretamente. Pode haver movimentos involuntários.Sistema Nervoso AutônomoEstá relacionado com os movimentos involuntários dos músculos como não-estriado e estriado cardíaco,sistema endócrino e respiratório.É divido em simpático e parassimpático. Eles têm função antagônica sobre o outro. São controlados peloSNC, principalmente pelo hipotálamo e atuam por meio da adrenalina e da acetilcolina. O mediadorquímico do SNA simpático é a acetilcolina e a adrenalina, enquanto do parassimpático é apenas aacetilconlina.Arco reflexoOs atos reflexos são reações involuntárias que envolvem impulsos nervosos, percorrendo umcaminho chamado arco reflexo.Um exemplo muito conhecido de arco reflexo é o reflexo patelar. O tendão do joelho é o órgãoreceptor do estímulo. Quando recebe o estímulo (ex. uma pancada) os dendritos dos neurônios ficamexcitados. O impulso é transmitido aos neurônios associativos por meio de sinapses, que por sua veztransmitem o impulso aos neurônios motores.Os neurônios associativos levam a informação ao encéfalo e os neurônios motores excitam osmúsculos da coxa, fazendo com que a perna se movimente.2) O sistema nervoso central, ou eixo é a parte do sistema nervoso que está contida na caixa cranial.(encéfalo) e no canal medular ( medula espinhal). E está dividido em:Sistema Nervoso Central (SNC)-Sistema Nervoso Periférico (SNP).3) Medula espinhal. O sistema nervoso central está envolto por três túnicas de tecidos conjuntivos quesão as meninges. Quais são e de que são formadas?Meninges: o sistema nervoso é envolto por membranas conjuntivas denominadas meninges que sãoclassificadas como três: dura-máter, aracnóide e pia-máter. A aracnóide e a pia-máter, que no
  16. 16. embrião constituem um só folheto, são às vezes consideradas como uma só formação conhecidacomo a leptomeninge; e a dura-máter que é mais espessa é conhecida como paquimeninge.Dura-máter: é a meninge mais superficial, espessa e resistente, formada por tecido conjuntivo muito ricoem fibras colágenas, contendo nervos e vasos. É formada por dois folhetos: um externo e um interno. Ofolheto externo adere intimamente aos ossos do crânio e se comporta como um periósteo destes ossos,mas sem capacidade osteogênica (nas fraturas cranianas dificulta a formação de um calo ósseo). Emvirtude da aderência da dura-máter aos ossos do crânio, não existe, no crânio, um espaço epidural comona medula. No encéfalo, a principal artéria que irriga a dura-máter é a artéria meníngea média, ramo daartéria maxilar.Aracnóide: é uma membrana muito delgada, justaposta à dura-máter, da qual se separa por um espaçovirtual, o espaço subdural, contendo uma pequena quantidade de líquido necessário á lubrificação dassuperfícies de contato das membranas. A aracnóide separa-se da pia-máter pelo espaço subaracnóideoque contem líquor, havendo grande comunicação entre os espaços subaracnóideos do encéfalo e damedula. Considera-se também como pertencendo à aracnóide, as delicadas trabéculas que atravessam oespaço para ligar à pia-máter, e que são denominados de trabéculas aracnóides. Estas trabéculas lembram,um aspecto de teias de aranha donde vem o nome aracnóide.Pia-máter: é a mais interna das meninges, aderindo intimamente à superfície do encéfalo e da medula,cujos relevos e depressões acompanham até o fundo dos sulcos cerebrais. Sua porção mais profundarecebe numerosos prolongamentos dos astrócitos do tecido nervoso, constituindo assim a membrana pio-glial. A pia-máter dá resistência aos órgãos nervosos, pois o tecido nervoso é de consistência muito mole.A pia-máter acompanha os vasos que penetram no tecido nervoso a partir do espaço subaracnóideo,formando a parede externa dos espaços perivasculares. Neste espaço existem prolongamentos do espaçosubaracnóideo, contendo líquor, que forma um manguito protetor em torno dos vasos, muito importantepara amortecer o efeito da pulsação das artérias sobre o tecido circunvizinho. Verificou-se que os espaçosperivasculares acompanham os vasos mais calibrosos até uma pequena distância e terminam por fusão dapia com a adventícia do vaso. As pequenas arteríolas são envolvidas até o nível capilar por pré-vascularesdos astrócitos do tecido nervoso.4) Entre a aracnóide e a piamáter, encontramos o Fluidocerebrospinal(líquidocefaloraquiano), que tema função de proteção do córtex cerebral . Este sistema é formado por dois tipos de substâncias nervosasque são:5) No cérebro e cerebelo a substância cinza está por fora e a branca por dentro. Enquanto que na medulae no tronco encefálico a substância branca é que está por dentro.6) O encéfalo está dividido em três, quais são? De que são constituídos? E suas funções.O encéfalo humano contém cerca de 35 bilhões de neurônios e pesa aproximadamente 1,4 kg. Otelencéfalo ou cérebro é dividido em dois hemisférios cerebrais bastante desenvolvidos. Nestes, situam-seas sedes da memória e dos nervos sensitivos e motores. Entre os hemisférios, estão osVENTRÍCULOS CEREBRAIS (ventrículos laterais e terceiro ventrículo); contamos ainda com umquarto ventrículo, localizado mais abaixo, ao nível do tronco encefálico. São reservatórios do LÍQUIDOCÉFALO-RAQUIDIANO, (LÍQÜOR), participando na nutrição, proteção e excreção do sistemanervoso.Em seu desenvolvimento, o córtex ganha diversos sulcos para permitir que o cérebro esteja
  17. 17. suficientemente compacto para caber na calota craniana, que não acompanha o seu crescimento. Por isso,no cérebro adulto, apenas 1/3 de sua superfície fica "exposta", o restante permanece por entre os sulcos.O córtex cerebral está dividido em mais de quarenta áreas funcionalmente distintas, sendo amaioria pertencente ao chamado neocórtex.Cada uma das áreas do córtex cerebral controla uma atividade específica.1. hipocampo: região do córtex que está dobrada sobre si e possui apenas três camadas celulares;localiza-se medialmente ao ventrículo lateral.2. córtex olfativo: localizado ventral e lateralmente ao hipocampo; apresenta duas ou três camadascelulares.3. neocórtex: córtex mais complexo; separa-se do córtex olfativo mediante um sulco chamadofissura rinal; apresenta muitas camadas celulares e várias áreas sensoriais e motoras. As áreasmotoras estão intimamente envolvidas com o controle do movimento voluntário.7) Medula Espinhal de que está representada? Onde se origina? O que se unem para formar os nervosmistos , que saem da coluna por pares correspondentes.Medula significa miolo e indica o que está dentro. Assim temos a medula espinhal dentro dosossos, mais precisamente dentro do canal vertebral. A medula espinhal é uma massa cilindróide detecido nervoso situada dentro do canal vertebral sem entretanto ocupa-lo completamente. Nohomem adulto ela mede aproximadamente 45 cm sendo um pouco menor na mulher. Cranialmentea medula limita-se com o bulbo, aproximadamente ao nível do forame magno do osso occipital. Olimite caudal da medula tem importância clinica e no adulto situa-se geralmente em L2. A