Your SlideShare is downloading. ×
0
PETSaiba mais:
O que é PET?• Poli (Tefeftalato de Etileno), Poliéster, Polímero  Termoplástico;• Melhor e mais resistente plástico para f...
• As embalagens Pet são 100% recicláveis e a sua  composição química não produz nenhum produto  tóxico;• É um plástico de ...
HISTÓRICO• A descoberta do PET aconteceu em 1928, nos laboratórios da  Du Pont, pela equipe liderada pelo Dr. W. H. Caroth...
• o PET bi orientado tornou-se disponível nos anos 60 com  grande aplicação para condimentos de alimento;• Na mesma década...
Processo de Obtenção• O Pet é um poliéster saturado formado pela do ácido tereftaláto (TPA)  ou dimetil tereftaláto (DMT) ...
• Os grãos de Pet são inicial submetidos a um aquecimento a 160-  170°C para promover a cristalização parcial e a secagem;...
Estrutura Molecular• As moléculas do PET tendem a girar  em torno das ligações C-O para  permitir maior aproximação entre ...
Principais Características do PET• Como plástico de engenharia, ele é um  plástico injetado. E suas propriedades variam  d...
Processamento do PET• Os polímeros utilizados para moldagem por injeção ou  extrusão podem apresentar estrutura amorfa ou ...
• Secagem: O processo consiste em insuflar ar quente e seco  proveniente de um secador num de secagem,os quais,silo e seca...
Propriedades• As propriedade do PET são acentuadamente  diferentes em função do grau de cristalização da  resina;• Impurez...
Massa Molar• Massa molar ponderal média do PET usada para a  confecção de garrafas pode chegar a 45 000  g/mol.Para a fabr...
Cristalinidade• A cristalinidade de um polímero depende da sua estrutura  molecular e é determinada pela forma das suas  m...
PET AMORFO• Menor resistência mecânica ,menor rigidez(menor  modulo de elasticidade) e menor resistência; térmica  quando ...
PET CRISTALIZADO TERMICAMENTE                (não orientado)• Alta resistência mecânica e térmica,alta rigidez  comparado ...
PET Bi – orientado ( garrafa)• Alta resistência mecânica e maior rigidez  quando comparado ao PET cristalizado  termicamen...
PROPRIEDADES MECÂNICAS• A utilização do PET como plástico de  engenharia teve um grande impulso devido à  alta resistência...
PROPRIEDADES DE BARREIRA• O PET é atóxico e apresenta baixa  permeabilidade a umidade e a gases,em  especial ao dióxido de...
LEVEZA• O PET é quase dez vezes mais leve que o vidro  para a mesma quantidade de bebida  carbonatada.
TRANSPARÊNCIA E BRILHO• Quando há necessidade de um visual  atraente, o PET é também recomendado visto  que a claridade, a...
RESISTÊNCIA QUÍMICA• Os poliésteres são caracterizados pela sua  excelente resistência a uma variedade de  produtos químic...
APLICAÇÕES• Na forma de filamentos é aplicado como fio para tecelagem e  como reforço onde se objetiva a maioria das propr...
TIPOS DE PET• APET Poli (Tereftalato de etileno glicol) - Embalagens termo  formadas para alimentos, tais como frutas,bolo...
Aplicações na área médica• Frascos soprados para envase de meios de  cultura para laboratórios microbiológicos e  embalage...
MERCADO• Em 1996, o País era o terceiro maior consumidor mundial do PET no  segmento de bebida carbonatada – principal mer...
• O mercado de higiene e limpeza, por sua vez, já se rendeu à resina.     “No segmento de detergentes, as grandes marcas e...
Gráfico de consumo de embalagens:
RECICLAGEM• O PET amplia sua atuação em seu próprio mercado e se volta  para o PET reciclado. No ano passado, 48% das emba...
Formas de reciclar:• O PET pode ser reciclado de três maneiras  diferentes:• 1 - Reciclagem química;• 2 - Reciclagem energ...
Fases de reciclagem• RECUPERAÇÃO: Nesta fase, as embalagens que  seriam atiradas no lixo comum ganham o status de  matéria...
Gráfico da reciclagem pós consumo
CURIOSIDADES• A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e  Social(BNDES) aprova financiamento de R$ 350 m...
Cai o consumo de PET, mas reciclagem sobe ...• O consumo do polietileno tereftalato (PET) deve encolher 5%  neste ano, com...
*Perspectivas Setor prevê para este ano apenas 3% de                          crescimento                     Márcio Azeve...
