• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
2007 11 spa_termal_oportunidades_investimentonegócio
 

2007 11 spa_termal_oportunidades_investimentonegócio

on

  • 615 views

 

Statistics

Views

Total Views
615
Views on SlideShare
615
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    2007 11 spa_termal_oportunidades_investimentonegócio 2007 11 spa_termal_oportunidades_investimentonegócio Presentation Transcript

    • Research Sectorial SPA TermalOportunidades de Investimento e de Negócio Miguel Frasquilho Director-Coordenador Espírito Santo Research Novembro 24, 2007
    • SPA Termal Sanus per Aquam.1. Termalismo de Saúde e Bem-Estar.....................................................................22. Termalismo em Portugal......................................................................................63. Termalismo na Europa.......................................................................................144. Análise SWOT...................................................................................⁄⁄⁄⁄....205. Notas Finais⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄.....276. Anexos⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄..⁄⁄⁄29 Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 1
    • 1. Termalismo de Saúde e Bem-Estar Configuração do Produto. O Plano Estratégico Nacional do Turismo definiu o “Turismo de Saúde eBem-Estar” como um dos 10 produtos estratégicos a desenvolver e promover, tendo por base os seguintes elementos: • Localização sobre uma nascente de água mineral com valências terapêuticas; • Regiões com oferta de natureza e cultura e elevados padrões de conforto e segurança; • Ofertas segmentadas em espaços exclusivamente dedicados ao termalismo, em coexistência com oferta alargada de actividades de lazer e recreio; • Actividade dedicada ao bem-estar, à beleza e à saúde, com serviços ligados à água mineral, ao relaxamento e massagem, com a finalidade de proporcionar equilíbrio e harmonia ao corpo e ao espírito. Hotel SPA Termal Complexo SPA TermalVocacionado para nichos de mercado que Vocacionado para o mercado internacionalprocuram tratamentos mais intensivos, em e interno do turismo de natureza e de localizações mais recatadas e de menor cultura, de lazer e bem-estar. dimensão. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 2
    • 1. Termalismo de Saúde e Bem-Estar Configuração do Produto.O Hotel SPA Termal é caracterizado por um pequeno conjunto turístico em torno da nascente de águamineral, centrado no Hotel e respectivo SPA que oferece uma gama de programas organizados de Turismode Saúde e de Bem-Estar. O Complexo SPA Termal, para além do Hotel SPA Termal, oferece uma vastagama de produtos e serviços, nomeadamente, o golfe, centro de congressos e o turismo residencial1. Envolvente Natureza Hotel SPA Outros Nascente e Fonte Termal Alojamentos Balneário e SPA Complexo Moradias Com Parque e Golfe Restauração SPA Termal Turísticas Animação Centro Congressos Envolvente Cultura1 Ver anexo 1 – Investimento para Complexo e Hotel SPA Termal. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 3
    • 1. Termalismo de Saúde e Bem-Estar Legislação. Termalismo Terapêutico e de Bem-Estar Decreto-Lei nº 142/2004 (anterior lei era de 1928) Normativo adequado e moderno, dinamizador para a actividade dos balneários termais, de acordo com as características e tendências do termalismo europeu. Autoriza os balneários a desenvolver uma oferta diversificada, viabilizando o pleno aproveitamento das potencialidades de saúde, de bem-estar e de turismo nas estâncias.Alavanca o investimento – Promove a renovação e sofisticação da oferta. Atracção de novos Criação de novos serviços:targets e novos mercados: • Relax; Combater • Anti-stress; sazonalidade • Jovens; • Beleza. • Estrangeiros. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 4
