Your SlideShare is downloading. ×
0
AS FOTOGRAFIAS COLORIDAS
VISUALIZAÇÃO DE DADOS                  ECONÔMICOSCercas, portões, estrada de acesso a casa, fios, lâmpadas externas,situaç...
Inventário Visual• Nível Econômico.• Nível Social.• Estilo de Vida.• Estética de decoração.• Atividade Familiar.• Ordem da...
Inventário Familiar• Móveis Familiares.• Aproveitamento do  espaço habitacional.• Tecnologia existente.• Ordem interna• Cu...
VISUALIZAÇÃO DE DADOS SOCIAISÉ importante o registro das questões de gênero, da divisão dotrabalho, da ocupação do espaço ...
VISUALIZAÇÃO DE DADOS RELIGIOSOSOs dados religiosos deverão ser capturados nas manifestaçõesde fé, de crenças no sagrado, ...
Cruzeiro.Cruz colocada no campo, e vista pelos ilhéus da Ilha dos Marinheiros como um local  onde se fazem pedidos, seagra...
LENDAS E MITOS• Existem barreiras culturais enormes entre você e os  habitantes da ilha. Mantenha uma atitude de respeito,...
Carocha: “ Olha nois táva num lugar lá no retiro. sem nada.Era eu e o Bita. Não tinha casa, não tinha gente, não tinha nad...
Nóis tava a cavalo e no meio do nada, começamo aouvi risada de mueí. Riam na nossa frente. Riamatrais de nóis. Riam encima...
“Bola de Fogo – Assusta moradores da Ilha.                                                                              No...
VISUALIZAÇÃO DE DADOS CULTURAISAssociada ao conceito de civilização, todas as manifestaçõessociais de uma comunidade, tais...
A caminhada do Projeto  Fotográfico da Ilha
Os resultados já foram apresentados em diversos Congressos,no Chile (Valparaíso); Uruguai (Montevideo); Itália (Roma);Bras...
EQUIPE DO PROJETO             LYL RECUERO
EQUIPE DO PROJETO          PAULO AZAMBUJA
EQUIPE DO PROJETO
IDAS À ILHA DOS MARINHEIROS COM A         EQUIPE DO PROJETO
ACAMPAMENTOS
Referencial bibliográficoACHUTTI, Luiz Eduardo Robinson, Fotoetnografia, Um estudo de Antropologia Visual sobre cotidiano,...
MALINOWSKI, Bronislaw. Les Argonautes du Pacifique Occidental. Éditions Gallimard. PARIS. 1989.______________. Argonautas ...
OBRIGADO PELA ATENÇÃO         Carlos Leonardo Recuero         Site do projeto: projetoilhadosmarinheiros.wordpress.com    ...
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais  -parte 3
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais -parte 3

299

Published on

Fotoetnografia -3

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
299
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "24 parte3orientação e técnica para o uso da fotografia como instrumento de pesquisa em ciências sociais -parte 3"

