Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Terceiro Módulo - 14ª aula - Manifestações espirituais, o papel dos médiuns nas comunicações - serviço mediúnico e a influência moral do médium
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Terceiro Módulo - 14ª aula - Manifestações espirituais, o papel dos médiuns nas comunicações - serviço mediúnico e a influência moral do médium

  • 1,694 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,694
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
87
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. MANIFESTAÇÕES ESPIRITUAIS , O PAPEL DOS MÉDIUNS NAS COMUNICAÇÕES - SERVIÇO MEDIÚNICO E A INFLUÊNCIA MORAL DO MÉDIUM A caridade é o processo de somar alegrias, diminuir males, multiplicar esperanças e dividir a felicidade para que a Terra se realize na condição do esperado Reino de Deus. (Emmanuel)
  • 2. MANIFESTAÇÕES ESPIRITUAIS
    • Ensina Paulo (I Epístola aos Coríntios) que:
    • "cada um recebe o dom de manifestar o Espírito para a utilidade de todos".
    • Nas searas espíritas, a maioria dos trabalhadores inquieta-se pelo desenvolvimento imediato das faculdades mediúnicas incipientes.
    • Todavia, a mediunidade não se resume em manifestações exteriores, e sim no aprimoramento interior de cada ser, através do conhecimento e do amor, as duas coordenadas que possibilitam a efetiva evolução, até a condição suprema de Espírito puro.
    • Também não há que buscar destaque em nenhuma das diferentes espécies de mediunidade, querendo o médium, por exemplo, ser um grande vidente ou um grande psicógrafo, pois isso seria fruto do orgulho e da vaidade, vícios que, antes de tudo, devem ser combatidos pelo verdadeiro aprendiz.
  • 3.
    • O que se deve buscar, constantemente, é o progresso espiritual, resultante do esforço e do trabalho de cada indivíduo.
    • Todos os homens possuem mediunidade em maior ou menor grau, nas mais variadas posições evolutivas, e seu desenvolvimento não deve ser precipitado, mas sim, acompanhado pela educação, trabalho fraterno e da boa vontade do aprendiz.
    • A espontaneidade é indispensável, considerando-se que as tarefas mediúnicas são conduzidas em conjunto com os mentores do plano espiritual.
    • Não existe um tipo de mediunidade mais importante que o outro . É importante que o médium, com a faculdade definida, se conscientize do espírito de responsabilidade de sua tarefa, com dedicação sincera e fraternidade pura, para que seu mediunato não se torne improdutivo, fazendo-se necessária a evangelização de si mesmo, antes de se entregar às grandes tarefas doutrinárias, pois, de outro modo, poderá esbarrar sempre com o personalismo, em detrimento ao seu trabalho espiritual.
  • 4.
    • Segundo Emmanuel em o Consolador:
    • "Os atributos medianímicos são como os talentos do Evangelho. Se o patrimônio divino é desviado de seus fins, o mau servo torna-se indigno da confiança do Senhor da seara da verdade e do amor. Multiplicados no bem, os talentos mediúnicos crescerão para Jesus, sob as bênçãos divinas; todavia, se sofrem o insulto do egoísmo, do orgulho, da vaidade ou da exploração inferior, podem deixar o intermediário do invisível entre as sombras pesadas do estacionamento, nas mais dolorosas perspectivas de expiação, em vista do acréscimo de seus débitos irrefletidos“ .
    • O mesmo instrutor espiritual ensina:
    • "Os mentores de um médium, por mais dedicados e evolvidos, não lhe poderão tolher a vontade e nem lhe afastar o coração das lutas indispensáveis da vida, em cujos benefícios todos os homens resgatam o passado delituoso e obscuro, conquistando méritos novos .
  • 5.
    • "O médium tem obrigação de estudar muito, observar intensamente e trabalhar em todos os instantes pela sua própria iluminação. Somente desse modo poderá habilitar-se para o desempenho da tarefa que lhe foi confiada, cooperando eficazmente com os Espíritos sinceros e devotados ao bem e à verdade" (O Consolador)
    • Emmanuel também destaca que o apostolado mediúnico é repleto de dificuldades:
    • "O primeiro inimigo do médium reside dentro dele mesmo. Frequentemente é o personalismo, é a ambição, a ignorância ou a rebeldia no voluntário desconhecimento dos seus deveres à luz do Evangelho, fatores de inferioridade moral que, não raro, o conduzem à invigilância, à leviandade e à confusão dos campos improdutivos.
  • 6.