medulatermina afinando-se para formar um cone, o cone medular, que continua com um delgado filamentomeníngeo, o filamento terminal.Forma e Estrutura da MedulaA medula apresenta forma aproximada de um cilindro, achatada no sentido antero-posterior.Seu calibre não é uniforme, pois ela apresenta duas dilatações denominadas de intumescênciacervical e intumescência lombar.Estas intumescências medulares correspondem às áreas em que fazem conexão com as grossasraízes nervosas que formam o plexo braquial e lombossacral, destinados à inervação dos membrossuperiores e inferiores respectivamente. A formação destas intumescências se deve pela maiorquantidade de neurônios e, portanto, de fibras nervosas que entram ou saem destas áreas. Aintumescência cervical estende-se dos segmentos C4 até T1 da medula espinhal e a intumescêncialombar (lombossacral) estende-se dos segmentos de T11 até L1 da medula espinhal.A superfície da medula apresenta os seguintes sulcos longitudinais, que percorrem em toda a suaextensão: o sulco mediano posterior, fissura mediana anterior, sulco lateral anterior e o sulco lateralposterior. Na medula cervical existe ainda o sulco intermédio posterior que se situa entre o sulcomediano posterior e o sulco lateral posterior e que se continua em um septo intermédio posterior nointerior do funículo posterior. Nos sulcos lateral anterior e lateral posterior fazem conexão,respectivamente as raízes ventrais e dorsais dos nervos espinhais.Nervos MistosExistem ainda os nervos mistos, formados por axônios de neurônios sensoriais e por neurôniosmotores.Quando partem do encéfalo, os nervos são chamados de cranianos; quando partem da medula
  18. 18. espinhal denominam-se raquidianos.Do encéfalo partem doze pares de nervos cranianos. Três deles são exclusivamente sensoriais,cinco são motores e os quatro restantes são mistos.Nervo craniano FunçãoI-OLFATÓRIO sensitiva Percepção do olfato.II-ÓPTICO sensitiva Percepção visual.III-OCULOMOTOR motoraControle da movimentação do globo ocular,da pupila e do cristalino.IV-TROCLEAR motora Controle da movimentação do globo ocular.V-TRIGÊMEO mistaControle dos movimentos da mastigação(ramo motor);Percepções sensoriais da face, seios da face edentes (ramo sensorial).VI-ABDUCENTE motora Controle da movimentação do globo ocular.VII-FACIAL mistaControle dos músculos faciais – mímicafacial (ramo motor);Percepção gustativa no terço anterior dalíngua (ramo sensorial).VIII-VESTÍBULO-COCLEARsensitivaPercepção postural originária do labirinto(ramo vestibular);Percepção auditiva (ramo coclear).IX-GLOSSOFARÍNGEOmistaPercepção gustativa no terço posterior dalíngua, percepções sensoriais da faringe,laringe e palato.X-VAGO mistaPercepções sensoriais da orelha, faringe,laringe, tórax e vísceras. Inervação dasvísceras torácicas e abdominais.XI-ACESSÓRIO motoraControle motor da faringe, laringe, palato,dos músculos esternoclidomastóideo etrapézio.XII-HIPOGLOSSO motora Controle dos músculos da faringe, da laringe
  19. 19. e da língua.8) Sistema Nervoso Periférico. Como é constituído? Cada fibra nervosa é envolta por uma fina camadade tecido conjuntivo que recebe o nome de mielina.O sistema nervoso periférico é constituído pelos nervos, que são representantes dos axônios(fibras motoras) ou dos dendritos (fibras sensitivas). São as fibras nervosas dos nervos que fazem aligação dos diversos tecidos do organismo com o sistema nervoso central. É composto pelos nervosespinhais e cranianos. Os nervos espinhais se originam na medula e os cranianos no encéfalo.Para a percepção da sensibilidade, na extremidade de cada fibra sensitiva há um dispositivocaptador que é denominado receptor e uma expansão que a coloca em relação com o elemento que reageao impulso motor, este elemento na grande maioria dos casos é uma fibra muscular podendo ser tambémuma célula glandular. A estes elementos dá-se o nome de efetor.Portanto, o sistema nervoso periférico é constituído por fibras que ligam o sistema nervoso centralao receptor, no caso da transmissão de impulsos sensitivos; ou ao efetor, quando o impulso é motor.As fibras que constituem os nervos são em geral mielínicas com neurilema. São três as bainhasconjuntivas que entram na constituição de um nervo: epineuro (envolve todo o nervo e emite septos paraseu interior), perineuro (envolve os feixes de fibras nervosas), endoneuro (trama delicada de tecidoconjuntivo frouxo que envolve cada fibra nervosa). As bainhas conjuntivas conferem grande resistênciaaos nervos sendo mais espessas nos nervos superficiais, pois estes são mais expostos aos traumatismos.9) Grupos de fibras se reúnem constituindo os nervos os quais são envoltos em conjunto de feixesdenominados perineuros; a reunião dos fascículos forma um que apresenta uma camada de tecidoconjuntivo chamado epineuro.10) Os nervos são constituídos de células epitelioides entremeadas de lâminas basais e fibrascolágenas.11) Os nervos cranianos são em número de doze pares, que são:São eles:I – Nervo olfatórioÉ um nervo sensitivo e, como sugere seu nome, transmite impulsos relacionados ao olfato.II – Nervo ópticoTambém sensitivo. Suas fibras estão relacionadas aos impulsos visuais.III- Nervo óculo-motorIV- Nervo troclearVI- Nervo abducente
  20. 20. Nervos predominantemente do tipo motor, responsáveis por informações relacionadas aos movimentosdos olhos, incluindo também o ajustamento do foco e de luz. Algumas fibras sensitivas atuam no que sediz respeito a informações relativas às condições musculares do indivíduo.V- Nervo trigêmeoÉ um nervo misto: fibras motoras estão relacionadas aos músculos da mastigação; e as do tipo sensitivas,enviam mensagens dos olhos, glândulas lacrimais, pálpebras, dentes, gengivas, lábios, palato, pele daface e couro cabeludo.VII- Nervo facialNervo misto. Fibras motoras fornecem impulsos relacionados à expressão facial e liberação de lágrimas esaliva. Fibras sensitivas são responsáveis por aspectos relacionados à gustação.VIII- Nervo vestíbulococlearSensitivo. Está relacionado ao equilíbrio corporal e audição.IX- Nervo glossofaríngeoDo tipo misto, sendo que as fibras sensitivas são responsáveis pelos impulsos originários da faringe,tonsilas, língua e carótidas; e as motoras, por levar impulsos às glândulas salivares e músculos faríngeos.X- Nervo vagoMisto. Relacionado aos batimentos cardíacos, funcionamento dos pulmões e sistema digestório, fala edeglutição.XI- Nervo acessórioDo tipo motor, enviando mensagens aos ombros, pescoço, faringe, laringe e palato mole.XII- Nervo hipoglossoTambém motor, sendo responsável pelos movimentos dos músculos da língua, faringe e laringe12) Os sensitivos destinam-se aos impulsos nervosos.13) Os motores são os que enviam mensagens aos músculos.14) Nervos Espinhais ou Raquidianos. Onde tem? Sua origem? E saem da medula espinhal.São aqueles que fazem conexão com a medula espinhal e são responsáveis pela inervaçãodo tronco, dos membros superiores e partes da cabeça.