    • SPA Termal Sanus per Aquam.1. Termalismo de Saúde e Bem-Estar.....................................................................22. Termalismo em Portugal......................................................................................63. Termalismo na Europa.......................................................................................144. Análise SWOT...................................................................................⁄⁄⁄⁄....205. Notas Finais⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄.....276. Anexos⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄..⁄⁄⁄29 Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 5
    • 2. Termalismo em Portugal Oferta Parque Termal. Número de termas existentes segundo, distribuiçãoO parque termal em Portugal é constituído geográfica e actividade, 2006por 49 termas: (Unidades) 38 termas em actividade: • 18% abertas todo ano1; Termas abertas • 8 meses de abertura média anual1; Termas c/ actividade suspensa • 44% de gestão pública; • 56% de gestão privada; • 68% com valências para o tratamento de doenças reumáticas e músculo- esqueléticas, e 58% para o tratamento de doenças respiratórias. 11 termas encerradas e uma em fase experimental: • Perda de propriedades terapêuticas; • Falta de capacidade técnico-financeira.1 Por insuficiência de informação, 10% das termas em actividade (Termas de Almeida, Caldas de S. Lourenço, Termas de Caldelas e Termas do Vale do Mó) apresentam período defuncionamento desconhecido.Fontes: Instituto Geológico e Mineiro, Associação das Termas de Portugal (ATP), ES Research – Research Sectorial. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 6
    • 2. Termalismo em Portugal Oferta Equipamentos.Em 2006, das 38 estâncias termais em actividade, somente 7 (18% do total) tinham uma unidade hoteleiraintegrada. Paralelamente, 55% possuíam piscina e 37% localizavam-se na proximidade de praias marítimasou fluviais. Relativamente à oferta complementar potenciadora de procura adicional, 24% e 40% dastermas detinham ou estavam na proximidade de campos golfe e de centros hípicos, respectivamente. Equipamentos complementares existentes nas termas em actividade, 2006 (Número de equipamentos, percentagem) Em percentagem do total 26 do número de termas em actividade (38) 21 15 14 68 9 55 7 40 37 24 18 Unidade hoteleira Unidades Golfe Equitação Piscina Praias integrada hoteleiras nas (a menos (nas proximidades) (marítimas ou proximidades de 10 km) fluviais)Fonte: Associação das Termas de Portugal. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 7
    • 2. Termalismo em Portugal Oferta Volume de negócios.Em 2006, o volume de negócios do termalismo em Portugal ascendia a EUR 19.2 milhões, o quecorrespondia a um decréscimo de 4.4% face ao ano anterior. Nesse mesmo ano, estavam em exploração38 unidades termais em Portugal, sendo a Unicer, SA, com quatro termas em actividade, o principaloperador privado neste sector. Volume de negócios1 do termalismo em Portugal, Tipo de entidades promotoras de termalismo em 2005 e 2006 Portugal, 2006 (EUR milhões) (Nº de explorações termais) -4.4 Var. 05/06 (%) INATEL 20.1 Outras entidades 19.2 1.4 17.8 públicas 2 19.2 4 Unicer, SA 4 Entidades Sociedades 16 promotoras de diversas -5.9 termas 12 2005 2006 Termalismo Termalismo Câmaras bem-estar clássico Municipais1 Só do balneárioFonte: Associação das Termas de Portugal, Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, IP (INETI). Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 8