    • "Contra esse inimigo é preciso movimentar as energias íntimas pelo estudo, pelo cultivo da humildade, pela boa vontade, com o melhor esforço de auto-educaçao, à claridade do Evangelho. "O segundo inimigo mais poderoso do apostolado mediúnico não reside no campo das atividades contrárias à expansão da Doutrina, mas no próprio seio das organizações espiritistas, constituindo-se daquele que se convenceu quanto aos fenômenos, sem se converter ao Evangelho pelo coração..." (O Consolador) .
    • O mediunato, portanto, não se resume apenas no exercício puro e simples das mais diferentes faculdades, porque exige, antes de tudo, o trabalho e o sacrifício, com amor, na sublime tarefa de vivenciar Jesus.
    • "Enriqueça o homem a própria iluminação íntima, intensifique o poder espiritual, através do conhecimento e do amor, e entrará na posse de tesouros eternos, de modo natural" (Emmanuel em Pão Nosso) .
  • 7. O PAPEL DOS MÉDIUNS NAS COMUNICAÇÕES
    • Kardec em o Livro dos médiuns diz:
    • "Demonstrada pelo raciocínio e pelos fatos, a existência dos Espíritos, e a possibilidade de agirem sobre a matéria, devemos agora saber como se efetua essa operação e como eles agem para mover as mesas e outros corpos inertes.
    • Quando se conhecem a natureza dos Espíritos, as propriedades semimateriais do perispírito, a ação mecânica que podem exercer sobre a matéria, a atuação deles nas aparições, como no caso das mãos fluídicas e até mesmo tangíveis que pegam objetos e os carregam, fica sempre a pergunta: qual a necessidade de médiuns? O Espírito não poderia agir sozinho?
    • Kardec consultou os Espíritos, e as explicações foram dadas pelo Espírito São Luiz:
    • "Como um Espírito pode mover um corpo sólido? Combinando uma porção de fluido universal com o fluido que desprende do médium apropriado a esses efeitos”.
  • 8.
    • Nestes fenômenos, a causa preponderante é o Espírito, e os fluidos são o seu instrumento. Por exemplo, se o Espírito quiser mover uma mesa, ele irá envolver essa mesa com os fluidos.
    • "Assim preparada, o Espírito a atrai e a movimenta, sob a influência de seu próprio fluido, emitido pela sua vontade [...] Por sua natureza etérea, o Espírito propriamente dito não pode agir sobre a matéria grosseira sem intermediário, ou seja, sem o liame que o liga à matéria. Esse liame, que chamai perispírito, oferece a chave de todos os fenômenos espíritas materiais" (L.M).
    • É através de seu perispírito que o Espírito manipula o fluido universal.
    • Complementa Herculano Pires, em nota à perg. de n.° 15: "Misturando o fluido animal do médium com o fluido universal do Espírito, temos um pouco da natureza humana e um pouco da espiritual, formando um elemento intermediário. Impregnada a mesa com esse elemento, o fluido material se liga à madeira e o fluido espiritual fica ligado ao pensamento do Espírito".
  • 9.
    • O médium colabora, portanto, doando seus fluidos mais densos. Afirma Kardec em o Livro dos Méduiuns que:
    • "a emissão do fluido animalizado pode ser mais ou menos abundante e sua combinação mais ou menos fácil, e daí os médiuns mais ou menos possantes”.
    • Esclarecem os Espíritos que há "pessoas inteiramente refratárias, outras em que a combinação só se verifica pelo esforço de sua própria vontade, e outras, enfim, em que se dá tão natural e facilmente, que nem a percebem, servindo de instrumentos sem saberem" (L.M.).
    • As pessoas ditas elétricas "tiram de si mesmas o fluido necessário à produção dos fenômenos e podem agir sem auxílio dos Espíritos. Não são propriamente médiuns, no sentido exato da palavra. Mas pode ser também que um Espírito as assista e aproveite as suas disposições naturais" (L.M.). Em nota a essa resposta, Kardec acrescenta que estas pessoas agiriam como os sonâmbulos, que podem atuar sem a colaboração dos Espíritos.
  • 10.
    • É importante considerar que esse fenômeno extingue-se com o fim da ação, e até, muitas vezes, antes que a ação termine, quando a quantidade de fluido não for suficiente para animar o corpo sólido. No exemplo da mesa, Herculano Pires coloca que:
    • "isto explica as interrupções inesperadas de comunicações. A falta de fluido faz a mesa cessar de mover-se, como se o Espírito comunicante se houvesse ausentado" (nota à perg. 14, do item 74 ).