  21. 21. 15) São trinta e um pares, constituem os nervos espinhais.16) Os nervos Espinhais são formados por 8 pares de nervos cervicais, 12 torácicos, 5 lombares, 5 sacraise 1 coccígeo. Descreva suas raízes.Cada nervo espinhal é formado pela união das raízes dorsal (sensitiva) e ventral (motora), as quais seligam, respectivamente, aos sulcos lateral posterior e lateral anterior da medula através de filamentosradiculares.A raiz ventral emerge da superfície ventral da medula espinhal como diversas radículas oufilamentos que em geral se combinam para formar dois feixes próximo ao forame intervertebral.A raiz dorsal é maior que a raiz ventral em tamanho e número de radículas; estas prendem-se aolongo do sulco lateral posterior da medula espinhal e unem-se para formar dois feixes que penetramno gânglio espinhal.As raízes ventral e dorsal unem-se imediatamente além do gânglio espinhal para formar o nervoespinhal, que então emerge através do forame interespinhal.O gânglio espinhal é um conjunto de células nervosas na raiz dorsal do nervo espinhal. Tem formaoval e tamanho proporcional à raiz dorsal na qual se situa. Está próximo ao forame intervertebral.17) Os trinta e um pares de nervos espinhais são subdivididos conforme a região da coluna vertebral,como são:Nervos espinhais- em número de 31 pares , têm origem na medula espinhal e saem do canal vertebralpelos forames intervertebrais. São formados por duas raízes , uma anterior, motora e uma posterior,sensitiva. A raiz anterior tem origem aparente no sulco lateral anterior , através de radículas que entram namedula. A raiz posterior tem origem aparente no sulco lateral posterior através de radículas que entram namedula espinhal . A raiz dorsal apresenta um gânglio sensitivo. Nas proximidades do forameintervertebral as duas raízes se juntam, formando o nervo espinhal. Após passar pelo forameintervertebral, o nervo espinhal se bifurca, formando um ramo dorsal e outro ventral que geralmente émais longo e forma muitas anastomoses para formar plexos.Existem 31 pares de nervos espinhais: 8 cervicais, 12 torácicos, 5 lombares , 5 sacrais e 1 coccígeo.Os ramos ventrais dos nervos espinhais fornecem ramificações periféricas que são distribuídaspara a pele e musculatura das porções anterolaterais do pescoço, tronco e membros.Os ramos ventrais do primeiro ao quarto pares cervicais formam o plexo cervical e o nervofrênico.Do quinto par cervical ao primeiro par torácico, os ramos anteriores formam o plexo braquial.Os ramos ventrais do segundo ao décimo segundo pares torácicos formam nervos intercostais,tóraco-abdominais e subcostais que inervam a parede anterolateral do tórax e do abdome.Com contribuição do décimo segundo nervo par torácico, os quatro primeiros pares lombaresformam o plexo lombar.O plexo sacral é formado por ramos ventrais do quarto par lombar ao segundo par sacral.Já os ramos ventrais do terceiro par sacral ao primeiro par coccígio formam o plexo coccígio , que inervaos órgãos pélvicos , períneo e genitais.18) Como permanecem os ramos dorsais dos nervos espinhais? E onde se localizam?São aqueles que fazem conexão com a medula espinhal e são responsáveis pela inervação do tronco, dos
  22. 22. membros superiores e partes da cabeça. São ao todo 31 pares, 33 se contados os dois pares de nervoscoccígeos vestigiais, que correspondem aos 31 segmentos medulares existentes. São 8 pares de nervoscervicais, 12 torácicos, 5 lombares, 5 sacrais e 1 coccígeo.Cada nervo espinhal é formado pela união das raízes dorsal (sensitiva) e ventral (motora), as quais seligam, respectivamente, aos sulcos lateral posterior e lateral anterior da medula através de filamentosradiculares.A raiz ventral emerge da superfície ventral da medula espinhal como diversas radículas oufilamentos que em geral se combinam para formar dois feixes próximo ao forame intervertebral.A raiz dorsal é maior que a raiz ventral em tamanho e número de radículas; estas prendem-se aolongo do sulco lateral posterior da medula espinhal e unem-se para formar dois feixes que penetramno gânglio espinhal.As raízes ventral e dorsal unem-se imediatamente além do gânglio espinhal para formar o nervoespinhal, que então emerge através do forame interespinhal.O gânglio espinhal é um conjunto de células nervosas na raiz dorsal do nervo espinhal. Tem formaoval e tamanho proporcional à raiz dorsal na qual se situa. Está próximo ao forameintervertebral.ente após a junção das duas raízes.Ramos Dorsais dos Nervos EspinhaisOs ramos dorsais dos nervos espinhais, geralmente menores do que os ventrais e direcionadosposteriormente, se dividem (exceto para o primeiro cervical, quarto e quinto sacrais e o coccígeo)em ramos medial e lateral para inervarem os músculos e a pele das regiões posteriores do pescoço edo tronco.Ramos dorsais dos nervos espinhias cervicaisO primeiro ramo dorsal cervical chamado nervo suboccipital emerge superior ao arco posterior doatlas e inferior à artéria vertebral. Ele penetra no trígono suboccipital inervando os músculos retosposteriores maior e menor da cabeça, oblíquos superior e inferior e o semi-espinhal da cabeça.O segundo ramo dorsal cervical e todos os outros ramos dorsais cervicais emergem entre o arcoposterior do atlas e a lâmina do axis, abaixo do músculo oblíquo inferior por ele inervado, recebendo umaconexão proveniente do ramo dorsal do primeiro cervical, e se divide em um grande ramo medial e umpequeno ramo lateral. O ramo medial é denominado nervo occipital maior, que junto com o nervooccipital menor, inervam a pele do couro cabeludo até o vértice do crânio. Ele inerva o músculo semi-espinhal da cabeça. O ramo lateral inerva os músculos esplênio, longuíssimo da cabeça e semi-espinhalda cabeça.O terceiro ramo dorsal cervical divide-se em ramos medial e lateral. Seu ramo medial corre entreos músculos espinhal da cabeça e semi–espinhal do pescoço, perfurando o músculo esplênio e o músculotrapézio para terminar na pele. Profundamente ao músculo trapézio, ele dá origem a um ramo, o terceironervo occipital, que perfura o músculo trapézio para terminar na pele da parte inferior da região occipital,medial ao nervo occipital maior. O ramo lateral freqüentemente se une àquele do segundo ramo dorsalcervical.Os ramos dorsais dos cinco nervos cervicais inferiores dividem-se em ramos medial e lateral. Os ramosmediais do quarto e do quinto corrrem entre os músculos semi-espinhal do pescoço e semi-espinhal da
