Literatura jesuítica

10,668 views
10,381 views

Published on

Material de aulas do Professorado em Portugues

Published in: Education
2 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
10,668
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
293
Comments
2
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Literatura jesuítica

  1. 1. LITERATURA JESUÍTICA OU DE CATEQUESE NO BRASIL
  2. 2. <ul><li>Outra manifestação literária que se deu no Brasil, foi a dos </li></ul><ul><li>JESUITAS </li></ul><ul><li>Religiosos que chegaram </li></ul><ul><li>Com os colonizadores deixaram </li></ul><ul><li>MISSÃO PRODUÇÃO </li></ul><ul><li>- catequização dos índios </li></ul><ul><li>- Criação dos primeiros colégios - cartas </li></ul><ul><li>- Tratados descritivos </li></ul><ul><li>- crônicas históricas </li></ul><ul><li>- Poemas de devoção </li></ul><ul><li>- Peças teatrais (passa- </li></ul><ul><li>gens bíblicos) </li></ul><ul><li>+ Pe. MANUEL DA NÓBREGA </li></ul><ul><li>+ FERNÃO CARDIM Representavam </li></ul><ul><li>+ Pe. JOSÉ DE ANCHIETA Pensamento da CONTRARREFORMA </li></ul><ul><li>liberdade de expressão </li></ul>às ciências contrários
  3. 3. <ul><li>A COMPANHIA DE JESUS </li></ul><ul><li>Os padres jesuitas: </li></ul><ul><li>Chegaram ao Brasil em 1549. </li></ul><ul><li>Implantaram as primeiras instituições de ensino do país. </li></ul><ul><li>Na visão deles, os índios eram pagãos a serem convertidos. </li></ul><ul><li>Acreditavam que não existia salvação fora da igreja. </li></ul>
  4. 4. DEFESA DOS IDEAIS JESUÍTICOS <ul><li>A denúncia contínua dos massacres </li></ul><ul><li>cometidos contra os nativos. </li></ul><ul><li>A resistência contra a escravidão </li></ul><ul><li>indígena pelos colonos. </li></ul><ul><li>A luta para organizar os índios em </li></ul><ul><li>aldeamentos e missões (sociedade </li></ul><ul><li>comunista cristã primitiva). </li></ul><ul><li>A transmissão da fé católica aos </li></ul><ul><li>indígenas garante a estes um lugar </li></ul><ul><li>no mundo (e depois dele). </li></ul>
  5. 5. CRÍTICA AOS JESUÍTAS <ul><li>A implacável destruição de valores culturais dos indígenas (poligamia, a antropofagia e a nudez). </li></ul><ul><li>A contestação da s crenças (mentirosas e demoníacas). </li></ul><ul><li>A substituição da vida nômade pela vida de aldeamentos (presas fáceis) ‏ </li></ul><ul><li>A adoção de uma religiosidade que não podem compreender e que domestica seus instintos de defesa. </li></ul>
  6. 6. PRODUÇÃO JESUÍTICA <ul><li>A poesia didática : dar exemplo moralizantes aos indígenas; </li></ul><ul><li>A poesia sem finalidade catequizadora: relacionada à necessidade </li></ul><ul><li>individual de expressão; </li></ul><ul><li>O teatro pedagógico: baseado </li></ul><ul><li>em textos extraídos da Bíblia; </li></ul><ul><li>As cartas de informação: </li></ul><ul><li>relatavam, aos líderes da Igreja </li></ul><ul><li>Católica Portuguesa, como iam os </li></ul><ul><li>trabalhos de catequese no Brasil. </li></ul>
  7. 7. En quanto ao teatro, utilizabam : <ul><li>Os AUTOS: </li></ul><ul><li>_ Confrontar o BEM / MAL </li></ul><ul><li>BEM----  defendido por santos e anjos que expressam o cristianismo. </li></ul><ul><li>MAL-----  deuses e pajés dos nativos, demônios da tradição católica . </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Breve peça de conteúdo religioso </li></ul><ul><li>AUTO---  ou profano,geralmente em versos, </li></ul><ul><li>originado na Idade média . </li></ul><ul><li>Características </li></ul><ul><li>Conteúdo simbólico, os atores </li></ul><ul><li>representam entidades abstratas, </li></ul><ul><li>de caráter religioso ou moral. </li></ul><ul><li>- o pecado </li></ul><ul><li>- a hipocrisia </li></ul><ul><li>- a avareza </li></ul><ul><li>- a bondade </li></ul><ul><li>- a virtude </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Comparando: </li></ul><ul><li>LITERATURA LITERATURA </li></ul><ul><li>INFORMATIVA JESUÍTICA </li></ul><ul><li>- europeia -transplante literário da </li></ul><ul><li>- ultramarina Europa para a América </li></ul><ul><li>-reflete o Brasil visto -reflete o Brasil visto de </li></ul><ul><li>de fora dentro . </li></ul><ul><li>JESUITAS </li></ul><ul><li>Primeiros em fazer literatura para o Brasil. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>LITERATURA BRASILEIRA </li></ul><ul><li>Nas suas origens </li></ul><ul><li>caracteriza-se por uma </li></ul><ul><li>fase de </li></ul><ul><li>CONCORRÊNCIA </li></ul><ul><li>LINGUÍSTICA </li></ul><ul><li>--  é mais importante observar </li></ul><ul><li>ESTRUTURA das OBRAS </li></ul><ul><li>do que a </li></ul><ul><li>LÍNGUA/IDIOMA </li></ul><ul><li>em que </li></ul><ul><li>Foram redigidas. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>OBRA ANCHIETANA </li></ul><ul><li>DIVERSIDADE DE LÍNGUAS </li></ul><ul><li>A ciência da linguagem nos mostra que : </li></ul><ul><li>* nos processos de interação linguística </li></ul><ul><li>sempre há uma fase de </li></ul><ul><li>BILINGUISMO ou de POLILINGUISMO </li></ul><ul><li>a té o predomínio do </li></ul><ul><li>IDIOMA mais CULTO . </li></ul><ul><li>Assim, não podemos dizer que </li></ul><ul><li>a língua utilizada no Brasil no século XVI era a PORTUGUESA </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Jesuíta português, </li></ul><ul><li>Chefe da 1ª missão jesuítica à América. </li></ul><ul><li>Veio ao Brasil com Tomé de Sousa (1549). </li></ul><ul><li>Participou da fundação de Salvador e de </li></ul><ul><li>Río da Janeiro. </li></ul><ul><li>Estimulou a conquista do interior, penetrando </li></ul><ul><li>além da Serra do Mar. </li></ul><ul><li>Foi o 1º em dar o exemplo subindo o </li></ul><ul><li>Planalto de Piratininga para fundar </li></ul><ul><li>São Paulo. </li></ul><ul><li>Juntou-se a Anchieta no trabalho de </li></ul><ul><li>pacificação dos tamoios. </li></ul><ul><li>Era gago </li></ul>
  13. 13. <ul><li>OS ESCRITOS: </li></ul><ul><li>- Formam o 1º marco literário produzido no Brasil. </li></ul><ul><li>CARTAS : </li></ul><ul><li>- Relatavam o inicio da história do Brasil. </li></ul><ul><li>- Os cristãos viam os índios como um papel em branco onde se podia escrever as virtudes mais necessárias. </li></ul><ul><li>«Fizemos procissão com grande música, à qual respondiam </li></ul><ul><li>as trombetas. Ficaram os índios espantados de tal maneira </li></ul><ul><li>que depois pediam ao padre Navarro que lhes cantasse, </li></ul><ul><li>como na procissão o fazia.» </li></ul>
  14. 14. <ul><li>OBRAS: </li></ul><ul><li>- “Diálogo sobre a conversão dos gentio”(1557), </li></ul><ul><li>TEM UM GRANDE VALOR LITERÁRIO. </li></ul><ul><li>- “Caso da consciência sobre as liberdades dos índios” (1567). </li></ul><ul><li>“ Tratado contra </li></ul><ul><li>a antropofagia” </li></ul>
  15. 15. PADRE JOSÉ DE ANCHIETA: <ul><li>Chegou no Brasil apenas com 17 anos. </li></ul><ul><li>Era espanhol. </li></ul><ul><li>Teve um papel importante na fundação de São Paulo e na catequese dos índios. </li></ul><ul><li>Iniciou o teatro no Brasil. </li></ul><ul><li>Pesquisador folclore </li></ul><ul><li>Língua indígena </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Conhecido como: </li></ul><ul><li>Abarebebe </li></ul><ul><li>( padre santo voador, em língua tupi. ) </li></ul><ul><li>predisposição por caminhar </li></ul><ul><li>duas vezes por mês, </li></ul><ul><li>a trilha litorânea de 105 km. </li></ul><ul><li>Iriritiba – Ilha de Vitória. </li></ul><ul><li>Percurso é percorrido por turistas </li></ul><ul><li>e peregrinos à semelhança do </li></ul><ul><li>Caminho de Santiago (Espanha) </li></ul>
  17. 17. Obras refinadas : poemas e monólogos em latim que parecem destinados a satisfazer suas necessidades espirituais mais profundas. Obras didáticas : hinos, canções e especialmente autos, que visavam infundir o pensamento cristão nos índios. Os autos : Obras teatrais onde o autor tenta conciliar os valores católicos com os mitos indígenas. <ul><li>o bem </li></ul><ul><li>defendido por santos </li></ul><ul><li>e anjos, expressam </li></ul><ul><li>o cristianismo </li></ul><ul><li>o mal </li></ul>deuses e pajés dos nativos misturados com os demônios da tradição católica