    • 2. Termalismo em Portugal Procura NÀ Clientes.Entre 2002 e 2006, o número de clientes termais apresentou uma taxa de crescimento médio anual (TCMA)de 1.4%, tendo ascendido, em 2006, a 99 mil clientes. Verifica-se um claro crescimento do segmento debem-estar que, apesar de representar apenas 22.3% do total em 2006, apresentou uma TCMA02-06 de102.9%, compensando a queda registada nos clientes termais clássicos. Concluímos, assim, que uma ofertatermal renovada, disponibilizando produtos diversificados, apresenta um forte potencial de crescimento. Número de clientes nas termas de Portugal, 2002-2006 (Milhares) 98.5 98.0 99.0 93.6 97.0 1.3 9.9 12.9 TCMA02-06 17.7 22.0 (Percentagens) Clientes de Bem-Estar 102.9 Clientes Clássicos (aquistas) -4.4 92.3 87.1 85.6 Total de Clientes 1.4 80.3 77.0 2002 2003 2004 2005 2006Fontes: Associação das Termas de Portugal, ES Research – Research Sectorial. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 9
    • 2. Termalismo em Portugal Procura Tipologia de cliente.Em 2006, 75% dos frequentadores de termas em Portugal tinham uma idade superior a 55 anos. Destes,61% eram mulheres. A região Centro e a região da Grande Lisboa com, respectivamente, 43.7% e 25.1%do total, foram os principais pólos de emissão de clientes termais. Distribuição dos frequentadores de termas segundo as classes etárias, sexo e origem geográfica, 2006 (Percentagem) Distribuição por 4.1 3.6 5.9 12.8 23.8 32.2 17.5 classes etárias 24/34 < 25 35/44 45/54 55/64 65/74 >74 Distribuição por 39.0 61.0 sexos Homens Mulheres Distribuição por 24.6 43.7 25.1 4.1 2.4 0.1 origem geográfica Norte Centro Grande Lisboa Ilhas Alentejo AlgarveFonte: Associação das Termas de Portugal. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 10
    • 2. Termalismo em Portugal Procura Indicações terapêuticas.O Termalismo Clássico Terapêutico português é maioritariamente vocacionado para o tratamento dedoenças reumáticas e músculo-esqueléticas (51.4% da procura termal). As doenças reumáticas são, nospaíses desenvolvidos, o grupo de doenças mais frequentes, devendo por isso ser assumidas como ummercado potencial. Segue-se a procura termal indicada para o tratamento de doenças respiratórias (causade 8.4% dos óbitos em Portugal, e de 8.5% dos internamentos). As doenças do aparelho digestivo são osegundo tipo de doenças que mais motivam internamento em Portugal (11.1% do total de doentesinternados, em 2004), representando a 3ª valência termal (12.3% da procura por indicação terapêuticatermal). Indicações terapêuticas das termas, 2006 (Percentagens) Reumáticas e Músculo-Esqueléticas 51.4 Vias Respiratórias e ORL1 23.1 Aparelho Digestivo 12.3 Nefro-Urinárias e Ginecológicas 3.5 Metabólico-Endócrinas 2.9 Aparelho Circulatório 2.8 Pele 2.21 Otorrinolaringologia. Outras 1.9Fontes: Associação das Termas de Portugal, Direcção-Geral da Saúde. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 11
    • 2. Termalismo em Portugal Balneários inactivos.Actualmente, onze explorações termais encontram-se inactivas. No entanto, oito delas estão em fase deremodelação, duas em construção e uma já em fase experimental. Quatro destas termas são propriedademunicipal. Área concessionada Ponto de Denominação Localização Promotor (ha.) situação Termas do Estoril Estoril Estoril Plage, SA 50.2 Em construção Termas das Salgadas Batalha Câmara Municipal da Batalha n.d. Em construção Termas da Fonte Santa Almeida Câmara Municipal da Almeida n.d. Em fase experimental Caldas do Cró Sabugal Câmara Municipal do Sabugal 51.8 Em remodelação Termas do Monte da Pedra Crato Câmara Municipal do Crato 58.8 Em remodelação Termas do Vale dos Cucos Torres Vedras Sociedade Termal do Vale dos Cucos, SA 50.0 Em remodelação Termas de São Vicente Viseu Termas de São Vicente, SA n.d Em remodelação Centro Termal das Furnas Ponta Delgada Asta Atlântica, SA n.d Em remodelação Termas de Pedras Salgadas Bornes de Aguiar VMPS – Águas e Turismo, SA 250.3 Em remodelação Termas de Vidago Vidago VMPS – Águas e Turismo, SA 193.2 Em remodelação Termas da Longroiva Longroiva ADL – Águas de Longroiva, EM 193.2 Em remodelaçãoFontes: Associação de Termas de Portugal; Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, IP. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 12