Imagens do PET processado:
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

PET - Saiba mais

11,860

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
11,860
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
197
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "PET - Saiba mais"

  1. 1. PETSaiba mais:
  2. 2. O que é PET?• Poli (Tefeftalato de Etileno), Poliéster, Polímero Termoplástico;• Melhor e mais resistente plástico para fabricação de garrafas e embalagens para refrigerantes e entre outros produtos;• Proporciona alta resistência mecânica (impacto) e química, além de ter excelente barreira para gases e odores;
  3. 3. • As embalagens Pet são 100% recicláveis e a sua composição química não produz nenhum produto tóxico;• É um plástico de engenharia de uso geral que representa uma excelente combinação de rigidez e tenacidade entre outras características;• Reúne duas importantíssimas características, baixa permeabilidade aos gases CO2 e O2 e elevada relação leveza/resistência, os fatores decisivos para a sua aplicação neste setor;
  4. 4. HISTÓRICO• A descoberta do PET aconteceu em 1928, nos laboratórios da Du Pont, pela equipe liderada pelo Dr. W. H. Carothers, que estava estudando as reações da condensação entre glicóis e ácidos dibasicos;• Procurava polímeros para a produção de fibras, a serem substituição a seda;• No início foram obtidos um número de poliésteres com baixa massa molecular, sem nenhuma propriedade comercial importante;• Nos anos 50 este poliéster foi usado principalmente na industria têxtil, pela Du pont e pela ICI;
  5. 5. • o PET bi orientado tornou-se disponível nos anos 60 com grande aplicação para condimentos de alimento;• Na mesma década, a Goodyear passou a utilizar este termoplástico na confecção de pneus;• Em 1973 o processo de injeção e sopro com bi orientação, desenvolvida pela Du Pont, permitiu a introdução do PET na aplicação como garrafas, o que revolucionou o mercado de embalagens; principalmente o de bebidas carbonatadas;• O PET como garrafa apenas se tornou disponível no Brasil em 1989;
  6. 6. Processo de Obtenção• O Pet é um poliéster saturado formado pela do ácido tereftaláto (TPA) ou dimetil tereftaláto (DMT) e do etileno glicol(EG);• Catalizadores comuns na polimerização do Pet são metais, óxidos ou sais metálicos. Polímero obtido pela etapa de poli condensação;• Este polímero possui massa molar de ordem 20 000 a 29 000 g/mol viscosidade de em tono de 0,65dl/g adequado a aplicações como fibra têxtil, filmes orientados reforçados com fibra de vidro e fitas magnéticas;• A aplicação do Pet para embalagens sopradas requer um polímero com massa acima de 40 000g/mol e viscosidade intrínseca superior a 0,70 dl/g, o que não é possível de se obter apenas com o processo de poli condensação;
  7. 7. • Os grãos de Pet são inicial submetidos a um aquecimento a 160- 170°C para promover a cristalização parcial e a secagem;• Em seguida,eles são submetidos a um aquecimento cerca de 215°C por 16h, em um reator cilíndrico com atmosfera de nitrogênio, ou a vácuo,aumentando a massa do polímero e a viscosidade intrínseca até atingir o valor ao uso pretendido;• Nesta segunda fase de polimerização, a resina PET, amorfa, obtida na primeira fase de fabricação e cristalizada e polimerizada continuamente. A resina é então embalada, estando pronta para ser usada;
  8. 8. Estrutura Molecular• As moléculas do PET tendem a girar em torno das ligações C-O para permitir maior aproximação entre elas;• A flexibilidade das cadeias moleculares prove de rotação em torno das ligações saturadas; (carbono=azul | oxigênio=vermelho | hidrogênio=invisível)
  9. 9. Principais Características do PET• Como plástico de engenharia, ele é um plástico injetado. E suas propriedades variam devido à massa molar, à cristalinidade, ao uso de subprodutos, uso de aditivos e do percentual e comonômeros adicionados à resina;
  10. 10. Processamento do PET• Os polímeros utilizados para moldagem por injeção ou extrusão podem apresentar estrutura amorfa ou cristalina;• O polímero que produz peça com estrutura amorfa é em geral muito puro e possui alta massa molar,boa resistência ao impacto,boa transparência,baixa tendência a se cristalizar,mas não deve ser exposto a temperaturas superiores a 50°C;• O polímero para peças altamente cristalinas contém aditivos,como agentes nucleares e são materiais que possuem alta resistência mecânica,dureza superficial,para aplicação em peças injetadas;
  11. 11. • Secagem: O processo consiste em insuflar ar quente e seco proveniente de um secador num de secagem,os quais,silo e secador são dimensionados conforme o fluxo de material processado pela injetora.• Desumidificação:O processo anteriormente descrito é mais eficiente se o ar quente insuflado for seco.Por isso,é necessário um desulmidificador que retire toda a umidade do ar utilizado para a secagem;• Sua moldagem pode ser feita por injeção, extrusão e sopro.• Aplicação das fibras:As fibras de PET são utilizadas como material de reforço em aplicações de plástico de engenharia e na produção de tecidos e carpetes;
  12. 12. Propriedades• As propriedade do PET são acentuadamente diferentes em função do grau de cristalização da resina;• Impurezas podem acelerar o processo de cristalização das resinas;
  13. 13. Massa Molar• Massa molar ponderal média do PET usada para a confecção de garrafas pode chegar a 45 000 g/mol.Para a fabricação de fibras a massa molar varia de 15 000 a 20 000g/mol.