  18. 18. <ul><li>DESTACAM-SE: </li></ul><ul><li>“ Do Santíssimo Sacramento” </li></ul><ul><li>“ A Santa Inês-----------------poesias: </li></ul><ul><li>impregnadas de idéias religiosas e conceitos </li></ul><ul><li>morais e pedagógicos </li></ul><ul><li>“ Na Festa de são Lourenço”, </li></ul><ul><li>“ Auto da pregação Universal”-  AUTOS: as peças de teatro lembram a tradição medieval de Gil Vicente e foram feitas para conciliar os valores católicos com os mitos indígenas. </li></ul><ul><li>Sempre preocupado em caracterizar o bem e o mal,Anjo e Diabo, característica pré-barroca. </li></ul>
  19. 19. OS POEMAS <ul><li>Simples, objetivava despertar a devoção do índio. </li></ul><ul><li>- Copiadas adaptadas e distribuídas para serem cantadas nas igrejas. </li></ul><ul><li>- O objetivo não era estilístico, mas pragmático. </li></ul><ul><li>- As verdades religiosas organizadas segundo a finalidade a que eram destinadas. </li></ul><ul><li>- Uma matriz persuasiva e mantinham a dicotomia medieval: </li></ul><ul><li>Bem/mal </li></ul><ul><li>Antigamente, eu morrendo, </li></ul><ul><li>Um ataque de Demônio </li></ul><ul><li>Prenderia minha alma </li></ul><ul><li>Pecadora. </li></ul><ul><li>Destemendo o mal, </li></ul><ul><li>Agora eu amo </li></ul><ul><li>A Jesus, meu Senhor </li></ul>
  20. 20. <ul><li>O Bem: A imagem de Deus, Jesus e a Virgem </li></ul><ul><li>leva à libertação da alma. </li></ul><ul><li>O Mal: representada pela figura do demônio, dos maus espíritos </li></ul><ul><li>que devem ser rejeitados </li></ul><ul><li>escraviza a alma. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>O universo semântico era negativo </li></ul><ul><li>O afastamento </li></ul><ul><li>rejeição dos costumes tradicionais e a aquisição de novos valores, costume e crenças. </li></ul><ul><li>Guarda-me, </li></ul><ul><li>Não me deixes cair. </li></ul><ul><li>Afaste eu aos hábitos antigos, </li></ul><ul><li>(...) </li></ul><ul><li>Afaste eu os maus costumes, </li></ul><ul><li>Deus nos perdoará </li></ul>
  22. 22. Habitantes antigos, maus costumes, costumes perversos, hábitos de nossos avós, . <ul><li>deviam ser destruídos necessariamente para implantar o cristianismo </li></ul><ul><li>cómo atingir esse objetivo ? </li></ul><ul><li>Mobilizando a emotividade do índio: </li></ul><ul><li>Vivendo na serra, </li></ul><ul><li>Não sei muita coisa... </li></ul><ul><li>Danço aqui </li></ul><ul><li>À moda dos meus. </li></ul>
  23. 23. OS AUTOS <ul><li>O tratamento em três níveis: </li></ul><ul><li>1.- há os que são i naceitáveis : antropofagia, brigas, obediência ao pajé. </li></ul><ul><li>2.- há os que são pacificamente aceitos: função fática: língua, dança, ornatos. </li></ul><ul><li>3.- Há os que são condenados , adquirem um outro sentido num novo contexto: </li></ul><ul><li>a renomação o ato de rachar a cabeça, (ritual antropofágico). </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Maus hábitos </li></ul>
  25. 25. <ul><li>OBRAS PUBLICADAS EM VIDA : </li></ul><ul><li>“ De gestis Mendi de Saa” (“Os feitos de Mem de Sá”) impressa em Coimbra -1563 retrata a luta dos portugueses para expulsar os franceses da baia de Guanabara. </li></ul><ul><li>Escrita em latim antes do que Os Lusíadas, é o 1º poema </li></ul><ul><li>brasileiro impresso e a 1ª obra de Anchieta publicada. </li></ul><ul><li>“ A arte de gramática da língua mais </li></ul><ul><li>usada na costa do Brasil” </li></ul><ul><li>- impressa em Coimbra- 1595. </li></ul><ul><li>1ª gramática com os fundamentos </li></ul><ul><li>da língua tupi. (7 exemplares) </li></ul><ul><li>A sua vasta obra só foi totalmente publicada no </li></ul><ul><li>Brasil, na segunda metade do século XX </li></ul>

×