    • SPA Termal Sanus per Aquam.1. Termalismo de Saúde e Bem-Estar.....................................................................22. Termalismo em Portugal......................................................................................63. Termalismo na Europa.......................................................................................144. Análise SWOT...................................................................................⁄⁄⁄.⁄...205. Notas Finais⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄.....276. Anexos⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄..⁄⁄⁄29 Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 13
    • 3. Termalismo na Europa Procura Clientes.Em 2006, Portugal apresentava uma das mais baixas procuras termais da Europa, registando menos de 1cliente termal por 100 habitantes. A Alemanha apresentava o valor mais elevado desta amostra, tendo arespectiva procura termal ascendido a 18.1 milhões de clientes. Procura termal na Europa, 2004 e 2006 Procura termal na Alemanha, 2003-2006 (Percentagem da população) (Milhões de clientes) 21.9 18.06 20.9 2006 17.62 2004 17.21 17.13 9.6 9.1 2003 2004 2005 2006 5.4 4.2 3.7 3.2 3.0 2.9 2.5 2.2 1.6 1.1 1.1 1.0 0.9 0.9 0.9 Alemanha Lituânia Sérvia Luxemburgo Hungria Letónia Rep. Checa Grécia Espanha Portugal FrançaFontes: European SPA’s Association, Eurostat, ES Research – Research Sectorial. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 14
    • 3. Termalismo na Europa Procura Viagens.Em 2004, as viagens de Saúde e Bem-Estar na Europa1 ascenderam a aproximadamente 3 milhões (1.2%do total de viagens do mercado emissor europeu), apresentando uma TCMA00-04 de 11.4%. Com amanutenção deste crescimento médio, estima-se que este segmento venha a ascender, em 2015, a cercade 10 milhões de viagens. Em 2004, o principal mercado emissor foi o alemão, onde se concentrou grandepercentagem do total de viagens (63.6% do total). Viagens de Saúde e Bem-Estar no mercado Viagens de Saúde e Bem-Estar por mercado emissor emissor europeu, 2000, 2004 europeu, 2004 (Milhões) (Milhões, percentagens) 10.0 3.0 1.91 Número de viagens (Milhões) 63.6 TCMA00-04 = 11.4% 0.21 100 0.09 6.9 0.08 0.06 0.02 3.0 3.0 2.7 2.1 0.6 0.64 1.95 21.2 Escandinávia Alemanha2 Itália França Reino Unido Outros Total Espanha 2000 2004 2015E 1.2% do total de viagens do mercado emissor europeu (245 milhões)1 36 países europeus, dos quais 25 da UE-27.2 Actualmente, na Alemanha os tratamentos termais efectuados no próprio país são comparticipados pelo sistema de Segurança Social, prevendo-se que no futuro venham a cobrir estânciastermais internacionais.E Estimativa ES Research – Considerando-se a manutenção da TCMA registada entre 2000 e 2004 até 2015, atingir-se-ão 10 milhões de viagens de Saúde e Bem-Estar.Fontes: IPK – International Tourism Consulting Group (World Travel Monitor), ES Research – Research Sectorial . Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 15
    • 3. Termalismo na Europa Procura Evolução.De acordo com as perspectivas enquadradas no Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT), o produtoturístico Saúde e Bem-Estar (um dos 10 produtos turísticos definidos como estratégicos para o crescimentodo turismo nacional) deverá apresentar, durante os próximos 10 anos, uma taxa de crescimento médioanual de, aproximadamente, 8%. Este desempenho compara com o previsto para produtos maistradicionais da economia portuguesa como, por exemplo, o Sol e Mar, com cerca de 1%. Evolução prevista de produtos turísticos em Portugal para os próximos 10 anos Crescimento médio anual previsto nos 12% Gastronomia Turismo e Vinhos Náutico City Break 10% Turismo de próximos 10 anos 8% Natureza Saúde e 6% Bem-Estar Touring Cultural e Golfe Turismo de Paisagístico 4% Negócios 2% Sol e Mar 1 0% 0% 1% 10% 15% 20% 25% 30% Peso no total de viagens na Europa (procura primária)1 Valores de gasto médio não disponíveis. Gasto médio (EUR) por pessoa/dia (estadia + gastos locais)Fonte: Turismo de Portugal, IP. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 16