  14. 14. Cristalinidade• A cristalinidade de um polímero depende da sua estrutura molecular e é determinada pela forma das suas moléculas, pela simetria, pela ramificação, rigidez e regularidade;todas elas dependentes dos parâmetros de processamento;• Quanto maior o grau de cristalinidade: maior a rigidez, maior a resistência térmica e menor a transparência e a resistência ao impacto;• O PET amorfo com baixo grau de cristalinização é obtido após rápido resfriamento do polímero fundido,tal como acontece com o produto extrudado;
  15. 15. PET AMORFO• Menor resistência mecânica ,menor rigidez(menor modulo de elasticidade) e menor resistência; térmica quando comparado ao PET cristalizado termicamente (não orientado) e o PET bi orientado;• Difícil processamento(maior alongamento a ruptura);• Alta permeabilidade aos gases.
  16. 16. PET CRISTALIZADO TERMICAMENTE (não orientado)• Alta resistência mecânica e térmica,alta rigidez comparado ao PET amorfo,porém menor que a do PET bi orientado;• Frágil(baixo alongamento a ruptura)• Pequena permeabilidade aos gases.
  17. 17. PET Bi – orientado ( garrafa)• Alta resistência mecânica e maior rigidez quando comparado ao PET cristalizado termicamente (não orientado);• Tenaz (alta resistência ao impacto);• Baixa permeabilidade aos gases (maior propriedade de barreia que o PET cristalizado termicamente, não orientado).
  18. 18. PROPRIEDADES MECÂNICAS• A utilização do PET como plástico de engenharia teve um grande impulso devido à alta resistência mecânica que, pontualmente,pode assemelhar-se com a de alguns metais;
  19. 19. PROPRIEDADES DE BARREIRA• O PET é atóxico e apresenta baixa permeabilidade a umidade e a gases,em especial ao dióxido de carbono e ao oxigênio;
  20. 20. LEVEZA• O PET é quase dez vezes mais leve que o vidro para a mesma quantidade de bebida carbonatada.
  21. 21. TRANSPARÊNCIA E BRILHO• Quando há necessidade de um visual atraente, o PET é também recomendado visto que a claridade, a transparência e o brilho obtidos com este material no estado amorfo são muito elevadas .
  22. 22. RESISTÊNCIA QUÍMICA• Os poliésteres são caracterizados pela sua excelente resistência a uma variedade de produtos químicos,incluindo hidrocarbonetos alifáticos,gasolina,óleos,gorduras,álcoois,glicoi s,ésteres de alta massa molar,cetonas,ácidos e bases diluídos,detergentes e a maioria de soluções aquosas de sais;
  23. 23. APLICAÇÕES• Na forma de filamentos é aplicado como fio para tecelagem e como reforço onde se objetiva a maioria das propriedades mecânicas. Os fios são geralmente orientados biaxilialmente podendo se aplicados como fitas magnéticas, filmes fotográficos e para raios X, isolamento elétrico, metalização para capacitores, laminados para impressão e embalagem de alimentos, incluindo aqueles que são cozidos dentro do próprio invólucro em fornos convencionais ou em micro-ondas suportando temperaturas de ate 150°C;• Além de ser emprego no grande mercado de bebidas carbonatadas, o PET vem sendo utilizado como embalagem para vinho, cerveja, sucos de frutas, óleo comestível, água mineral, café solúvel, iogurte, molho de salada, refeições prontas, isotônicos, uísques, vodcas, e licores entre outras bebidas alcoólicas
  24. 24. TIPOS DE PET• APET Poli (Tereftalato de etileno glicol) - Embalagens termo formadas para alimentos, tais como frutas,bolos e doces,embalagens transparentes para eletroeletrônicos em geral,para flores,etc.• CPET-Embalagens para alimentos congelados ou não que devam resistir ao aquecimento em forno microondas ou forno comum(a gás ou elétrico),denominadas em inglês de dual-ovenable trays;• Uma pequena quantidade dessas embalagens é também utilizada para embalar componentes para a industria eletrônica,por suas características elétricas e resistência ao calor;
  25. 25. Aplicações na área médica• Frascos soprados para envase de meios de cultura para laboratórios microbiológicos e embalagens esterilizáveis para instrumentos cirúrgicos e médicos;