  23. 23. cabeça, alcançam processos espinhosos das vértebras e perfuram o músculo esplênio e o músculo trapéziopara terminarem na pele. O ramo medial do quinto pode não alcançar a pele. Os ramos mediais dos trêsnervos cervicais inferiores são pequenos e terminam nos músculos semi-espinhal do pescoço, semi-espinhal da cabeça, multífido e interespinhais. Os ramos laterais inervam os músculos iliocostal dopescoço, longuíssimo do pescoço e longuíssimo da cabeça.20) Sistema Nervoso Autônomo. O que é o SNA? Por onde é ativado, como atua?Sistema nervoso autônomo (também chamado sistema neurovegetativo ou sistema nervoso visceral)é a parte do sistema nervoso que está relacionada ao controle da vida vegetativa, ou seja, controla funçõescomo a respiração, circulação do sangue, controle de temperatura e digestão.No entanto, ele não se restringe a isso. É também o principal responsável pelo controle automático docorpo frente às modificações do ambiente. Por exemplo, quando o indivíduo entra em uma sala com umar-condicionado que lhe dá frio, o sistema nervoso autônomo começa a agir, tentando impedir uma quedade temperatura corporal. Dessa maneira, seus pelos se arrepiam (devido a contração do músculo pilo-eretor) e ele começa a tremer para gerar calor. Ao mesmo tempo ocorre vasoconstrição nas extremidadespara impedir a dissipação do calor para o meio. Essas medidas, aliadas à sensação desagradável de frio,foram as principais responsáveis pela sobrevivência de espécies em condições que deveriam impedir ofuncionamento de um organismo. Dessa maneira, pode-se perceber que o organismo possui ummecanismo que permite ajustes corporais, mantendo assim o equilíbrio do corpo: a homeostasia.O sistema nervoso autônomo (SNA) ajuda muito nesse controle porque é o responsável, entre outrasfunções, pelas respostas reflexas (de natureza automática), controla a musculatura lisa (a musculaturacardíaca e as glândulas exócrinas) e permite o aumento da pressão arterial, o aumento da freqüênciarespiratória, os movimentos peristálticos, a excreção de determinadas substâncias.Apesar de se chamar sistema nervoso autônomo, ele não é independente do restante do sistemanervoso. Na verdade, ele é interligado com o hipotálamo, que coordena a resposta comportamental paragarantir a homeostasia.Sabe-se que o SNA é constituído por um conjunto de neurônios que se encontram na medula e no troncoencefálico. Estes, através de gânglios periféricos, coordenam a atividade da musculatura lisa, damusculatura cardíaca e de inúmeras glândulas exócrinas. Mas como o SNA percebe que deve aumentar apressão arterial, por exemplo?Na verdade, não existe um consenso em relação a isso. Muitos acreditam que existem componentesespecíficos do sistema nervoso autônomo, responsáveis apenas pela percepção de parâmetros físico-químicos, como pressão, pH, tensão, temperatura, etc. Outro grupo acredita que os sistemas sensoriais,principalmente o somestésico, são os responsáveis pela percepção dessas condições no organismo, e que,posteriormente, através do sistema nervoso central, essa informação é repassada ao sistema nervosoautônomo, que irá agir para o controle do equilíbrio corporal.21) Os sinais autônomos eferentes não transmitidos subdivisões principais, denominados:Os sinais autônomos eferentes são transmitidos ao corpo por duas principais subdivisões, chamadas desistema nervoso parassimpático, cujas características e funções se seguem.Anatomia fisiológica do Sistema Nervoso SimpáticoOs nervos simpáticos se originam na medula espinhal entre os seguimentos T-1 e T-2, e vão daí primeiro
  24. 24. para cadeia simpáticas e dois para o tecido e órgãos que são estimulados pelos nevos simpáticos.Neurônios Simpáticos Pré-ganglionares e Pós-ganglionaresOs nevos simpáticos são diferentes dos nervos motores esqueléticos: cada via simpáticas a partir damedula para o tecido estimulado é composta por dois neurônios, um neurônio Pré-ganglionares e umneurônio Pós-ganglionares, em contrate com apenas um único neurônio da via motora esquelética.Imediatamente depois de o nervo espinhal deixar o canal espinal, as fibras simpáticas Pré-ganglionaresabandonam o nervo e vão para dentro de um dos gânglios de cadeia simpática. O neurônio Pós-ganglionares então se origina quer num dos gânglios de cadeia simpática, quer num dos gânglios pré-vertebrais. Algumas das fibras Pós-ganglionares voltam da cadeia simpática para dentro dos nervosespinhais em todos os níveis da medula. Aproximadamente 8% das fibras num nervo esquelético médiosão simpáticas, um fato que indica sua grande importância.Anatomia Fisiológica do Sistema Nervoso ParassimpáticoO sistema nervoso parassimpático deixam o sistema nervoso central, sobretudo pelos nervos espinhal III,VII, IX e X, e pelo segundo e terceiro nervo espinhal. Cerca de 75% de todas as fibras nervosasparasimpaticas estão nos nervos vasos (nervo craniano X), indo para toda região torácica e abdominal docorpo.Os nervos vasos fornecem nervos parassimpáticos para o coração, pulmões, esôfago, estomago,todo intestino delgado, para a metade proximal do cólon, pra o fígado, vesícula biliar, pâncreas e porçõessuperiores dos ureteres. As fibras do sétimo nervo vão para as glândulas lacrimais, nasais esubmandibulares, e as fibras do nono nervo vão para a glândula parótica.O sistema parassimpático, tal como o simpático, tem neurônios pré-ganglionares e pós-ganglionares.No entanto, exceto no caso de alguns nervos parassimpáticos