    • 3. Termalismo na Europa Destinos Preferidos.Analisando as preferências dos consumidores termalistas dos maiores países europeus (Alemanha, Holanda,Espanha, Reino Unido, Itália, e França) verifica-se que, em todos, excepto na Holanda, o respectivo paísaparece como o 1º destino escolhido (a Holanda surge como o 8º destino escolhido pelos holandeses).Portugal, surge como o 4º destino mais preferido pelos espanhóis (4.7% dos espanhóis indicou Portugalcomo o melhor destino de Saúde e Bem-Estar). Nas preferências dos alemães e dos britânicos, Portugal nãoaparece no top 10 dos países nomeados como melhor destino de Saúde e Bem-Estar. Melhores destinos de Saúde e Bem-Estar segundo os consumidores europeus, 2006 Alemães % Holandeses % Espanhóis % Britânicos % Italianos % Franceses % 1À Alemanha 24.1 Espanha 9.2 Espanha 26.2 Reino Unido 9.6 Itália 42.6 França 27.7 2À Itália 10.4 Suiça 8.2 Andorra 6.6 Espanha 8 França 9.9 Tunísia 12.7 3À ˘ustria 9.7 França 5.7 Caraíbas 4.7 EUA 5.5 Suiça 4.6 Marrocos 6.0 4À Espanha 9.4 Turquia 3.8 Portugal 4.7 França 5.1 Caraíbas 3.6 Espanha 4.3 5À Suiça 9.4 ˘ustria 3.5 França 4.3 Suiça 3.2 ˘ustria 3.3 Suiça 3.0 ⁄ 1 9À Portugal 2.2 1 8À Portugal 1.7 7À Portugal 2.31 Portugal não surge no top 10 das preferências de destinos de Turismo de Saúde e Bem-Estar.Fontes: THR – Asesores en Turismo Hotelaria y Recreación, ES Research – Research Sectorial. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 17
    • 3. Termalismo na Europa Destinos Preferidos. Principais destinos de Saúde e Bem-Estar dos turistas europeus, 2004 Ranking Principais destinos % do total • Os principais destinos de Saúde e Bem-Estar 1À Itália 14.8% procurados pelos europeus localizam-se na Europa, que concentrou, em 2004, cerca de 2À Espanha 10.7% 90% da procura. Destacam-se a Itália 3… ˘ustria 7.8% (14.8%), a Espanha (10.7%), a Áustria 4À Hungria 7.1% (7.8%) e a Hungria (7.1%) que, em 5À Turquia 5.5% conjunto, registaram 40% do mercado. 6… Países Bálticos 4.9% Portugal posiciona-se em 18º lugar no 7À Holanda 4.4% ranking da procura pelos europeus desta 8À Alemanha 3.8% oferta turística. 9… Dinamarca 3.7% • Em 2004, Portugal apresentava-se como o 10À Eslovénia 3.4% 9º país mais procurado na UE-25 por 11À França 3.3% turistas não residentes. .... ⁄ ... 18À Portugal 1.4%Fontes: IPK, Eurostat, ES Research – Research Sectorial. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 18
    • SPA Termal Sanus per Aquam.1. Termalismo de Saúde e Bem-Estar.....................................................................22. Termalismo em Portugal......................................................................................63. Termalismo na Europa.......................................................................................144. Análise SWOT...................................................................................⁄⁄.⁄⁄...205. Notas Finais⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄.....276. Anexos⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄..⁄⁄⁄29 Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 19
    • 4. Análise SWOT do Termalismo em Portugal. Pontos Fortes Oportunidades Pontos Fracos Ameaças Pontos Fortes• Existência de recursos termais em vários pontos do país;• Localização dos recursos termais em zonas de potencial paisagístico;• Termas com elevado valor cultural e arquitectónico;• Clima e a segurança do país;• Existência de outros produtos como, por exemplo, a gastronomia, a caça, o golfe, com capacidade de atracção de clientes para o produto termas;• Posicionamento global turístico de Portugal. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 20
