Gabarito Prova Uninove Turma 6 B

6,309
-1

Published on

Published in: Health & Medicine, Business
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
6,309
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Gabarito Prova Uninove Turma 6 B

  1. 1. 1) São consequências da fratura exposta, exceto:<br />A) Contaminação bacteriana<br />B) Lesão de partes moles<br />C) Consolidação acelerada<br />D) Retardo de consolidação<br />
  2. 2. 2) O prognóstico da fratura exposta está relacionado com:<br />A) Grau de contaminação<br />B) Quantidade de tecido desvitalizado<br />C) Grau de Energia do trauma<br />D) Todas estão corretas<br />
  3. 3. 3) Objetivo primordial no tratamento da fratura exposta é:<br />A) Reabilitação funcional e evitar infecção<br />B) Evitar infecção e tratar seqüelas infecciosas<br />C) Reabilitação funcional e amputar o membro<br />D) NDA<br />
  4. 4. 4) Tala suropodálica é utilizada na imobilização do:<br />A) antebraço<br />B) joelho<br />C) ombro<br />D) tornozelo<br />
  5. 5. 5) Tala axilopalmar é utilizada em caso de fratura de:<br />A) ombro<br />B) rádio distal<br />C) quadril<br />D) tornozelo<br />
  6. 6. 6) A tala inguinopodálica é utilizada em fraturas de:<br />A) tíbia <br />B) pé<br />C) rádio distal<br />D) falanges<br />
  7. 7. 7) Passadas 6 h a 12 h de fratura exposta, a ferida é considerada:<br />A) limpa<br />B) potencialmente contaminada<br />C) infectada<br />D) contaminada<br />
  8. 8. 8) Após 12h de fratura exposta a ferida é considerada:<br />A) infectada<br />B) contaminada<br />C) potencialmente contaminada<br />D)NDA<br />
  9. 9. 9) Uma fratura exposta com ferida de 7cm, moderada lesões de partes moles, fratura em espiral é classificada como Gustilo Anderson:<br />A) Grau I<br />B) Grau II<br />C) Grau IIIA<br />D) NDA<br />
  10. 10. 10) Paciente com fratura exposta de cotovelo (vejam a imagem) necessitou de intervenção do cirurgião vascular. Segundo a classificação de Gustilo Anderson classificamos como: <br />A) Grau I<br />B) Grau IIIA <br />C)Grau IIIB<br />D)Grau IIIC<br />
  11. 11. 11) Fratura exposta de tíbia com 8cm de ferida, fratura em espiral, média energia de trauma é classificada como:<br />A)Grau IIIA<br />B)Grau II<br />C)Grau IIIC<br />D) Grau I<br />
  12. 12. 12) O risco de infecção na fratura exposta é de:<br />A) 56% no grau IIIB<br />B) 80% grau I<br />C)95% grau II<br />D) NDA<br />
  13. 13. 13) No paciente politraumatizado, com fratura exposta, que dá entrada no pronto socorro o ortopedista deve:<br />A) Realizar tratamento cirúrgico imediato sem avaliação do cirurgião porque trata-se de urgência<br />B) Aguardar a avaliação do cirurgião quanto ao risco de vida antes da intervenção ortopédica de urgência<br />C) Aguardar jejum de 12horas para iniciar intervenção cirúrgica <br />D) NDA<br />
  14. 14. 14) A quantidade de soro preconizada para lavagem de uma fratura exposta Grau I é:<br />A) 1 litro<br />B) 2 litros<br />C) 500ml<br />D) 5 litros<br />
  15. 15. 15) A quantidade de soro preconizada para lavagem de uma fratura exposta Grau II e III é:<br />A) 10 litros ou mais<br />B) 3 litros<br />C) 1 litro<br />D) 5 litros<br />
  16. 16. 16) A tipóia isolada como forma de imobilização é utilizada em casos de fratura :<br />A) tornozelo<br />B) antebraço<br />C) mão<br />D) clavícula<br />
  17. 17. 17) Ferimento e fratura no mesmo seguimento(antebraço p. ex) deve ser considerado como:<br />A) Fratura Exposta somente quando há síndrome compartimental<br />B) Fratura cominutiva<br />C) Fratura Exposta até que se prove o contrário<br />D) Fratura Fechada, pois o osso não é visualizado<br />
  18. 18. 18) A síndrome do túnel do carpo é causada pela compressão do nervo:<br />A) radial<br />B) ulnar<br />C) axilar<br />D) mediano<br />
  19. 19. 19) A epicondilite lateral é causada pela inflamação dos musculos: <br />A) flexores<br />B) extensores <br />C) supinadores<br />D) manguito rotador<br />
