• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Premio embalagemmarca2009
 

Premio embalagemmarca2009

on

  • 2,081 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,081
Views on SlideShare
2,081
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
24
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Premio embalagemmarca2009 Premio embalagemmarca2009 Presentation Transcript

    • Prêmio EmbalagemMarca Grandes Cases de Embalagem 2009
      Cerimônia de premiação no Espaço APAS, em São Paulo
    • TROFÉU
      Prêmio Grandes Cases 2009
    • BRANDY 15 ANOS
      Usuário: Casa Valduga
       
      Fornecedores citados:
      Box Print
      UNT Design
      Para colocar a marca de seu brandy no segmento de bebidas destiladas do nível dos grandes conhaques franceses, a Casa Valduga não foi modesta. Adotou uma fina garrafa de vidro e, para a embalagem secundária, orientou o fornecedor brasileiro no sentido de que o estojo tivesse apresentação de grande impacto e funcionasse como uma caixa de presente personalizada.
      O papel cartão utilizado é de alta gramatura e tem impressão em ambas as faces, com uso de variados recursos de requinte. Um berço de papelão micro-ondulado serve de apoio e proteção à garrafa. O objetivo de reposicionamento foi atingido, houve aumento de margem, com preço de venda 25% superior ao anterior, e as vendas cresceram 120%, com superação das metas mensais em 20%.
    • HOT POCKET PIZZA SADIAEmpresa usuária: Sadia
       
      Fornecedores citados:
      Brasigrafica
      Celocorte
      Emplal
      Emplas
      A inovação e a alta tecnologia aplicada na embalagem deste novo item da linha Hot Pocket Sadia são os principais atributos deste caso.
      A Sadia queria lançar para o público jovem e single um lanche prático, que não necessitasse de uso de utensílios para ser consumido.
      O preço final deveria ser competitivo, porém sem sacrificar margens. O indispensável aquecimento no microondas não poderia prejudicar a crocância da pizza.
      Uma complexa solução tecnológica, que envolve o uso de cartão laminado com poliéster metalizado, tinta aprovada para contato com alimentos, bandeja com blenda de copolímeros, selagem com filme de abertura fácil e outros recursos, como texto em braile na bandeja, possibilitou que os objetivos propostos fossem alcançados.
      É um caso em que a embalagem viabilizou a existência do produto, com ganhos na produção, e ainda com o aspecto de exclusividade.
    • LINHA FUN – COLEÇÃO ICE CREAMUsuário: O Boticário
       Fornecedores citados:
      AB Plast
      Gráfica Magistral
      Kingraf
      PlastCase
      Studio Lumen
      Tubocap
      A Linha Fun, coleção Ice Cream, foi criada para explorar em produtos cosméticos a linguagem dos sorvetes. A embalagem deveria chamar atenção em janeiro, quando as vendas caem. Por ser uma edição limitada, não havia possibilidade para grandes inovações nos frascos, com alto investimento em moldes. O desafio era explorar boas idéias de baixo custo.
      Foi criada uma linha diferenciada. As soluções na faca dos cartuchos geraram formatos inusitados, que se destacaram nos pontos-de-venda sem custo adicional em relação aos cartuchos tradicionais.
      O formato de sorvete nas tampas dos potes alcançou o objetivo de associação de imagem desejado. Imagens de texturas cremosas, cores especiais e relevo nas caixas fortaleceram a proposta.
      As vendas de quase 350 mil unidades extrapolaram as previsões de O Boticário. Foi um sucesso tão meteórico que criou limitações na produção, e só por isso não vendeu mais. O êxito do produto levou a novos lançamentos com a mesma proposta, como a linha Fun Milk, que tem as embalagens inspiradas em imagens de vacas leiteiras.
    • SHADOW 480 SL
      Usuário: Consagro
       