    • 4. Análise SWOT do Termalismo em Portugal. Pontos Fortes Oportunidades Pontos Fracos Ameaças Pontos Fracos• Estâncias termais pouco sofisticadas, pouco modernas e atractivas, evidenciando carência de oferta hoteleira (em quantidade e em qualidade);• Fraca promoção turística das unidades termais e da respectiva oferta hoteleira;• Fraca promoção nacional e internacional do produto/marca “Termas de Portugal”: ausência de uma estratégia integrada e concertada da oferta existente no país;• Oferta do produto demasiadamente concentrada no cliente termal clássico, com consequente dependência sazonal, não dinamizando ofertas complementares como, por exemplo, a prática desportiva (i.e., golfe) e a organização de eventos. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 21
    • 4. Análise SWOT do Termalismo em Portugal. Pontos Fortes Oportunidades Pontos Fracos Ameaças Ameaças • Crescente oferta de SPA’s hoteleiros de elevada qualidade bem como de tratamentos de talassoterapia (tratamento pela água do mar) que, por incorrecta avaliação por parte do consumidor, competem directamente com os SPA’s termais; • Concorrência externa de Espanha e de França, por exemplo, países que já detêm uma oferta de elevada qualidade, equipada de uma vasta oferta complementar de produtos e serviços, com notoriedade e reconhecimento internacional1.1 Ver anexo 2 – Exemplos de Sucesso de Termalismo de Bem-Estar. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 22
    • 4. Análise SWOT do Termalismo em Portugal. Pontos Fortes Oportunidades Pontos Fracos Ameaças Oportunidades na Procura Crescimento da procura do produto Termalismo de Saúde e Bem-Estar: • Envelhecimento da população e consequente incremento na percentagem de reformados; • Novos padrões de vida que levam clientes de faixas etárias mais novas a procurarem férias de repouso ou shortbreaks que promovam o bem-estar físico; • Surgimento de uma nova classe socio-económica de rendimentos elevados – DINKYS (Double Income No Kids); • Novas necessidades terapêuticas como, por exemplo, as doenças respiratórias (i.e., asma, doenças de brônquios) que conduziram a que grupos etários mais juvenis constituam clientes alvo a eleger; • Crescente procura de actividades complementares ao termalismo, como por exemplo, o golfe, a caça, visita a aldeias históricas e oferta gastronómica; • Evolução do conceito termal que, para além do tratamento (incluindo convalescença) e prevenção de doenças, pode também associar-se a um novo tipo de mercado, o do Turismo Estético e de Bem- Estar1;1 Aliar uma viagem de turismo e lazer a uma cirurgia estética. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 23
    • 4. Análise SWOT do Termalismo em Portugal. Oportunidades de Exploração do Recurso • Aproveitar o potencial da valência terapêutica médica geral e especializada (i.e., tratamentos de reumatismo, recuperação de traumatismos), oferecendo uma gama de serviços com grande poder de prolongamento da estadia, o que poderá criar forte fidelização dos clientes; • Potenciar a possibilidade de exploração dos três segmentos: termalismo, engarrafamento de águas (crescente procura de água mineral1), e geotermia (o aproveitamento do potencial da energia geotérmica possibilitará uma poupança na factura de energia, um dos principais custos dos estabelecimentos turístico-hoteleiros); • Desenvolvimento do turismo de Saúde e Bem-Estar nos Açores pelos recursos naturais existentes e pelo perfil turístico da região.1 Ver anexo 3 – Engarrafamento de Água Mineral Natural e de Nascente. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 24
    • 4. Análise SWOT do Termalismo em Portugal. Oportunidades em Parcerias• Aproveitar o potencial da organização em rede entre estâncias próximas, aumentando a diversidade da oferta e reduzindo as necessidades de investimento ao nível de quartos, bem como os custos de promoção da região. Permitirá, também, um maior potencial para explorar negócios complementares (e.g., água engarrafada, cosmética);• Possibilidade de apoio institucional por parte da AICEP e das Câmaras Municipais, visando coordenar e agilizar processos de incentivos financeiros e fiscais;• Potenciar o papel dos Seguros de Saúde e Serviços de Assistência Médico-Social ligados a Associações/Sindicatos Profissionais, quer nacionais, quer internacionais, por forma a promover e dinamizar a oferta nacional de termalismo, evitando a dependência face ao Serviço Nacional de Saúde/Segurança Social. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 25