  1. 1. AS FOTOGRAFIAS COLORIDAS
  2. 2. VISUALIZAÇÃO DE DADOS ECONÔMICOSCercas, portões, estrada de acesso a casa, fios, lâmpadas externas,situação das paredes, janelas, portas. Situação do quintal,canteiros, horta. Equipamentos agrícolas e veículos existentes.Roupas na corda.
  3. 3. Inventário Visual• Nível Econômico.• Nível Social.• Estilo de Vida.• Estética de decoração.• Atividade Familiar.• Ordem da moradia.• Organização do trabalho.
  4. 4. Inventário Familiar• Móveis Familiares.• Aproveitamento do espaço habitacional.• Tecnologia existente.• Ordem interna• Cultura Familiar.• Religiosidade• Lazer infantil e adulto
  5. 5. VISUALIZAÇÃO DE DADOS SOCIAISÉ importante o registro das questões de gênero, da divisão dotrabalho, da ocupação do espaço geográfico e territorial doilhéu, bem como do comportamento dos relacionamentos dacomunidade entre si.
  6. 6. VISUALIZAÇÃO DE DADOS RELIGIOSOSOs dados religiosos deverão ser capturados nas manifestaçõesde fé, de crenças no sagrado, no sobrenatural e nasmanifestações nos eventos de caráter religioso e nos signos esímbolos utilizados pelos nativos da ilha.
  7. 7. Cruzeiro.Cruz colocada no campo, e vista pelos ilhéus da Ilha dos Marinheiros como um local onde se fazem pedidos, seagradece milagres recebidos e até onde as procissões vão levando em andores, os Santos Padroeiros, entoando cantos e orações.
  8. 8. LENDAS E MITOS• Existem barreiras culturais enormes entre você e os habitantes da ilha. Mantenha uma atitude de respeito, sendo educado, cortês e interessado no outro.• Escute mais do que fale.• Respeite os valores culturais e religiosos dos Ilhéus
  9. 9. Carocha: “ Olha nois táva num lugar lá no retiro. sem nada.Era eu e o Bita. Não tinha casa, não tinha gente, não tinha nada. Noís muito namorador ia nos lugar das vila dos outro pescador do”norte”[1]. Depois nóis voltava a cavalo. Eu e o Bita tava voltando até onde o meu pai tava esperando. Ele tinha acendido um liquinho, para nóis o achar. Tinha muita cerração e tava escuro que nem preto.
  10. 10. Nóis tava a cavalo e no meio do nada, começamo aouvi risada de mueí. Riam na nossa frente. Riamatrais de nóis. Riam encima de nóis. Isso foi um vinteminuto ouvindo as risada. Olha era as Bruxa! Elasandam atrás de home solteiro. Nois tinha so 28 ano eera soltero. Mas era as Bruxa! Hoje não se fala maisnisso. Nóis os veio sabemu dela, mas a gurizada não.” [1] Norte. Como os pescadores da ilha se referem aos pescadores nativos da cidade de São José do Norte.
  11. 11. “Bola de Fogo – Assusta moradores da Ilha. No dia 23 de agosto à noite, 4 mulheres iam passando distraidamente pela Marambaia. Quando avistaram uma enorme bola de fogo, fazendo com que elas gritassem. Os moradores da Marambaia disseram que era o “Boi Tatá”19. Há pessoas que dizem que isso é um pássaro que quando voa abre as asas e aparece em sua cauda uma luz em forma de uma bola e outras dizem que quando alguém carneia um animal, a gordura sobe para as nuvens e com o calor do ar forma-se uma bola de fogo. Reportagem Flávia, Fabiane Marques e Sibele” (ILHÉU, 1995. 04).Boi Tatá – Fogo-fátuo. Vem do guarani mboi, cobra, e tatá, fogo, cobra de fogo, é mais uma crendice do que uma lenda. (NUNES & NUNES. 1982. 67). “Spritoperdido” (Fogo-fátuo) é considerado, como um espírito perdido que aparece “nus lugar invisive aquela tocha di fogo”- a cabeça do “spritu mau”é de fogo. Oscompadres que se casam, quando morrem, seus espíritos se batem e lançam fogo no ar. (MARQUES.1973. 63).
  12. 12. VISUALIZAÇÃO DE DADOS CULTURAISAssociada ao conceito de civilização, todas as manifestaçõessociais de uma comunidade, tais como costumes, arte,moral, e as expressas nas pinturas das casas, nos jardins, naforma de vestir, nos hábitos e nas aptidões desenvolvidas,representam os dados culturais a serem registrados.
  13. 13. A caminhada do Projeto Fotográfico da Ilha