  20. 20. 20) O Manguito rotador é formado pelos músculos:<br />A) subescapular, supra espinhal, infra-espinhal, redondo menor<br />B) Peitoral maior, supra espinhal, infra-espinhal, redondo menor<br />C) Peitoral maior, supra espinhal, infra-espinhal, trapézio<br />D) subescapular, supra espinhal, infra-espinhal, deltóide<br />
  21. 21. 21) O número 01 consiste no:<br />A) supra-espinhal<br />B) biceps<br />C) subescapular<br />D) Redondo menor<br />
  22. 22. 22) O número 02 consiste no:<br />A) infra espinhoso<br />B) redondo menor<br />C) supra espinhal<br />D) subescapular<br />
  23. 23. 23) O número 03 consiste no:<br />A) tubérculo maior<br />B) úmero<br />C) processo coracóide<br />D) acrômio<br />
  24. 24. 24) O número 04 consiste no:<br />A) acrômio<br />B) processo coracóide<br />C) úmero<br />D) clavícula<br />
  25. 25. 25) A percusão ao nível do punho resultando em choque irradiado para mão é conhecido como: <br />A) Sinal de Phalen<br />B) Sinal de Tínel<br />C) Sinal de Thompson<br />D) Nda<br />
  26. 26. 26) A flexão passiva do punho por 1 a 2 minutos resultando em parestesias das mãos consiste no:<br />A) Sinal de Phalen<br />B) Sinal de Tinel<br />C) Sinal de Thompson<br />D) Nda<br />
  27. 27. 27) Após o diagnóstico de síndrome do túnel do carpo, a conduta correta é: <br />A) Cirúrgico <br />B) Fisioterapia e reavaliação após,para indicação de cirurgia<br />C) AINHS, imobilização e amtriptilina<br />D) Nda<br />
  28. 28. 28) A estrutura a seguir é responsável pela síndrome do túnel do carpo. Ela é: <br />A) osteofibrosa<br />B) osteocartilaginosa<br />C) osteoligamentar<br />D) Nda<br />
  29. 29. 29) A figura abaixo consiste em:<br />A) tala metálica<br />B) tala suropodálica<br />C) tala axilopalmar<br />D) nda<br />
  30. 30. 30) As fraturas de falanges dos pés podem ser tratadas com:<br />A) tala metálica para dedo<br />B) esparadrapagem<br />C) tala axilopalmar<br />D) NDA<br />
  31. 31. 31) A bactéria atinge a articulação na pioartrite, principalmente, por: <br />A) inoculação através de procedimentos<br />B) via hematogênica<br />C) contiguidade<br />D) NDA<br />
  32. 32. 32) Quando se diagnostica uma pioartrite de joelho a conduta é:<br />A) antibióticoterapia e aguardar evolução clínica<br />B) antibioticoterapia + exames laboratoriais seriados<br />C) drenagem cirúrgica de urgência + antibioticoterapia<br />D) NDA<br />
  33. 33. 33) A pioartrite é mais comum na articulação do:<br />A) joelho<br />B) cotovelo<br />C) ombro<br />D) NDA<br />
  34. 34. 34) Marque a incorreta, na pioartrite, o VHS:<br />A) eleva-se tardiamente (48-72h)<br />B) inespecífico<br />C) eleva-se nas primeiras horas (1h-10h)<br />D) retorna a valores normais tardiamente<br />
  35. 35. 35) Marque a incorreta, na pioartrite, o PCR:<br />A) eleva-se precocemente<br />B) retorna rapidamente ao normal com tratamento <br />C) elevado em 98% casos<br />D) é inferior ao VHS no diagnóstico precoce<br />
  36. 36. 36) Na suspeita de pioartrite é importante realizar investigação diagnóstica com:<br />A) ressonância magnética<br />B) punção e análise do líquido<br />C) cintilografia<br />D) NDA<br />
  37. 37. 37) O resultado da análise de líquido de punção articular sugere quadro infeccioso, exceto: <br />A) bacterioscopia positiva <br />B) contagem células &gt;50.000<br />C) Glicose baixa<br />D) NDA <br />
  38. 38. 38) A principal bactéria relacionada com a pioartrite é : <br />A) Staphyloccus aureus<br />B) Haemophilus influenza<br />C) Streptococcus<br />D) Pseudomonas<br />
  39. 39. 39) Na pioartrite em RN e menores de 4 anos a antibioticoterapia correta seria: <br />A) Penicilina benzatina intramuscular<br />B) Ciprofloxacino endovenoso<br />C)Amoxacilina via oral<br />D)Cefalosporina (Ceftriaxone) + Aminoglicosídeo endovenoso<br />
  40. 40. 40) É diagnóstico diferencial de pioartrite, exceto:<br />A) Espondilite Anquilosante<br />B) Febre reumática<br />C) Artrite reumática<br />D) Sinovite transitória<br />

×