    • SPA Termal Sanus per Aquam.1. Termalismo de Saúde e Bem-Estar.....................................................................22. Termalismo em Portugal......................................................................................63. Termalismo na Europa.......................................................................................144. Análise SWOT...................................................................................⁄⁄⁄⁄⁄.205. Notas Finais⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄.⁄....276. Anexos⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄..⁄⁄⁄29 Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 26
    • 5. Notas Finais.O termalismo em Portugal poderá desenvolver-se no seguinte sentido:• Evoluir para um conceito de Termalismo de Saúde e Bem-Estar, com ofertas segmentadas em espaços exclusivamente dedicados ao termalismo, em coexistência com oferta alargada de actividades de lazer e recreio;• Potenciar e dinamizar as valências paisagísticas, arquitectónicas e culturais das regiões onde as termas se localizam;• Dinamizar a oferta complementar ao termalismo, nomeadamente a caça e o golfe;• Segmentar e direccionar a oferta para os vários grupos de clientes (i.e., famílias, DINKYS, jovens e séniores) por forma a reduzir a tendencial sazonalidade da procura termal;• Potenciar e dinamizar os segmentos de negócios complementares, como o engarrafamento e distribuição de água mineral natural, a geotermia, a cosmética e o Turismo Estético e de Bem-Estar;• Dinamizar o merchandising de produtos como peças de vestuário, chás e infusões, e outros produtos característicos da região em que se insere a unidade em questão, promovendo e divulgando a oferta termal;• Criação e divulgação do conceito (marca e produto) “Termas de Portugal”, para o qual será preponderante o envolvimento integrado dos diversos operadores do sector. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 27
    • SPA Termal Sanus per Aquam.1. Termalismo de Saúde e Bem-Estar.....................................................................22. Termalismo em Portugal......................................................................................63. Termalismo na Europa.......................................................................................144. Análise SWOT...................................................................................⁄⁄.⁄⁄...205. Notas Finais⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄.⁄....276. Anexos⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄⁄..⁄⁄⁄29 Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 28
    • 6. Anexo 1 Investimento para Complexo e Hotel SPA Termal. Hotel SPA Termal Complexo SPA Termal Montante Montante Valência Valência (EUR milhões) (EUR milhões) Alojamento Alojamento Hotel 10 a 20 Hotel 16 a 32 Restauração 1 Alojamento complementar 6 a 12 Animação Restauração 1a2 SPA anexo e balneário 3a5 Animação Centro de congressos Incluído no hotel SPA anexo e balneário 3a6 Componente não definida 1a2 Centro de congressos 2a3 Imobiliário Golf 3a4 Terrenos 1a2 Piscinas/Centro Hípico/Mata/Infantil 1a2 Total 16 a 30 Imobiliário Terrenos 2a3 Estruturas 2a7 Moradias turísticas 2a4 Total 38 a 75Fonte: AICEP. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 29