cranianos, as fibras pré-ganglionarespassam ininterruptas por todo o trajeto ate o órgão a ser controlado. As fibras pré-ganglionares sinapsecom estas células nervosas.Característica Básica da Função Simpática e ParassimpáticoAs fibras nervosas simpáticas e parassimpáticos secretam uma das duas substancias transmissorassináptica: a acetilcolina diz-se que são colinérgicas. Todos os neurônios pré- ganglionares sãocolinérgicos em ambos os sistemas nervoso-simpático e parassimpático. Todos ou quase todos osneurônios pôs-ganglionares do sistema parassimpático são também colinergicos. Assim, todas asterminações nervosas do sistema parassimpático secretam acetilcolina, e a maioria das terminaçõesnervosas simpáticas secreta norepinefrina. Estes hormônios, por sua vez, atuam sobres os diferentesórgãos para causar os respectivos efeitos parassimpáticos e simpáticos.22) Descreva o Sistema Nervoso Simpático.O sistema nervoso simpático (SNS) faz parte do sistema nervoso autônomo (SNA), que também inclui osistema nervoso parassimpático (SNP).Transmissão de informaçõesAs mensagens viajam através do SNS em um fluxo bidirecional. As mensagens eferentes (que saem dosistema) podem desencadear mudanças em diferentes partes do corpo simultaneamente. Por exemplo, osistema nervoso simpático pode acelerar os batimentos cardíacos; dilatar as passagens dos brônquios;diminuir a motilidade do intestino grosso; constringir vasos sanguíneos; aumentar o peristaltismo doesôfago; causar a dilatação da pupila, piloereção e transpiração; além de aumentar a pressão sanguínea.As mensagens aferentes (que chegam ao sistema) podem transmitir sensações como calor, frio ou dor.A primeira sinapse (na cadeia sináptica) é mediada por receptores nicotínicos fisiologicamente ativados
  25. 25. pela acetilcolina, e a sinapse-alvo é mediada por receptores adrenégicos fisiologicamente ativados pornorepinefrina ou epinefrina. Uma exceção são as glândulas sudoríparas que recebem inervação simpáticamas possuem receptores de acetilcolina muscarínicos, que são normalmente encontrados no sistemanervoso periférico. Outra exceção é a de alguns vasos sanguíneos de músculos, que possuem receptoresde acetilcolina e se dilatam (ao invés de se constringir) com o aumento da estimulação simpática.23) Descreva o Sistema Nervoso Parassimpático.Sistema nervoso parassimpáticoChama-se sistema nervoso parassimpático a parte do sistema nervoso autônomo cujos neurôniosse localizam no tronco cerebral ou na medula sacral, segmentos S2, S3 e S4. É o responsável porestimular ações que permitem ao organismo responder a situações de calma, como fazer yoga ou dormir.Essas ações são: a desaceleração dos batimentos cardíacos, diminuição da pressão arterial, a diminuiçãoda adrenalina e a diminuição do açúcar no sangue.No tronco cerebral, o sistema nervoso parassimpático é formado mais especificamente pelosseguintes núcleos de nervos cranianos, que por sua vez participam da formação dos seguintes pares denervos cranianos:• núcleo de Edinger-Westphal - nervo oculomotor (III)• núcleo salivatório superior - nervo facial (VII)• núcleo salivatório inferior - nervo glossofaríngeo (IX)• núcleo motor dorsal do vago - nervo vago (X)• núcleo ambíguo - nervo vago (X)Assim como o sistema nervoso simpático, o parassimpático também apresenta uma via com doisneurônios, 23.2.2.65.neurônio pré ganglionar, localizado nos locais acima descritos e o neurônio pósganglionar, situado em um gânglio nervoso, próximo ao órgão final de ação. A localização dos gângliospertencentes ao sistema parassimpático, porém, é geralmente perto dos órgãos-alvo, podendo chegar até aestarem dentro destes órgãos.O neurotransmissor tanto da fibra pré ganglionar como da pós ganglionar é a acetilcolina, e osreceptores podem ser nicotínicos ou muscarínicos.24) Sinapse é a região das comunicações entre os neurônios para um dêntrito de uma célula de neurõnio.Descreva a Sinapse Química e a Sinapse Elétrica.A maioria das sinapses utilizadas para transmissão do sinal no sistema nervoso central da espéciehumana são as sinapses químicasneurotransmissor, que irá atuar em proteínas receptoras presentes na membrana do neurôniosubsequente, promovendo a excitação ou inibição.As substâncias neurotransmissoras mais conhecidas são: acetilcolina, norepinefrina, epinefrina,histamina, ácido gama-aminobutírico, glicina, serotonina e glutamato.Na sinapse química o terminal pré-sinático é separado do corpo celular do neurônio pós-sináticopela fenda sináptica. O terminal pré-sináptico possui vesículas transmissoras que contém substânciastransmissoras que serão liberadas na fenda sináptica, essa liberação é controlada por canais de cálcioOs canais iônicos podem ser do tipo catiônios, que conduzem íons de sódio, ou do tipo aniônico,que passam íons cloreto.Os canais catiônicos permitem a entrada de cargas positivas, promovendo a excitação doneurônio. Portanto as substâncias transmissoras que abrem esses canais são chamadas de transmissores
  26. 26. excitatórios. Os canais aniônicos permitem a entrada de cargas negativas, promovendo a inibição doneurônio, desse modo as substâncias transmissoras que abrem esses canais são chamadas detransmissores inibitórios.O componente ionóforo também pode ser um ativador de segundo mensageiro, uma molécula queprojeta-se para o citoplasma da célula e ativa uma ou mais substâncias localizadas no interior do neurôniopós-sináptico, promovendo aumento ou diminuição de funções celulares específicas.Sinapse ElétricaNas sinapses elétricas, as correntes iônicas passam diretamente pelas junções comunicantes atéchegarem às outras células, enquanto que nas sinapses químicas a transmissão ocorre através deneurotransmissores.As sinapses elétricas fazem a propagação elétrica entre as células através de canais que interligamas mesmas, com um retardo nulo na transmissão. Fisiologicamente, essas sinapses atuam na atividadesincronizada de grupos de neurônios, células musculares