      Fornecedores citados:
      Campo Limpo
      Garboni
      O recolhimento de recipientes vazios de agrotóxicos é uma exigência legal, que o inpEV – Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias ajuda a cumprir. A entidade tem um programa que já alcança o índice de 80% de reciclagem do volume produzido. Agora foi dado um passo que fecha o ciclo: a bombona de 20 litros do produto Shadow utiliza como matéria-prima polímeros reciclados oriundos de embalagens vazias de fitossanitários.
      A Campo Limpo, apoiada pelo inpEV, desenvolveu estudos de viabilidade para a produção de embalagens que utilizam resina pós-consumo como camada intermediária e resina virgem como camadas interna e externa. Identificou-se que havia grande demanda por bombonas de 20 litros para defensivos agrícolas, adequadas aos propósitos da Campo Limpo.
      É a primeira embalagem reciclada que possui certificação terrestre para transporte de produtos perigosos. E tem ótima resistência no empilhamento.
      A utilização de resina pós-consumo fecha o ciclo, transformando uma obrigação legal em fonte de receita e de benefícios econômicos para todos os elos envolvidos.
    • DIAMANTE NEGRO FORMATO DIAMANTE
      Usuário: Kraft Foods
       
      Fornecedores citados:
      Emplal
      Jofer
      Zaraplast
      A atratividade do mercado de presentes levou a Kraft Foods a lançar um chocolate em formato de diamante acondicionado em bandejas termoformadas de PET e estojo de papel cartão também em formato de diamante.
      Foi desenvolvido um lacre que conjuga propriedades díspares, como selagem hermética e abertura fácil. A embalagem primária, dotada de barreira, garante a crocância do produto, enquanto o estojo de papel cartão confere a ele o status de item para presente. Com isso a marca foi reposicionada, deixando de ser exclusiva para tabletes.
      A empresa avalia que o produto teve ganho de imagem de aproximadamente 15% e adquiriu conotação premium. As vendas globais da linha aumentaram 7%.
    • Ante a crescente demanda de bebidas voltadas ao público infantil, a Bioleve decidiu investir num projeto exclusivo e específico para consumidores de quatro a doze anos de idade. Foi projetada uma embalagem soprada de PET de 250 mililitros com formato único: circular na parte inferior, a garrafa se estreita no segmento central e termina em forma triangular no ombro.
      Além de apresentar um diferencial estético, a garrafa tem pega fácil. Conta ainda com um sistema de tampa especial na linha de água mineral, formado por um bico que abre e fecha facilmente e uma tampa protetora que não se solta. Assim é prevenida a ingestão acidental de peças pequenas pelas crianças.
      Com a linha de produtos estendida, a Bioleve eliminou uma ociosidade média de 15% na planta de bebidas mistas e refrigerantes. O aumento da margem de lucro foi de 5%. As vendas da empresa cresceram 9%.
      BIO KIDSUsuário: Bioleve
       
      Fornecedor citado:
      Geodesign
    • A embalagem do polidor de pratas Brasso era produzida em linha manual e apresentava desvios no padrão de qualidade. A capacidade de produção era baixa: 10.000 latas por turno de 8 horas.
      Os prazos de entrega muitas vezes não eram atendidos e o processo exigia excesso de mão-de-obra – portanto, custo maior.
      Com os objetivos de reduzir custos e melhorar o atendimento, foi desenvolvido um formato que possibilita a produção da embalagem em linha automática. A lata, que tinha a forma tradicional cilíndrica, passou por alterações que conferem ao produto maior segurança e garantia de qualidade. A embalagem passou a ser produzida na linha de aerossóis. Totalmente automatizada, a produtividade aumentou para 70 000 latas por turno, ou seja, 700% a mais, com mão-de-obra reduzida, o que diminuiu o custo.
      A nova lata pode ser paletizada e a produção passa a ser totalmente testada – antes, somente uma amostra do que era fabricado passava por testes.
      POLIDOR BRASSOUsuário: ReckittBenckiser
       Fornecedores citados:
      DIL Brands
      Prada
    • FEIJÃO PRONTO CAMIL
      Usuário: Camil
       