    • E necessário lembrar também que os Espíritos superiores não se ocupam em produzir esses efeitos; eles possuem a força moral, e, quando necessitam provocar esses efeitos físicos, se servem dos Espíritos inferiores como os homens se servem de carregadores.
    • Observa Kardec que a densidade do perispírito varia de acordo com a natureza dos mundos e segundo os indivíduos. Nos seres moralmente adiantados é mais sutil, e que nos inferiores, é mais próxima da matéria. Essa densidade do perispírito estabelece maior afinidade com a matéria e torna os Espíritos menos evoluídos mais aptos para as manifestações físicas.
  • 11. SERVIÇO MEDIÚNICO E A INFLUÊNCIA MORAL DO MÉDIUM
    • O bom serviço mediúnico é consequência da responsabilidade com a qual o médium realiza seu trabalho. O médium é o intermediário entre as esferas física e espiritual , portanto, sua tarefa é a de ser instrumento dos Espíritos superiores e trazer da melhor forma suas mensagens instrutivas e consoladoras.
    • A responsabilidade perante sua tarefa deve permear seu trabalho através da dedicação com a qual se aplica a ela, no dia-a-dia, desempenhando o seu apostolado mediúnico com o exato sentido do dever a realizar.
    • "O dever é a obrigação moral, primeiro para consigo mesmo, e depois para com os outros. O dever é a lei da vida: encontramo-lo nos mínimos detalhes, como nos atos mais elevados" (E.S.E., Cap. XVII)
  • 12.
    • O aspecto moral é fundamental, e, embora a presença da mediunidade não seja necessariamente indício de elevação moral, não ocorre o mesmo com seu uso, que dependerá do tipo de sintonia que o médium estabelecerá com os Espíritos, superiores ou inferiores.
    • O trabalhador do bem é reconhecido pela qualidade de seu caráter, pelo cultivo das virtudes, pelo papel moralizador de sua tarefa e pelos resultados de sua obra. A moral cristã é seu guia diário de conduta.
    • O bom médium não será o homem perfeito, mas se encontrará em luta constante pela sua renovação interior, realizada através de sua reforma íntima.
    • " Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para dominar suas más inclinações" (E.S.E., Cap. XVII)
    • O médium cristão será aquele cujo coração já foi tocado pelo amor ao próximo e o estará praticando através da caridade e da solidariedade com os aflitos e necessitados.
  • 13.
    • O esclarecimento, promovido pelas leituras e estudos da obra de Kardec, propicia a real consciência dos processos mediúnicos, de suas modalidades, das particularidades de seu desenvolvimento, da responsabilidade de sua prática e dá condições para que o médium conheça sua própria sensibilidade mediúnica.
    • O apóstolo João nos legou uma advertência importante: "Caríssimos, não acrediteis em qualquer espírito, mas examinai os espíritos para ver se são de Deus; pois muitos falsos profetas vieram ao mundo" (I Epístola de]oão Cap. 4 vers. 1).
    • A prática mediúnica alicerçada na seriedade e na fidelidade cristã, conduz o médium a afastar-se de reuniões levianas e a frequentar apenas reuniões sérias e instrutivas, tanto no sentido doutrinário quanto no evangélico. A disciplina e a ordem também são essenciais para obter a colaboração da espiritualidade superior.
    • A responsabilidade necessária ao serviço mediúnico também envolve a devida preparação perante o trabalho .
  • 14.
    • Leituras edificantes, abstenção de pensamentos e atos impróprios, autocontrole emocional, evitar abusos em atividades físicas ou alimentares de toda espécie, abandono dos vícios que deterioram seu organismo, a disciplina de horários, a meditação e a prece são pré-requisitos para que o médium desempenhe da melhor forma seu mediunato.
    • Acima de tudo, o médium deve estar convencido da necessidade de servir ao próximo, levando a esperança e o consolo através do influxo da esfera superior e do correto embasamento cristão, com a humildade suficiente para colaborar sem impor-se e com a determinação voltada à realização de sua tarefa eliminando obstáculos e dificuldades de toda ordem.
  • 15. bilbiografia
    • O Livro dos Médiuns - Allan Kardec
    • Palavras de Vida Eterna, lição 43 – Emmanuel
    • Conduta Espírita, lições 4, 11 e 27 - André Luiz
    • Segue-me, lição "Mandato Pessoal" - Emmanuel
    • O Espírito da Verdade, lição 5 – Emmanuel
    • Epístola- de Paulo aos Coríntios Gap .12:7
    • O Consolador - Emmanuel
    • Pão Nosso — Emmanuel