lisas ou cardíacas. Esses canais têm umacondutância que varia de acordo com o tipo de proteína constitutiva, por onde passam solutos de baixopeso molecular que irão levar os sinais de uma célula à outra.Os canais são formados por conexinas, proteínas de 4 alças transmembrânicas, com asterminações N e C no citosol; sendo que seis destas conexinas formam um conexon. São os conexonsdestas células vizinhas que, ao se unirem, formam estes canal de transmissão.Por terem este contato íntimo entre as células através de junções abertas, a sinapse elétrica permiteo fluxo livre de íonsO retardo nulo, uma bidirecionalidade, efeito excitatório e uma curta duração fazem com que umasinapse elétrica transmita o impulso nervoso de uma célula à outra quase que instantaneamente. Enquantoque nas sinapses químicas, esse impulso terá de atingir as extremidades do axônio da célula pré-sináptica,para então ocorrer a liberação de substâncias químicas nos espaços sinápticos, e assim osneurotransmissores se combinem com receptores presentes na membrana das células pós-sinápticas paraentão transmitir o impulso nervoso.25)O que é arco-reflexo? Descreva como ocorre? E no que implica.Denomina-se reflexo ou ato reflexo a reação automática do organismo a um estímulo externo.Seu funcionamento começa a partir dos neurônios sensitivos que percebem o estímulo vindo defora e o conduz através dos nervos sensitivos até o encéfalo.Chegando ao encéfalo, centro de todo o sistema nervoso, o estímulo entra em sinapses, que sãoencontros de neurônios pelas extremidades, atingindo o nervo motor que está fixado aos músculos,executando assim a ação.Todo este caminho que o impulso nervoso percorre até o ato reflexo é chamado Arco Reflexo.Exemplos de Reflexo:• Piscar na presença de algum objeto perto dos olhos.• Contrair a perna devido a uma batida no joelho.• Retirar a mão de algo que machuque ou queime• Espirrar e tossirSISTEMA CIRCULATÓRIO LINFÁTICO E SANGUÍNEO
  27. 27. 1) A circulação é? Por meio da circulação sanguínea e linfática o organismo efetua:O termo circulação refere-se ao movimento de um fluido ao longo de um circuito fechado. Acirculação do sangue é o movimento do sangue originado pelo bombeamento do coração que o enviapara as artérias. A função circulatória é, basicamente, uma função de transporte.A circulação do sangue faz-se em dois circuitos separados anatomicamente e com funçõesdiferentes:• Circulação pulmonar ou Pequena circulação pela qual são realizadas as trocas gasosas oxigênio eanidrido carbônico• Circulação sistêmica ou Grande circulação que permite levar os nutrientes e oxigênio aos tecidose receber os produtos finais do metabolismo para serem excretados, assim como levar ashormonas aos seus órgãos alvo.1Circulação LinfáticaAo contrário do sangue, que é impulsionado pelos vasos através da força do coração, o sistemalinfático não possui uma bomba central, portanto, a linfa depende da ação de agentes intrínsecos eextrínsecos para circular. A linfa move-se lentamente e sob-baixa pressão devido principalmente àcompressão provocada pelos movimentos dos músculos esqueléticos que pressiona o fluido através dele.A contração rítmica das paredes dos vasos também ajuda o fluido através dos capilares linfático.Este fluido é então transportado progressivamente para os vasos linfáticos maiores acumulando-seno ducto linfático direito (para a linfa da parte direita superior do corpo) e no ducto torácico (para o restodo corpo). Estes ductos desembocam no sistema circulatório na veia subclaviana esquerda e direita, ondeocorrem as trocas entre os sistemas circulatório e linfático. A linfa segue desta forma em direção aoabdome, onde será filtrada e eliminará as toxinas com a urina e as fezes.2)O sistema circulatório é constituído pelo coração e vasos sanguíneos ( artérias, arteríolas, capilares,vênulas e veias).3)O coração é o órgão principal, tomando-o como ponto central da circulação, temos dois circuitosfechados: a circulação pulmonar ou pequena circulação e grande circulação ou circulação sistêmica.Explique cada.Circulação Pulmonar ou Pequena circulação é a designação dada à parte da circulaçãosanguínea na qual o sangue é bombeado para os pulmões e retorna rico em oxigênio de volta ao coração.Em síntese, é uma circulação coração-pulmão-coração.A circulação sistémica, também denominada grande circulação ou circulação geral, é um doscircuitos que integram a circulação sanguínea dupla e estabelece-se entre o coração e todo o corpo.Neste circuito, o sangue arterial sai do coração e dirige-se para todos os órgãos, regressando comosangue venoso ao coração.O circuito sistêmico inicia-se no ventrículo esquerdo, cuja contração faz sair o sangue arterial docoração, pela artéria aorta, dirigindo-se para todo o corpo. Ao nível dos tecidos, o sangue arterialtransforma-se em sangue venoso e regressa ao coração, para a aurícula direita, através das veias cavas,terminando a circulação sistêmica.4)O coração é um órgão, especificar o que é. Como é formado. Sua função.O coração humano é o órgão responsável pelo percurso do sangue bombeado através de todo o