      Fornecedor citado:
      Tetra Pak
      Ante o fato de que o feijão é um produto de uso disseminado, mas de preparação demorada, inusual principalmente entre jovens das classes A e B, a Camil resolveu lançar uma linha do produto pronto para consumo. Adotou para isso uma embalagem “retortable” de 380 gramas, de abertura fácil.
      O alimento passou a ser opção para famílias pequenas e pessoas que moram sozinhas: fica pronto em cerca de dois minutos no microondas ou no fogão.
      A embalagem viabilizou o lançamento, além de criar uma nova categoria nas gôndolas.
      Outra vantagem foi o ganho na margem de um produto que é commodity – enquanto o pacote de 1 quilo do Feijão Camil in-natura é vendido por cerca de R$ 2,70, o feijão pronto, em caixinhas com 380 gramas, é vendido a R$ 4,50.
    • TINTA PAREDEX VINIL ACRÍLICO
      Usuário: Akzo Nobel
       
      Fornecedores citados:
      Fibrasa
      Gráfica Rami
      Não é só em alimentos, produtos de limpeza e aparelhos eletrônicos que o mercado da Classe C é promissor. Para que a tinta Paredex Vinil Acrílico pudesse alcançá-lo, a Akzo Nobel passou a acondicionar o produto em baldes de polipropileno de 3 litros e 600 gramas.
      Em vez de decorar as embalagens com impressão em offset seco, como vinha fazendo em outros produtos que acondicionava em baldes plásticos, adotou o processo In MoldLabel. Com o sistema de impressão IML, as embalagens ganharam no aspecto visual.
      Houve melhora de imagem do produto em relação à embalagem anterior, o objetivo de atingir a classe C foi alcançado e ocorreu um acréscimo de 3% na margem.
      Em resumo: mesmo reduzindo o preço do produto para o consumidor final, houve ganho para a empresa. E ocorreu um benefício adicional: por serem telescopáveis, as embalagens reduziram o espaço de estocagem.
    • MOLHOS CEPÊRA
      Usuário: Cepêra Alimentos
       
      Fornecedores citados:
      Owens-Illinois
      Revpack Tecnologia
      No concorrido campo de condimentos, a Cepêra percebeu que os frascos de 150 mililitros de sua marca precisavam oferecer algum diferencial para se destacar nos pontos-de-venda.
      Modernizou a decoração e, principalmente, substituiu o sistema convencional de fechamento, composto de três partes (tampa, batoque e lacre termo-encolhível), por um componente único, com vedação do tipo flip top.
      Por ser aplicado pelo método de batoque e não de rosca, foi eliminada a possibilidade de reaproveitamento da embalagem depois do uso.
      Houve ganho de eficiência no processo de fechamento, com a substituição de três operações por uma só.
      Hoje, a capacidade de produção, em volume, está cerca de 10% maior. Houve redução dos custos de mão-de-obra e de energia elétrica, pois foi dispensado o uso de túnel para aplicação do lacre termo-encolhível.
      Os resultados foram de recomposição de margem em 5% e, em pouco mais de um mês da reformulação, de aumento de vendas em 4%.
    • RESERVA 51Usuário: Cia. Müller
       
      Fornecedores citados:
      Brasilgrafica
      UV Pack
      Visando a um público sofisticado, a Reserva 51, uma cachaça superpremium e exclusiva, foi lançada numa embalagem luxuosa, para dar destaque e valorizar sua imagem.
      O conjunto é formado por uma garrafa de vidro ultra-cristalino, com formato customizado e gravações em relevo, e por uma embalagem secundária composta de luva, estojo e berço decorados com sofisticadíssimos recursos gráficos.
      Com isso, o fabricante – tradicional produtor de bebidas populares – conseguiu entrar no mercado de alcoólicos de alto luxo. O produto é vendido a 120 reais, e já no primeiro mês após o lançamento as vendas ficaram 50% acima da previsão inicial da Companhia Miller.
    • ESTOJOS PARA PRESENTE AMAZÔNIA NATURALUsuário: Amazônia Natural
       
      Fornecedores citados:
      Brainbox Design Estratégico
      A Amazônia Natural possuía apenas um estojo para presente, feito de papel kraft, sem apelo comercial e que não girava no ponto-de-venda. Para reverter essa situação, criou uma série de estojos em que se destacam imagens de animais da floresta.
      Para dar conotação ambientalmente coerente, as janelas das embalagens não levam filmes. A cada três meses o visual é mudado, sempre dentro do mesmo conceito e com elementos visuais da Amazônia.
      Os consumidores passaram a esperar pelas mudanças, e muitos dizem colecionar as embalagens. Mas o principal resultado foi o expressivo aumento das vendas: 45%.
    • GLICOPAN ENERGY JCRUsuário: Vetnil
       
