Apresentação de Paulo Markun

on

  • 204 views

 

Statistics

Views

Total Views
204
Views on SlideShare
204
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apresentação de Paulo Markun Apresentação de Paulo Markun Presentation Transcript

  • 1º Seminário Nacional deREDES SOCIAIS e E-GOVpara Administração Pública O JORNALISMO ACABOUPaulo Markunpaulo@markun.com.br@paulomarkun
  • No princípio, não era o verbo1706 – Recife. Carta régia mandou “sequestrar asletras impressas e notificar os donos delas e osoficiais de tipografia que não imprimissem nemconsentissem que se imprimissem livros ou papéisavulsos.”Fim da tipografia autorizada pelo governadorFrancisco de Castro Morais.
  • No princípio, não era o verbo1746- Rio de Janeiro. Governador Gomes Freireautoriza pequena oficina de tipografia. “Mandou acorte aboli-la e queimá-la, para não propagar ideiasque podiam ser contrárias aos interesses do Estado.”E detalhava a ordem: “Não sendo conveniente haveraí (na colônia) tipografias, nem mesmo utilidadepara os impressores, por serem maiores as despesasque no Reino, de onde podiam vir impressos os livrose os papéis”.E tome censura.
  • O verbo imperial1808 – Com família real, nos porões da Medusa,chegam tipos móveis da Secretaria de Estado dosNegócios Estrangeiros e da Guerra.Impressão Régia Tipografia é instalada no porão dacasa de Antônio de Araújo, futuro conde da Barca. Começa a imprensa chapa-branca: Gazeta do Rio deJaneiro.
  • A Gazeta do Rio deJaneiro – jornal oficial.Primeira edição(10/9/1808)
  • O verbo imperialGazeta do Rio de Janeiro - Notícias velhas eanódinas.Navios americanos prestes a chegar a ilha de Texelnão poderiam descarregar suas mercadorias. Preçode produtos vai subir. Notícia de 30 de abril
  • O verbo imperialGazeta do Rio de Janeiro: Faltam pão e camas nascasas de Hamburgo, exaurida pela passagem dastropas francesas. 30 de abril.Trecho de uma carta apócrifa escrita a bordo de umnavio sobre a reação espanhola ao ataque deNapoleão.
  • O verbo imperialGazeta do Rio de Janeiro: “Correo aqui noticia vindapor pedestres de Goiazes; que os francezes tendofeito hum dezembarque no Pará com apparencias deamizade; o Capitão Geral os reçacháracompletamente, ficando vivos só os prisioneiros:porem isto merece confirmação. “
  • O verbo imperialGazeta do Rio de Janeiro: Nota de rodapé informavaque a Gazeta circularia todos os sábados pela manhãe era vendida por Paulo Martin Filho, “mercador delivros”.“N.B. Esta Gazeta, ainda que pertença por Privilegioaos oficiaes da Secretaria de Estado dos NegociosEstrangeiros e da Guerra não he com tudo Official; eo Governo somente responde por aquelles papeis quenella mandar imprimir em seu nome.”
  • Correio Braziliense –1/06/1808. feito emLondres
  • A voz do dono, da oposição e dos ingleses Correio Braziliense - mensal, ideológico, praticamente autoral, artigos enormes. Hipólito da Costa: “Resolvi lançar esta publicação na capital inglesa dada a dificuldade de publicar obras periódicas no Brasil, já pela censura prévia, já pelos perigos a que os redatores se exporiam, falando livremente de ações dos homens poderosos”.
  • O dono da vozD. João VI comprou tiragens do Correio Braziliensepara evitar radicalização contra ele. A partir de 1812Hipólito da Costa passou a receber uma pensãoanual, em troca de críticas mais amenas ao governode D. João, leitor assíduo dos artigos e editoriais dapublicação.
  • Sentinelas da LiberdadeAbril de 1823: Sentinela da Liberdade na Guaridade Pernambuco, de Cipriano Barata, constituinte quenão tomou posse.Setembro de 1823: Condenado à prisão perpétua, foipreso. Sentinela da Liberdade na Guarita dePernambuco Atacada e Presa na Fortaleza do Brumpor Ordem da Força Armada e Reunida.