  14. 14. Os resultados já foram apresentados em diversos Congressos,no Chile (Valparaíso); Uruguai (Montevideo); Itália (Roma);Brasil ( Pelotas, Rio Grande, Brasília, Rio de Janeiro, PortoAlegre, Londrina e Florianopólis).
  15. 15. EQUIPE DO PROJETO LYL RECUERO
  16. 16. EQUIPE DO PROJETO PAULO AZAMBUJA
  17. 17. EQUIPE DO PROJETO
  18. 18. IDAS À ILHA DOS MARINHEIROS COM A EQUIPE DO PROJETO
  19. 19. ACAMPAMENTOS
  20. 20. Referencial bibliográficoACHUTTI, Luiz Eduardo Robinson, Fotoetnografia, Um estudo de Antropologia Visual sobre cotidiano,lixo etrabalho. Livraria Palmarinca/Tomo Editorial Porto Alegre. 1997._____________, Fotoetnografia,Da Biblioteca Jardim. Livraria Palmarinca/Tomo Editorial . UFRGS Editora.2004.______________. (Org.) Ensaios Sobre o Fotográfico. Unidade Editorial. Porto Alegre. 1998.ALVES, André. Os Argonautas do Mangue. Editora Unicamp. Campinas.2004BARTHES, Roland. A Câmara Clara. Editora Nova Fronteira. 5ª Edição. Rio de Janeiro.1984.BOURDIEU, Pierre. Um Arte Médio. Ensayo sobre los usos sociales de la fotografia. Editorial Gustavo Gilli.Barcelona. 2003COLLIER JR, John. Antropologia Visual : A Fotografia como Método de Pesquisa. Editora da Universidade deSão Paulo. São Paulo. 1973.FABRIS, Annateresa (Org.) Fotografia usos e funções no século XIX. Edusp. São Paulo. 1991.FLUSSER, Vilém. Ensaio sobre a fotografia. Para uma filosofia da técnica. Editora Relógio D´Água. Portugal.1998GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de janeiro, LTC, 1999._______. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. Petrópolis, Ed.Vozes, 1999b.GUIMARÃES, César. Imagens da Memória. Entre o Legível e o Visível. Editora UFMG.Belo Horizonte.1997.KOSSOY, Boris. Fotografia e história. Editora Ática. São Paulo. 1989.______________.Realidades e ficções na trama fotográfica. Ateliê Editorial. São Paulo.1999.LÉVI-STRAUSS. Antropologia Estrutural. Tempo Brasileiro. Rio de Janeiro . 1967.______________. Antropologia Estrutural dois. Biblioteca Tempo Universitário. Rio de Janeiro. 1993.MACHADO, Arlindo. A Ilusão Especular. Introdução à Fotografia. Funarte. Brasiliense. São Paulo.1984.
  21. 21. MALINOWSKI, Bronislaw. Les Argonautes du Pacifique Occidental. Éditions Gallimard. PARIS. 1989.______________. Argonautas do Pacífico Ocidental. Um Relato do Empreendimento e da Aventura dos Nativos nosArquipélagos da Nova Guiné Ocidental. Coleção Os Pensadores. Editora Abril S.A. São Paulo, 1978.MAUSS, Marcel. Ensaio Sobre a Dádiva. Edições 70.Lisboa. 2001.______________. Manual de Etnogafía. Editora Fondo de Cultura Econômica. Buenos Aires.2006.MCLUHAN, Marshall. Os Meios de Comunicação como Extensões do Homem. Ed. Cultrix, São Paulo, 1964.NARANJO, Juan. (Ed). Fotografia, antropologia y colonialismo (1845-2006). Editora Gustavo Gilli. Barcelona. Madri.2006.RECUERO, Carlos Leonardo.A Fotografia Como Instrumento de Educação Social. Dissertação de Mestrado. UCPEL.2001.____________________. O Uso da Imagem fotográfica em trabalhos etnográficos. Signo Latinoamérica, Montevídeo.Uruguai v. 01, p. 01-03, 2006.RIBEIRO, José da Silva. Antropologia Visual, práticas antigas e novas perspectivas de investigação. Revista deAntropologia. São Paulo. USP. 2005.SAMAIN, Etienne.(org.). O Fotográfico. Editora Ucitec. São Paulo.1998. ________________ “Ver”e “dizer” na Tradição Etnográfica: Bronislaw Malinowski e a Fotografia. Horizontesantropológicos. Porto Alegre, ano 1, n.2, p 23-60. jul-st.1995.SILVEIRA, Fabrício. O olhar etnográfico de Walter Benjamim. Salvador: Anais do XXVCongresso Anual em Ciência da Comunicação, 2002.SONTAG, Susan. Ensaios sobre a fotografia .Editora Arbor. Rio de Janeiro .1981.STAM, R. Teorias Del Cine. Paidós editora, Barcelona. 2001VAN LIER, Henri. Philosophie de La Photographie. Lê Cahier de La Photographie Hors. Paris. 1983.
  22. 22. OBRIGADO PELA ATENÇÃO Carlos Leonardo Recuero Site do projeto: projetoilhadosmarinheiros.wordpress.com Site pessoal: carlosrecuero.wordpress.com crecuerok@gmail.com @crecuero
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×