      Fornecedores citados:
      Emplas
      Projeto Integrado
      Rowprint
      O mercado de suplementos para cavalos de corrida, salto e outras modalidades hípicas baseia-se em embalagens padronizadas, adaptadas de outros segmentos. Em geral, são pouco compatíveis com os locais de uso (fazendas e pontos de treinamento), de difícil manuseio e sujeitas a riscos de contaminação do produto devido ao mau uso no processo de aplicação.
      Foi desenvolvida uma embalagem de formato exclusivo, que faz alusão à pata de um eqüino. O frasco possui duas pegas ergonômicas texturizadas que dão firmeza e segurança no manuseio. A simetria da embalagem compatibiliza o uso tanto por pessoas destras quanto canhotas.
      A utilização se faz em duas etapas: fazendo pressão no corpo da embalagem, o produto é forçado a subir pela cânula até chegar ao recipiente dosador. Uma régua medidora transparente inserida na lateral da embalagem permite o controle da dosagem e do volume de produto restante. Foi desenvolvido também um sistema que impede que durante o uso o líquido retorne para o corpo da embalagem, o que contaminaria o produto.
      Além de oferecer segurança e facilidade de uso do produto, a embalagem aumentou o destaque do produto nos pontos-de-venda e não necessidade de alterações na linha de envase.
    • AMIDO JURÉIAUsuário: Juréia Alimentos
      Fornecedores citados:
      Di20 Studios
      Real Plastic
      A Juréia apostou num segmento de mercado – o de amido de milho – dominado há mais de um século por praticamente um só fabricante, cuja marca se confunde com o próprio produto.
      Na categoria são predominantes as embalagens de papel cartão. A adoção de um pote plástico, inédito no Brasil, tornou-se, pelo formato, uma ferramenta de marketing e um diferencial do produto.
      Outro diferencial: após a abertura, uma tampa hermética propicia uma eficácia no fechamento que as embalagens celulósicas não oferecem. O slogan do produto, “Não estraga quando molha”, resume esse que é o principal apelo da embalagem.
      Segundo o fabricante, o aumento das vendas no primeiro mês foi de1.000%, para posteriormente estabilizar-se em 300% em comparação com o mesmo período do ano anterior, quando era usada a tradicional caixa.
    • BOLSA 1.000 LITROS ALUMINIZADAUsuário: Coim Brasil
       
      Fornecedores citados:
      Alcan Packaging
      Embaquim
      Para oferecer uma embalagem com as mesmas propriedades de um tambor metálico para transporte de adesivos líquidos, o fabricante criou uma bolsa de 1.000 litros aluminizada, com formato octogonal, a fim de minimizar o manuseio e otimizar o volume na caixa de papelão que a sustenta.
      Cada bolsa substitui eficazmente cinco tambores metálicos. A embalagem oferece barreira total à luz e à umidade e proporciona economia de espaço, pois antes do uso é transportada dobrada.
      Com a adoção da bolsa, o usuário registrou ganho de 5% na produção. Outro atrativo da embalagem é a economia de tempo e de recursos que oferece, pois, sendo descartável, não precisa ser lavada após o uso, como ocorre com os tambores.
      A empresa usuária obteve ganhos logísticos ao eliminar a necessidade de transporte dos tambores vazios.
    • SORVETES MOLICO E LA FRUTTA ZEROUsuário: Nestlé Brasil
       