  • Sentinelas da LiberdadeDepois: Sentinelas na Fortaleza da Barra de SantaCruz, Quartel-General do Pirajá.Cipriano Barata desistiu do jornalismo, virouprofessor de francês.O Escudo da Liberdade do Brasil, década de 1820.Pe. Francisco Agostinho Gomes e cap. João MendesViana, preso com Cipriano Barata.
  • Malagueta e outras pimentasLuís Augusto May – A Malagueta 1o número 5 dejunho de 1822. Várias edições da MalaguetaExtraordinária. Teria ficado insatisfeito com d. PedroI por não ter arranjado emprego. Foi agredido em 6de junho de 1823 e acabou com a mão aleijada.Tifis Pernambucano – Frei Caneca. Durou oitomeses, “Todo homem pode entrar no serviço deoutro pelo tempo que quiser, porém não podevender-se, nem ser vendido”.
  • Outros títulosRepúblicoAbelha PernambucanaO Grito da Razão na Corte do Rio de JaneiroO Triunfo da Legitimidade contra a Facção deAnarquistasO Verdadeiro LiberalO Amigo da VerdadeO Tribuno do Povo
  • A grande imprensaEm 1890, havia 17 jornais no Rio.Os maiores eram Jornal do Comércio, comprado em1890 por José Carlos Rodrigues.Gazeta de Notícias. Publicava contos e romances deEça de Queiroz. Olavo Bilac como colaborador.Ambos tinham suplemento de anúncios.Era o começo da profissionalização.
  • O Correio da Manhã e o JB1901 – Correio da Manhã. Editorial de 4o aniversário:“Veio para lutar, resoluta e serenamente, em prol dosinteresses coletivos sacrificados por umaadministração arbitrária e imoral. Venceu por isso”.Campos Salles era o adversário.
  • O Correio da Manhã e o JBJornal do BrasilFundado em 1891 por Rodolfo Dantas, para defendera monarquia recentemente deposta. Colaboradores:Joaquim Nabuco, o Barão do Rio Branco, OliveiraLima, jovem historiador.Estrutura empresarial, parque gráfico, distribuiçãoem carroças e correspondentes estrangeiros, comoEça de Queiroz. Em 1910, tinha prédio novo e cincoou seis edições diárias.
  • Aposta na venda avulsaO Estado de S. Paulo – 4/1/1875, 16 pessoas sereuniram para criar um diário republicano paracombater a monarquia e a escravidão. “A Provínciade S. Paulo” nasceu empresa. ”Pioneiro em venda avulsa no país, fato pelo qual foiridicularizado pela concorrência. Francês BernardGregoire, que saía às ruas montado num cavalo etocando uma corneta para chamar a atenção dopúblico. Virou símbolo do jornal.
  • Apanhou e mudou de rumoFolha da Noite – 1921 – organizado como empresa,revela o cartunista Belmonte. Apoiou Julio Prestesem 1930 e foi depredado e fechado.Voltou em 1931 com novos donos e nova linhaeditorial, com o nome de Folha da Manhã. voltadapara o apoio da agricultura.Em 1962, foi comprado por Carlos Caldeira Filho eOctavio Frias de Oliveira.
  • Chatô X WainerDiários Associados. Em 1924, Assis Chateaubriandcompra O Jornal. Depois outras empresas. No auge,reunia jornais, 18 revistas, 36 rádios e 18 emissorasde televisão.Última Hora - fundado por Samuel Wainer, em 1951.Teve edições em SP, Porto Alegre, BH, Recife, Niterói,Curitiba, Campinas, Santos, Bauru e ABC. “Deoposição à classe dirigente e a favor de um governo."Revolucionou a comunicação e melhorou salários dosprofissionais.
  • O Imparcial, dos Diários Associados
  • A Última Hora, de Samuel Wainer
  • Moral da históriaO jornalismo só virou profissão quando a imprensase tornou um negócio.Evoluiu na medida em que as redações foram seprofissionalizando e ganhou poder com ofaturamento publicitário.Se o dinheiro acabar, o jornalismo acaba.