  26. 26. MERCADO• Em 1996, o País era o terceiro maior consumidor mundial do PET no segmento de bebida carbonatada – principal mercado do polímero grau garrafa;• Nesse ano em questão, o Brasil transformou 150 mil toneladas de resina. Em 2004, as embalagens de PET desenhavam um cenário dominado pelo refrigerante, com 68% do total. No entanto, é visível o avanço em outras áreas; o segmento de água responde por 20% do consumo da resina e o de óleo, 12%.• Novidade no País, o PET para maionese existe há cerca de 8 anos na Argentina. “O Brasil só enxerga o PET em refrigerante, óleo comestível e água”;• A resina ainda tem potencial de crescimento nas embalagens para as indústrias cosmética, farmacêutica e de sucos, entre outras;
  27. 27. • O mercado de higiene e limpeza, por sua vez, já se rendeu à resina. “No segmento de detergentes, as grandes marcas estão em PET”;• No Brasil desde 2002 com a aquisição da Rhodia-Ster, a M&G se posiciona como responsável por 60% do mercado de PET;• Em 2004, o faturamento líquido atingiu US$ 397 milhões, o equivalente a aumento de 29,3% sobre o ano anterior;• No final de 2006, nova planta de PET da M&G deve entrar em operação. Localizada no pólo petroquímico de Pernambuco, a unidade terá capacidade produtiva de 450 mil t/ano;• Hoje a companhia fabrica 200 mil t/ano de resina PET e 90 mil t/ano de fibra de poliéster, segundo dados da própria M&G. O grupo também anunciou investimentos em nova unidade de PTA (ácido tereftálico purificado). Com capacidade de 750 mil t/ano, a planta deve abastecer a unidade de PET;
  28. 28. Gráfico de consumo de embalagens:
  29. 29. RECICLAGEM• O PET amplia sua atuação em seu próprio mercado e se volta para o PET reciclado. No ano passado, 48% das embalagens foram recuperadas e recicladas, o equivalente a 173 mil toneladas;• “O reciclado já é uma nova indústria; 173 mil t não é brincadeira”, Em dez anos, o volume de PET reciclado aumentou na ordem de 1.200%;• No ano de 1994, o Brasil reciclava 13 mil t, anuncia Sette. Por isso, um aspecto salutar do PET responde por sua cadeia de reciclagem. A resina responde por cerca de 20% dos plásticos recicláveis presentes na coleta seletiva brasileira;• No País, de acordo com dados do Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), os plásticos correspondem em média a 10% em peso do lixo urbano;
  30. 30. Formas de reciclar:• O PET pode ser reciclado de três maneiras diferentes:• 1 - Reciclagem química;• 2 - Reciclagem energética;• 3 - Reciclagem mecânica;
  31. 31. Fases de reciclagem• RECUPERAÇÃO: Nesta fase, as embalagens que seriam atiradas no lixo comum ganham o status de matéria-prima, o que de fato, são;• TRANSFORMAÇÃO: Fase em que os flocos, ou o granulado, será transformado num novo produto, fechando o ciclo.
  32. 32. Gráfico da reciclagem pós consumo
  33. 33. CURIOSIDADES• A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES) aprova financiamento de R$ 350 milhões para fábrica de PET da M&G 04.12.06 ; • Projeto substituirá importação e transformará déficit comercial brasileiro da resina em superávit;• A unidade de PET começará a produzir em fevereiro de 2007, utilizando tecnologia inovadora, que prevê significativos ganhos pelas reduções do nível de investimento e de custos;• Durante os últimos 10 anos, a demanda global de PET cresceu de 3 milhões de toneladas em 1995 para 11,3 milhões de toneladas em 2005, resultando em um aumento de 14,3% ao ano. As previsões do setor apontam para uma elevação da demanda de PET para 18,6 milhões em 2014.
  34. 34. Cai o consumo de PET, mas reciclagem sobe ...• O consumo do polietileno tereftalato (PET) deve encolher 5% neste ano, com máximo de 285 mil toneladas direcionadas à indústria de embalagem, contra 300 mil no ano passado, estima o presidente da Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet) Alfredo Sette;• Prêmio Ecopet – Criado pela Abipet para estimular pessoas e empresas a desenvolver estudos, processos inovadores e novos usos para o PET reciclado,para estimular a preservação do meio ambiente;
  35. 35. *Perspectivas Setor prevê para este ano apenas 3% de crescimento Márcio Azevedo 2007 PET• Há duas fábricas de PET para aplicação em embalagens no Brasil, uma da Braskem, apta a produzir 80 mil t/ano, e outra, de 192 mil t/ano, da M&G, que inaugurará em 2007 uma nova planta;• Essa capacidade de produção é muito inferior à demanda brasileira, cujo suprimento depende de importações;• Diferentemente de outros plásticos, o consumo de PET não tem uma ligação com a renda per capita nacional tão profunda.
  36. 36. Imagens do PET processado:
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×