      Fornecedores citados:
      Jaguar Plásticos
      M Design
      Multilabel
      Pande Design Solutions
      O design dos potes destes produtos da Nestlé inovou na categoria, no Brasil, com o formato oval, facilitador da pega.
      O desenvolvimento do projeto, cuja seleção foi feita por uma equipe multifuncional de especialistas em embalagens no Brasil e no exterior, durou um ano e meio. Os potes, de 700 mililitros, injetados em polipropileno, são decorados com in moldlabel, da mesma forma que as tampas.
      O desenvolvimento de um equipamento de envase também inédito no Brasil e levado a cabo internamente resultou em aumento de 200% na produtividade.
      Além de outros ganhos técnicos, as vendas aumentaram 20% em unidades em relação à versão anterior das embalagens.
    • LINHA ÁGUAS
      DE PHEBOUsuário: Perfumaria Phebo (Casa Granado)
       Fornecedores citados:
      FPM
      Gráfica Rainha Lescal
      Indexflex
      Wheaton Brasil
      Marca tradicional, a Phebo tinha o objetivo de despertar o interesse do público jovem, sobre o qual exercia pouca atração. Esse segmento de mercado ainda era pouco explorado pela empresa.
      A embalagem foi a principal estratégia para valorizar a marca e acessar esse novo consumidor no lançamento da linha de colônias Águas de Phebo.
      Frascos de vidro com capacidades de 200 mililitros e miniaturas em versão de 20 mililitros têm como diferencial básico as cores vibrantes e modernas, que se destacam nas prateleiras. As embalagens, de formato cilíndrico, são pintadas com tinta orgânica, sem chumbo em sua composição, de modo que não agridem o ambiente.
      Graças ao visual moderno das embalagens, a Phebo conseguiu entrar no segmento jovem, e as Águas de Phebo passaram a ser percebidas como produtos de qualidade superior.
      As colônias hoje são expostas ao lado de marcas exclusivas nos pontos-de-venda, e a tradicional marca Phebo passou a ter sua imagem relacionada também com inovação e modernidade.
    • MINI PÉ-DE-MOLEQUE JUNINHO
      Usuário: Yoki
       
      Fornecedores citados:
      Ibratec
      Versa Comunicação Integrada
      Produtos sazonais são um dos pontos fortes da Yoki. Neste caso, a empresa reapresentou de forma inovadora um costume tradicional nas quermesses e festas juninas – o pé-de-moleque. Adotou uma embalagem de papel cartão em formato de cone recheada com o doce, para ficar suspensa nos supermercados, como é feito com os ovos de Páscoa.
      Com o produto, a Yoki reforçou o vínculo da marca com as festas juninas.
      E houve acréscimo de 30% no volume de pé-de-moleque comercializado durante essas festividades, na comparação com o mesmo período do ano anterior.
    • O restaurante Tábua de Carne, de Natal, é conhecido pelo sabor de suas comidas típicas. Os clientes da casa, no entanto, reclamavam da embalagem para viagem. Os pratos eram colocados em “quentinhas” de poliestireno expandido e depois acondicionados em sacos plásticos personalizados, para serem transportados de moto. Isso mantinha a temperatura dos alimentos, mas era difícil manter a organização dos pedidos, pois muitos pratos têm líquidos ou são pastosos.
      Uma inovadora embalagem de entrega resolveu o problema. Ela é fácil de transportar, tanto pelo entregador quanto pelo cliente. Dividida em seis módulos independentes, permite que todos os acompanhamentos do prato sejam visualizados e transportados em separado. A alça de transporte permite fácil manuseio. Com a nova embalagem, o Tábua de Carne teve um incremento de mais de 60% no número de pedidos para viagem.
      DELIVERY TÁBUA DE CARNEUsuário: Restaurante Tábua de Carne (Natal – RN)
       Fornecedores citados:
      Bora Comunicação
      Multi Papel Embalagens
    • A L’Acqua di Fiori procurava renovar sua linha de produtos de higiene corporal, e vivia o dilema de fugir das embalagens standard, economicamente viáveis, sem arcar com os elevados custos das embalagens exclusivas.
      Desenvolveu, então, um fornecedor que disponibilizou – de forma pioneira no Brasil – a resina PET-EBM para os novos frascos dos produtos. Além de oferecer transparência cristalina, alta resistência química e forte barreira ao oxigênio, a resina permite o uso de sistema de sopro convencional, com baixo investimento em moldes e preço competitivo das peças produzidas.
      Com as embalagens, a empresa conseguiu ganho de imagem e diferenciou a linha. Mais que isso, a nova tecnologia garantiu grande versatilidade em design, reduziu os lotes mínimos de produção e tornou mais curtos os prazos de desenvolvimento. A recomposição de margem da linha foi de 15%, e já no primeiro mês após o lançamento foi registrado aumento de vendas de 40%.
      CHERRY BLOSSOM E CAPIM LIMÃOUsuário: L’Acqua Di Fiori
       Fornecedores citados:
      Mega Plast
      Confetti
      CPR
    • LINHA INDUSTRIALIZADOS C. VALEUsuário: C. Vale
       Fornecedores citados:
      Gráfica Kamaro
      Pande Design Solutions
      Com pouca tradição no varejo, mas muito reconhecida por sua linha de produtos in natura, a C. Vale tinha o desafio de alavancar as vendas de termoprocessados. Precisava ganhar visibilidade no mercado de produtos industrializados congelados de origem animal, dominado por grandes empresas.
      As novas embalagens conseguiram diferenciar claramente os cortes nobres dos tradicionais, e passaram a dar ênfase à rastreabilidade de todo o processo produtivo.
      As mudanças surtiram efeitos imediatos no desempenho da indústria. O nível de ocupação da capacidade instalada, que variava de 45% a 50% nos primeiros seis meses de 2008, saltou para 99% cinco meses após a chegada das novas embalagens ao mercado, no início de 2009.
      A margem de lucro declarada pela empresa para essa linha específica alcançou 32%, superando consideravelmente a obtida com produtos in natura.
    • SKOL REDONDINHA
      Usuário: AmBev
       
