Cine Qua Non - Análise Trainspotting

  • 791 views
Uploaded on

Análise do filme Trainspotting apresentada no dia 16/06 pelo projeto Cine Qua Non promovido pela UEMS.

Análise do filme Trainspotting apresentada no dia 16/06 pelo projeto Cine Qua Non promovido pela UEMS.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
791
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. tRains POttInG
  • 2. Ficha técnica• Direção: Danny Boyle• Roteiro: John Hodge• Baseado na Obra de: Irvine Welsh• Elenco: Ewan McGregor (Renton), Ewen Bremner (Spud), Jonny Lee Miller (Sick Boy), Kevin McKidd (Tommy), Robert Carlyle (Begbie), Kelly Macdonald (Diane), Peter Mullan (Swanney), James Cosmo (Sr. Renton)• [Veja os participantes de "Trainspotting - Sem Limites"]• Duração: 94 min.• Gênero: Comédia/Drama
  • 3. • "Trainspotting - Sem Limites" acompanha a trajetória de um grupo de jovens escoceses viciados em heroína. Uma análise mais cuidadosa, porém, revela uma poderosa crítica à sociedade de consumo e à hipocrisia reinante não apenas no país, mas de maneira geral. O protagonista, Mark Renton (Ewan McGregor) é um rapaz que tem como principal mote de sua existência o niilismo absoluto: usuário de drogas, ele se vê repentinamente se forçando a abandonar o vício ao ser preso pelo roubo em uma loja. Passando por uma tenebrosa crise de abstinência, ele conta com a ajuda (ou não) de seu grupo de amigos: o galã Sick Boy (Jonny Lee Miller), o psicótico Begbie (Robert Carlyle), o também viciado Spud (Ewen Bremner) e o romântico Tommy (Kevin McKidd). O filme mostra como Renton busca fugir da vida de drogado - e consequentemente mergulhar no capitalismo que tanto despreza - através de uma série de
  • 4. O que talvez tenha incomodado tanto os censores de plantão seja a absolutafalta de vontade de Hodge, Welsh e Boyle de utilizar "Trainspotting - Sem Limites" como uma lição de moral. Não é verdade que ofilme exalte o uso de drogas, ainda que Renton descreva a sensação de estarchapado como "mil vezes melhor que seu melhor orgasmo". Tampouco épanfletário, mesmo que apresente algumas cenas chocantes e trágicas -algumas embaladas em um visual atraente e criativo, mas mesmo assimbastante fortes. Não existe certo e errado na história de Irvine Welsh, apenassituações que, extremas, obrigam suas personagens a tomar decisões quasedefinitivas. Mas é inegável que, por trás de bebês mortos e mergulhos emsanitários imundos, existe um fator que desequilibra a balança: ao utilizaruma trilha sonora vibrante, atores atraentes e um irresistível humor negropara contar sua história, Boyle de certa forma reveste de um certo glamour omundo das drogas. Mas aí a velha questão volta a martelar: o cinema tem aobrigação de educar ou é apenas um espelho da sociedade?
  • 5. ROTEIRO, FOTOGRAFIA, TRILHA SONORA...A N Á L IS E
  • 6. R o t e ir o e C r ít ic a"I chose not to choose life. I chose to choose something else," saysthe films narrator and main character, a twenty-somethingEdinburgh man named Mark Renton (Ewan McGregor), near theoutset of Trainspotting. In rejecting the yuppie culture of a nuclearfamily, material possessions, a paying job, and dental insurance,Renton is rebelling, but this isnt just the usual disaffection ofyouth -- its a deeper, more pervasive dissatisfaction with a culturehe views as sick and stifling."People associate it with misery, desperation and death, which is not tobe ignored. But what they forget is the pleasure of it, otherwise wewouldnt do it" He is undoubtedly appalled by society and thematerialistic satisfactions it offers. He later compares heroin: imaginethe best orgasm you ever had and multiply it by a thousand and yourenot even there However, after a few minutes into the film he decides toquit heroin. The viewers may conclude that it is time to move on in life,yet he could not live life without heroin as we see through out the filmhis various unsuccessful trials at quitting his habit.
  • 7. Rentons escape is through drugs -- primarily heroin, but reallyanything he can get his hands on. Hes surrounded by his"buddies", a group of crooks, liars, and psychos who are evenmore twisted than he is. Theres Spud (Ewan Bremner), a shy,inoffensive junkie; Sick Boy (Jonny Lee Miller), a vicious,duplicitous con artist whos obsessed with Sean Connery;Tommy (Kevin McKidd), a "virtuous" young man fighting thetemptation of heroin; and Begbie (Robert Carlyle), a nutcasewho gets his thrills from beating up people.Trainspotting is careful not to present a one-sided view of druguse. After all, why would anyone use the stuff if all it leadsto is misery and unhappiness? In Rentons words, to get an ideaof what its like using heroin, "Take the best orgasm youveever had, multiply by 1000, and youre still nowhere near it."There are no worries about the problems and concerns ofeveryday life, just where the next hit is going to come from.The giddiness of heroin addiction is well-illustrated during some