  28. 28. organismo, que é feito em aproximadamente 45 segundos em repouso. Bate cerca de 109.440 a 110.880vezes por dia, bombeando aproximadamente 5 l de sangue.Neste tempo o órgão bombeia sangue suficiente a uma pressão razoável, para percorrer todo ocorpo nos sentidos de ida e volta, transportando assim, oxigênio e nutrientes necessários às células quesustentam as atividades orgânicas.O coração é o órgão central da circulação, e pode localizar-se em 3 posições no corpo:• Levocardia - posicionamento normal do coração do lado esquerdo do tórax.• Mesocardia - anomalia que faz com que a pessoa nasça com o coração no centro do tórax.• situs inversus - anomalia que faz com que a pessoa nasça com o coração do lado direito do tórax.Normalmente fica localizado na caixa torácica, levemente inclinado para direita e para baixo(mediastino médio). Porém, existe uma anomalia chamada Dextrocardio que faz com que o indivíduonasça com o coração levemente inclinado para esquerda e para baixo.É constituído por uma massa contrátil - o miocárdio - revestido interiormente por uma membranafina - o endocárdio - e envolvido por um saco fibro-seroso, o pericárdio.O coração é constituído por duas porções: a metade direita ou coração direito, onde circula osangue venoso e a metade esquerda, onde circula sangue arterial. Cada uma destas metades do coração éconstituída por duas cavidades, uma superior - a aurícula - e uma inferior - o ventrículo. Estas cavidadescomunicam entre si pelos orifícios aurículo-ventriculares. As duas aurículas encontram-se separadas pelosepto interauricular e os dois ventrículos pelo septo interventricular.Na cavidade atrioventricular esquerda encontra-se a valva mitral, e no orifício atrioventriculardireito a valva tricúspide (são valvas que se abrem em direção ao ventrículo e se fecham para evitar orefluxo do sangue).A circulação sanguínea é assegurada pelo batimento cardíaco, ou seja, o batimento do coração,que lança o sangue nas artérias.O coração é um órgão muscular que, no ser humano, tem o tamanho aproximado de um punhofechado.ConstituiçãoAlgumas artérias coronárias do coração humano.A parte musculosa do coração tem o nome de miocárdio ou músculo cardíaco.O coração humano apresenta quatro partes ou cavidades: na parte superior estão os átrios,divididos entre direito e o esquerdo, na parte inferior estão os ventrículos, também direito e esquerdo.Na metade direita do coração só circula sangue venoso, na esquerda sangue arterial. A circulaçãodo sangue nestas quatro cavidades está controlada pelas válvulas. As válvulas também servem de meio decomunicação entre os átrios e os ventrículos.A parte direita do coração está separada da parte esquerda por um septo muscular.5)O que é sistema Arterial?Conjunto de vasos que saem do coração e se ramificam sucessivamente distribuindo-se para todoo organismo. Do coração saem o tronco pulmonar (relaciona-se com a pequena circulação, ou seja levasangue venoso para os pulmões através de sua ramificação, duas artérias pulmonares uma direita e outraesquerda) e a artéria aorta (carrega sangue arterial para todo o organismo através de suas ramificações).6) O que é sistema nervoso?
  29. 29. O sistema nervoso é o que monitora e coordena a atividade dos músculos, e a movimentação dosórgãos, e constrói e finaliza estímulos dos sentidos e inicia ações de um ser humano (ou outro animal). Osneurônios e os nervos são integrantes do sistema nervoso, e desempenham papéis importantes nacoordenação motora. Todas as partes do sistema nervoso de um animal são feitas de tecido nervoso e seusestímulos são dependentes do meio.7)De que é formado o sistema linfático? O que os linfáticos podem transportar?O sistema linfático é formado por vasos linfáticos, o líquido circulante nesses vasos (a linfa) e osórgãos linfáticos (gânglios linfáticos ou linfonodos, baço, timo, tonsilas ou amígdalas).A circulação linfática tem por função recolher o excesso de plasma extravasado dos capilaressanguíneos no espaço intersticial (entre as células) devolvendo-o à circulação sanguínea.No trajeto desses vasos existem dilatações (os gânglios linfáticos) que filtram a linfa retirando possíveismicrorganismos invasores, antes de devolvê-la a circulação sanguínea.A circulação linfática também é responsável por absorver os produtos provenientes da digestão degorduras no intestino.A linfa é formada basicamente por plasma sanguíneo e linfócitos.Os órgãos linfáticos têm função basicamente de auxiliar na proteção do organismo contrainvasores, produzir e amadurecer linfócitos (amígdalas / timo) e destruir células sanguíneas velhas(baço).8) A intensidade do fluxo da linfa é determinada por dois fatores, quais são? Explique.Aproximadamente 120 ml de linfa passam por hora pelo ducto torácico. A intensidade desse fluxoé determinada principalmente por dois fatores: a pressão do líquido intersticial e o grau de atividade dabomba linfática.1- Pressão do Líquido IntersticialOs fatores que aumentam a pressão do líquido intersticial aumentam normalmente o fluxolinfático. Porém, quando a pressão eleva-se de 1 a 2 nm acima as pressão atmosférica, o fluxo linfáticodeixa de se elevar.2- Bomba LinfáticaA linfa pode ser bombeada pela concentração intrínseca dos músculos lisos da parede do vaso, oupor qualquer fator externo que comprima o vaso linfático.O Sistema Linfático é o controle da concentração de proteínas, volume e pressão do líquidointersticial.As proteínas tendem a se acumular no líquido intersticial, aumentando a pressão coloidosmóticadeste. Isso “puxa” o líquido para o interstício, aumentando, assim, seu volume e pressão.Esse aumento de pressão leva a um aumento da intensidade do fluxo linfático. Os valores dessesfatores, em situação normal, chegam a um estado de equilíbrio estável.APARELHO RESPIRATÓRIO
  30. 30. 1)O aparelho respiratório estende-se da cabeça até o tórax.As partes dos sistema respiratórioA parte mais conhecida é o pulmão, mas existem também outras partes: as narinas, a cavidadenasal, a faringe, a laringe, a traqueia, os brônquios, os bronquíolos, os alvéolos e por último, mas nãomenos importante, o pulmão. Na verdade, o pulmão é composto por vasos sanguíneos, bronquíolos ealvéolos...Narinas: São os dois buracos no nariz, é por lá que o ar entra. Aqueles pelinhos no nariz são o primeirofiltro. Eles vão reter (segurar) as sujeiras maiores como outros pelos, flocos de poeira, etc. Por isso,lembre-se, ao "podar" os pelinhos, não corte tudo, esses pelos são um importante filtro!Cavidade nasal: A cavidade nasal fica logo depois das narinas. Lá está o segundo filtro: um muco que vaireter as sujeiras que passaram no primeiro filtro. Também ocorrem na cavidade nasal, outros doisprocessos: o umedecimento e o aquecimento do ar que entra. Pra quê isso? Bem, um ar frio e secodificulta