      Fornecedor citado: Rexam
      Com a adoção da lata de alumínio tipo sleek de 269 mililitros, a AmBev passou a oferecer uma opção adicional de consumo de Skol, sua marca líder. O formato, inédito no mercado brasileiro, tem capacidade volumétrica menor que o das latas regulares de cerveja.
      Mas há outra característica importante: trata-se de uma embalagem inteligente, decorada com tinta termocrômica que avisa quando a bebida está gelada. É a primeira vez que esse recurso é aplicado em alto volume de produção.
      A “Skol Redondinha” se consolidou quase instantaneamente no mercado, com crescimento de vendas ao longo do primeiro semestre de 2009, números que a AmBev solicita manter em sigilo. Na esteira desse sucesso, a AmBev já levou ao mercado três outras marcas na mesma embalagem: Skol Beats, Stella Artois e Brahma Chopp.
    • A Integralmédica decidiu criar uma linha de embalagens secundárias – que são visualizadas nos pontos-de-venda – capaz de se tornar referência de mercado na área de suplementos alimentares para atletas.
      Os suplementos, embalados em sachês, foram agrupados em doses específicas e acondicionados em latas, formando “combos” para uso diário já balanceado. Foi aplicado um rótulo auto-adesivo em filme de BOPP sobre as latas. Essa alternativa viabilizou o uso de embalagens de aço “neutras”, às quais o acesso seria impossível em pequenos lotes litografados, de custo elevado. A utilização da mesma lata para os diferentes produtos da linha propiciou ganhos de operação e de armazenagem, ao eliminar a necessidade de espaços para cada item específico.
      A percepção registrada por varejistas e consumidores foi de “nova categoria de produto”.
      A expectativa de venda do lote de lançamento, de três meses, foi atingida em vinte dias. Dada a boa aceitação da embalagem, a distribuição, feita em academias, lojas especializadas e farmácias, multiplicou-se em número de pontos e em praças.
      MEGA PACK CYCLESUsuário: Integralmédica
       
      Fornecedor citado
      Indexflex
    • OVO DE PÁSCOA PREMIUM PÃO DE AÇÚCARUsuário: Pão de Açúcar
       
