Ficha de trabalho propagação vegetativa na agricultura

7,348 views
6,888 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
7,348
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
209
Actions
Shares
0
Downloads
183
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ficha de trabalho propagação vegetativa na agricultura

  1. 1. ESCOLA SECUNDÁRIA DE JAIME MONIZDisciplina: Biologia e Geologia – 11º ano Ano lectivo: 2012/2013Unidade 6: ReproduçãoTema: Multiplicação vegetativaNome do aluno:__________________________________________ nº:___ Turma: ___ Data: __/__/__ FICHA DE TRABALHOFRAGMENTAÇÃO E MULTIPLICAÇÃO VEGETATIVAQuando a partir da regeneração de um fragmento de um indivíduo se origina outro indivíduo igual ao seuprogenitor, estamos perante um mecanismo de reprodução assexuada por fragmentação. Esteprocesso só é possível porque ocorre em organismos cujas células conservam capacidade dediferenciaçãoQuando o processo de fragmentação ocorre em plantas, designa-se por multiplicação vegetativa.Nesta forma de reprodução é possível utilizar diferentes órgãos como fragmentos capazes de originarnovos indivíduos: folhas, caules e raízes.Exemplos de: ™ caules subterrâneos: rizomas (lírio, fetos, cana-de-açúcar, bambu), tubérculos (batata), bolbos (cebola, gladíolo, tulipa) e bolbilhos (alho). ™ caules rastejantes: estolho (morangueiro). ™ raízes: beterraba, nabo, cenoura, rabanetes, mandioca. ™ folhas: gemas foliares (Bryophyllum)Ao recorrer-se à multiplicação vegetativa, não só é possível obter uma grande quantidade dedescendentes a partir de um progenitor, como também se verifica que as suas características semantêm inalteradas. Por estas razões, estamos perante um processo de clonagem.PROPAGAÇÃO VEGETATIVA NA AGRICULTURAPara além da propagação vegetativa natural, acima descrita, é também possível proceder à propagaçãovegetativa artificial, baseada no mecanismo de reprodução assexuada. O principal objectivo damultiplicação vegetativa artificial é propagar espécies vegetais, procurando melhorar e aumentar asua produção. Entre os vários métodos utilizados podemos destacar: enxertia, estacaria, mergulhia ecultura in vitro.ENXERTIAA enxertia é uma técnica que envolve a inserção de uma porção de um caule ou gomo – o enxerto, numoutro caule – o porta-enxerto, que o irá sustentar e nutrir.Este tipo de propagação tem como principais vantagens permitir a transferência de benefícios deuma planta para outra, melhorar a qualidade e a quantidade da produção, recuperar espéciesdoentes ou acidentadas e cultivar espécies em solos que anteriormente lhes eram desfavoráveis.A principal desvantagem reside na possível incompatibilidade entre o enxerto e o porta-enxerto.Os processos mais vulgares de enxertia são: o garfo, a borbulha e o encosto (fig. 1). 1
  2. 2. FIGURA 1 – A – Reprodução por garfo; B – Reprodução por borbulha e C – Reprodução por encosto.ESTACAA estaca é um método de propagação em que a partir de raízes, caules ou folhas colocados emcontacto com um substrato surgem neles os órgãos necessários para originar uma nova planta. Estemétodo é possível porque muitas células das plantas mantêm capacidade para se comportarem denovo meristematicamente, produzindo raízes, caules e folhas.Existem três tipos de propagação por estaca: estaca radicular (A), estaca caulinar (B) e estaca foliar(C) (fig. 2). A B C FIGURA 2 2
  3. 3. MERGULHIANa mergulhia utiliza-se, como parte da planta para propagar, um ramo longo e flexível. A parteintermédia desse ramo é enterrada no solo, na expectativa de criar raízes capazes de sustentar umanova planta. A parte terminal do ramo deverá ficar fora do solo, permitindo que a planta cresça. Quandose verifica que a planta está enraizada procede-se à separação da sua progenitora (fig. 3). FIGURA 3Quando os ramos das plantas não são flexíveis e se tomadifícil dobrá-los, então, faz-se uma incisão no caule ecoloca-se terra húmida à volta, que será envolvida porplástico ou tecido e atada com ráfia. A partir do momentoem que se formem raízes pode cortar-se o ramo da plantaque lhes deu origem e transplantar-se para o solo,permitindo que se forme uma nova planta. A esta técnicachama-se mergulhia aérea ou alporquia (fig. 4). FIGURA 41 – Qual o objectivo do Homem no uso das técnicas ilustradas nas várias figuras?2 – A filoxera é uma das pragas mais devastadoras da vitivinicultura mundial. Reproduz-se por par-tenogénese. Uma das espécies, a que atacou as vinhas portuguesas da região do Douro no século XIX(1865), vive nas raízes das videiras. Aquando do ataque da filoxera na vinhas do Douro: apenasalgumas espécies de videiras sobreviveram, mas não seriam as melhores castas.Imagine-se vitinicultor, cuja vinha tinha sido atacada por filoxera, e que pretendia continuar I com a suacasta de vinhos.2.1 – Qual das técnicas de multiplicação ilustradas nas figuras 1 e 4 escolheria para resolver oproblema? Justifique. 3
  4. 4. 3 – Explique a importância para a multiplicação vegetativa de as células vegetais conseguirem reverter adiferenciação.4 – Comente a afirmação: "O desenvolvimento da agricultura e o aumento da produção vegetal têm porbase técnicas de multiplicação vegetativa naturais e artificiais". 4

×