  • 8. Tr ilh a S o n o r aSe dúvida uma das qualidades mais notáveis de“Trainspotting” está em sua trilha sonora.Sua trilha sonora é bem pensada e flui naturalmente. Elaconsegue traduzir musicalmente as vivências do filme – osdramas de seus personagens, suas aventuras, seusmomentos de revelação. Além disso, ela captura a músicapop britânica num grande momento. “E os americanos?”,alguém pergunta. Respondo: Iggy Pop e Lou Reed caem comouma luva; ouçam Blur, Elastica, Pulp, Sleeper e perceberãoo quanto o rock inglês deve a esses yankees pioneiros. Amúsica eletrônica do Bedrock, Leftfield e Underworld, atéentão confinada na Europa, estoura mundo afora logodepois do lançamento de Trainspotting. Enfim, por essas eoutras ela é considerada uma das melhores trilhas já
  • 9. F o t o g r a f ia No quesito fotografia, “Trainspotting” não deixapassar sua excessiva expressão por meio das cores, deforma que a projeção das cores está intimamente ligada aohumor, às ilusões, às drogas e o decorrer das vicissitudesdas personagens.A relação do uso de cores que predominam nas cenas dofilme podem ser observadas como uma maneira de tentarimergir o telespectador às sensações, alucinações econdições em que as personagens encontram-seenvolvidas.
  • 10. O filme inicia sob um olhar verde. A luz é esverdeada,quando o narrador fala sobre escolhas. Dentro da casaaonde eles usam heroína há a forte presença da luzalaranjada e as roupas, móveis, e outros objetos de cenasão em tons pastéis. A sensação é de um ambiente quente eaconchegante, porém perigoso. A primeira cena em que onarrador/protagonista falou em ter largado as drogas, oambiente é bem iluminado e em locação externa em umcampo com árvores ao fundo com a luz de um dia normal,assim como uma pessoa normal.A primeira cena de delírio que é marcada pelo supositório deópio tem sua transição do sóbrio para o desespero com aprofusão de cores formada pelas janelas, nas quais Markestá na frente quando sente fortes dores de barriga. QuandoSpud vai para um entrevista de emprego sob o efeito das
  • 11. No balanço geral do filme ficam claras as utilizações das cores e doscontrastes para identificar determinadas situações chave. A luz alaranjadautilizada em objetos e figurinos em tons pastéis para definir o momento emque são utilizadas as drogas, fazendo referência ao calor e uma sensaçãoprazerosa, porém perigosa e nessas cenas os contrastes são leves. Nas cenasmarcadas pelo desespero ou delírio existem várias cores mixadas que juntoaos formatos definem o delírio e geram uma confusão controlada noresultado ao expectador, na tentativa de repassar a sensação a que assisteao filme. Nas cenas em que os atores aparecem sóbrios a luz é fria e maisestável, bem com distribuída forma mais homogênea e com menos sombras,transmitindo a sensação de tranquilidade, porém certa infelicidade. E nascenas que envolvem sexo há forte presença do vermelho nas roupas e outroselementos de cena, todas as vezes que a parceira de Mark aparece, ela estáusando alguma peça em vermelho, exceto na primeira cena, na qual ainda éincerta a relação sexual. Tudo que está relacionado a utilização das cores no filme, sejam através dailuminação, figurino ou objetos de cena está gerando sensações, para que oexpectador chegue mais perto o possível das sensações causadas pela droga. As cores aparecem com uma forte presença para definir e diferenciar entre ocerto e errado, entre a libido e a seriedade, entre a sanidade e o delírio.Sendo essas referências fortes para a completa e clara compreensão da
  • 12. A MANEIRA COMO O CONSUMO DE DROGAS É RETRATADO EM“ TRAINSPOTTING ” FOGE À MANEIRA SUPERFICIAL E CARICATACOMO A SOCIEDADE ABORDA O ASSUNTO. O VÍCIO EMSUBSTÂNCIAS ALUCINATÓRIAS NÃO PASSA DE MAIS UMSUBTERFÚGIO DIANTE AO GRANDE VAZIO NO QUAL O HOMEMMODERNO ENCONTRA-SE INSERIDO, DA MESMA MANEIRA COMO OCONSUMO EXCESSIVO, OS JOGOS ELETRÔNICOS, OS MECANISMOSDIGITAIS COMO A INTERNET SÃO MANEIRAS DE “DISTRAIR” AATENÇÃO HUMANA DE SUA PRÓPRIA ESSÊNCIA E DASVICISSITUDES E OBRIGAÇÕES DA VIDA MODERNA.