      Fornecedor citado
      Congraf
      O Pão de Açúcar queria destacar seu ovo de Páscoa de marca própria, destinado ao público adulto, evidenciando sua diferenciação. A embalagem necessitava de um design arrojado. O projeto adotado foi concebido para mostrar sofisticação ao público-alvo.
      O formato único da caixa e o acabamento fosco, com o preto predominante, reforçam a noção de exclusividade do produto.
      O resultado surpreendeu o usuário: apenas com a mudança de embalagem, as vendas foram 70% superiores às registradas pelo mesmo produto na Páscoa do ano anterior.
    • O objetivo era atualizar a embalagem de um dos produtos odontológicos mais vendidos da FGM, mantendo o alto padrão visual e incluindo o cálcio, novo elemento da fórmula, com destaque. A solução encontrada para agregar valor ao produto foi a utilização de materiais nobres na embalagem, verniz UV localizado e hot stamping prata, que tornam o conjunto mais leve. A disposição do berço de papel cartão que carrega as seringas dentro da embalagem dá a impressão de que o conjunto flutua.
      A embalagem externa, em polipropileno, abriga o estojo em poliestireno cristal, uma porta-moldeira e um dosador.
      A embalagem cumpriu o desafio de acondicionar muitos itens sem sofrer perda de valor estético.
      A embalagem é única para as diferentes concentrações do produto, com cores diferenciadas e informações variáveis aplicadas diretamente no berço.
      Todos esses fatores, mais a substituição do berço de papel-paraná por papel-cartão, e a padronização da embalagem externa de polipropileno, cuja espessura foi reduzida, garantiram redução no custo de produção, aumentando as margens do produto.
      WHITE CLASS CALCIUMUsuário: FGM
       
      Fornecedores citados
      Design Inverso
      Gráfica 43
    • MOLHO PARA SALADA CASTELO
      Usuário: Castelo Alimentos
       Fornecedores citados:
      Metrolabel
      Olveplast
      Projeto Integrado
      Embora fosse moderna desde seu lançamento, em 2002, a embalagem dos Molhos para Salada Castelo, de 236 mililitros, precisava ser modernizada para atrair o público jovem.
      Aproveitou-se para adotar uma tampa tipo flip top para os frascos, selo de indução de alumínio e bico dosador. Foram feitos vários aperfeiçoamentos, entre eles a inclusão de fendas transparentes na embalagem, para facilitar a visualização.
      O principal resultado foi o crescimento de 109% nas vendas.
      Além disso, o produto está sendo introduzido em grandes redes, e a Castelo já conseguiu pontos extras de exposição no varejo.
    • TEMPER CHEESE SANTA CLARAUsuário: Cooperativa Santa Clara
       Fornecedores citados:
      CCL Label
      Galvanotek Embalagens
      Sperotto Design
      Para abrir novos mercados a Santa Clara substituiu os potes de sua linha de queijos processados, que eram padronizados e tinham impressão direta, por potes com design exclusivo.
      De polipropileno branco, eles são agora revestidos com rótulos termoencolhíveis impressos em seis cores. Mais altas que as anteriores, as novas embalagens têm maior área de comunicação.
      As tampas termoformadas, de polipropileno cristal, têm um rebaixo, permitindo empilhamento perfeito e, desse modo, ampliam o impacto no ponto-de-venda.
      A substituição da impressão direta por rótulos termoencolhívels gerou redução do inventário.
      As vendas aumentaram 40%, e o produto hoje é reconhecido como premium, ajudando a fortalecer a marca. A nova embalagem ajudou ainda a Santa Clara a realizar antigo desejo: entrar no mercado paulista.
    • SPRAY MULTIUSO SUVINILUsuário: Basf
       
      Fornecedores citados:
      Cerviflan
      Matriz Escritório de Desenho
      Tampaflex
      A Suvinil estreou no mercado de sprays para arte e decoração, com o desafio de enfrentar um concorrente presente no Brasil desde 1953 com extensa gama de produtos.
      Para o lançamento de uma linha com vinte cores foi utilizado um aerossol padrão, com 20 decorações específicas, porém harmônicas no conjunto.
      Tampas transparentes deixam à mostra anéis coloridos que garantem a identificação das cores de forma imediata. Esse recurso auxilia a escolha pelo usuário no ponto de venda e reduz riscos de utilização de cores erradas.
      A estratégia de posicionamento do novo produto baseou-se fortemente na embalagem. Com o lançamento, a Suvinil rejuvenesceu a marca e passou a atingir um púbico eclético, formado por artistas, artesãos e aficionados por trabalhos manuais.
    • MINI SONHO DE VALSA
      Usuário: Kraft Foods
       