    • 6. Anexo 2 Exemplos de Sucesso de Termalismo de Bem-Estar.Nos últimos anos, e após investimentos importantes de renovação tecnológica e arquitectónica, assistiu-se,sem se ter perdido a valência do termalismo médico, ao aparecimento na Europa do termalismo remise enforme. Em seguida apresentamos alguns exemplos de relevo de estâncias que passaram por esse processo. Este complexo termal foi um dos primeiros a instituir a fórmula Montbrió resort e SPA, em Espanha. Os vários edifícios que o compõem Tarragona - Espanha oferecem uma mescla harmoniosa de um estilo próprio do início do século XX e tendências de arquitectura mais recentes. Este complexo, com um parque de 17 ha totalmente Royal Parc Evian dedicado à remise en forme, está situado nas margens do Evian - França Lago Léman, nos Alpes franceses. Terme di Saturnia As termas foram alvo de um extenso projecto de renovação e as novas instalações abriram as portas no ano de 2001. Toscania - Itália “Montanha, rocha, água – construir na rocha, em rocha, dentro Therme Vals da montanha, a partir da montanha...”. Este SPA termal abriu em Vals - Suíça 1996 e foi classificado como edifício de interesse público dois anos depois, substituindo as termas da década de 60.Fontes: AICEP, ES Research – Research Sectorial. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 30
    • 6. Anexo 2 Exemplos de Sucesso de Termalismo de Bem-Estar.Os SPA Termal de referência, com dimensão, visibilidade e capacidade de promoção detêm, habitualmente,boas estruturas de alojamento, um conjunto variado de estruturas e serviços, como Centros de Congressose Clínicas, entre outros, e permitem um rol alargado de actividades de bem-estar e lazer. Equipamentos dos SPA termais de referência Act. Natureza Observações Restaurante Congressos Massagens Alojamento Equitação Centro de Ginásio Termas Jacuzzi Piscina Beleza Clínica Sauna Golfe Praia Montbrió Hotel 4* Tarragona - Espanha (450 camas) √ √ √ √ √ √ √ Royal Parc Evian Hotel 5* Casino Evian - França (9000 quartos) √ √ √ √ √ √ √ √ √ √ √ √ √ Teatro Terme di Saturnia Hotel 4* Drive Toscania - Itália (140 camas) √ √ Range √ √ √ √ √ √ √ √ Therme Vals Hotel 3* Ski Vals - Suíça (450 camas) √ √ √ √ √ √ √ √ MontanhaFonte AICEP. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 31
    • 6. Anexo 3 Engarrafamento de ˘gua Mineral Natural e de Nascente.Em 2006, estiveram em funcionamento 31 linhas de Consumo de água mineral e água deengarrafamento em Portugal, das quais 18 de águas minerais nascente em países da União Europeia,naturais e 13 de águas de nascente1. As vendas de águas 2006 (Litros por habitante)minerais naturais e de águas de nascente apresentaram noúltimo decénio um crescimento de 65%: o consumo por Itália 195habitante passou de 55.9 litros/ano, em 1996, para 92.3 Alemanha 153 Espanha 130litros/ano, em 2006. Avaliando uma amostra de países Bélgica 128europeus, em 2006, o consumo de água mineral e de água França 126nascente por habitante em Portugal apresentava-se ainda Portugal 92bastante a baixo de países como Itália, Alemanha e Espanha, Aústria 89entre outros. Grécia 81 Consumo de águas minerais e de nascente, Portugal, 1996 e 2006 Irlanda 30 (Litros por habitante) Reino Unido 28 % 92.3 Suécia 26 + 65 55.9 Holanda 24 Dinamarca 23 1996 20061 As águas minerais integram-se no domínio público do Estado (sendo a respectiva exploração assegurada através de um contrato de concessão), oferecem uma composição estável do pontode vista físico-químico e possuem propriedades terapêuticas ou simplesmente efeitos favoráveis à saúde. Ao contrário, as águas de nascente, são objecto de propriedade privada (apesar decarecerem ser licenciadas) e apenas têm de ser, na origem, águas próprias para beber.Fontes: APIAM, Eurostat, ES Research – Research Sectorial. Research Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 32
    • Director Coordenador Miguel Frasquilho mfrasquilho@bes.pt Francisco Mendes Palma fmpalma@bes.pt Direcção Artur Alves Pereira aapereira@bes.pt Research Sectorial Miguel Malaquias Pereira mbpereira@bes.pt Susana Barros msbarros @bes.pt João Pereira Miguel jpmiguel@bes.pt Luís Ribeiro Rosa luis.c.rosa@bes.ptResearch Sectorial SPA Termal Oportunidades de Investimento e de Negócio Novembro 24, 2007 33