a troca gasosa (passagem de oxigênio e gás carbônico pelos alvéolos e capilares).Os doisprocessos (umedecimento e aquecimento) são facilitados pela quantidade de vasos sanguíneos presentesnas cavidades nasais. Esses vasos trazem umidade e calor do corpo.Faringe: A faringe é um local comum para o sistema digestório e respiratório, ou seja, é um local poronde passa o ar e o alimento.Laringe: Como então o alimento não entra no pulmão? Isso é por conta da laringe e de sua "tampa"chamada epiglote. Apesar de seu nome esquisito, essa tampa é muito importante, é ela que não deixa oalimento entrar na própria laringe e na traquéia (geralmente, hehehe!). É na laringe que também seencontram as cordas vocais, responsáveis pelos sons. A laringe mede aproximadamente 5cm no homem eé um pouco menor na mulher. Abaixo estão algumas fotos das cordas vocais:Traqueia: A traqueia é basicamente um tubo que liga a laringe aos brônquios. A traqueia não se fechagraças à anéis de cartilagem em forma de C. Estes anéis estão presentes na traqueia, nos brônquios e nosbronquíolos. Também estão presentes na traqueia os cílios e um muco. Possíveis sujeiras grudam nessemuco e são levadas pelos cílios para a laringe onde são engolidos (passam para o esôfago).Brônquios: Já bem perto do pulmão, a traqueia se divide e se transforma em brônquios. Os brônquios tema mesma função da traqueia: cílios, muco, anéis... Eles dividem o ar entre os dois pulmões.Bronquíolos: Como o nome diz, são pequenos brônquios, eles também possuem cílios, muco e anéis. Suafunção é levar o ar até os alvéolos.Alvéolos: Finalmente chegamos no local onde ocorre a HEMATOSE. A hematose é a troca de gases entreos alvéolos e o sangue. Assim, o oxigênio sai dos alvéolos e entra no sangue e o gás carbônico sai dosangue e entra nos alvéolos.O alvéolo é mais ou menos como uma bola circulada de vasos sanguíneos bem pequenos: os capilares.Dentro do alvéolo existe o terceiro filtro: macro células chamadas macrófagos. Esses macrófagos ficamrondando os alvéolos e "capturando" sujeiras que conseguiram passar pelo primeiro e segundo filtro. Essacaptura ocorre por fagocitose.2)O aparelho respiratório tem por objetivo facultar ao organismo uma troca de gases com o aratmosférico, assegurando permanecer no sangue uma concentração de oxigênio necessárias para asreações metabólicas , servindo como via de eliminação de gases residuais que resultam dessas reações eque representadas pelo gás carbônico.3)Vias Aeríferas, quais são? Descreva-as.Nariz, faringe,laringe, traqueia, brônquios e pulmão
  31. 31. NARIZO nariz é uma protuberância situada no centro da face, sendo sua parte exterior denominada narizexterno e a escavação que apresenta interiormente conhecida por cavidade nasal.O nariz externo é formado por: Raiz, Dorso, Asa, Narina e Ápice.O nariz externo tem a forma de uma pirâmide triângular de base inferior e cuja a face posterior seajusta verticalmente em um terço médio da face.As faces laterais do nariz apresentam uma saliência semilunar que recebe o nome de asa do nariz.O ar entra no trato respiratório através de duas aberturas denominadas narinas. Em seguida, fluipelas cavidades nasais direita e esquerda, que estão revestidas por mucosas respiratórias. O septo nasalsepara essas duas cavidades .FARINGEA faringe é porção da anatomia que conecta o nariz e a boca à laringe e ao esôfago. É um canalcomum ao aparelho digestivo e ao aparelho respiratório. De modo geral entre os mamíferos a faringe éponto de encontro entre estes dois aparelhos.LARINGEA laringe é um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua. Consiste em umasérie de cartilagens, como a tiroide, a cricoide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide,corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos dalaringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais; as de cima, falsas; as de baixo,verdadeiras.TRAQUEIAA traqueia é um tubo vertical cilíndrico, cartilaginoso e membranoso, localizado entre a laringe edois tubos curtos, os brônquios, fortalecido por anéis de cartilagem, que levam o ar inspirado até ospulmões. Seu tamanho em um indivíduo adulto é entre 15cm à 20cm de comprimento e 1,5 à 2,5 dediâmetro. Inicia-se na borda inferior da cartilagem cricoide (é um anel completo de cartilagem que fica aoredor da traqueia) até aproximadamente a 5ª vértebra torácica . A função da traqueia no sistemarespiratório é a condução do ar até os brônquios.BRÔNQUIOSA traqueia ramifica-se em dois brônquios: o direito e o esquerdo. Estes, por sua vez, apresentamestrutura altamente semelhante à da traqueia e recebem o nome de brônquios primários ou brônquios deprimeira ordem. Estes últimos, apesar de apresentarem características anatômicas iguais às da traqueia,possuem diâmetro menor do que a mesma. Cada brônquio possui o seu próprio tronco nervoso, vasculare linfático, que, ao mesmo tempo, se ramifica com cada divisão das vias aéreas.No geral, à medida que as vias aéreas condutoras se subdividem, apresentando-se gradativamente maisestreitas, o epitélio respiratório se torna mais curto, com menos células caliciformes (células secretoras demuco), e a quantidade de glândulas, tecido conjuntivo e cartilagem também diminui. Somente os tecidosmuscular liso e elástico aumentam.Cada brônquio primário divide-se uma ou mais vezes para dar origem aos brônquios intrapulmonares,que podem ser considerados secundários ou terciários. Este brônquio intrapulmonar também recebe onome de brônquio lobar, uma vez que ele vai para um lobo pulmonar individual, penetrando o pulmãoatravés de seu hilo. Os brônquios lobares que se seguem, ramificam-se em dois ramos, que, por sua vez,se dividem em mais dois outros. Este padrão de divisão, no qual uma estrutura se divide em duas recebe onome de ramificação dicotômica, que é o principal padrão de ramificação do pulmão.Os brônquios que derivam dos brônquios lobares originam as vias aéreas para porções do pulmão

×