  • Day AfterDisseminação da internet, que transforma todocidadão num potencial difusor de informações eformador de opinião.Internet dá poder ao internauta e liquida o modelode negócios centralizado e vertical da mídia comoum todo.
  • Crescimento das mídias – 1996/2011
  • Novas mídias em 2010
  • Uso doCelular no Brasil
  • *Fonte: extra.com.br
  • Day after na músicaMercado de CDS - EUA2000 160 milhões de compradores US $ 60/ano per capita2010 130 milhões de compradores US$ $ 43/ano per capita
  • Day after na TV Em 2011, usuários de smartphones já gastam 3/ 4 de tempo de uso com outras coisas e não com serviços de voz. 2015 segundo Hans Vestberg, CEO da Ericsson:• mais de 90% da população com acesso a redes de telefonia celular.• 5 bilhões de pessoas com acesso móvel a banda larga.• 90% da circulação de dados na internet em vídeo, grande parte em HD
  • Day after na TVHans Vestberg: “Nossa imaginação ainda está noslimitando sobre o que pode acontecer com oconteúdo e com a mídia”.
  • A Receita do Dave 1Dave Winer, pioneiro no desenvolvimento de blogs,podcast, RSSs . Ex-editor contribuinte da Wired. 1. As pessoas querem mais notícias e querem mais rápidoo que acontece. 2. A indústria da notícia está enfrentando uma crise efazendo cortes. (Esta semana, houve um corte de 6% naredação da Folha de S. Paulo. Semana passada, o Jornal daTarde decidiu encerrar a edição de domingo e demitiu 23jornalistas.)
  • A Receita do Dave 23. Mesmo assim, as notícias continuam acontecendo..4. Acredite ou não, a indústria de tecnologia não sabe comoentregar notícias pela Internet. (Advertência:. Está chegandolá)5. Isso cria um vácuo que é preenchido por aquilo que algunschamam de "Conteúdo Gerado pelo Usuário." Winer prefere otermo Direto da fonte. Ele reconhece que muito do que se lêon line é lixo, mas diz que parte do material já tem aqualidade almejada pelo público.
  • A Receita do Dave 3New York Times = “melhor em jornalismo”.Não pela rotativa ou caminhões.Nem editores e repórteres.É logotipo e tradição.Saída? Explorar e melhorar o potencial da marca nainternet, com um sistema de produção e entrega denotícias.
  • A Receita do Dave 4Maior parte do valor produzido pelo NYT éapropriado por sites ou usuários e reproduzido, sempagamento de qualquer taxa ou assinatura.Faturamento obtido na web, com publicidade, maisassinaturas, é insuficiente para sustentar o modelo.Jornais devem encarar fontes como repórteres eseduzí-los a colaborar com o NYT por uma fração doque cobraria um jornalista.NYT fez um Hacday. Estadão fez o primeiro Hackatão.
  • O PS do Dave (2009)"Só mais uma coisa. É claro que um repórter queestiver lendo esse texto vai perguntar ‘E eu? Bem,você tem que encontrar um emprego que pague umsalário e proporciona os benefícios que você precisa.Hoje existem alguns postos de trabalho parajornalistas. Quais as habilidades que você tem queuma organização de notícia pode precisar em ummundo onde a informação sai direto da fonte?
  • O Poderdo Twitter
  • *Fonte: infographiclabs.com
  • As sete fases da notícia no Twitter Stacey Higginbotham, remix via Thiago Dória : Morte de Bin Laden teve ciclo de sete fases:• agitação (primeiros tweets sobre morte circulando) incerteza (será que a informação é verdadeira?• validação (usuários correm para tradicionais sites de notícias).• confirmação(pronunciamento da Casa Branca),• brincadeiras (fotomontagens, falsos perfis, Google Maps)• ação (busca por informações ou festas entre amigos)• análise (links para artigos de especialistas).
  • Apoio
  • RealizaçãoCETEM - Centro de Estudos Temáticos de Administração PúblicaTel: (48) 3024-2784Email: contato@redes-egov.com.br
  • OBRIGADO E BOA SORTE! Paulo MarkunPaulo.markun@gmail.comTel.: (011) 31515075