      Fornecedores citados:
      Dixie Toga
      Jofer
      Zaraplast
      O crescimento do mercado de presentes motivou a Kraft Foods a nele introduzir o Sonho de Valsa numa embalagem com fechamento hermético mas de fácil abertura.
      Os bombons, em tamanho menor que o da tradicional guloseima de envoltório rosa, foram acondicionados em bandejas termoformadas, que por sua vez são acomodadas em estojos de papel cartão triplex, nos formatos quadrado e de coração.
      O lançamento dos dois formatos trouxe incremento de 5% nas vendas e valor agregado para a marca estimado em 15%. Ou seja: o produto adquiriu conotação premium, abrindo a oportunidade de ser oferecido como presente.
    • BISCOITOS CASAREDOUsuário: Casaredo
       
      Fornecedores citados:
      Mais Design
      Mazda
      A reformulação feita pela Nutrisul em sua linha de biscoitos e rosquinhas Casaredo mereceria ser premiada só pelo fato de ter conseguido uma proeza: fazer compradores de supermercados – que em geral tratam os fornecedores no mínimo com frieza – procurarem a empresa para colocar os produtos em suas lojas.
      Isso foi conseguido imprimindo às embalagens flexíveis um visual diferenciado e que posicionou a linha em patamar superior. Além de ganhos técnicos com as novas embalagens, a eliminação das janelas, habituais na categoria, foi uma ousadia que deu certo: na família de biscoitos laminados as vendas aumentaram 15%; na de roscas, 100%. E houve recomposição de margem entre 5% e 7%.
    • Redução de custos para fabricantes de refrigerantes, redução de impacto ambiental, redução de consumo de energia, redução de peso e de tamanho das embalagens.
      Esses são alguns dos ganhos propiciados pela tampa plástica Extra-Lok Mini 28 milímetros. Trata-se de uma tampa de duas peças – uma carcaça de polipropileno moldada por compressão, com vedante moldado internamente, e banda antiviolação.
      Seu benefício industrial mais significativo consiste na redução de custos de matérias-primas. Para o fabricante da tampa, o ganho é de 10% na produção. Seu uso possibilita fazer um “finish” mais curto nas garrafas de PET, gerando uma economia de 1,5 grama de resina por unidade.
      Ao adotar a tampa, a Coca-Cola otimizou seu estoque de vasilhame de 2 litros em 23% e calcula que até 2012 a redução de consumo de PET equivalerá ao que seria necessário para produzir 120 milhões de garrafas daquele volume.
      TAMPA EXTRA-LOK MINI
      Usuário: Coca-Cola
       
      Fornecedores citados:
      CSI
    • GELÉIAS CASA DE MADEIRAUsuário: Casa de Madeira
       
      Fornecedores citados:
      UNT Design
      Wheaton Brasil
      Ao decidir racionalizar a linha e reposicionar suas geléias como produtos de alto padrão, a Casa de Madeira substituiu o uso de três diferentes medidas de embalagem por um pote básico de vidro de 235 gramas, com cantos vivos e gravação da marca em alto relevo no fundo. Em três variedades (Original, Tradicional e Gourmet), as geléias destinam-se a diferentes canais: público em geral, venda em redes de supermercados e alta gastronomia.
      Houve ganho de visibilidade nos pontos-de-venda, onde, empilhados, os potes podem apresentar três frentes de rótulos. Com a mudança adotada, a Casa de Madeira reduziu custos de produção e logística, conseguiu sobrepreço real de 25% e, já no primeiro mês após o lançamento, aumentou as vendas em 10%.
    • PRÊMIO HORS CONCOURSCaixa para troféu
      “Os organizadores do Prêmio decidiram oferecer um troféu a uma embalagem que, pelos padrões do Regulamento, não pode concorrer – daí a classificação como horsconcours.
      O caso dessa embalagem não apresenta desempenho de vendas, até porque ela não foi concebida para esse fim.
      No entanto, é uma embalagem inovadora, de design engenhoso e criativo, desenvolvida com tecnologia de ponta, produzida com altíssima qualidade e requintado acabamento. É uma embalagem impactante e surpreendente.
      A aprovação de todos aqueles que tiveram contato com ela foi de 100%.
      O estojo do Troféu EmbalagemMarca – Grandes Cases de Embalagem, foi criado e desenvolvido pela Antilhas para a edição de 2008 desta premiação e adicionou ao Troféu e ao que ele representa para as marcas concorrentes um motivo a mais de saudável cobiça.”